Você está na página 1de 68

outubro 2005 :: ano 2 :: nº 22 :: www.arteccom.com.

br/webdesign

R$ 7,90 e d i t o r a

arteccom

encontre o seu

público-alvo
táticas de especialistas para identificar e atrair visitantes

foco no usuário publicidade e-cards


“Não devemos nos online personalização,
preocupar em atender a há fronteiras para a baixo custo,
todos que acessam, mas criação? Veja o que marketing viral e
sim em atender bem pensam os interatividade numa
àqueles a quem o site é profissionais da área única ferramenta
direcionado”
Marcos Nähr - Dell

Podcast e RSS
Navegue sem moderação no novo site da , que aposta nestes recursos
para dialogar com o consumidor num canal aberto e democrático
direitos autorais
3
Equipe

Editorial
quem somos

Direção Geral
A vossa Majestade. Adriana Melo
adriana@arteccom.com.br
Analisando o comportamento de nossos leitores e assinantes, a Direção de Arte
partir de emails recebidos, sugestões, solicitações e críticas, Patrícia Maia
patricia@arteccom.com.br
desenvolvemos o novo site da Revista Webdesign. E, pelo jeito, a Ilustração
metodologia funcionou! Beto Vieira
beto@arteccom.com.br
Essa edição trás, por isso, um assunto, a princípio, pouco atrativo, Diagramação
mas extremamente importante: público-alvo. Como o glamour das Leandro Camacho
leandro@arteccom.com.br
agências vai sempre para a área de criação, outros departamentos como Direção de Redação

:: A Arteccom não se responsabiliza por informações e opiniões contidas nos artigos assinados, bem como pelo teor dos anúncios publicitários. :: Não é permitida a reprodução de textos ou imagens sem autorização da editora.
Andr é Philipp e Iunes
Planejamento, que se encarrega de estudar o target de um site, ficam
andre@arteccom.com.br
nos bastidores, sem a fama merecida. Ma,s é justamente essa etapa, Redação
Tatiana Serra
anterior ao layout, que dita as regras do jogo.
tatiana@arteccom.com.br
Se analisarmos bem o nosso público, certamente a comunicação Assinaturas
Jan e Costa
será eficaz e o projeto, um sucesso!
jane@arteccom.com.br
E vou concluir com uma frase de Paola Sales, pág. 37, que achei Gerência de Tecnologia
Fabi o Pinheiro
fantástica: “O usuário que perde seu tempo escrevendo um email ou
fabio@arteccom.com.br
aguardando em um 0800 para fazer uma reclamação, ou dar uma Webdeveloping
Eric Nascimento
sugestão, deve ser tratado como um rei.”
eric@arteccom.com.br
Financeiro
Luana Rocha
Boa leitura.
luana@arteccom.com.br
Abraços.
A Arteccom é uma empresa de design, especializada na
criação de sites e responsável pelos seguintes projetos:
Revista Webdesign :: www.arteccom.com.br/webdesign
Curso Web para Designers :: www.arteccom.com.br/curso
Encontro de Web Design :: www.arteccom.com.br/encontro
Portal Banana Design :: www.bananadesign.com.br
Projeto Social Magê-Malien :: www.arteccom.com.br/ong

Criação e edição
www.arteccom.com.br

Adriana Melo Produção gráfica


www.prolgrafica.com.br

Distribuição
www.chinaglia.com.br

4
menu
apresentação matéria de capa
pág. 4 quem somos pág. 20 entrevista: Marcos Nähr
pág. 5 menu pág. 28 público-alvo:
conhecer para conquistá-lo

contato e-mais
pág. 6 emails pág. 39 debate: publicidade online:
pág. 6 fale conosco há fronteiras para a criação?
pág. 45 estudo de caso: Kaiser

fique por dentro pág. 50 e-cards

pág. 10 clipping pág. 54 tutorial : Padrões Web 4

com a palavra
pág. 58 webwriting: Bruno Rodrigues
portfólio pág. 60 marketing: René de Paula Jr.
pág. 12 veterano: Divex pág. 62 bula da Catunda: Marcela Catunda
pág. 18 calouro: Maurício Galasso pág. 64 webdesign: Luli Radfahrer

5
emails

Assunto: Incentivo Oi povo da WD!


Gostaria de ler algum estudo
comparando os profissionais
Acho que deveria se
superespecializados e
estimular mais empresas a
aqueles que têm que saber
entrarem no ramo
um pouco de tudo por
aqui em BH/MG. Pois, assim
estarem
como o abraweb só cria
em empresas mais enxutas.
oportunidades e cursos para
Ainda na comparação até
SP... vemos a necessidade de
que ponto os freelancers
abrir a AWMG.
fazem de tudo? Assunto: Associações Assunto: Cursos
Abraços
Wagner Como cada grupo está
wagner@w2designer.com posicionado no mercado?
Primeiramente, gostaria de Gostaria de encontrar
Parabéns pelo trabalho de
parabenizar a equipe pela maiores informações sobre
Tem toda razão, Wagner! Por isso, qualidade!
qualidade editorial da cursos de animação e 3D
temos o curso online para criação de Patricia Zisman
pzdesign@globo.com Webdesign. principalmente em Curitiba.
sites Web para Designers Entendo que a revista ocupou Mayara Christina Dias
(www.arteccom.com.br/curso), para maywebdesign@yahoo.com.br
Marcelo e Patrícia, um espaço importante no
atender as demais cidades fora do propósito de informar sobre
a próxima edição será especialmente
as melhores práticas desse Mayara, em Curitiba você
eixo Rio-São Paulo. Espero que ajude!
para vocês! Falaremos sobre o
complexo universo que se pode procurar a Cadritech
profissional de internet, piso salarial,
constitui a “estética digital”. (www.cadritech.com.br) - tel: (41)
como anda o mercado, metologia de
Assunto: perfil do Aproveito para sugerir uma 3254-4620. No link www.curitiba-
trabalho dos freelancers etc. matéria sobre a organização
profissional parana.com/informatica-
Acho que vão gostar ;) do setor de agências digitais, computacao.htm você também
que começam a ter encontrará outras instituições.
Gostaria de ver na revista um representatividade a partir
Boa sorte!
debate sobre o perfil do da formação de entidades
profissional de design que como a AGADi (Associação
normalmente as agências têm Gaúcha de Agências Digitais)
como preferencial para e movimentos similares na Assunto: Tutorial

efetivar. Diploma dita a Bahia, em SP e outros


ordem ou não? Para ter uma estados. Olá. Sempre acompanho a
boa chance é preciso ter Abs, revista Webdesign e só tenho
Cesar Paz
grandes trabalhos no elogios a fazer. Gostaria de
Diretor Presidente da AG2 | Presidente
portfólio? E quem tá da AGADi (Associação Gaúcha de pedir que fosse colocado na
começando? Por favor, Agências Digitais)
revista um espaço com
galera da minha viciosa tutoriais de algumas áreas
revista, tire essas dúvidas de Cesar, como Design, por exemplo.
vez da cabeça dos iniciantes! com certeza será uma ótima matéria! Grato.
A revista é show! Então, aproveito para pedir aos Youssef Abrahão
Marcelo S. Pereira yabrahao@hotmail.com
leitores associados ou que conheçam
marcelowd_ar@hotmail.com
alguma instituição do gênero, que
Youssef,
entrem em contato conosco pelo email
por enquanto estamos abordando o
arteccom@arteccom.com.br deixando
tema Tableless em nossos tutoriais
sua sugestão.
devido ao grande número de
pedidos, mas adoramos a sua
sugestão e levaremos à reunião de
pauta para ser discutida, muito
obrigada ;)

fale conosco pelo site www.arteccom.com.br/webdesign


:: Os emails são apresentados resumidamente. :: Sugestões dadas através dos emails enviados à revista passam a ser de propriedade da Arteccom.

6
7
8
9
clipping

Google lança ferramenta que faz Lançamento:


pesquisa de blogs “Publicidade com
O Google lançou nesta semana uma nova ferramenta de Flash MX 2004 -
pesquisa: um buscador de blogs. Com o lema “Ache blogs com
seus assuntos favoritos”, o Blog Search foi criado com o objetivo
Banners”
de ajudar os usuários do site a explorar o universo da Editora: Ciência Moderna
“autopublicação de maneira mais eficiente”. Autora: Flávia Barbieri Soares
“Quer você esteja procurando análises sobre o Harry Potter, Ainda que este livro tenha sido
comentários políticos, receitas de saladas de verão ou qualquer desenvolvido com o intuito de aprofundar o conhecimento dos
outra coisa, a pesquisa de blogs permite que você descubra o que leitores sobre o vasto (e novo) universo da publicidade na web;
está sendo dito sobre qualquer assunto”, afirma o Google em sua sua didática acaba por facilitar o aprendizado da ferramenta.
página. O livro, então, passa a ter dois objetivos: O desenvolvimento de
Segundo o site, além de pesquisas de blogs escritos em inglês, o banners eficientes e interativos, e o aprendizado do programa
serviço procura endereços em francês, italiano, alemão, Flash MX 2004 de forma agradável e simples.
espanhol, chinês, coreano, japonês e português, entre outros (02)
idiomas.
O banco de dados por trás do mecanismo vai fazer a indexação
de todos os blogs existentes, e não apenas daqueles publicados
Blog sobre Jefferson pode render
por meio do site Blogger.com, do qual o Google é dono. prêmio a internauta de Brasília
Por enquanto, as buscas na versão beta trazem apenas
O redator publicitário Ricardo Serran Lobo está entre os blogueiros
resultados de mensagens publicadas a partir de junho de 2005,
brasileiros que participam do concurso internacional The BOBs (The
mas o Google disse que já trabalha para que a pesquisa também
Best Of The Blogs). Seu diário “Vizinho do Jefferson” foi indicado à
traga textos mais antigos.
categoria de melhor blog jornalístico escrito em português.
Endereço
A competição organizada pela Deutsche Welle, que no Brasil conta
A ferramente está disponível em quatro endereços:
com a colaboração da Folha Online, está em sua segunda edição.
blogsearch.google.com (interface com estilo do Google),
Aqueles que produzirem os melhores diários virtuais jornalísticos
search.blogger.com (interface com estilo do Blogger), Painel do
—categoria que inclui nove línguas— ganharão um iPod Shuffle,
Blogger e Navbar (em qualquer blog do Blog*Spot).
toca-MP3 da Apple.
A pesquisa em todos os lugares é a mesma, independente de
Qualquer internauta pode sugerir blogs para o concurso. A etapa
como ela foi acessada. A Navbar, no entanto, tem dois botões:
de inscrições vai de 1º de setembro a 23 de outubro.
um para pesquisar o blog que estiver sendo visualizado e outro
O “Vizinho de Jefferson” foi indicado por divulgar na internet
para pesquisar todos os blogs.
comentários políticos de alguém que tem uma visão privilegiada —
há cinco anos, Lobo mora no apartamento em frente ao do
deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), em Brasília.
Seleção
Os blogs indicados devem se encaixar em uma das 13 categorias
(01) pré-estabelecidas: melhor weblog, blog multimídia, podcast,
Repórteres sem Fronteira (para aqueles engajados na liberdade de
expressão) e weblog jornalístico (dividido em nove línguas).
Um júri internacional formado por 12 jornalistas, pesquisadores de
mídia e especialistas em blogs deve analisar, entre 24 de outubro e
20 de novembro, os nomeados de cada categoria. Durante o
período, os internautas também podem fazer sua escolha no site

(01) http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u18973.shtml do The BOBs. O resultado sai no dia 21 de novembro.


(02) http://www.arquivofla.com/livro_banners
(03) http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u18958.shtml
(04) http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u18976.shtml
(05) http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u18972.shtml (03)

10
página
clipping
adote esta
Pelo menos 13% dos Depois de mudança no Orkut,
internautas já buscaram internautas devem redobrar
romance na web cuidados
Os usuários do site de relacionamentos Orkut devem redobrar os
cuidados nos próximos dias, alerta um especialista em segurança
Cerca de 13% dos on-line. Isso porque piratas virtuais devem criar, nos próximos
internautas europeus já dias, golpes com base na mudança efetuada pelo Google.
procuraram na internet “Pessoas mal-intencionadas podem criar e-mails falsos, pedindo
um parceiro para que os internautas façam a atualização do Orkut. Isto deve
relações amorosas. acontecer nos finais de semana, já que
Isso é o que mostra os estelionatários virtuais preferem
uma pesquisa sobre ‘trabalhar’ aos sábados e domingos”,
estilo de vida digital afirma Denny Roger, diretor da
encomendada pela Intel empresa de segurança Batori.
e divulgada pelo site Uma das possibilidades é que, ao
eMarketer. fazer a falsa atualização, as vítimas
O número aumenta quando instalem involuntariamente em
considera os hábitos apenas dos britânicos, seus micros programas maliciosos.
como fez um estudo da empresa Nielsen//Netratings. De Com eles, os piratas podem roubar as
acordo com a companhia, 33% dos internautas do Reino Unido informações e fazer, por exemplo, transferências financeiras sem
já usaram a internet para encontrar um “parceiro em potencial”. autorização do titular da conta corrente.
A porcentagem é a mesma entre aqueles que consideram o
trabalho um bom lugar para encontrar alguém especial. No topo
da lista ficam os bares e danceterias (53%) e os encontros em (05)
que duas pessoas são apresentadas por um amigo em comum
(também 53%). Ainda segundo a Nielsen//NetRatings, homens
e mulheres divergem na maneira como procuram romance na
Dica de leitura:
internet. Elas focam suas atenções em amizades, que podem
futuramente acabar em namoro. Eles, por outro lado, vão “A arte de planejar o
direto ao ponto: buscam pessoas para relacionamentos
tempo”
amorosos, incluindo aí relações duradouras e casamento.
Editora: Literalis
(04)
Autor: Jaime Wagner
Com a aceleração dos eventos já não são
mais as carrilhões a marcar as horas, mas bips
eletrônicos a soar a cada segundo. A economia globalizada amarra
todo o planeta numa malha de horários, que regula as trocas e
interações mútuas. Em todas as esferas da vida, as pessoas estão
sincronizadas segundo a segundo, num ritmo único e cada vez mais
Selo Peixe Grande 2005
acelerado, marcado por horários de trabalho, de estudo, de
Estão abertas as inscrições para a segunda edição do
refeições, de reuniões, das bancas, das lojas, das bolsas, do
concurso “Selo Peixe Grande”, promovido pela Revista
noticiário, da TV, do esporte, do cinema e do teatro. “Sem perceber,
Webdesign, que elege os melhores portfólios brasileiros de
o homem civilizado, como Gulliver em Lilliput, encontra-se preso
sites. Este ano, o Selo contará com as categorias
por milhões de tênues filas. Isoladas, mal são percebidos; juntos,
Profissionais autônomos/freelancers e Agências. A votação
privam-no da sua liberdade”. Muitos se sentem como escravos da
será dividida em duas etapas, e as inscrições são gratuitas.
tempo. E você? Tem tido tempo para amar e para fazer diferença e
Na primeira, o público escolherá os 30 melhores concorrentes
na trabalho e na vida pessoal?
e, na segunda, o júri irá selecionar os 10 peixes grandes. Mais
informações: www.arteccom.com.br/webdesign/peixegrande

11
portfólio veterano :: Divex

Divex
Desenvolvendo
a “visão digital” Por Tatiana Serra

Fazer de empresas predominantemente tradicionais, empresas com

habilidades digitais, contando com a experiência de quem já percorreu o


caminho centenas de vezes. Esta é a proposta da Divex, empresa de

Porto Alegre que diz ter começado juntamente com a internet comercial
no Brasil, em 1995.

