Você está na página 1de 74
Psicanálise Profº: VANDERLEI GOMES DOS SANTOS
Psicanálise
Psicanálise

Profº: VANDERLEI GOMES DOS SANTOS

A psicanálise foi formulada por Sigmund Freud (1856-1939) Principais Pressupostos:  Crença na existência do
A psicanálise foi formulada por Sigmund Freud (1856-1939) Principais Pressupostos:  Crença na existência do

A psicanálise foi formulada por Sigmund Freud

(1856-1939)

Principais Pressupostos:
Principais Pressupostos:

Crença na existência do inconsciente

A consideração da sexualidade infantil

Reconhecimento do fenômeno da transferência.

O princípio do determinismo psíquico
O princípio do determinismo psíquico

Na mente, assim como na natureza

física que nos cerca, nada acontece

por acaso ou de modo inexplicado.

Outro pressuposto fundamental:
Outro pressuposto fundamental:

O corpo é a fonte básica

experiência mental.

de

toda a

Paralelismo Psicofísico
Paralelismo Psicofísico
experiência mental. de toda a Paralelismo Psicofísico Os processos psíquicos não podem ocorrer na ausência de

Os processos psíquicos não podem ocorrer na ausência de processos fisiológicos e estes últimos precedem os primeiros.

Outro pressuposto importante:
Outro pressuposto importante:
Outro pressuposto importante: O impulso alicerces na biologia do organismo sexual tem seus

O impulso

alicerces na biologia do organismo

sexual

tem

seus

Psicanálise é

Caracteriza-se

por

um

Psicanálise é Caracteriza-se por um Uma teoria conjunto de conhecimentos sistematizados sobre o funcionamento da vida

Uma teoria

conjunto

de

conhecimentos

sistematizados sobre o funcionamento da vida psíquica.

Um método de • Caracteriza-se pelo método interpretativo, • Interpretação dos sonhos, dos atos falhos

Um método de

Caracteriza-se pelo método interpretativo,

Interpretação dos sonhos, dos atos falhos

associações livres.

e

Busca significado oculto do que é manifesto através de

ações e palavras .

E uma prática profissional • Uma forma de tratamento psicológico (a análise), que visa o

E uma prática profissional

Uma forma de tratamento psicológico (a análise), que visa o autoconhecimento;

Pulsões
Pulsões

Excitações de origem interna (no corpo) que produzem constantemente certo nível de tensão, pois têm a particularidade de manter o aparelho psíquico permanentemente excitado.

Pulsões
Pulsões
São as forças propulsoras que incitam as pessoas à ação.
São as forças propulsoras que incitam as pessoas à
ação.

Instinto

Pulsão

que incitam as pessoas à ação. Instinto Pulsão Ligado a determinadas categorias de comportamentos
que incitam as pessoas à ação. Instinto Pulsão Ligado a determinadas categorias de comportamentos

Ligado a determinadas categorias de

comportamentos pré-estabelecidos e realizados de maneira estereotipada.

Refere-se a uma fonte de energia

psíquica não específica, que pode

conduzir a comportamentos diversos.

O conceito de pulsão tem por referenciais:
O conceito de pulsão
tem por referenciais:

Um processo somático que ocorre num órgão ou parte do corpo. Quando emerge uma necessidade.

Uma Fonte
Uma Fonte
Uma Finalidade
Uma Finalidade

Dar ao organismo a

satisfação que ele

deseja no momento.

Uma Pressão
Uma Pressão
Um Objeto
Um Objeto

A quantidade de energia ou força que a pulsão

representa.

Qualquer coisa, ação ou

expressão que permite a satisfação da finalidade

original.

Exemplo:

Uma pessoa com sede

O corpo desidrata até que precisa de mais líquido.
O corpo desidrata
até que precisa de
mais líquido.
A Fonte
A Fonte
À medida que a necessidade se torna maior. Sensação de sede
À medida que a
necessidade se
torna maior.
Sensação
de sede
A necessidade crescente de líquido. Enquanto não for satisfeita, aumenta sua intensidade e a pressão
A necessidade
crescente de
líquido.
Enquanto não for
satisfeita, aumenta
sua intensidade e a
pressão ou energia.
Finalidade
Finalidade
Reduzir a Tensão
Reduzir a Tensão
Objeto
Objeto
Todo o ato que busca reduzir essa tensão.
Todo o ato que busca reduzir
essa tensão.

