Você está na página 1de 7

Nirvana não é um lugar

"O Boddhisattva, devido à sabedoria completa – coração/mente – sem obstáculos, logo, sem medo, distante de todas as delusões, isto é nirvana." Nirvana quer dizer “sem fogo”. “Fogo extinto” ou, “sem vento das paixões”. Nirvana é a mesma coisa que Samsara. Samsara é Nirvana. Samsara é o mundo da perambulação, onde andamos de lugar pra lugar, procurando a felicidade ou satisfação. Nós procuramos, andando sem fim, procurando e trocando. Uma casa nova, um carro novo, etc, procurando, procurando, sempre trocando, isso é samsara. É o mundo rodando e você procurando a solução e satisfação de problemas sempre novos. Vão sempre surgir, porque é característica desse mundo mutante. O que faz essas sensações todas, são o “vento das paixões”. E nós somos como folhas tocadas pelo vento das paixões. NIR é uma partícula negativa e VANA é o fogo das paixões. Então podemos traduzir como “Fogo extinto, ou sem ventos”, e, na analogia que estou fazendo, não tem vento para empurrar a folha de lado pra lado. Não tendo paixões mundanas, então de repente surge uma grande calma, porque não importa. Atrasou, atrasou, perdeu o avião, perdeu o avião, tem comida tem, não tem comida, não tem. Perdi tudo que tinha, perdi tudo que tinha. Ganhei bastante, ganhei bastante. As paixões não estão empurrando, então o mesmo lugar que é Samsara, é Nirvana. O que mudou é a maneira de ver. Você tira os seus olhos, que vêm o Samsara, e troca pelos olhos de Buda, olha com uma mente iluminada e aí aquilo

Eu estava lendo um ensinamento de um famoso mestre chinês que morreu com 101 anos e ele recomendou à uma mulher apenas uma coisa. atingiu a completa libertação. A . Só não a percebemos porque temos um mente que não aceita com tranqüilidade absoluta. Como usamos olhos de eu para olhar as coisas. Você muda a si mesmo e aí. E ao dizer “assim seja” aceitando tudo plenamente. nas próprias coisas que fazemos. para a morte do filho. nossa mente. é este mesmo. que dissesse para tudo que acontecesse. Então a pura felicidade já está presente e disponível. mudando nossas qualidades mentais. Por isso que dizemos no zen. ela atingiu a iluminação. com perfeita equanimidade mental. É essa mente que gera tudo isso. só tem um lugar de origem. Para a morte do marido. nos relacionamentos a pura felicidade já está aqui. não existe mais nada que não seja iluminado naquele universo. aqui e agora. nas nossas viagens. é necessário tirar esses olhos e colocar os olhos de Buda para olhar o mundo como ele é. Nos nossos trabalhos. o universo dele.que era Samsara. porque ele pode ver as coisas como realmente são e não as coisas como nós acalentamos. nesse momento. sem nenhuma reação. Esse mundo que é visível com os olhos de Buda é o nirvana. este lugar torna-se Nirvana. é aqui. a habilidade de. Não dá pra “ir” para o Nirvana. não é outro lugar. E nós temos a capacidade. aquele que ele olha. para cada coisa que aconteceu. sem nenhum sentimento de oposição. Que assim seja Somente depois de desistirmos de ter um eu próprio é que podemos estar libertos. “quando um homem se ilumina o universo inteiro se ilumina”. E Nirvana também não. que assim seja. Então Samsara não é um lugar. virou Nirvana. mudar esse mundo inteiro completamente. E ela então começou dizer “assim seja” para todas as coisas. Então toda a infelicidade e insatisfação que temos no mundo e em tudo que fazemos.

a partir do sermão da flor. O caminho do Zen Em primeiro lugar nós temos que entender o que é o Zen e o que é o caminho do Zen. é o mesmo mundo nirvânico. por que não? Agimos no mundo da maneira correta apenas. da serenidade. por isso na meditação sentamos e podemos fazer muitas coisas. O caminho do Zen é o caminho direto. dormimos. Vivenciando o mundo e reagindo ao mundo com a mente mais tranqüila possível. A percepção do que é o caminho é a compreensão de que tudo esta na mente. só então nós treinamos a nossa mente. Que na verdade esse mundo. significa sim. Simplesmente sentar e ouvir os sons do mundo. Aceitar as coisas tal como se apresentem é uma maneira de transformar o samsara em nirvana. ruim. Nós trabalhamos. vendo o mundo como ele é e tentando agir no mundo tranquilamente. que podia aceitar todas as coisas tais quais elas se apresentam. Esse treinamento começa na meditação. aceitar completamente tudo que acontece enquanto estamos sentados respirando. O caminho direto foi ensinado por Buda pessoalmente. gosto. agir no mundo. só era necessário mudar sua mente para uma mente de pura aceitação. da melhor maneira. não gosto. em absoluto.libertação estava disponível. Quando Mahakashyapa sorriu quando Buda levantou uma flor. sem nenhuma reação de bom. o mundo da paz. como agora quando estávamos em meditação e o mundo das . não agir no mundo. que nós vemos como mundo sansárico. certo. segundo conta a historia. com a melhor aceitação possível. comemos. e aceitar os sons do mundo tais como eles se apresentam. errado. Isso não significa. é o mesmo nirvana. encontramos pessoas e tendemos a separar o mundo como o mundo do dharma de um lado.

