Você está na página 1de 62

Faculdade Sete De Setembro – Fasete Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação

Bruno Leonardo Pontes Silva

TI VERDE E O DESCARTE DO LIXO COMPUTACIONAL: Um estudo de caso na Prefeitura Municipal de Paulo Afonso/BA

Paulo Afonso – BA Fevereiro 2011

Bruno Leonardo Pontes Silva

TI VERDE E O DESCARTE DO LIXO COMPUTACIONAL: Um estudo de caso na Prefeitura Municipal de Paulo Afonso/BA

Monografia apresentada ao curso de Bacharelado em Sistemas de Informação da Faculdade Sete de Setembro – FASETE, como requisito para obtenção do título de Bacharel em Sistemas de Informação, sob a orientação do professor Esp. Igor Oliveira Costa.

Paulo Afonso Fevereiro 2011

Igor Medeiros Vanderlei Paulo Afonso Fevereiro 2011 . Msc. Igor de Oliveira Costa __________________________________ 1º Examinador: Prof. Aprovada por: __________________________________ Orientador: Prof. Ricardo Azevedo Porto __________________________________ 2º Examinador: Prof. Esp.Bruno Leonardo Pontes Silva TI VERDE E O DESCARTE DO LIXO COMPUTACIONAL: Um estudo de caso na Prefeitura Municipal de Paulo Afonso/BA Dissertação apresentada ao corpo docente da Faculdade Sete de Setembro – FASETE como requisito parcial à obtenção do título de Bacharel em Sistemas de Informação. Esp.

principalmente a minha esposa que me motivou bastante para o término deste curso. e a minha mãe que sempre esteve ao meu lado. .Dedico esse trabalho a minha família.

que indicou esse tema tão importante para o meio ambiente. Esp. E por fim agradeço aos meus companheiros de trabalho pela compreensão e apoio durante a confecção desta pesquisa. e Prof. Ricardo Porto que me auxiliou bastante no decorrer da graduação. principalmente a Edson e Edvan que contribuíram com os dados da pesquisa. Doutorando Igor Medeiros e orientador desta pesquisa Prof. em especial Julyana Motta. Igor Costa.Agradecimentos Gostaria de agradecer a todos as pessoas que me ajudaram durante essa longa jornada acadêmica e na elaboração deste trabalho. Esp. principalmente a familiares e amigos. . Agradeço também aos funcionários do setor de Assessoria de Modernização e Informática. não deixando de destacar o coordenador do curso de Sistemas de Informação Prof. Aos muitos amigos que fiz durante o curso. não seria possível a realização desta monografia. Agradeço ao corpo docente da Faculdade Sete de Setembro que sem essas pessoas.

” Ahmedabad. as escolhas que fazemos. 2007. . e as ações que praticamos.“Necessitamos repensar e mudar com criatividade e imaginação os valores pelos quais vivemos.

o que possibilita a abertura de novos caminhos na área. Resumo Buscando-se reduzir o desperdício e aumentar a eficiência da Tecnologia da Informação (TI). Paulo Afonso . Faculdade Sete de Setembro – FASETE.SILVA. Monografia (Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação). Tecnologia da Informação Verde. No estudo de caso percebe-se que há um longo percurso para se conseguir um bom gerenciamento do destino do lixo eletrônico e resolver o problema do descarte. Palavras-chave: Tecnologia da Informação. Bruno Leonardo Pontes. O objetivo desta pesquisa foi mostrar como as práticas da TI Verde contribuem na diminuição dos impactos ambientais e analisar como é realizado o descarte dos resíduos eletrônicos referentes a computadores e seus periféricos na Prefeitura Municipal de Paulo Afonso . 49 f. tornou-se necessário criar e estabelecer práticas para tanto. 2011.BA. TI Verde e o descarte do lixo computacional: Um estudo de caso na Prefeitura Municipal de Paulo Afonso – BA. Lixo computacional.BA a fim de verificar qual o melhor destino do lixo computacional a ser empregado. Um resultado positivo foi a constatação de que a direção e os técnicos do órgão responsável pela TI na Prefeitura Municipal de Paulo Afonso possuem conhecimento sobre a TI verde. . O conjunto dessas práticas para tornar mais sustentável e menos prejudicial o nosso uso da computação é conhecido como Tecnologia da Informação Verde (TI Verde).

The objective of this research was to show how the practices of Green IT contribute to the reduction of environmental impacts and examine how it's performed the disposal of electronic waste regarding computers and their peripherals in the City Hall of Paulo Afonso . Faculdade Sete de Setembro – FASETE. A positive result was the finding that the steering and the technical body responsible for IT in the City Hall of Paulo Afonso are knowledgeable about green IT. Keywords: Information Technology. Bruno Leonardo Pontes. which enables the opening of new roads in the area. 49 f. Green IT and computer waste disposal: A case study in the City Hall of Paulo Afonso – BA. it became necessary to create and establish practices for both.BA. Monograph (Course of Bachelor of Information Systems). Computing Waste. 2011. In the case study it is clear that there is a long way to getting a good management of the fate of junk and solve the problem of disposal. Abstract Aiming to reduce waste and improve efficiency of Information Technology (IT). .SILVA.BA to verify what is the best destination garbage computation to be hired. All of these practices to become more sustainable and less harmful to our use of computing is known as Green Information Technology (Green IT). Paulo Afonso . Green Information Technology.

.......................................................18 Figura 3: O WEEE MAN Construido com os eletrônicos que os britânicos jogam fora........................................13 Figura 2: Estrutura da CEDIR...diegobrito..............24 Figura 4: Percepção do problema por fluxograma.. Fonte: http://www...34 Figura 8: Sala de análise e reaproveitamento das peças............................................................................28 Figura 5: Organograma da Prefeitura Municipal de Paulo Afonso ...................................35 ...........................................com.....................Lista de ilustrações Figura 1: ranking do Greenpeace das empresas consideradas verdes.................br/archives/tag/lixoeletronico...... 2011...............31 Figura 7: Depósito do lixo computacional da prefeitura municipal de Paulo Afonso.............. ........30 Figura 6: Setor de Assessoria de Modernização e Informática da PMPA Fonte: Silva...............

Lixo Elétrico e Equipamentos Eletrônicos (Waste Electrical and Electronic Equipment Directive) .Diretiva de Restrição de Certas Substâncias Perigosas (Restriction of Certain Hazardous Substances) TI – Tecnologia da Informação TI Verde – Tecnologia da Informação Verde UNEB – Universidade do Estado da Bahia USP – Universidade de São Paulo WEEE .Lista de abreviaturas e siglas ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas CCE – Centro de Computação Eletrônica CEDIR – Centro de Descarte e Reuso de Resíduos de Informática FNDE – Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ISO – Organização Internacional para Padronização (International Organization for Standardization) ONG – Organização Não Governamental PMPA – Prefeitura Municipal de Paulo Afonso RoHS Directive .

.2 Campo de pesquisa...1...2...........1 Tecnologia da Informação......8 2................1...............................................................................................................................2 Objetivos Específicos...............1 Tipo de Pesquisa...............................................2......................5................ 3 1.....2...............................................2.......4 1.................9 2................4 Os 5 Rs da educação ambiental................. 8 2..2...................................................2.........5 Descarte do lixo eletrônico em São Paulo – CEDIR....................................1 Problemas da Pesquisa............2...........................2..............................................4............ 2 1....................3 Consumo sustentável................4.....5 2............. 4 1.................1 Lixo e resíduos sólidos.............................................................................5......2 Processadores de múltiplos núcleos...................................10 2.......2...................2........11 2...........2 Tecnologia da Informação Verde........................2 Justificativa.............2... 4 2 Referencial Teórico.........................5 2........1 Práticas de TI Verde para a energia elétrica........15 2...........2......................................... 2 1........................................5............1............10 2.......................................14 2.....................................................................................................7 2... 3 1.....................2................................................................................................................................Sumário Lista de ilustrações Lista de abreviaturas e siglas 1 Introdução........................1 Virtualização...............4 Objetivos..............................................1 Objetivo Geral..........10 2.............................3 Hipóteses........................................................2..................5 Metodologia................................2 Práticas de TI Verde para o lixo eletrônico..............................................3 Coleta de Dados....................................................................2...1 1........................... 3 1.17 .................................3 1.........2 Lixo eletrônico..... 4 1............3 O consumo por parte da refrigeração dos equipamentos de TI...............

..........................................29 3......................................................................................................................4.............2 Discussão da entrevista realizada................ 40 Referências.........................................46 Apêndice.......5 Visão geral dos possíveis caminhos do lixo computacional.....26 3 Estudo de Caso................................................1 Trabalhos futuros............................................................29 3............................39 4...............1 Sobre a Prefeitura Municipal de Paulo Afonso............................................................................24 2.................................2.................................................................32 3.......................................47 ................3 Proposta de descarte do lixo eletrônico..........................................................41 Referências Complementares........... 19 2...............................................37 4 Considerações finais....................................................................................1 Legislação Nacional..3 Gestão Ambiental..................... 21 2..............................4 Legislação de proteção ao meio ambiente voltada para Tecnologia da Informação.....................

com mais funcionalidades. pois foram evoluindo e ficando menores. A evolução tecnológica teve um impacto a partir da década de 1940. tanto em nível estratégico como operacional”. . O conjunto dessas práticas para tornar mais sustentável e menos prejudicial o nosso uso da computação é conhecido como Tecnologia da Informação Verde (TI verde). tornou-se necessário criar e estabelecer práticas para tanto. válvulas e circuitos eletrônicos (BEZERRA & ALMEIDA. (AGUILAR. Esse tipo de lixo. Segundo Macêdo (2009.7). e as organizações brasileiras têm utilizado ampla e intensamente essa tecnologia. onde muitos não tinham tanta preocupação em degradação do meio ambiente e nem tão pouco em desenvolvimento sustentável. “é o que acontece no caso do descarte do lixo produzido por eletroeletrônicos em geral. têm causado os mais diversos riscos para o meio ambiente. 2009). com a criação dos primeiros computadores eletrônicos. Com o passar dos anos os computadores tiveram grande aceitabilidade. Para Albertin (2008. p. Essas máquinas precisavam de grande espaço para a sua alocação. 276) “a Tecnologia da Informação (TI) é um dos componentes mais importantes do ambiente empresarial atual. mais precisos. Buscando-se então reduzir o desperdício e aumentar a eficiência da TI. consumiam muita energia elétrica.1 1 Introdução O mundo desde a Revolução Industrial era analisado com um ar de evolução constante. 1 Expressão utilizada para o lixo eletrônico. 2009). Essa crescente evolução computacional e o consumo desregrado com consequente produção em grande escala. conhecido como lixo tecnológico ou e-lixo1. p. quando descartado inadequadamente tem causado grandes impactos ambientais e riscos para a saúde humana”. seu acionamento era feito através de manivelas e realizavam alguns cálculos simples através de um sistema de engrenagens. e conquistaram espaço nas empresas e em usuários domésticos.