Freud assume que o modelo mental e comportamental normal e saudável tem a finalidade de reduzir a tensão a

níveis previamente aceitáveis.

O ciclo completo de comportamento que parte do repouso

para a tensão e a atividade, e volta para o repouso, é denominado modelo de tensão-redução.

As maiores contribuições da teoria psicanalítica são:

Compreensão da vida mental do indivíduo e

aplicação de insights para aliviar certas formas de

sofrimento.

O comportamento humano é quase sempre

governado por fatores inconscientes.

A fase adulta é profundamente influenciada pelo desenvolvimento infantil.

Produziu um sistema de referência significativo para a compreensão dos meios através dos quais dos quais

um indivíduo tenta enfrentar a ansiedade.

Oferece recursos de decifragem do inconsciente por meio da análise dos sonhos, resistências e transferências.

Níveis Psíquicos

Inconsciente

Consciente
Consciente

O consciente é somente uma pequena parte da mente,

incluindo tudo do que estamos cientes num dado

momento.

Níveis Psíquicos

O Pré-Consciente é uma parte do Inconsciente, uma parte que pode tornar-se consciente com facilidade. Inconsciente

Pré-consciente Consciente
Pré-consciente
Consciente

As porções da memória que nos são facilmente acessíveis fazem parte do Pré-Consciente.

É

como

uma

vasta

área

de

posse

das

lembranças

de

que

a

consciência precisa para desempenhar suas funções.

Níveis Psíquicos

No inconsciente estão elementos instintivos não acessíveis à consciência.

Inconsciente Pré-consciente Consciente
Inconsciente
Pré-consciente
Consciente

Onde estão os principais determinantes da

personalidade,

as fontes da energia psíquica, as pulsões e os

instintos.

Os processos mentais

inconscientes

são em si mesmos intemporais.

Há também material que foi excluído da consciência, censurado e reprimido. Este material não é esquecido nem perdido mas não é permitido ser lembrado.

Estrutura da Personalidade
Estrutura da Personalidade
O Id
O Id
Três componentes básicos estruturais da psique:
Três componentes básicos
estruturais da psique:

Contém tudo o que é herdado.

Se acha presente no nascimento.

As leis lógicas do pensamento não se aplicam ao Id.

É o reservatório de energia de toda a personalidade.

Não tolera energias muito intensas experimentadas

como estados desconfortáveis de tensão.

dor a obter o prazer. Evitar e Reduzindo a tensão quando ela atinge um nível

dor

a obter o prazer.

Evitar

e

Reduzindo a tensão quando ela atinge um nível elevado.
Reduzindo a tensão quando
ela atinge um nível elevado.
Processos utilizados pelo Id
Processos utilizados pelo
Id
A Ação Reflexa
A Ação Reflexa
O Processo Primário
O Processo Primário

A Ação Reflexa

A Ação Reflexa Reações automáticas e inatas O Processo Primário Tenta descarregar a tensão formando a
Reações automáticas e inatas
Reações automáticas e
inatas
O Processo Primário
O Processo Primário
Tenta descarregar a tensão formando a imagem de um objeto que removerá a tensão.
Tenta descarregar a tensão formando
a imagem de um objeto que
removerá a tensão.
O Ego
O Ego

É a parte do aparelho psíquico que está em contato com a realidade externa.

Como a casca de uma árvore, o Ego protege o Id, mas extrai dele a energia suficiente para suas realizações.

Ele tem a tarefa de garantir a saúde, segurança e

sanidade da personalidade.

Estabelece a conexão entre a percepção sensorial e

a ação muscular, ou seja, comandar o movimento

voluntário.

Controla as exigências dos instintos, decidindo se elas devem ou não ser satisfeitas, adiando essa satisfação para ocasiões e circunstâncias mais favoráveis ou suprimindo inteiramente essas excitações.

Considera as tensões produzidas pelos estímulos, coordena e conduz estas tensões adequadamente.

Se esforça pelo prazer e busca evitar o desprazer.

O Superego

Atua como um juiz ou censor sobre as atividades e pensamentos do Ego.

É o depósito dos códigos morais, modelos de conduta e dos parâmetros que constituem as inibições da personalidade.

