Você está na página 1de 80

2 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine

www.tvcabo.mz/negocios

OS SEUS NEGÓCIOS EM ALTA VELOCIDADE, COM TRÁFEGO ILIMITADO.


REDES PRIVADAS - VPN | IP – MPLS | LINKS DEDICADOS | REDE DE ALTA CAPACIDADE E ALTA DISPONIBILIDADE |
SOLUÇÕES PROFISSIONAIS DESENHADAS À MEDIDA

Para negócios ilimitados 21 480 550 / 820 480 500 ou corporate@tvcabo.co.mz


/ tvcabo
Sumário

38
Foco Empresa
Concorrência
renhida em Tete

Destaques

30 Governo de calculadora
na mão
Construir, reabilitar e manter
estradas constitui uma das maiores
responsabilidades dos governos pos-
suem. Em Moçambique, a fragilidade
financeira expõe o sector a uma
elevada dependência em relação ao
exterior e a níveis bastante baixos de
execução dos planos traçados.

36 Pneus, um negócio à es-


preita!
O mercado da aquisição de veículos
cresce a olhos vistos e com ele o
negócio dos pneus. Há os novos, há
também os usados, mas nenhum
deles, de facto, é fabricado em
Moçambique. Saiba mais sobre como
o parque automóvel tem vindo a

40 40
dinamizar o comércio deste produto.

Compra de automóveis dispara


Tema de Vida Tanto carro para tão pouca estrada.
Sabe-se que um veículo está para
Compra de automóveis dispara apenas 4% das famílias moçambica-
nas e que 75% do parque automóvel
Capa se concentra na capital. O tráfego
Boom de automóveis marca aumenta freneticamente bem
como a distância que os condutores
crescimento económico
percorrem, em termos de tempo
dispendido.
Propriedade e Edição: Mozmedia, Lda., Av. MaoTséTung, 1245 – Telefone/Fax: (+258) 21 303188 – revista.capital@
mozmedia.co.mz – Director Geral: André Dauane – andre.dauane@mozmedia.co.mz – Directora Editorial:HelgaNeida
62 Ajudar Moçambique a
Nunes – helga.nunes@mozmedia. Directora Executiva: VanizeManjate - vanize.manjate@mozmedia.co.mz co.mz pedalar
– Redacção: ArséniaSithoye - arsenia.sithoye@mozmedia.co.mz;Sérgio Mabombo – sergio.mabombo@mozmedia.
co.mz – Secretariado Administrativo: Indira Mussá – indira.mussa@mozmedia.co.mz; Cooperação: CTA; Ernst &Young; A Mozambikes importa componentes
Ferreira Rocha e Associados; PriceWaterHouseCoopers, ISCIM, INATUR, INTERCAMPUS – Colunistas: António Batel Anjo, de bicicletas, sobretudo da China, e
E. Vasques; Elias Matsinhe; Federico Vignati; Fernando Ferreira; Hermes Sueia; Joca Estêvão; José V. Claro; Leonardo
Júnior; Levi Muthemba; Maria Uamba; Mário Henriques; NadimCassamo (ISCIM/IPCI); Paulo Deves; Ragendra de Sousa,
monta aquele meio de transporte de
Rita Neves, Rolando Wane; Rui Batista; Sara L. Grosso, Vanessa Lourenço; Fotografia: Luís Muianga, Amândio Vilanculo; forma a que se adapte às condições
Gettyimages.pt, Google.com; – Ilustrações: Marta Batista; Pinto Zulu; Raimundo Macaringue; Rui Batista; Vasco B. Capa: de transitabilidade das zonas rurais.
Evolution Studio– Paginação: Arlindo Magaia – Design e Grafismo: Mozmedia – Tradução: Nuno Santos – Departamento A empresa já vendeu e distribuiu
Comercial: Neusa Simbine – neusa.simbine@mozmedia.co.mz, LoniMachava – loni.machava@mozmedia.co.mz ; –
Distribuição:Ímpia– info@impia.co.mz; Mozmedia, Lda.; Mabuko, Lda. – Registo: N.º 046/GABINFO-DEC/2007 - Tiragem:
bicicletas em todas as províncias, de-
7.500 exemplares. Os artigos assinados reflectem a opinião dos autores e não necessariamente da revista. Toda a senvolvento uma filosofia de negócio
transcrição ou reprodução, parcial ou total, é autorizada desde que citada a fonte. social.

4 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


Editorial

Bem-vindo
Automóveis, para que vos quero?

E
m Moçambique, a indústria ainda é um sector pouco explora-
do. E no ramo automóvel não existe rigorosamente nenhuma.
Como tal, as matérias-primas, disponibilizadas pelas empresas
que prestam serviços no mercado, têm obrigatoriamente de ser
importadas, sendo os serviços de pós-venda de representantes

54
automóveis um exemplo manifesto dessa realidade.
O incremento dos intermediários, as taxas de desalfandegamento, o
transporte, os seguros, entre outros, fazem com que o preço final dos
UP-GRADE componentes automóveis se tornem exorbitantes. Por outro lado, só a
simples manutenção periódica da viatura pode custar mais do que o
Economia ainda espera salário do mecânico que a executa.
pela ferrovia Norte-Sul Ou seja, por um lado, não existe indústria automóvel nem de compo-
nentes para automóvel, e tudo o que existe vem de fora. Ainda assim, o
número de veículos aumenta a cada dia que passa.

62 Nesse contexto, existem algumas oportunidades de negócio à espreita.


Os componentes e acessórios para veículos surgem num honroso ter-
ceiro lugar no top 10 das Oportunidades de Exportação para Moçambi-
Empreender que segundo a UNComtrade, OCDE, e ES Research - Research Sectorial.
Ao mesmo tempo, o investimento numa fábrica de pneus, a avaliar pela
Ajudar Moçambique evolução do número de veículos adquiridos em Moçambique, seria
seguramente uma boa aposta, tal como a produção de plásticos, vidros,
a pedalar borrachas, entre outros componentes. E aqui reside, à primeira vista,
um nicho de mercado para os investidores nacionais.
Sabe-se que Moçambique irá tornar-se num produtor e exportador
de automóveis com a aposta da China Tong Jian Investment numa
nova fábrica. Ao mesmo tempo, a companhia tem vindo a atrair outras
empresas do sector a instalarem-se no País, indiciando a busca de
complementaridade de negócios e junção de sinergias.
Portanto, vontade não falta, e investidores da Arábia Saudita e do
Bahrain já demonstraram o seu interesse em investir na produção de
pneus.
O aumento do parque automóvel nacional pode assim ditar um bom
nível de produção dos automóveis e seus componentes, e a demanda
do mercado regional e consequentes exportações assumem-se como a
‘cereja no topo do bolo’.
Mesmo a fábrica de automóveis da marca Matchedje, da China Tong
Jian Investment, que, numa primeira fase, prevê produzir 10 mil
viaturas por ano, avança que 30% das mesmas serão destinadas ao
mercado nacional e que 70% irá destinar-se à exportação. E assim
abre-se um imenso mercado pontilhado por milhões de consumidores.
É inevitável que o parque automóvel continue a crescer em Moçam-

72
bique, mas o seu ritmo poderá dinamizar tanto a economia como o
investimento local e mais… o desenvolvimento de vias e infraestruturas
necessárias à mobilidade dos moçambicanos.c
Estilos de Vida
Abre-se o véu
do VMFW`13

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 5


6 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine
Capital Magazine · SETEMBRO 2013 7
Contents

39
Focus on Company
Tough competition
in Tete

Highlights

32 Government with calcu-


lator at hand
Build, rehabilitate and maintain roads
is one of the major responsibilities
that governments face. In Mozambi-
que, the financial fragility exposes the
sector to an elevated external depen-
dency and also at very low execution
levels of established plans.

37 Tyres, a thriving
business!
The motor industry is visibly blosso-
ming and the tyre business grows
along with it. There are new and also
old ones, but none of them is manu-
factured in Mozambique. Get to know
more on how the motor industry

42
has been stirring up the trade of this
product.

42 Car acquisition shoots up


Background Theme So many cars for such few roads. It’s
known that a car is commodity only
Car acquisition shoots up
affordable to 4% of Mozambican
Cover families, and that 75% of the vehicle
assortment is concentrated in the
Automobiles boom capital. Traffic mounts frenetically,
marks economic growth as much as the distances travelled by
drivers, in terms of time consumed.

Property and Edition: Mozmedia, Lda., 1245 MaoTséTung Av., – Telephone/Fax: (+258) 21 303188 – revista.capital@
63 Help Mozambique to pedal
mozmedia.co.mz – Managing Director: André Dauane – andre.dauane@mozmedia.co.mz – Editorial Director: Helga The Mozambikes imports bicycles’
Neida Nunes – helga.nunes@mozmedia. Executive Director:VanizeManjate - vanize.manjate@mozmedia.co.mz co.mz
– Editorial Staff: ArséniaSithoye - arsenia.sithoye@mozmedia.co.mz; Sérgio Mabombo – sergio.mabombo@mozmedia.
components, particularly from China,
co.mz – Administrative Secretariat: Indira Mussá – indira.mussa@mozmedia.co.mz; Cooperation: CTA; Ernst &Young; and then assembles that means of
Ferreira Rocha e Associados; PriceWaterHouseCoopers, ISCIM, INATUR, INTERCAMPUS – Columnists: António Batel Anjo, E. transport such that it is adapted to
Vasques; Elias Matsinhe; Federico Vignati; Fernando Ferreira; Hermes Sueia; Joca Estêvão; José V. Claro; Leonardo Júnior;
Levi Muthemba; Maria Uamba; Mário Henriques; NadimCassamo (ISCIM/IPCI); Paulo Deves; Ragendra de Sousa, Rita Neves, transitability conditions within rural
Rolando Wane; Rui Batista; Sara L. Grosso, Vanessa Lourenço; Photography: Luís Muianga, Amândio Vilanculo; Gettyimages. areas. The company has sold and
pt, Google.com; – Illustrations: Marta Batista; Pinto Zulu; Raimundo Macaringue; Rui Batista; Vasco B. Cover: Evolution
Studio– Page make-up: Arlindo Magaia – Design and Graphics: Mozmedia – Translation: Nuno Santos –Commercial
distributed bicycles throughout all
Department: Neusa Simbine – neusa.simbine@mozmedia.co.mz, Loni Machava – loni.machava@mozmedia.co.mz the provinces and thus imparting a
; – Distribution: Ímpia – info@impia.co.mz; Mozmedia, Lda.; Mabuko, Lda. – Registration: N.º 046/GABINFO-DEC/2007 - philosophy of social business.
Printing: 7.500 copies. The articles reflect the authors’ opinion, and not necessarily the magazine’s opinion. All transcript or
reproduction, partial or total, is authorised provided that the source is quoted.

8 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


Editorial

Welcome
Automobiles, why do I want you?

I
n Mozambique, the industry is still an under-explored sector. As for
the motor industry there is virtually none. As such, the raw materials
made available by the companies that provide service to the market,
have to forcefully be imported, thus the post-sale services from

56
automobile dealerships is an evident example of this reality.
The increase of brokers, the customs’ fees, the transport, insurance,
among others, make that the final price of vehicle components become
UP-GRADE exorbitant. On the other side, the mere periodic maintenance of ve-
hicles may cost more than the salary of the mechanic that executes it.
The economy still awaits In other words, in one hand, there is no motor industry not even for
for the railway North-South the components of the vehicles, and all that is available comes from
outside. Still as such, the number of vehicles increases each day that
goes by.

63 In this context, there are some business opportunities lurking by. The
components and accessories for vehicles come in an honourable third
place in the top 10 of Export Opportunities to Mozambique, according
Entrepreneurship to UNComtrade, OCDE and ES Research – Research Sectoral. At the
same time, the investment in a tyre manufacturer, taking into account
Help Mozambique to the evolution of the number of acquired vehicles in Mozambique,
would be a good venture, as well as the production of plastics, win-
Pedal dows, rubbers, among other components. At first sight, here resides a
niche of market for national investors.
It is known that Mozambique will become a manufacturer and exporter
of automobiles with the undertaking from China Tong Jian Investment
for a new factory. Simultaneously, the company has been attracting
other companies in the sector to establish themselves in the country,
thus indicating the search for business complementarities and joining
of synergies. Therefore, willpower is not in shortage, and investors from
Saudi Arabia and the Bahrain have already demonstrated their interest
in investing in the production of tyres.
The increase of the national vehicle assortment may thus dictate a
good level of production of automobiles and its components; and the
regional market demand, as well as the subsequent exportations are
perceived as the “cherry on top of the cake”.
Even the automobile factory of the Matchedje make, from the China
Tong Jian Investments, which in the first phase expects to produce
10 thousand vehicles per year, advises that 30% of the vehicles will
be destined to the national market while 70% will be destined for
exportation. As such, an immense market opens up spear-headed by
millions of consumers.
It is inevitable that the car assortment in Mozambique continues to

75 grow and its rhythm may energize both, the economy and the local
investment, and much more... The development of access routes and
infrastructures that are necessary to the mobility of Mozambicans.c
Life Style
The veil of the
VMFW’13 is uncovered

Capital Magazine
Capital Magazine
· SETEMBRO
· Março 2013 9
Capitoon

EM BAIXA

Banidos de novo do espaço aéreo


Pela terceira vez consecutiva, as trans-
portadoras nacionais foram chumbadas
na avaliação da equipa técnica da
Comissão Europeia e não podem voar
para o espaço aéreo europeu. Os peri-
tos da União Europeia (UE), defende-
ram, na última lista da aviação civil,
que, em Moçambique, não há supervi-
são e formação, e que o quadro regula-
mentar não é adequado. Para superar, a
EM ALTA situação, o ministro dos Transportes e
Comunicações, Paulo Zucula, articulou
larmente as de logística; a queda dos preços um cronograma de trabalho, em coor-
Fitch dá nota positiva a Moçambique A
das matérias-primas nos mercados interna- denação com a Organização Internacio-
agência de rating Fitch reviu em alta a nota- cionais e a violência política no país. nal de Aviação Civil e contratou quatro
ção de risco de longo prazo em moeda es- técnicos estrangeiros.
trangeira de Moçambique de B para B+ e
Surge plano estratégico para atum O
manteve a notação de risco em moeda nacio- Bens fora do prazo em Tete A
nal em B+. Mantendo a perspectiva do país Governo moçambicano acaba de aprovar um
Plano Estratégico do Desenvolvimento da Inspecção Nacional de Actividades
cotada em “estável”, a agência anunciou que Económicas destruiu, no primeiro
Pescaria de Atum para aumentar os níveis de
a revisão em alta da notação de risco reflecte captura e renda deste pescado, sendo que semestre deste ano, diversos produtos
o facto de Moçambique continuar a manter dos 60 milhões de dólares provenientes alimentares fora do prazo que estavam
uma política económica prudente, bem como deste produto apenas um milhão fica no país. a ser comercializados na província de
um bom desempenho nas reformas, particu- A pescaria do atum estima-se num milhão de Tete. Os produtos são avaliados em
larmente na condução das políticas monetá- toneladas, contudo apenas 800 mil são mais de um milhão de meticais. Trata-se
ria e fiscal. Do lado negativo, a agência men- exploradas. Com este plano, o Governo de arroz, farinha de milho, frescos e
ciona os riscos colocados pelos atrasos no pretende ainda criar mais emprego e contri- outros bens que estavam a ser vendi-
desenvolvimento das infraestruturas, particu- buir para a segurança alimentar. dos nos principais supermercados.

