Você está na página 1de 3
Eletrônica Linear ELETROTECNICA Armando Leopoldo Tiristores(SCR, DIAC e TRIAC) Aula 03 - 2º Semestre
Eletrônica Linear
ELETROTECNICA
Armando
Leopoldo
Tiristores(SCR, DIAC e TRIAC)
Aula 03 - 2º Semestre
Tiristores(SCR, DIAC e TRIAC) Aula 03 - 2º Semestre Essa ampla utilização deve-se a sua ação

Essa ampla utilização deve-se a sua ação de chaveamento rápido, dimensões reduzidas e altos valores nominais de corrente e tensão. O SCR possui 3 terminais: anodo (+), catodo (-) e gatilho. Na verdade o SCR pode ser entendido como um diodo com terminal de controle.

pode ser entendido como um diodo com terminal de controle. FUNCIONAMENTO DO SCR Pode-se explicar o

FUNCIONAMENTO DO SCR Pode-se explicar o funcionamento do SCR utilizando um modelo equivalente com transistores:

do SCR utilizando um modelo equivalente com transistores:  Quando o modelo está reversamente polarizado (V

Quando o modelo está reversamente polarizado (V A <V), nenhum dos transistores conduz. Quando o modelo está diretamente polarizado (VA>VC) e I B =0, a corrente que flui pelos transistores é apenas uma corrente de fuga, insuficiente para colocá-los em condução. Quando o modelo está diretamente polarizado e é fornecido um pulso de tensão no gatilho com corrente suficiente para acionar a base de Q2, este entra em condução e “puxa” corrente da base de Q1, fazendo com que este também entre em estado de condução. Ao cessar o pulso, os transistores continuam no estado de condução, pois são complementares e um “aciona” a base do outro. Este processo só termina se a corrente de base de Q2 cair abaixo da corrente mínima para manutenção da condução ou ocorrer uma polarização reversa do modelo.

O nome Tiristor engloba uma família de dispositivos

semicondutores multicamadas, que operam em

regime de chaveamento.

multicamadas, que operam em regime de chaveamento. Os tiristores são uma família de dispositivos
multicamadas, que operam em regime de chaveamento. Os tiristores são uma família de dispositivos

Os tiristores são uma família de dispositivos semicondutores de potência com 4 camadas (PNPN).

A principal vantagem é a capacidade de converter e

controlar grandes quantidades de potência, em sistemas DC ou AC, utilizando uma pequena potência para controle.

DC ou AC, utilizando uma pequena potência para controle. grandes cargas, como A função de um

grandes

cargas,

como

A função de um tiristor é de abrir e fechar circuitos

com

aquecedores, converter CA em CC, CC em CA. Os

tiristores trabalham sempre entre dois estados de

funcionamento:

podemos dizer que são dispositivos de comutação. São exemplos de tiristores:

corte e a condução, por isso

motores, eletroímãs,

o

SCR

DIAC

TRIAC

GTO

SCS

o  SCR  DIAC  TRIAC  GTO  SCS O retificador controlado de silício

O retificador controlado de silício (silicon controlled

rectifier SCR) é o controlador elétrico de potência com uso mais difundido, sendo amplamente utilizado em aplicações como:

fontes de alimentação reguladas de potência;

choppers (conversores DC-DC);

inversores (conversores DC-AC);

controle de aquecedores, iluminação (dimmers) e motores.

Eletrônica Linear ELETROTECNICA Armando Leopoldo Tiristores(SCR, DIAC e TRIAC) Aula 03 - 2º Semestre
Eletrônica Linear
ELETROTECNICA
Armando
Leopoldo
Tiristores(SCR, DIAC e TRIAC)
Aula 03 - 2º Semestre

CURVA CARACTERÍSTICA DO SCR

TRIAC) Aula 03 - 2º Semestre CURVA CARACTERÍSTICA DO SCR V B R : tensão reversa

V BR : tensão reversa de ruptura I R : corrente reversa I GK : corrente no gatilho I L : corrente de retenção (corrente de disparo com tensão mínima de gatilho) I H : corrente de manutenção V BO : tensão direta de disparo quando IGK=0

TESTE DO SCR Com polarização direta o gatilho é acionado e observa-se se, após a remoção do pulso no gatilho, o SCR continua conduzindo. Para testar SCRs com pequena corrente de sustentação, pode-se utilizar um multímetro digital.

Utilizando o ohmímetro ligue a ponteira

positiva no anodo e a negativa no catodo, polarizando o SCR diretamente. A leitura deve ser bastante alta pois não deve haver condução. Em seguida, provoque um curto entre o anodo e o gatilho para acionar o SCR. A resistência deve diminuir e se manter baixa após a remoção do

curto.