12
portfólio veterano :: Divex
“A Divex procura atuar em fatores que afetem o natural incorporação ao DNA da empresa – e o ganho de
desempenho de uma empresa. Os websites dificilmente performance. “Ou seja: tanto otimizar, quanto transformar
deixarão de ser uma demanda, e têm sua importância. processos, através do uso pensado da internet, produzirá
Entretanto, desenvolver sistemas que influenciem vantagens em relação à concorrência, além de proporcionar
diretamente processos que movem a empresa é o real foco do um avanço tecnológico. Costumo dizer que uma empresa que
nosso interesse”, afirma Ricardo Formighieri de Bem, diretor consegue olhar para si mesma e enxergar em que ponto a
executivo da empresa. internet pode ser decisiva estará, ao aplicar essa visão,
Quanto às principais conseqüências no funcionamento ganhando fôlego, força, agilidade e novas capacidades em
das empresas que optaram pelas habilidades digitais, Ricardo relação àquelas que não tiverem essa condição”, explica ele.
destaca a adaptação a uma realidade emergente – e sua Classificando essa “virtude” como “Visão Digital”, o diretor
executivo cita Nicholas Negroponte, diretor do Media Lab. do
Massachusetts Institute of Technology: “no seu clássico ‘A
“Costumo dizer que uma empresa que
Vida Digital’, ele dividia o mundo entre átomos e bits e já

consegue olhar para si mesma e projetava a venda de música na forma de bits – como hoje já
ocorre com o iTunes, da Apple – ao invés de gravada em
enxergar em que ponto a internet pode
pedaços de plástico – átomos. Isso é transformação de

ser decisiva estará, ao aplicar essa modelos. Esse é o maior poder da internet e ainda muitíssimo
sub-utilizado. Verter átomos para bits, sempre que possível;
visão, ganhando fôlego, força, agilidade
migrar do físico para o virtual; inovar e transformar sempre

e novas capacidades em relação àquelas terão diferentes graus, tanto de profundidade quanto de
abrangência. Mas, o mais importante é enxergar”.
que não tiverem essa condição”
Cliente é cliente no físico e no virtual

Ricardo de Bem O que é fundamental ao trabalhar a imagem de um cliente


na internet? Para Ricardo, é manter e reforçar a imagem que o
cliente tem no mundo físico. O grau de preocupação com o
virtual, não raras vezes negligenciado, segundo ele, deve ser
o mesmo que se tem com o real. “Não há razão que justifique
desleixo em responder e-mails, quando a prática de retornar
telefonemas é crucial e inquestionável. Ambos os
procedimentos estão ligados a algo muito importante para a
imagem: respeito. Assim como é impressionante o número de
iniciativas na web que desqualificam, desprezam e depreciam o
esforço de anos de construção de imagem e marca, seja pela
simples ausência de unidade visual, seja pelos pecados na
experiência de navegação proporcionada”. Concluindo,
Ricardo enfatiza: “a imagem de um cliente não se restringe ao
design, ao estético, ao belo ou ao feio, ao moderno ou ao
www.divex.com.br tradicional, mas molda-se, sim, sobre uma equação formada

13
13
portfólio veterano :: Divex

por variáveis tão distintas quanto postura perante ao Competência, reputação, adaptabilidade, vendas
consumidor, percepção transmitida em relação à concorrência, e atendimento
leque de serviços online e força da marca”. Para o diretor da Divex, estes são os fatores que podem
Com o objetivo de se diferenciar da concorrência, a Divex determinar o sucesso de uma empresa. A grande busca seria
adotou o e-builder como modelo de atuação. “A consultoria por competência. “Só que competência, hoje, é algo mais
estratégica está à frente de qualquer iniciativa. Nenhum amplo do que saber fazer bem feito. Ser competente é não
recurso tecnológico, por mais entusiasmante que seja, deverá apenas saber fazer, mas ter proatividade, capacidade de
impor-se à lógica de um investimento que busca resultados. resolução e, acima de tudo, comprometimento. O pior
O planejamento rege a subserviência dos recursos de TI profissional é o profissional que busca apenas remuneração”,
aos propósitos de mercado do projeto. Nesse contexto, a detalha Ricardo, que também dá dicas para os profissionais
comunicação interativa entra com o importante papel de que estão começando no mercado: “escolha uma causa, uma
conseguir estabelecer um diálogo entre tudo o que foi empresa que se identifique com essa causa e faça parte de um
proposto e aquele que é a razão de existir do projeto: o time. Envolva-se. Senão, você será apenas mais um, dentre
público-alvo”, diz Ricardo. muitos”.
Falando em atendimento... A Divex atende diferentes

e-builder X segmentos de mercado. “Essa é uma característica comum


Consiste na utilização integrada das atividades de Consultoria para quem trabalha com desenvolvimento para internet,
Estratégica, Tecnologia da Informação e Comunicação
principalmente quando um dos produtos é algo tão genérico e
Interativa.
versátil quanto ‘websites’. Nosso diferencial reside justamente
naquele fator que extrapola essa commodity chamada
tecnologia: a visão estratégica do uso da tecnologia”, explica

“a imagem de um cliente não se Ricardo.

restringe ao design, mas molda-se, sim,


Atendimento - História Curiosa X
sobre uma equação formada por variáveis
“Tivemos um caso em que um aviso sonoro deveria ser

tão distintas quanto postura perante ao emitido, num sistema de atendimento on-line, que o cliente
insistia em afirmar que não funcionava. Dizia que o aviso

consumidor, percepção transmitida em sonoro não tocava. E o aviso era em MP3, bastante
inconfundível, digamos. E horas de discussão ao telefone e de

relação à concorrência, leque de serviços novas tentativas por parte do cliente passaram-se, até que
alguém resolveu perguntar se o computador em questão tinha

on-line e força da marca” caixas-de-som. Não tinha...”- Ricardo de Bem

Ricardo de Bem
Com relação à política da empresa, Ricardo fala de duas
realidades distintas: “quando o assunto é projeto, a Divex
opta por trabalhar com uma carteira fixa e sempre mais em
cada cliente. Isso garante profundidade no entendimento do
negócio e evolução permanente; quando trata-se da nossa

14
14
linha de produtos – SmartWeb – queremos ganhar em escala”.
E com relação às principais metas, ele destaca a expansão da
linha de produtos e a consolidação na área de projetos. “São,
portanto, duas frentes, sendo a de produtos, a mais
ambiciosa. Os atuais projetos envolvem um portal e uma
comunidade online, ambos para o setor da saúde, duas
customizações de CRM para a web e a ampliação da linha
Smart”, conclui ele, lembrando que, quando a empresa atinge
suas melhores expectativas, a melhor parte está em identificar,
mais do que a satisfação do cliente, o orgulho na equipe.

15
portfólio veterano :: Divex

Clientes com “visão digital”

Dentre os clientes da Divex, Ricardo cita alguns exemplos em que a “visão digital” ajudou a melhorar processos e resultados:

a Capa Engenharia é uma


construtora que apostou no auto-
atendimento via internet e tem, em
seu site, áreas especiais para os
clientes consultarem seus extratos
e verificarem sua posição financeira
junto à empresa.

a automatização da versão online do


a Self Engenharia utiliza a internet
Jornal do Comércio foi outra grande
como mais um canal de vendas.
realização, pois, juntamente com o
A implementação do “Corretor On-
redesign do portal, permitiu-se que a
line”, da Divex, já viabilizou o
própria redação do jornal pudesse
encaminhamento de vários
publicar a versão digital.
negócios que culminaram em
vendas.

Letras&Conceitos, livraria,
papelaria e café: iniciar e
incentivar a geração de uma base
de dados de clientes, estimular a
interação com esse público e
aumentar o volume de vendas o Sinduscon-RS, hoje, informa seus mais
foram os maiores destaques desse de quatrocentos associados, em todo o
projeto. estado, com boletins digitais, eliminando
custos com gráfica, papel e correio, além
da economia de tempo de pessoal e
controle dos envios.

16
Anúncio

17
portfólio calouro :: Maurício Galasso

Plugado em idéias inovadoras por Tatiana Serra

Maurício Galasso visa a união design-tecnologia como meio de expressão profissional e


intelectual, investindo no trabalho diferenciado e milimétrico como filosofia.

Formado em Comunicação Social e pós-graduado em Design tudo isso perdido, deve-se fazer um bom estudo de usabilidade e
de Hipermídia, este paulistano de 33 anos sempre quis trabalhar navegabilidade. O usuário agradece”.
com criação, independentemente da área impressa ou digital, e “Design não é pizza, não insista”. Por incrível que pareça, o
define seu trabalho como diferenciado e milimétrico. “Milimétrico trabalho de um designer ainda pode ser mal compreendido e mal
do ponto de vista das percepções e do que o cliente realmente remunerado. “Muitos clientes ainda entram em contato comigo e
deseja”. De acordo com sua “filosofia de trabalho”, o designer tem pedem, na hora, o valor do site, Digo site porque eles não vêem
a obrigação não apenas de realizar o projeto e sim orientar o como projeto e talvez nem tenham essa obrigatoriedade. Eles
cliente na sua área de atuação. No caso de um cliente cujo vêem como algo que necessitam e querem ver pronto o mais
público-alvo não acessa a internet e nem possui computador, por rápido possível”, afirma ele.
exemplo, não é necessário criar um website só porque o mercado Como seu melhor projeto, Maurício destaca o site do
teoricamente exige. paisagista Gil Fialho (www.gilfialho.com.br), pelo alto nível de
Hoje, Maurício trabalha principalmente com web, mas exigência que possibilitou a ele um crescimento no que diz
também desenvolve projetos de identidade visual, mídia impressa respeito a raciocínio de projeto. Já o www.espaco2.com.br
e multimídia. “Geralmente, projetos digitais são menos (empresa que fabrica luminárias) é destacado devido a
problemáticos do que a mídia impressa, que exige um maior “impecável” relação clientexdesigner. Outros importantes
acompanhamento, gráfica, impressão etc. Prefiro web, mas não projetos são o website da Secretaria de Segurança de São Paulo
deixo de lembrar que o resultado de um bom projeto impresso (www.ssp.sp.gov.br) e o portal de serviços do Detran SP
também é fantástico. Temos que estar preparados para todos os (portal.detran.sp.gov.br).
tipos de mídia”, diz ele, que, futuramente, pretende montar um
studio que ataque em todas as frentes imagináveis.
Como fonte de informação, Maurício se abastece da relação
com as pessoas e da internet como confirmação e avaliação.
Segundo ele, há muitos profissionais no mercado leiloando
projetos, e pouca gente realmente boa e talentosa. “É claro que
programações mais complexas exigem conhecimentos de
profissionais especializados, mas, existem coisas que podem ser
resolvidas pelos próprios designers de web. É claro que existe
uma barreira por trás, estou tentando quebrar a minha”, admite
ele, ressaltando também a falta de conhecimento em assuntos
como usabilidade e ergonomia. “Um bom projeto deve ser
baseado em ergonomia, estética, objetivos e, para não deixar site do paisagista Gil Fialho (www.gilfialho.com.br)

O site de Maurício Galasso é <www.mauriciogalasso.com.br> e o email para contato, <mauriciogalasso@terra.com.br>.


Para participar da seção portfólio, cadastre-se no site www.arteccom.com.br/webdesign.

18
19
entrevista :: Marcos Nähr

PorAndré Philippe Iunes

Um dos passos mais importantes na concepção de


um projeto online está na identificação e análise do

público a quem ele se dirige. Se essa etapa não for


bem definida, os objetivos finais podem se perder

ao longo de todo o processo de elaboração. Para


entender mais sobre o assunto, a Webdesign

conversou com Marcos Nähr, webtechnologist do


departamento de marketing da Dell Computadores

no Brasil e responsável pelo desenvolvimento do

site e loja online da empresa.

20 20
entrevista :: Marcos Nähr
Autor de vários artigos sobre o comportamento do “a principal evolução percebida pelos
usuário na rede, o designer gaúcho, de 32 anos, analisa a
usuários foi o fato de a internet ter se
evolução da internet e destaca também alguns dos benefícios
do uso sócio-comercial das comunidades virtuais. Com tornado um meio de educação,
trabalhos realizados para empresas como Telemig Celular,
entretenimento, comunicação e
Amazônia Celular, Telefônica, entre outros, Marcos Nähr
explica alguns métodos, como o Persona-Based Design (design expressão pessoal.”
baseado em personagens) e Epicenter Design (design de
epicentro), referentes ao estudo sobre o público-alvo. Sendo E, em algum lugar entre essas duas vertentes, temos os
assim, antes de planejar um trabalho para web, conheça um usuários, suas necessidades e atividades cotidianas.
pouco mais sobre a ciência do usuário e aprenda a identificar O usuário, no entanto, está muito longe dos sonhos,
suas reações e anseios. utopias e visões das teorias especulativas sobre as alterações
Wd :: Após 10 anos da popularização da internet no sociais em função do uso da internet, e também muito longe dos
Brasil, quais foram, na sua opinião, as principais evoluções detalhes da evolução tecnológica dessa mídia.
no que diz respeito ao comportamento do usuário na Neste sentido, a principal evolução percebida pelos
rede? usuários foi o fato de a internet ter se tornado um meio de
Nähr :: É interessante analisar a evolução da internet educação, entretenimento, comunicação e expressão
neste período relativamente curto de existência. De um pessoal. Esta evolução deixou claras três
lado, temos a significação social desta evolução: o formas particulares de comportamento no
modo como alterou e ainda vai alterar a sociedade. uso da web: busca (processo de
De outro, as questões relativas à tecnologia: localizar algo específico), navegação
o seu formato e possibilidades (busca mais randômica e ampla de
para o futuro. informações) e monitoramento
(visitação repetida de uma página
web, por exemplo). Esse
comportamento é padrão em
qualquer lugar do mundo,
mas um aspecto
começa a

21
entrevista :: Marcos Nähr

chamar a atenção de vários pesquisadores e, talvez mais “ Devemos criar uma arquitetura da
importante, de várias empresas: o Brasil vem se destacando
informação, uma interface que irá ser
na utilização de algumas ferramentas e serviços da internet,
especialmente as comunidades virtuais. utilizada por pessoas que possuem
Wd :: Por falar em comunidades virtuais, percebe-
sentimentos, que pensam, que tomam
se que hoje elas são grandes centralizadoras de
pessoas com interesses comuns. Como as empresas decisões e até mesmo cometem erros. ”
podem explorar esse nicho de mercado?
Nähr :: Sabemos que o uso da internet tem basicamente
dois propósitos: o social e o econômico. Mas também sabemos
por isto que ainda não existem tantas empresas se
que hoje há um número maior de pessoas que usam
aproveitando deste mercado.
comunidades virtuais do que as que compram ou fazem
Wd :: Ao projetar um site, como trabalhar uma
transações comerciais online.
arquitetura da informação que atenda a diversos tipos
Existem comunidades onde se pode comprar, vender ou
de públicos com necessidades diferentes? Quais
aprender mais sobre determinados produtos, mas elas têm um
métodos utilizar para isso?
conteúdo ou contexto social muito fraco. Poucas
Nähr :: Às vezes, nos preocupamos mais em
empresas estão integrando as comunidades
seguir fórmulas mágicas de gurus da internet
virtuais em suas estratégias de marketing.
do que em entender para quem estamos
Aspectos como a disseminação de
criando. Com isso, não quero dizer que
informações “boca a boca”,
não acredito em metodologias, pelo
segmentação de mercado, aumento
contrário, acho que elas são
do tráfego nos websites,
fundamentais, mas estão longe de ser
fortalecimento da marca, entre
o foco no desenvolvimento. O foco é o
outros, são apenas alguns dos
propósito do projeto.
benefícios do uso “sócio-comercial” das
Antes de tudo, é necessário entender
comunidades virtuais.
o que está sendo desenvolvido e
Mas como este tipo de uso
como deverá ser utilizado.
envolve uma empatia muito
Uma vez definido
grande do público e
isso, fica muito mais
causa uma exposição
fácil a adaptação da
em larga escala,
arquitetura para os
somente empresas e
seus públicos.
serviços realmente
E x i s t e m
focados nos usuários
métodos, como o
irão conseguir se
Persona-Based
manter neste nicho de
Design, que têm
mercado. Talvez, seja
demonstrado bons

22
resultados. O “design baseado em
personagens” consiste na elaboração de
alguns poucos personagens, baseados
em dados etnográficos do público-alvo, e
do desenvolvimento de uma interface que
atenda a todos os anseios destes
personagens levando em conta reações
reais à navegação, usabilidade, interação
e até aspectos estéticos do projeto.
Devemos criar uma arquitetura da
informação, uma interface que irá ser
utilizada por pessoas que possuem
sentimentos, que pensam, que tomam
decisões e, até mesmo, cometem erros.
Wd :: Como podemos prever qual
será o público que acessará um
determinado site?
Nähr :: A definição de qual público
acessará um determinado site depende muito
mais de uma estratégia de marketing do que
necessariamente de uma boa arquitetura ou
usabilidade. Estas podem ajudar a manter este
público por mais tempo em determinado site e fazer
com que volte mais vezes, mas não são as
ferramentas para trazê-lo até a página. Não devemos
nos preocupar em atender a todos que acessam, mas
sim em atender bem àqueles a quem o site é
direcionado.

