Você está na página 1de 30

Unidade 5:

ESTRUTURAS
Parte 1

UNIVERSIDADE DE CUIABÁ
FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO
Disciplina: Tecnologia das Construções II
Professor: Alberto Rodrigues Dalmaso
Introdução às Estruturas
• Classificação quanto à concepção estrutural (Cont.)
– Reticuladas
• A transmissão dos esforços ocorre através de elementos
isolados tais como lajes, pilares e vigas ou pórticos.
Introdução às Estruturas
• Classificação quanto à
concepção estrutural (Cont.)
– Elementos Planos
• a transmissão de esforços
faz-se através de um
plano de carregamentos,
como‚ o caso dos edifícios
constituídos por paredes
maciças de concreto
armado ou mesmo de
alvenaria estrutural.
Introdução às Estruturas
Introdução às Estruturas
• Classificação quanto à concepção estrutural (Cont.)
– Cascas
Introdução às Estruturas
• Classificação quanto à concepção estrutural (Cont.)
– Treliças Espaciais
Introdução às Estruturas
• Classificação quanto à concepção estrutural (Cont.)
– Estaiadas
Introdução às Estruturas
• Classificação quanto à concepção estrutural (Cont.)
– Estaiadas
Introdução às Estruturas
• Classificação quanto ao processo de produção
dos elementos resistentes
– moldados no local;
• produzidos já no seu lugar definitivo no conjunto da estrutura
– pré-fabricados (em usina);
• moldados numa usina e transportados até o canteiro
– pré-moldados (em canteiro)
• são fabricados no canteiro; porém, longe do local em que
serão instalados.
Introdução às Estruturas
• Quanto ao processo de produção
– Por montagem - acoplamento mecânico

– Por moldagem no local


Introdução às Estruturas
• Quanto ao processo de produção – cont.
– Por moldagem e montagem no local
Introdução às Estruturas
• Quanto aos Materiais Constituintes
– Estruturas de Madeira
– Estruturas de Aço
– Alvenaria Estrutural
– Estruturas de Concreto
• Protendido
• Armado
Estruturas de Madeira
• Baixo uso devido à
– Falta de tradição do uso
– Resolução do 307 CONAMA – Limita o uso apenas
de madeira de reflorestamento
– Problemas decorrentes do elevado potencial de
queima
– Deficiências quanto à resistência mecânica e
durabilidade,
Estruturas de Madeira

