Você está na página 1de 22

I Unidade/2011

2º DIA

HISTÓRIA – QUESTÕES DE 1 A 20

QUESTÃO 01
(UESB-2010.1)

O que mais parecia uma briga entre políticos aristocratas de Atenas, por volta
de 507 a.C., acabou conduzindo ao primeiro governo popular da história. As
reformas políticas, introduzidas pelo nobre Clístenes e ampliadas nas décadas
seguintes, criaram uma cidade-estado na qual todos os homens adultos e livres
participavam do governo. Estava inventada a democracia.
Atenas também estabeleceu um império marítimo no Egeu, atraindo gente de
todo mundo grego. Dramaturgos, como Sófocles, filósofos, como Sócrates e
escultores, como Fidias, todos ativos na cidade durante essa época, até estão
entre os nomes mais admirados e influentes da cultura ocidental. (LOPES,
2009. P. 38).

A sociedade grega foi uma das mais influentes da Antiguidade e deixou um importante legado
cultural para a contemporaneidade.
Essa civilização

A) alcançou a democracia através de um golpe militar estabelecido pela nobreza, interessada em


ampliar sua base de apoio político para se manter no poder.
B) foi fruto de uma unidade política e territorial que possibilitou a Atenas, capital do seu império,
estabelecer uma vasta rede comercial no Oriente Próximo.
C) se pautou em um governo “do povo” que, era, na realidade, acessível a poucos, porém,
comparado com as monarquias orientas da época, representou um avanço extraordinário.
D) criou a democracia representativa, fazendo com que as diversas classes sociais, etnias e
minorias nacionais estivessem representadas no seu sistema político.
E) se caracterizou pela formação de um governo que atendia aos interesses das classes populares e
trabalhadoras, cidadãos e estrangeiros, que controlavam as instâncias das decisões políticas.

QUESTÃO 02
(UEFS-2003.2) A Confederação de Delos e a Liga do Peloponeso, constituídas na Grécia do
século V a.C., objetivaram a

A) liberdade de comércio e de navegação com as colônias das demais civilizações fixadas no Mar
Egeu.
B) implantação de um projeto político em favor da unidade administrativa, como condição para o
fortalecimento da nação.
C) extinção de práticas escravistas, por considerá-las um obstáculo ao pleno estabelecimento das
instituições democráticas.
D) defesa militar da península grega, a partir de propostas diferentes, em conseqüência das
tradições cultivadas por suas cidades líderes.
E) permanência de governos teocráticos nas cidades-Estado, conduzidos por sacerdotes
comprometidos com a vontade dos deuses.

TEXTO questões 03 e 04

I.
A civilização grega surgiu na Hélade, região do extremo-sul da Península Balcânica, cujos
povoadores, os indo-europeus, deram origem aos gregos ou helenos. Os gregos se

Aluno(a): ____________________________________________________________________________________ Turma: ______ Nº: _____


organizaram em cidades-estados (pólis, em grego), fundaram colônias no Mediterrâneo e
eram um povo de navegadores e comerciantes.

II.
Os romanos descendiam dos latinos, indo-europeus que haviam atingido a Itália no
segundo milênio antes de Cristo. Em sua evolução política, Roma conheceu,
sucessivamente, a Monarquia, a República e o Império. Após a conquista da Itália, Roma
realizou a conquista do Mediterrâneo, unificou o mundo de sua época e impôs-lhe a pax
romana. (MELLO; COSTA, 1994, p. 88).

QUESTÃO 03
(UEFS-2010.1) De acordo com os textos I e II e com os conhecimentos sobre o mundo
greco-romano, a expansão do mundo grego e do mundo romano ocorreu

A) na mesma época, tendo os gregos e romanos se chocado em guerras sucessivas, destacando-se


entre elas as Guerras do Peloponeso.
B) seguindo modelos diferentes: o grego, através da ocupação colonial progressiva, e o romano,
através da ocupação militar imperialista.
C) pela utilização da prática de invasão das terras próximas, para a rapinagem de gado, de
mulheres e de outros bens, sem interesse na ocupação sistemática e efetiva.
D) com a concordância dos povos conquistados, que aceitavam, sem resistência, programas
semelhantes ao da pax romana”.
E) antes da invasão dos indo-europeus, povos de origem indiana, que destruíram as culturas do
mundo greco-romano e impuseram o modelo oriental de sua cultura.

QUESTÃO 04
(UEFS-2010.1) Comparando-se as informações dos textos I e II, é possível afirmar que, do
ponto de vista político, o que diferenciava o povo grego do povo romano era, entre outros aspectos,

A) a presença de leis escritas entre os romanos e a legislação consuetudinária, entre os gregos.


B) a localização das cidades gregas em áreas continentais e a fixação dos romanos em áreas
insulares.
C) a estrutura do Estado, que se apresentava centralizado entre os romanos, e fracionado entre os
gregos.
D) o caráter democrático da república romana e o caráter tirânico dos governos das cidades gregas.
E) a ausência da escravidão entre os gregos e a utilização da mão de obra assalariada dos
estrangeiros entre os romanos.

QUESTÃO 05
(UEFS-2000.1) Publicadas em 450 a.C. e constituindo-se um dos fundamentos do Direito
Romano, as Leis das Doze Tábuas aparecem na história da República Romana como um dos
resultados

A) das Guerras Púnicas.


B) das Guerras Greco-Pérsicas.
C) das lutas de classe entre patrícios e plebeus.
D) da Política de Pão e Circo praticada por Júlio César.
E) da luta dos irmãos Graco em prol da reforma agrária.

QUESTÃO 06
(UEFS-2004.2)

Com o gradativo aumento de cidadãos pobres na cidade, crescia a tensão social


em Roma. Na qualidade de Tribunos da Plebe, os irmãos Tibério e Caio Graco
promoveram reformas sociais no período de 133 a 122 a. C. O objetivo dessas reformas
era atenuar o sofrimento da massa popular, evitando a ameaça de uma explosão social.
(Cotrim, p. 99)
2
O caráter popular da reforma dos irmãos Graco expressou-se através de leis que

A) reformulavam a escrita da legislação tradicional no texto conhecido como “Lei das XII Tábuas”.
B) determinavam o envio de soldados romanos para o ataque à cidade comercial de Cartago.
C) regulamentavam a posse da terra (Lei Agrária) e a distribuição de alimentos (Lei Frumental).
D) permitiram o exercício de outros cultos, diferentes da religião oficial do Império, a exemplo do
Cristianismo.
E) excluíam a participação de plebeus no Senado e na composição dos triunviratos.

