Você está na página 1de 10
1º semestre de Engenharia – Civil/Mecânica Cálculo 1 – Profa Gisele/ Profª Gina – (2º sem

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Gisele/ Profª Gina (2º sem de 2012)

Apostila: Limite e derivada

  • I) Noção intuitiva de Limite

Os limites aparecem em um grande número de situações da vida real:

- O zero absoluto, por exemplo, a temperatura T C na qual toda a agitação molecular cessa, é a temperatura da qual podemos nos aproximar mas que jamais conseguimos atingir

  • - Economistas quando falam do lucro em um mercado ideal, assim como engenheiros quando determinam a eficiência de um motor em condições ideais, estão trabalhando com situações- limite.

O processo de determinar o limite consiste em investigar o comportamento de uma função f (x) quando x se aproxima de um número c que pode ou não pertencer ao domínio da f.

Para ilustrar ao conceito de limite, vamos supor que estejamos interessados em saber o que acontece à

função f (x) =

1º semestre de Engenharia – Civil/Mecânica Cálculo 1 – Profa Gisele/ Profª Gina – (2º sem

quando x se aproxima de 1.

Embora f(x) não seja definida para x = 1, podemos ter uma boa idéia da situação calculando f (x) para valores de x que se aproximam cada vez mais de 1, tanto pela esquerda como pela direita.

Vamos completar a tabela abaixo:

x

0,8

0,9

0,95

0,99

1

1,001

1,01

1,05

1,1

         

X

       

Os valores da tabela sugerem que f (x) se aproxima do número 3 quando x se aproxima de 1, tanto pela esquerda como pela direita.

Este comportamento pode ser representado pela expressão: “o limite de f (x) quando x tende a 1 é igual a 3”. Simbolicamente temos:

II) Definição
II)
Definição

Se f (x) se aproxima de um número L quando x se aproxima de um número c, tanto pela esquerda como pela direita, L é o limite de f (x) quando x tende a c, cuja notação é:

1º semestre de Engenharia – Civil/Mecânica Cálculo 1 – Profa Gisele/ Profª Gina – (2º sem

III)

Interpretação geométrica dos limites

f(x)

f(x)

f(x 1 ) f(x 2 ) L
f(x 1 )
f(x 2 )
L
f(x 1 ) f(x 2 ) L x 2 x 1 c
x 2 x 1 c
x 2 x 1 c
x
2
x
1
c
x
x

Para f(x) definida em c

f(x) f(x) L f(x) x c x x
f(x)
f(x)
L
f(x)
x
c
x
x

Para f (x) não definida em c

É importante não esquecer que os limites descrevem o comportamento de uma função perto de um ponto, mas não necessariamente no próprio ponto.

Funções Contínuas

Contínuo: sem interrupção Continuidade num ponto: Uma função f(x) é contínua no ponto c, se:

1)

f ( c) é definida.

(

2)

3)

Existe Se

)

(

)

= f (c)

Se f((x ) não é contínua no ponto c, dizemos que c é um ponto de descontinuidade, Exemplos de funções com descontinuidade em x = c

III) Interpretação geométrica dos limites f(x) f(x 1 ) f(x 2 ) L x 2 x

DERIVADAS

A derivada de uma função f de uma variável real x, é a função f’ definida por f’(x) = desde que o limite exista.

(

)

(

)

,

Exemplos:

 

1)

2)

3)

4)

Encontre a derivada de f(x) = x 2 utilizando a definição acima.

Encontre a derivada de f(x) = x utilizando a definição acima.

Encontre a derivada de f(x) = 5 utilizando a definição acima.

Encontre a derivada de f(x) = x 2 no ponto x = 4, utilizando o limite abaixo:

f’(xo) =

(

)

(

) .

 

Obs: Definimos a derivada de uma função f (x) em um ponto x= x 0 pelo limite dado acima.

Interpretação Geométrica da Derivada

Derivada como o coeficiente angular da reta tangente ao gráfico de f(x) no ponto de abscissa x = x 0

Significado geométrico da derivada

A partir do gráfico de uma função podemos obter uma importante interpretação da noção de derivada.

f(x) Inclinação = taxa média de variação B f f(x 0 + h) – f(x 0
f(x)
Inclinação = taxa média de
variação
B
f
f(x 0 + h) – f(x 0 )
A
h
x

x

  • 0 X 0 + h

f(x) B B B A Inclinação = taxa instantânea de variação
f(x)
B
B
B
A
Inclinação = taxa instantânea de
variação

a

x

y

x

= tangente do ângulo que a reta forma com o eixo x

A derivada de uma função y = f(x) num ponto x = x 0 , é igual ao valor da tangente do ângulo formado pela tangente à curva representativa de y=f(x), no ponto x = x 0 , ou seja, a derivada é o coeficiente angular da reta tangente ao gráfico da função no ponto x 0 .