COISAS QUE SE DIZEM


Dinheiro é caro, pessoas não credíveis “Aqui não se trata so-
mente de garantias. A questão é que as pessoas não estão preparadas para se-
rem eleitas ao crédito. A uma empresa que não tem uma contabilidade, não
tem uma gestão prudente, não tem uma auditoria, dificilmente o banco em-
presta dinheiro, porque representa um alto risco e o risco tem um custo. É neste
aspecto que é preciso trabalhar, pois é isto que agrava o custo do dinheiro “que
Carvão encrava em Tete ““O escoamento do carvão é um pro-
é a taxa de juro”.
blema muito sério. É um problema anterior à problemática das
Prakash Ratilal, PCA do Moza Banco, in Jornal O País. ”.
cheias e anterior à questão de Muxúngue, principalmente porque, na
parte mineira, as mineradoras têm até ao fim do ano passado, uma
Passam estradas pelas pessoas “O que eu sinto é que há uma es-
capacidade instalada de quase 18 milhões de toneladas e em termos pécie de sentimento de desamparo e as pessoas precisariam - não é só a
de escoamento, como sabemos, a única via é a Linha de Sena. Prova- Estrada Nacional Número Um que precisa de ser protegida, mas há tam-
velmente, só este ano é que a mesma estará em condições técnicas bém uma estrada que passa por dentro de nós - a estrada da esperança,
de ter uma capacidade de seis milhões de toneladas”. que também precisa ser protegida. Precisamos de vozes que assegurem
Casimiro Francisco, presidente da Associação Moçambicana que alguém está a tomar conta da situação”.
para o Desenvolvimento do Carvão, In Jornal Notícias. Mia Couto, em entrevista à STV.

12 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


Todos os dias,
em todo o mundo,
trabalhamos para
que milhões
de pessoas
vivam com toda
a Tranquilidade
Para mais informações, contacte-nos através
do nº 21 483 710/15, ou visite-nos em
www.tranquilidadeseguros.co.mz
Capitoon

In Low
Banned again from the air space
For the third consecutive time, the
national transportation companies have
failed in the evaluation from the techni-
cal team from the European Commis-
sion and shall therefore not fly to the
European air space. The European
Union (EU) experts defended, in the last
list of civil aviation, that in Mozambique
there is no supervision and training as
well as that the regulatory framework is
inadequate. To overcome the situation,
the Minister of Transports and Commu-
nication, Paulo Zucula, issued a working
schedule in liaison with the Internatio-
nal Civil Aviation Organisation while
also hiring four foreign experts.

In High
logistics ones; drop on prices of raw mate-
Fitch gives positive rating to Mozambique
rials in the international markets and political
The rating agency Fitch reviewed on high the
violence in the country.
long term risk marking in Mozambique’s
foreign currency from B to B+ and sustained
the risk marking in national currency as in B+. A strategic plan for tune emerges The
Thus upholding the country’s perspective Mozambican government has just passed a Expired goods in Tete In the first
Strategic Plan for the Development of Tuna semester of the current year, the Natio-
listed as “stable”, the agency announced that
Fishing in order to augment the rate of captu- nal Inspection for Economic Activities
the reviewed rating on high reflects the fact re and revenue of this fish, considering that
that Mozambique continues to maintain a has disposed several expired food
from the 60 million dollars deriving from this items which were been marketed in the
prudent economic policy, as well as good product, only one million stays in the coun-
performance on the reforms, particularly on province of Tete. The products are
try. The fishing of tuna is calculated at one estimated on over one million Meticais.
the regulation of monetary and tax policies. million tons yet only 800 thousand are These entailed rice, maize meal, pe-
On a negative note, the agency mentions the explored. With this plan, the Govern intends rishables and other goods that were
risks associated with the delay on the deve- to create more jobs and contribute to food being sold in main supermarkets.
lopment of infrastructures, particularly the security.

Things Said
Money is expensive, people not credible “This is not just about
guarantees. The truth of the matter is that people are not ready to be credit worthy.
Coal gets stuck in Tete “The outflow of coal is a very se- A company with no accounting system in place lacks prudent management; with
rious problem. It is a problem prior to the floods event as well as no auditing, banks will hardly loan money to; as it represents high risk and risk has
a cost. It’s this aspect that needs to be worked on as it aggravates the cost of money
the issue of Muxúngue, particularly so, on the mining side, as until – which is the interest rate”.
the end of last year the mining companies stockpiled an existing Prakash Ratilal, President of the Board of Directors of Moza Banco, in
capacity of nearly 18 million tons and in terms of outflow, as we O País Newspaper.
know, the only route is the Sena Line. Probably only this year it
will meet the technical requirements for a six million tons capaci- There are roads flowing through people “What I feel is that
ty”. there is a feeling of neglect and people would need – it is not only the Natio-
Casimiro Francisco, President of the Mozambican Associa- nal Road Number One that needs to be protected but there is also a road that
tion for Coal Development, In Notícias Newspaper. streams inside us – the road of hope, which also needs to be protected. We
need voices of assurance that someone is taking care of the situation”.
Mia Couto, in interview at STV.

14 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


Existem tantas e tantas perguntas complicadas na vida, difíceis de responder!
Felizmente, no BancABC basta responder-nos à pergunta “quanto quer”.
Quer um crédito aprovado em 48 horas até 4.500.000 Meticais?
À sua espera temos múltiplas soluções de crédito com prazos
super competitivos (até 5 anos) para si ou para o seu negócio.
Para usufruir, investir ou para consolidar os seus créditos.

No BancABC é tão fácil como querer. Acredite!


Actual

LAM aposta
na ‘força’ feminina

A
LAM apostou na formação
de cinco novos pilotos do
sexo feminino. Graduadas na
Flight Academy da Etiopia, as
cinco jovens moçambicanas
regressaram ao País trazendo
na sua carteira 250 horas de prática
e uma licença de piloto de monomo-
tores e instrumentos de voo.
As cinco recém-graduadas da LAM
juntam-se ao grupo de 10 pilotos
formados na Academia 43 Air School
da Africa do Sul e que em Junho
regressou ao País.
Com este investimento em capital
humano moçambicano, a LAM reforça
o seu quadro de tripulantes contan-
do desta vez com mais seis novos
pilotos do sexo feminino e com mais
nove recém-pilotos do sexo mascu-
lino.c

DESTAQUE
Porque todas as pessoas Mais uma linha para
têm um sonho… escoar carvão
A ministra dos Recursos Mi-
nerais, Esperança Bias, revelou

O
que o Governo, através de uma
Banco FNB lançou uma cam- tdoor, on-line, balcões, atm’s e ainda
iniciativa público-privada, está a
panha de produto chamada a passear pelo aeroporto da cidade
projectar a construção de uma
FNB LEASING, os sonhos são de Maputo.
linha-férrea que liga Tete a Ma-
seus e a solução é nossa. Esta O objectivo do FNB LEASING é criar
cuse (Zambézia), que poderá
campanha multimédia pre- um produto com soluções à medida
auxiliar as linhas de Sena e de
tende ilustrar o país de norte dos clientes, proporcionado o finan-
Nacala. A governante avançou
a sul, através do sabor da música e ciamento a maquinarias e veículos,
ainda que o Governo está a estu-
dança Makwai, interpretada pela voz satisfazendo as necessidades dos
dar formas de uso e aproveita-
de Jomalú. clientes em tempo útil, para que
mento do carvão extraído em
A iniciativa estará presente durante possam aproveitar a vida o melhor
Moçambique para a produção de
um mês em TV, rádio, imprensa, ou- possível.
energia eléctrica e combustíveis
líquidos a nível local.c

16 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


CURRENT

HIHGHLIGHT
One more line

LAM bets on female


to haulage coal
The Minister of Mineral Resour-
ces, Esperança Bias, revealed
that the Government, through
the Public Private initiative, is
projecting the construction of a
“manpower”

T
railway that connects Tete to
Macuse (Zambézia), and which he LAM abetted the training The five recent graduates from LAM
may assist the Sena and Nacala of five new female pilots. join a group of 10 pilots trained in
lines. The state official further Having graduated from the the Academy 43 Air School from
advanced that the Government Flight Academy in Ethiopia, South Africa, who have returned to
is assessing ways of making use the five Mozambican young- the country in June.
of the coal extracted in Mozam- sters return to the country With this investment on human
bique for the production of elec- bringing along in their records 250 capital, the LAM reinforces its line-up
tric power and liquid fuels, at hours of practice and a pilot license of flight crew and this time around
local level.c for monomotors and flights instru- counting on six more female pilots
ments. and nine freshly graduate male pilots.

Because everyone has a dream...

T
he FNB Bank launched a
product campaign called
FNB LEASING, the dreams are
yours and the solution is ours.
This multimedia campaign
aims at flaunting the country
from north to south, through the taste
of the makwai music and dance, inter-
preted by the voice of Jomalú.
The initiative will be broadcasted for
one month on the television, radio,
media, outdoors, online, helpdesks,
ATMs and also put on view at the
airport in Maputo city.
The objective of the FNB LEASING
is to create a product with solutions
within reach to clients, providing
financing in machinery and vehicles
and thus meeting the needs of clients
on time, so that they may enjoy life as
much as possible.

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 17


Briefing MUNDO

Salários de parlamentares nigerianos


superam os dos países ricos
Um ranking divulgado pela revista mundo. Dos 29 países citados no lamentares em relação ao rendimento
britânica “The Economist” revela que o ranking da revista britânica, a Nigéria “per capita” dos países. Neste caso, a
salário dos parlamentares nigerianos aparece na segunda posição, com uma Nigéria lidera o ranking, com 116 vezes
aparece como um dos mais altos do remuneração anual de 120.1 mil euros. o valor do Produto Interno Bruto (PIB)
Num top liderado pela Austrália (153,2 per capita.
mil euros), a Nigéria ultrapassa países No Brasil, quinto classificado, os
como o Canadá, Japão, Noruega , Ale- salários pagos aos parlamentares são
manha , Reino Unido, Suécia, França, também considerados altos, tendo
Espanha, Estados Unidos da América, sido um dos rastilhos das recentes
Itália, Brasil e Israel. manifestações naquele país sul-
A lista mostra ainda o salário dos par- -americano.c

Top 10 dos países que melhor salário dão aos parlamenteres


Posição País Salário (em euros)
1 Austrália 153,2 mil
2 Nigéria 144,3 mil
3 Itália 138,6 mil
4 Estados Unidos de América 132,5 mil
5 Brasil 120,1 mil
6 Canadá 117,3 mil
7 Japão 114 mil
8 Noruega 105,1 mil
9 Alemanha 91 mil
10 Israel 87,4 mil

da UE apresentado vai ser contempla-


Think tank britânico oferece do com cerca 100 mil euros.
100 mil euros ao melhor plano de saída da UE Os projectos, que podem concorrer a
título individual ou colectivo, devem
submeter uma proposta de duas mil
palavras até 16 de Setembro. Após
este período, as 20 melhores propos-
tas terão quatro meses para produzir
uma versão detalhada do plano.
“Precisamos de considerar seriamente a
forma como o Reino Unido poderia ter
uma economia livre e próspera fora da
UE, dado que a saída é uma possibilida-
de séria depois das próximas eleições”,
refere o think tank, citado pela impren-
sa britânica.
O júri que irá avaliar os melhores pro-
jectos é composto por figuras como
Lord Lawson, antigo ministro das
O Instituto de Assuntos Económi- explicação a favor da saída do Reino Finanças, que em Maio publicou um
cos - Institute for Economic Affairs (IEA) Unido da União Europeia (UE). O me- artigo onde defendia a saída do Reino
– vai oferecer o Brexit Prize à melhor lhor cenário de saída do Reino Unido Unido da UE.c

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 19


Briefing MUNDO/WORLD

Banco russo resgata Strauss-Khan

O antigo director-geral do Fundo aponta falta de liderança na Europa e ropa estão perfeitamente preparados
Monetário Internacional (FMI), Domi- adverte que há muitos mais proble- e sabem o que têm de fazer”, mas “o
nique Strauss-Khan, vai ocupar um mas do que se imagina no sistema sistema europeu está construído de tal
lugar no conselho de administração bancário internacional. maneira que não podem tomar deci-
do Banco Russo de Desenvolvimento Dominique Strauss-Kahn admitiu, no sões difíceis”.c
Regional, propriedade da petrolífera entanto, que “alguns líderes na Eu-
Rosneft, que é controlada por capi-
tais públicos.
Strauss-Khan saiu do FMI em 2011,
na sequência de um escândalo se-
xual com uma empregada do Hotel
Sofitel, em Nova Iorque. O então pre-
tendente às presidenciais francesas
viu a sua carreira política destruída,
tendo sido substituído por François
Hollande como candidato dos socia-
listas.
Este é o seu primeiro posto depois
de resolvidos os problemas com a
justiça. Strauss-Khan deu recente-
mente uma entrevista à CNN em que

Salaries of Nigerian members of parliament


outweigh those of rich countries

A ranking published by the British countries cited in the British maga- (153,2 thousand Euros), Nigeria sur-
magazine “The Economist” reveals zine ranking, Nigeria comes in sec- passes countries such as Canada, Ja-
that the salary of Nigerian members ond position, with an annual remu- pan, Norway, Germany, United King-
of parliament features as one of the neration of 120.1 thousand Euros. dom, Sweden, France, Spain, United
highest in the world. From the 29 The top list headed by Australia States, Italy, Brazil and Israel.
The list further shows the salary of
Top 10 countries with best salaries paid to members of parliament
members of parliament against the
Posição País Salário (em euros)
1st Australia 153,2 thousand
countries’ income “per capita”. In that
2nd Nigeria 144,3 thousand regard, Nigeria leads that ranking on
3st Itály 138,6 thousand 116 times over the Gross Domestic
4st United States of America 132,5 thousand Product (GDP) per capita.
5st Brazil 120,1 thousand In Brazil, the fifth in the list, the sala-
6st Canada 117,3 thousand ries paid to members of parliament
7st Japan 114 thousand are also considered high; that being
8st Norway 105,1 thousand one of the fuses around the recent
9st Germany 91 thousand
demonstrations in the south Ameri-
10st Israel 87,4 thousand
can country.c

20 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


Briefing WORLD

The Institute for Economic Affairs British think tank offers 100 thousand Euros to
(IEA) – will award the Brexit Prize to
the best argument towards the the best EU exit-plan
United Kingdom’s exiting off the
European Union (EU). The best sce-
nario presented on the United
Kingdom’s exiting off the European
Union will be granted with roughly
100 thousand Euros.
The Projects, which may contend
at personal or collective capacity,
have to submit a proposal of two
thousand words up to the 16th Sep-
tember.
Following this period, the top 20
proposals will have four months to
produce a detailed version of the
plan.
“We need to seriously consider how
the United Kingdom may have a free
and prosperous economy outside British press. former Minister of Finance, who
the EU, given that exiting is a serious The jury which will evaluate the has published in May, an article
possibility after the next elections”, best projects is composed by char- where he argued the United King-
referred the think tank, cited by the acters such as Lord Lawson, the dom’s egress off the EU. c

Russian bank rescues Strauss-Khan Strauss-Khan left the IMF in 2011,


following a sexual scandal with
worker from the Hotel Sofitel in New
York. The candidate to the French
Presidential elections then, saw his
political career destroyed and there-
fore substituted by Francois Hollan-
de as the socialists’ candidate.
This is his first conscription after con-
cluding the issues with the justice
system. Recently, Strauss-Khan had
an interview at CNN, where he con-
tests on lack of leadership in Europe
and cautions that there are more
problems in the international bank-
ing system than what is anticipated.
Dominique Strauss-Kahn admitted,
however, that “some leaders in Europe
are perfectly prepared and know what
they have to do”, nonetheless “the
The former general director of the Russian Bank for Regional Develo- European system is structured in such
International Monetary Fund (IMF), pment, owned by the oil company a way that they may not take difficult
Dominique Strauss-Khan, will take a Rosneft which is run by public capi- decisions”.c
post in the Board of Directors of the tal.