YINGXIAN PAGODA – Construído em 1056, na China, é a mais alta


estrutura inteiramente feita em madeira, com 61 m de altura.
Estruturas de Aço
• O aço, largamente empregado em países mais desenvolvidos e com
elevado potencial de utilização devido às suas características mecânicas
(elevada resistência á compressão e á tração), também vem sendo pouco
utilizado no Brasil para a construção de estruturas de edifícios,
principalmente nos de múltiplos pavimentos. Sua utilização vem se
concentrando, sobretudo na produção da estrutura de edifícios industriais.
Pode-se dizer que existem alguns fatores "responsáveis" pela pequena
utilização do aço no Brasil, dentre os quais se destacam:
– custo elevado do aço quando comparado ao do concreto armado;
– falta de tradição construtiva e desconhecimento do processo construtivo;
– características da mão-de-obra nacional: de baixo custo e pouca qualificação; o
baixo custo leva a poucos investimentos nos ganhos de produtividade, que seria
uma das grandes vantagens oferecidas pela estrutura de aço;
– falta de perfis adequados à construção de edifícios, o que seria essencial para a
implantação de um mercado consumidor. No entanto, as indústrias produtoras
não assumem o investimento necessário;
– suscetibilidade a incêndio, exigindo tratamentos especiais nos elementos;
– utilização de equipamentos pesados para montagens (guindastes, máquinas de
solda, etc);
Estruturas de Aço
• Não obstante essas dificuldades, a produção de um
edifício em aço apresenta um elevado potencial de
racionalização devido às características intrínsecas ao
material, pois:
– permite grande flexibilidade construtiva
– toda a estrutura é previamente preparada em uma fábrica ou
indústria, ficando apenas a montagem para o canteiro;
– para o preparo de cada peça é necessário um detalhamento
prévio, e sendo assim, as decisões são necessariamente
tomadas durante a elaboração do projeto e não no canteiro
durante a execução do edifício; logo, não há decisões de
canteiro, os detalhes construtivos vêm previamente definidos;
– é possível a modulação de componentes racionalizando-se as
atividades de preparo e montagem da estrutura, bem como,
possibilita o emprego de outros elementos construtivos
modulados (vedações, caixilhos);
Estruturas de Aço
• Demais Vantagens:
– NA ADMINISTRAÇÃO DA OBRA:
• Execução em fábrica, apenas montagem no canteiro;
• Grande precisão dimensional;
• Grande precisão quantitativa dos materiais;
• Poucos itens de materiais (aço, parafusos, eletrodos, tintas);
• Qualidade garantida das matérias primas (pelas usinas);
• Uniformidade das matérias primas;
• Pouca quantidade de homens na obra e mão-de-obra com maior
qualificação.
– NAS FUNDAÇÕES:
• Leveza estrutural; 40 a 80 Kg/m² (vigas e colunas), até 80% menos
(1/5 do peso do concreto);
• Menores cargas nas bases;
• Volumes menores nos blocos;
• Sistemas mais econômicos.
Estruturas de Aço
• Demais Vantagens – cont.
– PRAZOS:
• Simultaneidade de execução da estrutura e fundações;
• Avanços da montagem de 3 em 3 pavimentos;
• Possibilidade de alvenarias acompanharem a montagem.
– CUSTO FINANCEIRO:
• Prazos finais reduzidos, antecipação de utilização.
• Retorno mais rápidos e utilização antecipada.
– DEMAIS VANTAGENS
• Aumento dos espaçamentos entre colunas, aumentando a área
útil nas garagens;
• Menores riscos de alterações de previsão e demanda graças à
rapidez de entrega;
• Maior valor residual (no caso de desmontagens)
com reaproveitamento de todo material estrutural).
Estruturas de Aço
Estruturas de Aço
Alvenaria Estrutural
• A alvenaria, por sua vez, foi largamente utilizada no passado como
material estrutural para a construção de edifícios com dois e até três
pavimentos. No entanto, com o surgimento do concreto armado
cedeu lugar ao novo material.
• Hoje, a alvenaria ressurge com grandes possibilidades de emprego
para a produção de estruturas de edifícios de múltiplos pavimentos,
sendo denominada alvenaria estrutural.
• E assim como o aço, é um material estreitamente ligado à
racionalização do processo de produção, pois além de constituir a
estrutura do edifício, constitui ao mesmo tempo a sua vedação
vertical, o que proporciona elevada produtividade para a execução
do edifício. Além disso, a regularidade superficial dos componentes
e a "precisão“ construtiva exigida pelo processo possibilitam o
emprego de revestimentos de pequena espessura reduzindo o
custo deste subsistema.
Alvenaria Estrutural
Alvenaria Estrutural
• A utilização de equipamentos tradicionais e a ausência quase total
de resíduo de construção são vantagens também apresentadas na
utilização da alvenaria estrutural. Também as instalações podem
ser racionalizadas ao se utilizar os componentes vazados de
alvenaria (blocos) para a sua passagem, sem a necessidade de
quebrar a parede e, consequentemente, sem a necessidade de se
refazer o serviço
Alvenaria Estrutural
• A utilização da alvenaria estrutural gerou a necessidade
de desenvolvimento do processo construtivo e de
produção através do projeto para produção, no qual são
feitos a modulação das peças e o detalhamento
construtivo, a partir da integração com outros
subsistemas.
• Como limitações podem ser citadas: a impossibilidade
de construir edifícios de grande altura, a falta de
flexibilidade arquitetônica e também a necessidade de
componentes de alvenaria com características
adequadas, restrições a modificações nos apartamentos
Concreto Protendido
• Estruturas Moldadas in loco – Lajes de Grandes Vãos
– O concreto protendido tem sido empregado no Brasil desde a
década de 50 em obras de grande porte (em geral edifícios
comerciais) e onde há necessidade de grandes vãos.
– Proporcionar grande flexibilidade de layout, requer
racionalização do sistema de fôrmas e possibilita maior
organização do processo construtivo. Além disso, necessita de
mão de obra especializada, de equipamentos especiais (como
macaco de protensão) e de grande diversidade de materiais a
serem estocados e controlados.
Concreto Protendido
Concreto Protendido
• Estruturas pré-moldadas
– A utilização do concreto protendido pode se dar
através de peças pré-fabricadas, o que traz a
vantagem da utilização da mão-de-obra tradicional no
canteiro, confere maior limpeza e organização ao
canteiro de obras e apresenta curto prazo de
execução.
– Por outro lado, diminui a flexibilidade arquitetônica,
tem alto custo, pequenas alturas (cerca de 25 m) e
vãos médios (aproximadamente 10 m), uma vez que
o transporte das passa a ser o limitante
Concreto Protendido