Você está na página 1de 3

Os conceitos de competência, discutidos nos diversos segmentos nos quais o termo é empregado, divergem estruturalmente entre si.

Cada ator social emprega o conceito na perspectiva que melhor se adaptar às suas necessidades. Tentaremos aqui demonstrar essa diversidade, apresentando alguns conceitos de competências utilizados nos meios produtivos, sociais e educacionais. Nosso principal objetivo é demonstrar à extensa gama de definições existentes nos diversos segmentos em que o tema é discutido e quais as dificuldades enfrentadas para se chegar a uma concepção comum a todos esses atores. Este artigo é fruto da pesquisa realizada para a confecção da dissertação de mestrado, a pesquisa baseou-se na coleta e análise de dados bibliográficos. Esse quadro teórico nos auxiliou a construir uma análise do contexto que envolve a discussão, implantação e manutenção de um sistema de formação e certificação profissional no Brasil. Começaremos a discussão pela análise pelo termo competência. Competência é uma palavra do senso comum, utilizada para designar pessoa qualificada para realizar algo. A definição de competência aparece como "qualidade ou estado de ser funcionalmente adequado ou ter suficiente conhecimento, julgamento, habilidades ou força para determinada atividade, competência aparece como "qualidade de quem é capaz de apreciar e resolver certo assunto, fazer determinada coisa; capacidade, habilidade, aptidão, idoneidade". Para aproximar nossa reflexão da discussão educacional, os estudos de Brígido (2001) se mostram oportunos. O autor faz um retrospecto histórico do surgimento do conceito de competências.

Em decorrência dos trabalhos de Bloom, surgiu, na década de 1960, um movimento chamado "Ensino baseado em competências" (HOWSAN, 1971), que se fundamentava em cinco princípios: 1. Toda aprendizagem é individual. 2. O indivíduo, assim como qualquer sistema, é orientado por metas a serem atingidas. 3. O processo de aprendizagem é mais fácil quando o aluno sabe precisamente o que se espera dele. 4. O conhecimento preciso dos resultados também favorece a aprendizagem. 5. É mais provável que o aluno faça o que se espera dele e o que deseja de si próprio, se ele tem a responsabilidade das tarefas de aprendizagem.

Para tanto. 2001). De posse destas referências. assimilar os padrões globalizados de qualidade é imprescindível. Já as variáveis de output seriam competências caracterizadas pela realização de tarefas. por sua vez. atitudes que afetam a maior parte do trabalho de uma pessoa. por resultados mensuráveis Ainda no âmbito do mundo do trabalho. o erro não era facilmente tolerado e a disciplina era algo desejável. começamos a compreender a intrincada rede de relacionamentos e interesses políticos e econômicos que compõem a discussão acerca das competências. é comum entre os profissionais de Recursos Humanos a definição de competências proposta por parry: "Competência é o conjunto de conhecimentos. discutem-se as formas de desenvolver competências por meio de um processo calcado na vivência e na formação profissional e educacional do trabalhador: Conforme Perrenoud (1993).Aparentemente. exigem providencias pontuais para a questão de formação e certificação profissional baseada em competência no cenário educacional vigente. Um profissional e competente quando é reconhecidamente bom em sua prática profissional. Desde então. as definições apresentadas nos fazem refletir criticamente sobre as concretas possibilidades do sistema educacional em atender a tão diversa gama de reflexões que. Na descrição de competências feita pelo Inmetro. Podemos aqui estruturar uma comparação preliminar entre os conceitos de competência propostos pelas vertentes produções educação e mercado de trabalho. as competências. . ficam patentes a necessidade e o interesse da empresa brasileira em participar do comércio mundial. Além do treinamento e adequação aos postos de trabalho e o acesso aos mesmos. As variáveis de input dizem respeito às competências inerentes às Pessoas. habilidades. no mundo do trabalho. FLEURY. construir uma competência significa aprender a identificar e a encontrar os conhecimentos pertinentes de interferência na prática. habilidades e atitudes. como as características relativas aos seus conhecimentos. e que se relacionam com o desempenho no trabalho. Implica a aceitação de uma avaliação positiva por parte de seu entorno social. podem ser analisadas sob o aspecto de variáveis de input e variáveis de output. Segundo Afonso Fleury (FLEURY. vários estudiosos passaram a discutir o assunto aqui e no exterior.

São muitas as perguntas. mas certo é que ainda há um extenso caminho a trilhar para que consigamos estabelecer um parâmetro comum para esta discussão. . muita duvida.