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 21


BCI apetrecha Pediatrias com
receitas do Cartão Daki

N
o seguimento das acções compromisso público assumido em causas de natureza social e
de Responsabilidade Social pelo Banco de afectar uma humanitária”.
que tem vindo a promover parte das receitas geradas pelo O BCI, referiu, está aqui para dizer
associadas ao Cartão de Cartão de Débito Daki no apoio “PRESENTE” e retribuir a preferência
Débito Daki, lançado no início a Instituições de Solidariedade dos seus Clientes também através
deste ano, o BCI procedeu Social moçambicanas vocacionadas, destas acções que, esperamos,
à oferta de jogos de lençóis infantis em particular, na assistência a venham a contribuir em muito
para o apetrechamento dos Serviços segmentos da população mais para a melhoria das condições de
de Pediatria dos Hospitais Gerais de frágeis e desprotegidos. tratamento e recuperação de muitas
Mavalane e da Machava, e do Centro Esse facto, aliás, foi reforçado pelo e muitas crianças nestas unidades de
de Saúde da Polana-Caniço. Dr. Paulo Sousa nas intervenções que Saúde.
Os actos formais que culminaram proferiu, destacando, igualmente, a Os donativos foram unanimemente
com a entrega daqueles donativos persistência do BCI na manutenção bem acolhidos e considerados
foram realizados em cada uma de um posicionamento virado oportunos pelos representantes das
daquelas unidades hospitalares, ao apoio das Comunidades em unidades hospitalares beneficiárias,
tendo, nas ocasiões, o BCI sido que está inserido, “apesar de que, nos actos da sua recepção,
representado pelo Dr. Paulo Sousa, uma conjuntura internacional que enalteceram a iniciativa do BCI e
Presidente da Comissão Executiva recomenda particulares cuidados comprometeram-se a dar-lhes o
do BCI, que se fazia acompanhar por nos investimentos realizados pelas melhor uso e conservação.
uma comitiva constituída por quadros Empresas, e que, em muitos casos tem Recorde-se que no decorrer do
superiores do Banco. levado à diminuição de investimentos primeiro semestre deste ano, em
Estas acções resultam do e mesmo ao desinvestimento acções similares realizadas no

22 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


Banca/ BCI

âmbito da excelente receptividade e


adesão dos Clientes e do público em
geral, à iniciativa do BCI de reforçar
o seu compromisso no apoio a
Instituições de solidariedade social,
com receitas da utilização do Cartão
de Débito Daki, o BCI destinou
apoios ao INGC, para apoio às vítimas
das intempéries que assolaram o Sul
e o Centro do País nos no primeiro
trimestre; ao Programa Inter-
Religioso Contra a Malária (PIRCOM),
através de uma doação monetária
para reforço da sua capacidade
institucional na execução dos
seus programas de sensibilização
e combate àquela doença; e ao
Hospital Rural de Morrumbala,
através da oferta de equipamento
hospitalar.c

Paulina Chiziane lança “Na Mão


de Deus” na Mediateca do BCI

A
Mediateca do BCI – Espaço Joaquim
Chissano, em Maputo, acolheu a
cerimónia de lançamento da mais
recente obra literária da escritora
moçambicana Paulina Chiziane intitulada
”Na mão de Deus”.
O livro, escrito em co-autoria com a autora
Maria do Carmo da Silva, é prefaciado pelo
conhecido escritor e poeta Calane da Silva,
sendo composto por 199 páginas, preenchidas
com uma envolvente história real e autodiegé-
tica em que o narrador, a personagem principal
de nome “Alice”, conta o seu drama vivencial
– os sintomas físicos e psíquicos que levaram
a psiquiatria e que, fundamentalmente, eram
o aflorar da sua mediunidade (infelizmente
não compreendida pelos familiares e amigos
e tratada medicamente como se de uma mera
doença mental se tratasse).
A obra é patrocinada pelo BCI, em mais uma
iniciativa enquadrada no âmbito da sua política
de Responsabilidade Social, na vertente do
apoio à promoção da Literatura e dos Valores
Culturais de Moçambique.c

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 23


Briefing ÁFRICA

Hotéis portugueses
apostam em África
A África lusófona continua a des-
pertar o interesse dos grupos turísti-
cos portugueses. A Amorim Turismo
entrou em Angola com a exploração
do Hotel Samba, que abriu em Feve-
reiro último, em Luanda, a Visabeira
está a construir um hotel em Tete (o
seu sétimo em Moçambique) e a
Oásis Atlântico inaugurou, recente-
mente, mais um hotel na ilha do Sal,
que será o seu quinto em Cabo Ver-
de.
A cadeia Sana abriu em 2012 um
hotel de cinco estrelas em Luanda,
que já é uma referência naquele país
da África Austral, também devido ao
seu centro de congressos.
Moçambique e Angola são dois
países africanos de expressão por-
Obama anuncia programa para duplicar tuguesa que possuem um elevado
acesso à rede eléctrica na África interesse para os grupos hoteleiros
portugueses que procuram alternati-
subsaariana va à crise na Europa.
Dados da Organização Mundial de
Turismo (OMT) indicam que o turis-
No último dia da visita oficial à quais a General Electric, num mon-
mo em Moçambique e Angola tem
África do Sul, Barack Obama desven- tante que poderá ascender aos nove
perspectivas de atingir cerca de sete
dou o novo programa Power Africa, biliões de dólares.
milhões de turistas em 2020, o que
no valor de sete biliões de dólares, Num discurso na cidade de Cabo,
mostra que há boas oportunidades
que nos próximos cinco anos considerado a principal intervenção
de negócios no sector.c
promoverá a duplicação da da visita africana, o líder norte-
capacidade de abastecimento -americano voltou a dizer que os
eléctrico em seis países – Etiópia, Estados Unidos querem deixar de ser
Gana, Quénia, Libéria, Nigéria e Tan- “doadores” para se converterem em
zânia, através da expansão da rede “parceiros” do desenvolvimento de
com recurso às energias alternativas África.
geotérmicas, solares, hídricas e eóli- “O meu país também beneficiará
cas. enormemente se vocês alcançarem o
Cerca de dois terços da população da vosso potencial”, argumentou Obama,
África subsariana, incluindo 85% dos afrontando claramente o progresso
habitantes das zonas rurais, vivem da China nas relações com África.
sem electricidade. Obama prometeu- A “sombra” de Nelson Mandela pai-
-lhes que em breve “a luz tomará o rou durante toda a visita de Obama à
lugar da escuridão” e informou que África do Sul. Não há dúvidas que na
além do dinheiro público, o programa terra dos zulus a visita do líder norte-
contará com o investimento de em- -americano foi mais emocionante do
presas privadas americanas, entre as que no Senegal e na Tanzânia.c

24 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


Briefing ÁFRICA/AFRICA

COMMODITIES
Angola em vias de liderar produção de petróleo
Angola está a caminho de se por dia, em 2012, para menos de 1,9 duas vezes, o fecho de um dos
tornar o primeiro produtor africano milhão actualmente”. principais pipelines, depois de ter
de petróleo já no próximo ano, ultra- Angola, aliás, já tem ultrapassado a localizado mais uma brecha no
passando a Nigéria, devido às dificul- produção nigeriana em alguns meses equipamento feita por ladrões. O
dades internas deste país, de acordo deste ano. Segundo a Organização roubo de petróleo na Nigéria é um
com a consultora Energy Aspects. dos Países Exportadores de Petróleo problema sério para as autoridades,
Segundo a Energy Aspects “a produ- (OPEP), em Maio, a Nigéria produziu que estimam perder cerca de 6 bili-
ção angolana tem vindo lentamente 1,6 milhões de barris diários, ao ões de dólares em receitas anuais, e
a subir devido às novas explorações, passo que Angola chegou aos 1,7 têm ainda de lidar com os incêndios,
enquanto a produção da Nigéria tem milhões. Caso se concretize a pre- explosões e prejuízos ambientais
caído devido a roubos de petróleo e a visão de produção de dois milhões que surgem quando os ladrões ten-
interrupções no fornecimento, o que de barris por dia, em 2012, Angola tam furar os pipelines para remover
levou a que a produção nigeriana te- deverá levar ‘a coroa’ da Nigéria no o petróleo que depois é vendido no
nha passado de 2,2 milhões de barris mesmo ano. mercado negro.c
Na Nigéria, a Shell anunciou, por

Obama announces programme to double the access to electric


network in the sub-Saharan Africa
On the last day of the official visit to South Africa, Barack
Obama unveiled the new programme Power Africa, estimated
on seven billion dollars, which for the next five years will pro-
mote a twofold capacity of electric supply in six countries –
Ethiopia, Ghana, Kenya, Liberia, Nigeria and Tanzania, through
the expansion of the network based on alternative geothermic
energies, solar power, hydro and eolian.
Roughly two thirds of the population in sub-Saharan Africa,
including 85% of rural areas inhabitants live with no access
to electricity. Obama promised that soon “light will take place
over darkness” and further informed that besides public fund-
ing, the programme will also be backed by private investment
from American companies; among these the General Electric,
with an amount which may sum up to nine billion dollars.
On a speech in Cape Town, considered as the main interven-
tion of the African visit, the American leader reiterated that the
United States intends to refrain from being “donors” and move
onto becoming “partners” of the African development.
“My country will also greatly benefit if you unleash your poten-
tial”, uttered Obama, while clearly challenging the progress
of China on its affairs with Africa. The “shadow” of Mandela
hovered through the whole Obama’s visit to South Africa.
There is no doubt that in the land of the Zulus, the visit of the
American leader was even more emotional than in Senegal
and Tanzania.c

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 25


Briefing AFRICA

the lusophone Africa continues


to spark interest among the Portu-
Portuguese hotels bet in Africa
guese tourism groups. The Amorim
Tourism ventured into Angola with
the exploration of the Samba hotel,
which entered into business last
February in Luanda; Visabeira is
building a hotel in Tete (its seventh
in Mozambique) and the Oásis Atlân-
tico launched recently, one more
hotel in the Island of Sal, which will
be the fifth in Cape Verde.
In 2012, the chain Sana opened a
five star hotel in Luanda, which is
already a reference in that South-
ern African country, also due to its
congress centre. Mozambique and
Angola are two Portuguese speaking
countries which sparkle high inter-
est to Portuguese hotel groups who
search for alternatives to the crisis in zation (WTO) suggest that tourism in by 2020, which then indicates that
Europe. Mozambique and Angola have pros- there are good business opportuni-
Data from the World Tourism Organi- pects of hitting seven million tourists ties in the sector. c

COMMODITIES
Angola on the path to lead the production of oil
Angola is on the way to become
the largest producer of oil in the
African continent as from the com-
ing year, taking over from Nigeria
given the internal difficulties in that
country, as reported by the consul-
tant Energy Aspects.
According to Energy Aspects “the
Angolan production has been slowly
increasing based on new explora-
tions, while the Nigerian production of the Petroleum Exporting Countries more breach in the equipment which
has been falling due to oil pilferage (OPEC), in May, Nigeria produced 1,6 was caused by robbers. The theft of
and supply interruptions, which million barrels per day, while Angola oil in Nigeria is a serious concern
caused the production in Nigeria to reached 1,7 million. In case the pre- for the authorities, where the loss
shift from 2,2 million barrels per day, dictions for the production of two is estimated to be roughly 6 billion
in 2012, to less than 1,9 million at million barrels per day come to be, dollars in annual revenues; and still
present”. in 2012, Angola should take Nige- have to deal with fires, explosions
In fact, for a few months now, in the ria’s “crown” still in the same year. and environmental hazards which
course of the current year, Angola In Nigeria, Shell has twice an- take place when thieves attempt to
has exceeded the Nigerian produc- nounced the shutdown of one of the drill the pipelines to drain oil for
tion. According to the Organization main pipelines after identifying one further sale in the black market. c

26 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


Briefing MOÇAMBIQUE

bonífica de Moatize possui grandes


Mitos e verdades quantidades de carvão metarlúgico
sobre o carvão de Niassa (o mais procurado no mercado in-
ternacional), enquanto a bacia de
Maniamba, até agora, só mostrou a
”O potencial de produção do carvão da província de Niassa tem ocorrência de carvão térmico. Este
sido alvo de cometários por parte de muitos moçambicanos. A último é um tipo de carvão menos
”Capital” traz a vedade sobre a quantidade e a qualidade do car- procurado no mercado internacional
vão que a província de Niassa possui. Mais, esta edição revela o e é mais barato que o metalúrgico.
potencial mineiro (para além do carvão) de uma das províncias Esta situação (de não existência de
mais pobres de Moçambique. ” carvão metalúrgico) levou a que a mi-
neradora brasileira Vale abandonasse
a concessão de pesquisa e explora-
ção de carvão na bacia de Maniamba.
Tanto o consultor Reinaldo Gonçal-
CARVÃO DE NIASSA
ves, como o director nacional de
“Os dados vão mais longe ao Minas, Eduardo Alexandre, confirma-
mostrar que o carvão que ram o facto da Vale ter desistido da
ocorre em Tete é de melhor concessão de carvão em Niassa pelos
qualidade e espessura que o resultados não terem ido ao encontro
de Niassa.” das suas expectativas e pelo facto da
concessão não ser economicamente
viável. Ou seja, o preço de venda do
carvão térmico não compensará a
sua exploração e o seu transporte
para o mercado.

Por quê o carvão metalúrgico e não


o térmico?
A preferência pelo carvão metalúr-
gico por parte das companhias que
exploram minérios é inquestionável,
dada a procura que há por por este
tipo de carvão e o preço aplicado
no mercado intercional. O carvão
metalúrgico é usado essencialmente
na indústria de produção de metais,
maiores bacias carboníficas do mun- enquanto o térmico é usado na pro-
A bacia carbonífica de Maniamba,
do, sendo que Maniamba ainda não dução de energia, ou seja nas termo-
na província de Niassa, não chega a
foi devidamente pesquisada. Mas um eléctricas.
representar 25% do espaço da bacia
dado é certo, os estudos até aqui feitos Dados do Ministério dos Recursos
carbonífica de Moatize, na província
nas duas bacias geológicas revelam Minerais revelam que o carvão me-
de Tete, segundo dados revelados
que Moatize possui mais reservas de talúrgico é comercializado, neste
pelo geológo e consultor mineiro,
carvão mineral”, avançou Reinaldo momento, a 150 dólares a tonelada,
Reinaldo Gonçalves. Em Moatize, as
Gonçalves. no mercado, contra os 60 dólares
reservas conhecidas ultrapassam os
Os dados vão mais longe ao mostrar por tonelada do carvão de queima
100 biliões de toneladas de carvão
que o carvão que ocorre em Tete é (térmico). Ou seja, o carvão de meta-
mineral.
de melhor qualidade e espessura lúrgico custa mais do dobro do preço
“Nem de longe, a bacia de Maniam-
que o de Niassa. do carvão térmico.c
ba pode competir com a bacia de
Moatize. Estamos a falar de uma das Só para ter uma ideia, a bacia car-

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 27


Briefing MOÇAMBIQUE/MOZAMBIQUE

Nova companhia deverá explorar Os recursos que Niassa tem


Considerada uma das províncias
o carvão deixado pela Vale mais pobres de Moçambique, no
último Inquérito de Orçamento
Alexandre, é identificar uma empresa Familiar (IOF), Niassa não só possui
O Governo moçambicano lançou
que pretenda explorar o carvão para ocorrência de carvão, mas também
um outro concurso público para a iden-
fins viáveis, como é o caso da insta- de ouro, grafite, kimberlitos (mi-
tificação de uma empresa que pretenda
lação de uma central de produção de nérios muitas vezes associados a
explorar o carvão térmico abandonado
energia eléctrica. diamantes), granites, cobre, grafite,
pela Vale, na medida em que já é co-
“Para este fim, este carvão (térmico) entre outros recursos.
nhecido o potencial de reservas e de
pode ser explorado e é viável. Esperamos O distrito de Lagos, mais a norte da
produção carvão mineral no local.
que, entre o fim deste ano e princípios província, é dos mais ricos em mine-
A ideia do Governo, segundo revelou
do próximo, a nova empresa comece os rais, porém é preciso construir infra-
o director nacional de Minas, Eduardo
trabalhos no local”, previu Alexandre. estruturas de acesso e de apoio aos
investidores, dado que é uma zona
Distrito Principais Minérios
de difícil acesso. Neste momento,
Lagos Ouro, nióbio, tantâlo, gemas, argila, kimberlitos (indícios de diamante), carvão e ferro há uma exploração de pequena
Sanga Ouro, granadas kimberlitos (indícios de diamante), calcário, bauxite, sientio nefelínico escala de ouro em alguns distritos,
Mavango Corundo, sistos argilosos, sienitos, granite e granadas esperando-se que, nos próximos
Mandimba Carvão, cal e granadas anos, a exploração decorra a níveis
Marrupa Cobre, ferro, sienitos, ouro, granadas abrasive, grafite industriais. c
Cuamba Granitos, granadas, argilas, granada abrasivo

