Você está na página 1de 75

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

AULA 04 - ASPECTOS DEMOGRÁFICOS – BRASIL E MUNDO

Olá amigos, tudo bem?

Hoje nossa aula abordará um assunto que muita gente acha

chato.

Entretanto,

ele

é

de

suma

importância para

provas de

Atualidades, que vêm, cada vez mais, cobrando aspectos demográficos do Brasil e do mundo.

Além disso, ele não apresenta grandes dificuldades como as pessoas dizem e, por isso, acredito que deve ser uma espécie de “trauma coletivo” (rsrsrs). Assim, amigos, lhes peço boa vontade com esse assunto, ok? Ele faz parte do nosso cotidiano muito mais do que podemos supor e, certamente, é tão querido pelas bancas examinadoras justamente por isso.

Todos preparados? Então vamos lá!

1 - Movimentos

migratórios internacionais e crescimento

demográfico.

Os movimentos migratórios podem ser classificados de várias maneiras, podendo ser inter-regionais, rurais - urbanos e interurbanos. Para ficar mais claro: as migrações podem acontecer tanto dentro de um mesmo país, quanto entre países diferentes. Paralelo a isso, as migrações podem ser entendidas como um dos principais termômetros da desigualdade sócio-econômica no mundo.

A migração internacional foi acelerada nas últimas décadas

devido à globalização, que

se

propunha a

integrar as regiões.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

Atualmente, há cerca de 125

milhões de

imigrantes

em

todo

o

mundo, sendo que 80 milhões são considerados imigrantes "recentes". Vamos entender a diferença!

São considerados imigrantes todos aqueles que saem de seu país de origem rumo a outro. Essa atitude geralmente é movida pela busca de uma vida melhor, menos violenta ou mais abundante de recursos. Com as guerras, o número de imigrantes pelo mundo era bastante significativo, pois as pessoas estavam fugindo da guerra e de todas as tragédias e misérias humanas que ela traz. Porém, quando falo de imigrantes “recentes”, estou me referindo a pessoas que migram pelos motivos que a contemporaneidade lhes impõe e não devido às guerras – ainda que o objetivo seja exatamente o mesmo: a busca por uma vida melhor!

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES Se observarmos o mapa acima, veremos

Se observarmos o mapa acima, veremos que a Europa é o grande destino de imigrantes, devido, sobretudo, à sua excelente qualidade de vida. A Alemanha é o país que mais recebe imigrantes no mundo, chegando a 7 milhões - dos quais 1/7 permanece na ilegalidade.

Assim, pessoal, se há uma certeza que podemos ter quanto a imigrações internacionais é a de que o número cada vez maior de

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

homens, mulheres e crianças que imigram vem causando um grave impacto mundial. Isso porque, por um lado, atinge aos países abandonados e, por outro, aos países ao qual se destinam os imigrantes. Apesar da gravidade e crescimento do problema, as autoridades continuam se recusando a tratar da situação com a seriedade que ela merece.

Em meio à formação de blocos econômicos e negociações de novos acordos comerciais, o debate sobre imigração tem sido jogado para debaixo do tapete – o que acaba legitimando a crescente onda de violência contra imigrantes. A crise econômica internacional, iniciada em fins de 2008, foi um elemento a mais de tensão contra imigrantes, sobretudo contra aqueles que vivem na Europa. As regiões mais afetadas pela crise, como Espanha e Irlanda, registraram a um ano significativo aumento das hostilidades entre imigrantes e trabalhadores locais. Com efeito, os trabalhadores locais ficam inconformados com a concorrência de mão-de-obra estrangeira, geralmente bem mais barata. Assim, a crise acabou evidenciando dissidências perigosas que culminaram em selvageria.

Nesse sentido, notamos um considerável aumento da xenofobia, principalmente na União Européia. As acusações de violência racial aumentaram ao menos em 8 países do bloco desde os atentados do dia 11 de setembro. A verificação foi feita por juntas de Direitos Humanos que, analisando 11 países, encontraram 18 mil casos de agressão contra imigrantes na Alemanha. Esses dados, além de nos assustar, mostram que a migração internacional se transformou num sério problema, que merece a atenção de todos nós.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

É

mister

que

compreendamos, hoje, como a migração

ocorre no cenário mundial para trazermos o tema para o Brasil daqui a pouco. Apesar de imigração não ser um assunto difícil, ele parece ter caído nas graças dos examinadores nos últimos concursos e temos muitas questões para irmos estudando o assunto em cima delas. Portanto, mãos à obra!

(CESPE/ABIN-2008) As migrações internacionais ocupam parte importante das diplomacias e dos serviços de defesa do Estado e dos cidadãos comuns que atravessam fronteiras diariamente, em todo o mundo. A respeito desse tema, julgue os itens seguintes (1 ao 4).

1 ( ) A criminalização crescente das migrações econômicas e

sociais denota

que

o

direito

de

ir

e

vir

da pessoa faz-se

subalterno

ao

privilégio

universal da

livre circulação

dos

capitais.

Comentários

Essa questão traz sobre a separação existente

à tona um importante conhecimento

entre

a

integração de capitais e

o

intercâmbio de pessoas. Como todos nós sabemos, há uma grande expectativa da população de alguns países com relação à qualidade de vida que poderiam ter em outros. Esse sentimento de que o “jardim do vizinho” é sempre mais verde que o nosso (e muitas vezes, é mesmo!) vem aumentando consideravelmente a movimentação de pessoas rumo aos países mais desenvolvidos ou com melhores condições de trabalho. O grande problema é que essa

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

imigração, que muitas vezes ocorre clandestinamente, tem incomodado intensamente os moradores dos países de destino, que se sentem ameaçados pela concorrência de mão-de-obra. Esse incômodo popular vem se refletindo nas recentes leis criadas com o intuito de criminalizar a imigração.

Em maio de 2009, por exemplo, o Parlamento da Itália aprovou um polêmico projeto de lei que criminaliza a imigração ilegal no país. A legislação transforma em crime a entrada irregular em território italiano, prevendo rigorosas medidas repressivas. Dentre as principais medidas, destacamos o estabelecimento de prisão para pessoas que abriguem imigrantes ilegais e o aumento no tempo de detenção provisória dos clandestinos antes da deportação.

Essa

lei

permite

ainda

que

cidadãos

comuns

formem

patrulhas para verificar a existência de imigrantes ilegais no país.

Apesar de estar desarmada, a patrulha exerce uma função investigativa, ou seja, essa lei estimula uma espécie de “caça às bruxas”, aumentando o xenofobismo na Itália. Um exemplo disso é que, depois da aprovação dessa lei, alguns cidadãos, pertencentes à extrema-direita, criaram um grupo que chamam de “Guarda Nacional Italiana” cujos uniformes são enfeitados com símbolos fascistas e nazistas.

É pessoal, por tudo isso podemos dizer que a questão está

certa!

 

2

(

)

Legislações

draconianas,

como

as

que

vêm

sendo

adotadas pela União Européia, expõem, por um lado, a noção

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

de que a função histórica da grande imigração de africanos e asiáticos para o trabalho nas indústrias européias do pós - guerra perdeu função histórica e, por outro, que a reciprocidade internacional em relação à América Latina, formada em parte por imensas levas de desterrados europeus, perdeu valor de direito internacional ante o realismo político dos interesses nacionais e comunitários europeus.

Comentários

O ideal para analisarmos essa questão é dividí-la ao meio para podermos ter uma compreensão total das informações ali

contidas. Uma vez

feito isso, vamos aos conceitos

intrínsecos ao

texto. Para quem não sabe, são chamadas de leis draconianas aquelas consideradas extremamente severas, como as que vêm sendo adotadas pela UE. Na questão acima, demos o exemplo da Itália, mas esse país não é uma exceção.

No segundo semestre de 2008, foi aprovada uma diretriz

que pretendia harmonizar as regras dos países europeus para a

repatriação de imigrantes ilegais, e

em

2010, essa diretriz

foi

transformada em lei. As novas regras integram um processo de organização e endurecimento da política migratória em toda União Européia.

Essa retaliação aos imigrantes é um

forte sinal de que

a

imigração, outrora considerada essencial para o trabalho nas indústrias européias do pós-guerra, perdeu função histórica. Se em tempos de guerra e fome na Europa sua população teve como destino

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

principal países da América Latina, o direito à recíproca perdeu seu valor com as novas leis. Portanto, essa questão também está correta.

3 ( ) As migrações internacionais, amenizadas no continente africano diante do fim do ciclo belicoso interno das últimas décadas do século XX, deixaram de ser um tema relevante das relações interestatais afro-européias.

Comentários

Ora, pessoal, depois de tudo o que escrevi até aqui sobre a polêmica de novas leis de imigração, espero que seja de fácil entendimento que as migrações internacionais nunca foram um assunto tão relevante nas relações interestatais como atualmente.

Portanto, essa questão está errada.

4 ( ) A migração forçada ou enganosa, muitas vezes em forma de tráfico de pessoas, ainda que seja um tema de impacto internacional, possui modesta implicação na segurança dos Estados nacionais neste início de século.

Comentários

As migrações forçadas ou enganosas têm diversas manifestações e causas. Por esse motivo, é fundamental que a sociedade, as organizações internacionais e os governos se detenham sobre episódios tão comuns como os deslocamentos humanos atuais. Este tipo de migração acontece, principalmente, por falhas estruturais, políticas econômicas equivocadas, desordem política,

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

fome e miséria. Pode ser encaixado na migração forçada o caso de europeus e asiáticos que, para se refugiar da guerra, migraram para o Brasil. Também pode ser considerada migração forçada a saída de pessoas de um território em razão de graves violações de direitos humanos.

Mas como temos lido até agora, esse é um assunto de pauta em todos os países mais desenvolvidos do mundo, os quais são os principais destinos dos imigrantes. Imigração hoje está atrelada à segurança dos Estados nacionais e por isso a questão está errada.

2 - Movimentos migratórios internos.

Quando falei sobre o Brasil da década de 50 e 60, toquei, sutilmente, na questão da
Quando falei sobre
o
Brasil da
década de
50
e
60, toquei,
sutilmente,
na
questão
da
migração
interna
ao
abordar
os

deslocamentos de nordestinos rumo ao Sudeste - até então único pólo industrial do país. Mas, afinal, nós sabemos bem o que é esse movimento migratório?

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

Chamamos de movimentos migratórios internos aquelas circulações de pessoas que ocorrem dentro de um mesmo território nacional. Os principais fatores que levam os serem humanos a migrar são motivos econômicos, desastres ecológicos e motivações pessoais

Segundo Milton Santos, as migrações podem ser entendidas como uma expressão espacial dos mecanismos de

modernização. O que isso quer dizer? Significa dizer que o fato de as pessoas se mudarem de um lugar a outro se liga às várias complexidades, exigências e possibilidades que a modernidade trouxe ao ser humano. Dois exemplos muitos conhecidos são as migrações de nordestinos para o norte do país, quando espontaneamente se transformaram em “soldados da borracha”, e as ocorridas na década de 60, em função da seca que se abateu sobre a região. Em ambos os casos, elas expressam uma busca por melhoria na qualidade de vida. Entretanto, as migrações não atingem apenas pessoas sem qualificação, como costumamos pensar num primeiro momento. Na cidade de Recife, uma pesquisa revelou que os funcionários de mais alto nível da SUDENE são oriundos do sul do país ou de estados que não ofereciam oportunidades para a sua qualificação. Assim, podemos dizer que a migração de pessoas e bens é uma consequência da revolução do consumo trazida pela modernização, ou seja, quanto mais poderoso o impacto da modernização, maior será a concentração da produção e, portanto, maiores fluxos migratórios ocorrerão. No caso específico das correntes de migração interna, elas acontecem tanto de uma região para outra no interior do país, quanto

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

entre estados de uma mesma região. Além disso, também pode ocorrer migração do campo para as cidades, chamado de êxodo rural. Observando o mapa abaixo, veremos que o número de pessoas que se deslocam do Norte e Nordeste do Brasil para o Sudeste, é responsável, de longe, pelo maior número de migrantes internos. No mapa abaixo, eles são representados pelos bonequinhos vermelhos, laranja, amarelo e roxo.