no gerenciamento deste tipo de resíduo executado pela instituição. com vendas de mais de 70 milhões de computadores. Esta crescente venda de computadores e novidades tecnológicas está tornando tendencioso o processo de maior descarte de peças obsoletas. órgãos públicos e usuários domésticos. mas também instituições.2 A presente pesquisa irá abordar a TI Verde e suas práticas.1 Problemas da Pesquisa Embora a poluição e a degradação da natureza seja um problema que começou a surgir na Revolução Industrial. para auxiliar. com a relação de dois para cada cinco pessoas no país. 2010). não somente as empresas privadas lidam com essa situação. contribuindo para a degradação do meio ambiente. Neste contexto. A escolha do tema parte do princípio de avaliar como é realizado o descarte de lixo computacional na prefeitura municipal de Paulo Afonso. Em 2012 a previsão é de 100 milhões de computadores no país e em 2014 poderá dobrar esse valor.2 Justificativa Segundo a Fundação Getúlio Vargas (2010 apude MEIRELLES. não só no país como em todo o mundo. o Brasil em Maio de 2010 possuía cerca de 72 milhões de computadores. atualmente ainda existem governos e empresas que relutam em adotar atitudes referentes à preservação do meio ambiente. 1. 1. . enfocando o descarte do lixo computacional. a coleta e o acondicionamento do lixo eletrônico? Pois. verificando como ele é realizado na prefeitura municipal de Paulo Afonso e sugerindo formas corretas de acondicionamento e descarte desse lixo de acordo com o estudo do referencial teórico. caso seja necessário. os problemas que esta pesquisa tentará resolver são: • • Como é realizado o descarte do lixo computacional na Prefeitura Municipal de Paulo Afonso – BA? O descarte do lixo computacional na Prefeitura Municipal de Paulo Afonso – BA é feito da maneira correta? • Como realizar corretamente o descarte.

• Apresentar normas e leis ambientais que estão relacionadas a Tecnologia da Informação Verde. Deste modo o descarte deste tipo de lixo possivelmente ocorre de forma incorreta. 1.3 Hipóteses O descarte do lixo computacional na prefeitura municipal de Paulo Afonso provavelmente não possui um gerenciamento. • Demonstrar ações de TI Verde envolvidas no descarte de eletrônicos realizados para diminuir os impactos ambientais. 1.2 Objetivos Específicos • Realizar estudo sobre a Tecnologia da Informação Verde.4 Objetivos 1. sem haver a coleta seletiva do mesmo.1 Objetivo Geral Mostrar como as práticas da TI Verde contribuem na diminuição dos impactos ambientais e analisar como é realizado o descarte dos resíduos eletrônicos referentes a computadores e seus periféricos na Prefeitura Municipal de Paulo Afonso . 1. não estando de acordo com a prática da TI Verde. sendo realizado como os demais resíduos sólidos. . pois além de não haver na cidade uma empresa de reciclagem específica para lixo eletrônico.4.3 A importância deste trabalho se dá pelo fato de promover as soluções do uso da TI verde e a adequação da instituição pesquisada quanto ao descarte dos equipamentos tecnológicos. é provável que não haja a preocupação da instituição em praticar ações “verdes”. verificando as soluções do uso da tecnologia da informação e visando à redução dos impactos ambientais.4.BA a fim de verificar qual o melhor destino do lixo computacional a ser empregado. e que essa promoção é de grande valor para a preservação e recuperação do meio ambiente.

1. 1. Sendo que quanto aos objetivos é do tipo exploratória e descritiva e quanto à forma de abordagem é qualitativa. com aplicação de entrevista semiestruturada.5 Metodologia 1.4 • Verificar como é realizado o descarte de equipamentos de informática da Prefeitura Municipal de Paulo Afonso e sugerir soluções de como reciclar ou descartar os mesmos.2 Campo de pesquisa O estudo de caso foi realizado no Setor de Assessoria de Modernização e Informática. As informações para o embasamento teórico foram coletadas através de fontes primárias como livros.5.1 Tipo de Pesquisa A modalidade desta pesquisa é de campo e bibliográfica.5. localizado na Prefeitura Municipal de Paulo Afonso (PMPA) e sob a gerência da Secretaria Municipal de Planejamento e Orçamento. monografias e leis sobre o referido tema. e fontes complementares como cartilhas e sites da internet. . a fim de coletar dados no que se refere à caracterização da instituição e do setor e à operacionalização do descarte do lixo computacional na instituição pesquisada. Sendo contemplados tópicos considerados pelo pesquisador de relevância para o tema.5. foi analisado como está ocorrendo o descarte do lixo tecnológico e sugerido qual o melhor destino do mesmo. artigos.3 Coleta de Dados A obtenção de dados relacionados ao estudo de caso foi realizada aplicando-se uma entrevista semiestruturada e elaborada pelo pesquisador (Apêndice I). As perguntas desta entrevista foram formadas a partir do conhecimento obtido pelo referencial teórico. Após a coleta de dados. 1.

). p. complementando ainda que dados “são fatos em sua forma primária como. engenharia e agricultura. 2009 p. patentes. chega-se ao grande marco que foi a revolução industrial.1 Tecnologia da Informação A tecnologia sempre esteve presente na vida do homem desde a antiguidade.. física e mecânica. de diferentes tipos (científicas.. especial e principalmente científicos. passando posteriormente. Segundo Stair (1998.5 2 Referencial Teórico 2. provenientes de várias fontes (descobertas científicas. utilizada na produção de bens e serviços.. pode também ser considerada como uma ciência que trata da técnica.” O autor acrescenta ainda que “os conhecimentos e as habilidades empregadas na produção desses pacotes tecnológicos constituem a capacitação tecnológica”.).04) informação é um conjunto de fatos organizados de tal forma que adquirem valor adicional além do valor em si. e que esteja aplicado no processo”. empíricas. manuais. p. no século XX. por exemplo. o nome de um empregado e o número de horas trabalhadas em uma semana. celulares e o desenvolvimento de aparelhos eletro eletrônicos. internet. que esteja aplicado no produto. 3) “Tecnologia da Informação é todo e qualquer dispositivo que tenha capacidade para tratar dados e ou informações tanto de forma sistêmica como esporádica. pela revolução digital que se destacou pela criação dos computadores.2) “tecnologia é um pacote de informações organizadas. Para Cruz (2000. Sendo inserida em uma grande diversidade de áreas. Segundo Valle (1996. a TI . livros. Já os gregos se desenvolveram nas áreas de matemática.). cópia. p. apud SOUZA et al. “tecnologia é comumente conceituada como o conjunto de conhecimentos. espionagem.. números de peças em estoque ou pedidos em venda”. quando os egípcios utilizavam de conhecimentos na arquitetura.2).. obtidas por diferentes métodos (pesquisa. E concluindo essa linha temporal.1996.. desenhos.” Para Fleury (1993 apud VALLE. que se aplicam a um determinado ramo de atividade. desenvolvimento.

p. mas também permite que se viabilizem novas estratégias empresariais”. Nesse contexto surge a necessidade de práticas . além de representar um importante papel na continuação de esforços das empresas para tornarem os seus processos mais ágeis e produtivos”. Sendo de fundamental importância para o fornecimento de novos recursos para a criação. pelo fato da informação estar no centro de tudo. 71) cita. mas também pode causar drásticos impactos ambientais decorrentes da má utilização da TI. “a TI aparece como um forte indicador de melhoria na performance e na produtividade organizacional. A TI já é comum nas empresas e também no dia a dia das pessoas. Essas empresas tem a necessidade de buscar recursos que garantam melhores resultados para seus produtos e serviços. software.6 evolui de forma inexorável. estando sempre preocupado em associar as estratégias de TI com as estratégias de negócio. redes de comunicação. mas também deve estar sempre alerta em preservar o meio ambiente.2) “tecnologia da informação pode ser entendida como os meios utilizados pelas empresas produtivas para alavancar e potencializar o processo de criação e desenvolvimento de capacitação tecnológica”. p. Gestores de TI devem ficar sempre atentos com a usabilidade da TI que é fundamental nos dias atuais. ou seja. pois pode até trazer conforto e riquezas. Conforme Becker (2003. “tecnologia da informação é composta dos seguintes elementos: hardware. ela é atualmente um bem precioso. Mas a forma correta de gerenciamento para alguns nem sempre é a melhor forma para outros. garantido o sucesso das organizações e ajudando usuários domésticos. 1996. Segundo Valle (1996.” Segundo Laurindo (2000. Segundo Morton (1991 apud VALLE. p. 2) “ela não só sustenta as estratégias de negócio existentes. combinação e sustentação para se ter uma vantagem na competitividade em relação as outras empresas. workstation. p. robótica e os chips inteligentes. principalmente quando é gerenciada de forma correta. mas com um custo reduzido.2).

240 quilos de combustíveis fósseis. p. Suas práticas buscam a redução do desperdício e aumentar a eficiência de todos os processos e fenômenos relacionados à operação desses computadores. A TI verde ganhou destaque depois que empresas preocupadas em preservação do meio ambiente. 2009.1.2 Tecnologia da Informação Verde Ultimamente percebe-se que o meio ambiente vem sofrendo mudanças negativas e tem-se observado o surgimento de diversos impactos ambientais causados pela sistemática corrida do avanço tecnológico. 18) “A indústria de informática é uma das que mais colaboram com a degradação do meio ambiente. 18) “são. há uma preocupação hoje de que a tecnologia da informação ande em sintonia com a ecologia para que essa degradação diminua ou esse quadro seja revertido. De acordo com Rosa (2007 apud PINTO. em média. que são utilizados na fabricação de circuitos e placas de componentes de TI.7 como as da TI Verde. 1800 kg de materiais”. o setor de tecnologia vem buscando meios e iniciativas para o controle do uso de matérias-primas desnecessárias. Na fabricação de um computador é utilizado. as empresas devem mudar sua visão empresarial. Sendo assim. Segundo Pinto (2009. Essas mudanças na natureza mostram o quanto o fator ambiental necessita de adaptações das empresas para ter um novo caminho na sua expansão e através disso.talvez o dado mais impressionante . Esses são os materiais necessários para se obter a pureza da produção de pasta de silício. 22 quilos de produtos químicos e . seus objetivos e suas estratégias de investimentos para aprimorar seu produto e adaptá-lo a nova realidade do mercado global e ecológico (Kraemer. 2. foco dessa pesquisa. Um desses meios é. molda e melhora o seu . 2004). p. segundo Aguilar (2009) a TI verde que é um conjunto de práticas para tornar mais sustentável e menos prejudicial o uso da computação.500 quilos de água”. perceberam que a informação faz parte da responsabilidade de seu patrimônio e que a sua implantação na estrutura da empresa. e que será abordado nos próximos tópicos. por exemplo. Para se ter um elo entre natureza e tecnologia.