“ Não devemos nos preocupar em

atender a todos que acessam, mas sim

em atender bem àqueles a quem o site é

direcionado. ”

23
entrevista :: Marcos Nähr

Wd :: A internet encontra-se cada vez mais desafio, a resposta é apenas uma: simplifique. A simplicidade
segmentada. Como é possível se adequar a essa realidade? pode ser o princípio mais importante e fundamental da
Nähr :: Seguindo o conceito da pergunta anterior, na usabilidade. A simplicidade do design não só aperfeiçoa o negócio
segmentação é fundamental atender bem ao público-alvo. É e a experiência do usuário, mas também o desenvolvimento
preciso identificar em detalhes as características que tecnológico do projeto, sua manutenção e suporte. O
este nicho possui, entender sobre que interesse ele design baseado no usuário nada mais é do que um
se aglutina e propor algo com o qual este grupo se processo que nos leva à simplificação, à elegância e a um
identifique. layout fácil de aprender, de usar, eficiente e ainda
Wd :: Como podemos saber se um site agradável de ver.
atende às exigências do público-alvo? Wd :: É possível prever o comportamento
Nähr :: Existe um método de design que o público-alvo terá ao navegar em um
chamado de “Epicenter Design” ou site?
design de epicentro, que tem por Nähr :: Segundo alguns
objetivo exatamente isto: psicólogos cognitivos que se dedicam
atender às exigências a estudar o uso de websites, o
fundamentais do público-alvo. comportamento dos usuários é
Este método foca o semelhante ao de um animal
desenvolvimento do projeto farejando por alimento em um
na verdadeira essência e, bosque. Ele não está em
depois, constrói os demais busca de um alimento
requisitos “de dentro específico, mas sim por
para fora”. Isto significa aromas. Sites famosos
não iniciar o projeto pela como Amazon.com, já
navegação, cabeçalho e utilizam esta estratégia. No
rodapés, cores, logo caso da Amazon.com o
etc..Significa começar com a “aroma” é criado por meio do
parte do site que, se for uso de programas que
modificada ou retirada, mudará adivinham o que mais o usuário
completamente o seu propósito. Esta parte é exatamente o deseja baseado em seu comportamento prévio. Uma vez
epicentro do projeto e o que deve ser levado em conta para detectado o “gosto” do usuário, o site espalha os “aromas” pelos
atender ao público-alvo. quais ele possa vir a se interessar.
Wd :: Do ponto de vista da usabilidade, há diferenças Wd :: Que elementos do design são importantes ser
entre determinados públicos quanto ao uso de um site? Ou trabalhados na hora de orientar um site ao seu público-
seja, dependendo do usuário, uma mesma informação pode alvo?
gerar entendimentos diferentes? Nähr :: Podemos usar elementos de “experience design”.
Nähr :: Existem sim diferenças do ponto de vista da Experiências são as memórias mais importantes que nós temos e
usabilidade entre públicos diversos de um mesmo website. No guardamos, e são as coisas com as quais mais gastamos tempo e
momento em que identificamos que será encontrado este tipo de dinheiro. Experiências de sucesso são importantes, tanto

24
entrevista :: Marcos Nähr
emocional como financeiramente. O design da experiência se
Personagens X
baseia em elementos de várias áreas. Da arquitetura da
Como criar um website que satisfaça tantas pessoas
informação, ele utiliza a teoria da informação, os modelos diferentes, com necessidades diferentes e diferentes processos
cognitivos, o design de navegação. Do design de interfaces, de escolha e compra pela Internet, apesar de estarem dentro
de um mesmo perfil de usuários?
absorve as metáforas, o comportamento do usuário e a
Persona-based design - este termo, que pode ser traduzido
usabilidade. Do design interativo, temos a interatividade, a como “design baseado em personagens”, se sustenta na criação
participação, o feedback e a adaptabilidade, entre outros. Temos de personagens baseados em dados etnográficos coletados
durante a pesquisa do público-alvo para o qual você irá criar
também aspectos como a improvisação, a narração, as emoções,
uma interface. Os dados etnográficos compreendem aspectos
o desejo. Devemos pensar em todos estes aspectos quando de comportamento que focam sua análise no que os usuários
trabalhamos elementos-chave como a estrutura, a organização, fazem, no que os frustra ou lhes dá satisfação. Um personagem
é um arquétipo de usuário que pode ajudar você na tomada de
o visual, a navegação, a interatividade.
decisões sobre ferramentas, navegação, usabilidade,
Wd :: Quais informações sobre o público-alvo são interações em geral e, até mesmo, em aspectos estéticos.
importantes para criar o layout de um site? Uma técnica que você pode usar é a aplicação dos dados
coletados (padrões de comportamentos, necessidades, anseios
Nähr :: Para entender os usuários, seus objetivos e como
e modo de agir) na criação de quatro ou cinco personagens com
isso afetará a solução que iremos criar, é interessante usar, além objetivos, tarefas a serem realizadas e habilidades diferentes.
dos aspectos demográficos, os psicográficos, as emoções, as Com estas características únicas de cada personagem, elabore
pequenas histórias em formato narrativo sobre cada uma delas
habilidades, as experiências e as abordagens. Estes aspectos
com detalhes que possam ser importantes para o design do
podem ser trabalhados em arquétipos de personagens. Tente sistema. Isto irá ajudar a criar uma ligação emocional entre
criar personagens “reais” e resolver seus problemas “reais”. você e os personagens.
Quando você trabalha para “pessoas reais” com uma história,
com necessidades, modo de agir real, você se livra das
discussões superficiais e também corre menos o risco de acabar
“O design baseado no usuário nada mais criando uma interface que agrade a você, mas que não será a
ideal para quem realmente irá usar o website.
é do que um processo que nos leva à Trecho retirado da coluna de Marcos Nähr, publicada na edição
de julho de 2005
simplificação, à elegância e a

um layout fácil de

aprender, de usar,

eficiente e ainda

agradável de ver. ”

25
26
27
27
Público-alvo

Público-alvo: Por AndréPhilippe Iunes

conhecer para conquistá-lo


Comunidades que ser formam a todo instante na rede, celulares e dispositivos móveis

conectados à internet, conexões via fibra ótica aumentando a autonomia da web e


encurtando distâncias nos negócios. Enfim, vivemos em uma grande aldeia global ligada

por cabos, fios e, principalmente, por pessoas. Os impactos dessa nova realidade na
sociedade podem ser sentidos no comportamento dos usuários, que depositam, cada vez

mais, credibilidade ao meio online, definindo os padrões de comportamento e os


conceitos de uso da mídia.

28
Público-alvo
No livro Projetando Websites, o especialista em Avaliação Heurística X
usabilidade, Jakob Nielsen, abre um dos capítulos com a Na avaliação heurística, especialistas estudam a interface em

seguinte afirmação: “o concorrente está a um clique de profundidade e observam as propriedades que eles, por
experiência, sabem que apresentarão problemas de usabilidade.
distância”. Na briga pela audiência, vale lembrar que quanto
mais informações sobre o seu público-alvo, incluindo também a
análise de como o concorrente o trata, maiores são as chances
Análise de Tarefa X
de obter um volume de acessos satisfatório em seu site. Neste
Método que consiste na observação de tarefas no mundo real,
caso, as informações relativas ao perfil do seu visitante que deverão ser transpostas para a interface que se vai
passam a ser valiosas, tornando-se balizadoras para as projetar. Esta técnica serve para levantar possíveis modelos
mentais e aplicá-los para facilitar a compreensão das tarefas no
decisões de layout, conteúdo e, principalmente, o elemento
sistema.
que propiciará a boa experiência do usuário.
Primeiro passo: identificar o público-alvo
para bate-papos e por adolescentes para pesquisas.
Ao projetar um site, a primeira pergunta que pode rondar
O usuário que não comprava nada na web, hoje já
a cabeça do profissional é: quem vai acessá-lo e como? De
arrisca muito mais. A internet já faz parte do seu dia-a-dia e a
maneira geral, obter essa resposta nem sempre é uma tarefa
tendência é que as tecnologias evoluam cada vez mais para
simples, pois implica em um trabalho de pesquisa que abrange
facilitar sua vida. Entretanto, em muitos casos, as empresas
desde a apuração sobre o negócio do cliente, e seus mercados
ainda possuem dificuldade em disponibilizar realmente o que
de atuação, ao respeito aos critérios universais de
os visitantes querem ver, fornecendo informações padrões
acessibilidade que atendam ao maior número de pessoas. Logo
ou pouco interessantes para quem navega”, analisa a
de início, uma eficiente ferramenta para alinhar sua página aos
diretora.
seus públicos está nos canais de contato com o usuário. Por
Paola Sales, gerente de conteúdo da agência
meio deles, é possível definir, qualitativamente, a experiência
E4W, destaca que os testes de usabilidade que
de uso do seu site, auxiliando em possíveis reformulações e
incluem a a v a l i a ç ã o h e u r í s t i c a ,
ajustes na arquitetura da informação, caso seja necessário.
a análise de tarefa,
Na opinião de Eliziane Rodrigues, diretora da agência
Rage, conhecer bem o público-alvo requer, entre outras
coisas, saber o sexo, a faixa etária, o grau de experiência com
a marca do cliente, seu nível de exigência, estilo de vida, o que
esse público valoriza, o que ignora e que tipo de informação
prioriza. Para ela, o usuário da rede evolui a cada dia,
depositando cada vez mais credibilidade ao meio, e
saber identificá-lo é o primeiro passo ao
elaborar um projeto online eficiente.
“Antes, possuíamos a imagem
de que a internet
era usada por
jovens

29
29
Público-alvo

“...as empresas ainda possuem


o card-sorting, entre dificuldade em disponibilizar real-
outros métodos, são ferramentas
mente o que os visitantes querem ver”
altamente eficazes para identificar e prever
como será a navegação do internauta. Segundo Eliziane Rodrigues, diretora da agência Rage
ela, dependendo do tamanho do projeto a ser
desenvolvido, opta-se por um ou outro tipo de avaliação. Card-sorting X
“Independente desta etapa, ou da estratégia escolhida Técnica que consiste em escrever em pequenos cartões vários
para estudar a usabilidade, é aconselhável iniciar esta análise tópicos ou temas. Eles são distribuídos a um conjunto de pessoas,
que tem de os ordenar em grupos para que façam sentido
com duas perguntas a respeito do site. Para isso, é preciso
semanticamente, sendo depois analisados na procura por
saber como ele é utilizado pelos meus usuários e se as tarefas similaridade. O resultado deste método pode ser considerado
mais importantes são fáceis e óbvias de serem cumpridas”, como um protótipo de arquitetura de informação de um sistema.

ensina a gerente.
vantagem dessa metodologia é a sua capacidade de adaptação
Paola destaca que, se o projeto em questão não dispor
aos mais diversos escopos de projetos, desde a simples
de recursos financeiros ou viabilidade de investir em análises
preparação de uma proposta para concorrência, até uma
personalizadas de usabilidade, outras soluções precisam ser
iniciativa completa, contemplando inclusive um plano integral
buscadas para que o projeto não continue sem o conhecimento
de manutenção. “Acredito que a principal maneira de conseguir
do seu público-alvo. Ela lembra também que uma oportunidade
um resultado de trabalho adequado à realidade de cada
de ter contato com o real público do site é analisando toda e
projeto é o cuidado com as primeiras etapas do
qualquer tentativa de contato realizado por ele: via telefone,
desenvolvimento, que são o estudo do produto, do mercado,
carta, e-mail ou mesmo pessoalmente. “No projeto do novo
do público, para, só então, começar realmente a desenvolver
site corporativo da Companhia Vale do Rio Doce
(www.cvrd.com.br), não dispúnhamos de tempo nem histórico
Benchmarketing X
de sistemas de análise de logs. A solução encontrada foi o
Estudo de mercado que tem o intuito de buscar referências que
estudo dos e-mails recebidos pela empresa por meio da
dêem subsídios para a elaboração de um determinado projeto.
ferramenta do Fale Conosco. Foram mais de duas mil
mensagens analisadas com o propósito de conhecer quais
“Sou defensora da segmentação e
eram os assuntos mais procurados, identificando assim quais
os públicos que precisavam ser atendidos”, exemplifica. acredito que não queremos ser
Adequando a arquitetura da informação ao seu
bombardeados ao entrar na internet,
usuário
Para o desenvolvimento de conteúdo de um portal, Paola portanto, quanto mais a web me
explica que a E4W utiliza uma metodologia própria, que
conhecer, melhor será para mim.” Eliziane
abrange, entre outras etapas, a análise do conteúdo
existente e o benchmarking. Segundo ela, a principal Rodrigues, diretora da agência Rage

30
31
Público-alvo

a arquitetura. Dessa maneira, é possível conhecer não só a


empresa ou instituição que contrata a agência, mas também o
Cuidados ao criar um site para o
seu público e o mercado no qual ele se insere”, completa.
público infantil
Eliziane Rodrigues destaca que, quando o briefing é
Eco Moliterno, diretor de criação do Studio recebido do cliente, um dos principais aspectos que ele tem
Tesla, relata sua experiência no site da América que informar é qual o target que se deseja atingir. Essa será
Online (AOL) e dá dicas importantes sobre como uma informação que, segundo ela, será valorizada em todo o
elaborar projetos online para o público infantil. restante do projeto. Toda a arquitetura de informação será
- O público infantil é um dos mais difíceis de serem pensada para que esse target se sinta bem ao navegar. Na sua
trabalhados devido à alta segmentação existente opinião, não há uma receita de bolo em relação aos métodos,
dentro dele. Ou seja, uma criança de oito anos é mas, normalmente, é feita uma avaliação sobre o mercado que
totalmente diferente de uma de 12, e cada uma possui envolve o cliente. “Tudo é minuciosamente pensado para
interesses e visões muito distinta do mundo. compor a estratégia adequada. Usamos também facilitadores,
- Usar uma comunicação única para um público objetos de atalho para que outros tipos de público que irão
infantil é muito arriscado, já que cada faixa-etária freqüentar o site sintam-se à vontade, usando-o de maneira
demanda uma linguagem textual e visual específica. agradável e solucionando suas necessidades, mesmo não
“Eu tive esse problema, por exemplo, quando sendo considerado o público principal”, enfatiza a diretora.
coordenava a equipe de design da AOL e tivemos que Segmentação: o bem necessário
criar o canal AOL Kids. Fizemos várias pesquisas Um dos grandes trunfos da internet é exatamente o seu
antes para identificar a melhor forma de abordar o poder de segmentação. Na visão de Eco Moliterno, diretor de
público infantil, e chegamos à conclusão de que seria criação do Studio Tesla, já é possível hoje fazer ações
impossível agrupá-lo por idade. A saída foi dividi-lo específicas para pessoas de uma mesma cidade, religião ou
por sexo, e criamos dois quartos: “Quarto do hobby, por exemplo. Para isso, é preciso basear o projeto em
Meninos” (todo bagunçado, cheio de brinquedos ferramentas de métrica confiáveis que consigam rastrear com
jogados pelo chão) e “Quarto das Meninas” (todo
arrumadinho, com bichinhos de pelúcia sobre a cama, “Acredito que a principal maneira de
esmaltes e bonecas). E para atingir o público mais
conseguir um resultado de trabalho
novo, de três a seis anos, criamos a ‘Porta Mágica’,
com desenhos, brincadeiras e outros conteúdos para adequado à realidade de cada projeto é
os pais navegarem junto com os filhos”.
o cuidado com as primeiras etapas do
- Na idade entre três e seis anos, a criança
ainda não tem autonomia para ligar o computador desenvolvimento, que são o estudo do
sozinha, é preciso fazer algo que faça os pais
produto, do mercado, do público, para só
mostrarem para ela, usando uma linguagem didática
e bastante instrutiva. então, começar realmente a desenvolver

a arquitetura” Paola Sales, gerente de

conteúdo da agência E4W

32
Público-alvo
Analisando dados estatísticos, poderemos focar a informação correta à

traçar um mapa descritivo de navegabilidade pessoa correta. “Sou defensora


da segmentação e acredito que
e, principalmente, o perfil de quem acessa, não queremos ser bombardeados ao

caso esse público possa ser identificado de entrar na internet, portanto, quanto
mais a web me conhecer, melhor será para
alguma forma, seja por cookies, logins ou mim. Terei ao meu alcance informações que,

outras formas de identificação provavelmente, me darão mais interesse, em


vez de ser abordada por uma enxurrada de
Eliziane Rodrigues, diretora da agência Rage coisas que não fazem sentido”, afirma Eliziane.
precisão os usuários que se enquadram em um mesmo perfil. Para abordar essa questão, René de Paula,
“Há casos em que o próprio público faz isso, como nas diretor de conteúdo do Yahoo Brasil, faz a
comunidades do Orkut, por exemplo”, complementa o diretor. seguinte indagação: quem garante que um site só
Nas palavras de Eliziane Rodrigues, a segmentação é um basta? Ou que uma arquitetura da informação
fator positivo tanto para o público-alvo como para o cliente. única dê conta de públicos muito diversos? Ele
Ela explica que as informações em um site não precisam mais destaca que, se você quiser focar um site a alunos
estar todas aparentes e sim segmentadas dentro do grau de de primeira série e seus professores, por exemplo,
interesse do usuário. Isso proporciona agilidade e tende a é muito provável que se crie duas URL’s
diferentes, uma para a versão “kids” e outra
focada nos professores, com sutis “pontes”
Pesquisa de opinião
entre os dois sites. René explica que,