Representa mais o ideal do que o real e tende mais

à perfeição do que ao prazer.

Com a formação do superego o controle dos pais é

substituído pelo autocontrole.

As funções principais do superego são:

1. Inibir os impulsos do id;

2. Persuadir o ego a substituir os alvos realistas por

alvos moralistas;

Relações entre os Três Subsistemas
Relações entre os Três Subsistemas

O Comportamento é quase sempre o resultado da interação desses três sistemas; raramente um sistema

funciona com exclusão dos demais.

A meta fundamental da psique é manter e recuperar, quando perdido, um nível aceitável de

equilíbrio dinâmico que maximiza o prazer e minimiza

o desprazer.

A energia que é usada para acionar o sistema nasce

no Id, que é de natureza primitiva, instintiva.

0 ego, emergindo do id, existe para lidar realisticamente com as pulsões básicas do id e também

age como mediador entre as forças que operam no Id e

no Superego e as exigências da realidade externa.

Podemos considerar o id como componente

biológico da

personalidade,

o

ego

como

o

componente psicológico componente social.

e

o

superego

como

o

O superego, emergindo do ego, atua como um

freio moral ou força contrária aos interesses práticos

do ego. Ele fixa uma série de normas que definem e

limitam a flexibilidade deste último.

O id é inteiramente inconsciente, o ego e o superego o são em parte.

Ansiedade

Sua função é alertar para o perigo iminente,

avisar ao ego que, caso não sejam tomadas medidas apropriadas, o perigo pode crescer a ponto de ele ser derrubado.

Para Freud, o principal problema da psique é encontrar maneiras de enfrentar a ansiedade.

Há três espécies de ansiedade:

a) Com base na realidade

é o medo do perigo proveniente do mundo exterior

sendo proporcional ao grau de ameaça real;

b) A ansiedade neurótica

é o medo de que os instintos escapem ao controle e

levem a pessoa a realizar algo que possa merecer

punição;

c) A ansiedade moral - é o medo da própria consciência

(sentir-se culpado quando faz algo contra seu código moral).

Segundo Freud, a ansiedade pode ser diminuída de dois

modos:

Lidando diretamente com a situação; lutando para eliminar dificuldades e

diminuir probabilidades de sua repetição

Armando defesas contra a ansiedade,

negando a própria situação.

deformando ou

O

Ego

protege

a

personalidade

contra

falsificando a natureza desta.

a

ameaça,

Mecanismos de Defesa

Podem

ser

como são utilizados.

positivos

ou

negativos,

dependendo

de

Apresentam duas características em comum:

1 - negam,

falsificam ou distorcem a realidade,

2 - e operam em nível inconsciente.

Repressão

Consiste em afastar da consciência um evento,

ou percepção

mantendo-os à distância (no inconsciente).

idéia

potencialmente provocadores de ansiedade,

Nunca

é

realizada

definitivamente,

de

uma

vez

por

todas

e

mas exige um continuado consumo de energia para se manter o material reprimido.

Algumas doenças psicossomáticas: asma, artrite e úlcera

Cansaço excessivo, as fobias e a impotência ou a

frigidez,

possivelmente derivam de sentimentos reprimidos.

Negação

É a tentativa de não aceitar na consciência algum fato que perturba o Ego.

A tendência de fantasiar que certos acontecimentos

não são, de fato, do jeito que são, ou que na verdade

nunca aconteceram.

A notável capacidade de lembrar-se incorretamente de

fatos é a forma de negação encontrada com maior freqüência na prática psicoterápica.

Racionalização

É o processo de achar motivos lógicos e racionais aceitáveis para pensamentos e ações inaceitáveis.

Uma pessoa apresenta uma explicação que é logicamente consistente ou eticamente aceitável para

uma atitude, ação, idéia ou sentimento que causa

angústia.

Eu só estou fazendo isto para seu próprio bem"

Racionalização

Superego,

é

modo

de

um

aceitar

a

de disfarçar verdadeiros motivos,

pressão

do

de tornar o inaceitável mais aceitável.

Enquanto obstáculo ao crescimento, a Racionalização impede a pessoa de aceitar e de trabalhar com as forças motivadoras genuínas.

“Eu não faço por causa dos meus filhos!”

Formação Reativa

Substitui comportamentos e sentimentos que são diametralmente opostos ao desejo real.