Myths and facts about coal from Niassa the carboniferous basin of
Maniamba, in the province of Niassa,
does not represent 25% of the space
The production potential for coal from the province of Niassa
of the carboniferous basin of
has been subject matter to many Mozambicans. The “Capital”
Moatize, in the province of Tete, as
brings the truth on the quantity and quality of the coal available per data made available by the
in the province of Niassa. Additionally, this edition reveals the geologist and consultant, Reinaldo
mining potential (apart from coal) of one of the poorest pro- Gonçalves. The known reserves in
vinces of Mozambique. Moatize surpass the 100 billion tons
of mineral coal.
“Not a chance that the Maniamba
basin may compete with the Moatize
basin. We are talking of one of the
biggest carboniferous basins in the
world, considering that Maniamba
has not yet been properly assessed.
However, it’s a given fact that studies
conducted on the two geologic basins
reveal that Moatize possesses even
more reserves of mineral coal”, stated
Reinaldo Gonçalves.
The data further shows that the coal
that occurs in Tete is of better quality
and thickness than the one in Niassa.
Just to have an idea, the
carboniferous basin of Moatize

28 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


Briefing MOZAMBIQUE

holds large quantities of metallurgic the coal concession in Niassa was the production of energy, being in
coal (the mostly wanted in the because the results did not coincide thermoelectric stations.
international market) while the with their expectations, and for the Data from the Ministry of Mineral
Maniamba basin so far, has only fact that the concession was not Resources reveal that at the moment,
shown the occurrence of thermal economically viable. In other words, the metallurgic coal is traded in the
coal. The latter is a quality of less the retail cost of thermal coal would market for 150 dollars per ton versus
interest in the international market not compensate its exploration and 60 dollars per ton for the burn coal
and it’s cheaper than the metallurgic transport to the market. (thermal). In short, the metallurgic
one. coal costs more than double the price
This situation (of non existence Why metallurgic coal and not ther- of thermal coal.c
of metallurgic coal) has made the mal
mining company Vale to let go of The preference for metallurgic
the concession for prospection and coal by companies that explore
exploration of coal in the basin of minerals is unquestionable, given
Maniamba. the demand that exists for this
Both, the consultant Reinaldo type of coal and the price practiced
Gonçalves as well as the National at the international market. The
Director for Mines, Eduardo metallurgic coal is used essentially
Alexandre, have confirmed that the in the metal production industry,
reason behind Vale’s desistance from while the thermal one is used for

New company should explore coal left


behind by Vale
the Mozambican Government inces in Mozambique, the last Family to build access infrastructure which
launched another public tender for Budget Inquiry (FBI), Niassa does not will also assist investors, considering
the identification of a company will- only register the occurrence of coal that it is an area of difficult access.
ing to explore the thermal coal re- but also gold, graphite among other At the moment, there is a small scale
buffed by Vale, considering that the resources. exploration of gold in some districts
potential of the reservoir and produc- The district of Lagos, at the north of yet the hope remains that in the com-
tion of mineral coal are already the province, is among the richest ing years it escalates to industrial
known. in Minerals; however, there is need capacity.c
As advised by the National Director
of Mines, Eduardo Alexandre, the
Government’s idea is to identify a District Main Minerals

company that is willing to explore Gold, niobium, tantalum, gemstone, clay, kimberlites (vestiges of
Lagos
the coal for viable purposes such as diamond), coal and iron
the implantation of an electric power Gold, kimberlitic garnets (vestiges of diamonds), limestone,
Sanga
plant. bauxite, nepheline syenite
“In that sense, this coal (thermal) can
Mavango syenites, corundum, shale, syenites, granite and grenades
be viably explored. We hope that by
the end of this year and early next year,
Mandimba Coal, lime and grenades
the new company starts site works”,
envisages Alexandre. Marrupa Copper, iron, syenites, gold, grenades abrasive, graphite,

Resources available in Niassa Cuamba Granites, grenades, clay, grenades abrasive


Considered one of the poorest prov-

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 29


Governo
de calculadora na mão
Construir, reabilitar e manter estradas é das maiores responsabilidades que os governos têm em
qualquer país do mundo. Em Moçambique, a fragilidade financeira expõe o sector a uma elevada
dependência em relação ao exterior e a níveis bastante baixos de execução dos planos traçados.

N
úmeros lançados na última Estamos a falar num sector vital ao mais três parceiros devem entrar no
revisão anual do Programa equilíbrio entre as demandas e ne- complexo jogo das infraestruturas
Integrado do Sector de cessidades da sociedade. Um sector rodoviárias do País, contribuíndo
Estradas (PRISE), em Abril, que não pode ser contornado no com créditos para a realização dos
indicam que são necessários processo de planificação e desenvol- planos traçados em 2013. Trata-se da
perto de 18 biliões de met- vimento, e cuja quantidade de obs- China, Índia e Coreia do Sul, que se
icais para a realização dos programas táculos exige uma atenção redobrada vão juntar ao Banco Mundial, Banco
do sector este ano. Desses mon- bem como cálculos permanentes por Africano de Desenvolvimento (BAD),
tantes, apenas cerca de seis biliões parte do Governo. Agência Japonesa de Cooperação
são recursos internos, e os restantes
Aliás, durante a revisão anual do Internacional (JICA), Banco Inslâmico
12 biliões, correspondentes a 66.3%
PRISE, quadros do sector que inte- de Desenvolvimento e Governo por-
do total, virão dos diversos parceiros
gram o Ministério das Obras Públicas tuguês. Como resultado, os fundos
que apoiam o País nesse domínio.
e Habitação, a Administração Nacio- em créditos vão dar um salto de
Este nível de dependência é ainda
nal de Estradas (ANE) e o Fundo de 44%. Mais concretamente, dos 6.527
maior que a do ano passado, quando
Estradas – acabaram por citar como milhões de meticais, em 2012, para
dos 15.1 biliões de meticais orça-
mentados 6.2 biliões eram internos principais contrangimentos os baixos cerca de 9.416 milhões este ano.
e 8.9 biliões (41%) financiados pelo índices de realização dos investi- Os donativos, em geral concedidos
exterior. mentos na reabilitação e asfaltagem pela JICA, Fundo Europeu de De-
Os números relativos às metas de de estradas; o fraco desempenho senvolvimento e Agência Sueca de
execução de planos também têm dos empreiteiros; a falta de matéria- Desenvolvimento, aumentarão de
sido preocupantes. Em 2012, por -prima como o betume e cimento no 1.882.151 milhões de meticais para
exemplo, a asfaltagem de estradas mercado e os atrasos nos pagamen- 2.045.234 milhões (8.7%).
nacionais foi realizada em apenas tos, entre demais factores. Internamente, as receitas fiscais, a
25%, os planos de reabilitação e A propósito, o fraco desempenho dos taxa sobre o gasóleo e a gasolina são
asfaltagem de estradas nacionais empreiteiros é uma das causas apon- os que mais recursos disponibilizam
foram executados em 56%, e a as- tadas para a baixa qualidade das para o sector das estradas, sendo
faltagem de estradas regionais foi estradas urbanas, em geral esbura- as taxas rodoviária, de portagem e
executada em 58%. O resultado cadas um pouco por todos os troços receitas próprias, as menos contri-
disso é que o território nacional fica das avenidas e ruas, apesar das cons- butivas.
cada vez mais distante de poder ligar tantes obras de manutenção.
os pontos estratégicos do País e de Urge conceber estradas
criar condições para um crescimento Mais apoio na perspectiva da agricultura
que integre os diversos sectores de internacional
actividade. “A questão das estradas distritais ne-
Para sorte das nossas estradas, cessita de uma atenção imediata, pois

30 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


DOSSIER . Estradas

garante o acesso às mercadorias e milhões de meticais para dotar as ad- Em 2012, o programa previa a cons-
serviços básicos à maioria da popula- ministrações distritais da capacidade trução de seis pontes na província de
ção, além de dinamizarem a economia de intervenção. Manica e três em Sofala. Os projectos
no seu todo, com maior destaque para de engenharia para a construção
o desenvolvimento da agricultura, Pontes seguem em destas pontes foram concluídos e
actividade que envolve a maior parte pleno lançados os concursos para a selecção
da população moçambicana”. Este dos empreiteiros que vão executar as
é o conselho dado pelos parceiros Aqui as autoridades destacam a obras. A contratação do empreiteiro
de cooperação, através da directora construção da ponte sobre o rio Zam- foi concluída em Novembro com a
interina do Banco Mundial em Mo- beze, em Tete, inserida na concessão assinatura do respectivo contrato”,
çambique, Laura Rose. para a manutenção de cerca de 700 salientou o governante.
“Um dos desafios imediatos, e por Km de estradas pavimentadas na- Ainda no ano passado, foram lan-
sinal consensual, é a necessidade de quela província. No cômputo geral, as çados concursos para a elaboração
adoptarmos uma estratégia e política obras de construção da ponte estão a dos projectos de engenharia para a
para as estradas distritais com maior decorrer a um ritmo satisfatório, con- reabilitação e/ou construção de sete
brevidade”, sublinhou. Neste quadro, sidera Francisco Pereira, vice-minis- pontes em todo o País.c
o Estado atribui a cada distrito dois tro das Obras Públicas e Habitação.

Comportamento dos recursos PES/PRISE


2012 (mil Mt) 2013 (mil Mt) Crescimento (%)
Financiamento Interno 5.902.115 6.015.088 1.9
Receitas fiscais 1.795.282 2.408.390 34.2
Taxa sobre gasóleo 3.012.287 2.665.819 -11.5
Taxa sobre gasoline 649.059 666.454 2.7
Taxa rodoviária 401.967 225.243 -44.0
Taxa de portage 43.207 48.847 13.1
Receitas próprias 313 335 7.0
Recursos externos 8.906.927 11.836.976 32.9
Créditos 6.527.000 9.415.936 44.3
Banco Mundial 586.919 268.220 -54.3
BAD 2.668.377 1.147.227 -57.0
JICA 683.430 1.575.880 130.6
BID 108.925 141.282 29.7
Governo português 2.479.349 4.191.985 69.1
Banco Coreano de Investimento 0 182.513 0.0
Banco Chinês de Investimento 0 1.530.635 0.0
Banco Indiano de Investimento 0 378.200 0.0
Donativos 1.882.151 2.045.234 8.7
Fundo Europeu de Desenvolvimento 943.354 1.342.580 42.3
Agência Sueca de Coop. e Desenv. 839.363 702.654 -16.3
JICA 99.434 0 0.0
Fundo Comum de Estradas 497.775 375.806 -24.5
Delegação da União Europeia 203.527 157.071 -22.8
Agência Dinamarquesa de Desenv. Intern. 94.365 145.834 54.5
FONTE: PRISE 2013

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 31


Government
with calculator at hand
Build, rehabilitate and maintain roads, are one of the major responsibilities that governments
face in any country in the world. In Mozambique, the financial fragility exposes the sector to a high
dependency to the outside and at extremely low execution levels of established plans.

N
umbers brought up in the sector which cannot be overlooked in the country, contributing with
last annual review of the in the process of planning and credits for the implementation of
Integrated Programme of development, for which the amount the plans set up for 2013. Reference
the Roads Sector (IPRS), in of obstacles calls for a doubled effort is made to China, India and South
April; indicate that close as well as permanent calculus by the Korea, which will join the World Bank,
to 18 billion Meticais are Government. the African Bank for Development
required to carry out the programmes As a matter of fact, during the (ABD), the Japanese International
in the sector, for this year. From these revision of the annual IPRS, Cooperation Agency (JICA), the
amounts, only six billions are internal senior staff members from the Islamic Bank for Development and
sector – comprising the Ministry the Portuguese Government. As a
resources and the remaining 12 bil-
of Public Works and Housing, the result, credit funds will leap on 44%.
lion, corresponding to 66.3% of the
National Administration of Roads From 6,527 million Meticais in 2012,
total amount, will come from various
(NAR) and the Fund for Roads to roughly 9,416 million this year, to
partners supporting the country in
– have cited the low levels of be more precise.
that domain. This level of depen-
investments’ implementations for The donations, overall bestowed
dency is even higher than last year’s, the rehabilitation and asphalting by JICA, the European Fund for
where from the 15.1 billion Meticais of roads, as being among the main Development and the Swedish
budgeted, 6,2 billion were internal constraints; the poor performance Agency for Development augmented
and 8,9 billion (41%) were financed of contractors; lack of raw materials the 1.882.151 million Meticais figure
by outsiders. in the market such as bitumen to 2.045.234 million (8.7%).
The numbers pertaining the progress and cement, and the delay in Internally, the tax revenue, the
of the execution of plans are equally disbursements, to name a few. tax on diesel and gasoline are the
concerning. In 2012, for instance, Moreover, the poor performance ones which made more resources
the asphalting of national roads was of contractors is one of the causes available for the roads’ sector, and
carried out at 25% only; the plans hinted for the low quality of urban in turn, the road taxes, toll gates and
for the rehabilitation and asphalting roads, generally potholed through own funds being the ones which
of national roads were executed at scattered stretches of the avenues contributed the less.
58%. The result of this is that the and streets, despite the constant
national territory is further away maintenance works. There is urge to
from being able to connect strategic
conceive roads with the view
points in the country, and thus create
More international on agriculture
an environment conducive for a
support
growth that integrates the various “The question of district roads
sectors of activity. As a strike of luck for our roads, three needs immediate attention, as it
We are talking of a sector vital to more partners will jump into the secures access to merchandise and
the balance between the demands complex game of road infrastructures basic services to the majority of the
and the needs of the society. A

32 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


DOSSIER . Roads

Resources behaviour PES/PRISE


2012 (thousand Mt) 2013 (thousand Mt) Growth (%)
Internal Funding 5.902.115 6.015.088 1.9
Tax revenues 1.795.282 2.408.390 34.2
Diesel taxes 3.012.287 2.665.819 -11.5
Gasoline taxes 649.059 666.454 2.7
Road taxes 401.967 225.243 -44.0
Toll gate charges 43.207 48.847 13.1
Own funds 313 335 7.0
External Resources 8.906.927 11.836.976 32.9
Credits 6.527.000 9.415.936 44.3
World Bank 586.919 268.220 -54.3
ADB 2.668.377 1.147.227 -57.0
JICA 683.430 1.575.880 130.6
BID 108.925 141.282 29.7
Portuguese Government 2.479.349 4.191.985 69.1
Korean Investment Bank 0 182.513 0.0
Chinese Investment Bank 0 1.530.635 0.0
Indian Investment Bank 0 378.200 0.0
Donations 1.882.151 2.045.234 8.7
European Fund for Development 943.354 1.342.580 42.3
Swedish Agency for Cooperation and Development 839.363 702.654 -16.3
JICA 99.434 0 0.0
Common Fund for Roads 497.775 375.806 -24.5
European Union Delegation 203.527 157.071 -22.8
Danish Agency for International Development 94.365 145.834 54.5