“A pesquisa de opinião junto ao público é feita atualmente, existem dois fenômenos que se

através de testes de usabilidade realizados por complementam. Por um lado, existe uma

institutos especializados nesse tipo de análise. Para isso pulverização crescente de blogs, sites de

são recrutadas pessoas, de várias faixas-etárias, que nicho, podcasts etc., e, por outro, uma

são reunidas em uma sala e respondem a diversas concentração considerável em alguns

perguntas feitas por um mediador sobre layout, tipo de mega sites (de conteúdo, de busca,

conteúdo, relação com outros sites etc. Em seguida, serviços etc.). “Em paralelo a isso,

elas navegam sozinhas enquanto são observadas por temos ferramentas cada vez mais

analistas, que ficam atrás de um espelho falso anotando sofisticadas para analisar

tudo: áreas mais clicadas, páginas visitadas e tráfego, segmentar públicos,

dificuldades encontradas ao longo da navegação. Como mensurar resultados. Em

resultado desse estudo o instituto faz um relatório suma: nosso trabalho

detalhado apontando os pontos fortes e fracos do site, está cada vez mais

e esse documento servirá de guia para a correção e o sofisticado e

desenvolvimento das novas páginas”.


Eco Moliterno

33
Público-alvo

Arquitetura da informação: que dados buscar?

Liliane Arend Machado, supervisora de atendimento da Euro RSCG 4D, destaca quais informações buscar sobre o público-
alvo para elaborar um projeto na rede. Para isso, é preciso saber:
- Quais as aspirações do público-alvo (sonhos, metas etc.);
- Quais os aspectos motivacionais que esse público possui para navegar;
- Qual o momento de vida do target (foco no profissional, pessoal etc.);
- Quais as referências de consumo de mídia desse público (vê muita TV, quais programas, lê revistas, quais etc);
- As características demográficas (idade, se homem ou mulher etc.);
- Envolvimento do target com o meio online.
Também precisamos considerar que tipo de envolvimento com a internet essas pessoas têm:
- Nunca navegaram;
- São apenas internautas esporádicos (visitantes);
- São clientes de algum portal
(clientes freqüentes, visitam constantemente os sites para buscar informações ou resolver problemas);
- Possuem cadastro nos sites que visitam com freqüência, seja para receber informações ou usar serviços disponíveis
no site (no caso de um site de cartão de crédito, para consultar faturas, é necessário realizar um cadastro, por exemplo).
Nesse caso, pode-se solicitar o cadastro para serviços mais simples, até porque os internautas estão dispostos a “pagar
este pedágio” para obter a informação que ele quer ou resolver algum tipo de problema;
- As pessoas que só resolvem sua vida utilizando o meio online (esses são os clientes ideais, eles deixam de optar por
outros canais, como o telefone, por exemplo, para resolver seus problemas na internet).

inteligente. Eu considero isso um bom problema”, analisa.


“Se você quiser se comunicar com o seu
De onde vêm os usuários?
René de Paula explica: as pessoas chegam a um site por usuário com sucesso, é bom entrar na
diferentes maneiras: digitando a URL que viram em algum
freqüência certa, falar sua língua,
lugar, digitando o endereço “no chute” porque conhecem a
marca, por mecanismos de busca, por links em outros sites, por respeitar seus códigos” Christian Laurito,
links em emails, por banners publicados, entre outras
diretor de criação da agência E4W
maneiras. Ou seja: parte do tráfego é resultado de um esforço
de comunicação e, segundo ele, se é feito um plano de mídia
bem pensado, não haverá muita surpresa quanto ao tipo de
público. “Já o acesso espontâneo é mais difícil de prever, e
cabe a nós tentar descobrir quem são essas pessoas, o que
elas esperam e, sobretudo, se o seu perfil deve ser levado em

34
34
Público-alvo
“Usuários não caem mais em papo furado,

por mais que você peça de joelhos, eles

só vão se ‘relacionar’ com você se esse


estrutura que permita o acesso
relacionamento for minimamente a um mesmo lugar por diferentes
caminhos. Assim, você pode fazer o internauta
relevante” René de Paula Jr., diretor de
chegar à mesma página tanto pelo menu superior como por
conteúdo do Yahoo Brasil um combo que lista todos os assuntos do site em ordem
alfabética. Logo, você dá liberdade pra que ele mesmo escolha
conta no próximo plano de mídia e até em uma nova versão do por onde acha mais fácil navegar”, ensina o diretor.
próprio site”, comenta. Compartilhando da mesma opinião, Eliziane Rodrigues
Por outro lado, Eliziane Rodrigues afirma que é preciso ao defende também que o site precisa oferecer várias formas de
cliente criar uma cumplicidade com o público-alvo para que o relacionamento e isso implica em uma usabilidade amigável que
seu usuário sinta-se bem na busca por informações. Ela atenda a essa demanda. Sendo assim, usuários diferentes
destaca que só é possível saber quem irá verdadeiramente poderão navegar de maneiras diferentes, todavia, a diretora
visitar uma página por meio da análise de estatísticas, alerta que a usabilidade deve estar favorável a todos. Ela
ferramenta que, na sua opinião, é extremamente importante explica ser fundamental que no projeto inicial tenha se
para qualquer produto na rede. “Analisando dados estatísticos, pensado de forma lógica, baseado em experiências anteriores
pode-se traçar um mapa descritivo de navegabilidade em um e padrões, em muitos casos, já estabelecidos pelo meio.
site e, principalmente, o perfil de quem o acessa, caso esse “Inovar é preciso, usar artifícios de vanguarda é vital em
público possa ser identificado de alguma forma por cookies, alguns casos, mas isso não pode confundir o usuário e
logins ou outras vias de identificação”, explica a diretora. prejudicar sua relação com o site. Uma mudança sempre tem
Usabilidade a serviço do público-alvo que ser para melhor, e, é claro que o público-alvo precisa de
Independente de qual público, atingir, respeitar os tempo para se acostumar a isso”.
critérios de usabilidade é garantia de bom relacionamento com Criar produtos distintos para públicos diferentes é uma
o seu usuário. Contudo, é possível identificar diferenças entre prática eficiente até mesmo no meio offline. Na tentativa de
determinados públicos quanto ao uso de um site? Ou seja, agradar a todos, a necessidade de atender ao maior número
dependendo do visitante, uma mesma informação pode gerar possível de consumidores traz um pouco mais de trabalho, mas
entendimentos diferentes? Na opinião de Eco Moliterno, há com retorno satisfatório. “Quando não há
diferença sim. “Em um site do Governo, por exemplo, você denominadores comuns,
pode ter usuários de diferentes graus de instrução acessando
um mesmo conteúdo. Para resolver isso, basta elaborar uma
navegação redundante. Ou seja, uma

35
35
Público-alvo

dividimos por dois. Não é pecado algum


separar os públicos extremos em áreas
separadas. Nos EUA, estão lançando livros impressos em
fontes maiores para facilitar a leitura por pessoas mais
velhas”, lembra René.
Design orientado ao usuário
Iniciar a criação de um layout sem algumas informações
sobre o seu usuário torna-se uma tarefa difícil e Diversidade de públicos:
estrategicamente arriscada. Sendo assim, deixar de trabalhar como lidar com essa realidade?
no design certos elementos específicos de um determinado Eco Moliterno resume: para conhecer o
público-alvo pode prejudicar a interação do visitante com o público-alvo de um site, basta analisar o tipo de produto,
site. Christian Laurito, diretor de criação da agência E4W, serviço ou assunto que ele irá abordar. No caso de grandes
ensina que formas, cores, texturas, tipologia, a escolha das portais, por exemplo, ele lembra que fica mais difícil
imagens, a trilha sonora, o timing das animações, fazem parte especificar qual será o tipo de audiência nos primeiros níveis,
do conjunto de orientações para criar uma interface. “A como a homepage, que abrangem assuntos dos mais
variação da linguagem pode ser gigantesca, e cada público tem variados. “Conforme vai se verticalizando a navegação rumo
a sua. Se você quiser se comunicar com o seu usuário com aos canais segmentados, já é possível distinguir com mais
sucesso, é bom entrar na freqüência certa, falar sua língua, facilidade o público e, conseqüentemente, direcionar melhor a
respeitar seus códigos”, destaca. comunicação”.
Para dar um exemplo prático, Laurito explica que formas Agradar a diversos públicos: esse foi um dos desafios
com pontas são mais agressivas e brushes de texturas do que a equipe da E4W enfrentou no projeto do site para a
Photoshop podem “sujar” o layout, bem como o uso de cores Companhia Vale do Rio Doce. Christian Laurito explica que,
fortes, ou o abuso na utilização do preto, pode ajudar a nesse caso, o público-alvo era composto por diversos
compor um site radical para o público jovem. Por outro lado, targets, como estudantes, investidores e fornecedores. “Foi
ele não aconselha esse caminho para transmitir uma mensagem pensando em atender a cada um desses segmentos que
mais institucional, por exemplo. “Quando criamos o site da desenvolvemos uma navegação rápida, por perfis. Logo na
banda de rock Sukhoi (www.sukhoi.com.br), cujo nome é uma homepage, o usuário pode escolher em qual perfil se encaixa
homenagem a um caça de guerra russo e o símbolo uma turbina e, assim, a página recarrega com notícias e links relevantes
de avião, decidimos fazer uma brincadeira. Colocamos uma de acordo com seu interesse. Desta forma, fazemos com que
turbina no header da página, feito em Macromedia Flash, que o usuário tenha acesso, em apenas um clique, a tudo aquilo
suga o cursor do usuário ao se aproximar muito da mesma. O que realmente lhe importa”, detalha.
cursor é retalhado e some do navegador. Ele só volta a Independente do tamanho do site ou relevância de um
aparecer quando o visitante se afasta da turbina. Agora, projeto, após dez anos da popularização da internet no Brasil,
imagine o desespero de um usuário idoso ou pouco compreender a evolução da mídia é também entender como
familiarizado com internet, se o cursor dele sumisse ao navegar quem a usa se comporta neste meio. René de Paula destaca
por um site?”, indaga Laurito. que os usuários hoje são mais exigentes. Fazendo uma
comparação, ele destaca que, quem já comprou uma vez em

36
36
Público-alvo
um site decente espera que todos os outros se comportem De olho no seu usuário
igual ou melhor. “Usuários são mais espertos, checam os
Mais importante do que ter vários canais de contato com
preços online e depois vão negociar na loja física. Usuários são
o visitante de um site é mantê-los ativos. Para isso:
mais racionais, entram em sites de comparação de preço e
- O público-alvo, quando se sente à vontade, “fala”.
analisam quem tem as melhores condições e ofertas. Usuários
Ele usa os canais de comunicação oferecidos e expressa
são mais poderosos, se ficarem muito descontentes, montam
suas conclusões. Portanto, é vital manter um canal no
umacomunidade no Orkut com o título ‘eu odeio o site XYZ’,
site onde ele possa dar sua opinião, sugerir e criticar;
criam um blog, ou publicam queixas no jornal. Usuários não
- O acompanhamento do feedback dos usuários é a
caem mais em papo furado, por mais que você peça de
principa l maneira de identificar se o site está atendendo
joelhos, eles só vão se ‘relacionar’ com você se esse
às exigências de seu público;
relacionamento for minimamente relevante. Caso contrário, os
- O usuário que perde seu tempo escrevendo um e-
esqueça: eles só vão se lembrar de você quando quiserem”,
mail ou aguardando em um 0800 para fazer uma reclamação
conclui René.
ou dar uma sugestão deve ser tratado como um rei;
- É possível acompanhar a satisfação dos clientes
com testes de usabilidade, pesquisas no próprio site ou
por meio das ferramentas de relacionamento.

37
37
Público-alvo

Participação dos assinantes


Como você realiza pesquisas sobre o público-alvo de um site a ser desenvolvido?

Alisson Bitencourt dos Santos Eduardo laghi Jr


alissonsantos@sinos.net eduardo@elaghi.com
Estabeleço uma comunicação efetiva com o público, Primeiramente procuro identificar com meu cliente
através de campanhas publicitárias ou pesquisas, através de um bom briefing quais são seus
como por exemplo, “O que você espera encontrar principais concorrentes, para que se possa
em um site do ramo de materiais de construção?”. O identificar a semântica da mensagem e o respectivo
fato de mexer com a sensibilidade do público, importando-se como a sua design que a integre totalmente. Após esta preciosa etapa, busco “sair a
necessidade, faz com que ele se torne um cúmplice de seus produtos ou campo” na web, ou seja, identifico nichos de consumidores que mais se
serviços, ou seja, torna-se um defensor da marca. adequem ao tipo de negócios que estamos oferecendo.