QUESTÃO 07
(UESB-2004.2) O período da história da civilização romana identificado como o Baixo Império
caracterizou-se

A) pela instauração da pax romana e pela estabilidade política e social em todas as províncias do
Império.
B) pela anarquia militar e pela elevação do Cristianismo à religião oficial do Estado.
C) pelas grandes realizações artísticas e culturais, que marcaram o apogeu dessa civilização.
D) pela adoção do sistema escravista de produção e pelo crescimento da produção agrícola.
E) pela consolidação do poder central e único, estabelecido em Roma, sob a liderança dos Césares,
e pelas conquistas territoriais no norte da Europa.

QUESTÃO 08
(UEFS-2011.1) A conquista militar macedônica sobre o Oriente Médio levou ao fenômeno
denominado de “helenização do Oriente”.
Em contrapartida, as culturas orientais também influenciaram a cultura grega, podendo,
nesse sentido, ser destacada a presença

A) de rigorosa censura à leitura de filósofos gregos.


B) da produção de obras de arte dentro de padrões estéticos egípcios.
C) de práticas despóticas e antidemocráticas nos reinos helenísticos.
D) da introdução do trabalho escravo em atividades urbanas dos estados helenísticos.
E) do desprezo às religiões tradicionais do Oriente, face à divulgação da mitologia grega.

QUESTÃO 09
(UESC-2005) A transição do escravismo clássico para o feudalismo foi acelerada a partir

A) da atuação dos irmãos Graco em prol da preservação da grande propriedade.


B) do esfacelamento dos domínios islâmicos, que até então se fixaram no Norte europeu.
C) do fortalecimento do Império Carolíngio e de seus descendentes.
D) da expulsão dos judeus pelos plebeus, quando foi promulgada a Lei das XII Tábuas.
E) do enfraquecimento do Império Romano e da divisão do próprio império em Ocidente e Oriente.

QUESTÃO 10
(UEFS-2005.2)

Do século VI ao VIII, uma nova civilização, de estilo próprio, começou a criar raízes, a
partir dos remanescentes greco-romanos, das tradições germânicas e da perspectiva
cristã. (PERRY, 1999, p. 151).

A nova civilização do Mundo Medieval, a que o texto se refere,

A) apresentou-se capaz de manter um intenso comércio alimentado pelas transações internacionais.


B) manteve-se politicamente fortalecida em resposta à unidade administrativa estabelecida pelos
germanos.
C) constituiu-se a partir da integração de culturas diferentes que se concretizaram no sistema
feudal.
D) preservou, na íntegra, a cultura greco-romana, na medida em que priorizou a unidade cidade-
estado.
E) permaneceu distante da tutela da Igreja, por seguir o cristianismo ortodoxo de Bizâncio.
3
QUESTÃO 11
(UEFS-2010.1)

O modo de produção é um todo complexo dominante, em que uma das


estruturas que o compõem domina as outras, exercendo, sobre elas, uma
influência, em última instância. Em um modo de produção, a estrutura
determinante é sempre a econômica, o que não significa que tenha sempre o
papel dominante. (MENDONÇA, 1983, p. 65).

De acordo com o texto e com base nos conhecimentos sobre a Idade Média, é possível
identificar como características específicas do modo de produção feudal, dentre outras,

A) as relações servis de produção e a produção autossuficiente de bens de consumo e de alimentos.


B) a produção voltada para a manutenção dos bens, das terras e do conhecimento científico
produzido pelos homens da Igreja.
C) a estrutura da sociedade em castas, impedindo a mobilidade social, mesmo de pessoas que
atingissem um nível econômico elevado, mas se originassem de castas inferiores.
D) a liberdade para que habitantes das vilas e das cidades aplicassem preços e qualidade
diferenciadas nos seus produtos e serviços.
E) o fato de ter ocorrido, especificamente, na Europa Oriental, diferenciando essa região de outras,
europeias e asiáticas.

QUESTÃO 12
(UEFS-2005.2)

Carlos Magno (século VIII) foi aclamado por seus contemporâneos como um novo
Augusto, título dado aos antigos imperadores romanos. Ele dedicou especial atenção à
instrução, ao fortalecimento da cultura no interior do clero e à formação cuidadosa dos
funcionários, categorias encarregadas de transcrever e redigir textos em latim. (MELLO;
COSTA, 1994, p. 226-227).

Considerando-se as informações contidas no texto e os conhecimentos sobre o renascimento


carolíngio, é correto afirmar que a preocupação do Imperador de investir em uma instrução de
qualidade objetivava

A) educar a população infantil e reduzir o número de mendigos.


B) compor as cruzadas de cavaleiros instruídos, a fim de negociar com os árabes o direito ao Santo
Sepulcro.
C) divulgar as medidas adotadas por Carlos Magno, as quais impediam a doação de terras ao
patrimônio de São Pedro.
D) instruir o jovem cavaleiro a evitar conflitos no interior do feudo, garantindo a continuidade da
escravidão por dívida.
E) elevar o nível educacional do clero para a fiel interpretação e compreensão dos textos das
Sagradas Escrituras.

QUESTÃO 13
(UEFS-2004.2) A linha de ação governamental do Imperador Carlos Magno, denominada de
“Renascença Carolíngia”, determinava

A) o fortalecimento das religiões tradicionais cultivadas pelos germanos.


B) a busca da unidade cultural entre franceses e muçulmanos.
C) a proteção às obras de arte de autoria dos pintores italianos.
D) a promoção de programas de educação e de desenvolvimento cultural.
E) a política expansionista e comercial no mar Mediterrâneo.