mt = coeficiente angular da reta tangente ao gráfico de f(x) no ponto x = x 0

m t

=

f’(x 0 ) =

(

)

(

)

Exemplo: Determine o coeficiente angular da reta tangente ao gráfico de f(x) = x 2 no ponto P(-1, f(-1))

x 0 = -1

f( x 0 ) = f(-1) = (-1) 2 = 1. Assim P( -1,1)

m = f’(-1) = lim

f (1h) h f (1) = lim

2

( h 1) (1)

2

h

= lim

h

2

2h

1

 

1

h

= lim

h(h h 2) = -2

h

0

h

0

h

0

h

0

m = -2, isto é, o coeficiente angular da reta tangente ao gráfico de f(x) = x 2 no ponto P é igual a -2.

Podemos também escrever a equação dessa reta tangente utilizando a expressão:

y y 0 = m( x x 0 )

em que x 0 e y 0 são as coordenadas do ponto P e m é o coeficiente angular.

No exemplo acima, a equação da reta tangente é : y -1 = -2( x +1)

Exercícios.

y -1 = -2x -2 ou

y = -2x -1

Escreva a equação da reta tangente ao gráfico de f(x) no ponto indicado:

1)

f(x) = x 2 + x + 1 ; P( 2, f(2))

2)

f(x) = x 3 x

; P( -2, f(-2))

Regras de derivação:

1)

Derivada de uma função constante:

f(x) = c

f’(x) = 0

A derivada de uma constante é nula.

2)

Derivada de uma função potência:

f(x) = x n f’(x) = n x n-1

3)

Derivada do produto de uma constante por uma função :

f(x) = c . g(x)

f’(x) = c . g’(x)

4)

Algumas derivadas imediatas:

Função f (x)

Função derivada f’ (x)

e x

 

e x

ln x

 

Sen x

 

Cos x

Cos x

-

Senx

Derivadas das funções trigonométricas:

1)

A derivada da função seno é a função cosseno.

f(x) = sen x

f’(x) = cos x

f(x) = c . g(x) f’(x) = c . g’(x) 4) Algumas derivadas imediatas: Função f

2)

A derivada da função cosseno é o oposto da função seno

f(x) = cos x f’(x) = - sen x
f(x) = cos x
f’(x) = - sen x

Derivadas de outras funções trigonométricas:

(tg x)’= sec 2 x

(cotg x)’ = - cossec 2 x

(sec x)’ = sec x . tg x

(cossec x )’ = - cossec x . cotg x

Regras Algébricas de derivação:

  • I) Derivada de uma soma

f(x) = g(x) + h(x)

f’(x) = g’(x) + h’(x)

II)

Derivada de uma diferença:

f(x) = g(x) h(x) f’(x) = g’(x) – h’(x)

III)

Derivada de um produto:

p(x) = f(x) . g(x)

p’(x) = f(x) . g’(x) + g(x) . f’(x)

IV)

Derivada de um quociente:

q(x) =

f ( x )

g (

x

)

q’(x) =

g x f

( ).

x f x g x

'( )

( ).

'( )

2

g ( x )

  • V) REGRA DA CADEIA

Função Composta; Sejam do
Função Composta;
Sejam
do

f e g funções tais que para todo x domínio A de g, g(x) está no

domínio de f. Define-se a composta de f e g , indicada por f 0 g como sendo a função de domínio A, dada por:

(f 0 g)(x) = f(g(x))

Se g é derivável em x, f

é derivável em g(x) e f 0 g está definida, então

(f 0 g)’ = f’(g(x)). g’(x)

Na notação de Leibniz, se y = f(u) e u = g(x) ,então:

onde

dy

du

dy dy du  . dx du dx
dy
dy du
.
dx
du dx

é calculada em u = g(x)

Exemplos:

y = 9x 4 + 6x 2 +1 = (3x 2 +1 ) 2 é a função composta de y = u 2

e u = 3x 2 + 1

Calculando as derivadas, temos :

dy du

.

du dx

= 2u. 6x = 2(3x 2 +1) . 6x = (6x 2 +2 ).6x = 36x 2 + 12x

Lista de exercícios:

1)

Calcule a derivada de f(x) no ponto indicado:

  • a) f(x) = x 2 ; x = -2

  • b) f(x) = 3x + 4 ; x = 4 f(x) = 2x x 2

  • c) ; x = -2

  • d) f(x) = x 3 ; x = -1

2) Utilizando as regras de derivação, calcule f’(x) de cada função dada:

  • a) - x 2 + 3

f(x)=

 
  • b) f(x) = x 2 + x +8

 
 

x

3

x

2

x

  • c) f(x) =

-

 