Éric Coutinho Fernandes Carlos Henrique Pires de Souza


email@ericcoutinho.com chcursos@yahoo.com.br
Pesquisa? Certa vez pretendia saber qual é, Primeiramente verifico se o cliente já dispõe
atualmente, o uso estimado de resoluções de destes dados, caso contrário, realizo uma
vídeo. Simplesmente não há informações pesquisa “formal” utilizando mala-direta e até
acessíveis sobre tais dados no Brasil. Os dados de mesmo, pesquisa de campo, estilo PaP (Porta a
uma pesquisa desse tipo custam por volta de 3 mil reais, se já tiver Porta). Com os dados em mãos, faço gráficos de tendências e, junto
sido realizada. O freelancer ou a pequena empresa não têm acesso a com o cliente, começamos a deliniar o desenvolvimento do site.
dados seguros, até porque não terão trabalhos online suficientes para
Douglas L. Pedroso da Silva
cruzar dados obtidos dos usuários. Assim, minha “pesquisa de
grafi@grafi.com.br
mercado” é minha própria vida, minhas experiências e minha ânsia
Antes de qualquer site ser desenvolvido, vale
por conhecimento, que faz com que eu possa estar atento e perceber
lembrar que o design, as cores e o contexto de
em pequenos detalhes o pensamento do público que pretendo atingir.
uma página colaboram muito com o resultado
Diego Guimarães Ferreira final ao querer atingir o público desejado. Entre
diego@mcnet.com.br as diversidades de público, é importante saber qual o objetivo de
Para um site empresarial ou comercial acho que a cada cliente e o que exatamente ele quer expor e a quem se destinam
melhor maneira seja fazer pesquisas de campo às informações. Traçar o perfil da empresa no trabalho a ser
com os clientes e até mesmo com os desenvolvido pode ser uma alternativa, mas nem toda alternativa
fornecedores, pois são, certamente, o público- corresponderá ao que se espera.
alvo da nossa campanha. Já num site como um portal ou um site
Alexandre dos Santos Andrade
jovem minhas pesquisas são feitas olhando a fundo a estrutura de
alexandretaz@uol.com.br
vários sites que trabalham com o mesmo assunto, assim fica mais
Faço pesquisas via e-mail, peço ao cliente uma
fácil de você conseguir montar desde os textos e layout até até a
lista de pessoas que se encaixam no seu público
parte de developer do site. Cada estilo e assundo tem que ter um
alvo e convido-as para fazer os testes de
jeito próprio de pesquisa.
usabilidade e acessibilidade. Depois disso eu
Renato Augusto Carvalho Cruz mesmo convido pessoas que eu acredito estarem no público-alvo do
renato@rinovare.com.br site e preparo um relatório final com a observações dos dois grupos.
Como não compro pesquisas e não realizo testes
de usabilidade, creio que esta seja a situação de
grande parte dos desenvolvedores do Brasil, eu
costumo analisar os hábitos de consumo, dados
estatísticos fornecidos por órgãos competentes e paralelamente à
isso, estar atento a alguns cases de sucesso e ao que vem sendo
desenvolvido por grandes agências web no mundo. Estas ações são
relativamente suficientes e acessíveis financeiramente para que
Se você é assinante, participe desta seção pelo site
seja feito um bom trabalho baseado em seu público-alvo. www.arteccom.com.br/webdesign/clube

38
debate
Publicidade online:
há fronteiras para a criação?
Com o advento da banda larga e das tecnologias Rich Internet Aplication (RIA), são cada vez

mais diversificados os formatos existentes de propaganda na web. Entretanto, certas


particularidades do meio, como o espaço reduzido dos banners e o acesso discado à rede, vão

contra algumas das tendências atuais da publicidade online, como o uso do vídeo, por exemplo.
Dessa forma, qual postura o “e-publicitário” deve adotar com relação às limitações da mídia?

Até que ponto viabilização e criatividade andam juntas na elaboração de uma peça publicitária
de sucesso na internet?

“A primeira vez que vi um Telejogo fiquei impressionado.


Podia controlar na minha tv os jogadores, mesmo que sendo :: Fabio Bahia
Diretor executivo da Conextar
meros “palitinhos” retangulares que apenas podiam mover na
Tecnologia e Projetos
vertical. Ainda consigo lembrar da bolinha quadrada e seu www.conextar.com.br

rastro iluminado emitindo um “bip” a cada vez que resvalava “A tecnologia se encarrega de demarcar o
em algum canto, invariavelmente quadrado, da tela. Por
incrível que pareça, aquela cena limitada em preto e branco
campo e estabelecer as regras, enquanto

causou altíssimo impacto. Decididamente,criatividade e quem decide mesmo o vencedor é aquele que
tecnologia estavam juntas em campo, e dando espetáculo de
interatividade.
tiver mais criatividade”

Quase 30 anos se passaram e procuramos criar utilizando atalhos e dribles pra chegar ao objetivo. Conseguem
experiências que seduzam e, de alguma forma, mexam com a tirar leite de pedra. Fazem a diferença. São craques.
imaginação das pessoas. Sempre enfrentaremos limitações Na verdade, criatividade e tecnologia não são
como estas, que, no momento, praticamente inviabilizam o uso adversárias, apenas fazem parte do jogo. A tecnologia se
em maior quantidade de recursos sedutores como áudio e vídeo. encarrega de demarcar o campo e estabelecer as regras,
Por outro lado, estas mesmas limitações tornam-se desafios enquanto quem decide mesmo o vencedor é aquele que tiver
instigantes que exercitam a capacidade criativa dos mais criatividade. Portanto, o sucesso não está totalmente
profissionais e, de alguma forma, colocam em evidência aqueles relacionado ao uso de novas tecnologias e sim ao fato de como
que realmente tenham algo para mostrar. São aqueles que, com e quando utilizá-las juntas, aproveitando os espaços, na
o mínimo de elementos, conseguem extrair o resultado máximo, medida certa.”

39
debate

“ Além de ser criativo nas peças, você também

precisa ser na escolha dos formatos. Tudo

:: Cezar Calligaris
depende do seu objetivo, da sua verba e do
Coordenador de criação
online da DPTO Propaganda
que você conhece sobre o seu consumidor.” www.dpto.com.br

“De uma coisa não há dúvida: no campo das idéias, o De toda a evolução da propaganda online, um fato é
nosso país é campeão absoluto na propaganda online. Na muito positivo: o número de alternativas é cada vez maior. Você
internet existem condições em que as restrições técnicas pode fazer um anúncio somente com texto, um banner simples
igualam as condições de competitividade. É o caso das ou animado, um e-mail, um banner com vídeo, um hotsite, uma
campanhas de banners, em que o Brasil tem sido disparado o intervenção na página inicial de um portal. Além de ser criativo
melhor em boa parte dos festivais. nas peças, você também precisa ser na escolha dos formatos.
Porém, quando se fala em propaganda online, é preciso ir Tudo depende do seu objetivo, da sua verba e do que você
além dos banners. Um site, por exemplo, pode fazer parte de conhece sobre o seu consumidor.
uma campanha. É aí que a história muda bastante: devido às Com os novos formatos, um ponto essencial é respeitar o
dificuldades técnicas e financeiras, as idéias começam a seu consumidor. A publicidade online segue um ciclo perigoso:
encontrar barreiras para serem produzidas. primeiro são criados novos formatos. Estes formatos começam
O Brasil está um passo à frente nas idéias, mas um passo a ser evitados e, para chamar a atenção novamente, são
atrás em investimentos e em tecnologia. Basta ver que a criados formatos mais invasivos, que chegam a mudar a cara
maioria dos brasileiros ainda usa, em casa, conexão discada. É do navegador ou dificultam a visualização do conteúdo.
por isso que a publicidade online aqui está dividida atualmente Os incômodos que a publicidade online causa não são
em duas frentes: aquela criada para festivais e aquela que maiores que os dos outros meios. Assim como a publicidade na
realmente é veiculada. rede atrapalha a navegação, nas revistas de notícias
A criada para festivais ignora todas as regras, ou seja, semanais, os anúncios cortam as matérias. Assim como você
valem os mais variados pesos e formatos. Os limites, como dito paga a conexão e faz o download de banners sem desejar, na
anteriormente, são os recursos para produção. Porém, é a TV a cabo, em que você paga assinatura, os programas são
propaganda que realmente é veiculada que garante a interrompidos por comerciais. O problema é que, na internet,
sobrevivência de agências, veículos e dos profissionais que as pessoas se acostumaram a ter tudo de graça, sem nenhum
trabalham com ela. É aquela propaganda cheia de limitações, sacrifício em troca. Não existe uma imagem clara de que é a
feita de acordo com as regras que os veículos estabelecem e publicidade que possibilita receitas que permitem aos sites
que podem ser visualizadas pela maioria dos brasileiros que oferecerem conteúdo ou serviços. Por isso, é preciso tomar
usam a conexão discada. Mesmo com tantas limitações, essa cuidado para que as novas técnicas não tornem os anúncios
propaganda evoluiu muito. Os bons profissionais vêm ainda mais invasivos ou chatos para os consumidores. Nada
aprendendo a usar novos recursos tecnológicos e a que não possa ser resolvido usando a criatividade e um pouco
criatividade para conseguir bons resultados dentro dos limites de bom senso.”
estabelecidos.

40
debate
“os avanços tecnológicos na compressão de

vídeo tornam o uso do vídeo e de formatos

especiais não uma possibilidade, mas sim uma :: Michel Lent Schwartzman
Sócio e diretor de criação da
agência 10’Minutos Interactive
obrigatoriedade na maioria dos planos de mídia.” www.10minutos.com.br

“A publicidade online já entrou na era do vídeo. com perfil sócio-econômico de meu interesse e ainda saber
Mensalmente, é enviado 1 bilhão de mensagens publicitárias que tipo de equipamento ele tem e que tipo de peça vou
com vídeo pela internet (fonte Clickz.com). O avanço da mostrar pra ele.
banda larga (5,3 milhões de usuários no Brasil em 2004, com Não é dizer que não dá pra ser criativo com formatos
crescimento de 20% segundo o IBOPE), a melhoria dos mais tradicionais e menores, mas já está comprovado que
computadores pessoais e, conseqüentemente, os avanços formatos maiores são, muitas vezes, mais eficazes e permitem
tecnológicos na compressão de vídeo tornam o uso do vídeo e muito mais criatividade.
de formatos especiais (rich media) não uma possibilidade, mas O fullbanner foi inventado em 1995, veiculado pela
sim uma obrigatoriedade na maioria dos planos de mídia. primeira vez pelo site da Wired, na veiculação de mensagens
A eficácia de peças de mídia online maiores, que fazem uso para a AT&T. Nesta época, a resolução média dos usuários era
de rich media, é comprovada em todas as análises de 640x480 pixels. O full, com 468x60, ocupava, portanto, cerca
resultados de campanha. Estas peças são até 100 vezes mais de ¼ da tela do usuário. Hoje em dia, com a maioria dos
eficientes do que formatos tradicionais como o fullbanner. Ao usuários migrando para os 1024x768 pixels de resolução, o full
mesmo tempo, as tecnologias de publicidade online (AdMotion, ocupa 1/10 da tela. Não faz sentido não pensar e não usar
Unicast, EyeBlaster), que fazem uso de rich media e vídeo, novos formatos publicitários, uma vez que todo o resto
funcionam de forma inteligente devido ao fato de não aparecer evoluiu.
para determinados usuários dependendo da conexão. É O sucesso publicitário na web é a combinação entre um
possível programar com cautela o que mostrar pra quem. ótimo planejamento de mídia com o uso de formatos
E é esta possibilidade de programação que torna o uso diferenciados, com mensagens muito bem boladas. Tudo ao
da mídia online tão interessante. Seu potencial de mesmo tempo, agora.”
segmentação é virtualmente ilimitado do ponto de vista
tecnológico. Posso mostrar a peça que eu quero para o público

41
42
43
debate

debate
“O grande barato é achar possibilidades para trazer idéias
:: Fábio Pierro Maca que explorem tudo o que o meio oferece, seja só os 12k do
Redator da Euro RSCG 4D
www.eurorscg.com banner, seja o áudio e a interação do podcast”

“Não é de hoje que a publicidade na internet sofre com a miséria de peso e tamanho das peças. Apesar dos novos formatos,
ferramentas, tecnologias e da banda larga, esquecer-se dos preciosos “kás” é criar sem compromisso e, portanto, sem
resultado.
Mas há uma pegadinha aí. É claro que devemos ter o peso em mente, mas não podemos ser escravizados por ele. Essa
liberdade é, e sempre foi, a grande sacada. Para alcançar esse nirvana criativo, basta aceitar que há limitações. E, como num
passe de mágica, dar menos importância para os “contras” e mais para o que realmente importa: as idéias. Em outras palavras,
viramos o jogo porque aceitamos as limitações da internet, mas não os limites que encontramos.
Assim, aprendemos que é preciso trabalhar com as limitações de um vídeo na intenert e, ao mesmo tempo, é preciso se
esquecer delas para criar o videoblog.
Tanto que hoje a discussão não é mais quanto ao peso ou formato da peça, se dá para fazer ou não. O grande barato é
achar possibilidades para trazer idéias que explorem tudo o que o meio oferece, seja só os 12k do banner, seja o áudio e a
interação do podcast.
No fim, é mais ou menos como num comercial de TV. Os 30 segundos não têm nada a ver com podar a criatividade e, sim, o
contrário: eles ajudam a balizar uma idéia.”

“Hoje a divulgação on-line é responsável por uma importante


:: Daniel Gunji
Diretor de planejamento da parcela da verba publicitária, com aproximadamente 2% de
Tange Comunicação Digital
www.tange.com.br todos os investimentos”

“Nos últimos anos, o mercado publicitário viu o crescente potencial das mídias eletrônicas, que passaram a desempenhar um
papel fundamental para o lançamento e diferenciação no mercado dos mais diversos produtos e serviços. Como resultado, hoje
a divulgação online é responsável por uma importante parcela da verba publicitária, com aproximadamente 2% de todos os
investimentos. Dos tradicionais pop-ups, banners e botões, aos inovadores superstitials e integrações com vídeos e SMS, os
formatos estão cada vez mais criativos e interativos, sob medida para a comunicação com o público consumidor brasileiro.
Fenômeno mundial, esta tendência pelo uso da publicidade online encontrou no Brasil um terreno amplamente fértil e
receptivo. Os brasileiros estão no topo do ranking de todas as ferramentas de comunicação eletrônica, perdendo o primeiro
lugar, em alguns quesitos, apenas para os Estados Unidos. Isso tem feito com que a publicidade em geral adote em sua
estratégia e planejamento de mercado o uso da mídia online.
A grande preocupação deste setor, que aos poucos está sendo ultrapassada, é com a utilização de recursos compatíveis
com os computadores dos internautas brasileiros. Um exemplo desta evolução foi o Flash, animação hoje popularizada e de
visualização acessível em praticamente todos os computadores do País. Para a publicidade online, o futuro reserva o emprego
de novos recursos visuais e de áudio, sempre a favor de uma divulgação eficiente e com destaque na mídia.”

44
estudo de caso ::debate
Kaiser
Navegue sem
moderação
Nada melhor para fortalecer o novo conceito de uma marca, do que

utilizar a internet como meio de divulgação. Quem aproveitou de forma

criativa este tipo de pensamento foi a Kaiser, que lançou, em meados


de julho deste ano, a nova versão de seu site (www.kaiser.com.br).

Por Luis Rocha

45
45
estudo de caso :: Kaiser

Conar X
Mas o que há de novo para se conhecer no espaço virtual de
Organização não-governamental que visa promover a
uma cervejaria? Pois bem, a primeira novidade aparece liberdade de expressão publicitária e defender as prerrogativas
justamente nos percursos disponíveis para a navegação, cujo constitucionais da propaganda comercial.
Fonte: conar.org.br
guia são tubos transparentes carregando cerveja e que
interligam todas as seções do site.
Nesta entrevista, Fábio Pierro, coordenador de criação da
Euro RSCG 4D, agência responsável pelo trabalho de Wd :: Como surgiu a oportunidade de se criar o novo
remodelação do site, revela os principais desafios envolvendo o site da Kaiser e quais foram os principais desafios do
projeto, a aposta em novas tecnologias (Podcast e RSS), além projeto?
de destacar a importância da Usabilidade e da Arquitetura da Fábio :: Primeiro participamos de uma concorrência para
Informação no desenvolvimento de sites. Confira. escolha da nova agência da Kaiser na internet. A partir desse
momento, começamos a trabalhar a oportunidade de reposicionar
não apenas um produto num novo site, mas desenvolver uma
Podcast X
É uma forma de transmissão de arquivos de áudio pela web. plataforma de comunicação que aproveitasse comportamentos e
Os programas, gravados em qualquer formato digital (MP3, culturas, traduzindo o mote da campanha “Viver é a melhor coisa
por exemplo), ficam armazenados em um servidor na internet
do mundo” de forma única na internet.
e, através de RSS, o usuário é avisado da disponibilidade de
novos arquivos, que podem ser baixados automaticamente Wd :: Quantos profissionais participaram deste projeto
para o “tocador” de áudio. e qual foi o prazo para que ele fosse cumprido?
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Podcasting
Fábio :: Esse foi um projeto excepcional em termos de
prazo. Para lançarmos o site junto com a campanha, trabalhamos
RSS X
durante aproximadamente 40 dias. O site passou por diferentes
Formato utilizado para compartilhar conteúdo web. Permite,
por exemplo, que o administrador de um site de notícias crie um
profissionais da agência e por todas as áreas. Diria que foram
arquivo XML (Extensible Markup Language) com as últimas cerca de 30 pessoas da Euro RSCG 4D, além de cerca de 10
manchetes publicadas, a fim de compartilhá-las mais
profissionais de terceiros, como produtora de som.
rapidamente com seus leitores.
Fonte: RNP (www.rnp.br)
Wd :: Uma curiosidade: todos os sites de empresas
que vendem cerveja possuem um aviso sobre a
recomendação de acesso para maiores de 18 anos. Existe
alguma determinação de órgão regulador sobre o assunto
ou este é um acordo ético de mercado?
Fábio :: Apesar de ser uma atitude bastante ética, ligada a
questões de consumo responsável - o que para a Kaiser é de
primeira importância -, esse aviso é uma determinação de órgãos
reguladores, no caso, o Conar (Conselho Nacional de Auto-
Regulamentação Publicitária).
Wd : : Qual é o perfil do usuário que acessa o site da
Kaiser e como estes dados influenciaram no
desenvolvimento do projeto?
www.kaiser.com.br

46
estudo de caso :: Kaiser
A internet é o único canal

de mão dupla no qual uma marca

pode dialogar com o consumidor

e não só falar para ele ou apenas

transmitir uma mensagem.