QUESTÃO 14
(UA)
“Os cristãos não conseguem fazer flutuar uma só tábua no Mediterrâneo”.
(IBN KALDHUN)
4
No decorrer do século VII, o domínio árabe expandiu-se no Mar Mediterrâneo. Da Índia à
Península Ibérica, os povos submetidos pagavam tributos, depunham suas armas e, comumente,
conservavam seus costumes. Assim sendo, considera-se que a Guerra Santa:

A) constituiu-se no desenvolvimento de uma política expansionista, segundo a qual a conversão à


fé islâmica era a finalidade precípua dos combatentes.
B) implicou o declínio dos impérios persa e bizantino, uma vez que estes Estados mantinham uma
política opressora e intolerante sobre os povos dominados. Para estes, o invasor árabe tornava-
se mesmo um libertador.
C) converteu-se praticamente numa obrigação prevista pelo Islamismo, posto que, tanto para os
grupos mercantis da Arábia, quanto para os beduínos, a expansão territorial e a pilhagem dos
povos derrotados eram fundamentais.
D) tornou-se um princípio básico do Islamismo até a atualidade, sendo inclusive viabilizada pelo
sincretismo que a caracterizava: influência do Cristianismo, Judaísmo e de outras religiões.
E) possibilitou à Arábia a unificação política sob a égide da nova religião, ou seja, do Islamismo. Tal
unificação foi consubstanciada pela implantação do Califado, que se constituía numa monarquia
patriarcal e hereditária.

QUESTÃO 15
(UESB-2004.2)

O místico, o visionário e o guerreiro, um inigualável estrategista e um audacioso


político.
Mas, quando Maomé morre, em 632, poucos, fora da Arábia, conhecem o seu
nome. Quem poderia imaginar que dois séculos depois seus discípulos criariam o império
mais poderoso e influente da Idade Média?
(Chebel. In: História Viva, p. 23 e 25)

A partir da leitura do texto e dos conhecimentos sobre a civilização muçulmana e o mundo


conhecido na época, é correto afirmar:

A) O islamismo caracteriza-se por ser uma religião singular, não tendo sofrido a influência de
nenhuma outra religião ou de crenças professadas pelos povos vizinhos.
B) A civilização muçulmana, pobre no que diz respeito às conquistas científicas e aos avanços
culturais, não marcou presença duradoura nem contribuiu para o desenvolvimento dos povos
conquistados.
C) A formação do Império Islâmico caracterizou-se pela brutalidade no tratamento dos povos
conquistados, que eram obrigados a reconhecer a nova religião e a adotar os costumes dos
conquistadores, além de perder suas terras, entregues aos seguidores do Islã.
D) A religião criada por Maomé é, ainda durante a sua vida, consagrada como a única da península
Arábica, e a região, que se constituía um aglomerado de tribos e clãs dispersos, unificou-se
politicamente através da própria unificação religiosa.
E) A expansão territorial levou os povos islâmicos à conquista dos antigos territórios do Império
Romano, no centro-norte da Europa, e ao estabelecimento de centros comerciais na Inglaterra e
na Alemanha, durante a maior parte da Idade Média.

QUESTÃO 16
(UEFS-2001.2)

A jihad no Corão

“Ide à guerra, não importa se isso resultar fácil e difícil. Lutai por
Deus com vossas posses e vossas vidas. É o melhor para vós.
.........................................................................................................
Fiéis! Combatei contra os infiéis que estão próximos a vós! Que eles
sintam vossa firmeza! Sabei que Deus está com os que O temem.
.........................................................................................................
5
Se vos matam por Deus ou morrerdes de morte natural, o perdão e
a misericórdia de Deus são mais preciosos do que todos os bens que podeis
juntar.”
(Arbex Jr., p. 28)

Com base no texto e nos conhecimento sobre a civilização muçulmana, pode-se concluir que
o jihad constituiu um importante elemento

A) no expansionismo árabe, uma vez que incentivava os muçulmanos para a Guerra Santa.
B) na Revolução Xiita, que, no Irã, ao derrubar o governo pró-americano do Xá Reza Pahlevi, se
aproximou da União Soviética, a fim de conter a influência ocidental na região.
C) na expansão muçulmana, que, no século XVIII, estabeleceu um processo de perseguição aos
judeus e aos cristãos, em virtude do atraso técnico e intelectual dos árabes.
D) na dominação de Meca pelo Profeta Maomé, unificando politicamente a Arábia e estabelecendo
uma Monarquia Parlamentar sob seu comando.
E) na luta contra os europeus durante as Cruzadas, que, ao conter o processo de expansão
europeia, contribuíam para o estabelecimento de trocas comerciais favoráveis aos muçulmanos.

QUESTÃO 17
(UESB-2007.1)

“Só Alá é deus e Maomé, seu profeta”. Circunstâncias históricas favoráveis permitiram ao
profeta Maomé difundir uma nova fé que, em pouco tempo, unificou o povo árabe em torno de um
poder central, expandiu-se por mais da metade do mundo civilizado da época e deixou uma
influência marcante em várias regiões do mundo.

Sobre a civilização muçulmana, é correto afirmar:

A) A Arábia pré-islâmica possuía uma organização política baseada na monarquia teocrática, com
um governo centralizado e autoritário que dominava tanto as tribos nômades do deserto quanto
os povos sedentários do litoral.
B) Ao expandir a nova religião, Maomé também consolidou seu poder político, de forma pacífica,
difundindo os princípios de uma religião monoteísta que pregava e a fraternidade entre todos os
homens.
C) Durante o seu período expansionista, os muçulmanos tratavam os povos conquistados
violentamente, obrigando-os a adotar a nova religião e os costumes árabes, tirando a sua
liberdade.
D) Os árabes desenvolveram as ciências, como a matemática, a medicina e a química, mas suas
realizações no campo cultural continuaram desconhecidas para o mundo ocidental até o século
XVII, devido ao isolamento em que vivia a Europa medieval.
E) Após a morte de Maomé, seus sucessores estenderam os domínios muçulmanos além dos limites
da Arábia, na Ásia, África e Europa, controlando uma grande parcela do mundo conhecido da
época, graças à unidade política e religiosa que criou condições favoráveis para esse
expansionismo.

QUESTÃO 18
(UEFS-2003.2)

Impérios Medievais

Carolíngio Bizantino Muçulmano

6
A análise do quadro e os conhecimentos sobre a circulação cultural na Idade Média permitem
afirmar:

A) I constituiu-se ponto de partida para a divulgação da cultura desenvolvida em III.


