Você está na página 1de 17
Atuação do psicólogo na Assistência Social Iolete Ribeiro da Silva Conselho Federal de Psicologia
Atuação do psicólogo na
Assistência Social
Iolete Ribeiro da Silva
Conselho Federal de Psicologia
ConcepçãodeAssistênciaSocial Assistênciasocial–direitosocialedeverestatal
ConcepçãodeAssistênciaSocial
Assistênciasocial–direitosocialedeverestatal
Marcolegal:Constituição(1988),LOAS(1993),PNAS
n
(2004),SUAS(2005),NOB­RH/SUAS(2006);
Concepçãoaindanãoconsolidadanopaís
n
wEx:PL3021/08CEBAS,Lei11.692/08Projovem
Desafio–articulaçãoeintegraçãodaAScomo
n
políticapúblicaàseguridadesocialedemaispolíticas
públicas;
wQueméopúblicodaassistênciasocial?
wControlesocialeparticipaçãodosusuários
wInvestimentoemRecursosHumanos
CenáriodaASecondiçõesde trabalho Autonomiadostrabalhadores Participaçãodostrabalhadoresno controlesocial
CenáriodaASecondiçõesde
trabalho
Autonomiadostrabalhadores
Participaçãodostrabalhadoresno
controlesocial
Compromissosdepsicólogose
assistentessociais
PsicologiaeAS Históriadaprofissão AlutapelosDireitosHumanos Trabalhointerdisciplinar
PsicologiaeAS
Históriadaprofissão
AlutapelosDireitosHumanos
Trabalhointerdisciplinar
PsicologianoCRAS Compromissoético­político Propor,apartirdasnossasintervenções,atravessaro n
PsicologianoCRAS
Compromissoético­político
Propor,apartirdasnossasintervenções,atravessaro
n
cotidianodedesigualdadeseviolênciasdestas
populações,visandooenfrentamentoesuperaçãodas
vulnerabilidades,investindonaapropriação,portodos
nós,dolugardeprotagonistanaconquistae
afirmaçãodedireitos
aidéiadenossocompromissoético­políticocoma
n
autonomiadossujeitos,acrençanopotencialdos
moradoresedasfamíliasdapopulaçãoreferenciada
pelosCRAS,paraquerompamcomoprocessode
exclusão/marginalização,assistencialismoetutela.
Trabalhosocioeducativo:o olhardopsicologia trabalhoemgrupo Matéria­prima­iniciodogrupo:desconfiança, n
Trabalhosocioeducativo:o
olhardopsicologia
trabalhoemgrupo
Matéria­prima­iniciodogrupo:desconfiança,
n
estranhamento,temor,reserva;
Facilitador:ogrupotorne­sesignificativoparaas
n
pessoas,compreensão,acolhimento,suspensãode
julgamento,disponibilidade,calorafetivo
Grupo:lugarabertoàparticipação,espaçode
n
escuta,respeitoevalorização
Importânciadogrupo:reconhecimentodaigualdade
n
desituaçõessofridas,percepçãodeformas
diferentesdereagireresolverproblemas,
possibilidadesderefletirsobresimesmo,familia,
sonhos,desejos.
Trabalhosocioeducativo:o olhardopsicologia Direitosdocidadão:eixotransversaldotrabalho socioeducativo
Trabalhosocioeducativo:o
olhardopsicologia
Direitosdocidadão:eixotransversaldotrabalho
socioeducativo
Perceberqueassituaçõesvividassãoviolaçãode
direitoslevaàpossibilidadedebuscarnovosrumos,
novosencaminhamentos
despertarointeresseporatividadesmaiscoletivas
Auxiliarosparticipantesasituaremaquestãoemseu
contextosocialmaisamplo:informando,debatendo,
orientandoparaacompreensãodoqueévividoe
sofridosubjetivamente,articuladoaocontextomais
amploecomumaosmembrosdogrupoParticipação
emreuniões,fóruns,atividadesculturaisesociais
Implicaçõesdaexclusãono camposubjetivo Pobrezapropiciasofrimentoético­político
Implicaçõesdaexclusãono
camposubjetivo
Pobrezapropiciasofrimentoético­político
(SAWAIA,2001),mutilaavidadediferentes
formas,produzmedo,tristeza,sentimentode
impotência,sensaçãodeinevitabilidadee
faltadealternativa
Emboraosofrimentosejaexperenciadopelo
indivíduo,suagêneseésocial,estana
intersubjetividade.
