Você está na página 1de 2

Não se torture

O mestre Lu-Tzu diz: "Quando se começa a levar adiante a


decisão, cuidados devem ser tomados para que tudo possa
acontecer de uma maneira confortável e relaxada."

"Esta é a primeira coisa a ser entendida. Uma vez que você tome a decisão de seguir o
caminho para dentro, uma vez que você tome a decisão de ser um sannyasin, de ser um meditador,
uma vez que você tome a decisão que agora o interior está chamando e você vai procurar e buscar
pela questão 'Quem sou?', então a primeira coisa a ser lembrada é: não se mova de uma maneira
tensa. Mova-se de uma maneira muito relaxada, certifique-se de que sua jornada interior está
confortável. Isto agora é de imensa importância.
Normalmente este primeiro erro acontece a todo mundo. As pessoas começam a fazer sua
jornada interior desnecessariamente complicada, desconfortável. Isto acontece por uma certa razão.
As pessoas estão raivosas com os outros em sua vida normal. Elas estão violentas com os outros.
Em suas extrovertidas jornadas normais elas são sádicas: elas gostam de torturar os outros, de
derrotar os outros, de competir com os outros, de conquistar os outros. Todo o seu prazer está em
como fazer os outros se sentirem inferiores a elas. Isto é a sua jornada extrovertida. Isto é a
política. Esta é a mente política, constantemente tentando tornar-se superior aos outros, legalmente
ou ilegalmente, mas mantendo o constante esforço para derrotar os outros, a qualquer custo.
Mesmo que o outro tenha que ser destruído, então que ele seja destruído. Mas há que se vencer:
ser o primeiro-ministro, ser o presidente, ser isto ou aquilo, a qualquer custo. E todos são inimigos,
pois todos são competidores. Lembre-se disto: toda a sua educação prepara-o e dá-lhe prontidão
para lutar. Ela não o prepara para a amizade e o amor; ela o prepara para o conflito, a inimizade e a
guerra.
Sempre que há competição, é muito provável que exista inimizade. Como você pode ser
amigável com pessoas que estão competindo consigo, que são perigosas para você e para quem
você é perigoso? Ou elas vencerão e você será derrotado, ou você será o vencedor e elas terão que
ser derrotadas. Assim, tudo o que vocês chamam de amizade, é simplesmente uma fachada, uma
formalidade. É um tipo de lubrificante que faz a vida se movimentar suavemente, mas no fundo,
ninguém é amigo. Mesmos os amigos não são amigos pois eles estão se comparando, uns com os
outros, brigando uns com os outros. Este mundo tornou-se um campo de guerra devido à educação
orientada para a ambição e a política.
Quando um homem se volta para dentro o problema surge: o que ele
fará com sua raiva, inimizade, agressão e violência? Agora ele está só; ele
começará a se torturar, ele ficará raivoso consigo mesmo. Isto é o que são
os chamados Mahatmas. Por que eles se torturam? Por que eles jejuam? Por
que eles se deitam em camas de espinho? Quando existe uma árvore com
uma bela sombra, por que eles permanecem em pé sob o sol quente?
Quando está quente, por que eles se sentam ao lado do fogo? Quando está
frio, por que eles permanecem em pé nus dentro dos rios ou na neve? Estes
são os políticos invertidos. Primeiro eles estavam brigando com os outros.
Agora não há com quem brigar e eles estão brigando consigo mesmos. Eles
são esquizofrênicos, eles estão divididos. Agora é uma guerra civil, eles
estão lutando contra o corpo.
O corpo é a vítima dos seus chamados Mahatmas. O corpo é
inocente, ele não fez coisa alguma errada para você, mas as suas chamadas
Mind - Osho Neo Tarot
religiões seguem ensinando que o corpo é o inimigo; torture-o.
A jornada extrovertida era uma jornada de sadismo. A introvertida se torna uma jornada de
masoquismo, você começa a se torturar. E existe um certo prazer, uma certa alegria pervertida em
se torturar. Se você pesquisar na história, ficará surpreso, você não acreditará no que o homem tem
feito consigo mesmo.
Pessoas têm ferido seus corpos e têm mantido aquelas feridas sem curá-las; porque o corpo
é o inimigo. Existem seitas cristãs, seitas hindus, seitas jainas e muitas outras que se tornaram
muito astutas, habilidosas e eficientes no que diz respeito à tortura do próprio corpo. Eles
desenvolveram grandes métodos de como torturar o corpo. (...)
Toda espécie de estupidez tornou-se possível por causa de um simples erro. O erro é:
enquanto você vive externamente, você tentar fazer com que a vida seja difícil para os outros; e
quando você começa a se voltar para dentro, existe uma possibilidade de que a velha mente tentará
fazer com que a sua vida seja difícil. Lembre-se de que o buscador interior tem que estar
confortável, porque somente numa situação confortável, num estado relaxado, alguma coisa pode
acontecer. Quando você está tenso e desconfortável, nada é possível. Quando você está tenso e
desconfortável, sua mente está preocupada, você não está num espaço de silêncio. Quando você
está faminto, como você pode estar num espaço de silêncio. E as pessoas têm ensinado a jejuar e
dizem que o jejum o ajudará a meditar.
Uma vez ou outra, o jejum pode ajudá-lo a ter uma saúde melhor, ele tirará alguns quilos do
seu corpo, quilos desnecessários. Mas o jejum não pode ajudar a meditação. Quando você está
jejuando, constantemente estará pensando em comida. (...)
As pessoas que estão reprimindo suas fomes, estão constantemente pensando em comida. É
natural. Como você consegue meditar? Quando você está jejuando, cardápios e mais cardápios
começam a flutuar em sua mente, eles vêm de todos os lugares; belos pratos. Com todo o cheiro de
comida, pela primeira vez você começará a sentir que seu nariz está vivo, e que sua língua está
viva. É bom jejuar de vez em quando para que você possa se interessar novamente pela comida,
mas isto não é bom para a meditação. É bom para que seu corpo fique um pouco mais sensitivo e
assim você possa saborear novamente. O jejum deve estar a serviço da festa. É bom não comer de
vez em quando, assim o apetite pode voltar. Para a saúde é bom, mas a meditação nada tem a ver
com isto. Será mais difícil meditar quando você está com fome do que quando você está totalmente
satisfeito. Sim, comer demais lhe trará problemas de novo, porque quando você come em demasia
você se sente sonolento. E quando você não come nada você se sente faminto.
Estar no meio é o caminho certo: o Meio Dourado.
Coma de modo que você não sinta fome, mas não coma demais para você não ficar
sobrecarregado, sonolento. E a meditação será mais fácil. O Meio Dourado tem que ser seguido de
todas as maneiras, em todo tipo de situações.
Esteja confortável, esteja relaxado. Não há qualquer necessidade de se torturar, nem de criar
problemas desnecessários. Abandone essa mente de raiva, violência e agressão; e somente então
você conseguirá mover-se para dentro. Porque somente numa consciência relaxada é possível
flutuar internamente, cada vez mais fundo. Em completo relaxamento alcança-se o centro mais
interno. (...)"

OSHO - The Secret of Secrets vol. II - Cap. 1


Tradução: Sw. Bodhi Champak

Copyright © 2006 OSHO INTERNATIONAL FOUNDATION, Suiça.


Todos os direitos reservados.