B) I e II partilharam das mesmas tradições literárias e artísticas representadas pelas histórias das
“Mil e uma noites” e pelo Zend Avesta.
C) A conquista de II por III resultou na substituição dos templos cristãos por mesquitas islâmicas
e na implantação da cultura muçulmana na região.
D) A centralização política, em I, determinou a implantação do feudalismo em II e III.
E) I, II e III conviveram, durante a Idade Média, isolados nos seus próprios limites, temerosos de
perder sua identidade política e cultural.

QUESTÃO 19
(UFES) O apogeu do Império Bizantino ocorreu durante o reinado de Justiniano (527-565).
Dentre as obras que o marcaram, destaca-se a:

A) tentativa de restabelecimento da cultura helênica e manutenção do Latim, como língua do


império.
B) compilação do Direito Romano no Corpus Juris.
C) concessão de liberdade de culto aos cristãos através do Edito de Milão.
D) oficialização da iconoclastia como política religiosa do Império.
E) conquista e domínio dos Estreitos do Bósforo e dos Dardanelos.

QUESTÃO 20
(PUCCamp-SP) O Império Bizantino, ao longo de sua história, apresentou um governo que se
caracterizou por:

A) proporcionar condições sociais que possibilitaram eliminar, desde suas origens, o problema da
escravidão.
B) procurar eliminar suas origens romanas a par de restringir o poder dos soberanos, que era
bastante limitado.
C) apresentar um caráter despótico associado à grande influência religiosa, dando-lhe uma feição
teocrática.
D) afastar o poder espiritual do bispo de Constantinopla sobre assuntos de natureza secular.
E) controlar, chegando a eliminar completamente, o poder da burocracia no Estado.

7
GEOGRAFIA – QUESTÕES DE 21 A 40

QUESTÃO 21
Em um mapa com escala 1: 12.300.000, foram medidas as seguintes distâncias entre
Salvador e Recife: 5,5 cm e, entre Salvador e Fortaleza: 8,5 cm. Assinale a alternativa que
identifica, correta e respectivamente, a distância entre essas cidades.

A) 675,5 km e 1 045,5 km.


B) 676,5 km e 1 045,5 km.
C) 1 045 km e 676 km.
D) 676 km e 1 045 km.
E) 1 045,5 km e 676,5 km.

QUESTÃO 22
Um grupo de estudantes foi encarregado pelo professor de Geografia de realizar um estudo
sobre os recursos minerais e energéticos de uma determinada área do Brasil. Após amplas
discussões, os componentes resolveram empregar como mapa base, em projeção ortogonal, um que
tivesse a escala de 1:250.000. Com relação a esse mapa, é CORRETO afirmar que

A) 1cm no mapa corresponde a 500km no terreno.


B) 1cm no mapa representa 250km, em face do tipo de projeção.
C) 1cm no mapa corresponde a 2.500km no terreno e que o sistema de projeção independe da
escala adotada.
D) 1cm no mapa indica 2,5 km no terreno.
E) 1cm no mapa é igual a 125 km no terreno.

QUESTÃO 23
Leia o texto abaixo:

Representações em (I) mostram áreas muito extensas, com poucos detalhes e são
geralmente chamadas de (II); já representações em (III) mostram áreas menores, porém com
maior grau de detalhamento, e são chamadas de (IV). Representações em escalas muito (V) e com
alto grau de detalhamento são chamadas de (VI).
(MOREIRA; SENE, 2008, p. 28).

A alternativa que substitui e preenche CORRETAMENTE os item I, II, III, IV, V e VI do texto
acima é:

A) (I) escala média; (II) plantas; (III) escala grande; (IV) mapas; (V) médias; (VI) cartas.
B) (I) escala grande; (II) cartas; (III) escala pequena; (IV) plantas; (V) pequenas; (VI) mapas.
C) (I) escala pequena; (II) mapas; (III) escala grande; (IV) cartas; (V) grandes; (VI) plantas.
D) (I) escala pequena; (II) mapas; (III) escala média; (IV) plantas; (V) pequenas; (VI) cartas.
E) (I) escala grande; (II) cartas; (III) escala pequena; (IV) mapas; (V) grandes; (VI) plantas.

QUESTÃO 24
Analise a figura abaixo:

Fonte: COELHO, Marcos de Amorim.


Geografia Geral:
O espaço natural e sócio-econômico.
São Paulo: Moderna, 1992. p. 302
8
Tomando-se como base a figura que mostra o Brasil em três escalas diferentes, é
INCORRETO afirmar que:

A) Quanto menor for a escala, maior é o tamanho do mapa e conseqüentemente maior é a riqueza
de detalhes.
B) Quanto maior for a escala, maior é o tamanho do mapa e conseqüentemente maior riqueza de
detalhes.
C) Quanto menor for a escala, menor o tamanho do mapa e consequentemente menor é a riqueza
de detalhes.
D) Quanto maior a escala melhor é a observação dos detalhes.
E) Quanto menor for a escala, maior número no denominador.

QUESTÃO 25
As afirmativas a seguir referem-se aos movimentos da Terra e às suas consequências
geográficas. Analise-as e assinale o grupo das que são corretas.

I. A diferença da duração do dia e, consequentemente, da noite depende da rotação da Terra.


II. Não importa a localização da Terra na sua órbita; é sempre meio dia ao longo do meridiano que
está diretamente de frente para o Sol, e meia noite a 180°, no lado oposto.
III. Durante parte de sua órbita, aproximadamente de outubro a fevereiro, o Hemisfério Sul da Terra
está voltado mais diretamente para a luz solar que durante o outono e o inverno.
IV. Se a Terra não se movesse em torno de si haveria tempestades muito mais violentas e furacões,
em razão da interação entre o ar quente e o ar frio de um hemisfério e o ar quente de outro.
V. As estações do ano estão relacionadas à inclinação do eixo da Terra e da translação que ela
executa em torno do Sol.

Estão corretas:

A) apenas I e V estão corretas.


B) apenas II e IV estão corretas.
C) apenas I, II e II estão corretas.
D) apenas I, III e V estão corretas.
E) apenas I, II, III, IV e V estão corretas.