todos os acontecimentos. Como temos ego. dedicadas ao bem dos outros. Dentro de qualquer pessoa. e o mundo seria perfeito. como tudo. para. dos trabalhos. que usamos para transitar no mundo. Mesmo nosso eu pessoal desaparecerá completamente. a única coisa sólida e verdadeira. que passam e desaparecem como essa nossa reunião. maravilhosas. Não importa qual o sistema. todas elas. a democracia funcionaria. se eu fosse amado. Samsara e Nirvana A maneira de transformarmos o mundo é transformando a mente de cada um. sonhos.aquisições. produzir o nirvana. e vivemos sempre cheios de “se”: se eu ganhasse na loteria. com mentes compassivas. se eu tivesse um filho. Quando elas não são mais que bolhas. Mas esse mundo que nós olhamos não é o nirvana porque a nossa mente não o vê. qualquer um funcionaria maravilhosamente bem . a única coisa que não pode ser removida é a natureza búdica. uma ditadura também. Assim como não vemos nas pessoas a pura natureza de Buda. confundimos tudo com uma realidade eterna e queremos que ele seja permanente. A única coisa que poderíamos chamar de real é a pura natureza búdica. do sofrimento. transformando as mentes. evanescentes e impermanentes. Assim. Somente seriam necessárias pessoas. Toda sua mente. A raiz da mudança do mundo está nas mentes. . das pessoas. Porque a única coisa que existe nas pessoas. um mundo onde transitamos de um lugar para outro buscando a felicidade. A nossa dificuldade é que não podemos enxergar. É por isso que o budismo volta-se para o treinamento e a modificação da mente do homem. se eu fizesse isso. toda sua cultura.uma monarquia funcionaria maravilhosamente bem. fumaça. dessa forma. um mundo onde a mente que olha transforma o samsara. por que? Porque nós temos ego. abdicando de si mesmas. esse eu. Confundimos todas as outras coisas com realidade sólida. Esses “se” são colocados como o que nos permitiria ser felizes. como nossos corpos. toda sua memória e seu corpo são temporárias e sendo temporárias. é a pura natureza búdica. que é o mundo da perambulação. mudamos de um amor para outro. das coisas. um sistema totalitarista como o comunista funcionaria bem igualmente. de um emprego para outro. todos seus pensamentos. essas coisas não são o que poderíamos chamar de real. honestas.

Sofremos por não podermos agarrar e ficar com uma felicidade e satisfação permanentes. ou seja. sólido ou estável. o samsara. porque. A mudança é parte integrante da natureza das coisas. A pessoas se perguntam. se não alcanço nada. sou mau?” Pensar desta forma é estar em samsara sentado em meditação. no instante em que não é levado por nenhum impulso. a primeira nobre verdade. mas onde os ventos dos impulsos não nos empurram e onde. Vipaka significa frutos. os frutos da ação. porque onde estamos encontramos a completa felicidade e plenitude. na verdade em sânscrito dizia-se carma vipaka. achando sempre insatisfação ao fim de qualquer processo de qualquer tempo. que não é um iluminado. a diferença está na mente. não existe necessidade de perambular.Esse é o mundo da perambulação. a vida é insatisfatória. de se iluminar. sabe que não está desperto. Mas se você se senta com o desejo de ser um Buda. Esse mesmo ser. de ser feliz. o mesmo lugar. E o nirvana? O mesmo mundo. naquele momento. fogo que se extingue Pergunta – O carma é uma energia? Monge Gensho – Carma é uma palavra que significa ação. esse próprio desejo é samsárico. nenhum deles será permanente. você sabe que não é. E assim. “A vida é dukka”. sofremos. Quando você faz uma ação intencional ela cria carma e esse carma adere à . Porque não há nenhuma diferença de lugar nessas duas coisas. porque nela. ele vê no próprio samsara o nirvana. uma insatisfação. de se libertar. então: “para que estou praticando. porque em outro sentido você não é Buda. por nenhum desejo e que não pretende alcançar nada. é iluminação. o mundo da procura e da insatisfação permanentes. isso é nirvana. Vento que nos leva. Dizemos isso também para desarmar. sou assim sempre. Esse é o significado de dukka. por causa disso. Dizemos no Zen que quando estamos sentados em meditação. você imita Buda e imitando Buda você é nada mais do que Buda. pois ele produz uma busca. embora haja momentos maravilhosos ou tristes.