Se ocorrer a condução antes do acionamento da porta, anodo e catodo estão em curto.

Se não ocorrer a condução após o

acionamento do gatilho, o diodo estará em aberto.

COMUTAÇÃO DE UM SCR Comutar um SCR significa bloqueá-lo, ou seja, “cortar” sua corrente e impedir que ele retorne a

condução. Os processos básicos para bloqueio são a comutação natural e a comutação forçada. A comutação pode ser de dois tipos:

Natural: quando a corrente do anodo é reduzida a um valor abaixo de por ação do sistema onde se encontra o SCR.

Forçada: obtida quando usamos de um circuito auxiliar para bloquear o SCR.

CIRCUITOS DE ACIONAMENTO DO GATILHO Para a operação adequada do SCR, o circuito de

acionamento deve fornecer um sinal de disparo no tempo correto, de modo que assegure a passagem para o estado ligado. Em geral, o circuito de disparo deve atender, basicamente, os seguintes critérios:

Produzir um sinal de gatilho com amplitude e tempo de duração adequada e tempo de subida suficientemente curto;

Assegurar que não ocorram disparos acidentais por “falsos” sinais ou ruídos;

Em circuitos AC, aplicar o sinal de gatilho somente quando o SCR estiver diretamente polarizado.

Usualmente, são adotados 3 tipos de sinais de disparo: sinais DC, sinais AC e sinais pulsados.

 
 

O

diodo AC (DIAC) é uma chave semicondutora

de 3 camadas e 2 terminais. Opera como dois diodos em contraposição série.

A

única maneira de disparar o DIAC é excedendo

a tensão de disparo, podendo ser chaveado para qualquer polaridade de tensão.

maneira de disparar o DIAC é excedendo a tensão de disparo, podendo ser chaveado para qualquer
Eletrônica Linear ELETROTECNICA Armando Leopoldo Tiristores(SCR, DIAC e TRIAC) Aula 03 - 2º Semestre
Eletrônica Linear
ELETROTECNICA
Armando
Leopoldo
Tiristores(SCR, DIAC e TRIAC)
Aula 03 - 2º Semestre
Tiristores(SCR, DIAC e TRIAC) Aula 03 - 2º Semestre  É um DIAC com terminal de

É um DIAC com terminal de gatilho. É capaz de conduzir corrente em ambas as direções e pode ser controlado por um sinal de porta positivo ou negativo. Isto o torna útil para o controle de potência AC.

Isto o torna útil para o controle de potência AC.  O TRIAC pode ser entendido
Isto o torna útil para o controle de potência AC.  O TRIAC pode ser entendido

O TRIAC pode ser entendido como a união de e SCRs em antiparalelo.

forma, pode ser acionado nos dois

semiciclo da rede AC, sendo desligado na

Dessa

passagem por zero.

IDENTIFICAÇÃO DOS TERMINAIS DOS TIRISTORES

por zero. IDENTIFICAÇÃO DOS TERMINAIS DOS TIRISTORES  A chave controlada de silício (SCS)
por zero. IDENTIFICAÇÃO DOS TERMINAIS DOS TIRISTORES  A chave controlada de silício (SCS)
por zero. IDENTIFICAÇÃO DOS TERMINAIS DOS TIRISTORES  A chave controlada de silício (SCS)

A

chave

controlada

de

silício

(SCS)

é

um

dispositivo

com

4

camadas

(PNPN)

com

4

terminais.

Possui

menor

capacidade

de

controle

de

 

potência

que

o

SCR,

sendo

utilizado,

normalmente, para acionamento.

O SCS passa para o estado ligado em um pulso positivo em KG ou negativo em AG. Se o SCS estiver ligado, passará para desligado com um pulso positivo em AG ou negativo em KG.

desligado com um pulso positivo em AG ou negativo em KG.  O tiristor de desligamento
desligado com um pulso positivo em AG ou negativo em KG.  O tiristor de desligamento

O tiristor de desligamento por porta (Gate turn- off tyristor GTO) é uma chave semicondutora de potência que passa para o estado ligado como um SCR normal, isto é, com um sinal positivo no terminal porta.

Além disso, pode passar para o estado desligado por meio de uma corrente de porta negativa. Portanto, tanto a operação no estado ligado quanto desligado são controladas pela corrente de porta.

Outra boa característica é a velocidade de chaveamento. No disparo é igual à de um SCR. No desligamento, o tempo gasto é menor.

Contudo, valores nominais de tensão e corrente são inferiores aos do SCR e a perda de potência é maior devido à necessidade de corrente para o desligamento.