Trata-se de uma inversão clara do verdadeiro desejo.

Não só a idéia original é reprimida, mas qualquer vergonha

ou auto-reprovação que poderiam surgir ao admitir tais pensamentos em si próprios também são excluídas da

consciência.

O impulso, sendo negado, tem que ser cada vez mais ocultado.

Uma pessoa torna-se consciente de um desejo que não

pode ser satisfeito,

evoca, conseqüentemente, forças psíquicas opostas

a fim de suprimirem efetivamente este desprazer.

Para essa supressão ela costuma construir barreiras mentais contrárias ao verdadeiro sentimento ,

como

por

moralidade.

exemplo,

a

repugnância,

a

vergonha

e

a

As

principais

características

reveladoras

de

Formação

Reativa são seu excesso,

sua rigidez e sua extravagância.

A Formação Reativa oculta partes da personalidade e

restringe eventos e,

a

capacidade

de

uma

dessa

forma,

a

personalidade

relativamente inflexível.

pessoa

pode

responder

a

tornar-se

Em alguns casos, a super-proteção e um tratamento com formalidade exagerada são, na verdade, uma forma de punição devido a ressentimentos.

Projeção

Ato de atribuir a uma outra pessoa, animal ou objeto as qualidades, sentimentos ou intenções que se originam em si próprio.

É um mecanismo de defesa através do qual os aspectos da personalidade de um indivíduo são deslocados de

dentro deste para o meio externo.

A ameaça é tratada como se fosse uma força externa.

Sempre que caracterizamos algo de fora de nós como

sendo mau, perigoso, pervertido, imoral e assim por diante, sem reconhecermos que essas características

podem também ser verdadeiras para nós, é provável que

estejamos projetando.

As pessoas que negam ter um determinado traço

específico de personalidade são sempre mais críticas em

relação a este traço quando o vêem nos outros.

Regressão

É um retorno a um nível de desenvolvimento anterior ou a um modo de expressão mais simples ou mais

infantil.

É um modo de aliviar a ansiedade escapando do

pensamento realístico para comportamentos que, em

anos anteriores, reduziram a ansiedade.

Sublimação

A energia associada a impulsos e instintos socialmente

e pessoalmente constrangedores é, na impossibilidade de realização destes,

canalizada para atividades socialmente meritosas e reconhecidas.

A frustração de um relacionamento afetivo e sexual mal resolvido, por exemplo, é sublimado na paixão pela leitura ou pela arte.

Deslocamento

É o mecanismo onde a pessoa substitui a finalidade

inicial de uma pulsão por outra diferente e socialmente

mais aceita.

A transferência de sentimentos de um alvo para outro, que é considerado menos ameaçador ou é neutro.

IDENTIFICAÇÃO

É o processo psíquico por meio do qual um indivíduo assimila um aspecto, uma característica de outro, e

se transforma, total ou parcialmente, apresentando-

se conforme o modelo desse outro.

FANTASIA

É um processo psíquico em que o indivíduo concebe uma situação em sua mente, que satisfaz

uma necessidade ou desejo, que não pode ser, na

vida real, satisfeito.

A fantasia apresenta -se como:

a)Fantasias conscientes ou sonhos diurnos.

b)Fantasias inconscientes como as que a análise revela,

como estruturas subjacentes a um conteúdo manifesto.

COMPENSAÇÃO

Encobrir uma fraqueza real ou percebida enfatizando uma característica que se considera

mais desejável

Exercícios:
Exercícios:
Exercícios: 1. Carlos diz à enfermeira de reabilitação: "Eu bebo porque esta é a única maneira

1. Carlos diz à enfermeira de reabilitação: "Eu bebo porque esta é a única maneira que tenho para lidar com meu casamento fracassado e meu emprego ainda pior."

2. Maria odeia a enfermagem. Ela fez

enfermagem para agradar aos pais. Durante o exercício da profissão, ela fala a estudantes

em perspectiva sobre a excelência da

enfermagem como carreira.

o exercício da profissão, ela fala a estudantes em perspectiva sobre a excelência da enfermagem como

3. Um menino deficiente físico não consegue jogar futebol, por isso

compensa tornando-se muito estudioso.