QUESTÃO 26

Ano Internacional da Astronomia será celebrado em 2009


11/01/2008

Paris - O ano de 2009 celebrará a astronomia e as suas contribuições para a sociedade e


para a cultura globais. Destacará os méritos da ciência e seus métodos. As Nações Unidas elegeram
2009 o Ano Internacional da Astronomia (IYA 2009), e designaram a UNESCO como agência líder
nas comemorações. A União Astronômica Internacional (IAU) atuará na implementação das
atividades desta celebração mundial. Com o tema “O Universo a ser descoberto por você”, o Ano
quer estimular o interesse, especialmente junto ao público jovem, nos temas da astronomia e da
ciência. Até agora, 99 nações e 14 organizações já decidiram contribuir com o IYA 2009. O Centro
do Patrimônio Mundial da UNESCO, em cooperação com a União Astronômica Internacional, dará
prosseguimento à iniciativa “Astronomia e Patrimônio Mundial”, lançada em 2003, cujo objetivo é
promover a nomeação de patrimônios culturais ligados à astronomia

A Astronomia dedica-se ao estudo do cosmo e à análise da composição e do comportamento


dos corpos celestes. É a ciência mais antiga e, em muitos aspectos, a que maiores contribuições
trouxe para o pensamento científico. Considerando o tema central da questão, assinale a alternativa
INCORRETA.

A) O eixo da Terra é inclinado em relação ao plano de sua órbita ao redor do Sol (movimento de
translação). Como consequência direta, temos a ocorrência das estações do ano.
B) Os raios solares só incidem, perpendicularmente, em pontos localizados na zona tropical,
apresentando, portanto, temperaturas mais elevadas durante todo o ano.

9
C) Nas zonas temperadas e polares, o Sol não se apresenta a pino em nenhum período do ano, pois
os raios incidem obliquamente.
D) Em 20 ou 21 de março e em 22 ou 23 de setembro, os raios solares incidem,
perpendicularmente, ao Equador, iniciando-se os Equinócios e Solstícios, respectivamente.
E) Na linha do Equador, não há variação no fotoperíodo e a diferença aumenta à medida que nos
afastamos dele.

QUESTÃO 27
“No Afeganistão, a yelda é a primeira noite do mês de jadi, a primeira noite do inverno, e a
mais longa do ano. Como mandava a tradição, Hassan e eu ficávamos acordados até mais tarde,
com os pés enfiados debaixo do kursi, enquanto Ali atirava cascas de maçã no fogareiro e nos
contava velhas histórias de sultões e de ladrões para passar o tempo dessa noite que era a mais
comprida de todas. Foi por meio de Ali que fiquei conhecendo a tradição de yelda, daqueles meses
enfeitiçados, que se precipitam para as chamas das velas, e dos lobos que sobem ao alto das
montanhas em busca do sol. Ali jurava que quem comesse melancia na noite de yelda não sentiria
sede durante o verão seguinte.”
(Khaled Hosseini. O Caçador de Pipas. 2005)

Considerando os fenômenos registrados no texto, bem como a localização do Afeganistão, é


correto afirmar que

A) a data provável para o jadi é o dia 21 de junho, o solstício de inverno no Hemisfério Norte.
B) a noite mais comprida no Hemisfério Norte, que marca o equinócio de outono, é 23 de setembro.
C) o solstício de inverno no Afeganistão é 21 de dezembro, quando o Trópico de Câncer recebe
menor incidência dos raios solares.
D) a esfericidade do planeta Terra permite uma maior insolação nas regiões próximas ao Equador,
portanto são inverossímeis as condições registradas nessa obra de ficção.
E) se as condições meteorológicas permitirem, a noite mais longa no Afeganistão será entre o dia
21 ou 22 de dezembro, pois depende do ano bissexto.

QUESTÃO 28
Com base na ilustração abaixo e levando em consideração os movimentos da Terra, assinale
a alternativa correta.

A) As datas de 21 de março e 23 de setembro assinalam os solstícios, quando os dias e as noites


têm a mesma duração.
B) As estações do ano são conseqüência do movimento de rotação da Terra.
C) A posição da Terra, no número 2, mostra a época do ano em que o hemisfério Sul está
recebendo maior intensidade de radiação que o hemisfério Norte.
D) A posição 4 indica o início do verão no hemisfério Sul, sendo que o dia 21 de dezembro coincide
com a passagem do Sol pelo trópico de Capricórnio.
E) A figura demonstra que a distribuição de energia solar no nosso planeta varia conforme a
rotação da Terra.

10
QUESTÃO 29
Observe os mapas.

Mercator

Peters

(Regina Vasconcelos, Ailton P. Alves Filho. Novo Atlas Geográfico.


São Paulo: FTD, 1999. Adaptado.)

A respeito destas projeções cartográficas é correto afirmar que

A) na projeção de Mercator, os meridianos e os paralelos são linhas retas, que se cortam em


ângulos retos, provocando distorções mais acentuadas nas áreas continentais de baixas
latitudes.
B) a projeção de Mercator é, comumente, utilizada em cartas topográficas e, no Brasil, é adotada
como base do sistema cartográfico nacional.
C) a de Peters é frequentemente apontada como uma projeção que expressa o poderio do Norte
sobre o Sul, visto que superdimensiona as terras do Norte.
D) a de Peters é muito útil na navegação, pois respeita as distâncias e os ângulos, embora não faça
o mesmo com o tamanho das superfícies.
E) a projeção de Peters utiliza a técnica de anamorfose, o que explica o alongamento dos
continentes no sentido Norte – Sul, mantendo a fidelidade à proporção de áreas.

QUESTÃO 30
Observe atentamente a figura a seguir. Trata-se de um esboço de curvas de nível.

11
Assinale qual a forma de relevo que mais se aproxima do que está representado pelas curvas
de nível no trecho XY.

A)

B)

C)

C)

D)

E)

QUESTÃO 31
Analise as pirâmides etárias A e B de duas situações demográficas fictícias.

Fonte: adaptação do autor.

Leia as afirmações I a IV e decida quais delas estão corretas.

