Você está na página 1de 8

ESCOLA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO BÁSICA

JARDIM PARAÍSO

PROFESSOR (A): CARMEM LANDMANN E JOSIANE RODRIGUES

UM DESTAQUE PARA INCLUSÃO


CIDADANIA EM AÇÃO

ALUNO: L. S. O. S
SÉRIE, EJA 1º Segmento II Fase.

Sinop – MT / 2008
I - Dados de Identificação

Nome da escola: Escola Municipal d Educação Básica Jardim Paraíso


Nome da diretora: Helena Maria Simionato
Supervisora: Solange Pereto Silva
Orientadora: Neusa Destefani Reis
Psicopedagoga: Simone Solange Schlag
Professoras: Carmem Landmann e Josiane Rodrigues
Aluno: L.S.O.S
Tipo de deficiência: Surdez bilateral
Idade: 27 anos
Escolaridade: EJA 1º Segmento II Fase

Um breve histórico de L.

O aluno L. nasceu em Sinop no ano de 1981. Aos oito meses de idade a mãe suspeitou que o
filho não ouvia bem. Levou-o ao médico que diagnosticou surdez moderada bilateral, porém as
causas não foram identificadas. A forma de comunicação da família se deu através de gestos
espontâneos e a mímica. A APAE foi a primeira escola freqüentada por ele onde recebeu
atendimento fonoaudiológico e pedagógico. Tinha então oito anos de idade e permaneceu lá até o
ano de 1993. Após sua saída não encontrou escola que lhe acolhesse e ficou muitos anos sem
estudar. Quando fundaram a Associação de Surdos de Sinop, ele logo se tornou membro ativo
convivendo diariamente com outros surdos, aprendendo a Língua de Sinais – LIBRAS, que domina
muito bem.
Através de outros surdos foi informado de que a Escola Municipal Jardim Paraíso oferecia o
curso de EJA no período noturno. Procurou a direção da escola no ano de 2007 e fez sua matrícula,
contou com a ajuda dos colegas surdos na comunicação com a secretária e professora. Sua
professora tem curso básico de LIBRAS e desde o início das aulas, ambos se comunicam bem e o
restante da turma demonstrou interesse em se comunicar com ele e até aprenderam alguns sinais
básicos. A aceitação da turma, dos professores e colegas das demais turmas ocorreu naturalmente
talvez por L. ser alegre, disposto e comunicar-se com todos. Ele se sente totalmente incluso no
ambiente escolar, participa ativamente de todas as atividades em classe e também as extra-classe
como: apresentações de trabalhos, dramatizações e confecção de materiais. Na aula de Educação
Física apresenta dificuldades em atividades que envolvem corrida, por estar um pouco acima do
peso. L. conta com a ajuda de uma professora interprete em LIBRAS em sala de aula e onde se fizer
necessário.
II - Justificativa

Aproveitando o momento político em que a eleição é o assunto em questão e o aluno L. já


manifesta seus anseios e opiniões sobre o debate político e a escolha do prefeito e vereadores do
nosso município, decidimos simular uma eleição na escola.
Assim procuramos valorizar a criatividade e a capacidade do aluno L. na elaboração de
propostas políticas para a sua campanha eleitoral no contexto escolar, onde alunos surdo e ouvintes
serão candidatos a prefeito e vereadores, mostrando a importância da inclusão e da participação
ativa de todos os membros da escola numa votação simulada onde a inclusão se faz presente de
forma consciente e verdadeira. Depois de todas as informações contextualizadas partimos para as
ações.
O interesse de todos da escola em se envolverem neste processo de inclusão foi
indispensável para que o aluno ficasse motivado no sentido de agir, apropriar-se do conhecimento,
interagindo com o mundo ouvinte.
II - Objetivo Geral

- Oportunizar ao educando atuar ativamente no município em que vive, despertando-o para exercer
sua cidadania com responsabilidade, assumindo seus deveres e usufruindo de seus direitos,
possibilitando aos alunos com necessidades especiais mostrar que são capazes de enfrentar desafios,
desenvolvendo habilidades e competências, tendo como base o desenvolvimento de aptidões e
conhecimentos do aluno L., independente da sua necessidade educacional, e que ele possa ser bem
sucedido em sua vida escolar.
A inclusão escolar é um direito de L. e de todos, é um desafio que implica em mudanças
onde a acomodação e a inércia não mais farão parte da escola.
A ação inclusiva da escola com L. inclui suporte técnico (interprete de LIBRAS) e
complementação no trabalho pedagógico (adaptações metodológicas sempre que necessária) de
forma a atingir o principal objetivo traçado que é a efetivação da inclusão escolar.
III - Objetivos específicos