A aplicação de TI Verde consiste em estratégias como virtualização. 26). já começam a sentir o impacto da crise e devem perder o ritmo de crescimento acima de 30% que vinham ostentando nos últimos três anos. 2009. 2009). tanto pela sua produção quanto pela sua utilização. Processadores multicore. 2. ou seja. de acordo com Aguilar (2009. 2.2. que é iniciado nas empresas consideradas verdes e culmina na ação dos usuários sobre o produto adquirido. ou seja. técnicas para que seus produtos sejam fabricados de acordo com as legislações. Além da eólica e a solar. meios baratos de refrigeração etc. os projetos de geração de energia limpa. A falta de oferta de crédito no mercado tem feito com que as vendas de aquecedores a energia solar têm diminuído. p. como já falado no parágrafo anterior. É um ato de sustentabilidade.2.1 Práticas de TI Verde para a energia elétrica Os equipamentos de tecnologia da Informação fazem parte do grupo que é considerado um dos que mais gastam energia elétrica. 59) é o processo de executar vários sistemas operacionais em um único equipamento em que.1. diferentemente dos derivados de petróleo (PINTO. representado de forma direta ou indiretamente o aumento excessivo da emissão de gases poluentes. Atualmente há diferentes meios de produção de energia que não sejam impactantes ao meio ambiente. Para Vialli (2009 apud PINTO. têm surgido novos combustíveis como o biodiesel que é fabricado a partir de fontes renováveis. sendo de grande necessidade a conscientização dos cidadãos para que colabore com a preservação ambiental. que consuma menos energia e que as peças e componentes utilizados tenham matérias primas menos nocivas ao ambiente. uma máquina virtual é um . As grandes empresas de TI estão incluindo em suas estratégias.8 desenvolvimento.1 Virtualização É um conceito que corresponde em armazenar todas as informações em um só lugar. como eólica e solar. p.

9

ambiente operacional completo que se comporta como se fosse apenas um computador independente. Esse método garante uma economia no consumo de energia elétrica e na aquisição de equipamentos, no aproveitamento de todos os recursos da máquina e na redução do tempo de ociosidade. Tem como objetivo aumentar significativamente a capacidade de processamento do sistema, através da adição de alguns pontos no ambiente virtual, sem a necessidade de expandir sua base instalada (Aguilar, 2009). Um ponto forte dessa tecnologia é a centralização dos recursos, onde tem a vantagem de conseguir agregar diversos serviços em uma única máquina. Essas vantagens são a de melhorar o desempenho da máquina, diminuir o consumo de energia elétrica, simplificar o gerenciamento e menor utilização do espaço físico.

2.2.1.2 Processadores de múltiplos núcleos
Essa tecnologia alterou permanentemente a história da computação em que muitos estudiosos diziam que os processadores iriam chegar a um ponto que não poderia avançar mais, ou seja, não poderia aumentar o seu clock. Não apenas se sobressaem na parte de eficiência tecnológica, mas também em favorecimento do meio ambiente, pois conseguem consumir bem menos energia elétrica e foram eliminados alguns materiais que eram prejudiciais a natureza. O conceito de gastar menos energia é, segundo Aguilar (2009), que o modelo de processamento simples, ou o popularmente chamado de singlecore, é acionado para processar qualquer tarefa que o computador exija, desde as mais simples até as mais complexas. Já os multicore, que possuem dois ou mais núcleos de processamento, cada um gasta menos energia do que o processador singlecore, e quando é acionado para processar alguma tarefa, apenas um núcleo de processamento é ativado possibilitando assim um menor consumo, pois todos os outros núcleos estarão “desligados” e desta forma, a capacidade do computador é ativada conforme a necessidade. Ainda Aguilar (2009), diz que os usuários de computadores portáteis são os que mais tiram proveitos dessa tecnologia, pois como consomem menos energia,

10

proporciona um menor descarregamento da bateria e, portanto será menos carregada, aumentando a visa útil da bateria e consumindo menos energia elétrica.

2.2.1.3 O consumo por parte da refrigeração dos equipamentos de TI
Apesar das tecnologias faladas acima melhorarem consideravelmente o consumo da energia e o aquecimento por parte dos processadores, eles ainda precisam de um sistema de refrigeração que consequentemente consomem energia. Antigamente os computadores servidores, chamados de Data Center (Centro de dados), possuíam capacidade enorme de processamento, mas também precisavam de grandes equipamentos de refrigeração que aumentava e muito o consumo de energia elétrica. Atualmente, houve grandes evoluções por parte desses hardwares, garantindo assim maior capacidade de processamento e diminuindo também o consumo de energia por parte dos refrigeradores, pois esses novos processadores esquentam bem menos e processam bem mais informações. Segundo Aguilar (2009, p. 61) a mudança no layout do ambiente pode ajudar a dar mais eficiência à circulação de ar dentro do data center, reduzindo, assim, o consumo de energia. A criação de corredores de ar quente e frio entre as máquinas permite que a saída de ar quente de uma não prejudique a ventilação da outra. É interessante, neste caso, a instalação de sistemas de refrigeração modulares, em forma de rack, para atender pontos específicos do Data Center. Gestores de TI tem que pensar em como diminuir consideravelmente os custos com energia, que em grandes empresas.

2.2.2 Práticas de TI Verde para o lixo eletrônico 2.2.2.1 Lixo e resíduos sólidos
De acordo com Farias (2002 apud SANTANA, 2010) “lixo pode ser considerado resíduos que são resultantes das atividades diárias do homem na sociedade, como exemplo tem-se os restos de alimentos, papeis e papelões, plásticos, trapos, couros,

11

madeiras, latas, vidros, lamas, gases e vapores, poeiras, sabões e detergentes, bem como outras substâncias descartadas de forma consciente”. Ainda hoje há pouca conscientização das pessoas sobre a degradação que o mundo está sofrendo e com a poluição que vem aumentando. Para que haja um apoio na preservação a população deveria colaborar na separação do lixo, pois facilita o trabalho na coleta, ajudando na reciclagem e na preservação ambiental. Caso o lixo não tenha um tratamento adequado, ele acarretará sérios danos ao meio ambiente como a poluição do solo, da água e também do ar. Com a reciclagem, os objetos usados serão transformados em novos e assim poderão ser reutilizados, além de preservar o meio ambiente, e também gerar empregos. Os produtos que, de uma forma geral, são mais reciclados é o vidro, o papel, o plástico e o alumínio que esse processo auxilia na diminuição da poluição do solo, do ar e da água. Muitas empresas fazem a reciclagem de certos materiais como forma de suavizar os custos de produção e também evitar a escassez das matérias primas presente na natureza. As duas iniciativas, a reciclagem e a reutilização, são de fundamental importância para a redução do lixo e consequentemente a preservação do meio ambiente.

2.2.2.2 Lixo eletrônico
É o nome dado aos resíduos resultantes de vários equipamentos eletrônicos, que são jogados em lixões e que causam sérios riscos ao meio ambiente e provocam grandes contaminações aos catadores que sobrevivem da venda de materiais catados no lixo. Os resíduos eletrônicos são uns dos grandes vilões desse impacto causado ao meio ambiente e são provenientes de restos de eletrônicos que não podem ser mais reaproveitados como os computadores, câmeras digitais, celulares e muitos outros (SMAAL, 2009). As pessoas acabam entrando nas mudanças da tecnologia, mudam seus produtos eletrônicos e jogam fora o que não utilizarão mais, não se preocupando com prejuízo ambiental que estão causando.

. os lançamentos mundiais oferecem produtos mais modernos e interativos. 2009). 2.5 milhões são de lixo eletrônico. sendo um local de descarte errado. Isso faz com que cada vez mais seja necessário trabalhar com a reciclagem. (SMAAL. Cada computador utiliza materiais diversos que podem ser reciclados. iniciando já na extração o impacto sobre o meio ambiente. E nesse pensamento de que se deve ter uma reciclagem adequada e que a preocupação de se iniciar na fabricação do produto. que. são produzidos 50 milhões de toneladas de detrito todo ano e desses. A modernidade está cada vez mais veloz e a cada dia surgem grandes novidades tecnológicas. são jogados no lixo. O Greenpeace.12 Segundo Smaal (2009) estima-se que os resíduos eletrônicos representa um prejuízo de 5% do lixo descartados pela humanidade. uma ONG que lida com questões ambientais. muitas empresas estão trabalhando em cima dessa preservação. ou seja. Além disso. em consequência disso acaba atraindo pessoas a comprar esses produtos e. criou um ranking que está demonstrado na Figura 1 contendo vários pré-requisitos para as empresas serem consideradas “verdes”. muito dos materiais utilizados no computador devem ser retirados da natureza. ou seja. após o termino de sua vida útil. vendas e reciclagem. empresas que adotam medidas para a preservação do meio ambiente em sua linha de produção.

podem causar diversos danos à saúde.13 Figura 1: ranking do Greenpeace das empresas consideradas verdes. Fonte: http://www. arsênio e chumbo em sua fabricação.diegobrito. quando em contato com seres humanos. .br/archives/tag/lixo-eletronico Segundo Ferreira & Ferreira (2008) ao serem inutilizados. estão representadas na tabela 1. os equipamentos de informática são descartados na maioria das vezes de forma inapropriada e. por possuírem produtos como o mercúrio. Algumas das substancias utilizadas para a produção dos equipamentos eletroeletrônicos e suas respectivas correlações aos malefícios a saúde.com.

a crítica ao consumismo passou a ser vista como uma contribuição . que são exibidos em público. levando-o ao consumismo. É uma atividade que envolve a tomada de decisões políticas e morais quando consumimos. sejam pelas vestimentas. sendo objeto de críticas que consideram o consumismo um dos principais problemas das sociedades industriais modernas. A partir da percepção de que os atuais padrões de consumo estão nas raízes da crise ambiental. de certa forma manifestamos como vemos o mundo. pelo carro.br/ultnot/2008/02/26/ult4213u358.2. passando a receber uma conotação negativa.3 Consumo sustentável De acordo com Eddine et al (2008) o consumo faz parte de uma abundância social que envolve toda a sociedade e seus valores.jhtm 2.2. Sendo assim o individuo é visto pela sociedade de acordo com sua atuação. Geralmente as pessoas são reconhecidas e avaliadas por aquilo que consomem. e acabamos sendo influenciados pela expansão da sociedade de consumo.com. Fonte: http://tecnologia.uol.14 Tabela 1: Os vilões dos eletroeletrônicos. pelo telefone.