I. A pirâmide A representa um país que dispõe de uma população economicamente ativa


proporcionalmente maior que as outras faixas etárias, mas que tende a apresentar um sistema
previdenciário deficitário em algumas décadas.
12
II. A pirâmide B pode indicar dificuldades orçamentárias mais relacionadas à educação básica do
que ao setor previdenciário (aposentadorias).
III. Comparativamente, a pirâmide A pode indicar uma população mais instruída, e a pirâmide B,
uma população mais excluída dos serviços sociais.
IV. A base larga da pirâmide B indica maior acesso aos serviços de saúde, o que se reflete em
menor mortalidade infantil.

A) Estão corretas apenas as afirmações I, II e III.


B) Estão corretas as afirmações I, II, III e IV.
C) Estão corretas apenas as afirmações II e III.
D) Estão corretas apenas as afirmações I e III.
E) Estão corretas apenas as afirmações II, III e IV.

QUESTÃO 32
Em 2010, 26% da população da Alemanha, Áustria e Hungria terão mais de 65 anos de
idade. As conseqüências desse processo de envelhecimento, um fenômeno que atinge muitos países
da Europa e já alcança outros como o Brasil, só que de maneira lenta, mas já perceptível, vem
preocupando pesquisadores sobre o assunto e gestores públicos, que alertam para a criação de
políticas públicas, devido aos problemas que podem decorrer em uma sociedade em que há
predominância de idosos.
As preocupações presentes neste texto resultam do seguinte fato:

A) os Estados com populações jovens, que não precisam investir em infra-estrutura, podem
estagnar-se economicamente.
B) o envelhecimento da população exige investimentos vultosos em assistência social e infra-
estrutura, despesas que incidem sobre população economicamente ativa.
C) os países industrializados, com população idosa, estão precisando estimular a emigração de
idosos para substituir o déficit de trabalhadores jovens.
D) o envelhecimento da população implica o aumento da taxa de desemprego e da informalidade,
sobretudo em relação aos serviços direcionados para a chamada “terceira idade”.
E) os países industrializados, com altas taxas de expectativa de vida, tornaram-se superpopulosos e
com cidades inchadas.

QUESTÃO 33
Observe a figura que representa a distribuição etária da população mundial.

O modelo de transição demográfica explica as alterações nas taxas de natalidade e de


mortalidade dos países, conforme passam por diferentes estágios da economia industrial.
É correto afirmar que

A) há um equilíbrio entre as taxas de natalidade e de mortalidade no início da transição


demográfica. O número de nascimentos e de óbitos apresenta valores ainda pouco expressivos,
correspondendo à fase denominada de pré-industrial.
B) os países desenvolvidos, que tiveram sua industrialização entre o fim do século XVIII e início do
XIX, apresentam uma queda na taxa de mortalidade devido aos avanços na medicina e na
13
tecnologia. Nessa fase, a segunda da transição demográfica, ocorre um crescimento populacional
em todas as faixas etárias.
C) há um novo equilíbrio entre as taxas de natalidade e de mortalidade, com valores elevados,
quando a transição demográfica atinge a quarta fase. Os nascimentos são altos, mas
equilibrados com as altas taxas de mortalidade. É o caso dos países de industrialização tardia,
como os da América Latina e Ásia.
D) alguns países experimentam uma fase de crescimento negativo da população, quando a taxa de
natalidade é menor que a de mortalidade. Esse fato é próprio de países muito pobres, com
políticas sociais precárias e que incentivam as famílias a não terem filhos.
E) os processos de transição demográfica apontam para o envelhecimento da população dos países.
Os dois extremos de riqueza apresentam preocupações: os mais pobres sofrem com o
desemprego em massa, e os mais ricos sentem a falta de jovens para o trabalho.

QUESTÃO 34
Hoje, a população idosa no mundo é de aproximadamente 650 milhões de habitantes.
Segundo a ONU, a perspectiva para 2050 é de que o mundo tenha 2 bilhões de pessoas com mais
de 60 anos.
Assinale a alternativa que corresponde à correta distribuição demográfica de idosos no
planeta, nesse período.

A) A população idosa terá uma distribuição demográfica homogênea, devido à conquista de


recursos na área de saúde, que atingirão a maior parte da população mundial.
B) A maior parte da população idosa estará concentrada nos países desenvolvidos, onde o
investimento no social é alto, gerando uma elevada expectativa de vida.
C) A distribuição da população idosa terá uma maior concentração entre os países ricos e
emergentes, por terem maior acesso à tecnologia da medicina.
D) A maior concentração de idosos estará em países subdesenvolvidos, proveniente do elevado
crescimento vegetativo de hoje.
E) O maior número de idosos se concentrará no continente europeu, devido ao crescimento e à
expansão da União Européia, que proporcionará igualdade de tecnologia e tratamentos médicos
à sua população.

QUESTÃO 35
Com o auxílio do gráfico e de seus conhecimentos, pode-se inferir:

A) O desemprego estrutural decorre do atual sistema produtivo que prioriza a tecnologia em vez da
mão-de-obra.
B) A economia competitiva de hoje impõe a necessidade de um aumento contínuo da produtividade,
com maior número de pessoas empregadas.
C) O crescimento industrial significa geração de emprego no atual mundo do trabalho.
D) A indústria privilegia o emprego da mão-de-obra barata e sem qualificação, em detrimento da
capacidade e da produtividade dos trabalhadores.
E) Modernização tecnológica, trabalho qualificado e desemprego deixam de ser decorrência da atual
forma de composição do sistema produtivo da indústria.

14
QUESTÃO 36
O crescimento das cidades será um dos maiores desafios ao desenvolvimento no século XXI.
Regiões como a África e a Ásia deverão dobrar sua população urbana entre 2000 e 2030, enquanto
na América Latina e no Caribe, esse crescimento deverá ser mais lento (UNFPA, 2007). Nos países
periféricos, o crescimento das cidades é acompanhado pela pobreza urbana, fato esse que tem
pressionado cada vez mais o meio ambiente, devido a padrões insustentáveis de produção, consumo
e gestão urbana.
Sobre a relação entre crescimento das cidades, pobreza e meio ambiente, é correto afirmar
que o(a)

A) correlação entre a pobreza e riqueza proporcionou o controle sobre os recursos naturais e a


existência de acesso à cidadania plena, consolidando o planejamento urbano e o acesso das
camadas mais pobres da sociedade à habitação.
B) planejamento urbano reduziu os impactos ambientais, o crescimento da população urbana,
diminuindo a pobreza e revitalizando espaços urbanos antes inapropriados para moradia.
C) desenvolvimento das cidades e de extensas áreas urbanas se deu devido à rapidez da
urbanização e à capacidade das cidades de proverem habitação suficiente e serviços urbanos
básicos para populações mais pobres, evitando os problemas ambientais.
D) gestão ambiental urbana ajudou a evitar efeitos negativos para o meio ambiente, principalmente
reduzindo a urbanização evitando impactos indesejáveis e negativos no meio ambiente,
contribuindo para o planejamento urbano sustentável.
E) distância entre o nível de renda entre as populações, o preço das terras e as políticas
habitacionais não supriram as necessidades das populações de baixa renda, exercendo intensos
impactos sobre o meio ambiente em termos de consumo de recursos e eliminação de resíduos.