Samsara e Nirvana são aqui . seu redemoinho cessará e você não será obrigado a voltar. compaixão pelo pesadelo dos outros seres. quando vir. poderá conduzir você cada vez mais profundamente. e Buda significa “aquele que acordou”. que queira. O zazen corta o carma. e essa iluminação é o fim de toda dor. Se você extinguir as energias cármicas que movem você. em primeiro lugar. Sendo assim.. com clareza. não. ainda sentirá compaixão por todos os seres. se você estiver realmente. Então. esse fogo extinto. mais calma e serenidade.sua identidade. Nirvana quer dizer “sem ventos”. se você fizer essas práticas. Por isso. “desperto”. o desejo de acordá-los. você será incapaz de fazer coisas que causem sofrimento. elas extinguirão seu fogo. Outra tradução é “fogo extinto”. vana. porque todos os seres se percebem como “um”. que são as oito práticas ensinadas por Buda . além da meditação. apegos e impulsos. Mas a meditação é a principal. a menos. fala correta. o que. Sem os ventos das paixões. existe outra prática que a gente possa fazer para manter o equilíbrio? Monge Gensho – Muitas. como um espelho. que é a própria mente de Bodhicitta. meio de vida correto etc. Esse é seu redemoinho. Mas é ele. Quando se extinguirem os fogos das paixões. vindo a alcançar um grande esclarecimento. da prática do caminho óctuplo. em algum momento de sua vida. Haverá.ação correta. até um grande esclarecimento. Se você criar esse tipo de mente e fizer esse tipo de prática. pois ela cria estabilidade e um conhecimento de sua mente. refletindo todas as coisas. Quando você vir sua verdadeira natureza. chamaremos esse esclarecimento de iluminação. Mas só existe um motivo para querer. O seu redemoinho gira em razão de seus desejos. a palavra buda vem da raiz bud. evidentemente. Se você conseguir. não queima mais. e isso se chama mente de Bodhicitta. o conjunto de movimentos que você tem. sem passado ou visitas ao futuro. quando enxergar o vazio de seu próprio eu. No zazen. acordará do sonho e desejará acordar do sonho os outros que gemem e sofrem. Pergunta – No budismo. você não está produzindo carma. da prática das ações. a vacuidade de todas as coisas. você não poderá mais ser ofendido. que faz com que sua onda permaneça. depois. nirvana: Nir. Por isso. ventos. sem fazer quaisquer considerações. você pode retornar a essa mente do zazen quando o mundo criar movimento. Se você acordar. Se você vir tudo isso. através de plena atenção.

se. um mundo cheio de “ses”. se minha almofada fosse mais macia. se. Aqui é samsara se nós temos olhos que vêem samsara. Agora no sesshin pode-se notar bem o samsara. Procurando um emprego melhor. se meus joelhos agüentassem.Samsara significa perambulação. se minhas costas não doessem. Por isso é samsara. se o que controla o tempo desse uma olhadinha para o relógio e percebesse que já passaram quarenta minutos. o nirvana é aqui nesse lugar onde nós estamos. se. não pensamentos. ou fogo. o chacoalhar das folhas." Nirvana não é um lugar. Como pensamos todas essas coisas o nirvana não existe nesse momento. paixões e impulsos. no sentido de ventodas emoções. mas não entendemos. o nirvana e o samsara estão no mesmo lugar. o zumbido do mosquito são vozes de Buda. No fundo. um mundo onde nós andamos procurando a felicidade sem parar. não desejos. significa não e VANA pode ser entendido como ventos. se eu tivesse uma casa boa. se eu tivesse um grande amor. seu eu tivesse um carro novo. não é um céu ou paraíso. aqui é nirvana se temos olhos que vêem nirvana. Então é um mundo onde há paz e não somos empurrados de lugar para lugar pelos ventos dos desejos. Então esse mundo de “ses” onde as pessoas ficam procurando a felicidade sem parar é o samsara. se eu morasse num país sem pobreza. Nós não ouvimos a serra do lado de fora como um ensinamento de Buda. O nirvana é o mundo dos não impulsos. NIR. " . o vento nas arvores. Samsara é o mundo da perambulação.