3

2

 

4

3

 

5

  • d) f(x) =

x

2

x

  • e) y = -2 t -1 +

4

 

t

2

  • f) y = ( 3-x 2 ) ( x 3 x +1)

  • g) f(x) = ( x -1) ( x 2 + x +10)

  • h) f(x) = ( x 2 -1) ( x + 5 +

    • 1 )

x

  • i) f(x) =

2

x

4

x 0,5

  • j) y =

2 x 5

3 x 2

  • k) y = ( 1 t) ( 1+ t 2 ) -1

3) Encontre as derivadas das seguintes funções:

  • a) f(x) = (2x+1) 5

2

x

f(x) = (

8

c) = 3  t f(x)
  • c) = 3 t

f(x)

1

  • b) x )

x

4

  • d) f(x) = (4x+3) 4 (x+1) -3

1

  • e) y =

( x

2

e

x

)

 

x

  • f) ln ( 2x+6)

 
  • g) ln ( x 2 +4)

  • h) ln (

x

)

 

x

1

 
  • i) y = x 2 sen x

 
  • j) y = 4 cos x

 
  • k) y = t t 2 cos t

 
  • l) y= t 3 sen t

 
  • m) y =3x sen x

 
  • n) y =

senx

 
 

x

  • o) y = 5 e x + cos x

 

cos x

 
  • p) y =

1senx

Derivadas de outras funções trigonométricas:

(tg x)’= sec 2 x

(cotg x)’ = - cossec 2 x

(sec x)’ = sec x . tg x

(cossec x )’ = - cossec x . cotg x

Lista de exercícios:

1) Calcule a derivada da função f(x) =

x  3 x  2 2
x  3 x  2
2

2) Calcule a derivada de f(x) =

  • 1 R: -

5

(2 x 3)

2 x 3  R: 2 x 2  3 x  2 10 (2 x
2 x 3
R:
2
x
2
3
x
2
10
(2 x  3)
6

3) Calcule a derivada da função dada e simplifique a resposta:

  • a) R: 8( 2x+1) 3

f(x) = (2x+1) 4

  • b) f(x) = (x 5 4x -7) 8

R: 8x 2 ( x 5 - 4x 3 -7) 7 (5x 2 -12)

  • c) =

f(t)

1

5

t

2

6

t

2

R:

2(5 t 3)

(5

t

2

6

t

2)

2

  • d) f(x) = (x+2) 3 (2x-1) 5 R: ( x+2) 2 ((2x-1) 4 (16x+17)

f(x) =

( x 1)

(1 x )

5

4

  • f) 3 x 1

f(x) =

1  4 x
1  4 x
  • g) f(x) = sen(x 2 +2)

f(x) = cos ( 5 x 3 )

  • e) (

R:

x

4

1) (9

x

)

 

(1 x )

5

R:

5 6 x

3

(1 4 x )

2

R: 2x cox(x 2 +2)

 
  • h) R: -15 x 2 . sen( 5x 3 )

4) Determine uma equação da reta tangente à curva, no ponto indicado.

a ) y

2

x

c ) y

1

8

x

e ) y

6

x

,

g

)

y

4

x

4

x

5, ( 2,7)

3

, (4,8)

(3,2)

4 , (0,0)

x

1) Calcule os limites:

2 b y )  x   x 2, (2,4) 2 d ) y 
2
b y
)
x
 
x
2,
(2,4)
2
d
)
y
x
2
x
1, (1,4)
3
f y
)
2
x
x
, ( 2,4)
8
h ) y  
,
(4, 4)
x
(cotg x)’ = - cossec x (sec x)’ = sec x . tg x (cossec x

Resp.: a) 2

b) 0

c) 1/8

2) Calcule os limites abaixo: Resp a) 2 b) 4 c) -7/3 3) Calcule: Resp.: a)
2)
Calcule os limites abaixo:
Resp
a) 2
b) 4
c) -7/3
3)
Calcule:
Resp.: a) +
Calcule os limites:
b)+ 
c) -
4)
Resp.: a) 2 b) 0 c) 1/8 2) Calcule os limites abaixo: Resp a) 2 b)
Resp.: a) + b)+  resp.: 2/5
Resp.: a) +
b)+ 
resp.: 2/5

c) +

Resp.: a) 2 b) 0 c) 1/8 2) Calcule os limites abaixo: Resp a) 2 b)

resp.: -2/3

F(x)

F’ (x)

c

0

x

n

n . x n -1

ln x

 

e x

e x

sen x

cos x

cos x

- senx

a x

a x ln a

   

tg x

sec 2 x

sec x

sec x . tg x

cotg x

- cossec 2 x

cossec x

- cossec. cotg x