Você está na página 1de 3

2º TEMA –

A INTIMIDADE DE E COM DEUS – SL 27

1/ Os salmos do hóspede de Yhaveh (Sl 4; 5; 16; 23; 27;...)

O salmo 27 faz parte de um conjunto de salmos que tem por tema de fundo o acolhimento, o
hóspede, o habitar juntos, viver juntos.

Estes salmos apresentam-nos Israel :


• Personificado num Levita, um Rei ou um Justo.
• Transtornado, inquieto, marcado, pela singularidade do seu destino de povo escolhido
chamado à parte, consagrado, em contraponto com a prosperidade das nações.
• Tentado pelo sincretismo: imitação dos povos pagãos ; tentação de se acomodar ao mundo.
• Que pede a luz para compreender o sentido da sua existência de povo consagrado.
• Que pede a confirmação da sua eleição e missão, solicitando uma inspiração, um oráculo, …
(em momentos de crise procura-se a resposta em Deus e não noutras coisas).
Israel recebe a certeza de ter a melhor parte (sl 15,5-6) que é a intimidade com Deus:
• A felicidade desta intimidade « contigo » é a alegria, satisfação, plenitude.
• Acção de graças e confiança: o hóspede de Yhaveh está plenamente seguro, ele é objecto de
uma protecção vigilante e de uma terna solicitude.
Esta intimidade não acaba com a morte. É para sempre. Assim ele tem forças para se distanciar dos
ímpios aos quais quase sucumbiu.

2/ Salmo 27(26)

a) Estrutura do salmo:
• Declaração inicial de confiança (1-3)
• Desejo ardente de habitar no templo do Senhor (4a)
• Solicitude do hóspede (4b-6)
• Pedidos do convidado, muito naturais nesta intimidade (7-13) : Invocação (8) ; motivações
(8) ; pedidos (9-12) ; expressão de confiança (13)
• Resposta do hóspede, iluminação, oráculo (14)

b) Elementos importantes do salmo.


• O templo: É a habitação de Deus e objecto único da sua procura (4 : uma só coisa…). Ele
quer viver todos os dias na intimidade de Deus: Jesus dirá à Samaritana: os verdadeiros
adoradores, adorarão Deus em espírito e verdade.
• «Para saborear seu encanto» (4). Experiência saborosa do encanto, da doçura de Deus, a
consolação, a segurança, a paz,… Outras expressões : «Ele me abrigará na sua cabana»,
que indica protecção e ternura; «esconder-me no interior da sua tenda», que quer dizer, pôr
de parte o que há de mais precioso;
• Os v 9-10 : felicidade da intimidade suporta os pedidos: «uma só coisa peço ao Senhor».
• No v13 Israel teve a certeza, a iluminação: « Creio firmemente, vir a contemplar a bondade
do Senhor na terra dos vivos»

• Neste salmo Israel recorda-se do seu passado, o seu presente e anuncia o futuro:
Passado :
• Abandonado à nascença (Egipto) e recolhido por Yahveh (10).
• A tenda, a cabana … lembrança do deserto (5). O tempo do noivado Deus – Povo
• O tempo da adversidade (5) ; As lutas incessantes com os Filisteus
• Coloca-me no alto de um rochedo (5) : alusão à conquista de Jerusalém por David

Presente :
• Período de organização política : os inimigos que rodeiam (6), perseguem (11), esperam
ver se Israel cai, se o seu Deus é poderoso e seu aliado, porque eles negam a realidade da
aliança. São os chamados caluniadores, porque negam aquele que é o fundamento do seu
ser, da sua vida.
• Daí o pedido dirigido ao seu hóspede : «conduz-me por sendas direitas» (11-12). (O
caluniador põe à prova a nossa fé, a nossa confiança, injecta dúvidas e desconfiança. Mas
Deus coloca-nos num rochedo).

O futuro :
• «Coragem, sê forte e corajoso, confia no Senhor» (14). É a conquista da terra. Não
material, mas espiritual. É entrar na posse da terra dos verdadeiros vivos, quando Israel se
desembaraçar de toda a idolatria, evitar a acomodação e o sincretismo, não se deixar
contaminar pelos critérios do mundo; preservar uma alma de povo em marcha, onde Deus é
o guia, o único Deus e guia. Daí a insistência das súplicas (8-12) : “ouve Senhor a voz da
minha súplica; tem compaixão e responde-me (7) ; não desvies de mim o teu rosto… não me
rejeites nem me abandones (9)”.

• A confiança é a coluna vertebral do salmo (1-3) ; Ela inspira a segurança (4-6), suporta as
súplicas (8-12). Esta confiança é expressa também no oráculo final (14). Confiança para
compreender, feita de coragem, de força e alegria. Confiança que ama e procura a
intimidade de Deus na calma e no silêncio: «Marta, Marta… uma só coisa é necessária» :
Uma só coisa : procurar a sua face (8), conhecer o seu encanto e doçura (4), receber, como
Maria, a sua palavra e a guardar no seu coração.

É o salmo de todos os que vivem em Igreja, em comunidade, povo de Deus em marcha. A


comunidade da qual o Cristo é a luz, o bem, o amigo, o esposo, seu Senhor ressuscitado. A
comunidade que é o templo e a terra dos verdadeiros vivos, mas que deve combater ainda por esta
terra : o Reino. Mas como o povo de Israel, e em Igreja, comunidade, estamos destinados à vitória.

Para reflectir e rezar individualmente (a proposta é que cada jovem tenham cerca de 30 min para
pensar e rezar sozinho num local à sua escolha):

Rezar o salmo 131


O que tiro de importante da reflexão?
• Ler e rezar um dos salmos propostos: Sl 4; 5; 15; 16; 23; 27; 84; - Como é a minha
intimidade com Deus?
• Ou um dos textos de S. Paulo: Gal. 1, 15-24; Act. 13, 1-3; Act. 22, 6-15 - Já sentiste algum
encontro especial com JC? Como foi?
Termina manifestando ao Senhor como gostarias que fosse a tua relação com ele.
Escrever resumo ou oração final

Para a oração comunitária (partilha em grupo do momento anterior):

Cântico
Durante o cântico cada um acende a sua vela
Ler salmo 131
Partilha livre de algum fruto da reflexão ou simplesmente uma oração