4. Uma mulher toma bebidas alcoólicas todos os dias e não consegue parar,não reconhecendo que tem um problema.

4. Uma mulher toma bebidas alcoólicas todos os dias e não consegue parar,não reconhecendo que tem

5.Um

cliente

está

furioso

seu

médico, não expressa isso, mas agride

verbalmente a enfermeira.

com

6.Ao ser hospitalizado devido a amigdalite, Joel, de 2 anos, só mama na mamadeira, embora sua mãe diga que

ele está tomando leite no copo há seis

meses.

Joel, de 2 anos, só mama na mamadeira, embora sua mãe diga que ele está tomando

7. Um adolescente que precisou de uma

reabilitação longa após um acidente decide tornar-se fisioterapeuta em conseqüência

de suas experiências.

8.Uma vítima de acidente não consegue se lembrar de nada a respeito do acidente.

de suas experiências. 8.Uma vítima de acidente não consegue se lembrar de nada a respeito do

9. Uma mãe cujo filho foi morto por um

motorista embriagado canaliza sua raiva e

energia para ser a presidente da seção local da Mães contra motoristas Bêbados.

10. Silvia sente uma forte atração sexual por seu treinador de corrida e diz a uma

amiga. Ele está vindo atrás de mim!"

sente uma forte atração sexual por seu treinador de corrida e diz a uma amiga. Ele

O Desenvolvimento da Personalidade

Delineamento dos estágios do desenvolvimento psicossocial e psicossexual da pessoa.

Proporciona:

Os instrumentos conceituais para compreender tendências ocorrentes no desenvolvimento;

Padrões comportamentais típicos esperados nos vários estágios do crescimento;

O funcionamento normal e anormal em termos pessoais e

sociais;

Necessidades críticas e sua satisfação ou frustração;

Origens

personalidade;

do

desenvolvimento

defeituoso

da

Conducente a problemas posteriores de ajustamento.

Os problemas mais típicos trazidos pelas pessoas que

procuram tratamento são:

1. A incapacidade de confiar em si mesmo e nos outros, o medo de amar e de estabelecer relações íntimas , a diminuição da auto-estima;

2.A incapacidade de reconhecer e expressar sentimentos de hostilidade, ressentimento, raiva e ódio, a negação do próprio poder como pessoa e a falta de sentimentos de

autonomia;

3.A incapacidade de aceitar plenamente a própria sexualidade

e os sentimentos sexuais, dificuldade de aceitar-se como

homem ou mulher e medo da sexualidade.

De acordo com Freud, são todos fundados nos cinco primeiros anos de vida.

O primeiro anos de vida: A Fase Oral
O primeiro anos de vida: A Fase Oral
A voracidade e a possessividade
A voracidade e a possessividade
anos de vida: A Fase Oral A voracidade e a possessividade O principal padrão de comportamento
O principal padrão de comportamento esperado na fase oral
O principal
padrão de
comportamento esperado na
fase oral
Aquisição do sentimento de confiança
Aquisição do
sentimento de confiança
O efeito da rejeição infantil
O efeito da
rejeição infantil
sentimento de confiança O efeito da rejeição infantil Ser medroso, inseguro, necessitado de atenção, ciumento,
Ser medroso, inseguro, necessitado de atenção, ciumento, agressivo, hostil e solitário.
Ser medroso, inseguro,
necessitado de atenção,
ciumento, agressivo, hostil
e solitário.
A Fase Anal
A Fase Anal
As tarefas durante este estágio
As tarefas durante este
estágio

Aprender a reconhecer e lidar com os sentimentos negativos, tais como

a destrutividade, o ressentimento, a

raiva.

Aprendizagem da

independência, do poder pessoal e da autonomia.

A Fase Fálica
A Fase Fálica
Aprender a aceitar seus sentimentos sexuais como naturais e desenvolver um respeito sadio por seu
Aprender a aceitar seus sentimentos sexuais como
naturais e desenvolver um respeito sadio por seu corpo.
Precisa de modelos adequados para identificação do papel sexual.
Precisa de modelos adequados para identificação do
papel sexual.
A Fase Genital
A Fase Genital

As catexis dos períodos pré-genitais são narcisistas quanto ao seu caráter.

pré-genitais são narcisistas quanto ao seu caráter. Significa que o indivíduo tem satisfação ao estimular e
Significa que o indivíduo tem satisfação ao estimular e manipular o próprio corpo. Na adolescência
Significa que o indivíduo tem satisfação
ao estimular e manipular o próprio
corpo.
Na adolescência o narcisismo é
canalizado pra escolhas objetais
genuínas.