Fábio :: A internet é o único canal de mão dupla no qual uma Wd : : Falando ainda em tecnologia, o lançamento do
marca pode dialogar com o consumidor e não só falar para ele ou novo site traz como mote a promoção PodKurtir, através
apenas transmitir uma mensagem. Essa característica de canal da disponibilização de um canal Podcast e o uso de RSS.
aberto e democrático, onde qualquer um pode se expressar, faz Como surgiu a idéia de lançar tal campanha e quais motivos
surgir blogs e podcasts, recursos que rapidamente se da escolha destas tecnologias?
transformam em hábitos e mudam comportamentos. Fábio :: A escolha é muito conceitual e está totalmente
Perceber esse ambiente de troca e trabalhar nele são ligada à estratégia de comunicação da Kaiser. Não existe uma
fundamentais para que sites de marcas e produtos reflitam mais a aposta numa tecnologia chamada podcast: existe, sim, a
cara da internet como um canal de troca, em vez de páginas tradução do mote da marca “Viver é a melhor coisa do mundo”
estáticas, cheias de textos. Esse pensamento foi fundamental para a internet, de modo que as pessoas pudessem falar sobre as
para que desenvolvêssemos a promoção PodKurtir (em que coisas boas da sua vida. Portanto, é mais que o PodKast com K de
usuários são convidados a criarem seus PodKasts, com K de Kaiser, é mais que um “fim” isolado: é um meio combinado a uma
Kaiser). idéia, utilizado para alcançarmos um objetivo estratégico.
Wd : : Por que a escolha combinada de ASP e Flash no Wd : : O site é executado tão bem no Internet Explorer
processo de remodelação do site? Quais são as vantagens como no Mozilla Firefox. Que tipo de medidas foram
destas tecnologias? adotadas para que isso acontecesse?
Fábio :: O Flash é uma opção da área de criação da agência Fábio :: Aqui na agência, essa busca pela compatibilidade é
por causa das possibilidades e recursos que permitem mais e uma constante. É uma preocupação que já faz parte do
melhores movimentos, animações, interatividade, navegação pensamento dos profissionais, das nossas planilhas e briefings. E
mais dinâmica. Em cima dessa decisão, a área de tecnologia da essa cultura é a principal medida para que isso aconteça. De
agência optou pela ASP.NET por ser uma plataforma que se resto, é moldar o processo de trabalho em torno dessa
integra bem com o Flash, moderna e com bons recursos. necessidade com ações como, por exemplo, executar o trabalho

47
47
estudo de caso :: Kaiser

desde o início para que rode nas duas plataformas, e realizar Em termos de atualização, temos uma
testes em ambos os navegadores durante toda a sua execução.
estratégia para longo prazo
Wd : : A página principal do site privilegia as campanhas
publicitárias e de marketing lançadas recentemente pela desenvolvida e virão muitas surpresas
Kaiser, deixando seções tradicionais como “Institucional”,
de peso como os PodKasts por aí.
“Fale Conosco” e de “Produtos” em espaços menores. Como
foi definida a disponibilização dos elementos no site? Como
os conceitos de Usabilidade e de Arquitetura da Informação
foram inseridos no processo de planejamento e
desenvolvimento do novo site?
Fábio :: A Arquitetura da Informação (AI) é parte
fundamental no trabalho da Euro. Muito mais que um
departamento isolado que pensa em navegação, aqui, a AI é
parte da criação e do planejamento.
O processo é liderado pelo arquiteto de informação, mas é
sempre realizado a quatro mãos. Todos aqui, como heavy users
de internet ou como profissionais especialistas do meio, têm a
obrigação de desenvolver e pensar navegação, enquanto criam
textos, arte ou códigos. O resultado desse trabalho é o
wireframe ou schematics: guias de conteúdo que vão ajudar os
profissionais da criação a desenvolver layouts e idéias. É página interna com informações sobre o produto

48
importante frisar que, da maneira que trabalhamos aqui, a
arquitetura de informação não engessa nem limita a criação. Pelo
contrário, ela ajuda e muito na coerência da navegação e
usabilidade de um site.
A opção de priorizar a área de campanhas, nesse momento
do site, é um bom exemplo de arquitetura da informação. Mais do
que distribuir conteúdos, é preciso pensar sobre eles e adequá-
los ao momento do cliente, do mercado ou outra necessidade.

página inicial do Podkast da Kaiser

Neste caso, a necessidade era aproveitar o lançamento da


campanha de massa na tv.
Como foi muito bem observado, seções como “Produto” têm
um peso bem menor que a Promoção PodKurtir, por exemplo.
Mais que um feito da agência, isso também demonstra a
maturidade do cliente e do mercado quanto à necessidade de
inovar e oferecer ao usuário o que ele realmente quer.
Wd : : Como será feita a atualização do site? Já foi
possível mensurar os resultados obtidos pela
remodelação do site?
Fábio :: Ainda é cedo para fazer uma análise quantitativa
do site. Qualitativamente, entretanto, a repercussão tem sido
muito boa. Temos recebido diversas críticas positivas sobre
diferentes aspectos do site. Em termos de atualização, temos
uma estratégia para longo prazo desenvolvida e virão muitas
surpresas de peso como os PodKasts por aí.

49
49
E-cards

Por Tatiana Serra

Na web,
enviar ca
rtão é m
convenie ais do qu
nte, é ta e um rec
mbém ba urso de
ixo custo comunic
e interat , persona ação
ividade n lização,
uma únic marketin
a ferram g viral
enta.

50
E-cards
Receber ou enviar cartão de aniversário, amor, amizade,
ou mesmo um cartão de notificação, de convite e até de visita.
Os cartões podem simbolizar romantismo, apresentação, boas
ou más notícias, enfim, são várias as funções desta
ferramenta de comunicação. Na web, então, as possibilidades
são incontáveis. Chamados de e-cards, webcards ou,
simplesmente, cartões virtuais, eles são um recurso muito
utilizado para a divulgação de projetos, para marcar datas
comemorativas, entre outros.
A palavra-chave do e-card pode ser interação, já que
aproxima, sutilmente, usuário e marca - uma opção, quase “Apesar da conveniência, o uso dessa
sempre, simples, de baixo custo e eficiente. “Mas, apesar da
ferramenta, em inúmeros sites, tem feito
conveniência, o uso dessa ferramenta, em inúmeros sites, tem
feito do e-card um conteúdo previsível. E, para ele continuar do e-card um conteúdo previsível. E,
chamando a atenção do usuário, terá que se reinventar,
para ele continuar chamando a atenção
estando cada vez mais adequado ao contexto conceitual
da marca e disponibilizando recursos criativos cada do usuário, terá que se reinventar...”
vez mais interessantes e relevantes”, afirma Suzana
Suzana Apelbaum, da Rmg:connect Brasil
Apelbaum, diretora de criação da rmg:connect Brasil
(www.rmgconnect.com).
Ação viral como conseqüência Tecnopop X
Já na opinião de Luis Marcelo Mendes, diretor de A Tecnopop desenvolveu os sites para as campanhas de
Negócios da produtora Tecnopop (www.tecnopop.com.br), Aspásia Camargo (vereadora) e Cesar Maia (prefeito),
além do e-card ter um “custo baixíssimo” e ser um recurso ambos eleitos pelo Rio de Janeiro.
muito simpático, “é muito mais eficiente que os outros recursos
por haver um caráter de envolvimento pessoal”. Em 2004, a
Tecnopop viveu uma experiência diferente com e-cards em No caso do projeto de e-card realizado para a campanha
sites de campanhas políticas. “Realizamos nos sites da Aspásia da vereadora Aspásia Camargo, a Tecnopop identificou que
Camargo e do Cesar Maia, sendo que, no do Cesar, não só haveria muitos eleitores dispostos a recomendar o voto na,
tinha o que chamamos de webcard, como também permitia a então, candidata. Assim, foi preparada uma ferramenta que
impressão de ‘cola’ de boca de urna com o número do vereador lhes permitisse fazer isso através de um email pré-formatado e
em que o visitante quisesse votar, e ainda enviar para quem com uma sugestão de texto pronta como, por exemplo: “Eu
quisesse”. Segundo ele, “ambos tiveram boa saída, voto em Aspásia”, “Gilberto Gil apóia Aspásia”. De acordo com
especialmente o da Aspásia, cuja militância fez uso intenso da o diretor da produtora, “o resultado foi uma ação viral, com os
internet. Aliás, se considerarmos as mudanças previstas para próprios eleitores tornando-se vetores de divulgação da
as futuras campanhas políticas, notamos que a internet campanha da candidata, mas com o valor especial de se tratar
passará a desenvolver um papel cada vez mais estratégico”. de uma recomendação pessoal, assinada; melhor e mais

51
51
E-cards

Rodrigo Teco, da Grafikonstruct (www.grafikonstruct.com.br),


também fala a respeito de e-cards com a participação direta do
usuário, e destaca o projeto Graffiti Ecard Trattoria
(www.gkarchive.com/works/trattoria/e-card). De acordo com
ele, esse hotsite simula, em uma interface future/retrô, uma
máquina de e-cards em que o próprio usuário monta seu
cartão, escreve sua mensagem e, utilizando vários stencils
(máscaras para grafitar), faz sua arte exclusiva nele.

E-cards das campanhas de Cesar Maia e Aspásia Camargo


Boca-a-boca digital
Apesar das inovações na utilização desse tipo de recurso
e, talvez, justamente por causa dessas inovações, os

“É o e-card saindo só da função de marcar “tradicionais” cartões virtuais de datas comemorativas


continuam em destaque, com suas devidas reinvenções
presença em ‘datas comemorativas’ e criativas. Muitas vezes, os e-cards de Natal, por exemplo,

trazendo um bom serviço como valor funcionam para divulgar a própria empresa. A Tribo 12
(www.tribo12.com.br) confecciona, todos os anos, um cartão
agregado” Suzana Apelbaum virtual da agência que, normalmente, é enviado no Natal para
clientes, amigos e todos os que enviaram mensagens para a

convincente que qualquer tipo de propaganda”. Lembrando Tribo por meio do Quadradinho da Tribo12 ou pela página

que houve quem enviasse os e-cards para centenas de de contato (“Sinais de Fumaça”).

conhecidos.
Personalização nos e-cards Quadradinho da Tribo 12 X
Como se vê, os cartões virtuais estão inovando no É o link, por meio do qual, os usuários enviam
quesito interatividade, incentivando a participação do mensagens com sugestões de possíveis funções para
usuário, que pode dar seu “toque especial”. “Fiz muitos e- esse quadradinho existente no menu que,
cards para Brasil Telecom, Credicard, Fiat e Brastemp (quando aparentemente, não tem função).
trabalha na Agência Click); depois, fiz outros para Bubbaloo,
na JWT. Neles todos, a palavra-chave era personalização.
Quanto mais o usuário pudesse dar o seu toque no layout, no O cartão virtual de Natal da Tribo 12 é confeccionado em

texto e na trilha sonora, mais interessante ficava”, afirma Macromedia Flash e sempre traz uma mensagem, alguma

Suzana Apelbaum, da rmg:connect Brasil. Recentemente, ela brincadeira ou algo interativo que destaque a empresa. “A

desenvolveu uma campanha online para a Trident que, apesar idéia de tema e features para o cartão, normalmente, surge da

de não ser um e-card tradicional, funcionava como tal, por ser experiência que aplicamos durante o ano em nosso próprio

um vídeo divertido que os amigos repassavam entre si. “É o e- site. Enviando o cartão, passamos a controlar as estatísticas

card saindo só da função de marcar presença em ‘datas de acesso para verificar quaisquer alterações”, explica

comemorativas’ e trazendo um bom serviço como valor Eduardo Vieira, diretor de criação da Tribo 12. Tal iniciativa,

agregado”, completa ela. segundo ele, tem trazido boas respostas para a empresa.
“Além do aumento de visitações ao site, esperamos que os

52
E-cards
Campanha online
desenvolvida por Suzana
Apelbaum para Trident.
Apesar de não ser um e-card
tradicional, funcionava como
tal, por ser um vídeo
divertido que os amigos
repassavam entre si.

usuários enviem nosso cartão para outras pessoas, “Além do aumento de visitações ao site,
justamente por terem achado interessante. Desse modo,
esperamos que os usuários enviem nosso
insuflamos um ‘boca-a-boca digital’, por assim dizer”, conta
Eduardo. cartão para outras pessoas. Desse modo,
Ainda sobre esse tipo de divulgação, destaca-se a
insuflamos um boca-a-boca digital”
importância da lembrança deixada na mente do usuário ao se
tratar de um bom projeto. “Lembro de um cartão desses que Eduardo Vieira, da Tribo 12
recebi, há uns três ou quatro anos, que tinha uma espécie de
joguinho. Conforme você ia jogando, situações engraçadas
iam prendendo a atenção e, ao final dos passos, havia uma
surpresa. Eu, particularmente, nunca esqueci esse cartão,
repassei a um monte de amigos e, até um tempo atrás, ainda o
tinha em meu computador”, lembra ele.
No ano passado, a Tribo passou a desenvolver um projeto
de e-card para um de seus clientes, a Task Sistemas de
Computação (www.tasksistemas.com.br), a qual percebeu o
alcance que algo simples como um cartão virtual pode ter. Foi,
assim, criado um cartão com um mensagem de final de ano,
sem um ligação específica com o Natal ou com as festas de
Reveillon. “Pois a idéia era transmitir uma mensagem positiva a
todos os que colaboraram para o crescimento da empresa, e
isso não deveria estar atrelado ou depender de qualquer
credo, religião ou festa. O cartão foi enviado internamente na
(empresa), para fornecedores, clientes, revendedores etc”,
completa o diretor de criação da Tribo 12.

53
53
tutorial

Padrões Web 4
Prof. Everaldo Bechara e Prof. Maurício Samy Silva
Professores do Centro de Treinamento iLearn
falacom@iLearn.com.br

A ampliação do HTML desembocou na famigerada “guerra dos browsers”, na qual cada fabricante desenvolvia, ao seu juízo, uma solução própria para
facilidades de renderização e interpretação da linguagem de marcação.
O W3C, percebendo o rumo caótico para onde se encaminhava a internet, não vem economizando esforços para alcançar uma maior padronização.
Padronização de softwares, de hardwares, de códigos de dispositivos, enfim, de todo componente relacionado a web.
Uma padronização que garanta compatibilidade com dispositivos em uso, com dispositivos futuros, e que garanta servir um único código não só para
diferentes navegadores e resoluções de monitor, como também para diferentes mídias, dispositivos especiais e agentes de usuários os mais diversos.