QUESTÃO 37
Observe o quadro abaixo.

Distribuição da PEA, em % (2001)*


Países Setor Primário Setor Secundário Setor Terciário
Alemanha 3 32 65
Japão 5 30 65
Brasil 24 20 56
Paquistão 48 17 35
**números
númerosaproximado s
aproximados

Comparando a estrutura da População Economicamente Ativa (PEA) dos países acima, analise
a veracidade (V) ou falsidade (F) das seguintes proposições.

( ) Os produtos agrícolas têm um alto preço no mercado internacional, por isso são preferidos
pela força de trabalho dos países desenvolvidos.
( ) Nos países subdesenvolvidos, a urbanização é responsável pela elevada participação da
mão-de-obra no setor primário.
( ) A tendência é de diminuição relativa da PEA no setor primário e de expansão do setor
terciário nos países subdesenvolvidos.
( ) Nos países desenvolvidos, o setor terciário é o que mais emprega para garantir a
produção interna de mercadorias.
( ) As mudanças mais acentuadas na estrutura da PEA, com o desenvolvimento industrial e
tecnológico, serão nos países subdesenvolvidos.

A sequencia correta é:

A) F–V–F–V-F
B) V–V–F–V-V
C) V–V–F–V-F
D) V–F–F–V-F
E) V–V–V–F-F

15
QUESTÃO 38
Na maior parte dos países subdesenvolvidos, as diversas atividades do setor terciário ocupam
uma porção relativamente muito importante da população ativa total (...), na realidade o setor
terciário desses países aparece nitidamente hipertrofiado.

(Adaptado de: LACOSTE, Yves. "Geografia do subdesenvolvimento". São Paulo: Difel, 1966.)

Das afirmativas abaixo, relativas à hipertrofia do setor terciário, assinale a VERDADEIRA:

A) Nos países subdesenvolvidos o crescimento do setor terciário se dá basicamente pelo aumento


do desemprego nos setores primário e secundário e do subemprego.
B) Nos países subdesenvolvidos o setor terciário é hipertrofiado, pois ocupa grande parte da
população ativa, sendo constituído por profissionais de alto nível de qualificação e especialização.
C) Nos países subdesenvolvidos a hipertrofia do setor terciário acontece pelo elevado número de
pessoas empregadas neste setor, o que mostra sua importância no desenvolvimento desses
países.
D) Nos países subdesenvolvidos o aumento do setor terciário indica um grande desenvolvimento
econômico, pois esse setor é igualmente amplo nos países desenvolvidos.
E) Nos países subdesenvolvidos o setor terciário é hipertrofiado porque é maior que nos países
desenvolvidos.

QUESTÃO 39
Considere o gráfico seguinte para assinalar a resposta correta.

A partir do gráfico e dos conhecimentos sobre a população mundial, pode-se afirmar que os
países I, II e III apresentam as seguintes características:
A) I - Economia pós-industrial / Sociedade de consumo / Modernização completa da economia rural
II - Industrialização tardia e dependente de capitais e tecnologia / Êxodo rural / Hipertrofia do
setor terciário
III - Economia concentrada na agropecuária. Baixa taxa de industrialização e serviços

B) I - Modernização incompleta do campo. Predomínio da economia informal


II - Economia concentrada na agropecuária. Baixa taxa de industrialização e serviços
III - Economia de transição, típica dos países socialistas europeus

C) I - Economia pós-industrial / Sociedade de consumo / Modernização completa da economia rural


II - Economia de transição, típica dos países socialistas europeus
III - Modernização incompleta do campo. Predomínio da economia informal

D) I - Modernização incompleta do campo. Predomínio da economia informal


II - Industrialização tardia e dependente de capitais e tecnologia / Êxodo rural / Hipertrofia do
setor terciário
III - Economia concentrada na agropecuária. Baixa taxa de industrialização e serviços

E) I - Economia de transição, típica dos países socialistas europeus


II - Economia pós-industrial / Sociedade de consumo / Modernização completa da economia rural
III - Industrialização tardia e dependente de capitais e tecnologia / Êxodo rural / Hipertrofia do
setor terciário

16
QUESTÃO 40
Um dos maiores problemas da atualidade é o aumento desenfreado do desemprego. O texto
abaixo destaca esta situação.

O desemprego é hoje um fenômeno que atinge e preocupa o mundo todo. (...) A onda de
desemprego recente não é conjuntural, ou seja, provocada por crises localizadas e temporárias. Está
associada a mudanças estruturais na economia, daí o nome de desemprego estrutural.
O desemprego manifesta-se hoje na maioria das economias, incluindo a dos países ricos. A
OIT estima em 1 bilhão - um terço da força de trabalho mundial - o número de desempregados em
todo o mundo em 1998. Desse total, 150 milhões encontram-se abertamente desempregados e
entre 750 e 900 milhões estão subempregados.

([CD-ROM] "Almanaque Abril" 2005. São Paulo: Abril.)

Pode-se compreender o desemprego estrutural em termos da internacionalização da


economia associada

A) a uma economia desaquecida que provoca ondas gigantescas de desemprego, gerando revoltas
e crises institucionais.
B) a novas formas de gerenciamento de produção e novas tecnologias que são inseridas no
processo produtivo, eliminando empregos que não voltam.
C) ao emprego informal que cresce, já que uma parcela da população não tem condições de
regularizar o seu comércio.
D) ao setor de serviços que se expande provocando ondas de desemprego no setor industrial,
atraindo essa mão-de-obra para este novo setor.
E) ao setor industrial que passa a produzir menos, buscando enxugar custos provocando, com isso,
demissões em larga escala.