SOURCE: IPRS 2013

population, besides stimulating the administrations with intervention the construction of six bridges in
economy as a whole, with particular capacity. the province of Manica and three in
emphasis for the development of Sofala. “The engineering projects for
agriculture, as being an activity that Bridges move on steady the construction of these bridges were
involves the largest number of the concluded and the tenders issued for
Mozambican population”. This is Here the authorities underscore the the selection of contractors who will
the advice brought forth by the construction of the bridge over the assist the works. The adjudication
cooperation partners, through the Zambezi River in Tete, slotted within of the contractors was concluded in
interim director of the World Bank in the concession for the maintenance November with the signing of the due
Mozambique, Laura Rose. of around 700Km of paved roads contract”, stated the government
“One of the immediate challenges, and in that province. “On a general member.
seemingly consensual, is the need to conjecture, the construction works for Still last year, tenders were launched
have us adopting a political strategy the bridge are moving on a satisfactory for the elaboration of engineering
for the district roads at the earliest”, rhythm”, considers Francisco Pereira, projects for the rehabilitation and/
she accentuated. In that sense, the vice minister for Public Works and or construction of seven bridges
state allocates each district with two Habitation. countrywide.
million Meticais to enable the district In 2012, the programme envisaged

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 33


Foco ECONOMIA

FMI reviu em baixa as perspectivas


de crescimento económico mundial

P
revisões recentes publicadas continuou a registar ganhos nominais Botswana (6,1%), Malawi (31,0%),
pelo Fundo Monetário Inter- face à Libra e Yen e perdas em rela- Tanzânia (8,3%) e Zimbabwe (2,2%),
nacional (FMI), em Julho, sina- ção ao Euro, no mês de Junho. Dados acelerando em Angola (9,25%) e na
lizam a prevalência de riscos do desemprego mostram um novo Zâmbia (7,0%) e mantendo-se está-
e incertezas quanto à recupe- aumento nos EUA e nos países da vel nas Maurícias (3,6%).
ração da economia global, em Zona Euro. Os bancos centrais destas Dados mais recentes mostram que,
face da contínua recessão esperada
economias decidiram pela manuten- em Junho, a inflação acelerou na
para os países da Zona Euro.
O FMI reviu em baixa as perspectivas ção das suas respectivas taxas de Zâmbia para 7,3%. Nestas economias
de crescimento económico mundial juro de política monetária. o Dólar norte-americano prosseguiu
para 2013, para 3,1%, menos 20 Nas economias de mercado emergen- a sua tendência para fortalecimento
pontos base (pb), relativamente às tes (Brasil, China, Coreia do Sul, Índia, face à maior parte das moedas da
projecções de Abril. Para as econo- e Rússia), a inflação anual acelerou, região. Por sua vez, as taxas de juro
mias avançadas, o FMI prevê um cres- no mês de Maio, no Brasil (6,5%) e dos Bilhetes do Tesouro para a matu-
cimento de 1,2% em 2013, contra os na Rússia (7,4%), tendo desacelera-
ridade de 91 dias registaram aumen-
anteriores 1,3%, enquanto para as do na China (2,1%), Índia (9,31%)
e Coreia do Sul (1,0%), taxa que se tos na África do Sul, na Tanzânia e em
economias de mercado emergentes Moçambique e redução no Botswana.
e em desenvolvimento as previsões manteve em Junho, de acordo com
apontam para um crescimento de a informação preliminar. À excepção
5,0%, 30 pb inferiores às anunciadas do Yuan da China, que prosseguiu a
em Abril. O crescimento nas econo- sua tendência para apreciação, as Mercados
mias da África Subsahariana em 2013 restantes moedas deste bloco de
foram igualmente revistas em baixa países registaram uma depreciação internacionais
em 40 pb, para 5,1%. anual face ao Dólar americano, com
destaque para Won da Coreia do Sul Nos mercados internacionais, a maior
(0,1%) e Rublo da Rússia (1,2%), parte dos preços médios das princi-
no mês de Junho, invertendo a ten- pais mercadorias com peso signifi-
Economias dência para a apreciação ocorrida cativo na balança de pagamentos de
desenvolvidas e em Maio. Os Bancos Centrais destas Moçambique manteve, em termos
economias mantiveram as suas taxas anuais, a tendência para redução
emergentes directoras inalteradas.
em Maio de 2013, com destaque
Dados reportados ao mês de Maio para os preços do carvão metalúrgi-
indicam que nas economias desen- Economias da SADC co (-18,6%), açúcar (-15,7%), ouro
volvidas (Estados Unidos da América, (-10,8%), arroz (-9,9%), brent (-9,8%),
Japão, Reino Unido e Zona Euro) Nas economias da SADC (África do gás (-9,2%) e alumínio (-8,5%).
observou-se um comportamento Sul, Angola, Botswana, Malawi, Mau- Os produtos cujos preços registaram
ascendente da inflação, caracteri- rícias, Moçambique, Tanzânia, Zâmbia aumentos são o trigo (20,7%), o mi-
zado por uma aceleração nos EUA e Zimbabwe), dados provisórios indi- lho (9,9%) e o algodão (4,6%). Em
e na Zona Euro (1,4%, em ambas as cam uma desaceleração da actividade termos mensais, destaca-se a redu-
economias) e redução da deflação no económica no Botswana em 90pb, ção dos preços de todos os produtos
Japão (-0,7%). para 3,2%, no primeiro trimestre de excepto o algodão, que aumentou
Por outro lado, informação preliminar 2013, comparativamente ao quarto em 11,1%. No último dia de Junho, o
referente ao mês de Julho, indica de 2012. Em Maio, observou-se um preço do barril de brent fixou-se em
um agravamento da inflação na Zona comportamento misto da inflação, USD 102,5 e no dia 11 de Julho a sua
Euro para 1,6%. O Dólar dos EUA reduzindo na África do Sul (5,6%), cotação foi de USD 108,7.c

34 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


Focus on ECONOMY

R
ecent projections published
by the International Monetary
Fund (IMF) in July, signal for The IMF reviewed on
low the prospects of
the prevalence of risks and
uncertainties with regards to
the recuperation of the global

world economic growth


economy, in light of the continuous
recession for the countries in the
Euro zone.
The IMF reviewed on low the pros-
pects of world economic growth for
2013, as in 3.1% less 20 base points respective monetary policy interest Angola (9,25%) and in Zambia (7,0%)
(bp), against the projections in April. rates. and maintaining stable in Mauritius
For the advanced economies, the IMF In the economies of emerging mar- (3,6%).
predicts a growth of 1,2% in 2013, kets (Brazil, China, South Korea, India More recent data show that in June,
against the previous 1,3%, while for and Russia), the annual inflation the inflation accelerated in Zambia
the economies of the emerging and accelerated in May, in Brazil (6,5%) from 7,3%. In these economies the
developing markets, the predictions and in Russia (7,4%), having deceler- North American dollar proceeded
indicate a growth of 5,0%, 30 bp ated in China (2,1%), India (9,31%) with its tendency to strengthen be-
lower than those announced in April. and South Korea (1,0%) and the fore the majority of currencies in the
The growth of the economies in the rate maintained in June, according region. In turn, the interest rates of
sub-Saharan Africa for 2013 were to preliminary information. With the the Treasure Tickets for a maturity of
equally reviewed on low in 40 bp, for exception of the Yuan from China, 91 days have registered an increase
5,1%. which proceeded with its tendency in South Africa, Tanzania and in Mo-
for appreciation, while the remaining zambique, while they reduced in
currencies of this bloc of countries Botswana.
have registered an annual deprecia-
Developed and
tion before the American dollar in the
emerging economies
month of June, with emphasis for the International
Data reported in the month of May
Won from South Korea (0,1%) and the Markets
indicate that in the developed econo-
Russian Ruble (1,2%) and thus invert- In the international markets, as of
mies (United States of America, Japan,
ing the tendency for appreciation May 2013, the majority of average
United Kingdom and the Euro Zone)
occurred in May. The central banks prices of main merchandises with
there has been observed and ascend-
of these economies maintained their significant weight in the scale of
ing pattern for inflation, character-
director interest rates unaltered. payments of Mozambique have main-
ized by an acceleration in the United
States and in the Euro Zone (1,4% in tained in annual terms, the tendency
both economies) and reduction of the for reduction, with emphasis to the
deflation in Japan (-0,7%). SADC economies price of metallurgic coal (-18,6%),
On the other side, preliminary infor- In the SADC economies (South Africa, sugar (-15,7%), gold (-10,8%), rice
mation referring to the month of July Angola, Botswana, Malawi, Mauritius, (-9,9%), brent (-9,8%), gas (-9,2%)
indicate an aggravation of inflation Mozambique, Tanzania, Zambia and and aluminium (-8,5%).
in the Euro Zone for 1,6%. For the Zimbabwe), provisional data indicate The products whose prices have
month of June, the USA dollar contin- a deceleration of the economic activ- registered an increase are wheat
ued to register nominal gains before ity in Botswana in 90bp, for 3,2% in (20,7%), maize (9,9%) and cotton
the Pound and Yen and losses in the first trimester of 2013, compared (4,6%). In monthly terms, it is notice-
relation to the Euro. Unemployment to the quarter of 2012. In May, there able a reduction of prices of all prod-
data show a new increase in the USA has been registered a mixed pat- ucts except cotton which increased
and in the countries of the Euro Zone. tern of inflation, reducing in South in 11,1%. On the last day of June, the
The central banks of these economies Africa (5,6%), Botswana (6,1%), price of a barrel of brent fixed itself
decided for the maintenance of their Malawi (31,0%), Tanzania (8,3%) and in USD $102,5 and on the 11th July its
Zimbabwe (2,2%), accelerating in quotation was that of USD $108,7.c

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 35


Foco NEGÓCIO

ritário e mais rigoroso na solicitação

Pneus, um negócio de acessórios automóveis. Com uma


venda diária de até sete pneus, o
preço dos novos acaba por nivelar

à espreita! os rendimentos dos dois grupos de


comerciantes.
De acordo com os vendedores, a
preferência pelo novo ou pelo usado
é determinada pela diferença do
preço, mas é consensual tanto para
os automobilistas quanto para os
próprios comerciantes, que a segu-
rança e o tempo de vida dos pneus
novos (calculado em cerca de cinco
anos) é relativamente maior.
Se as perspectivas de crescimento
do parque automóvel se mantiver
ao nível actual, o mercado de pneus
pode inspirar a criação de uma outra
fábrica de pneus, ou a restauração
da Mabor, tudo no sentido de apro-
veitar as oportunidades que existem
em torno deste negócio. Já para não
falar nas perspectivas que a nova
fábrica de automóveis da marca
Matchedje, com capitais chineses,
poderá vir a potenciar.
Aliás, esta oportunidade já está a

U
despertar o interesse de investido-
m pneu novo para veículos de Maputo e arredores. São maio- res estrangeiros. Em Fevereiro deste
ligeiros custa entre 3.000 e ritariamente de origem japonesa e ano, o director geral do Gabinete
6.000 meticais, consoante importados a partir da vizinha África das Zonas Económicas Especiais de
a marca e a referência. Um do Sul. Moçambique (Gazeda), Danilo Nalá,
pneu usado e que apresente Ao longo das avenidas Joaquim Chis- anunciou o interesse de investidores
as mínimas condições para sano, das FPLM, de Angola, Acordos da Arábia Saudita e do Bahrain em
uso, ronda os 1.300/1.500 meticais, de Lusaka, Milagre Mabote, e em investir na produção de pneus na ci-
mas há até os que podem ser adqui- praças como a dos combatentes, Ma- dade da Matola. A iniciativa integra-
ridos por 300 meticais. Em comum, goanine, Missão Roque, entre outros -se no quadro de um projecto que
os dois mercados têm a particulari- pontos, as casas da especialidade se associa à fábrica de automóveis
dade de assegurar o fornecimento a chegam a vender 15 pneus em dias implementada pelos investidores
uma procura que cresce a cada dia de pico, e os rendimentos atingem chineses.
que passa, num país que vê o seu os 20 mil meticais. Os chapas “trans- Esperamos é que os empreendedo-
parque automóvel ampliar de forma portes privados de passageiros” são res nacionais se imponham face à
galopante. responsáveis por mais de 60% deste concorrência entrando também no
A Capital visitou alguns estabeleci- sucesso, por estarem em constante negócio. O imenso mercado da SADC
mentos de venda de pneus, tanto actividade. e a comunidade dos CPLP devem
usados como novos, e concluiu que Paralelamente, as casas de pneus servir - neste caso da produção local
o negócio é promissor em Maputo novos, na cidade de Maputo, ven- de pneus - como grandes janelas de
e, provavelmente, em todo o País. O dem, obviamente, menores quan- oportunidade em termos de comer-
mercado dos usados aumenta todos tidades que os concorrentes de cialização.c
os dias nas margens das avenidas segunda mão, para um nicho mino-

36 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


Focus on BUSINESS

A Tyres, a thriving
new tyre for sedan vehicles costs
from 3,000 to 6,000 Meticais,
according to the brand and refer-

business!
ence. A used tyre with minimum
conditions for usage, goes for about
1,300/1,500 Meticais, but there
are also those that can be acquired for 300
Meticais. In short, both markets have the
mannerism to ensure the supply for an
increasing demand growing by the day, in
a country that sees its automobile assort-
ment expanding at galloping pace.
The Capital visited some of the tyre dealer-
ships, both for used and new ones, and
concluded that the business in thriving in
Maputo, and probably in the whole country.
The market for used ones swells everyday
in the pavements of Maputo streets and
surroundings. They are mainly of Japanese
origin and imported from the neighbour
South Africa.
Along the avenues Joaquim Chissano,
FPLM, Angola, Acordos de Lusaka, Milagre
Mabote as well as roundabouts such as
Combatentes, Magoanine, Missão Roque
among other points, these specialised
businesses may sell up to 15 tyres on a groups of merchants. this business. Not to mention the prospects
peak day, and the dividends reach up to According to the sellers, the preference for that may be unleashed by the new vehicle
20 thousand Meticais. The chapas – private new or used ones is determined by the dif- manufacturer for the make Matchedje, with
transport of passengers – are responsible ference on the price; it is however consen- Chinese capital.
for over 60% of this success rate, consider- sual both for drivers as well as sellers, that In point of fact, this opportunity is already
ing that they are always on the move. the safety and lifespan of new tyres (esti- sparking interest among foreign inves-
In parallel, the new tyre businesses in the mated on five years) is relatively higher. tors. In February this year, the General
city of Maputo, obviously sell less quanti- Should the growth prospects for the auto- Director for the Mozambique Cabinet for
ties than their second hand competitors mobile industry maintain its current rate, Special Economic Zones (MCSEZ), Danilo
for a minority faction which is more rigid the tyre market may inspire the creation of Nalá, announced that investors from Saudi
on the selection of car accessories. With a another tyre manufacturer, or the restora- Arabia and from Bahrain are interested
daily sale up to seven tyres, the cost of new tion of Mabor, all as means to take advan- in investing on the production of tyres in
tyres ends up balancing the profit of both tage of the existing opportunities around Matola City. The initiative is inserted in the
framework of a project associated to the
automobile manufacturer to be carried out
by Chinese investors.
We hope that national entrepreneurs
impose themselves in light of the competi-
tion and also adhere to the business. The
vast market within SADC and the CPLP
should serve – for the local production of
tyres in this case – as open windows for
opportunities in terms of commercializa-
tion.c

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 37


Foco EMPRESA

Concorrência
ro é a vegetação predominante e a
imagem de marca da região. Com
4.000m² de espaço, o recinto é

renhida em Tete
apoiado por um ginásio, uma clínica
para hóspedes e funcionários, e
áreas de entretenimento ao redor de
uma piscina tropical.
Mas porque a concorrência é atenta
e agressiva, o Park Inn colabora com
outras estâncias no sentido de dar
um leque de escolha maior aos seus
visitantes.
“Se as pessoas não quiserem ficar
no Park inn, nós estamos dispostos a
ajudá-las e a colaborar para ficarem
na cidade porque Tete não é só Park
inn”, afirma Sérgio Moreira, director-
-geral do hotel.
Com efeito, um grupo de jornalistas
e operadores turísticos, a convite do
Park inn, teve a oportunidade de pas-
sear de barco na paradisíaca paisa-
gem do rio Zambeze, em Songo, onde
se localiza outra referência turística:
o Uguezi Tiger Lodge.
O Park Inn emprega, actualmente,
100 trabalhadores, dos quais apenas
seis são estrangeiros. E a direcção
ainda tem muito que batalhar no