CSS – Uma Visão Geral


O que é uma Folha de estilo? CSS3 pretende ser uma especificação modular e vários dos
“Folha de estilo em cascata é um mecanismo simples para seus módulos encontram-se, atualmente, em fase de rascunho,
adicionar estilos (p.ex., fontes, cores, espaçamentos) aos desenvolvimento e discussões.
documentos Web”. Como e por que surgiram as CSS?
Esta definição abre a Home Page das CSS no site do W3C: Tim Bernes-Lee, o inventor da web, um pesquisador físico
http://www.w3.org/Style/CSS/ para partículas nucleares, trabalhando no CERN - Centro
Dando sequência a nossa série de artigos sobre Padrões Europeu de Pesquisas Nucleares, percebendo a dificuldade de
Web, nesta matéria, vamos conversar um pouco sobre as CSS – trocar informações entre físicos do mundo todo, cada um usando
folhas de estilo em cascata. um tipo de arquivo eletrônico, incompatíveis entre si, resolveu
Faremos um breve relato do que são as folhas de estilo, de criar uma maneira de unificar em uma só linguagem tais
como e porque surgiram, quais suas finalidades, vantagens de arquivos. Assim, nasceu o HTML.
usar e, em seguida, mostraremos alguns exemplos práticos de Tim criou o HTML com a finalidade de unificar uma
uso corrente em web sites. linguagem para arquivar e trocar informações técnicas e
O que significa CSS? científicas por uma comunidade de pesquisadores.
CSS é a sigla em inglês para Cascading Style Sheet, que em Algumas poucas tags para estruturar textos cumpriam a
português pode ser traduzido para Folhas de Estilo em Cascata, contento a finalidade da linguagem. Ocorre que a descoberta de
uma tecnologia desenvolvida e incentivada pelo W3C, portanto, Tim ultrapassou as fronteiras da comunidade científica e caiu no
uma web standard, cujo propósito maior é retirar da linguagem domínio do público em geral. A nova maravilha fascinou o mundo,
de marcação (HTML, XHTML, XML, etc.) toda definição e, rapidamente, projetistas, designers, fabricantes e todos
destinada a apresentação ou formatação de um documento web, envolvidos com a web clamavam por implementação de novas
como veremos adiante. facilidades na linguagem. Cores, imagens, movimento, interação
As standards para CSS e toda uma parafernália que hoje conhecemos foram
CSS1 é uma Recomendação estável do W3C desde 17 de introduzidas na linguagem, tornando-a bem mais poderosa, é
dezembro 1996, revisada em 11 de janeiro de 1999. verdade, mas a um preço muito alto, pois tudo isto desembocou
CSS2 é uma Recomendação estável do W3C desde 12 de na famigerada “guerra dos browsers” com códigos proprietários,
maio de 1998. versões de sites para este ou aquele navegador (até hoje,
CSS2.1 encontra-se atualmente em fase de rascunho de encontramos grandes sites assim), scripts de detecção, avisos
trabalho, aberta para discussão pública, tendo sido sua última de “melhor visualizado em...” e uma verdadeira bagunça (e que
atualização em 13 de junho de 2005. bagunça!) no código HTML.

54
tutorial
As CSS chegaram para botar ordem, unificar e facilitar o Quer mais? Vamos lá. Já imaginou seu site sendo acessado por
desenvolvimento dos documentos web. qualquer dispositivo e continuar a ser acessível mesmo em
Finalidade das CSS dispositivos que você nunca testo? Outro dia, através de um PDA,
A idéia central é a de retirar do código de marcação, todos os uma pessoa tentou mostrar para um colega, em um site de uma
elementos, tags e atributos destinados à apresentação, devolvendo grande empresa, o automóvel que queria comprar. Acessou o site
ao código sua finalidade inicial de simplesmente marcar e estruturar os pelo PDA. Resultado 1: o site não estava acessível, pois as
documentos. marcações criadas neste site impediam que, por um PDA, pudesse
Assim, por exemplo: acessar as informações. Resultado 2: um cliente insatisfeito com a
- o uso da tag <font> e seus atributos ‘face’, ‘size’, e ‘color’ marca!. Já pensou se o gerente de Marketing soubesse disso?!
destinados a formatar família, tamanho e cor das fontes; Bem, já deu para perceber a importância dos Padrões em
- o uso dos elementos <table>, <tr> e <td> para qualquer projeto Web.
fins de posicionamento e apresentação do layout; Vamos lá. Linca as folhas no documento e pronto! Nada de
passam a ser vivamente desencorajados pelo W3C em favor de se versões do site para PC, para PDA etc.
obter aqueles efeitos de apresentação via CSS. Nada de criar uma versão para impressão.
Vantagens de se usar CSS Nada de impor uma mídia em função da outra.
Enumeram-se várias e efetivas vantagens em se usar CSS para Sei que aprender corretamente CSS e layout de CSS, para que
formatar os novos documentos produzidos para a web ou migrar os possamos fazer o que acima mencionamos, leva tempo e dedicação.
documentos atuais, escritos em HTML com formatação no código. No mínimo de 30 horas somente para este assunto.
E, dentre estas vantagens, destaca-se a facilidade de A criatividade e as CSS
manutenção e atualização do site. Qualquer item de apresentação do Desenvolver sites em conformidade com as Web Standards,
site é controlado a partir de um único arquivo. prefiro este termo por ser muito mais abrangente do que tableless.
Outra vantagem do uso das CSS para desenvolver sites é a Não interfere em absoluto com a criatividade. Não limita e nem
possibilidade de servir a mesma marcação (X)HTML tanto para um PC expande os horizontes do criador.
quanto para um PDA, ou qualquer outro agente de usuário. Toda criação conseguida à maneira ultrapassada de projetar
Isto é possível graças as folhas de estilos específicas para uma sites é possível de ser replicada em conformidade com as Web
determinada mídia. Standards.
Uma tag <link> colocada na seção HEAD do documento, define A diferença está no fato de que as Web Standards facilitam e
a renderização da forma mais apropriada para o dispositivo que simplificam a execução e manutenção dos efeitos criados pelo
solicitou o documento. designer.
Você escreve uma folha de estilo para: O domínio das técnicas XHTML e CSS em particular e das Web
- mídia print : impressão; Standards em geral é fundamental para desenvolver sites sem
- mídia screen: tela de um monitor; amarras à criatividade.
- mídia handheld: dispositivos portáteis; Desenvolver CSS é substituir <td> por <div>
- mídia projection: projetores; Esta é uma visão equivocada das CSS. O conceito de que um
- outras layout CSS é um documento em que se substitua cada célula de uma
Outra vantagem é a rapidez no desenvolvimento, pois como o tabela por uma DIV é uma afirmativa corrente, feita por total
estilo já está definido, o desenvolvimento e a manutenção de desconhecimento das técnicas CSS de posicionamento.
projetos web passaram a ser menos trabalhosos e mais produtivos.

55
tutorial

Propriedades CSS, as mais variadas possíveis, permitem e tem a sintaxe conforme mostrado abaixo:
manipular a aparência e posição de elementos e seletores em uma seletor { propriedade: valor; }
página sem necessidade de criar divs simulando os mesmos efeitos Seletor: genericamente, é o elemento HTML identificado por
criados por inúmeras células de tabelas. sua tag, ou por uma classe, ou por uma ID, ou etc., e para o qual a
O correto emprego do posicionamento CSS torna o projeto da regra será aplicada;
página muito mais fácil e prático do que o emprego de tabelas. Propriedade: é o atributo do elemento HTML ao qual será
Mas não se esqueça que as tabelas serão usadas, sim, mas aplicada a regra;
apenas para exibição de dados tabulares. Valor: é a característica específica a ser assumida pela
Aprenda CSS propriedade.
Normalmente, a primeira descoberta de quem se interessa por Na sintaxe de uma regra CSS, escreve-se o seletor e, a seguir,
CSS é a clássica retirada do sublinhado dos links. A seguir, a a propriedade e o valor separados por dois pontos e entre chaves { }.
descoberta de que é possível alterar o estado dos links com a:link, Quando mais de uma propriedade for definida na regra, deve-
a:visited, a:hover, a:active. se usar ponto-e-vírgula para separá-las. O ponto-e-vírgula é
Na sequência, a descoberta das classes CSS e a conseqüente facultativo no caso de propriedade única, e facultativo também após
manipulação das propriedades das fontes. Tudo muito fácil de a declaração da última propriedade no caso de mais de uma.
aprender e usar. Tudo trivial. No entanto, é de boa técnica usar-se sempre o ponto-e-vírgula
A partir daqui, surge a primeira dificuldade: após cada regra para uma propriedade.
Como estilizar de maneira diferente links em uma mesma página? Exemplos de regras CSS
A maioria consegue resposta a esta dúvida. body { background-color: #FF0000;}
Muitos páram por aqui e consideram estar usando todo o Define uma cor de fundo vermelha para a página.
potencial das CSS. h1 { font-size: 22px;}
Este é um grave problema das pessoas que estudam o CSS. Define um tamanho de fonte de 18 pixels para os cabeçalhos de nível 1.
CSS é muito mais do que retirar sublinhados de links e mudar a:link { text-decoration: none;}
cor de fonte. Retira o sublinhado padrão dos links.
Alguns seguem adiante e ensaiam seus primeiros #conteudo p { font-style: italic; color: #FF0000;}
posicionamentos com CSS projetando e manipulando DIV’s. Destes, Define uma fonte em itálico e na cor vermelha para os
a maioria desiste por achar que é mais fácil posicionar com tabela. Os parágrafos contidos na DIV denominada conteúdo.
poucos que ultrapassam esta fase projetam seus primeiros layouts Vejamos um pedaço de um arquivo CSS.
sem tabelas e acabam por descobrir todo o potencial das CSS. body {
A regra CSS e sua sintaxe margin: 10px 0px; padding:0px;
Uma regra CSS é uma declaração que segue uma sintaxe text-align: center;
própria e que define como será aplicado estilo a um ou mais background-color: #fff;
elementos HTML. }
Um conjunto de regras CSS forma uma Folha de Estilos. Uma Estes códigos são digitados em um arquivo texto, cuja extensão
regra CSS, na sua forma mais elementar, compõe-se de três partes: é .CSS
- um seletor; Em nosso próximo tutorial daremos seqüência ao estudo do
- uma propriedade; CSS. Até lá!.
- um valor.

56
57
Bruno Rodrigues
webwriting

Autor do primeiro livro brasileiro e terceiro no mundo sobre conteúdo online, intitulado
“Webwriting - Pensando o texto para a mídia digital”. É coordenador de informação do
website Petrobras e titular da primeira coluna sobre Webwriting no mundo, elaborada
desde 1998 e hoje veiculada na revista online “WebInsider”. Ministra treinamento de
Webwriting e Arquitetura da Informação no Brasil e no exterior.
bruno-rodrigues@uol.com.br

O pesadelo de Flávia Pipoca


Flávia Pipoca é antenada. Editora de conteúdo de um grande portal na internet, para Flávia não há
dúvida quando o assunto é webwriting. Nossa colega participa de workshops sobre o tema no Brasil e no
exterior, é figurinha fácil em listas de discussão, é mestre em criar textos objetivos, criativos e impecáveis.
Informação digital é com ela, e o mundo online corre em suas veias. Ou seja, Flávia Pipoca é tudo!
Mas – coitada! – Flávia Pipoca está angustiada. Suas noites têm sido um horror, terríveis pesadelos
a atormentarem sua mente. A equipe de Flávia já percebeu que sua líder anda nervosa, estressada,
irritada. Mas não há o que fazer – o Usuário a descobriu.
Pelo que se ouve nos corredores, tudo teria começado com um e-mail, reclamação de um
acionista sobre um texto do site. “Quanto blá-blá-blá”, ele esbravejava em letras garrafais.
Foi então, que Flávia Pipoca pirou. Começou a falar sozinha, e muitos juram tê-la ouvido sussurrando
frases que sempre terminavam em “... o meu conteúdo!”. Quem ousava encará-la era fuzilada com ódio, como
um espião em território inimigo. A cada e-mail ‘abusivo’, novas olheiras, mais ranger de dentes, outros olhares.
Contudo, na noite de ontem, anunciou-se a tragédia. Era final de expediente e mais uma mensagem
adentrou a caixa de e-mails de Flávia Pipoca. “Nunca vi informações tão resumidas sobre um assunto tão
importante”, reclamava um pesquisador sobre as páginas de responsabilidade social do site.
Flávia Pipoca dispensou a carona do estagiário, mandou às favas o happy-hour com as amigas e
rumou para casa. Sentou-se no sofá da sala, as luzes apagadas, e contou cada segundo no relógio até
meia-noite. Havia um estranho sorriso em seus lábios quando saiu de casa, de volta ao escritório.
Pelo que o faxineiro contou à polícia naquela madrugada, deve ter sido uma cena aterradora.
Rodopiando entre os computadores, gargalhando alto, Flávia Pipoca comemorava a execução do recurso
final: o envio de uma delicada mensagem de agradecimento pela constante visitação a cada um dos
usuários cadastrados no site... Contudo, atachado ao e-mail, seguia, sorrateiro, o temido vírus
tô_nem_aí.exe, pronto para a vingança – a partir daquela noite, nenhum usuário poderia mais enviar
novas mensagens pelo ‘Fale Conosco’ do site da vitoriosa Flávia Pipoca! Ela estava livre: nenhuma
sugestão, nenhuma reclamação.
Nossa amiga foi internada em uma unidade de terapia intensiva da clínica de Figmund Seud,
especialista em distúrbios da internet – aquele que, há alguns anos, cuidou de executivos em frangalhos
com a quantidade indecente de e-mails a responder.
Ao longo de várias semanas, o doutor Seud explicou à transtornada Flávia Pipoca os conceitos da
nova realidade em que vivemos, na qual o usuário não só pode quanto deve interferir em todo o conteúdo
informativo dos sites. A seguir, reproduzo três bons conselhos que surtiram efeito ao longo do tratamento
da estressada Flávia, e que podem ajudá-lo a entender o novo momento:

58
webwriting
“ Questione – sempre. Coloque-se no lugar do
presidente da empresa e, ao mesmo tempo ,perceba-
se como usuário”

O usuário é seu cliente. Não há como adivinhar do quê seu uma página web sem a participação do usuário, é como achar que o site
usuário precisa – há que perguntar a ele . A equação certa para está bom, apenas porque a informação está lá – em algum lugar...
disponibilizar um conteúdo sempre perfeito deve ser o equilíbrio entre o O usuário é você. Questione – sempre. Coloque-se no lugar do
objetivo do site e qual tipo de informação o usuário – seu cliente – presidente da empresa e, ao mesmo tempo, perceba-se como usuário.
necessita. Desta forma, todos saem ganhando: o site, que comunica o O porquê de uma informação estar no site deve sempre ser dissecado.
que é essencial, e o usuário, que acessa um conteúdo sem excessos. Errar no alvo da informação é dinheiro gasto à toa para a empresa e
O usuário é seu chefe. Como a informação deve ser insatisfação sem dinheiro de volta para o usuário.
disponibilizada é tarefa que precisa envolver um trabalho árduo de Subestimar quem está do outro lado do monitor não apenas é
arquitetura da informação e aplicação de testes de usabilidade ao site. O demonstração de falta de conhecimento sobre internet, mas também faz
usuário deve mandar e desmandar em que posição deseja achar a tremer um dos principais pilares da Rede - a credibilidade.
informação. Percebe-se, então, que construir a estrutura editorial de Portanto, todo o cuidado é pouco!

59
marketing

René de Paula Jr.