Dorproduzidaporsituaçõesecondiçõesque
implicamemrelaçõessociaisdeopressão,
exploração,subalternidadeesubmissão
Lugarqueapsicologiaocupa nestaspráticas sairdosimplesrepassederecursos compreenderademanda:todademandaé,ao
Lugarqueapsicologiaocupa
nestaspráticas
sairdosimplesrepassederecursos
compreenderademanda:todademandaé,ao
mesmotempo,umademandadeobjeto,euma
dimensãonãoexplícitaqueexpressaumdesejo,uma
faltamaisdifícildeserpercebida­oferecertempo,
disponibilidadepararelação.
reflexãoconstantedotrabalhorealizado,parase
evitarpráticasalienadasealienantes.
Sairemencontroaooutro,vincular­se,ter
atividadessociais
Novaspossibilidadesdeexpressãoda
subjetividadeeconquistadacidadania
Políticasdeassistênciasocial: perspectivasfuturas vInvestirnaconstruçãodemetodologias vAvaliaracapacidadedoCRAS
Políticasdeassistênciasocial:
perspectivasfuturas
vInvestirnaconstruçãodemetodologias
vAvaliaracapacidadedoCRAS
efetivamentepermitirpró­atividade,
integração,focalização,adequaçãoeo
cumprimentodeco­responsabilidades.
vIntegraçãocomtodososprogramas
sociais
vUsodoacompanhamentodasfamílias
paraaadequaçãodaofertalocalde
serviçossociais
INTERVENÇÃOCOMUNITÁRIA Princípiofundamentaldoexercícioda profissãodePsicólogo:Promoçãoda
INTERVENÇÃOCOMUNITÁRIA
Princípiofundamentaldoexercícioda
profissãodePsicólogo:Promoçãoda
qualidadedevidadaspessoasedas
coletividadesecontribuirparaaeliminação
dequaisquerformasdediscriminação,
exploração,violência,crueldadeeopressão.
Atuaçãopsicológica exploraçãoecompreensãodossignificadospresentes nasaçõesdosujeito,bemcomodosgruposde
Atuaçãopsicológica
exploraçãoecompreensãodossignificadospresentes
nasaçõesdosujeito,bemcomodosgruposde
sujeitos,buscando­selhesapreenderosentidoque
levaadeterminadasdireçõesderelacionamentos,
conflitosedecisões.
focoéaconstruçãodenovasrespostas.
comunidade,famíliasegrupos.
Novosinteresses,cuidadoconsigopróprioecom
outro,rededeapoio,criarprojetos.
Ação que vise autonomia e autogestão Aintervençãocomunitáriadeveviabilizarqueos
Ação que vise autonomia e
autogestão
Aintervençãocomunitáriadeveviabilizarqueos
própriosmembrosdacomunidadedesenvolvam
mecanismosdeajuda,nãopermanecendo
dependentesdaintervençãoefetuada.Aintervenção
bemfeitaéaquelaquesetornadispensável.O
trabalhorealizadodeveserumanegociaçãoentre
profissionalecomunidade,bemcomodeveser
constantementeavaliadopelacomunidade,estandoa
cargodamesma,adefiniçãodacontinuidadeounão.
Queéinterdisciplinaridade? Umaatuaçãopautadanavisãode interdisciplinaridadecomoumapráticapolítica
Queéinterdisciplinaridade?
Umaatuaçãopautadanavisãode
interdisciplinaridadecomoumapráticapolítica
denegociaçãoentrediferentespontosdevista
queenvolvetantoprofissionaisquantopúblico
participante,afimdedecidiremsobrea
representaçãoconsideradaadequada(Fourez,
1995).Umapráticaalicerçadanodiálogoena
colaboraçãoentreosdiversosatores.
Otrabalhodeassistentessociaisepsicólogo/as napolíticadeAssistênciaSocialrequerinterface
Otrabalhodeassistentessociaisepsicólogo/as
napolíticadeAssistênciaSocialrequerinterface
comaspolíticasdasaúde,previdência,educação,
trabalho,lazer,meioambiente,comunicação
social,segurançaehabitação,naperspectivade
mediaroacessodoscidadãosaosdireitossociais.
Asduasprofissõespodemsomar­secomintuito
deassegurarumaintervençãointerdisciplinar
capazderesponderademandasindividuaise
coletivas,comvistasadefenderaconstruçãode
umasociedadelivredetodasasformasde
violênciaeexploraçãodeclasse,gênero,etniae
orientaçãosexual.
reafirmarumprojetoéticoesócio­políticodeuma
novasociedadequeassegureadivisãoeqüitativa
dariquezasocialmenteproduzida.
Obrigada !
Obrigada !
ConselhoFederaldePsicologia www.cfp.org.br UniversidadeFederaldoAmazonas ioleteribeiro@ufam.edu.br
ConselhoFederaldePsicologia
www.cfp.org.br
UniversidadeFederaldoAmazonas
ioleteribeiro@ufam.edu.br
ForumNacionaldeAssistênciaSocial
fnas.forum@hotmail.com
ForumNacionalDCA
forumdca@forumdca.org.br