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES entre estados de uma mesma região.

Nesse sentido, o Nordeste foi, durante muito tempo considerado uma área de repulsão populacional, ou seja, área que perdia população por diversos fatores, como secas intensas, falta de trabalho, dificuldade das atividades econômicas em absorver ou manter as populações locais etc. É necessário um conjunto de fatores

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

para favorecer a migração, porém os citados podem ser entendidos como alguns dos principais estímulos da migração de nordestinos para Amazônia, Goiás, São Paulo e Rio de Janeiro.

Em contrapartida, determinadas áreas são exatamente o oposto do nordeste, sendo consideradas áreas de atração populacional, justamente por atraírem as populações de outras áreas e oferecerem melhores condições de vida. Aqui, novamente, aparecerão os nomes de São Paulo e Rio de Janeiro, por serem estes estados que durante muitos anos concentraram grande parte das maiores indústrias do Brasil.

O

governo

vem

tomando

medidas

para reduzir essas

disparidades na concentração de indústrias e alguns sucessos já

foram alcançados.

No entanto, quando se pensa ter encontrado o

caminho

para resolver

um

migrações diárias.

problema, eis

que

surge

outro:

as

2.1 Migrações diárias

Até me mudar para uma capital, eu não conhecia de perto o que era exatamente esse tipo de migração, não tão conhecida como as migrações nordestinas ou sulistas. Numa cidade pequena, por mais longe que se trabalhe, não se gasta mais de 30 minutos para chegar ao emprego, pois o trânsito de veículos ainda é relativamente leve, o transporte público costuma dar conta das necessidades da população e a cidade é fisicamente pequena.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

No entanto, se vocês moram em “cidade grande”, devem conhecer bem de perto esse problema da migração diária. Ricos, pobres, classes médias, urbanos ou rurais, todos somos afetados, em maior ou menor grau, pelos fluxos internos diários. Seja dentro do carro, ouvindo música e com ar condicionado ligado, ou apertados dentro de um ônibus lotado, onde mal há lugar para se apoiar, todos nós sabemos (bem!) os efeitos da migração diária.

Esses fluxos apresentam ritmos, dimensões e objetivos variados. Por isso são denominados migrações pendulares, nas quais gostaria de ressaltar dois exemplos que lhes parecerão bem comuns.

O primeiro trata da movimentação diária dos habitantes que trabalham numa cidade e moram ou estudam em outra - comumente chamadas de Cidades-Dormitórios. Como o próprio nome já diz, as pessoas se dirigem a elas praticamente para dormir, uma vez que passam o dia todo no trabalho.

Alguns de

vocês podem ter

pensado assim: ora, por que

esse pessoal não se muda pra perto do trabalho? Por que morar em

uma cidade e trabalhar em outra?

Bem, o principal motivo gerador da existência desses movimentos pendulares diários nas grandes metrópoles está ligado à crescente especulação imobiliária dos lugares mais próximos ao centro produtivo que se alia a baixos salários. Tudo isso empurra o trabalhador para bem longe do seu trabalho, obrigando-o a se utilizar de transporte coletivo, na maior parte das vezes precário ou insufici-

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

ente para atender ao enorme fluxo populacional residente nessas áreas.

Um

exemplo

dessa

prática

é

Brasília

e

suas cidades

satélites. Com um dos metros quadrados mais caros do Brasil, paga- se em média três vezes mais para se morar no Plano Piloto. Enquanto uma kitnet de 30 m 2 custa em média 900 reais por mês no plano, em

uma cidade satélite a 20 km dali, o preço cai para 300. Ora, por mais que os salários nessa cidade sejam mais altos do que a média brasileira, é simplesmente surreal a supervalorização dos imóveis próximos à zona central conhecida como Plano Piloto.

Do mesmo modo, ocorrem esses movimentos que se originam nos núcleos residenciais periféricos em direção aos centros industriais, como encontramos facilmente nas áreas metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

O segundo exemplo diz respeito aos deslocamentos dos bóias-frias, que, geralmente, moram numa pequena cidade ou vilarejo e se dirigem diariamente às fazendas onde há tarefas agrícolas. Seja plantando cana ou colhendo café, esse movimento urbano-rural aumenta ou diminui de acordo com as necessidades dos fazendeiros.

2.2 Migração de campo-cidade ou êxodo rural

Prof. Virginia Guimarães
Prof. Virginia Guimarães

Consiste no deslocamento de grande parcela da população da zona

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

rural para a zona urbana, transferindo-se das atividades econômicas primárias para as secundárias ou terciárias. Esse é, na atualidade, o mais importante movimento de população e ocorre praticamente no mundo todo.

Principalmente nos países subdesenvolvidos, ou em vias de desenvolvimento, a migração do campo para a cidade é tão grande que constitui um verdadeiro êxodo rural. Esse movimento campo/cidade se intensificou no Brasil a partir do surto industrial no Sudeste, iniciado na década de 40.

Entre as causas desse movimento estão os baixos salários recebidos pelo trabalhador rural, a falta de escolas, de assistência médica, mecanização de agricultura, secas e concentração de latifúndios.

Além disso, a atração exercida pela cidade

é

um grande

estímulo à migração, que busca uma oportunidade de alcançar melhor padrão de vida. Assim, muitos imigrantes seguiram para o Sudeste na esperança de alcançar melhores condições e oportunidades de vida que as cidades ofereciam, como empregos, escolas, moradia, profissionalização, assistência médico etc.

Todavia, a grande parte das pessoas oriundas do campo acabou por engrossar as fileiras do subemprego ou mesmo do desemprego, sofrendo sérios problemas socioeconômicos. Um dos reflexos desse fato é a ampliação desordenada e incontrolável das favelas, que cobrem grandes áreas, principalmente nas regiões menos valorizadas das cidades.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

Deste modo, pessoal, enquanto o número de habitantes das cidades aumenta cada vez mais, na zona rural o despovoamento se torna um problema para os agricultores que não substituíram os trabalhadores pelas máquinas, levando à queda da produção e elevação do custo de vida.

Assim, o estatuto do Trabalhador Rural, elaborado em 1964, tinha a intenção de beneficiar o homem do campo, pressionando os latifundiários a arcar com os encargos trabalhistas, como salário mínimo, décimo terceiro salário, férias, etc. No entanto, o tiro acabou saindo pela culatra e muitos proprietários preferiram dispensar boa parte dos empregados a arcar com seus custos, o que acabou por fortalecer o êxodo rural. Além disso, em algumas cidades do interior, os trabalhadores dispensados transformaram-se em bóias-frias, ou seja, pessoas que trabalham apenas em curtos períodos, sem nenhuma garantia.

Entretanto,

na década

de

90, foi registrado

o

fim

das

grandes correntes migratórias e atualmente eles são movimentos

pequenos e bem localizados, em regionais. Agora, ao invés de se

geral, em direção a capitais mudar para São Paulo, os

nordestinos preferem buscar empregos e oportunidades nas próprias

capitais do Nordeste ou em cidades

médias da região.

Tudo isso

acabou por transferir para essa região os problemas que antes eram

tipicamente encontrados nas grandes metrópoles do Centro-Sul do Brasil.

Vejamos como esse assunto pode ser cobrado:

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

5 (CESPE/IRB-2010) - No que se refere ao espaço rural no Brasil, assinale a opção correta.

  • a) ( ) A revalorização do espaço rural como lugar para se trabalhar

e para se viver, uma das recentes transformações ocorridas no

campo, não se relaciona diretamente com as demandas pela terra e com os assentamentos rurais.

  • b) ( ) O Programa de Apoio à Agricultura Familiar (PRONAF), ao

fragmentar o espaço rural, provocou a redução da produtividade agrícola e, como consequência, a redução da oferta de alimentos nas cidades de pequeno e médio porte.

  • c) ( ) Na primeira metade do século XX, o espaço rural brasileiro

caracterizou-se pelas grandes plantações cafeeiras, a que se seguiu a

agricultura familiar com sua pluriatividade e o processo de modernização da base técnica na agropecuária, que caracterizou o final do século.

  • d) ( ) A pluriatividade, realidade da nova concepção de espaço rural

adotada pelo agronegócio, ainda não se incorporou à agricultura

familiar, baseada na agricultura de subsistência.

  • e) ( ) Historicamente, as políticas públicas, visando à exportação,

privilegiaram a agricultura de larga escala, o que forçou o processo

de modernização da agropecuária e contribuiu para o êxodo rural.

Comentários A letra A está errada.

A globalização tem provocado nas

últimas décadas um amplo processo de reestruturação econômica e social, que tem afetado o espaço rural e a agricultura em particular. Mas como assim afetou o espaço rural? E a agricultura?

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

Podemos apontar vários efeitos da globalização no espaço rural e na agricultura. Primeiro, com a abertura comercial, aceleram- se as trocas comerciais e aumenta a competitividade, tendo como base grandes empresas agroindustriais que monopolizam a produção e o comércio em nível mundial. Segundo, surge uma relação próxima entre a agricultura, a indústria e o comércio. Terceiro, o espaço rural deixa de ser um local específico para as atividades agrícolas, passando a ser encarado como um local de residência, lazer e de atividades não-agrícolas.

Sobre

esse

ponto,

é

interessante

notar

que

o

desenvolvimento tecnológico e o aperfeiçoamento dos meios de produção fazem com que as jornadas de trabalho sejam reduzidas,

aumentando o tempo livre das pessoas e, consequentemente, sua expectativa de vida.

Paralelo

a

todas

essas modificações no espaço rural,

valoriza-se crescentemente a questão ambiental, que se torna um fator de competitividade. Seguir à risca os requisitos ambientais é,

inclusive, atualmente, condição para se obter financiamentos públicos.

Hoje em dia, vivencia-se um processo de “revalorização do rural”, por meio da busca de uma qualidade de vida superior à das grandes cidades. Dessa forma, o espaço rural passa a ser encarado como um lugar para se trabalhar e para se viver. As demandas pela terra e os assentamentos rurais estão diretamente relacionados a essa nova forma de ver o “campo”. Isso porque, não tendo logrado

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

êxito nas cidades, os indivíduos desejam voltar ao campo e ter a sua “terrinha” onde morar e trabalhar.

A

letra

B

está

errada.

O

Programa

Nacional

de

Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF) busca financiar projetos individuais ou coletivos que geram renda a agricultores familiares e a assentados da reforma agrária. Dessa forma, busca valorizar a agricultura familiar como importante ator social.

Ao

contrário

do

que

afirma

questão,

o

PRONAF,

ao

proporcionar ótimas condições de acesso a crédito aos pequenos produtores, provocou um aumento da produtividade agrícola e, conseqüentemente, aumento da oferta de alimentos nas cidades de pequeno e médio porte.

A letra C está errada. Nas primeiras três décadas do século XX, o café teve fundamental importância para a economia brasileira, chegando a representar 72,5% das exportações do nosso país. Nessa época, já predominavam as grandes plantações cafeeiras, ao que se sucedeu na década de 60 uma etapa de modernização da atividade agrícola. Esse fenômeno ficou conhecido como “modernização conservadora”, já que não houve modificações na estrutura de poder e da propriedade de terra. A questão está errada justamente por dizer que após a primeira metade do século XX ganha força a agricultura familiar. Pelo contrário, na década de 60, os grandes proprietários aprofundaram mais ainda seu poder.

A letra D está errada. Uma das alterações sociológicas no espaço rural nos últimos tempos é o surgimento do fenômeno da

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

pluriatividade. A pluriatividade ocorre quando os indivíduos que residem no campo passam a trabalhar em atividades agrícolas e não- agrícolas. Mas como assim atividades não-agrícolas? Com a revalorização do campo, cresceu o turismo no espaço rural, dando ensejo ao aparecimento de diversas outras profissões: pedreiros, caseiros, jardineiros, faxineiras e cozinheiras, por exemplo.