T
ete está a assistir a um renhi- resposta à altura dos padrões de sentido de reter turistas ao fim de
do despique entre os investi- exigência dos habitantes e visitantes semana, uma vez que por esses dias
dores na área de restauração numa província que conhece um as taxas de ocupação baixam de 80
e hotelaria. A concorrência desenvolvimento acelerado e uma para 20%.
que vibra acaba por privi- contínua atracção de investimentos Outro problema passa pela constru-
legiar um número cada vez (nacionais e estrangeiros). ção de condomínios pelas minerado-
crescente de visitantes oriundos de O hotel Park inn – propriedade do ras no sentido de alojar os seus fun-
várias partes do mundo. Cada vez grupo Rani e gerido pelo Grupo Carl- cionários. O mercado é competitivo
mais, surgem empreendimentos son Rezidor Holdings, é preferido por e ainda vai exigir melhores naipes de
turísticos e a tendência dos preços hóspedes portugueses e brasileiros. cartas num futuro muito próximo.c
do alojamento será para baixar. Nos seus três pisos, o visitante en-
Uma das estâncias a ter em conta contra uma oferta de 117 quartos
é o hotel Park Inn, inaugurado em com suite, frigorífico, secretária,
Novembro de 2012, e que se junta cofre, TV e outros electrodomésticos.
a outras referências hoteleiras tidas Mais… Sala de conferências, espaço
como tradicionais na província, no- modular, equipamentos audiovisual,
meadamente o Hotel Zambeze, Hotel 113m² de área aberta de suporte,
Kassuende, a Pousada Santo António e um serviço de catering que exibe
do Zaíre, Motel Zobué, Cuchumano, uma gastronomia com pratos interna-
entre outros. cionais e tradicionais.
O hotel Park inn Tete revela-se uma Nos espaços externos, o embondei-

38 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


Focus on COMPANY

Tough competition in Tete

T
ete is witnessing a rough Group Carlson Rezidor Holding, and the Park Inn, we are prepared to assist
stampede among investors in is highly favored by Portuguese and them and ensure they stay in the city,
the industry of refurbishment Brazilian guests. On its three floors, considering that Tete is not confined to
and hotels. The vigorous com- visitors are offered 117 en-suite the Park Inn hotel alone”, stated Sérgio
petition ends up favoring an rooms, freezers, writing desk, coffer, TV Moreira, the hotel’s General Director.
increasing number of visitors set among other appliances. What is With effect, the group of journalists
from all walks of life. More and more, more … a conference facility, modulate and tourism operators, invited by the
new tourism endeavors are settling in area, audio-visual equipment, 113m2 Park Inn, had the opportunity to take a
and the tendency is a drop on accom- of supportive open area as well as a boat ride through the idyllic panorama
modation costs. catering service that lay bare a gas- of the Zambezi River, in Songo, where
One of the facilities to take into ac- tronomy with local and international another grand tourism reference is to
count is the Park Inn Hotel, inaugu- dishes. be found: The Uguezi Tiger Lodge.
rated in November 2012 which joins On the outward spaces, the baobab The Park Inn currently employs 100
other hotel references considered as trees are the dominant vegetation and workers, from which only six are for-
traditional in the province, namely a vista that embodies the region. With eigners. The management still has
the Hotel Zambezi, Hotel Kassuende, 4,000m2 of surface area, the prem- a pathway ahead, towards retaining
Santo António do Zaíre Inn, Motel ises are outfitted with a gym, a clinic tourists along the week-ends as in
Zobué, Cuchumano, among others. for guests and staff members as well those days, the occupation rates drop
The Park Inn hotel depicts a top notch as leisure areas around the tropical from 80 to 20%.
response to the desirable standards swimming pool. The other problem gravitates on the
from inhabitants and visitors to a However, noting that the competition construction of condominiums by the
province experiencing a hastened is industrious and unrelenting, the mining companies, intended to ac-
development, and continues to attract Park Inn hotel cooperates with other commodate their staff members. The
investments (national and foreign). resorts towards offering its visitors market is competitive and will still
The Park Inn hotel – property of the with a wider array of options. call for better card suits in a very near
Rani Group and managed by the “If people are not ardent to check into future.c

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 39


Parque Automóvel
Nas últimas duas décadas, o
parque automóvel nacional
evoluiu significativamente:
em 1990 havia 52.239 viatu-
ras, número que cresceu para
486.920 em 2012 (mais do que
nove vezes).

Compra de uma completa viragem na paisagem


urbana: pouca estrada para tanto carro;

automóveis dispara
engarrafamento e congestionamento
de trânsito por toda a parte; passeios
tomados de assalto por veículos que
não encontram parques para estacio-
nar…
As marcas de crescimento sócio-económico nem sempre são Até há poucos anos, este era um
perceptíveis num curto espaço de tempo. Gradualmente, a problema de países desenvolvidos e
qualidade de vida dos moçambicanos foi experimentando emergentes, que os moçambicanos
uma franca evolução e os problemas já cá estão e vão piorar: apenas ouviam falar. Hoje, empurra-
há muito carro para tão pouca estrada. Paradoxalmente, um dos por fenómenos particularmente
económicos, estão a importar muitos
carro está para apenas 4% das famílias moçambicanas, o
carros, sobretudo a partir do Japão e
que revela a outra face da moeda. de Durban. Por um lado, a indústria

Q
automóvel no mundo está a evoluir, a
uem conhececeu a capital produzir e a vender a preços cada vez
moçambicana na década de mais baixos. Por outro lado, uma franca
90, hoje, certamente, não a subida no nível de rendimento das
reconhece mais! Com poucas pessoas está a facilitar a aquisição, e o
mudanças estruturais, o cresci- país assiste a um verdadeiro boom de
mento exponencial do parque viaturas.
automóvel é o maior responsável por Nas últimas duas décadas, o parque

40 AGOSTO 2013 · Capital Magazine


TEMA DE FUNDO

FOTO
Helga Nunes

automóvel nacional evoluiu significati- estão ainda longe desses números. parque automóvel sem mencionar a
vamente: em 1990 havia 52.239 viatu- Aliás, no Centro e no Norte, para com- segurança rodoviária… e sem falar em
ras, número que cresceu para 486.920 pensar, as bicicletas e motorizadas são acidentes de viação.
em 2012 (mais do que nove vezes). os principais meios de transporte das Engana-se quem pensa que a ocorrên-
Só nos últimos dois anos, entraram no pessoas. cia de acidentes tem alguma ligação
país mais de 100.000 viaturas. Um rit- com aumento do parque automóvel
mo que faz vislumbrar um quadro pior e com o tráfego complicado. É essa a
nos próximos anos, e que irá exigir, A outra face da informação que se pode tirar da leitura
sem margem para dúvidas, um maior moeda dos dados do Instituto Nacional dos
esforço financeiro para adicionar vias, Olhar para a evolução dos números Transportes de Terrestres (INATTER).
principalmente nas cidades. e para a situação nas cidades pode De 2008 a 2012, por exemplo, en-
produzir a ilusão de fartura. Tão longe quanto a quantidade de carros aumen-
disso, o Inquérito Demográfico e de tou de 290.607 para 486.920, o núme-
Maputo engole 75% Saúde (IDS 2011), recentemente divul- ro de acidentes reduziu em 2.343. Isto
de todo o tráfego gado pelo Instituto Nacional de Esta- é, houve um decréscimo de 5.438 para
Não é por acaso que circular de carro tística (INE), revela que apenas 4% 3.095 acidentes. Ou seja, com muito
nas cidades de Maputo e da Matola das famílias moçambicanas possuem mais carros a circularem no mercado,
começa a ser menos rápido do que carro. A tomar como referência a média ocorreram muito menos acidentes!
a pé. Também não é ao acaso que o de cinco membros por família, este Ainda no quadro da segurança rodovi-
Governo se desdobra em adaptações, número corresponde a um carro para ária, um aspecto preocupante ressalta
introduzindo algumas mudanças no mais de 120 pessoas. à vista: a diferença abismal que há
sentido das vias. Só na cidade e na No meio rural a situação é ainda pior. entre o número de condutores forma-
província de Maputo, em 2012, havia Apenas 1% das famílias possui carro. dos em escolas e a população condu-
363.984 viaturas, perto de 75% de Nas cidades, este número sobe para tora. Em Moçambique, a esmagadora
todos os carros existentes no País. 10.3%, sendo ainda assim muito parte das pessoas conduz ilegalmente.
E porque a presença de veículos auto- aquém do desejado, e revelando um No ano passado, havia 13 vezes mais
móveis é sinónimo de desenvolvimen- preocupante nível de pobreza da po- ilegais ao volante do que a população
to, Sofala e Manica – províncias onde pulação. licenciada para conduzir. Eram 50.893
estão as maiores cidades do país de- pessoas as que passaram pelas escolas
pois de Maputo e Matola – são as que de condução para um conjunto de
648.907 condutores em conflito com
têm parte considerável dos restantes Acidentes em
25%. Sofala contava, em 2012, com a lei.c
queda
29.447 carros e Nampula com 30.833. É difícil (senão impossível) falar em
Já Niassa, Cabo Delgado e Zambézia
Fonte: Inatter

Evolução do parque automóvel em Moçambique (1990-2012) Parque automóvel por província em 2012

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 41


Car assortment
On the last two decades the
national car assortment evolved
significantly: in 1990 there
were 52,239 vehicles, and the
numbers now grew to 486,920 in
2012 (over nine times more).

Car acquisition shoots up

T
he footprints of the socio eco- Until few years back, this was a problem
nomic growth are not always for the developed and emerging
Maputo swallows
perceptible within a short peri- countries which Mozambicans
od of time. Gradually the quality simply heard about. Nowadays, 75% of the whole
of life of Mozambicans has been swayed particularly by economic traffic
experiencing a thriving evolu- phenomenon’s they are importing It’s no wonder why driving around the
tion and along with it the problems numerous cars, mainly from Japan and cities on Maputo and Matola became
arrived; and they will get worse: There Durban. In one hand, a burgeoning less fast than on foot. It’s equally not
are so many cars for such few roads. growth of the people’s level of income surprising that the Government bents
Paradoxically, one car is just for 4% of enables the acquisition, and the country its back in adaptations, thus introducing
the Mozambican households, which in is therefore witnessing a rampant some changes on the direction of
turn, unveils the other side of the coin. booming of vehicles. streets. Just in the city and province of
Those who knew the Mozambican On the last two decades the national Maputo, in 2012, there were 363,984
capital in the 90s will certainly not car assortment evolved significantly: in vehicles; close to 75% of all cars in the
recognize it anymore, nowadays. 1990 there were 52,239 vehicles, and country.
With very little structural changes, the numbers now grew to 486,920 in Because the presence of vehicles is a
the exponential growth of the car 2012 (over nine times more). Just in synonym of development, Sofala and
assortment is the biggest responsible the last two years, more than 100,000 Manica - being the provinces where the
for a complete change in the urban vehicles entered the country. It is a largest cities in the country are located,
landscape: few roads for so many cars; rhythm that remits to a worse scenario after Maputo and Matola – are the ones
bottlenecks and traffic congestions all in the coming years and which will that have a considerable portion of
over; pavements commandeered by undoubtedly require a greater financial the remaining 25%. In 2012, Sofala
vehicles which cannot find a parking effort to expand the access routes, counted on 29,447 cars and Nampula
lot... particularly in the cities. 30,833. As for Niassa, Cabo Delgado

42 AGOSTO 2013 · Capital Magazine


BACKGROUND THEME

PHOTO
Helga Nunes

Car assortment per province in 2012 SOURCE: INATTER

and Zambézia, they fall too far behind


for these numbers.
In fact, in the Center and North, to even Evolution of the car assortment on Mozambique (1990 - 2012)

out, bicycles and motorbikes are the


main means of transport for the people. rises to 10.3% which still too far from the number of cars increased from
the desired, while also revealing a 290,607 to 486,920, the number
perturbing level of poverty among the of accidents reduced by 2,343. This
The other side population. means that there was a drop from
5,438 to 3,095 accidents. In other
of the coin words, with a lot more cars circulating
Looking merely at the evolution of
numbers and the situation in the
Accidents dropping in the market, there were lesser
down accidents!
cities, may lead to an illusion of
It is difficult (if not impossible) to speak Still in the framework of road safety,
abundance. Far from that, the Health
of car assortment without mentioning one important aspect comes to light:
and Demographic Inquiry (IDS 2011)
road safety... or road accidents. the abysmal difference that exists
recently divulged by the National
It is a misconstruction for those who between the number of drivers trained
Institute of Statistics (INE), reveals that
think that the occurrence of accidents is in schools and the driving population.
only 4% of the Mozambican families
of any connection with the increase of In Mozambique, an overwhelming
own a car. Taking into account the
the car assortment and the complicated majority of people drives illegally.
average of 5 members per household,
traffic. That is the information that can Last year there were 13 times more
this figure corresponds to one car for
be drawn from the data released from illegal drivers behind the wheel, than
more than 120 people.
the National Institute of Terrestrial licensed drivers. There were 50,893
The situation is even worse in the rural
Transportation (INATTER). people who had been through schools
environment. Only 1% of households
From 2008 to 2012 for instance, while versus a total of 648,907 in conflict
own a car. In the cities this number
with the law. c

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 43


Mercados/Markets STANDARD BANK

Informação Económica Mensal


Economia Moçambicana / Mozambican Economy

Fáusio Mussá
Economista do Standard Bank

Inflação Inflation
A inflação continuou a abrandar em Julho, com o IPC Inflation continued to decelerate in July, with Mozambique’s
Moçambique a registar uma descida mensal de preços de Consumer Price Index (CPI) recording a monthly deflation
0.23%m/m (mês a mês), a terceira deflação em três meses -0.23%m/m (month on month) allowing for a 0.28pp (percent-
consecutivos, o que permitiu a redução de inflação anual em age points) decline in annual inflation to 4.58%y/y with the
0.28pp (pontos percentuais) para 4.58% a/a (ano a ano) e um average up 0.22pp to 3.29%.
ligeiro aumento da média anual em 0.22pp para 3.29%. Favorable food prices were key for the ease in CPI, reflecting on
Esta desaceleração reflecte essencialmente a descida de one hand, the recovery of agricultural output and on another
preços na classe dos alimentos, derivada por um lado, da hand, the MZAN stability to USD and strong gains to ZAR.
retoma da produção agrícola e por outro lado, de uma relativa The stability in administered prices, including fuels also contrib-
estabilidade cambial do Metical face ao Dólar e fortes ganhos uted to a more stable inflation. These allowed inflation expecta-
contra o Rand. tions to be revised downwards by 1pp to 6.5%.
A manutenção de preços administrados estáveis, incluindo o
Inflação - Moçambique (Moz Inflation)
dos combustíveis também contribuiu para a estabilidade da
20
inflação. Estes desenvolvimentos permitiram rever em baixa Anual (Year on Year)
18
as expectativas de inflação para este ano em 1pp para 6.5%. 16 Média (Average)
14
12
10
%

8
6
4
2
0
Jan-13

Jun-13
Jul-13
May-13
Feb-13
Mar-13
Apr-13
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
2012

The decreasing trend in prices was similar across the 3 cities


were CPI is measured, with Beira recording the lowest annual

44 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


Mercados/Markets STANDARD BANK

inflation of 1.9%, followed by Maputo with 4.95% and Nam-


Inflação anual (Annual inflation) y/y % Moc. Maputo Beira Nam p.
pula, 5.31%.
Alimentos e bebidas nao alcoolicas
5,34 5,53 2,63 6,51
Food and non-alcoholic bev erages Inflacao - Maputo (Maputo Inflation)
Bebidas alcoolicas e tabaco 18
8,73 5,19 10,13 17,55 Anual (Year on Year)
Alcoholic bev erages and tobacco 16
14 Media (Average)
Vestuario e calcado
2,79 2,44 3,69 2,54 12
Clothing and footw ear
10
Habit., agua, electric., gas e out. combustiv eis