- Destacar a importância da prática política no contexto escolar;


- Educar para a cidadania;
- Compreender que o voto é um direito e dever do cidadão;
- Combater a discriminação, resgatando valores;
- Desenvolver o senso crítico;
- Explorar diferentes formas de comunicação;
- Contribuir com a interação entre alunos ouvintes e surdos;
- Possibilitar ao aluno L. manifestar seus desejos, independência e participação;
- Propiciar e assegurar práticas inclusivas.
- Proporcionar ao aluno L. maior socialização com a comunidade escolar a qual pertence;
- Desenvolver a sua linguagem oral;
- Colaborar no desenvolvimento global e harmonioso do educando;
- Expandir seu potencial reconhecendo sua capacidade acadêmica fundamental para realização de
sua escolaridade.
IV - Metodologia

Foram realizados estudos, pesquisas informatizadas de documentários já existentes voltados


á história do voto e da eleição no Brasil, vídeos de propagandas eleitorais gratuitas do município,
debates relacionados aos vídeos e documentários assistidos. Durante os debates foram levantadas
situações problemáticas como: sempre tivemos direito ao voto? Como se organiza uma eleição?
Como aconteciam as eleições no passado? Como tem sido a participação do povo nas eleições?
Todo o trabalho desenvolvido tem o apoio de um professor interprete em LIBRAS, recursos
visuais variados (objetos, gravuras, desenhos, fotos, vídeos), língua portuguesa falada e escrita,
língua brasileira de sinais e mímicas e ainda a construção da urna eleitoral. Há a participação de
forma ativa do aluno L. em todas as atividades propostas que tem total apoio dos professores e
colegas de classe evidenciando um trabalho colaborativo e inclusivo.
Os recursos visuais incluem fichas contendo palavra x figuras ou somente a figura ou a
palavra para melhor compreensão da língua escrita. A TV Centro América teve participação
entrevistando os candidatos na escola, enfatizando o aluno L. que se destacava pela empatia,
empenho e potencial. A deficiência de L. não sobressai num ambiente acolhedor e inclusivo.
Desde a chegada de L. na escola os professores tem recebido orientação e participado de
cursos (Alfabetização para Surdos) e estudos durante a hora atividade. Os estudos e as orientações
são feitos pelas professoras intérpretes Josiane Rodrigues e Marizate Weber direcionados ao aluno
L. Vale ressaltar que vários professores já fizeram ou fazem o curso básico de LIBRAS.
V - Resultado

O resultado foi positivo e gratificante. A comunidade escolar participou ativamente desde a


escolha dos candidatos a candidatos até a votação e a contagem dos votos. Comemoraram a vitória
do candidato escolhido demonstrando serem cidadãos conscientes de seus direitos e deveres. O
aluno L. que já se encontrava incluso com o grupo participou ativamente de todas as etapas do
projeto, inclusive confeccionando cartazes e folhetos dos candidatos. Opinou, questionou e sugeriu
sempre acompanhado da professora intérprete. Como foi candidato a vereador, fez seu discurso se
apresentando e pedindo votos. Foi eleito e empossado.
Alguns alunos se destacaram na criatividade ao confeccionarem o material e o slogan da
campanha.
O trabalho rendeu muitos elogios dos professores, direção, equipe técnica e coordenadora do
EJA e será divulgado em futuros Fóruns da EJA. O projeto foi apresentado em outro município
sendo apreciado por aquela comunidade escolar.
Além de positivo e gratificante, o projeto proporcionou práticas inclusivas onde L. se sentiu
a vontade assegurando seu espaço junto aos demais.
A comunidade escolar ficou impressionada com a capacidade intelectual do aluno L. que
mostrou com grande sucesso tudo o que sabia sobre eleição e conquistou com seu carisma o seu
eleitorado, deixando claro a todos que somos diferentes, inteligentes e ao mesmo tempo tão iguais.
O projeto proporcionou oportunidade, democracia e inclusão.
Os resultados apontam que muitas são as possibilidades de inclusão quando se estabelece
um ambiente colaborativo entre todos os membros da comunidade escolar, melhorando a qualidade
de ensino envolvendo todos a aluno num processo de inclusão. Não podemos deixar de observar
que infelizmente não houve a participação da família nesse projeto.