A questão está errada porque diz que a pluriatividade não se incorporou à agricultura familiar. Ao contrário, a pluriatividade é uma característica da agricultura familiar .

A letra E está correta. No Brasil, as políticas públicas em matéria agrícola sempre privilegiaram as exportações, o que impulsionou o desenvolvimento e a modernização da agropecuária. Com a modernização, a mão-de-obra passa a ser substituída pela utilização de máquinas. Sendo assim, ocorre o êxodo rural, com alto índice de migrantes do campo para a cidade.

6 (FGV/Analista Legislativo-2008) - A migração é uma das questões mais debatidas no mundo atual. No modelo de pensamento estrutural, os indivíduos não fazem escolhas, ou melhor, não são os indivíduos e suas escolhas individuais que explicam os fluxos e a localização da população. No espaço, que não é mais o espaço da liberdade individual, mas o espaço da estrutura capitalista, é o movimento do capital, sua expansão ou retração, seu deslocamento ou permanência que comandam a mobilidade e a localização do trabalho. (Vainer, Carlos B. Reflexões sobre o poder de mobilizar e imobilizar na contemporaneidade, 2005.)

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

Assinale a única afirmativa que não expressa o pensamento estruturalista.

  • a) ) Os movimentos locacionais e a estrutura do espaço estão

(

submetidos à lógica e à dinâmica do capital.

  • b) ) A mobilidade do trabalhador aparece como manifestação da

(

necessidade do capital e sua mobilidade está submetida a ele.

  • c) ( ) A mobilidade dos trabalhadores resulta de ações racionais

orientadas pelo mercado que dispõe de seu capital humano no livre jogo da oferta e da procura.

  • d) ( ) A mobilidade do trabalhador e o seu desenraizamento são

sinais de que ele é totalmente despossuído dos meios de produção e subsistência, e, portanto, subordinado ao movimento do capital.

  • e) ( ) Os movimentos dos trabalhadores e os deslocamentos das

populações são apenas movimentos reflexos do movimento do capital, que é o verdadeiro protagonista do espaço estrutural.

Comentários:

Mesmo

que

você

não

conhecesse

o pensamento

estruturalista aplicado às migrações, era possível resolver essa questão! Bastava que você fizesse uma interpretação do texto e identificasse que há 4 (quatro) assertivas apresentando visões semelhantes (estruturalistas) e 1(uma) assertiva contradizendo essas idéias. Por isso, sempre dizemos aos alunos: não se assustem com as questões!

São várias as

teorias que existem para explicar os fluxos

migratórios:

Teoria

Microeconômica

Neoclássica,

Teoria

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

Macroeconômica Neoclássica, Teoria do Capital Humano, Teoria Estruturalista, dentre outras.

Segundo

a Teoria Microeconômica Neoclássica, os

indivíduos são seres racionais, que têm capacidade de ordenar hierarquicamente suas preferências, com vistas a maximizar a utilidade de suas escolhas. Assim, o migrante é um indivíduo que

decide migrar baseado em um cálculo de benefícios que realiza.

A Teoria Macroeconômica Neoclássica, por sua vez, entende o fluxo migratório como resultado entre as diferenças geográficas de oferta e demanda por trabalho. O mercado de trabalho é, para os adeptos dessa teoria, o principal determinante das migrações, com deslocamento populacional de regiões com baixo salário ou excesso de mão-de-obra para regiões com altos salários ou escassez de mão-de-obra.

a

Teoria

do

Capital

Humano,

de

caráter

microeconômico, entende as migrações como um investimento em capital humano, em suas diferentes facetas (educação, formação profissional, saúde). Considerando-se as migrações como um investimento em capital humano, os jovens são os mais propensos a migrarem, já que poderão usufruir dos retornos desse investimento por período mais prolongado.

As Teorias Estruturalistas surgiram em 1970, inspiradas na economia política marxista e se opondo à análise das migrações sob o prisma individualista. Essas teorias consideram o migrante como um indivíduo passivo, que não toma decisões racionais, mas

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

são impulsionadas pela lógica e dinâmica do capital. Em outras palavras, o capital é o fundamento dos deslocamentos populacionais, é ele quem determina a lógica das migrações.

Por tudo o que expliquei, pode-se perceber que a única assertiva que contraria a teoria estruturalista é a letra C , segundo a qual “A mobilidade dos trabalhadores resulta de ações racionais orientadas pelo mercado que dispõe de seu

capital humano no livre jogo da oferta e da procura”, o que está relacionado à Teoria do Capital Humano.

3 - A distribuição dos efetivos demográficos no território nacional.

Você sabe o que quer dizer esse título?

Demografia é

o

estudo do povo,

ou

seja,

o

estudo

da

dinâmica de uma determinada sociedade, se ela cresce ou diminui, quais atividades são exercidas dentro dela, em que ela se modifica e em que áreas isso acontece.

Segundo dados do IBGE, entre os anos de 1940 e 2000, a

população brasileira aumentou quatro vezes e o país se

tornou

urbano, subindo sua taxa de

urbanização de 31,3% para 81,2%.

Nesse mesmo período, a população envelheceu, o país conseguiu reduzir em cinco vezes a taxa de analfabetismo e aumentar em três vezes a escolarização de crianças entre 7 e 14 anos. Além disso, a

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

agricultura e

a

pecuária,

que

em

1940 ocupavam

32,6%

da

população, declinou em 2000 para 17,9%.

Aí surge

aquela dúvida: eu preciso

Guardar

porcentagens

e

áreas

de

Definitivamente, não!

saber

esses dados?

desenvolvimento?

Mas

é

imprescindível citarmos para que vocês possam

visualizar com clareza o quanto se

modificou

e

em

que

se

modificou. Por exemplo, a população cresceu quatro vezes, mas cresceu onde? Foi no Norte, no Centro Oeste ou no Sul? Precisamos ver os dados para que a partir daí possamos traçar com perfeição

como

os

efetivos

demográficos

estão

distribuídos

no

território

brasileiro. Para tanto, peguei os dados no site do IBGE para que os

números oficiais não me deixassem mentir e me ajudasse a traçar um desenho o mais preciso possível!

A população do Brasil aumentou de 41,2 milhões em 1940 para 169,8 milhões de habitantes no ano de 2000. Mas para onde foi toda essa gente?

Na década de 40, quando ainda se iniciava a industrialização brasileira, os cinco estados mais populosos do país eram São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Sessenta anos mais tarde, a Bahia trocou de posição com o Rio de Janeiro. Como já sabemos as cidades com maior produção industrial são aquelas que atraem o maior numero de imigrantes em busca de melhores empregos, salários e qualidade de vida num geral. No século XX, essa atração era exercida principalmente pela região

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

Sudeste, mas nos últimos anos o Centro Oeste, o Norte e o Nordeste tiveram um significativo salto na sua produção industrial, atraindo milhares de pessoas para suas cidades e fábricas.

A disseminação das atividades econômicas pelas diferentes regiões é a principal responsável pela mudança no fluxo migratório para essas outras regiões. Ela nos permite intuir duas realidades possíveis. A primeira é que muita gente está migrando para outros locais que não o Sudeste. A segunda possibilidade é que essas pessoas estejam voltando para sua terra natal. Por que é importante lembrarmos disso? Foi essa disseminação industrial que o PAC incentivou e é ela a grande responsável pela nova configuração ou distribuição demográfica brasileira.

Se

antes

o

Sudeste

era

a principal

área

de

atração de

imigrantes internos, atualmente podemos afirmar o aparecimento e a solidificação de outras regiões como novas possibilidades de migração. Esse tipo de deslocamento, ou seja, as migrações intra- regionais têm maior importância no Nordeste e no Sul do Brasil. Desde a década de 80, os fluxos intra regionais e estaduais tornaram-se muito significativos nessas regiões, sobretudo devido à solidificação das metrópoles ao redor de capitais de cada estado.

Atualmente, o Brasil já pode ser considerado um país essencialmente urbano. Portanto, os fluxos migratórios são bem menores do que os que haviam em décadas passadas, quando as pessoas ainda estavam “descobrindo” as cidades. Outro fator que contribuiu bastante para a diminuição do fluxo migratório, sobretudo do Nordeste para o Sudeste, foi o estabelecimento de ações sociais

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

como o “Fome Zero” e o “Bolsa Família”, além do “Bolsa Estiagem” que minimizaram o problema da seca.

Por favor, não entendam isso como uma defesa partidária, a única coisa que quero frisar aqui é que, em outros tempos, a seca era um dos grande motivos de migração, pois não havia como preencher as necessidades básicas alimentares. Entretanto, agora, com o auxílio do governo por meio desses programas sociais, aquelas pessoas têm o seu problema mais imediato resolvido: a fome. Assim, não há mais necessidade de migrar para que a família não morra de fome, o que lhes confere ânimo em permanecer em sua terra natal.

Mas é claro, pessoal, que, por si só, programas sociais não resolvem a vida de ninguém, não é mesmo? Eles poderiam adiar a migração, mas em algum momento ela ocorreria, afinal, além de comida, o ser humano possui outras necessidades que, uma vez suprimida a fome, se afloram. Portanto, é imprescindível que outras políticas sejam concomitantes às ações sociais, como os incentivos fiscais dados pelo governo às grandes empresas e a realização de melhorias na infra-estrutura.

E

foi

com

essas

iniciativas que a Bahia “ganhou” o pólo

petroquímico de Camaçari e o Ceará conquistou indústrias têxteis e de calçados. Além disso, essa região tem maior proximidade com a Europa, o que favorece o comércio internacional, já que reduz os custos com o transporte.

Outra área muitíssimo

beneficiada com as melhorias da

infra-estrutura

foi

o

Centro-Oeste.

Com

isso,

o

Mato

Grosso

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

corresponde hoje a 53% de toda a produção de algodão do Brasil. Além disso, esse estado destaca-se, juntamente com o Norte, em relação ao rebanho bovino, em que juntos representam mais da metade da produção nacional.

Outro fator importante para o desenvolvimento da região Centro-Oeste que não pode ser esquecido é a construção de Brasília. A fundação dessa cidade, que completou em abril de 2010 exatos 50 anos, levou milhares de pessoas para viver em seu entorno e atingiu em cheio a dinâmica econômica da região.

O Norte se destaca pelos empregos que oferece na produção de minerais metálicos, como ferro e alumínio, e no extrativismo vegetal. Além disso, no Amazonas a zona franca de Manaus é um dos principais pólos industriais do país, que conta com um permanente crescimento.

Por

fim,

do

outro

lado

do

Brasil, a

região Sul tem sua

economia ligada diretamente ao MERCOSUL. Isso porque ela mantém uma indústria forte no setor metalúrgico, automobilístico, têxtil e, sobretudo, na produção agrícola. Além da produção de cebola, maçã e alho, essa região responde por quase metade de toda a produção de grãos do país.

Bem, amigos, até agora falei mais da distribuição regional das atividades econômicas, mas vejamos alguns dados relevantes para compreender melhor a demografia brasileira:

As 10 Cidades mais populosas do Brasil

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Brasília, Fortaleza, Belo Horizonte, Curitiba Manaus, Recife e Belém.

Religião mais praticada

Apesar

do

crescimento

significativo

do

número

de

evangélicos o Catolicismo ainda corresponde a mais de 70% da população brasileira. Entretanto, dentro do território nacional, a

liberdade de culto

e

a participação

de cidadãos brasileiros em

quaisquer atividades religiosas são garantidas por lei.

População

Composta de

pardos, brancos, negros e

índios,

o

critério

utilizado

pelo

IBGE para a classificação

de

cada uma das raças é a autodeclaração, ou seja, um

negro pode

se

declarar

pardo

ou

um pardo

se

declarar negro ou branco.

 

Apesar

da existência

de

mais

de

180 idiomas

e

dialetos dos povos indígenas, a língua

predominantemente falada é o português.