Diretor de conteúdo do Yahoo Brasil, René é profissional de internet desde 1996, passou
pelas maiores agências e empresas do país: Wunderman, AlmapBBDO, Agência Click,
Banco Real ABN AMRO. É criador da “usina.com”, portal focado no mundo online, e do
“radinho de pilha” (www.radinhodepilha.com), comunidade de profissionais da área.
rene@usina.com

Dicas de dança por um peso-pesado

Você vai ficando mais velho e o que era elogio passa a te deixar com um pé atrás. Por
exemplo: ser um profissional "sênior" indica uma trajetória profissional longa e rica ou quer dizer
que... por decurso de prazo você já virou um "ex-jovem"?
E ser um "peso-pesado"? Significa que você precisa retomar a dieta a-go-ra ou que a sua
atuação é poderosa e faz diferença no jogo de forças?
Pelo sim, pelo não, essa semana eu me inscrevo numa academia. :)
Se você não for tão sênior assim, talvez nunca tenha ouvido falar de um peso-pesado
magnífico, o Cassius Clay. Já? Não? Mohammed Ali, então? Também não? Céus... quem mandou
eu ter 40 anos, enfim?
Vamos lá: Mohammed Ali e Cassius Clay são o mesmo pugilista, e o nome árabe foi adotado
quando ele se converteu ao islamismo como o Cat Stevens (o que, na pré-história da minha
juventude, era um gesto anti-guerra e pacifista, pasme).
Eu ia sugerir que você pesquisasse a respeito por conta própria, mas me esqueci que a tua
referência de peso-pesado deve ser algo furioso e bestial como Mike Tyson, cuja colaboração
artística para a humanidade foi arrancar com os dentes uma orelha alheia, e isso não deve te
animar muito.
Esqueça o Tyson. Cassius Clay era elegantíssimo no ringue, um dançarino. Mais: fora dos
ringues era um ativista político, um negro consciente, um ídolo pop e, pasme, um belo frasista.
É dele a frase que me inspirou esse artigo: "fly like a butterfly, but sting like a bee", voe
como uma borboleta, mas ferroe como uma abelha. Lindo, não? Exceto, claro, para quem,
confuso de ver aquele gigante dançando em torno de si, recebia o murro certeiro e beijava a lona.
E o que tem a ver o conselho de um boxeur com nosso ofício de zeros e uns?
Simples: muitos dos grandes tapas-na-cara digitais hoje, muitas das porradas
nocauteadoras no digimundo são... simples.
Não?
Pense nas páginas de busca. Pense nos messengers. Pense nos blogs. Voam como
borboletas, não? Você os acessa de todo lugar, em qualquer máquina, em palms, em celulares...
Não importa onde, eles pousam com graça e leveza sempre. A hora que você os aciona, porém,
são rápidos e certeiros. Como uma abelha. Viram só? Ou vocês pensavam que abelhinhas e
flores só serviam pra (não) falar de sexo?

60
marketing
“Pense nas páginas de busca. Pense nos
messengers. Pense nos blogs. Voam como
borboletas, não? Você os acessa de todo lugar”

Agora pense naquele site super instigante-original- favoritos usando metatags, você compra produtos baseado
multimídia que você viu uma vez só, achou lin-do, mas nunca nos reviews de outros consumidores...
mais usou porque ele não te agregava em nada. Well, de cara É assim que os pesos-pesados do digimundo estão
me lembro de uns 3. lutando hoje, num estilo que mistura leveza, rapidez e
Eu creio, porém, que o Cassius Clay não tenha jamais integração. Preste atenção, compare os campeões, estude
sido picado por uma abelha. Você já foi? OK, dói, mas como se seus movimentos.
não bastasse a picada, a abelha continua se batendo contra E torça fervorosamente, como eu, pelos milhões de
você insanamente, batendo, batendo, até morrer. Muito usuários que estão ganhando asas.
estranho (e contra as regras do pugilismo, imagino).
Sabe por que ela faz isso? Antes de morrer, ela vai te
marcando com um odor que avisa às outras abelhas que você é
um inimigo. As outras abelhas sentem o cheiro que ela deixou
em você e te picam também. Aí que mora o perigo: uma picada
leva a muuuuuitas outras.
Tem outra grande lição aí: abelhas não só ferroam forte,
mas também colaboram entre si, trocam informações, e assim
derrotam qualquer inimigo. E as coisas mais bacanas que
temos hoje no digimundo funcionam da mesma maneira: as
"borboletas" digitais não só voam com elegância, mas também
se comunicam entre si. Teu messenger te avisa do email que
chegou e das últimas notícias, teu webmail te avisa por SMS de
uma mensagem urgente, você escolhe quais fontes de notícia
tua home vai "escutar" por RSS, você compartilha teus

61
bula da Catunda

Marcela Catunda
Trabalhou na TV Globo, TV Bandeirantes, TV Gazeta, Manchete e SBT. Foi redatora da
DM9DDB e Supervisora de Criação de Mídia Interativa da Publicis Salles Norton.
É sócia do site Banheiro Feminino, está no Orkut e trabalha como autônoma.
marcelacatunda@terra.com.br

Eu tive Kikos Marinhos


Comecei criando-os numa tigela de gelatina rachada. Minha mãe não admitia a hipótese de
me dar um aquário pra esse fim. Então, papai deu um jeito na rachadura e comecei a minha
criação de Kikos Marinhos. Na escola, a conversa era:

- Eu já tenho um vermelho com tridente. – dizia uma.


- Igual o da embalagem? – dizia a outra.
- Ahãm. E bem maior. – claro, ela tinha que esnobar.
- E os seus Marcelinha? – me chamavam assim no primário.
- Os meus morrem. Viram no máximo sapinhos coloridos. – respondi.
- Sapos coloridos? – perguntou uma.
- E com tridente, claro. – expliquei.
- Tridente como o do Kikos da embalagem? – perguntou a outra.
- Sim, mas só que beeeem maior. – esnobei. Ah, tão pensando o quê?

Meus Kikos não vingaram. Aliás, o único Kiko que eu tive contato na vida e pude provar que
existia foi o Zambianchi. Mas isso, muitos anos depois, quando as pedras rolaram e minha tigela
jazia em algum lixão da cidade.
Depois dos Kikos tentei criar joaninhas, após assistir uma brilhante exibição do Circo de
Pulgas no programa do Silvio (que eu tinha que assistir escondida). O pior é que é a mesma fita
que eles passam até hoje, alguns vinte tantos anos depois...
Meu circo não deu certo, alguns anos passaram e, então, resolvi criar peixes. Walter D’
ávilla foi minha primeira aquisição. Um desses peixinhos transparentes que a gente consegue
ver por dentro. Ele navegava num gigantesco aquário, livre, solto, sozinho. É! Walter
precisava de amigos. Daí, chegou Paula Saldanha, Eliza Cristina, Pluft, Plact e Zum. Eles se
deram bem. Tão bem que se envolveram emocionalmente e logo meu aquário estava lotado de
peixinhos. Fomos felizes por um longo tempo, mas o tal aquário dava o maior trabalhão e, com
a morte de Walter e seus amigos, fui ficando sem estímulo e resolvi passar o aquário adiante dois
dias depois de comprar Atchim & Espirro, dois peixes palhaço.
Nada criado por mim em território líquido dava certo. Nem Mark Harris, meu escafandrista
(nome dado em homenagem ao péssimo ator Patrick Duffy que interpretava o Homem do Fundo
do Mar) sobreviveu após meu fracasso como criadora de peixes.

62
bula da Catunda
“ Nem todo dia a cabeça acorda com vontade
criativa o suficiente pra concluir raciocínios
interessantes. Daí, o que eu dou de comer pro
meu Blog?”

É! Definitivamente eu não era uma pessoa com talentos meu monitor como quem vê seu aquário de peixinhos coloridos
para criações. Será? Meus gatos sobrevivem felizes deslizando minguar. Tem pouco texto. Saco!
suas patas peludas pelo assoalho encerado do meu O sol acorda radiante e resolvo abastecê-lo. Separo
apartamento. E eles se divertem pacas. Tudo que eles antigos textos, dou um tapa em outros parados em pontos
precisam é de ração fresquinha, água e carinho para que seus doc. e encaro a ferramenta: postar texto. E, claro, ela não
tufos de pelos se espalhem pelo ar como pluminhas de Dentes funciona, ou pior, funciona e posta um texto cheio de erros de
de Leão. português, alemão, francês... Socorro! Michel, como eu tiro
Depois de criar Kikos, joaninhas amestradas, peixes e isso daqui?
alguns casos, agora eu criei um Blog que, assim como os Kikos, Dias depois, encaro novamente o papel mãe de Blog e
não estou dando conta de fazer crescer. Ai Deus, onde eu vou até lá postar um textinho e, pra minha surpresa, eu não
tava com a cabeça? existo mais. Caraca! O que aconteceu? Morri? E daí, um pau na
Blog são Kikos Marinhos. A gente não sabe que bicho ferramenta me faz repensar a minha vida. Esse Blog já tá me
vai dar daquilo. A gente tem que alimentar, ficar olhando de enchendo, penso.
quando em quando, tornando a coisa interativa e suportando Sobem créditos.
a culpa de não ser também uma boa criadora de Blog. FIM.
Nem todo dia a cabeça acorda com vontade criativa o ps – pra quem não conhece um Kiko Marinho ou o
suficiente pra concluir raciocínios interessantes. Daí, o que eu Zambianchi, é só entrar no Google e dar uma buscadinha.
dou de comer pro meu Blog? Então, me pego olhando para Você vai encontrar os dois na mesma palavra- chave.

63
webdesign

Luli Radfahrer
PhD em Comunicação Digital, já dirigiu a divisão de internet de algumas das maiores
agências de propaganda e de alguns dos maiores portais do Brasil. Hoje, é Professor-
Doutor da ECA-USP, Diretor Associado do Museu de Arte Contemporânea e consultor
independente. Autor do livro ‘design/web/design:2’, administra uma comunidade de
difusão do conhecimento digital pelo País.
webdesign@luli.com.br

A pressa é a pior inimiga da refação


Todo mundo quer tudo para ontem. Talvez seja por isso que tanta
gente vire a noite procurando corrigir o que fez com pressa.

Há algumas semanas, dormi fora de casa e larguei meu carro na rua. Quando fui buscá-lo no dia
seguinte, para minha enorme surpresa, ele estava cercado por uma feira livre, exatamente entre uma das
barracas de peixe e uma das de frango. Ao constatar que não sairia de lá nem se voasse – estava
debaixo de uma árvore – minha primeira preocupação foi ver se havia incomodado alguém e, é claro, se
tinha sofrido algum dano. Feirantes são versáteis: como não conseguiram encontrar o dono do carro, não
se fizeram de rogados, formaram um grupo e o tiraram do caminho, sem maiores preocupações.
Como não haveria nada a ser feito, não me sobrava nada para fazer. Me identifiquei, pedi milhões
de desculpas e saí de lá disposto a pegar um táxi para meus compromissos e só voltar por volta das três
da tarde. Foi quando me dei conta: que compromissos? Checando rapidamente a agenda, vi que tinha
uma reunião cuja presença não era tão fundamental e um almoço que poderia ser adiado. Já que estava
com o notebook e o celular, resolvi ficar por lá mesmo e adiantar o serviço.
Fui a um café e pedi um sanduíche, só para descobrir que tanto o computador quanto o telefone
estavam sem bateria. Não haveria nada para fazer senão esperar. Ao contrário do que imaginava, isso
me deu uma profunda calma. Não seria tanto o tempo perdido: de manhã o telefone mal toca, são poucas
as coisas que acontecem e tudo poderia ser facilmente resolvido com um trabalho mais concentrado à
tarde. Larguei minhas coisas no carro (considerada sua imobilidade e o número de pessoas a olhar por ele,
certamente estava bastante seguro) e fui passear pelo bairro.
Fazia muito tempo que não andava a pé sem destino e tinha até me esquecido o quanto gosto disso.
Sem pára-brisa e retrovisor, desaparecem as telas e as paisagens ficam tridimensionais, com as cores,
cheiros e formas ao alcance. Mais do que isso, tudo fica mais lento, seguindo seus ritmos naturais. Um
quilômetro ladeira abaixo pode significar 400 metros ladeira acima, 600 quando o vento está contra, 200
se chover... Com o tempo certo para se observar o ambiente, tudo pode ser degustado com maior
cuidado. Como em uma pintura, escultura, fotografia, ou rosto: quanto mais se olha, melhor se vê.
Subprodutos da tecnologia de informação, a velocidade e o imediatismo viraram uma obsessão nos
dias de hoje. As pessoas são escravas do relógio e tudo tem que ser feito “para ontem”. A sobrecarga é
tão grande que mal sobra tempo para comer, e dormir oito horas por noite ou ter dois dias de descanso no
final da semana soam como um luxo desnecessário. Mas seriam mesmo? Será que a tecnologia eliminou a
necessidade de lazer e a única possibilidade de trabalho para o futuro é voltar a regimes piores que os que
antecederam a revolução industrial?
Você já parou para se perguntar por que as pessoas chamam todos os elevadores disponíveis? Ou
por que apertam duas ou três vezes o botão do andar desejado? Por que se comportam como cães

64
webdesign
“ Desesperadamente, tentamos encontrar sentido e
buscar novas formas de adaptação. Em vão. Não há
tempo para isso. As pessoas estão tão tensas que clicam
duas vezes em um interruptor para acender a luz.”

raivosos e mudam de faixa desesperadamente em um


congestionamento ou tentam ocupar todas as filas das caixas de um
supermercado ou banco? Por que estão sempre atrasadas e com
pressa e, nessa pressa, tomam atitudes egoístas que tornam todos
os processos ainda mais lentos? Por que raios correm tanto nas
estradas a caminho da praia, se estão indo lá para descansar?
Vivemos em um mundo sobrecarregado de estímulos: nas ruas,
carros, casas, praias, jogos de futebol, há muita multimídia, muita
instalação, muita interferência. Os antigos meios de transmissão de
informação e cultura, das salas de aulas aos telejornais, agora
pedem interação, participação, opinião. O mundo conectado e
interligado corre a uma velocidade artificialmente acelerada pelos
computadores e curiosamente chamada de “tempo real”, em que não possível ver com calma o desafio proposto pelo trabalho e, a partir
há tempo para descanso, quanto mais para reflexão. dele, criar uma solução criativa, relevante e sensata, de uma só
Desesperadamente, tentamos encontrar sentido e buscar novas vez. Com calma para se ler o briefing e matar dúvidas com seu
formas de adaptação. Em vão. Não há tempo para isso. As pessoas cliente, não se assumem decisões nem se repetem soluções
estão tão tensas que clicam duas vezes em um interruptor para prontas e o resultado é que seu trabalho sai melhor, mais focado e
acender a luz. eficiente.
Para piorar, enquanto exigimos dos nossos corpos a velocidade Isso não significa ser folgado ou preguiçoso, mas focar a
de um carro de corrida, damos a eles a manutenção de um jipe atenção e realizar uma tarefa de cada vez – responder a e-mails,
descuidado: alimentação inadequada, instabilidade afetiva e falar com amigos via MSN, tudo isso tem sua hora e, nessa hora,
profissional, sexo inseguro ou de má qualidade, pouco sono, solidão não deve ser interrompido por algo tão besta quanto trabalho.
e diversas outras formas de restrição ao prazer. Extraímos do solo Acima de tudo, não se esqueça que tempo real é o que nós,
cerebral todas as suas riquezas e não nos preocupamos em repô-las, humanos, usamos. Não aquele outro que os computadores tentam
achando que são infinitas. Nesse ambiente, o estresse é endêmico e nos convencer que é o real.
inevitável, a aceleração tem limite e a qualidade de vida de ideal Quanto ao meu carro, o retirei sem problemas no final da
hippie passa a exigência obrigatória. feira. Ainda bem que não ofereceram nenhum lance por ele (se o
É preciso aprender a relaxar, a meditar no sentido mais literal e fizessem, tomara que não fosse no fim da feira, em que os preços
menos místico da palavra, cuja origem vem de medir, refletir, são mais baratos). O mais engraçado da história foi o feirante,
ponderar. Entender a situação em que se está, dar os pesos que, ao posar para uma foto, disse que queria colocá-la no
devidos às circunstâncias e valorizar o que realmente faz sentido. Orkut.
Organizar os fatos na mente e traçar caminhos, pois, se não
entendemos o tempo, nos tornamos vítimas dele. Só assim será

65
66