%
5,79 4,93 -0,09 9,89 8
Housing, w ater, electricity , gas and other fuels 6
Mobiliario, artigos de decoracao, equipamento 4
2,16 3,46 -0,24 1,69
Furniture, decoration and domestic equipment 2
Saude 0
4,38 5,03 1,79 3,81

Jan-13

Jun-13
Jul-13
May-13
Feb-13
Mar-13
Apr-13
Health

2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
2012
Transportes
4,68 7,38 1,29 1,63
Transport
Comunicacoes
1,37 0,35 -0,22 4,84 Similarly, Beira recorded the lowest average inflation of 2.69%,
Communication
followed by Maputo, 3.32% and Nampula, 3.53%, with expec-
Lazer, recreacao e cultura
-0,15 1,66 0,88 -2,12 tations of an increased trend to projected levels.
Leasure, recreation and culture
Educacao
9,59 11,51 2,70 3,53
Education Money Market
Restaurantes, hoteis, cafes e similares Contrary to market expectations, Central Bank decided to cut by
4,83 3,91 3,88 10,75
Restaurants, hotels, coffe shops and others 25bp (basis points) their reference interest rates at the August
Bens e serv icos div ersos MPC (Monetary Policy Committee) meeting with FPC - overnight
2,77 2,48 0,12 5,56
Other goods and serv ices lending facility interest rate down to 8.75%, and FPD, deposit
Total (variacao anual %/ % annual change) 4,58 4,95 1,90 5,31 facility interest rate down to 1.50%.
Fonte(Source): Instituto Nacional de Estatistica (Nat. Statistics Institute) As inflation outlook improves, another similar cut is likely to
A tendência decrescente da inflação anual foi similar nas occur.
3 cidades onde o IPC é calculado, com a cidade da Beira a During July, Treasury Bill (TB) interest rates increased 13bps
apresentar a menor inflação anual do país, de 1.9%, seguida to 4.94% on the 91 day tenor and 10bps on the 364 days to
de Maputo com 4.95% e Nampula 5.31% a/a. Similarmente, 7.02%, reflecting an adjustment to market prices as local cur-
a média anual em Julho foi de 2.69% na Beira, 3.32% em rency liquidity dries up, an adjustment that started at the begin-
Maputo e 3.53% em Nampula, prevendo-se que continue a ning of the year.
subir para os níveis projectados. Secondary money market remained characterized by rigid inter-
est rates on both sides of the bank’s balance sheets, deposits
Mercado Monetário and loans.
Contrariando as expectativas de mercado, o Banco Central This reflects essentially commercial banks increased “price”
cortou as suas taxas de juro de referência em 25pb (pontos competition for “large” deposits to finance the strong credit ex-
base) em Agosto, após um corte de 50pb em Junho, fixando pansion in a context of a limited liquidity pool in local currency.
em 8.75% a taxa de juro dos empréstimos overnight aos Agregados Monetários & Prime Rate
bancos comerciais, FPC, e em 1.50% a taxa de juro da Monetary Agregates & Prime Rate
30
facilidade de depósito, FPD.
25
A melhoria das perspectivas de inflação muito provavelmente
20
poderá justificar outro corte de magnitude similar.
15
Durante o mês de Julho as taxas de juro dos Bilhetes do
10
Tesouro (BT’s) subiram 13pb a 91 dias para o nível de 4.94%
5
e 10pb a 364 dias para 7.02%, reflectindo a manutenção da
0
correcção para preços de mercado, um ajustamento para cima
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
2012
Jan-13

Jun-13
Mai-13
Fev-13

Abr-13
Mar-13

que se mantém desde o início do ano, em simultâneo com a


redução da liquidez em moeda nacional.
Crédito a Economia (Credit to Economy) y/y%
M3 y/y%
Prime rate %

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 45


Mercados/Markets STANDARD BANK

The restrict enforcement of foreign currency lending regulations


Taxas de Juro (mercado primário) which translates in some cases in conversion of loans from
20 (Primary market interest rates) foreign currency to local currency adds to the Metical liquidity
squeeze.
15
Market average prime lending rate remained stable at 15.4%,
with average lending interest rates up 61bps to 20.17% and
10
%

deposit interest rates down 84bps to 9.34%.


5 Although we expect prime lending interest rates to follow Cen-
tral Banks recent interest rate cuts, average lending and deposit
0 interest rates could move up as margins are likely to reflect the
market current liquidity position.
Ago-13
Jan-13

Jun-13
Jul-13
Fev-13
Mar-13
Abr-13
Mai-13
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
2012

Provisional data reported to June indicates a deceleration of M3


expansion to 21.8%, converging to the targeted levels, however,
FPC BT 91d (TB) FPD private sector credit extension continued to grow strongly at
O mercado monetário secundário continuou caracterizado 27% y/y.
por uma rigidez das taxas de juro de financiamento e de
depósito devido essencialmente a forte concorrência de Foreign Exchange Market
“preço” dos bancos comerciais pela captação dos “grandes” Metical remained relatively stable in July with no m/m change
depósitos para financiar a expansão do crédito, uma situação to the US Dollar, closing at MZN/USD29.85 but losing to the
agravada pelas limitações regulamentares ao financiamento Rand and Euro 1.3% m/m and 1.1% m/m, respectively to clos-
em moeda externa, que nalguns casos resulta na conversão ing levels of MZN/ZAR3.02 and MZN/EUR39.47. At an annual
para Meticais de financiamentos anteriormente denominados basis, the Metical depreciated in July 5.8%y/y and 13.7%y/y to
em moeda externa, pressionando a liquidez em moeda the USD and EUR but gained 12.5% to the Rand.
nacional. Net International Reserves (NIR) balance main-
A prime rate média do mercado manteve-se estável em tained the upward trend for the second consecu-
15.4%, tendo-se verificado um aumento mensal de 61pb tive month in July, after a decreasing trend since the
na taxa de juro média de empréstimos para 20.17% e uma beginning of the year, closing at U$2401.0million.
descida de 84pb na taxa de juro média dos depósitos para Reservas Internacionais vs Cobertura Imp.
9.34% em Julho. (Net International Reserves vs Import Cover)
Dados provisórios indicam que a massa monetária (M3) 3.000 7
mio USD (USD millions)

expandiu 21.8% a/a em Junho, convergindo para os níveis 2.500

Meses (Months)
6
programados, mas com o credito a economia a crescer ainda 2.000
muito acima do previsto, em torno dos 27% a/a. 1.500 5
1.000
Mercado Cambial 4
500
O Metical manteve-se relativamente estável em Julho, com
0 3
uma variação mensal nula face ao Dólar, fechando ao nível de
Jan-13

Jun-13
Jul-13
Fev-13
Mar-13
Abr-13
Mai-13
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
2012

MZN/USD29.85 e perdas de 1.3% m/m e 1.1% m/m contra o


Rand e Euro, para níveis de MZN/ZAR3.02 e MZN/EUR39.47. RIL (NIR) USD
Em termos anuais, o Metical registou em Julho, depreciações
Meses Cob.Import.(Import Cover Months)
de 5.8% a/a e 13.7% a/a face ao USD e EUR e ganhos de
12.5% a/a contra o Rand.
This reflects essentially the inflow of foreign currency (fx) to
As Reservas Internacionais Líquidas (RIL) mantiveram
Government projects ($30.7 million) and disbursement of donor
uma tendência ascendente em Julho, pelo segundo mês
support to Government Budget amounting (U$110.1 million),
consecutivo, contrariando a tendência dos primeiros cinco
allowing for an import cover of 5.6 months by gross reserves,
meses do ano, fechando o mês ao nível de $2401.0 milhões.
adding to the expectations of Metical stability.
Este aumento reflectiu essencialmente entradas de divisas
para projectos do Estado ($30.7 milhões) e desembolsos
Economic Activity
da ajuda externa para apoio ao Orçamento Geral do Estado
As expected, Government revised downwards its real GDP
($110.1 milhões), permitindo uma cobertura de importações
growth projections from 8.4% y/y to 7% this year.
de bens e serviços não factoriais de 5.6 meses pelas reservas

46 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


Mercados/Markets STANDARD BANK

brutas, alimentado assim, perspectivas de estabilidade Despite the downward revision, this level remains robust and
cambial. reflects the expected recovery of post flooding reconstruction,
keeping the country as one of the fastest growing economies in
Actividade Económica Africa, and is projected to accelerate to 8% by 2014.
Tal como esperado, o Governo reviu em baixa a expectativa Nonetheless, these levels remain insufficient to produce mean-
de crescimento para este ano, de 8.4% para 7%, ainda assim, ingful improvements on Human Development Index (HDI),
um nível considerado robusto, que toma em consideração which remains one of the poorest in the world and is criticized
o impacto positivo da reconstrução após cheiras, colocando for not being enough inclusive.
o país entre as economias que mais crescem em África The peace preservation remains key for the country’s prosperity
perspectivando-se uma aceleração para 8% em 2014. but is currently under threat by recent political instability and
Importa referir que este crescimento económico continua reported increased violent crimes in urban areas, which could
insuficiente para causar melhorias significativas no Índice impact negatively on FDI (foreign direct investment) inflows.
de Desenvolvimento Humano (IDH), que continua dos Rovuma basin natural gas world class reserves are likely to
mais baixos do mundo, e tem sido criticado por não ser turn Mozambique into an important LNG (liquefied natural gas)
considerado suficientemente inclusivo. exporter. Financial closure for the funding of the development
A manutenção da paz constitui um importante pilar para of Anadarko and Eni LNG projects is scheduled for 2014 with
a prosperidade do país, recentemente ameaçada pelo initial production expected by 2018/19.
aumento da instabilidade política e pelos relatos de aumento Recently, the world’s natural gas market is being character-
generalizado de crimes violentos nos centros urbanos, o que ized by new important discoveries and the emergence of new
poderá ter um impacto negativo no Investimento Directo potential large producers, including the USA, which could result
Estrangeiro. in a smaller than expected investment in Mozambique’s LNG
As reservas de gás natural da bacia do Rovuma poderão projects.
transformar Moçambique num importante exportador
mundial de gás natural liquefeito (LNG), estando previsto
para o próximo ano, o fecho do pacote financeiro para
o financiamento do desenvolvimento dos projectos de
exploração de gás natural pela Anadarko e Eni, para que a
produção possa ter inicio em 2018/19.
Recentemente, o mercado mundial de gás natural tem-se
caracterizado por importantes descobertas de recurso e pela
potencial entrada de novos grandes produtores, incluindo
os EUA, o que aumenta o risco de ser mobilizado para
Moçambique, um menor investimento do que o inicialmente
previsto.

Nota Disclaimer
Este documento foi preparado com base em informação de fontes que This research report is based on information from sources that Stand-
o Grupo Standard Bank acredita e são confiáveis. Apesar de todo o cui- ard Bank Group believes to be reliable. Whilst every care has been
dado ter sido tomado na elaboração deste documento, nenhum ana- taken in preparing this document, no research analyst or member of
lista ou membro do Grupo Standard Bank fornece qualquer garantia the Standard Bank Group gives any representation, warranty or un-
ou aceita qualquer responsabilidade sobre a informação contida neste dertaking and accepts responsibility or liability as to the accuracy or
documento. Todas as opiniões, previsões e estimativas contidas neste completeness of the information set out in this document. All views,
documento podem ser alteradas após a sua publicação e a qualquer opinions, estimates contained in this document may be changed after
momento, sem aviso prévio. O desempenho histórico não é indicativo publication at any time without notice. Past performance is not indica-
de resultados futuros. Os investimentos e estratégias discutidos aqui tive of future results. The investments and strategies discussed here
podem não ser adequados para todos os investidores ou qualquer gru- may not be suitable for all investors or any particular class of inves-
po particular de investidores. Este documento foi elaborado para efei- tors. This report is intended solely for clients and prospective clients
tos informativos, apenas para clientes do Standard Bank ou potenciais of members of Standard Bank Group and may not be reproduced or
clientes e não deve ser reproduzido ou distribuído a qualquer outra distributed to any other person without the prior consent of a member
pessoa sem o consentimento prévio de um membro do Grupo Standard of the Standard Bank Group. Unauthorized use or disclosure of this
Bank. O uso não autorizado deste documento é estritamente proibido. document is strictly prohibited. By accepting this document, you agree
Ao aceitar este documento, concorda ser guiado pelas limitações que to be bound by the foregoing limitations. Copyright 2013 Standard
existem ou que venham a existir. Copyright 2013 Standard Bank Group. Bank Group. All rights reserved.
Todos os direitos reservados.

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 47


FISCALIDADE PRICEWATERHOUSECOOPERS

Rendimentos de
“A minha relação com a
PWC ajuda-me a criar o
* Carolina Balate

– A Tributação d
valor que procuro”

O
Código de IRPS em vigor adoptou tributação, nos termos do Código do IRPS.
Esta é a promessa que fazemos um conceito bastante abrangente
aos nossos clientes, aos nossos de remuneração, o qual inclui orde- Tipos de remuneração acessória e formas
nados, salários, vencimentos, grati- de tributação
colaboradores e às comunidades
ficações, percentagens, comissões, O Código do IRPS enumera as remunera-
nas quais operamos.
participações, subsídios ou prémios, ções acessórias e a respectiva forma de
senhas de presença, emolumentos, par- tributação. Passamos a descrever de segui-
Oferecemos uma amplitude de ticipações em coimas ou multas e outras da alguns tipos de remuneração acessória
serviços para assessorar os nos- remunerações acessórias, ainda que perió- mais frequentes e a respectiva forma de
sos clientes, nas mais diversas dicas, fixas ou variáveis, de natureza contra- tributação
áreas, para enfrentar desafios e tual ou não. A remuneração é classificada
potenciar o seu desempenho. e tributada como rendimento de trabalho a) Subsídio de alimentação
dependente, nos termos definidos por lei. Este subsídio é geralmente pago aos co-
Local e internacionalmente, a PwC Para além da remuneração, o Código do laboradores, com o objectivo de ajuda-los
trabalha com as maiores orga- IRPS refere ainda que serão consideradas com os encargos de alimentação nos dias
nizações mundiais e com grandes rendimento de trabalho dependente as de trabalho.
empreendedores. remunerações acessórias definidas como No que se refere à forma de tributação
todos os direitos, benefícios ou regalias deste benefício, foi estabelecido um limite
A PwC é uma rede internacional e não incluídos na remuneração principal – o limite do salário mínimo. Assim, ficará
que sejam auferidos devido à prestação de isento de tributação o montante do subsí-
sustentada de prestação de ser-
trabalho ou em conexão com esta e cons- dio de alimentação até o limite do salário
viços de elevado profissionalismo.
tituam para o respectivo beneficiário uma mínimo, o qual irá depender do sector de
vantagem económica. actividade. Contudo, a parte que exceder
Os nossos serviços, entre outros: Nos termos do acima exposto, resulta claro o limite legalmente estabelecido, ficará
que o legislador pretendia tributar, como sujeito à tributação.
Auditoria rendimento de trabalho dependente, toda
e qualquer vantagem económica atribuída b) Utilização de residência paga pela
Consultoria pelo empregador aos seus colaboradores, entidade empregadora
Contabilidade em virtude da relação laboral. No que toca à utilização de residência paga
Fiscalidade Se por um lado o legislador quis tributar as pela entidade empregadora, há três situa-
remunerações acessórias como rendimento ções a considerar, nomeadamente –
de trabalho dependente, por outro lado,
devido à sua natureza, o legislador estabe- ll Atribuição de renda de casa
leceu uma forma diferenciada para a tribu- Nos casos em que a entidade empregadora
tação deste tipo de remuneração. paga ao colaborador um subsídio de renda
PricewaterhouseCoopers Assim, há alguns benefícios que não serão de casa, será considerado como remune-
Pestana Rovuma Hotel, tributados na totalidade, ficando apenas ração acessória a totalidade do valor da
Centro de Escritórios, 5.º andar, sujeito à tributação uma parte do benefício. renda pago, devendo, para efeitos de tri-
A título exemplificativo, temos os abonos butação, ser adicionado à remuneração do
Caixa Postal 796, Maputo, para falha, os subsídios de residência, colaborador, para efeitos de tributação.
Moçambique subsídio de transporte, entre outros. E há
T: (+258) 21 350400, (+258) 21 ainda alguns benefícios em espécie, cujo ll Utilização de casa da empresa locali-
valor monetário deverá ser determinado zada nas instalações da empresa
307615/20, para efeitos de tributação. No caso da utilização, pelo colaborador, de
F: (+258) 21 307621/320299, O presente artigo versa sobre os tipos de casa pertencente à entidade empregadora
E-mail: maputo@mz.pwc.com remunerações acessórias e a sua forma de e desde que esta se localize dentro das ins-
www.pwc.com