 

A

distribuição

populacional,

apesar

dos

inúmeros

avanços,

continua

desigual,

 

mantendo

uma

concentração

de

pessoas

nas

zonas

litorâneas

especialmente do Sudeste e da

Zona

da

Mata

nordestina. As áreas menos povoadas são o Centro-

oeste e o Norte.

 

A

expectativa de vida está em torno de 68,3 anos

para os homens e 76,38 para as mulheres.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

A taxa média de fecundidade em 2006 era de 2,0

filhos por mulher Em 2008 existiam no país 98 homens para cada grupo de 100 mulheres.

Vejamos como esses pequenos detalhes podem aparecer nas questões

7 (Questão inédita) O Estado contribuiu para o processo em curso de descentralização da produção industrial no território brasileiro por meio de políticas de desenvolvimento regional, como, por exemplo, disponibilizando energia.

Comentários

Depois

de

termos

falado

sobre

o

PAC

e

sobre

a

descentralização industrial promovida por ele, só podemos entender

que

essa questão esta correta, não é mesmo? Como vocês já

devem ter fixado, o Estado foi o

principal colaborador dessa

movimentação industrial. A partir de políticas públicas, foi possível o

desenvolvimento

de

toda

a

infra-estrutura

necessária

para

o

estabelecimento de grandes empresas em qualquer região do país.

(CESPE/ABIN-2008) Ainda em meados do século XX, o Brasil era composto de manchas de adensamento econômico isoladas entre si e orientadas para o mercado exterior, o que

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

revelava sua feição espacial herdada de um processo de ocupação que deixou marcas diferenciadas no extenso território nacional, conforme se desdobravam, com grande descontinuidade temporal e geográfica, os diversos ciclos econômicos voltados para a exportação. (IBGE. Brasil em números, v. 14, 2006, p. 45 (com adaptações)

Acerca da organização do espaço brasileiro e das atividades econômicas desenvolvidas no território nacional, julgue os itens subseqüentes.

8 (CESPE/ABIN-2008) - Sobre a “feição espacial herdada de um processo de ocupação”, a industrialização promoveu a desconexão entre as regiões brasileiras, acentuando a supremacia econômica do Sudeste.

Comentários

Bem, pessoal,

mais uma

vez

exige-se que o candidato

esteja atento ao enunciado.

Para resolver

esta questão

era

de

fundamental importância prestar atenção em uma palavra chave:

desconexão.

É inegável que a industrialização acentuou a supremacia do Sudeste em relação às outras regiões do Brasil num primeiro momento. Entretanto, para se desconectar algo, é imprescindível que esse algo estivesse conectado anteriormente, não é mesmo? E todos nós sabemos que a integração das regiões brasileiras, apesar de

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

desejada, nunca foi uma realidade. errada.

Portanto, a questão está

9 (CESPE/ABIN-2008) A “grande descontinuidade temporal e geográfica” mencionada no texto explica-se pelo processo de ocupação territorial em que foi privilegiada a atividade agrícola, espalhada nas diversas regiões do país.

Comentários

Bem, amigos, teremos que dividir ao meio essa questão para que possamos compreendê-la com clareza. Quando ela se refere à grande descontinuidade temporal e geográfica, ela está se referindo aos ciclos econômicos pelo qual passou a História do Brasil. Por mais que não nos lembremos exatamente como eram esses ciclos, sabemos que numa época houve o auge da cana no Nordeste e em outra o auge do café no Sudeste, não é?

A assertiva nos diz que essa descontinuidade do tempo e do espaço é explicada pela ocupação territorial em que se privilegiou a atividade agrícola.

No entanto, o que temos é exatamente o contrário. A ocupação territorial é que é explicada pela descontinuidade

temporal e geográfica. As pessoas escolhiam que território ocupar de acordo com o “status” da atividade agrícola. Se o que estava na moda era o café, vamos pro Sudeste porque lá tem emprego, mas se a moda é o algodão “bora” pro Nordeste.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

Chamei aqui de moda só para ficar mais claro, mas todos sabemos que determinados gêneres agrícolas estão totalmente sujeitos a sazonalidades, concordam? Em janeiro é época disso,

junho daquilo e novembro daquilo outro

Da mesma forma, algumas

... regiões, em razão do solo e do clima, são mais propícias ao

desenvolvimento de determinados produtos agrícolas.

Pois bem, todo processo de ocupação territorial, seja no Brasil ou em qualquer outro lugar do mundo, será pautado pelo sustento durante todo o ano, independente do que for necessário fazer para que a economia flua! Assim, durante nossa ocupação, a monocultura de exportação foi o meio mais fácil encontrado e praticado durante décadas. Obviamente, isso acabava por manter plantadores de café em um canto do país e os de cana-de-açúcar no outro, cada qual investindo e tentando crescer a SUA região ou o SEU estado – o que não contribuía em nada para a integração do território nacional.

Foi por exemplo a partir da valorização cafeeira, na metade do século XIX, que ocorreu um crescimento significativo de pequenas e médias cidades, a princípio no eixo Rio-São Paulo. Além disso, inúmeras cidades surgiram ao longo da ferrovia construída para transportar a safra.

Assim, podemos compreender o quanto as atividades agrícolas influenciaram na evolução e transformação do espaço social . Portanto, a questão está errada .

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

10 (CESPE/ABIN-2008) O padrão de rede urbana encontrado no país, hierarquizado segundo o tamanho das cidades, espelha a integração e a articulação de todo o território nacional.

Comentários

Depois de tudo o que ouvimos sobre a urbanização, setores agrícolas e necessidades, se há uma certeza em tudo isso é que não existe integração do território nacional. Ainda que muito venha sendo articulado nesse sentido - para integrar, campo/cidade, Norte/Sul ou Nordeste/Sudeste do Brasil- o fato é que isso ainda não é uma realidade. Portanto, essa questão está errada

4 - A estrutura etária da população brasileira e a evolução de seu crescimento.

A partir do final da década de 60, vemos uma significativa redução da natalidade entre as camadas mais privilegiados da sociedade e nas regiões mais desenvolvidas do país. Essa situação acabou colaborando para uma importante mudança na estrutura etária da população brasileira, que aparece com um perfil mais envelhecido e o ritmo de crescimento baixíssimo.

A distribuição da população por faixas de idade em um país é conseqüência das taxas de crescimento populacional, da expectativa de vida e das migrações que ocorrem naquele território, resultando na divisão em três faixas etárias:

Jovens (0-14 anos);

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

Adultos (15-64 anos); e

Idosos (acima de 65 anos)

O que mais chama a atenção na estrutura etária dos países considerados desenvolvidos é a forte presença de adultos e uma porcentagem expressiva de idosos – dado o baixo crescimento vegetativo e a elevada expectativa de vida. Seria mais ou menos aquela historinha que ouvimos das nossas avós sobre como o mundo hoje está perdido e como é caro e perigoso ter filhos, lembram? Pois é, parece que quanto maior a renda das pessoas, mais próximas elas ficam da lógica da nossa avó e por isso a natalidade é tão baixa entre elas.

Em

contrapartida,

nos

países

em

desenvolvimento,

os

jovens superam os adultos e os idosos, justamente porque o crescimento vegetativo é grande e a expectativa de vida baixa.

Por

esse

motivo,

esses

países

acabam

ficando

em

desvantagem, particularmente os indivíduos mais pobres que possuem famílias mais numerosas. E por quê? Porque sustentar um número maior de filhos é concretamente mais difícil, ou seja, tanto os

pais quanto o Estado têm suas possibilidades absolutamente limitadas de oferecer uma formação de boa qualidade. Assim, resta como opção mais forte colocar a criança no mercado de trabalho e repetir o mesmo círculo vicioso da pobreza e da miséria.

No caso do Brasil e de outros países classificados como "emergentes" ou em desenvolvimento, a proporção de jovens tem diminuído a cada ano. Em contrapartida, o índice

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

da população idosa vem aumentando, o que gerou mudanças recentes no sistema de previdência social, com estabelecimento de idade mínima para a aposentadoria e teto máximo para pagamento ao aposentado.

A base da pirâmide etária do Brasil mudou e agora indica sinais de envelhecimento para a sociedade brasileira. O número de crianças de até 14 anos equivale a pouco mais de 25% e, no extremo oposto, temos um significativo aumento da população com 70 anos ou mais. Essa oposição traz um ponto positivo e um negativo, afinal, pessoal, nem tudo são flores, não é mesmo? Assim, ao mesmo tempo em que ela demonstra que houve uma melhoria na qualidade de vida dos idosos, ela também aponta o problema de que há cada vez menos jovens pra sustentar um número cada vez maior de idosos.

Evolução

Vocês sabiam que somente no último século a população brasileira multiplicou-se por mais de dez? Pois é, pessoal, se em 1900 residiam no Brasil cerca de 17 milhões de pessoas atualmente temos

mais de 195
mais de 195

milhões.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES Como podemos ver no gráfico acima,

Como podemos ver

no gráfico acima, desde

o primeiro

recenseamento feito no Brasil em 1872, muitas modificações ocorreram no padrão do desenvolvimento demográfico brasileiro.

Até o início da década de 30, o crescimento da população do Brasil teve um forte impulso: a imigração. Com a adoção da "Lei de Cotas", que impôs limites à entrada de imigrantes, o aumento da população passou a depender diretamente do crescimento vegetativo. E o que é isto? A diferença entre o número de pessoas que nascem e o número de pessoas que morrem chamamos de crescimento vegetativo(CV).

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

Após a Segunda Guerra Mundial, houve um importante

avanço nas questões sanitárias, como a expansão da rede de esgoto, acesso à água encanada, campanhas de vacinação em massa, acesso a medicamentos básicos, etc. Esses avanços estimularam a maior evolução das taxas de crescimento populacional, atingindo em 1960

cerca de 2,9%

(ao ano)
(ao ano)

e marcando a primeira fase de transição

demográfica brasileira.

A partir dessa data, começou a ocorrer uma desaceleração demográfica contínua, ou seja, começou a morrer mais pessoas do

que a nascer, o que resultou num crescimento demográfico de 1,6% a.a. Podemos pensar que 1% a menos não faz tanta diferença assim, porém o impacto disso no padrão da população é realmente significativo! Assim, se iniciou a segunda fase de transição demográfica.

Posteriormente a isso, o intenso processo de urbanização ocorrido no país, principalmente a partir da década de 1960, foi o principal responsável pela redução das taxas de fecundidade. Mas por que isso aconteceu?

Bem, nas cidades, as informações e o acesso aos métodos contraceptivos são bem maiores do que os existentes no campo. Para complementar, foi justamente em fins da década de 60 que a pílula anticoncepcional passou a ser mais aceita e difundida na sociedade brasileira. Com as mulheres ocupando cada vez mais o mercado de trabalho urbano, as famílias passaram a dispor de menos tempo para se dedicar aos filhos. Além disso, é claro que na cidade os gastos com

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

a criação dos filhos são bem maiores que

no

meio rural,

o

que

acabava inibindo a formação de famílias numerosas.

11 (QUADRIX/DATAPREV-2010) Em 2009, o programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, órgão da ONU, divulgou um relatório no qual o Brasil aparece na 75ª- posição num total de 182 países analisados no rancking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). O IDH varia de 0 a 1 e procura medir o desenvolvimento humano a partir de três elementos: saúde, educação e PIB per capita. Do relatório anterior para o divulgado em 2009, o IDH brasileiro variou de 0,808 para 0,813. Sobre as condições de vida da população brasileira considere as seguintes informações:

I

-

As

cidades

brasileiras

com

maior

IDH situam-se

sobretudo nas regiões sul e sudeste, ao passo que as cidades

com menor IDH situam-se sobretudo nordeste.

nas regiões

norte e

II - Como a renda per capita da população brasileira vem crescendo nos últimos anos sobretudo entre as classes mais pobres, a concentração de renda do Brasil (que se relaciona à desigualdade social ) deixou de figurar entre as maiores do mundo, sendo a partir de 2007 uma das menores do planeta.