2.15 para a construção de uma sociedade mais sustentável. sociais e políticos da sociedade elaborarem e fazerem cumprir as leis ambientais. econômicas e institucionais para fazer com que os padrões e os níveis de consumo se tornem mais sustentáveis. através de políticas públicas. Segundo Portilho (2003) essa ideia do consumo sustentável não se limita nas mudanças comportamentais dos consumidores ou das tecnologias. de programas de educação ambiental. O consumidor deve cobrar uma postura ética das empresas.4 Os 5 Rs da educação ambiental Há pouco tempo atrás falavam-se do conceito dos 3 R’s: Redução. 2. Educar as crianças é . deve estar informado sobre os impactos de seus hábitos de consumo e agir como cidadão consciente de suas responsabilidades. uma vez que tanto o “superconsumo” quanto o “subconsumo” causam degradação social e ambiental. ela prioriza suas ações individuais e coletivas. Mas como o consumo faz parte do relacionamento entre as pessoas e promove a sua integração nos grupos sociais. e as empresas devem agir com suas responsabilidades em todas as suas atividades produtivas e contribuindo assim para a construção de sociedades sustentáveis. o que importa não é apenas o impacto ambiental do consumo. Já os governantes devem se responsabilizar com seus direitos civis. Vendo por esse anglo. enquanto práticas políticas. O consumo sustentável é uma proposta que enfatiza ações coletivas e mudanças políticas. retornável e reciclável) – deveria estar presente no currículo escolar de todos os alunos. de incentivo ao consumo sustentável e incentivar a pesquisa científica voltada para a mudança dos níveis e padrões de consumo.2. Reutilização e Reciclagem para conscientizar as pessoas de várias etnias quanto a importância do planeta. a mudança nos seus padrões torna-se muito difícil. governantes e de outros consumidores. mas antes o impacto social e ambiental da distribuição desigual do acesso aos recursos naturais. Segundo RIZZO (2010) O conceito dos 3 R’s (reutilizável.

e ser considerado lixo rapidamente. De acordo com Leite e outros (2009) os 5 Rs são ações práticas que aplicadas no dia a dia. Embora haja uma grande oscilação dos preços de compra e venda dos materiais recicláveis. como também evitar aqueles que não sejam recicláveis ou descartáveis. reutilizando e recuperando. A reciclagem promove benefícios ambientais. antes mesmo do seu rejeite. mais atrativo será para quem sobrevive de sua catação. a criança vê na escola e coloca em prática em suas casas. Atualmente focando na prevenção. . onde é de extrema importância dar preferencia aos produtos com maior durabilidade e que ofereçam menor potencial de geração de resíduos. A teoria. procurar fazer a coleta seletiva. • REDUZIR: essa prática garante a redução do consumo desnecessário. Deve-se ampliar a vida útil dos produtos e do local onde será feito o descarte. • RECICLÁVEL: Essa técnica consiste em reduzir a pressão sobre os recursos naturais e ajuda na geração de trabalho e renda para milhares de famílias. foi incluído mais dois R’s para não só pensar em reduzir a degradação do meio ambiente. A reciclagem no país vem aumentando em passos acelerados. elas se sensibilizam quando aprendem e criam um ambiente prático em suas casas. • REUTILIZAR: buscar o máximo de aproveitamento dos produtos. podem garantir a redução do impacto ambiental causado pelo homem sobre o planeta. pois a degradação dos produtos tecnológicos nos aterros sanitários ocorre de forma lenta. mas garantir a revitalização do mesmo. • REPENSAR: antes de comprar qualquer produto tem que se ter em mente sua utilidade e sua necessidade para que esse produto não venha a ficar em desuso. se deve praticar todos os outros quatro primeiros Rs. e o que restar separar para a coleta seletiva. Com isso.16 mais eficaz. Depois da consumação do mesmo. para que sejam separadas as embalagens da matéria orgânica e jogar no lixo só aquilo que não for reciclável. sociais e econômicos. quanto maior seu valor econômico. • RECUSAR: deve-se recusar os produtos que contenham elementos que agridam a natureza.

que é o órgão responsável pela informatização da instituição. O plano tem a meta de criar uma política não só para gerenciar os resíduos eletrônicos dentro da universidade. disciplina da Sloan School do MIT3 (Massachusetts Institute of Technology). Esse programa conta com o apoio da Agência USP de Inovação e do USP Recicla. Focando nesse cuidado de degradação do meio ambiente. a USP 2 criou um projeto para descarte do lixo eletrônico. mas também com a compra dos novos produtos (ANGELO.2. no qual o CCE (Centro de Computação Eletrônica da USP).17 Por isso é muito importante promover a cultura da sustentabilidade por meio da difusão dos conceitos dos 5 Rs (LEITE E OUTROS. 2. instalado em uma área de 400 m² com deposito para categorização. triagem e destinação de 500 a 1000 equipamentos por mês. 2009). como também se preocupar com a sustentabilidade de transformação desses produtos. Essa preocupação ambiental não é só com os equipamentos que não estão sendo utilizados. dos EUA (ANGELO. foi implantado pelo CCE o CEDIR (Centro de Descarte e Reuso de Resíduos de Informática). 2 Universidade de São Paulo Instituto de Tecnologia de Massachusetts 3 . 2008). 2008). e acabam jogando no lixo e causando estragos ambientais. implementou o plano para a cadeia de transformação de resíduos de informática. Na Figura 2 é mostrada a estrutura da CEDIR e a organização do lixo. Em 2009 a partir do projeto elaborado. na rua. enfim em outros locais e muitas pessoas ou empresas não buscam iniciativas para poderem fazer o reaproveitamento desses equipamentos. Foi desenvolvido em parceria com três alunos do Laboratório de Sustentabilidade (S-Lab).2. em casa.5 Descarte do lixo eletrônico em São Paulo – CEDIR No Brasil existe uma grande quantidade de lixo eletrônico abandonado em repartições pública.

será encaminhado para a segunda etapa que é a categorização. cabos. etc.estadao.br De acordo com a CCE este centro visa executar práticas de reuso. que satisfazem os requisitos ambientais. que incluem bens de informática e telecomunicações que ficam obsoletos no próprio CCE como nas escolas. a terceira .com. sociais e econômicos. descarte e reciclagem de lixo eletrônico. onde é encaminhado para projetos sociais na forma de empréstimo. Explica a CCE que a CEDIR está dividida em três etapas de operações que são: primeiro a coleta e triagem. E por último. Este projeto está em total legalização com as diretrizes de sustentabilidade definidas pela ONU (Organização das Nações Unidas). que passa pelo processo de separação por tipo de material. faculdades e institutos dos diversos campi da Universidade de São Paulo. Mas caso esse equipamento não seja reaproveitável. cujo processo tem início com o recebimento dos equipamentos de informática sendo avaliado a possibilidade de reaproveitamento. placas eletrônicas. metais.18 Figura 2: Estrutura da CEDIR Fonte: www. sendo estes plásticos.

A criação de uma política ambiental. No Brasil. (2005). 4) à medida que a sociedade vai se conscientizando da necessidade de se preservar o meio ambiente. o estabelecimento de objetivos e a implementação de um programa para alcançá-los. a opinião pública começa a pressionar o meio empresarial a buscar meios de desenvolver suas atividades econômicas de maneira mais racional. 2010. a série ISO 14000 consiste em um conjunto de normas que expõem os elementos básicos de um sistema de gestão ambiental eficaz. Neste seguimento. De acordo com Ashley et. por meio de ações preventivas ou corretivas. a . foram surgindo várias certificações em que as atividades das empresas estão diretamente ligadas com base nos preceitos da gestão ambiental. e fomentando melhoria contínua.19 etapa consiste em levar os materiais categorizados para o armazenamento até seu recolhimento por empresas do setor de reciclagem credenciadas pela USP. Para SOUZA et al (2009. p. 2004). O próprio mercado consumidor passa a selecionar os produtos que consomem em função da responsabilidade social das empresas que os produzem.al. o Sistema de Gestão Ambiental consiste em um planejamento das atividades. 3) “define a gestão ambiental como um conjunto de medidas e procedimentos definidos e aplicados que buscam reduzir e controlar os impactos introduzidos pela empresa sobre o meio ambiente”. o órgão que representa a ISO. p. A partir desses princípios. o controle de sua eficácia. Um exemplo dessas certificações é a ISO (International Organization for Standardization) 14000 que é uma série de normas que estabelecem diretrizes voltada a área de gestão ambiental. Robles Jr (2003 apud ALMEIDA e MONTEIRO. é a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). possibilitando que a empresa alcance o nível de desempenho ambiental determinado por ela própria. visando eliminar ou minimizar os impactos provocados ao meio ambiente.3 Gestão Ambiental Segundo (KRAEMER. 2.

Execução. bem como uma avaliação rigorosa da melhor forma de ocupação deste espaço para se obter o desenvolvimento racional da área. a infra-estrutura de informática e os recursos da cartografia temática. 4 De acordo com LOCH (1998) o Cadastro Técnico Multifinalitário é uma área de pesquisa intradisciplinar que envolve conhecimentos desde as medidas cartográficas até ao nível dos imóveis. através do aprendizado contínuo. agindo de forma eficiente. além dos ativos financeiros e físicos. E com isso cresce a busca de modelos para desenvolver estratégias ligadas à informática de melhor estruturação administrativa nas empresas. organiza e fornece informações sobre o território para a usabilidade de vários níveis gerenciais e equipes de programas da usina e outros usuários das águas. havendo uma valorização de outro recurso. o conhecimento. Verificação e Análise Crítica. Esta gestão baseiase na estruturação de um Cadastro Técnico Multifinalitário 4. mas com a globalização e as mudanças vem se mudando essa questão. Por muito tempo se trabalhava de forma ilegal. para que estes possam estar hábeis e capazes de atender as demandas da sociedade. São crescentes os avanços tecnológicos no mundo.20 correção de problemas e a análise e revisão do sistema. e Revisões) e também o levantamento e ações corretivas para as causas dos impactos ambientais significativos. Segundo o site da Usina Hidroelétrica de Itaipu podemos citar seu modelo de gestão ambiental que desenvolve através de quatro fundamentos que são voltados para o manejo de conservação do meio ambiente: O primeiro manejo corresponde a procedimentos e metodologia da norma NBR ISO 14001 que contém princípios da qualidade. e com o conhecimento constante acaba existindo mudanças no modo de se trabalhar. estão entre esses elementos. o geoprocessamento. . que compatibiliza os bancos de dados. a legislação que rege a ocupação do solo. capacitando seus colaboradores. as empresas não se importavam com a questão ambiental. Já o segundo consiste na gestão da informação territorial que coleta. como o ciclo PDCA (Planejamento. As organizações públicas ou privadas vêm buscando formas de conduzir essa gestão ambiental de maneira adequada. nos processos de produção e no perfil do trabalhador.