17
MATEMÁTICA – QUESTÕES DE 41 A 60

QUESTÃO 41
A divisão do polinômio P(x) = x³ + mx² + tx – 2 por D(x) = x² – x + 1 é exata. O valor de
t – m é igual a:

A) 5
B) 6
C) 7
D) 8
E) 9

QUESTÃO 42
Um polinômio p(x) foi dividido pelo binômio x – a. Usando-se o dispositivo de Briot-Ruffini,
abaixo,

a 3 –4 5 d e
b – 10 c 24 40

É correto afirmar que a + b + c + d – e é igual a:

A) 6
B) 8
C) 10
D) 12
E) 14

QUESTÃO 43
O polinômio P(x) = ax³ + bx + 16 tem como raiz dupla o número 2. O valor de a – b é igual
a:

A) 9
B) 10
C) 11
D) 12
E) 13

QUESTÃO 44
Se o polinômio 2x4 + dx3 + cx2 + bx + a é tal que P(1) = P(2) = P(3) = P(4) = 0 e
( )
( ) ( )( )(
, então F(10) é igual a:
)

A) 8
B) 9
C) 10
D) 11
E) 12

18
QUESTÃO 45
Para que conjunto de valores de k  R o resto da divisão do polinômio x4 + 3x3 – k2x2 + 3kx por
x + 1 é maior que – 2?

A) {x  R / – 3  x  – 1}
B) {x  R / – 3 < x < 0}
C) {x  R / – 1 < x < 0}
D) {x  R / x < – 3 ou x > 0}
E) {x  R / x < – 2}

QUESTÃO 46
O número 2 é uma das raízes do polinômio P = x3 + 4x – 16. As outras duas raízes são:

A) iguais
B) opostas
C) imaginárias
D) inversas
E) inteiras

QUESTÃO 47
Um polinômio P(x) possui como raízes os valores 2, 3 e 4. Este polinômio é:

A) P(x) = 2x3 – 3x2 + 4x – 4


B) P(x) = x3 – x2 + 2x – 8
C) P(x) = x3 – 2x2 – x + 2
D) P(x) = 4x3 + 3x2 + 2x
E) P(x) = x3 – 9x2 + 26x – 24

QUESTÃO 48
A multiplicidade da raiz 1 do polinômio P(x) = x 4 – x3 – 3x2 + 5x – 2 é:

A) 1
B) 2
C) 3
D) 4
E) 5

QUESTÃO 49
O quociente e o resto da divisão de P(x) = x4 – x3 + 2x + 3 por D(x) = 2x + 1 são,
respectivamente, ( ) e ( ) .

O valor de a + b + c + d + k é igual a:

A) 49
B) 50
C) 51
D) 52
E) 53

19
QUESTÃO 50
Sabe-se que os restos das divisões do polinômio F = 2x 3 + 3x2 + kx – 2 por (x + 1) e por
(x – 1) são iguais. O resto da divisão de F por (x – 2) é igual a:

A) 21
B) 22
C) 23
D) 24
E) 25

QUESTÃO 51
O polinômio a(x + c)3 + b(x + d) é idêntico ao polinômio x3 + 6x2 + 15x + 14. O valor de
a + b + c + d é igual a:

A) 8
B) 12
C) 14
D) 16
E) 18

QUESTÃO 52
Se A, B e C são números reais, tais que , para x  R*, então
( )
A + B + C é igual a:

A) 2
B) –1
C) –3
D) 4
E) –5

QUESTÃO 53 (FGV )
No plano cartesiano, a reta que passa pelo ponto P(6,9) e é paralela à reta de equação
2x + 3y = 6 intercepta o eixo das abscissas no ponto:

A) (13, 0)

 35 
B)  , 0
 2 
C) (18, 0)

 39 
D)  , 0
 2 
E) (23, 0)

20
QUESTÃO 54 (UNIMONTES MG)
O valor de k, para que as retas 2 x  5 y  7 e 3x  ky  1 sejam paralelas, é

15
A)  .
2
3
B) .
5
15
C) .
2
3
D) 
5
E) 3

QUESTÃO 55 (FEI SP)


Num sistema cartesiano ortogonal (O,x,y), considere a reta que passa pelos pontos A=(2,0)
e B=(0,3). A equação da reta perpendicular à reta determinada pelos pontos A e B, no ponto B é:

A) 3x + 2y – 6=0
B) 3x + 2y – 4=0
C) 2x – 3y + 9=0
D) 2x + 3y – 9=0
E) 2x + 3y + 9=0

QUESTÃO 56 (PUC MG)


Duas retas perpendiculares se cortam no ponto (2,5) e são definidas pelas equações
y  ax  1 e y  bx  c . Com base nessas informações, é CORRETO afirmar que o valor do
coeficiente linear c é igual a:

A) –4
B) –2
C) 4
D) 6
E) 1

QUESTÃO 57 (FGV )
  a 1
As retas de equações y   x  1 e y    x  12 são perpendiculares.
 a2 
O valor de a é:

A) 2
1
B)
2
C) 1
D) 2
3
E)
2

21
QUESTÃO 58 (UFAM)
No gráfico abaixo, a reta s que passa pelo ponto P é paralela a reta r e tem como equação:

A) 3x  y  1  0
B) 3x  y  3  0
C) x  3 y  1  0
D) 3x  y  1  0
E) 3x  y  1  0

QUESTÃO 59 (FURG RS)


Dados os pontos A(2,3), B(4,6) e C(5,1), vértices de um triângulo ABC, considere as
seguintes afirmações:

I. A reta suporte do lado AB passa na origem.


II. A área do triângulo ABC é igual a 7 unidades de área.
III. O triângulo ABC é isósceles.

Quais afirmações estão corretas?

A) apenas a I.
B) apenas a I e a III.
C) apenas a II.
D) apenas a III.
E) todas

QUESTÃO 60 (UEPB)
A distância entre o ponto P(3, 5) e a reta r, de equação x + 2y – 8 = 0, é igual a:

A) 5
B) 3
C) 2
D) 5
E) 3

22