III

-

O Brasil

é

o

pais da America Latina

com o melhor

Indice de Desenvolvimento Humano, superando países como

Argentina e Uruguai.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

IV

-

Um

dos fatores que impulsionaram o aumento

da

qualidade de vida da população brasileira é o crescente aumento da taxa de fecundidade da população, combinado á redução da mortalidade infantil.

Dadas as afirmações acima, é correto dizer que:

  • a) Todas as afirmações estão corretas

  • b) Apenas as afirmações I, II e III estão corretas.

  • c) Apenas a afirmação III está incorreta.

  • d) Apenas a afirmação I está correta.

  • e) Apenas as afirmações I e IV estão corretas.

Comentários

A primeira assertiva está correta, pois as cidades brasileiras com

maior Índice de Desenvolvimento Humano

(IDH)
(IDH)

se situam mesmo

nas regiões sul e sudeste, dentre as quais podemos citar São Caetano do Sul (SP), Niterói e Florianópolis. Já quanto às cidades com menor IDH podemos destacar os estados de Pernambuco, Acre e Alagoas com os piores índices representados pelas cidades de Manari, Jordão e Traipu, respectivamente.

A segunda assertiva começou bem, mas se torna errada quando afirma que a concentração de renda do Brasil deixou de figurar entre as maiores do mundo. No Brasil a concentração de renda é tão o país

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

ganha apenas da Guatemala, Suazilândia, República Centro-Africana, Serra Leoa, Botsuana, Lesoto e Namíbia.

A terceira está errada, pois o Brasil não possui o melhor IDH da America latina com afirma a questão. O relatório do Índice de Desenvolvimento Humano para 2010 mostra que a liderança do Brasil na América Latina no campo econômico não se reflete no campo social. Na região, o Brasil é o 11º colocado no ranking do IDH. Assim, Barbados, Bahamas, Chile e Argentina lideram o ranking dos países latino-americanos com melhores IDHs do continente. Segundo o economista do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) Flavio Comim, o Brasil precisa melhorar bastante o nível de educação para se aproximar de alguns países vizinhos que apresentam melhores resultados no IDH.

A quarta e ultima assertiva também se faz incorreta quando afirma que um dos fatores que impulsionaram o aumento da qualidade de vida da população brasileira foi o aumento da taxa de fecundidade da população. È exatamente o contrário, não é mesmo? Uma vez que sabemos de qual classe se originam os maiores número de fecundidade, das classes C e D, seria arbitrário dizer que quanto mais filhos se tem melhor qualidade de vida se adquire, não é mesmo? Portanto essa também esta incorreta.

Assim a alternativa correta está na letra D.

12 [Adaptada - (CESPE/ABIN-2008)] - O século XX assistiu a um rápido crescimento da população mundial, que partiu de

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

1,6

bilhões

e

alcançou

6,1

bilhões.

Não

se

prevê

uma

estabilização para o

atual

século,

porém,

para

2050,

a

expectativa é de 9 bilhões de habitantes no planeta.

Ao lado da perspectiva de crescimento populacional mundial, o movimento de pessoas cruzando fronteiras como imigrantes é um aspecto relacionado ao processo de integração global, fonte potencial de conflitos sociais.

Comentários:

Conforme

afirma

o

próprio

enunciado,

há grande

expectativa de que continue havendo um crescimento populacional

mundial. E aí mora um problema! Se a população

continuar

crescendo sem que haja uma melhor distribuição de renda, isto é, sem que haja uma desconcentração das riquezas, a situação poderá chegar a um nível crítico.

Uma das consequências do crescimento populacional é a

escassez

de alimentos. Na

verdade, não

é

que falte comida

no

mundo; ela

está

é

mal distribuída.

Falar nesse

assunto nos faz

lembrar

de

Thomas

Malthus,

economista

que

enxergava no

crescimento

populacional

o

grande

problema

da

humanidade.

Segundo

ele,

enquanto

a

população

crescia

em

progressão

geométrica,

a

produção

de

alimentos

crescia

em

progressão

aritmética. Pois bem, falemos agora sobre a questão migratória!

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

Com a globalização e o desenvolvimento dos meios de comunicação, o acesso à informação tornou-se muito maior. Nesse sentido, pessoas que vivem na África têm contato, por meio da televisão, com uma realidade bem diferente. Assim, passar a desejar obter as benesses do estilo de vida dos países desenvolvidos, o que dá origem a um intenso fluxo migratório.

A migração acentuada é também uma realidade do crescimento econômico sem o aumento da oferta de emprego. Assim, muitos imigrantes têm como objetivo conquistar o seu lugar no mercado de trabalho. E, justamente por causa disso, acabam por

constituir-se em ameaça ao emprego dos nacionais. Surgem, então, os movimentos xenofobistas, fonte potencial de conflitos sociais . A questão está, portanto, correta.

5 - A questão ecológica em nível mundial.

A questão ecológica e a preocupação com os problemas ambientais acabam gerando em todos nós algumas perguntas inquietantes: elas são mesmo fruto de um desconforto real ou apenas uma moda passageira?

Alguns chegam até

a afirmar

que

estas questões foram

trazidas à tona como um cômodo recurso ideológico que objetiva substituir as grandes questões mobilizadoras até poucas décadas

atrás. Para

os mais radicais, toda

essa “festa” em torno

do

meio

ambiente

não

passa de

uma

forma de manter enfraquecidos os

problemas sociais

do

mundo, como

a pobreza, a exploração

e

os

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

conflitos

de

interesse

entre

as

classes.

Mas

será

que

isso

é

pertinente?

 

Compreender o problema ambiental não significa dominar a geografia física das regiões, conhecer o relevo, os rios e saber tudo sobre as devastações ambientais. É claro que tudo isso tem sua importância, pois compõe o nosso estudo. Entretanto, é imprescindível percebermos que o alcance da questão ecológica é bem mais profundo do que parece, uma vez que não se reduz apenas aos inúmeros distúrbios do meio ambiente.

Na verdade, o fato dessa questão ecológica estar tão na “moda” nos mostra a incapacidade de um sistema social de produção e de consumo (capitalismo) em manter formas e ritmos de crescimento sem destruir as condições de sua própria reprodução. Deste modo, a importância do assunto transcende as diversas crises ambientais espalhadas em todas as regiões do planeta e demanda que percebamos que desequilíbrios entre sociedade e meio ambiente, estão biblicamente atrelados à história da humanidade.

Todavia, o que é absolutamente novo pra nós é que as crises ambientais globais estejam influenciando, cada vez mais, nos colapsos locais e regionais ocorridos nos últimos tempos. Vamos pensar, por exemplo, nas chuvas que abateram o Rio de Janeiro e a seca que atualmente abate o Nordeste do país. Pesquisas apontam que o aquecimento global causado pelo contínuo desenvolvimento industrial é um dos principais responsáveis por catástrofes climáticas como essa. Do mesmo modo, o furacão ocorrido no Rio Grande do Sul que, em 2004, destruiu mais de 20 mil casas, ou os temporais em

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

Santa Catarina. Todos esses fenômenos acabam tendo como principal justificativa o desequilíbrio ambiental global.

Assim, amigos, as profundas implicações econômicas, políticas e sociais acabam mesmo se conectando as questões do meio ambiente e, talvez por isso, esse tema esteja sempre presente nas provas de atualidades e geografia. Modismo ou não, o debate em torno do assunto é intenso e, pela primeira vez, a sensação de que toda a humanidade caminha para situações catastróficas parece unânime. As transformações ambientais, geralmente traumáticas e dolorosas, acabaram cobrando da sociedade tanto uma reflexão em torno das relações entre o homem e a natureza quanto à necessidade de revê-las.

É verdade também que os desastres climáticos não ameaçam todo mundo da mesma forma, na mesma intensidade e nem com a mesma iminência. Deste modo, ficam mais vulneráveis a esses desastres - que acabam sendo sociais - as populações que não possuem tecnologia, que são empurradas sempre para mais longe dos centros de produção e consumo. Por isso, podemos afirmar que as sociedades mais pobres e marginalizadas são as que mais intensa e rapidamente sofrem os problemas do esgotamento do solo, da escassez de água, moradia e alimentos.

A questão ecológica, portanto, diz

respeito, ao mesmo

tempo, às relações entre os homens e às relações dos homens com a natureza - que é quem fornece seus meios de sobrevivência.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

O avanço técnico e científico que contribuiu para o boom de todo o processo de industrialização em países ricos e pobres, capitalistas e socialistas, pode ser considerado o principal elemento de interferência e alteração da natureza. Não é segredo para nós que a natureza é formada por um conjunto de componentes ambientais composto de terra, água, ar e seres vivos, animais e vegetais. Pois bem, esses elementos são interdependentes, o que significa que a alteração ou agressão de um deles resulta, imediatamente, na alteração de outro.

Até os anos de 1960, qualquer idéia de sociedade que se distinguisse da capitalista já mostrava que havia uma inegável necessidade de uma nova organização econômica, em que os meios produtivos fossem divididos de forma mais equilibrada. Entretanto, até a década de 70 não havia a menor preocupação direta com questões ambientais ou ecológicas, com exceção das universidades que tratavam o tema com relativo cientificismo.

As primeiras preocupações com a destruição da natureza, principalmente das florestas e dos animais selvagens, surgiram apenas nos anos 50, com as primeiras manifestações organizadas contra os armamentos e as usinas nucleares. Essas manifestações foram importantes, pois abriram o caminho para a luta contra os efeitos poluidores da indústria e para as idéias de conservação do meio ambiente, que até então estavam restritas aos círculos acadêmicos e naturalistas.

Como sabemos, no Brasil, o grande crescimento industrial se deu entre as décadas de 50 e 60, portanto não haveria mesmo

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

como haver manifestações ecológicas anteriores a esse período. Apesar disso, em outros lugares, “privilegiados” pela industrialização precoce, essa também não era uma discussão comum.

A crescente industrialização concentrada em cidades, a mecanização da agricultura, a intensa exploração de recursos energéticos como carvão mineral e petróleo, e minerais como ferro, alumínio, etc., alteraram significativamente a terra, o ar e a água do planeta. Tamanha exploração levou algumas áreas à degradação ambiental irreversível, o que evidenciou duas necessidades mundiais urgentes. A primeira era a obrigação de haver maior integração entre as disciplinas que se propunham a estudar a natureza. A segunda era a necessidade de uma profunda revisão dos paradigmas da ciência moderna para alcançarem uma solução para o problema identificado.

Devido à visibilidade que foi dada aos diversos problemas ambientais e ecológicos apontados pelas crescentes manifestações, sua mobilização e suas lutas, este assunto ganhou mais atenção das sociedades mundiais.

É

claro,

pessoal,

que,

nesse

processo acelerado de

“tecnificação” das sociedades humanas, algumas regiões do planeta foram palco de maiores alterações do que outras. Entretanto, poucas são as áreas do mundo que não foram total ou parcialmente devastadas pelas práticas predatórias do homem.

A sociedade industrial que o mundo contemporâneo edificou interferiu e alterou profundamente a natureza, já que, para construir

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

e alimentar complexos industriais, extensos espaços de natureza tiveram que ser destruídos.

O desenvolvimento permanente dos meios de produção, a ampliação da sociedade de consumo, os atrativos do lazer, do conforto e a liberação da mão-de-obra rural, acabaram estimulando o crescimento da população urbana nos países industrializados. Apesar disso, o crescimento rápido das cidades não pôde ser acompanhado no mesmo ritmo, sobretudo nos países em desenvolvimento, pelo incremento das redes de água tratada, coleta e saneamento de esgoto etc.

Nessas sociedades, os problemas ambientais são muito maiores do que nos países mais desenvolvidos. Essa diferença se dá principalmente porque, além das questões relativas à destruição do meio ambiente em si, como a poluição do solo, do ar e da água, ainda há o agravante da pobreza da população.