como a Nokia e Motorola. planos ou projetos de natureza interdisciplinar. Técnicos da Itaipu seguem o Planejamento Estratégico da empresa dentro do trabalho de monitoramento dos programas e projetos. já coletam suas baterias e encaminham para a reciclagem. imagina-se um futuro onde cada ação. Segundo Garcia e Milagre (2008) uma das primeiras leis que pressionaram as . cooperativas. parceiros e comunidade em programas. Como exemplo. instalada em Curitiba. que passam a gerir as iniciativas de forma conjunta e participativa. que tem como consequência a diminuição dos gases do efeito estufa. As atitudes dessas empresas em preservar o meio ambiente só foram possíveis graças a pressões constantes quando essas não adotavam iniciativas verdes. Várias empresas multinacionais na área de TI já estão na luta contra a degradação do meio ambiente. com apoio de aproximadamente 1. Observando algumas dessas iniciativas. As empresas de telecomunicações. assentamentos de trabalhadores rurais etc). sendo de empresas ou pessoas. 2008). Sendo assim é a sociedade que permite que uma empresa continue com suas produções. seja repensada e tenha uma postura voltada ao meio ambiente (GARCIA & MILAGRE. 2006). O quarto e último manejo consiste na Gestão por Programas que possibilita o acompanhamento das iniciativas socioambientais por meio de uma estrutura matricial desenvolvida pela Sala de Projetos. funcionários. distribuídos em comitês de microbacias.21 O terceiro fala sobre a Gestão Participativa que promove a participação de colaboradores. podendo ser reaproveitadas para a fabricação de novas baterias.3 mil parceiros (prefeituras. Esse processo se organiza e opera por meio de Comitês Gestores. associações. há as gigantes Google e Intel que fazem seu papel já a algum tempo como o redução de energia. órgãos públicos federais e estaduais. ONG’s.4 Legislação de proteção ao meio ambiente voltada para Tecnologia da Informação. 2. mas os detentores de recursos não estão dispostos a arriscar seus patrimônios em empresas que não tomam medidas preventivas na área ambiental (KRAEMER.

cromo hexavalente (Cr(VI)). bifenilos polibromados (PBBs). que implantou um sistema de inovação. outro efeito é sobre a reciclagem dos componentes que serão transformados em outros. Alguns desses efeitos são: a teoria do reciclável poluidor. industrias e importadores também tem o objetivo de se responsabilizar pelo “ciclo de vida” dos produtos que insere no mercado de consumo. pois considerando o alto custo envolvido como também a solda tradicional que é bastante utilizada nos aparelhos eletrônicos. A RoHS tem trazido grandes impactos globais e atinge toda a cadeia de produtores de diferentes seguimentos. diminuindo assim sua vida útil (Garcia e Milagre. criada em julho de 2006. e chumbo (Pb). . Os países desenvolvidos estão mais bem preparados e dispostos a se adequar de forma inovadora e competitiva a diretiva RoHS. Os países que mais sofreram com essa diretiva foram os emergentes asiáticos que são os maiores exportadores de eletrônicos atualmente. onde sua composição em regra é de 60% de estanho e 20% de chumbo. onde alega que a reciclagem tecnológica polui tanto quanto a disposição do lixo eletrônico em aterros.22 empresas de TI aconteceu na União Européia. Porém. fossem empregadas em equipamentos eletrônicos. Não sendo tão fácil assim. que segundo (AGUILAR. a polêmica lei do sem chumbo (lead-free). onde estes sofrem alta temperatura em suas ligas. 2008). éteres difenil-polibromados (PBDEs). 2008). onde não possuem um setor de tratamento adequado (Ansanelli. para eliminar completamente o chumbo da solda. essa lei vem causando algumas discursões em se tratando do seu “efeito colateral”. Após a criação da RoHS. Um exemplo desse sucesso de transformação foi o Japão. mecúrio (Hg). as empresas. 2009) essa lei proibiu que certas substancias perigosas como: cádmio (Cd). Fazendo com que as empresas de TI se adaptem com a realidade existente nos países da Europa. ou RoHS Directive (Restriction of Certain Hazardous Substances) que significa Diretiva de Restrição de Certas Substâncias Perigosas. onde esses precisavam se adequar para não perder a competitividade e são um dos maiores importadores de resíduos e equipamentos usados dos países desenvolvidos.

gigante de sete metros de altura. para torná-los menos agressivos ao meio ambiente (AGUILAR. o WEEE MAN (Homem WEEE) representado na Figura 3. com todo esse material. como exemplo do chumbo e do mercúrio. obrigando a essas empresas prover infraestrutura para a coleta de quando este estiver em desuso ou se torne lixo. diante de todo o aparato tecnológico como celulares. um cidadão inglês produzirá ao longo de sua vida cerca de 3. criar uma escultura.3 toneladas de sucata digital. computadores. . em forma humana. essa diretiva determina metas de coleta e reciclagem aos fabricantes de eletrônicos que ficam com toda a responsabilidade sobre os seus produtos.23 Outro grande passo dos países da Europa foi a criação da Diretiva para o Lixo Elétrico e Equipamentos Eletrônicos chamada de WEEE ( Waste Electrical and Electronic Equipment Directive). Outra disposição bastante importante também da WEEE é a de garantir que sejam lançados resíduos químicos originários de eletrônicos. Foi exatamente isso que aconteceu. Estudo indica que. 2009). Com o objetivo de preservar a natureza. 2005). podendo. uma família de classe média é capaz de causar grandes impactos ao meio ambiente (DODDS e VENABLES. televisões e outros. é uma obra enorme onde esse conceito foi desenvolvido por Mark Knowles Freemantle e Hugh Knowles da empresa RSA e projetada pelo artista plástico Paul Bonomini com o objetivo de representar que.

objetivos e instrumentos.305. bem como sobre as diretrizes relativas à gestão integrada e ao gerenciamento de resíduos sólidos. e prevê que os fabricantes. de direito público ou privado. e proibir o usuário de jogá-los em qualquer lugar. incluída os perigosos. No Brasil. direta ou indiretamente. p.com A legislação tem grande importância para o tratamento adequado do lixo tecnológico. § 1º. exigir das empresas que importem ou vendam produtos eletroeletrônicos além do recolhimento desses produtos após o uso.24 Figura 3: O WEEE MAN Construido com os eletrônicos que os britânicos jogam fora. que Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. responsáveis. importadores e comerciantes sejam responsáveis por recolher e destinar o lixo eletrônico. Pois. de 02 de agosto de 2010. 2. ao invés de tóxicos. a questão da destinação de produtos eletroeletrônicos e seus componentes estão dispostos na Lei nº 12. Fonte: Photographersdirect. 2010. Essa Lei dispõe sobre seus princípios.4. pela geração de resíduos .305. é através das leis que se torna possível obrigar fabricantes a utilizarem componentes biodegradáveis.1 Legislação Nacional. devendo este entregá-los em locais específicos informados. 1) “Estão sujeitas à observância desta Lei as pessoas físicas ou jurídicas. às responsabilidades dos geradores e do poder público e aos instrumentos econômicos aplicáveis. Segundo LEI (Nº 12.

a cooperação entre setor público e privado e demais segmentos da sociedade. Art. a razoabilidade e a proporcionalidade. 2010. Ainda a Lei (Nº 12. p. na gestão dos resíduos sólidos. bem como disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos. regulada pela Lei nº 9. foram definidos: . de 6 de abril de 2005. 2010. Dentre os demais objetivos. visando fornecimento de bens e serviços de um melhor custo-benefício e redução de impactos ambientais.305.25 sólidos e as que desenvolvam ações relacionadas à gestão integrada ou ao gerenciamento de resíduos sólidos”. a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos. e com a Lei nº 11.A adoção. a não geração. De acordo com a LEI (Nº 12. regulada pela Lei nº 11. redução. 1) essa Política integra a Política Nacional do Meio Ambiente e articula-se com a Política Nacional de Educação Ambiental. 7º desta lei estão dispostos os objetivos da Política Nacional de Resíduos Sólidos. de 2007. que incluem a proteção da saúde pública e da qualidade ambiental. No Art. 6º e 7º) os princípios e objetivos da Política Nacional de Resíduos Sólidos são: Princípios: pode-se destacar a visão sistêmica. nas aquisições e contratações governamentais.A prioridade. . e . o desenvolvimento sustentável. a respeito do uso da tecnologia da informação. com a Política Federal de Saneamento Básico. § 1º. desenvolvimento e aprimoramento de tecnologias limpas como forma de minimizar impactos ambientais. o direito da sociedade à informação e ao controle social. reciclagem e tratamento dos resíduos sólidos.107. o reconhecimento do resíduo sólido reutilizável e reciclável como um bem econômico e de valor social. para: a) produtos reciclados e recicláveis.795. de 27 de abril de 1999. a ecoeficiência. reutilização.445.305.

importadores. 2. tratamento dos resíduos sólidos e disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos. terá distintos caminhos a percorrer. onde sua gestão e gerenciamento devem ser ressaltados na seguinte ordem de prioridade: não geração. redução.5 Visão geral dos possíveis caminhos do lixo computacional Pelas diversas razões já colocadas o computador é descartado. existem algumas soluções a serem atingidas como a doação dos mesmos. reutilização. distribuidores e comerciantes de produtos eletroeletrônicos e seus componentes são obrigados a estruturar e implementar sistemas de logística reversa. serviços e obras que considerem critérios compatíveis com padrões de consumo social e ambientalmente sustentáveis. A partir da criação desta lei. a depender da razão pela qual foi feito.26 b) bens. como exemplos por algum dano ou até mesmo por ter se tornado uma maquina obsoleta. Este tipo de atitude é de importância . Essa lei pretende disciplinar o melhor tratamento desse material em todo o Brasil. XII . acerca de planos municipais e regionais e. são definidos os responsáveis pelo destino dos resíduos de eletrônicos. são analisadas as diretrizes aplicáveis aos resíduos sólidos.integração dos catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis nas ações que envolvam a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos. em seu Art. mediante retorno dos produtos após o uso pelo consumidor. reciclagem. Geralmente quando é descartado ocorre por duas razões principais. Nesta lei. ficou regulamentado que todos os municípios devem criar um plano diretor a respeito desse tema. também do plano nacional que será gerido pelo Ministério do Meio Ambiente. para que em agosto de 2014 não poderá haver mais nenhum lixão a céu aberto no país. A partir desse descarte. de forma independente do serviço público de limpeza urbana e de manejo dos resíduos sólidos. Sendo que os fabricantes. Quando o descarte for realizado por obsolescência. 33. Ainda nesta lei.