Transferência

“As identidades inconscientemente atribuídas a um analista

por paciente na regressão do tratamento psicanalítico

e as reações do paciente a essas representações,

usualmente derivadas de experiências anteriores.”

Essas identidades

refletem fantasias e

que o paciente revive na

situação analítica.

recordações inconscientes

Um fenômeno que ocorre usualmente em associação com

 

neurose de transferência.

denominada

a regressão na situação de

tratamento psicanalítico

 

“O

que

está

sendo

transferido

não

são,

essencialmente,

os

objetos

externos

do

passado

da

criança,

mas

os

objetos

internos.

O que acontece na transferência é uma projeção do mundo interno do paciente.

Contratransferência

O analista também tem um inconsciente.

É uma reação inconsciente.

Algumas das

formas comuns

cognitivas, afetivas e comportamentais

em que a contratransferência torna-se uma interferência:

Incapacidade para compreender certas espécies de material que alude a problemas pessoais do próprio terapeuta.

Sentimentos de depressão ou inquietação durante ou após as horas analíticas com certos clientes.

Desleixo no tocante a providências: esquecer a hora

marcada com o cliente, chegar atrasado, deixar as horas

do cliente excederem o tempo sem qualquer razão especial.

Persistente sonolência (do terapeuta) durante a hora da sessão.

Ter repetidamente sentimentos eróticos ou afetivos

para com um cliente.

Permitir e até encorajar a resistência na forma de

passagem ao ato.

Um impulso para entregar-se a mexericos profissionais a

respeito de um cliente.

Sentir que o cliente deve ficar bom por causa da reputação e prestígio do terapeuta.

Ficar excessivamente temeroso de perder o cliente.

Auferir satisfação consciente dos elogios, apreço e

provas de afeição do cliente.

Discutir com o cliente.

Súbito aumento ou declínio de interesse num certo caso.

Tentar ajudar o cliente de maneiras extra-analíticas, por exemplo, fazendo certos arranjos financeiros ou combinando visitas em casa.

Súbito aumento ou declínio de interesse num certo caso.

Exemplo de Contratransferências:
Exemplo de
Contratransferências:

Sessão com uma adolescente de 15 anos de idade:

Terapeuta: Seu pai falou

problema sério na escola, quase sendo expulsa por

causa de mau comportamento.

acontecendo?

você

está

que

com

um

O

está

que

Cliente: É um monte de coisas, eu sou muito

estourada, muito estressada. Mas eu não sou a única

com problemas na escola.

Terapeuta: Não sei se você sabe dos benefícios que a escola onde você estuda atualmente pode trazer para

você. Sabia que sua escola é muito bem conceituada?

Para entrar lá é necessário fazer uma prova, muita gente tenta e não consegue passar, seu pai conseguiu

que você entrasse porque tem conhecimentos. É uma

escola que te dá formação técnica, você sai com diploma, pronta para encarar o mercado de trabalho.

Terapeuta : Agora você tem a oportunidade de estudar com formação técnica na profissão que quiser sem pagar nada

por isso.

Se for para escola publica o máximo que vai conseguir é se formar no ensino médio, e quando ingressar no mercado de

trabalho o máximo que vai conseguir com um currículo de

formação no ensino médio é um salário mínimo.

BÁSICA:

GARCIA-ROZA,L.A,.Freud e o inconsciente. Rio de Janeiro, Jorge Zahar

Editora,1991.

MARX,M.H; HILLEX,W.A.Sistemas e teorias em psicologia. SP, Cultrix Editora,

1985.

FREUD,S. Obras completas.(ESB) Rio de Janeiro, Imago, 1987.

COMPLEMENTAR:

QUINET,A.A descoberta do inconciente.Rio de Janeiro, Jorge Zahar

Editora,2000.

LAPLANCHE,J e PONTATIS,J.B.Vocabulário da psicanálise. São Paulo Martins

Fontes Editora. 1983

JORGE, MARCO A. COUTINHO. Fundamentos da Psicanálise: de Freud a Lacan. Vol. I,As bases conceituais. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editora,2000