13 (CESPE/ABIN-2008) A questão ambiental, tendo em vista suas implicações sociais, econômicas e políticas, ganhou repercussão e passou a fazer parte das políticas nacionais e do fórum de debate mundial. Acerca desse assunto, julgue os itens subsequentes.

Com a maior parte da população brasileira vivendo em aglomerações urbanas, a degradação da qualidade do meio ambiente urbano e dos recursos naturais tem sido motivo de conflitos e de proliferação de doenças nas cidades.

Comentários

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

A urbanização acentuada é uma constante em todas as regiões do nosso planeta. Entretanto, o que durante muitos anos foi visto como símbolo de progresso hoje comporta em si inúmeros problemas. Nesse sentido, a explosão da periferia nas grandes cidades foi uma das principais responsáveis pela degradação do meio ambiente, existência de conflitos pelos recursos naturais e proliferação das doenças. Isso ocorre na maior parte das cidades de países em desenvolvimento e é um ponto muito forte aqui no Brasil.

A grande

maioria das metrópoles abriga favelas e essa

situação tende a se agravar principalmente em países onde as pessoas continuam migrando em busca de empregos e se defrontam com a ociosidade.

A maior parte da população brasileira vive em aglomerações urbanas. Essa concentração populacional nas cidades tem como conseqüência a degradação ambiental, causada pelas modificações ocorridas no espaço geográfico.

Assim, verifica-se nos principais aglomerados urbanos brasileiros grande poluição do ar, do solo (causado pelo lixo urbano), sonora, visual, etc. Tudo isso causa perda da qualidade de vida da população, o que gera aumento do número de doenças e conflitos ambientais.

Ressalte-se

que

quando

a

questão fala em conflitos

ambientais, ela não quer dizer que se “pega em armas” em defesa do

meio ambiente. Os conflitos ambientais são uma nova espécie de conflito social, que exige a intervenção do Estado. Pode-se verificar

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

que justamente a parcela da sociedade que mais sofre com os riscos ambientais é justamente a menos favorecida e que, por conseguinte, tem menos responsabilidade na construção deste risco. Portanto, a questão está correta.

14 (CESPE/ABIN-2008) - Todos os países, sejam eles pobres ou ricos, são responsáveis pela degradação ambiental, o que explica a necessidade de acordos internacionais para a mitigação dos efeitos adversos e a resolução de conflitos.

Comentários

Sem dúvida alguma, todos os países –pobres ou ricos- possuem responsabilidades no que diz respeito à proteção do meio ambiente. Todavia, na Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (ECO-92) reconheceu-se, sob forte pressão dos países em desenvolvimento que a responsabilidade de controlar, reduzir e eliminar os atentados contra o meio ambiente deve incumbir aos países que os causam, de tal forma que guarde relação com os danos causados e esteja relacionado com as respectivas capacidades e responsabilidades.

Esse reconhecimento representou uma completa mudança de paradigma no âmbito da proteção do meio ambiente, estabelecendo o princípio da responsabilidade comum, mas diferenciada. Cada país deveria incumbir-se na proteção ambiental de forma proporcional com os danos causados ao meio ambiente. Esse princípio confirma o fato de que os países desenvolvidos são os

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

maiores causadores e responsáveis pelos desequilíbrios ambientais, cabendo a eles, portanto, as principais atitudes para proteger o meio ambiente.

De qualquer forma, a proteção do meio ambiente é uma preocupação comum da humanidade , incumbindo aos países ricos e pobres indistintamente. Por ser responsabilidade de todos os países, há necessidade de se buscar soluções conjuntas ao problema

ambiental, o que é feito por meio da cooperação internacional.

Questão correta.

1.1 O ambiente ganha visibilidade mundial

O grande concretizador do meio ambiente como um assunto mundialmente importante foi a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente Humano, realizada em Estocolmo, Suécia, em 1972. Tendo como tema principal o Meio Ambiente Humano, essa Conferência estabeleceu princípios de aplicação geral no que se refere à proteção ambiental.

De acordo com Accioly, o ano de 1972 pode ser apontado como o ano em que a conscientização para a importância de se evitar a destruição do meio ambiente tomou âmbito global. Nessa conferência, se reuniram pela primeira vez países industrializados e países em desenvolvimento para discutir problemas relativos ao meio ambiente. Apesar do objetivo comum de preservação ambiental, a conferência deixou claro o fosso existente entre esses países, sobretudo em matéria ecológica.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

Assim, quando o grupo de países em desenvolvimento era chamado a cumprir padrões mínimos ambientais, eles entendiam essa pressão como um mecanismo utilizado pelos países mais industrializados para impedir seu crescimento. Dessa forma, para grande parte das nações, a questão ambiental surgiu como um limitador e dificultador do modelo vigente, em que são explorados, descontroladamente, os recursos ambientais do planeta.

A Conferência de Estocolmo deu origem à Declaração das Nações Unidas sobre o meio ambiente, que estabelece princípios gerais para sua proteção e prevê a criação do Programa das Nações Unidas. Esse programa tem como objetivo fundamental coordenar as ações internacionais de amparo à natureza, promovendo um desenvolvimento sustentável.

Bem, para compreendermos a Declaração de Estocolmo, teremos que entrar um pouco no direito internacional ambiental, mas não se assustem, pois não é nada de outro mundo, ok?

Assim, temos como pontos principais:

1) O direito ao meio ambiente foi alçado à condição de direito fundamental do ser humano. O primeiro princípio enumerado pelo referido documento estabelece que “o homem tem direito fundamental à liberdade, à igualdade e a condições de vida satisfatórias, em meio ambiente cuja qualidade lhe permita viver com dignidade e bem-estar.”

2) A Declaração de Estocolmo estabeleceu o princípio da

responsabilidade internacional dos Estados em matéria

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

ambiental. De acordo com o princípio de número 21, “os Estados têm o direito soberano de explorar os seus próprios recursos segundo políticas ambientais que estabeleçam. Entretanto eles têm o dever de realizar essas atividades nos limites de sua jurisdição ou sob seu controle, desde que não causem danos ao meio ambiente em outros estados ou nas regiões não submetidas a qualquer jurisdição

nacional.” Resumindo: lembra daquele sermão que ganhávamos da professora no colégio, que dizia que nosso direito termina onde começa o do coleguinha? Pois bem, aqui é a mesma coisa: um Estado não pode explorar seus recursos de forma a causar dano a outro Estado.

3)

Um

Estado

deve

ser responsabilizado pelos danos

ambientais que cause fora de sua jurisdição territorial, ou seja, pelos danos que cause ao meio ambiente de outro Estado. Ou seja, feriu o direito do coleguinha? Então vai ter que assumir a responsabilidade.

Passados

10

anos

da

Conferência

de Estocolmo, foi

elaborado um relatório para avaliar tanto os principais resultados alcançados, quanto apontar os principais problemas ambientais existentes. E foi nesse momento que surgiu, pela primeira vez, o conceito de “desenvolvimento sustentável”. Mas o que seria isso afinal?

Podemos entender este desenvolvimento como sendo

aquele que atende as necessidades do sistema produtivo e das

gerações atuais, sem comprometer a capacidade das futuras gerações de terem suas próprias necessidades atendidas.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

Um outro evento que marcou as relações homem/meio

ambiente foi o realizado em 1992 na cidade do Rio de Janeiro. Vocês se lembram? Dependendo da idade de vocês, é possível que não, mas

pra mim,

sou

velhinha (rsrrsrsrs), a ECO 92 foi um evento

inesquecível!

 

Na ocasião, a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento, que em 1972 havia sido em Estocolmo, movimentou a cidade do Rio de Janeiro e ganhou a mídia brasileira e internacional. Do mesmo modo, a conferência realizada na Suécia, foi “reproduzida”, duas décadas mais tarde, na cidade do Rio e ficou mundialmente conhecida como ECO-92.

Nesse encontro, líderes do mundo todo foram reunidos e produziram importantes documentos que buscavam regulamentar os mais variados elementos sobre o meio ambiente. Assim, entraram na pauta das discussões para proteção ambiental: princípios sobre Florestas, Convenção sobre Diversidade Biológica, Convenção sobre Mudanças Climáticas, Agenda 21 e a Declaração do Rio.

Esses documentos tinham como principal objetivo definir um rumo geral para as políticas ambientais essenciais de desenvolvimento mundial. Assim, as políticas ali definidas deveriam ditar um modelo de desenvolvimento sustentável que desse conta de suprir às necessidades globais e, ao mesmo tempo, reconhecesse os limites de desenvolvimento econômico.

Nessa

linha, a

Agenda 21 foi um documento

elaborado

com o objetivo de servir de guia para que os Estados formulassem

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

políticas públicas em matéria ambiental com vistas a promover o desenvolvimento sustentável. Outra realização importante deste evento foi a consolidação da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima por quase todos os países do mundo.

Essa

convenção

nada

mais

é

do

que um tratado

internacional que tem como objetivo a estabilização da concentração de gases do efeito estufa na atmosfera em níveis admissíveis pelo sistema climático. É verdade também que ainda não se sabe, com precisão, qual é a medida de gases que poderiam ser considerados seguros, entretanto, boa parte da comunidade científica admite que a contínua emissão de gases no ritmo atual trará fortes danos ao meio ambiente.

Assim, amigos, é correto afirmar que tanto a Conferência de Estocolmo quanto a ECO-92 foram marcos mais importantes para o alargamento da gravidade da questão ambiental internacional.

Cabe destacar também o Protocolo de Kyoto, assinado na cidade japonesa de mesmo nome no ano de 1997. A convenção em Kyoto estabeleceu um sólido compromisso por parte dos países desenvolvidos em reduzir a emissão de gases, mesmo com ônus aos seus respectivos crescimentos econômicos. No entanto, apesar da seriedade com que as nações encararam o protocolo, ainda não são palpáveis os meios pelos quais seriam colocadas em prática as medidas e o compromisso em reduzir as emissões de gás.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

O Protocolo de Kyoto faz parte da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas e determina que os Estados deverão, para promover o desenvolvimento sustentável, implementar ou aprimorar suas políticas nas mais diversas áreas, como:

  • - aumento da eficiência energética;

  • - promoção de formas sustentáveis de agricultura;

  • - proteção e aumento de sumidouros e reservatórios de

gases de efeito estufa;

  • - redução gradual ou eliminação de incentivos fiscais, de

isenções tributárias e tarifárias e de subsídios para os setores emissores de gases de efeito estufa;

  • - pesquisa, promoção, desenvolvimento e aumento do uso

de formas novas e renováveis de energia, de tecnologias de

seqüestro de dióxido de carbono e de tecnologias ambientalmente seguras.

  • - limitação e/ou redução de emissões de metano por meio

de sua utilização no tratamento de resíduos, bem como na produção,

no transporte e na distribuição de energia e;

  • - medidas para limitar ou reduzir a emissão de gases de efeito-estufa, como a aplicação do princípio do poluidor-pagador.

Aplicando o princípio do poluidor-pagador , o protocolo criou o “Mecanismo de Desenvolvimento Limpo”, que deu a

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

oportunidade para a criação de um mercado de créditos de carbono. Mas o que seria isso exatamente?

Bem,

na

verdade, isso

funciona como

um sistema

de

compra simples, em que aqueles países ou indústrias que não conseguem atingir as metas de redução de emissões de gases do efeito estufa têm que comprar créditos de carbono. Como todos nós

sabemos, a tática

de economia mais eficaz

é sempre aquela

que

atinge o bolso, não é mesmo?

Em contrapartida aos “esbanjadores”, aquelas indústrias que conseguissem diminuir suas emissões abaixo das cotas determinadas, poderiam vender o excedente de "redução de emissão" ou "permissão de emissão" no mercado nacional ou internacional.

De

acordo

com

Portela, com

a

criação

do

mercado

de

créditos de carbono, os países em desenvolvimento passaram a negociar com os países desenvolvidos seus excedentes de "redução de emissão" ou "permissão de emissão" no mercado nacional ou internacional. Assim, os países em desenvolvimento tendem a ampliar a execução de projetos que reduzem a poluição para ter mais

uma mercadoria para comercializar internacionalmente: seus excedentes de ar puro.