já que não poderão ser utilizados na sua forma de origem. como cita Pinto (2009. importadores e comerciantes. que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Assim não há apenas a preocupação com o meio ambiente. A Figura 4 ilustra os possíveis caminhos do lixo computacional descritos. Essa forma de descarte leva à poluição do meio ambiente pelos metais pesados que são liberados. Por exemplo. o cobre e até mesmo o ouro podem ser retirados de computadores fora de linha e reutilizados em modelos novos. Porém. na forma de fluxograma. sendo destinada ao lixo comum. Assim. de agosto de 2010. 36) “uma das soluções mais indicadas para o tratamento do lixo eletrônico é a reciclagem” e. 265) “uma boa parte dos resíduos provenientes da sucata eletroeletrônica é reciclável.305. com os demais resíduos sólidos. determina que o recolhimento e destinação correta do lixo computacional é responsabilidade dos fabricantes. As matérias-primas são então redirecionadas para novos mercados. . 265). para lixões ou aterros sanitários. uma vez que. mas poucos são os países que dominam a tecnologia de separação desses materiais”. A Lei nº 12. p. o alumínio. Assim como componentes selecionados podem ser reutilizados (em upgrades. os configura como lixo computacional.27 para a sociedade uma vez que podem ser destinados a ações de inclusão digital e projetos sociais. o ferro. Segundo Calvão et al (1999. segundo Calvão et al (1999. como se utilizando alta tecnologia. p. mas também estimulando assim a questão da sustentabilidade social. deve ser destinado à reciclagem. p. tanto por processos manuais. assim como os computadores obsoletos. “a reciclagem de computadores é um processo de separação no qual determinados componentes de um produto são selecionados”. por exemplo) e encaminhados para ações de inclusão digital. O descarte do computador e/ou de seus componentes pelos mesmos estarem danificados. ainda há uma parte deste lixo que não é tratada.

263) . Fonte: Calvão et al (1999.28 Figura 4: Percepção do problema por fluxograma. p.

atende também algumas instituições que pertencem a outros domínios como é o caso da Polícia Militar de Paulo Afonso e a Universidade do Estado da Bahia (UNEB). é mostrado o organograma da prefeitura municipal de Paulo Afonso. secretaria municipal de serviços públicos. 2010). além de utilizar um grande número de computadores.580 quilômetros quadrados e possui uma população de 108.419 habitantes (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística . localizado no estado da Bahia. Na Figura 5. Ocupa uma área territorial de 1.IBGE. A Prefeitura Municipal de Paulo Afonso tornou-se o campo de estudo desta pesquisa. secretaria Municipal de administração e finanças. tendo então papel estratégico na promoção e indicação de novos padrões de consumo e devendo ser exemplo na redução de impactos socioambientais negativos gerados pela atividade pública. secretaria municipal de saúde e secretaria municipal de assistência social. pertence à microregião homogênea nº 147 – Sertão de Paulo Afonso.1 Sobre a Prefeitura Municipal de Paulo Afonso O município de Paulo Afonso. escolas municipais. pois a administração pública é uma ampla consumidora e usuária de equipamentos tecnológicos. secretaria municipal de infraestrutura e meio ambiente. Segundo a direção do setor de Assessoria de Modernização e Informática. controladoria geral do município. secretaria municipal de planejamento e orçamento. eles atendem todos os setores da prefeitura que são: gabinete do prefeito. . Além do mais. secretaria municipal de desenvolvimento econômico. procuradoria geral do município. secretaria municipal de educação e cultura.29 3 Estudo de Caso 3. abaixo.

a Secretaria Municipal de Saúde e a Secretaria de Municipal de Desenvolvimento Social. sendo que esta Secretaria possui vários outros setores. Para ilustrar a quantidade de departamentos pelos quais o setor pesquisado atende. pode-se citar alguns dados das maiores secretarias da prefeitura – a Secretaria Municipal de Educação. a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social possui vinte e um programas.994 alunos e contem 65 escolas municipais.IBGE. incluindo o Programa de Escola de Informática para a melhor idade.FNDE (2010) a Secretaria de Educação do município de Paulo Afonso atende a 16. possui 39 estabelecimentos de saúde públicos municipais (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística . E segundo a Prefeitura Municipal de Paulo Afonso. Segundo estatística do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação . 2009). onde somente nele há dez computadores em uso. Já o Sistema de Saúde do Município. . além dos órgãos privados e públicos federais e estaduais.30 Figura 5: Organograma da Prefeitura Municipal de Paulo Afonso Fonte: Adaptado da Prefeitura Municipal de Paulo Afonso O setor de Assessoria de Modernização e Informática faz parte da Secretaria Municipal de Planejamento e Orçamento.

O setor de Assessoria de Modernização e Informática é estruturada em um ambiente com quatro salas. localizado na Avenida Apolônio Sales. a sala que está na Figura 6. O setor de Assessoria de Modernização e Informática se encontra no prédio da prefeitura municipal de Paulo Afonso. 2011. onde é feito a recuperação de equipamentos danificados. número 925.31 Sendo assim. . mostrada na Figura 8. Esse setor realiza praticamente todos os serviços relacionados a TI. desde a simples instalação de um computador até o gerenciamento do mesmo. no subcapitulo resultados e discussões. são vários setores que a prefeitura dá suporte em relação a tecnologia da informação. Existe também a sala de análise e reaproveitamento das peças. dá suporte a hardware e é onde acontece a fiscalização e planejamento. no centro de Paulo Afonso. E por último a sala dos servidores que comporta todo o sistema da prefeitura. Figura 6: Setor de Assessoria de Modernização e Informática da PMPA Fonte: Silva. onde uma sala é especializada em dar suporte ao sistemas implantados na prefeitura.

Porém. A ausência de sistemas de gestão ambiental e de gerenciamentos de resíduos desta natureza é preocupante.32 Esses profissionais dão suporte aos quatrocentos e oitenta computadores presentes na prefeitura. procedimentos. uma vez que não existem. de acordo com o entrevistado não existe um projeto documentado sobre o assunto. No entanto ele referiu que algumas medidas são tomadas para que exista o mínimo de gestão. normas e critérios ambientais que devem ser seguidos e respeitados por todos”.2 Discussão da entrevista realizada Foi aplicada uma entrevista no setor de Assessoria de Modernização e Informática da Prefeitura Municipal de Paulo Afonso. Essa entrevista foi realizada no mês de fevereiro de 2011. Um dos pontos de grande importância na área . analisar criticamente e manter uma política ambiental. Quanto à questão se existe alguma lei municipal que normatiza e define como deve ser feito o descarte do lixo computacional a resposta obtida é que especificamente para o descarte de resíduos sólidos computacionais não existe. com a Direção de Tecnologia. distribuídos em todos os setores citados acima. o governo tem papel fundamental na consolidação do desenvolvimento sustentável. processos e recursos para desenvolver. No que se refere à existência de um sistema de Gestão Ambiental na área de TI da Prefeitura Municipal de Paulo Afonso. pois. “no caso do setor público. não tem como haver atividades de planejamento. p. implementar. Sendo assim a criação de um Sistema de Gestão Ambiental. responsabilidades. utilizam-se as regras aplicadas aos patrimônios em geral. 3. Observa-se então que não há um sistema de gerenciamento pensado para o descarte de resíduos computacionais. é necessário ter uma atitude extremamente coerente. incluindo a área de TI é de fundamental importância para a garantia deste papel de consolidação. afirmou que a instituição se preocupa com o descarte de equipamentos obsoletos. conforme AGUILAR (2009. Quando questionado se a prefeitura possui um sistema de gerenciamento de lixo computacional. atingir. pois é ele que estabelece leis. no próprio setor. práticas.19).

. mostrado na Figura 7. foi questionado como é feita a coleta do lixo computacional na Prefeitura. o mesmo é concertado ou descartado. por meio da participação popular e controle social. pois a partir das mesmas é que se torna possível a fiscalização dos órgãos e a cobrança da população. A informação dada foi que todo material obsoleto ou defeituoso é encaminhado a Assessoria de Modernização e Informática da instituição e de acordo com o estado do bem. E que depois de transportados para essa área específica é direcionado para possível leilão ou descarte. foi informado que a Assessoria de Modernização e Informática guarda esses equipamentos em um deposito localizado no ginásio de esportes Luís Eduardo Magalhães. surge a necessidade de criação de Lei Municipal que normatize as ações.33 de sustentabilidade e descarte de resíduos sólidos é a questão da normatização. Em seguida. Sobre o acondicionamento do lixo computacional. a seguir. Pode-se perceber que são necessárias leis que fundamentem as ações. Pelo exposto.

34 Figura 7: Depósito do lixo computacional da prefeitura municipal de Paulo Afonso Fonte: Prefeitura Municipal de Paulo Afonso. .

. Essa análise acontece no próprio setor de informática como demonstrado na Figura 8. com resposta positiva de que certamente acontece e que os técnicos do departamento de informática reaproveitam todas as peças possíveis. Figura 8: Sala de análise e reaproveitamento das peças. Em seguida foi questionado se há uma análise do reaproveitamento das peças quando um computador quebra. 2011. a mesma não é determinada.35 A respeito de qual seria a frequência do descarte. reaproveitando peças ou realizando pequenos concertos. e sim sob demanda. Para a pergunta sobre o que a Prefeitura Municipal de Paulo Afonso faz com os equipamentos de informática obsoletos ou quebrados. onde o hardware consiga atender aos softwares necessários. foi passado que há um remanejamento de peças para outros equipamentos. Quando perguntado se a prefeitura encaminha componentes para reciclagem foi afirmado que o próprio departamento de informática é responsável por reutilizar grande parte dos equipamentos. com o objetivo de prolongar a vida útil das máquinas até o limite possível. Fonte: Silva.