Mas e quanto a metas? O Protocolo de Kyoto fixou metas para a redução de emissão de gases?

Sim. Foram estabelecidas metas de redução de emissões

para os países, porém diferentes

para cada

um,

em respeito

ao

princípio da responsabilidade comum, mas diferenciada. Assim, já

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

que a regra de redução não é valida para todos, países como o Brasil podem realizar projetos de redução de emissões e negociar com os que precisem os seus “créditos de carbono”.

Então, pessoal, deste modo fica claro que não são todos os países que devem cumprir metas de redução de emissão de gases, mas somente aqueles que estão relacionados no Anexo I do protocolo de Kyoto - países mais industrializados. É correto afirmar que no encontro ocorrido no Japão foram estabelecidas metas de redução e um mercado de créditos de carbono por meio do qual os países industrializados acabam financiando tecnologias consideradas limpas em países em desenvolvimento, como forma de compensar suas emissões de gases.

Apesar disso, passados quase 16 anos, constatou-se que nada disso deu certo! Na tentativa de se chegar a um novo acordo global sobre o clima, os países se reuniram, então, em Copenhague, que infelizmente, não teve mais êxito que o protocolo de Kyoto.

Pessoal, sei que

as

vezes pode

parecer um assunto até

ultrapassado para ser trabalho em atualidades ma acredite: não é!

Veja como esse assunto foi cobrado em prova, recentemente:

15 (CESPE/Agente Administrativo – UERN-2010) – A

Conferência do

Clima

de Copenhague, a

COP15,

é

nossa

melhor oportunidade para salvar a civilização de um colapso causado pelo aquecimento global. A relevância do evento atraiu para a capital da Dinamarca cerca de 35 mil participantes, entre chefes de Estado, diplomatas, políticos,

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

ativistas, cientistas, empresários e jornalistas. Salvar o mundo em uma semana parece uma missão quase impossível. Para isso, os representantes de 193 países precisam chegar a acordos internacionais que estabeleçam limites para as emissões dos países ricos e compromissos das nações

emergentes. Época, 11/12/2009 (com adaptações). Considerando o texto acima, assinale a opção correta acerca das questões ambientais.

  • a) O desmatamento é responsável por menos de 1% das emissões de

carbono do Brasil.

  • b) Árvores renovam naturalmente o ar que respiramos ao retirar CO2

da atmosfera e liberar oxigênio.

  • c) Antes da Conferência do Clima, o governo brasileiro se

comprometeu a aumentar o desmatamento.

  • d) A atividade agropecuária não interfere no aquecimento global.

  • e) Veículos elétricos e híbridos emitem a mesma quantidade de CO2

que veículos movidos a gasolina.

Comentários:

A

letra

A

está errada.

O

desmatamento

é

o

maior

responsável pelas emissões de

CO2

no

Brasil,

chegando

ao

percentual de 51,9%. A letra B está correta. Aprendemos isso

na aula

de

Ciências do Ensino Fundamental, não é mesmo? As árvores absorvem o CO2 e liberam oxigênio, o que demonstra a importância da cobertura vegetal no combate ao aquecimento global.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

A letra C está errada. O Brasil se comprometeu a reduzir o desmatamento.

A

letra

D

está errada.

A atividade

agropecuária é a

segunda maior responsável no Brasil pelas emissões de CO2.

A letra E está errada. Os veículos elétricos não emitem gases de efeito estufa.

16 (CESPE - Técnico de Nível Superior – UERN-2010) - O IPCC (Painel Internacional sobre Mudanças Climáticas), organismo ligado às Organizações das Nações Unidas, teve a sua credibilidade abalada por equívoco em relatório sobre o aquecimento do planeta. Acerca desse equívoco, assinale a opção correta.

a) O erro foi a afirmação de que as geleiras do Himalaia podem

desaparecer neste século.

  • b) O equívoco do relatório foi afirmar que os recentes terremotos que

afetaram o planeta foram causados pelo aquecimento global.

  • c) A admissão do erro acarretou a demissão do presidente e do

conselho técnico do IPCC.

d) Após a verificação do erro, a Organização das Nações Unidas transferiu as atribuições do IPCC para um novo órgão, a ser dirigido pelos Estados Unidos da América (EUA).

  • e) Ao contrário de um aquecimento global, os dados indicariam, na

verdade, uma elevação do nível dos mares nos próximos cem anos.

Comentários:

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

O IPCC é um organismo ligado à ONU que foi estabelecido

em

1988

com

a finalidade

de fornecer informações científicas,

tecnológicas e sócio-econômicas para que se possa ter a compreensão do fenômeno das mudanças climáticas.

Em janeiro de 2010, foi descoberto um erro em um relatório do IPCC. Segundo o relatório, as geleiras do Himalaia poderiam desaparecer até 2035, vários anos mais cedo do que os números mostram. Ao que tudo indica, o ano de 2350 foi confundido por 2035.

Esse erro foi polêmico porque reacende o debate acerca do aquecimento global, já que há muitos que não acreditam que esse é um fenômeno que realmente existe. Além disso, os métodos científicos adotados pelo IPCC também foram postos em dúvida.

Dessa forma, a resposta correta é a letra A.

17 (CESPE- Técnico de Nível Superior – UERN-2010) - Entre os dias 7 e 14 de dezembro de 2009, aconteceu, em Copenhague, capital da Dinamarca, a 15.ª Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, mais conhecida como COP-15. No que concerne aos resultados dessa conferência, assinale a opção correta.

a) Os EUA reafirmaram a posição de George W. Bush de duvidar da existência do aquecimento global.

b) A China sugeriu cortes agressivos de carbono para os países em desenvolvimento, mas o Brasil se recusou a cumpri-los. c) O documento final da conferência tem validade, mas não tem força de cumprimento obrigatório entre os signatários.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

d) O principal embate se deu entre os EUA e a União Européia, porque os europeus não quiseram cumprir as recomendações norte - americanas. e) Os países em desenvolvimento concordaram em se submeter à redução obrigatória da emissão de gases poluentes até 2020.

Comentários:

A letra A está errada. Os EUA reconheceram a existência do fenômeno do aquecimento global, demonstrando estarem abertos à discussão do problema. Todavia, segundo afirmam alguns especialistas, isso não passa de um discurso diplomático, já que Obama não apresentou metas concretas a serem adotadas pelos EUA.

A letra B está errada. A China demonstrou-se preocupada com o problema climático, comprometendo-se voluntariamente a reduzir entre 40% e 45% suas emissões de gases até 2020, o que pode ser considerada uma meta agressiva. No entanto, ela defende o princípio da responsabilidade comum, mas diferenciada, o que significa que exige que os países desenvolvidos façam cortes de emissões em nível bem mais elevado do que os países em desenvolvimento.

A

letra C está correta.

O documento

final da COP-15,

embora não estabeleça compromissos obrigatórios para os países, possui sim validade.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

A letra D está errada. Os principais embates da COP-15 foram entre os países desenvolvidos e os países em desenvolvimento e não entre EUA e União Européia.

A letra E está errada. Os países não assumiram metas concretas de redução de emissões de gases na Conferência do Clima de Copenhague.

18 (FUNCAB - DETRAN-SE - 2010) - A autorização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (IBAMA) para o início das obras de integração do Rio São Francisco às Bacias da Região Nordeste recebeu inúmeras críticas tanto do Ministério Público quanto da sociedade. A transposição consiste:

a) em levar as águas do rio para beneficiar os estados de Minas Gerais, Sergipe e Alagoas. b) em tornar o rio totalmente navegável até a sua foz durante todo o ano. c) na revitalização do rio em todo o seu percurso. d) na utilização de suas águas para a implantação de hidrelétrica que permita o uso da energia elétrica na região Norte e Nordeste. e) na utilização das águas do rio para abastecer pequenos rios e açudes da região Nordeste que possuem déficit hídrico durante a estiagem.

Comentários:

A transposição do

Rio

São Francisco é

suscita diversas controvérsias. De

um

lado,

o

uma questão que governo mostra

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

relatórios ambientais e defende que a transposição trará inúmeros

benefícios; do outro lado, há setores que defendem que os prejuízos

ambientais serão imensos. O fato é que, apesar de protestos como a

greve de fome feita por Frei Luiz na cidade de Cabrobó em 2005, as

obras de transposição do Rio São Francisco ainda continuam em

andamento.

Mas em que consiste a transposição do Rio São Francisco?

Bem, atualmente

95%

das

águas do

Rio São Francisco

desembocam no mar e apenas 5% são utilizadas em cidades ou

irrigação. É visando um aproveitamento maior dessas águas para as

populações do semiárido que o governo pretende ligar o Rio São

Francisco a outros rios menores, levando água à região mais seca do

nordeste. Entretanto, a grande polêmica desse projeto é que não se

podem prever as consequências da transposição nem para as

espécies que vivem hoje no rio nem para a população que depende

delas para sobreviver. Conforme podemos verificar, a resposta

correta é, portanto, a letra E.

Ainda em relação ao assunto, a versão oficial do governo é a

de que o volume de água a ser retirada e desviada para outros rios é

muito pequeno, chegando a pouco mais de 1%. Mas o argumento

mais forte é que essa água beneficiaria a população que vive no

Polígono da Seca, cerca de 30 % da população do semiárido, o que

equivale a 12 milhões de pessoas sendo beneficiadas pela água.

X

_____________ ____________

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

Bem, amigos, vou encerrar a aula por aqui hoje, mas ainda

tem muito mais assunto para abordarmos sobre meio ambiente, ok?

Como meio ambiente e energia são assuntos que se cruzam em outra

aula falaremos muito mais deles!

Abraços pra vocês e até semana que vem!

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

Bibliografia

Artigos disponíveis em < http://www.sep.org.br/artigo >

Acessado em 18/03/2010

GREGORY, Derek, et alli. Geografia Humana. Sociedade, Espaço e

Ciência Social. Rio de Janeiro: Zahar, 1996.

GREMAUD, Amaury Patrick. Economia brasileira contemporânea.

São Paulo: Atlas, 2009.

MAGNOLI, Demétrio. Geografia para ensino Médio. São Paulo:

Atual, 2008.

ROSS, Jurandir Sanches (org). Geografia do Brasil. - 6ª- edição -

São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2009.

SANTOS, Milton. Por uma Geografia nova. São Paulo: Editora da

Universidade de São Paulo, 2008.

_____________.

O

Espaço

dividido:

os

dois

circuitos

da

Economia urbana dos países subdesenvolvidos. São Paulo:

Editora da Universidade de São Paulo, 2008.

SILVEIRA, Maria

Laura

(org.).

Continente

em

Chamas.

Globalização e território na América Latina. Rio de Janeiro:

Civilização Brasileira, 2005.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

LISTA DE QUESTÕES

(CESPE/ABIN-2008) As migrações internacionais ocupam

parte importante das diplomacias e dos serviços de defesa do

Estado e dos cidadãos comuns que atravessam fronteiras

diariamente, em todo o mundo. A respeito desse tema, julgue

os itens seguintes (1 ao 4).

1

- A criminalização crescente das migrações econômicas e

sociais denota

que

o

direito

de

ir

e vir da pessoa faz-se

subalterno

ao

privilégio

universal da

livre circulação

dos

capitais.

 

2

- Legislações draconianas, como as que vêm sendo adotadas

pela União Européia, expõem, por um lado, a noção de que a

função histórica da grande imigração de africanos e asiáticos

para o trabalho nas indústrias européias do pós-guerra perdeu

função histórica e, por outro, que a reciprocidade

internacional em relação à América Latina, formada em parte

por imensas levas de desterrados europeus, perdeu valor de

direito internacional ante o realismo político dos interesses

nacionais e comunitários europeus.

 

3

- As migrações internacionais, amenizadas no continente

africano diante do fim do ciclo belicoso interno das últimas

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

décadas do século XX, deixaram de ser um tema relevante das

relações interestatais afro-européias.