prejudicando o meio ambiente e a saúde humana. p. De acordo com a questão se a Prefeitura dá preferência à compra de equipamentos ecologicamente corretos (com selo verde). e a instituição de uma “marca” que diferencie . através da ambientais. O correto seria. Porém. a informação é de que ocorre apenas mediante uma requisição por parte dos interessados no gabinete do prefeito. a resposta foi que não há essa preferência. de lençóis freáticos.305 de 2010. objetivando a concorrência entre as empresas e uma diminuição significativa nos preços dos equipamentos. portanto é mais eficiente por parte da administração adquirir novos equipamentos. para pessoas ou outras instituições interessadas. encaminhar para a reciclagem ou segundo a Lei Nº 12. como afirma DOROCINSKI (2007. Todos os componentes que poder ser reaproveitados são reutilizados. neste tempo o equipamento segundo a direção do setor pode vir a ter 80% de depreciação. pois pode haver contaminação do solo. voltados na à implantação de e preservação que licitações do meio sustentáveis. que se enquadram como obsoletos.36 Quanto à questão de a prefeitura disponibilizar computadores. pois a instituição adquire seus equipamentos por modalidade de licitação. a resposta foi que o equipamento a ser adquirido pela instituição é licitado com previsão de uso para até quatro anos. ambiente. por meio de doação. retornar esses equipamentos para as empresas fabricantes ou comerciantes dos mesmos. Quanto a preferência de fazer upgrade a comprar novos equipamentos de informática. Esse tipo de descarte é incorreto. esse dado inviabiliza o upgrade dessas máquinas. A partir destas questões foi observado que os equipamentos em desuso são direcionados a um local específico onde ficam armazenados até um possível leilão ou venda. e os eletrônicos que não se enquadram nas opções anteriores são descartados juntamente com os resíduos sólidos comuns. incluindo em suas ações a inserção de critérios conservação dos especificação objetos constam no sistema de compras. 21): É necessário adequar os contratos públicos às concepções do consumo sustentável.

mas também fazer o acondicionamento do lixo produzido pela população pauloafonsina. não se tem um levantamento quantitativo de computadores em uso e computadores em desuso. Após criado esse local de acondicionamento do lixo.37 produtos e/ou serviços ambientalmente sustentáveis. impressoras em uso e em desuso.3 Proposta de descarte do lixo eletrônico Como sugestão para a melhoria do sistema de gerenciamento do lixo computacional da prefeitura municipal de Paulo Afonso seria o de criar um projeto de centro de descarte do lixo tecnológico. houve resposta negativa. monitores em uso e em desuso e nem de periféricos em desuso. Questionado se a prefeitura oferece instruções ou treinamentos para os profissionais de TI sobre o descarte dos produtos tecnológicos. Finalizando a entrevista se questionou quais seriam as perspectivas para o futuro do descarte do lixo computacional da Prefeitura Municipal de Paulo Afonso. A resposta obtida é que por enquanto as medidas adotadas são de Leilão e venda para terceiros. 3. onde precisaria de um espaço com capacidade para suportar não só o lixo eletrônico produzido na prefeitura. viria um outro passo. Portanto verifica-se que já há um conhecimento na área de TI verde e destinação de resíduos sólidos eletrônicos. que seria o de conscientizar as pessoas da cidade a separar o lixo eletrônico do lixo comum. Sobre o questionamento da existência de um levantamento quantitativo dos computadores em uso e desuso na prefeitura. Sendo assim. porém foi afirmado que existe orçamento disponível. Após essa separação haveria o descarte das seguintes formas: . foi respondido que não. baseada em critérios de rotulagem ambiental ou selo verde. mas por falta de um sistema de gestão ambiental e legislação municipal na área. ainda há práticas incorretas do descarte do lixo computacional na Prefeitura Municipal de Paulo Afonso. no entanto falta oportunidade.

Art. etc. 2010. 6º e 7º. Mas para a realização desse processo de separação e categorização das peças. cabos. • Outra maneira de descarte seria que as pessoas levassem a um local de recolhimento. só é possível se houver a contratação e/ou capacitação de pessoas para este novo setor. assim como a coleta do lixo eletrônico. para destinar as empresas responsáveis por reciclagem do lixo eletrônico de acordo com a Lei Nº 12. e sim no centro de descarte do lixo tecnológico. mas com uma simples diferença que o acondicionamento não iria mais acontecer no antigo depósito.. verifique que o produto tenha reutilização ou não. que esse local poderia ser criado em cada bairro pela prefeitura ou armazenado temporariamente em algum setor da prefeitura. como plásticos. placas eletrônicas. seria recolhido pelo transporte público e transportado para o centro de descarte do lixo tecnológico. para que depois seja transportado para o centro de descarte desse lixo. era armazenado no deposito localizado no ginásio de esportes Luís Eduardo Magalhães.305. metais. E quando não há mais como reutiliza-lo.38 • A prefeitura poderia criar um sistema de coleta do lixo eletrônico para que quando as pessoas colocassem esse lixo em suas portas. seria necessária a separação das peças em categorias por tipo de materiais. No estudo de caso foi falado que o setor de Assessoria de Modernização e Informática já faz o recolhimento dos equipamentos danificados da prefeitura para uma possível analise que. que traria benefícios para a sociedade com a criação de novos empregos e a redução dos impactos ambientais. Esse procedimento continuaria paralelamente com a solução citada logo acima. Quando o lixo já estiver neste centro. .

Há um grande esforço em reutilizar os componentes o máximo possível. a conscientização da humanidade é fundamental. . A tendência é de novas descobertas e melhorias. é de fundamental importância a preocupação das três esferas de governo. pode-se perceber que ainda há um longo percurso e muitas estratégias a serem traçadas sobre o gerenciamento do destino do lixo computacional. A abordagem dos 5 Rs da educação ambiental na sociedade atual deve ser colocada em prática por todos. mas sim de uma sociedade que necessita sair do círculo vicioso do consumismo. sendo praticada por diversas empresas. Além de ações realizadas por empresas. Em conjunto ao esforço de instituições públicas e privadas e do governo. Neste enfoque. A partir deste estudo. não há destinação para a reciclagem de componentes e para a compra de novos produtos. podemos perceber que aliado ao crescimento tecnológico deve haver o cuidado com o meio ambiente.39 4 Considerações finais A Tecnologia da Informação estará sempre em constante evolução. um problema crescente e que deve ter destaque nas pautas de planejamento em gestão ambiental. A mudança desse modelo de sociedade perpassa por uma mudança de percepção de mundo e de valores. porém ainda há o descarte. de programas e políticas de gerenciamento de resíduos sólidos eletrônicos e criação de leis que normatizem as práticas na área. Nesta pesquisa foi abordado principalmente ações de TI verde com relação ao o lixo computacional. mas também a todos os aspectos da vida. a cada dia vem ganhando mais espaço. No estudo de caso na Prefeitura Municipal de Paulo Afonso. e não para produtos “verdes”. ainda é dado prioridade ao valor. uma vez que o problema do lixo computacional não se restringe apenas a sua destinação final. a Tecnologia da Informação Verde. não apenas direcionando ao uso da Tecnologia da Informação.

porém enfocando o gasto de energia na Prefeitura Municipal de Paulo Afonso. o que possibilita a abertura de novos caminhos na área. 4. Dentre os desafios encontrados na esfera do governo municipal são a criação de uma Política Ambiental e de um Sistema de Gestão Ambiental que realmente indique e determine as práticas da TI verde. . pois. se percebeu a necessidade de novos trabalhos na instituição ainda na área de TI verde. Outro desafio.1 Trabalhos futuros Quando realizado o estudo de caso. Outra perspectiva para trabalhos futuros seria a criação de legislação municipal na área de TI verde. é a priorização do preço e não a certificação de um produto com “selo verde”.40 Um resultado positivo foi a constatação de que a direção e os técnicos do órgão responsável pela TI na Prefeitura Municipal de Paulo Afonso possuem conhecimento sobre a TI verde. para a aquisição deste produto é necessário desembolsar um valor maior do que um produto convencional.

Fabio Pacheco de. ANGELO. Acesso em: 22/12/2010.fateczl. Acessado em: 03/11/2010. 2010..edu. Disponível em: <www. 2008.gov.br/scielo.br/.php?script=sci_arttext&pid=S003476122008000200004&lng=pt&nrm=iso>. Disponível em: <http://www4.edu. Disponível em: < http://xtommyx. Alberto Luiz. Acesso em: 20/02/2011.br/index. ALMEIDA. Censo Escolar 2010. 42. São Paulo.pdf>. Trabalho de Conclusão de Curso – Tecnologia em Informática.pg.php/meio-ambiente/119-projeto-paradescarte-do-lixo-eletronico-na-usp-e-pioneiro>. com ênfase em Gestão de Negócios. Disponível em: <www.br/>.usp..com. Vantagens estratégicas e econômicas da Gestão Ambiental e Contabilidade Ambiental . BRASIL./Vantagens_Estrategicas_e_Economicas_da_Gestao_Ambie ntal.2. Acesso em 11/10/2010 . Giovana Teresinha de Souza. Projeto para descarte do lixo eletrônico na USP é pioneiro .scielo. [2009?]. Acessado em: 19/09/2010. Disponível em: < http://www. abr. Disponível em: <http://www. Pública. de.fnde. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – FNDE.utfpr. Tecnologia da Informação Verde: Uma abordagem sobre investimentos e atitudes das empresas para tornar socialmente sustentável o meio ambiente. 2008.41 Referências AGUILAR. Presente e Futuro do Desenvolvimento de Computadores.br/TCC/2009-2/tcc23. Passado. São Paulo. Diogo Henrique D.br/icc. Francisco. Adm. Ponta Grossa. Faculdade de Tecnologia de São Paulo. Paraná. 2009. Rio Grande do Norte. Rio de Janeiro. 94 f. Dayana Hass e MONTEIRO.vilabol. 2009. Benefícios do uso de tecnologia de informação para o desempenho empresarial. n.uol. ALBERTIN. Rosa Maria de Moura . Rev.pdf>. BEZERRA. ALBERTIN. v. & ALMEIDA Thomas F. Acessado em: 22/10/2010.pdf>.

Mário Henrique Braga. Disponível em: <http://www. 1999. Disponível em: <http://www.Disponível em: <www.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.br>. Disponível em: 12/01/2011 DOROCINSKI. Disponível em: <64. de 12 de fevereiro de 1998. O Lixo Computacional na Sociedade Contemporânea . Disponível em: <200. Acessado em: 13/10/2010. Daniel Edward. Modelo de gestão pública: A gestão ambiental municipal de curitiba.org. Lei nº 12. RIBEIRO.gov. Rosângela Lopes.IBGE. Roger.88/obsr3df/banco. Richard & VENABLES.42 BRASIL. Apresenta dados estatísticos do Brasil. ROSE. 2007. José Antônio. ALMEIDA. Vladimir Passos de.scribd. Acesso em: 13/11/2010 EDDINE. Acessado em: 07/12/2010.305. 2008.ibge. DF. CALVÃO. FREITAS. Diário Oficial da União.planalto. 2005. 3 ago.gov.conpedi. altera a Lei no 9. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos.pdf>. DODDS. dos seus estados e municípios.com/doc/24478780/Engineering-for-Sustainable-DevelopmentGuiding-Principles>.pdf>. D’ ALMEIDA. GARCIA./3924a2198d3f429e62e1087f06cfcd4f.81. Tecnologia da Informação e os princípios constitucionais de proteção ao meio ambiente . Curitiba. BRASIL. Brasilia. 2010.201. Brasília. de 2 de agosto de 2010. Alexandre Mondaini. Siomara Cador.41. Acessado em: 12/01/2011. Disponível em: <http://www. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística .pdf>. Acesso em 21/01/2011.2. Clarice.br/manaus/arquivos/anais/brasilia/09_144. VETTORAZI. Renato Lima. e dá outras providências.605. . Londres.. Rio de Janeiro. LIMA. Instituto Superior do Litoral do Paraná – ISULPAR. Edinês Maria Sormani & MILAGRE.. Consumo e sustentabilidade: desafios para uma nova atitude ecológica.50/enined/anais/enined/A29. Karlo Messa. Débora de Sousa. Engineering for Sustainable Development: Guiding Principles.htm>.

Disponível em: <www. Jader Cunha.prd. 2004. PINTO. Salvador. XI. São Paulo.dcc. São Paulo.fateczl. Um estudo sobre a avaliação da eficácia da tecnologia da informação nas organizações.br/pub/MATA67/TrabalhosSemestre20091/Monografia_Ja der_Macedo_20091. nº 13. Maria Elisabeth Pereira. MEIRELLES. Flávio Nakamura.br/docentes/laurindo/doutorado_fjbl. Gestão ambiental: a busca de estratégias para vantagem competitiva e construção da imagem corporativa. TI Verde: A tecnologia sendo influenciada pelo meio ambiente.br/subportais/interna/relacionad/GVciaPesqResumoNoticias 2010. São Paulo.43 Revista de direito v. Fernando José Barbin. São Paulo. 2009. Acessado em: 03/01/2011 LEITE. contexto e soluções . Disponível em: <http://www.pdf>. 21ª Pesquisa Anual.Disponível em: <www. FGV-EAESP-CIA.eaesp.br/TCC/2009-2/tcc27.5elementos.gestiopolis.ufba. Manual de atividades para o professor . Disponível em: <http://www. Lixo tecnológico. Disponível em: < http://sare.org. 2009. Acessado em: 29/12/2010 KRAEMER.fgvsp.php/rdire/article/viewFile/56/53>. Acessado em: 30/11/2010.com/Canales4/ger/buscestrategias.pdf>.). São Paulo. 2009. Acessado em: 13/01/2011 LAURINDO. Disponível em: <http://www.edu.br/index.usp.unianhanguera. 2000.edu. Florianópolis. Antônio Eleilson e outros (Ed. Fernando S. 2010. Acessado em: 13/11/2010.pdf>. Consumo Sustentável: coleção consumo sustentável e ação. 2010. Acessado em: 25/08/2010 MACÊDO. 2008. Disponível em: <http://disciplinas.pdf>.br/5elementos/files/pdf/downloads/ccsa/ccsa_consumo_ sustentavel.htm#masautor>. Acessado em: 03/11/2010 .pdf>.

doc> Acessado em: 21/10/2010 RIZZO. Retornável e Reciclável. Disponível em: <http://www. Victor Guilherme Andrade de. Ralph.uff./CC35619583899. São Paulo. São Pauo. FRASTRONE. Campinas. . SOUZA. CRACCO. STAIR. Princípios de Sistema de Informação: Uma Abordagem Gerencial. Ser Sensível aos 3 R’s – Reutilizável.com. 2009. Consumo verde. Disponível em: <http://noticias. ASCENÇÃO.html>.44 PORTILHO.br/encontro2009/. Acessado em: 12/01/2011 SOUZA. SANTANA. Disponível em: <www.meuartigo. Edson Alberto Farias de. RIBEIRO.com.com/informatica/adequacao-profissionalcontabilidade-junto-as-novas-. Ivan Barbosa de.. Lins. 2003.edu.br/lacta/publicacoes/artigoFatimaPortilho. Acessado em 26/01/2011.brasilescola. Presidente Prudente.htm>. Acessado em: Novembro de 2010. Thiago Flávio de. Disponível em: <http://www. Maio de 2010. 2007. Disponível em: < http://www.poli. Alex Soares. consumo sustentável e a ambientalização dos consumidores. Uma abordagem sobre o aproveitamento energético dos resíduos sólidos urbanos na cidade do Recife .br/index.pdf> Acessado em: 26/11/2010. Marçal Rogério. 2009.php? option=com_phocadownload&view=category&download=7660:barramento-desubestaes-um-estudo-de-caso-com-condutores-rigidos&id=27:trabalhos-deconcluso-de-curso&Itemid=235>. Gestão da sustentabilidade: Um Estudo de Caso em uma Empresa do Setor Energético.ecolnews.br/artigos/2007/06/05/31467-sersensivel-aos-3-rs-reutilizavel-retornavel-e-reciclavel. Adequação do profissional de contabilidade junto as novas tecnologias.ambientebrasil.br/lixo. Disponível em: <www. Thiago..unisalesiano. Fátima. Paulo Thiago Bento.htm>. Hugo da Silva & SOUZA. Recife. ARRIBARD. Acesso em: 13/09/2010. Máris de Cássia. São Paulo: 1998.

php/ciinf/article/view/481/436>. Benjamim de Medeiros.ibict. Acesso em: 19/02/2011. Ciência da Informação. .45 VALLE. 1996.br/index. Brasília. Disponível em: <http://revista. Tecnologia da informação no contexto organizacional.

forge.htm> Acessado em: 24/11/2010.baixaki. Acessado em: 15/12/10 MMA – Ministério do Meio Ambiente. Disponível em: <http://www.pdf>.osor.br/produtos/digital_news/sp-tera-centro-para-descartarlixo-eletronico> Acessado em: 10/12/2010.eu/downloads/pub/events/jornadas-lac/1as-jornadaslac/articles/Articulo-GESTOR-Sistema_Catastro_Tecnico_Multiuso_gvSIG. SP terá centro para descartar lixo eletrônico.com. Disponível em: <http://gvsigdesktop.com. Disponível em: <http://anamma. ? Disponível em: <http://olhardigital. C. Você sabe o que fazer com seu lixo eletrônico? Disponível em: <http://olhardigital.46 Referências Complementares Centro de Computação Eletrônica (CCE). SMAAL.cce.br/?q=node/266> Acessado em: 24/11/2010. rural e urbano.pdf>. Lixo eletrônico: o que fazer após o término da vida útil dos seus aparelhos? Disponível em: <http://www. Lixo eletrônico da USP agora poder ter um destino sustentável.com. Florianópolis: UFSC.uol. Cadastro técnico multifinalitário.uol. Agenda ambiental na administração pública: um novo modelo de gestão pública. 1998.br/imagens_conteudo/userfiles/a3p_apresentacao. Acessado em: 15/12/2010.br/tecnologia/2570lixo-eletronico-o-que-fazer-apos-o-termino-da-vida-util-dos-seus-aparelhos-.com.usp.br/jovem/digital_news/voce-sabe-o-que-fazer-com-seulixo-eletronico> Acessado em: 10/12/2010. Beatriz Portella. LOCH. .

Existe um sistema de Gestão Ambiental na área de TI da Prefeitura Municipal de Paulo Afonso? Não existe um projeto documentado sobre o assunto. 1. 3. a instituição se preocupa com o descarte de equipamentos obsoletos. de acordo com o estado do bem o mesmo é concertado ou descartado.47 Apêndice Entrevista FACULDADE SETE DE SETEMBRO – FASETE CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO VIII PERÍODO – NOTURNO Aluno: Bruno Leonardo Pontes Silva Entrevista com o gestor de TI da Prefeitura Municipal de Paulo Afonso para o Trabalho de Conclusão de Curso. algumas medidas são tomadas para que exista o mínimo de gestão. Como é feita a coleta do lixo computacional na Prefeitura? Todo material obsoleto ou defeituoso é encaminhado a Assessoria de Modernização e Informática da instituição. 2. 4. no entanto. Existe alguma lei municipal que normatiza e define como deve ser feito o descarte do lixo computacional? Especificamente não. . Como é acondicionado esse lixo? A Assessoria de Modernização e Informática guarda esses equipamentos em um deposito localizado no ginásio de esportes Luís Eduardo Magalhães. utilizam-se as regras aplicadas aos patrimônios em geral. A prefeitura possui um sistema de gerenciamento de lixo computacional? Certamente. 5.

A prefeitura disponibiliza computadores. A prefeitura encaminha componentes para reciclagem? O próprio departamento de informática é responsável por reciclar grande parte dos equipamentos. 8. 10. por meio de doação? Sim. a preferência é fazer upgrade ou comprar novos equipamentos de informática? 1. reaproveitando peças ou realizando pequenos concertos. Na prefeitura. todas as ações são executadas para proporcionar o bem estar dos contribuintes do município. portanto é mais eficiente por parte da administração adquirir novos equipamentos. Como é feito o descarte dos equipamentos de informática? São transportados para uma área específica para possível leilão ou descarte. para pessoas ou outras instituições interessadas. 9. Quando se faz o descarte. é pensado nos impactos ambientais? Sim. 13. 11. onde o hardware consiga atender aos softwares necessários. que se enquadram como obsoletos. mediante uma requisição por parte dos interessados no gabinete do prefeito. esse dado inviabiliza o upgrade dessas máquinas. com o objetivo de prolongar a vida útil das máquinas até o limite possível. Qual a frequência do descarte? Não existe uma frequência determinada. O equipamento a ser adquirido pela instituição é licitado com previsão de uso para até 4 anos. A Prefeitura dá preferência à compra de equipamentos ecologicamente corretos (com selo verde)? . 12.48 6. neste tempo o equipamento pode vir a ter 80% de depreciação. O que a Prefeitura Municipal de Paulo Afonso faz com os equipamentos de informática obsoletos ou quebrados? Remanejamento de peças para outros equipamentos. 7.

. preencha por favor os seguintes itens: Computadores em uso: Não há Informação Computadores em desuso: Não há Informação Impressoras em uso: Não há Informação Impressoras em desuso: Não há Informação Monitores em uso: Não há Informação Monitores em desuso: Não há Informação Periféricos em desuso: Não há Informação 15. 17. 14.49 Não. objetivando a concorrência entre as empresas e uma diminuição significativa nos preços dos equipamentos. A prefeitura oferece instruções ou treinamentos para os profissionais de TI sobre o descarte dos produtos tecnológicos? Não. a instituição adquiri seus equipamentos por modalidade de licitação. no entanto falta oportunidade. 16. Há uma análise do reaproveitamento das peças quando um computador quebra? Certamente. Quais as perspectivas para o futuro do descarte do lixo computacional da Prefeitura Municipal de Paulo Afonso? Leilão e venda para terceiros. Há um levantamento quantitativo dos computadores em uso e desuso na prefeitura? Caso tenha. existe orçamento disponível. os técnicos do departamento de informática reaproveitam todas as peças possíveis.