4 - A migração forçada ou enganosa, muitas vezes em forma

de tráfico de pessoas, ainda que seja um tema de impacto

internacional, possui modesta implicação na segurança dos

Estados nacionais neste início de século.

5 (CESPE/IRB-2010) - No que se refere ao espaço rural no

Brasil, assinale a opção correta.

  • a) A revalorização do espaço rural como lugar para se trabalhar e

para se viver, uma das recentes transformações ocorridas no campo,

não se relaciona diretamente com as demandas pela terra e com os

assentamentos rurais.

  • b) O Programa de Apoio à Agricultura Familiar (PRONAF), ao

fragmentar o espaço rural, provocou a redução da produtividade

agrícola e, como consequência, a redução da oferta de alimentos nas

cidades de pequeno e médio porte.

  • c) Na primeira metade do século XX, o espaço rural brasileiro

caracterizou-se pelas grandes plantações cafeeiras, a que se seguiu a

agricultura familiar com sua pluriatividade e o processo de

modernização da base técnica na agropecuária, que caracterizou o

final do século.

  • d) A pluriatividade, realidade da nova concepção de espaço rural

adotada pelo agronegócio, ainda não se incorporou à agricultura

familiar, baseada na agricultura de subsistência.

  • e) Historicamente, as políticas públicas, visando à exportação,

privilegiaram a agricultura de larga escala, o que forçou o processo

de modernização da agropecuária e contribuiu para o êxodo rural.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

6 (FGV/Analista Legislativo-2008) - A migração é uma das

questões mais debatidas no mundo atual. No modelo de

pensamento estrutural, os indivíduos não fazem escolhas, ou

melhor, não são os indivíduos e suas escolhas individuais que

explicam os fluxos e a localização da população. No espaço,

que não é mais o espaço da liberdade individual, mas o espaço

da estrutura capitalista, é o movimento do capital, sua

expansão ou retração, seu deslocamento ou permanência que

comandam a mobilidade e a localização do trabalho.

(Vainer, Carlos B. Reflexões sobre o poder de mobilizar e

imobilizar na contemporaneidade, 2005.)

Assinale a única afirmativa que não expressa o pensamento

estruturalista.

  • a) Os movimentos locacionais e a estrutura do espaço estão

submetidos à lógica e à dinâmica do capital.

  • b) A mobilidade do trabalhador aparece como manifestação da

necessidade do capital e sua mobilidade está submetida a ele.

  • c) A mobilidade dos trabalhadores resulta de ações racionais

orientadas pelo mercado que dispõe de seu capital humano no livre

jogo da oferta e da procura.

  • d) A mobilidade do trabalhador e o seu desenraizamento são sinais

de que ele é totalmente despossuído dos meios de produção e

subsistência, e, portanto, subordinado ao movimento do capital.

  • e) Os movimentos dos trabalhadores e os deslocamentos das

populações são apenas movimentos reflexos do movimento do

capital, que é o verdadeiro protagonista do espaço estrutural.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

  • 7 (Questão inédita) O Estado contribuiu para o processo em

curso de descentralização da produção industrial no território

brasileiro por meio de políticas de desenvolvimento regional,

como, por exemplo, disponibilizando energia.

(CESPE/ABIN-2008) Ainda em meados do século XX, o Brasil

era composto de manchas de adensamento econômico

isoladas entre si e orientadas para o mercado exterior, o que

revelava sua feição espacial herdada de um processo de

ocupação que deixou marcas diferenciadas no extenso

território nacional, conforme se desdobravam, com grande

descontinuidade temporal e geográfica, os diversos ciclos

econômicos voltados para a exportação. (IBGE. Brasil em

números, v. 14, 2006, p. 45 (com adaptações)

Acerca da organização do espaço brasileiro e das atividades

econômicas desenvolvidas no território nacional, julgue os

itens subseqüentes.

  • 8 (CESPE/ABIN-2008) - Sobre a “feição espacial herdada de

um processo de ocupação”, a industrialização promoveu a

desconexão entre as regiões brasileiras, acentuando a

supremacia econômica do Sudeste.

  • 9 (CESPE/ABIN-2008) A “grande descontinuidade temporal e

geográfica” mencionada no texto explica-se pelo processo de

ocupação territorial em que foi privilegiada a atividade

agrícola, espalhada nas diversas regiões do país.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

10 (CESPE/ABIN-2008) O padrão de rede urbana encontrado

no país, hierarquizado segundo o tamanho das cidades,

espelha a integração e a articulação de todo o território

nacional.

11 (QUADRIX/DATAPREV-2010) Em 2009, o programa das

Nações Unidas para o Desenvolvimento, órgão da ONU,

divulgou um relatório no qual o Brasil aparece na 75ª- posição

num total de 182 países analisados no rancking do Índice de

Desenvolvimento Humano (IDH). O IDH varia de 0 a 1 e

procura medir o desenvolvimento humano a partir de três

elementos: saúde, educação e PIB per capita. Do relatório

anterior para o divulgado em 2009, o IDH brasileiro variou de

0,808 para 0,813. Sobre as condições de vida da população

brasileira considere-se as seguintes informações:

I - As cidades brasileiras com maior IDH situam-se sobretudo

nas regiões sul e sudeste, ao passo que as cidades com menor

IDH situam-se sobretudo nas regiões norte e nordeste.

II - Como a renda per capita da população brasileira vem

crescendo nos últimos anos sobretudo entre as classes mais

pobres, a concentração de renda do Brasil (que se relaciona à

desigualdade social ) deixou de figurar entre as maiores do

mundo, sendo a partir de 2007 uma das menores do planeta.

III - O Brasil é o pais da America Latina com o melhor Indice

de Desenvolvimento Humano, superando países como

Argentina e Uruguai.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

IV - Um dos fatores que impulsionaram o aumento da

qualidade de vida da população brasileira é o crescente

aumento da taxa de fecundidade da população, combinado á

redução da mortalidade infantil.

Dadas as afirmações acima, é correto dizer que:

a)Todas as afirmações estão corretas

  • b) Apenas as afirmações I, II e III estão corretas.

c)Apenas a afirmação III está incorreta.

  • d) Apenas a afirmação I está correta.

  • e) Apenas as afirmações I e IV estão corretas.

12 [Adaptada - (CESPE/ABIN-2008)] - O século XX assistiu a

um rápido crescimento da população mundial, que partiu de

1,6

bilhões

e

alcançou

6,1

bilhões.

Não

se prevê uma

estabilização para o atual século, porém, para 2050, a

expectativa é de 9 bilhões de habitantes no planeta.

Ao lado da perspectiva de crescimento populacional mundial, o

movimento de pessoas cruzando fronteiras como imigrantes é

um aspecto relacionado ao processo de integração global,

fonte potencial de conflitos sociais.

13 (CESPE/ABIN-2008) A questão ambiental, tendo em vista

suas implicações sociais, econômicas e políticas, ganhou

repercussão e passou a fazer parte das políticas nacionais e

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

do fórum de debate mundial. Acerca desse assunto, julgue os

itens subseqüentes.

Com a maior parte da população brasileira vivendo em

aglomerações urbanas, a degradação da qualidade do meio

ambiente urbano e dos recursos naturais tem sido motivo de

conflitos e de proliferação de doenças nas cidades.

14 (CESPE/ABIN-2008) - Todos os países, sejam eles pobres

ou ricos, são responsáveis pela degradação ambiental, o que

explica a necessidade de acordos internacionais para a

mitigação dos efeitos adversos e a resolução de conflitos.

15 (CESPE/Agente Administrativo – UERN-2010) - A

Conferência do Clima de Copenhague, a COP15, é nossa

melhor oportunidade para salvar a civilização de um colapso

causado pelo aquecimento global. A relevância do evento

atraiu para a capital da Dinamarca cerca de 35 mil

participantes, entre chefes de Estado, diplomatas, políticos,

ativistas, cientistas, empresários e jornalistas. Salvar o mundo

em uma semana parece uma missão quase impossível. Para

isso, os representantes de 193 países precisam chegar a

acordos internacionais que estabeleçam limites para as

emissões dos países ricos e compromissos das nações

emergentes.

Época, 11/12/2009 (com adaptações).

Considerando o texto acima, assinale a opção correta acerca

das questões ambientais.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

  • a) O desmatamento é responsável por menos de 1% das emissões de

carbono do Brasil.

  • b) Árvores renovam naturalmente o ar que respiramos ao retirar CO2

da atmosfera e liberar oxigênio.

  • c) Antes da Conferência do Clima, o governo brasileiro se

comprometeu a aumentar o desmatamento.

  • d) A atividade agropecuária não interfere no aquecimento global.

  • e) Veículos elétricos e híbridos emitem a mesma quantidade de CO2

que veículos movidos a gasolina.

16 (CESPE- Técnico de Nível Superior – UERN-2010) - O IPCC

(Painel Internacional sobre Mudanças Climáticas), organismo

ligado às Organizações das Nações Unidas, teve a sua

credibilidade abalada por equívoco em relatório sobre o

aquecimento do planeta. Acerca desse equívoco, assinale a

opção correta.

  • a) O erro foi a afirmação de que as geleiras do Himalaia podem

desaparecer neste século.

  • b) O equívoco do relatório foi afirmar que os recentes terremotos que

afetaram o planeta foram causados pelo aquecimento global.

  • c) A admissão do erro acarretou a demissão do presidente e do

conselho técnico do IPCC.

  • d) Após a verificação do erro, a Organização das Nações Unidas

transferiu as atribuições do IPCC para um novo órgão, a ser dirigido

pelos Estados Unidos da América (EUA).

  • e) Ao contrário de um aquecimento global, os dados indicariam, na

verdade, uma elevação do nível dos mares nos próximos cem anos.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

  • 17 (CESPE - Técnico de Nível Superior – UERN-2010) - Entre

os dias 7 e 14 de dezembro de 2009, aconteceu, em

Copenhague, capital da Dinamarca, a 15.ª Conferência das

Partes da Convenção das Nações Unidas sobre Mudança do

Clima, mais conhecida como COP-15. No que concerne aos

resultados dessa conferência, assinale a opção correta.

  • a) Os EUA reafirmaram a posição de George W. Bush de duvidar da

existência do aquecimento global.

  • b) A China sugeriu cortes agressivos de carbono para os países em

desenvolvimento, mas o Brasil se recusou a cumpri-los.

  • c) O documento final da conferência tem validade, mas não tem força

de cumprimento obrigatório entre os signatários.

  • d) O principal embate se deu entre os EUA e a União Européia,

porque os europeus não quiseram cumprir as recomendações norte -

americanas.

  • e) Os países em desenvolvimento concordaram em se submeter à

redução obrigatória da emissão de gases poluentes até 2020.

  • 18 (FUNCAB - DETRAN-SE- 2010) - A autorização do Instituto

Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis

(IBAMA) para o início das obras de integração do Rio São

Francisco às Bacias da Região Nordeste recebeu inúmeras

críticas tanto do Ministério Público quanto da sociedade. A

transposição consiste:

  • a) em levar as águas do rio para beneficiar os estados de Minas

Gerais, Sergipe e Alagoas.

  • b) em tornar o rio totalmente navegável até a sua foz durante todo o

ano.

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ONLINE ATUALIDADES E GEOGRAFIA PARA ABIN PROFESSORA VIRGÍNIA GUIMARÃES

c) na revitalização do rio em todo o seu percurso.

d) na utilização de suas águas para a implantação de hidrelétrica que

permita o uso da energia elétrica na região Norte e Nordeste.

e) na utilização das águas do rio para abastecer pequenos rios e

açudes da região Nordeste que possuem déficit hídrico durante a

estiagem.

Gabarito

1. C

2.

C

3.E

E

  • 4. 5. letra E

6. letra C

7.

C

8. E

  • 9. E

10. E

  • 11. letra D

12. C

13. C

14. C

15.letra B

  • 16. letra A

17. letra C

18. letra E

   

Prof. Virginia Guimarães

www.pontodosconcursos.com.br