48 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


FISCALIDADE PRICEWATERHOUSECOOPERS

sede de IRPS. Portanto, até ao limite de 5%


da remuneração mensal fixa do colabora-
dor beneficiário o subsídio de falha estará

e Trabalho Dependente
isento de tributação, contudo, a parte
excedente deverá ser tributada juntamente
com os restantes rendimentos de trabalho
dependente.

de Remunerações Acessórias
f) Empréstimos
No caso da entidade empregadora conce-
der aos seus colaboradores empréstimos
sem juros ou a taxas de juro reduzidas, o
rendimento em espécie sujeito à tributação
corresponde ao valor obtido da aplicação
ao respectivo capital da diferença entre a
taxa de juro de referência para o tipo de
talações da empresa, o beneficiário ficará sujeito a tributação será obtido com base operação em causa, a qual corresponde,
isento de tributação em sede de IRPS. na seguinte fórmula : 900.000,00 x 0,25% para este efeito, à taxa de redesconto do
x 12. O resultado será o valor do benefício Banco de Moçambique em vigor no início
ll Utilização de casa da empresa locali- que deverá ser adicionado ao salário para de cada ano civil, e a taxa de juro que even-
zada fora nas instalações da empresa efeitos de tributação. tualmente seja suportada pelo beneficiário.
Situação contrária acontece quando é Por outro lado, caso o colaborador adqui-
atribuído ao colaborador uma casa perten- ra a viatura da entidade empregadora, o Nota Final
cente à empresa, quando esta se localiza rendimento sujeito à tributação será o Pelo exposto acima é evidente a neces-
fora das instalações da empresa. Nestas valor correspondente à diferença positiva sidade de se determinar uma forma dife-
situações, já não haverá isenção de tributa- entre o respectivo valor médio de mercado, renciada de tributação das remunerações
ção, devendo o respectivo beneficiário ser considerado pelas associações do sector acessórias, até porque, em certos casos,
tributado pelo benefício. automóvel e o somatório dos rendimentos os benefícios são atribuídos em espécie,
Por se tratar de um benefício em espécie, anuais tributados como rendimentos decor- tornando-se necessário converter e obter
torna-se necessário obter o respectivo rentes da atribuição do uso, com a impor- o respectivo valor monetário, daí a impor-
valor monetário. Para o caso em análise, es- tância paga a título de preço de aquisição. tância de se determinar com clareza as
tabelece o Código do IRPS que o valor a ser fórmulas e formas de tributação de tais
considerado para efeitos de tributação será d) Ajudas de custo pela utilização de rendimentos.
o valor da renda determinado segundo o viatura própria ao serviço da entidade Dado que há alguns limites que ain-
valor do mercado, em condições de concor- empregadora da não estão determinados, dificultando
rência, contudo o referido valor não deverá Outro benefício concedido pelo emprega- desta forma a tributação dos rendimentos
exceder um sexto do total das remunera- dor aos seus colaboradores resulta da atri- em espécie, tal como é o caso do limite
ções auferidas pelo beneficiário. buição de ajudas de custo pela utilização para as ajudas de custo pela utilização de
pelos colaboradores de viaturas próprias viatura própria do trabalhador para fins de
c) Utilização de viatura da entidade ao serviço da entidade empregadora. Ficam trabalho, urge determinarem-se tais limites
empregadora isentos de tributação o valor até ao limite por forma a evitar que a tributação seja a
Outro benefício em espécie resulta da dos quantitativos estabelecidos para os mais ou a menos do que deveria ser se tais
atribuição ao trabalhador, por meio de funcionários do Estado, com remunerações limites já estivessem em vigor.c
documento escrito, do uso ilimitado de fixas equivalentes ou mais aproximadas, e
viatura pertencente à entidade emprega- o valor que exceder tal limite, ficará sujeito
dora. Tendo o uso ilimitado da viatura, o à tributação. Contudo, até a data não são
colaborador passa a usar a viatura conce- conhecidos os limites estabelecidos para Carolina.balate@mz.pwc.com
dida pela entidade empregadora para fins os funcionários públicos, o que torna difícil
profissionais e privados, sendo que todas a tributação deste benefício, uma vez que PricewaterhouseCoopers Legal
as despesas relativas à utilização da viatura ainda não existem limites para efeitos de
PwC
ficam por conta da entidade empregadora. equiparação.
Nestes casos, e por forma a determinar o
Este artigo é de natureza geral e
valor monetário do uso da viatura pelo co- e) Subsídio de falha
laborador, estabelece Código do IRPS que Este subsídio é geralmente atribuído a meramente informativa, não se destinando
constitui rendimento anual do beneficiário funcionários que no desempenho das suas a qualquer entidade ou situação particular,
o valor equivalente a 0,25% do valor de funções, tem de movimentar numerário, e não substitui aconselhamento profissional
aquisição ou de produção da viatura, mul- tal como é o caso dos caixas dos bancos. adequado para um caso concreto. A
tiplicado pelo número de meses de utiliza- Estabelece o Código do IRPS que a parte PricewaterhouseCoopers Legal não se
ção da mesma. Isto significa que se o co- do subsídio de falha que exceder 5% da responsabilizará por qualquer dano ou prejuízo
laborador tiver utilizado uma viatura, cujo remuneração mensal fixa, será considerado emergente de uma decisão tomada (ou deixada
valor de aquisição foi MTN 900.000,00, por rendimento de trabalho dependente e de tomar) com base na informação aqui
um período de 1 ano, o valor do benefício consequentemente, sujeito a tributação em descrita.

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 49


FISCALITY PRICEWATERHOUSECOOPERS

Income from Depen


“A minha relação com a
PWC ajuda-me a criar o
* Carolina Balate

– Taxing of Acce
valor que procuro”

T
he current IRPS Code adopted be determined for tax purposes.
Esta é a promessa que fazemos a new concept of remuneration The current article addresses the type
aos nossos clientes, aos nossos largely inclusive, which consists of accessory remuneration and its tax-
colaboradores e às comunidades on earnings, salaries, wages, ing procedure, in terms of the IRPS
nas quais operamos. gratifications, percentages, com- Code.
missions, participations, subsi-
dies or premiums, attendance tickets, Types of accessory remuneration and
Oferecemos uma amplitude de
emoluments, participations in penalties taxing procedures:
serviços para assessorar os nos-
or fines and other accessory remunera- The IRPS Code outlines the accessory
sos clientes, nas mais diversas tions, even if periodic ones, fixed or remunerations and the due taxing
áreas, para enfrentar desafios e variable ones, contract based or not. method. We hereby describe some of
potenciar o seu desempenho. The remuneration is categorized and the most common types of accessory
taxed as income from dependent work, remuneration as well as its due taxing
Local e internacionalmente, a PwC as ascribed by the law. formula.
trabalha com as maiores orga- Apart from the remuneration, the IRPS
nizações mundiais e com grandes Code further advises that additional a) Food Allowance
empreendedores. income from dependent work also This subsidy is usually paid to workers
entails the accessory remunerations and aimed at supporting them with
A PwC é uma rede internacional e here defined as all the rights, benefits, food costs during working days.
sustentada de prestação de ser- privileges not included in the core As far as the taxing method for this
viços de elevado profissionalismo. remuneration earned as a result of benefit is concerned, a limit was estab-
service provision or in association to lished – the limit of the minimum wage.
Os nossos serviços, entre outros: it, and therefore represent economic Hence, it is exempted from taxing, the
advantage to the beneficiary. amount of the subsidy up to the limit of
In terms of the aforementioned, it’s the minimum wage, which will depend
Auditoria clear that the legislator intended to on the sector of activity. However, the
Consultoria tax – as income from dependent work portion beyond the limit legally estab-
– all and whatever economic advantage lished, is bound to taxing.
Contabilidade
dispensed from the employer to its col-
Fiscalidade laborators in corollary to work relations. b) Residing in house paid for by the
If in one hand the legislator intended employing entity
to tax the accessory remunerations With regards to housing paid for by the
such as income from dependent work, employing entity, there are three situa-
on the other hand, given its nature, the tions to consider, as follows:
PricewaterhouseCoopers legislator also established a differenti-
Pestana Rovuma Hotel, ated way for the taxing this type of ll Provision of rent allowance
remuneration. In cases where the employing entity
Centro de Escritórios, 5.º andar, Hence, there are some benefits that pays the staff member a rent allowance,
Caixa Postal 796, Maputo, may not be taxed in total, and therefore it will be considered as accessory remu-
Moçambique only part of the benefit may be taxed. neration the total amount of the rent
As an example, there are the allow- paid, and therefore for taxing purposes,
T: (+258) 21 350400, (+258) 21
ances for failure, housing allowances, it will be added to the remuneration of
307615/20, transport subsidies, among others. the staff member and taxed wholly.
F: (+258) 21 307621/320299, There are also other in-kind benefits for
E-mail: maputo@mz.pwc.com which the pecuniary value will have to ll Use of company house located in
www.pwc.com

50 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


FISCALITY PRICEWATERHOUSECOOPERS

amount equivalent to 0.25% of the ac- along with the remaining incomes from
quisition or production cost of the vehi- dependent work.
cle, multiplied by the number of months

Dependent Work
the vehicle is used for. This means that f) Loans
if a staff member has used a vehicle for In cases where the employing entity
which the total cost of acquisition was provides loans to the staff members
900,000.00MTn, for a period of one with no interest or then low interest

essory Wages
year, the value of the benefit subject to rates, the in-kind income to be taxed
taxing will be established through the corresponds to the amount obtained
following formula: 900,000.00 X 0.25% from the application of the respective
X 12. The result will be the value of the capital from the difference between the
benefit which will be added to the sal- reference interest rate for such trans-
ary, for taxing purposes. actions, which tallies, for that matter,
On the other hand, in case the staff with the rediscount rate in force at the
member acquires the vehicle from the Bank of Mozambique in the beginning
the company premises employing entity, the income subject to of each civil year, and the interest rate
In case the staff member uses a house taxing will be the amount correspond- which is eventually supported by the
belonging to the employing entity and ing to the positive difference between beneficiary.
as long as it is located in the premises the respective average market cost,
of the company, the beneficiary is ex- established by the associations in the Final Note
empted from taxing, in the light of the motor industry, and the sum up of Given the abovementioned, the need
IRPS Code. the annual incomes taxed as income to determine a differentiated approach
unfolding from the entrustment, along of taxing the accessory remunerations
ll Use of company house located with the amount paid in view of the becomes evident, as in fact, in some
outside the company premises acquisition cost. cases, the benefits are provided in-kind
The contrary situation happens when and thus the need to convert them and
the staff member is allocated a house d) Car allowance for the use of own obtain the respective pecuniary value;
belonging to the company and the vehicle at the service of the employing hence the importance of clearly estab-
house is located outside the company entity lishing the formulas and procedures for
premises. In this situation there will Another benefit offered by the employ- taxing such incomes.
be no taxing exemption and the ben- er to its staff members unfolds from the Given that there are some limitations
eficiary will therefore be taxed for the provision of an allowance for the use which are not yet determined and thus
benefit. of the staff members’ own vehicle for posing difficulty for the taxing of in-
Considering it is an in-kind benefit, it work purposes. The amount up to the kind incomes, as it is the case for the
becomes necessary to establish the limit of the established quantitative for subsidy for the use of own car by the
pecuniary value. In such case, the IRPS public workers is exempted from taxing, staff member towards work related
Code stipulates that the amount to be with fixed remunerations equivalent or purposes, it is urgent that such limita-
considered for taxing purposes will be closely approximated, and the amount tions are established in order to avoid
the rent cost determined according to exceeding such limit will be subject that the taxing is higher or lower than
market rate, under competition circum- to taxing. However, to date, the limits what it should be if the limitations were
stances, yet the referred amount shall established for public workers are not in force..c
not exceed one sixth of the total remu- yet known, which makes it difficult for
nerations earned by the beneficiary. the taxing of this benefit, considering
that there are still no limits for compari-
c) Use of company car son purposes.
Another in-kind benefit unfolds from
the entrustment to the staff member, e) Failure subsidy
through a written document, the unlim- This subsidy is generally allocated to Carolina.balate@mz.pwc.com
ited use of a vehicle belonging to the workers who in the pursuit of their
employing entity. Given the unlimited activities have to handle monies such PricewaterhouseCoopers Legal
use of the vehicle, the staff member as bank tellers. The IRPS Code estab- PwC
uses the vehicle assigned by the com- lishes that the portion of the failure This article is of a general nature and
pany for professional and personal subsidy that exceeds 5% of the fixed purely informative, and not intended
purposes and therefore, all expenses monthly remuneration will be consid- for any particular situation or entity,
associated to the use of the vehicle are ered income from dependent work and and it does not replace professional
incurred by the employer. consequently subject to taxing in terms advice for a particular case. Cool
In these cases, and as means to ascer- of the IRPS. Thus, the failure subsidy is PricewaterhouseCoopers shall not be
tain the money value for the use of the exempted from taxing up to the limit of liable for any damages or loss arising from
vehicle by the staff member, the IRPS 5% of the fixed monthly remuneration a decision made (or lack of) based on the
Code ascribes that the annual income of the beneficiary staff member; how- information herein.
of the beneficiary is constituted by the ever, the surplus portion will be taxed

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 51


Nossos Serviços
PROJECTOS DE COMUNICACÃO
E MARKETING

ELABORAÇÃO DE PARCERIAS
ESTRATÉGICAS

GESTÃO EDITORIAL

EDIÇÃO DE PUBLICAÇÕES
(jornais, revistas, livros, boletins,
brochuras, relatórios, catálogos)

DESIGN GRÁFICO

CONTACTOS COM OS MEDIA


E AGÊNCIAS DE MEIOS

INTERMEDIAÇÃO COM AS GRÁFICAS

DISTRIBUIÇÃO

A informação
que gera Conhecimento!

Av. Mao Tsé Tung Nr. 1245 | Tel. 21303188 | Fax.21303189 | Maputo-Moçambique
UP-GRADE

Economia ainda espera


pela ferrovia Norte-Sul

N
o quadro do fortalecimento da o escoamento da produção agrícola e A área mineira é a que mais constrangi-
frágil rede de infraestruturas dos minerais à escala nacional, além de mentos enfrenta pela insuficiência de
de transportes, o Governo con- galvanizar a área do turismo. vias de escoamento. A linha de Sena tem
cebeu, em 2010, um projecto Na altura, a pertinência do empreendi- uma capacidade inferior a dois milhões
de construção de uma ferrovia mento dividiu opiniões. Alguns empre- de toneladas por ano, muito abaixo dos
que liga o norte ao sul do País, sários defenderam que uma linha férrea planos das mineradoras.
avaliada em quatro biliões de dólares seria menos viável que uma boa rede A brasileira Vale, por exemplo, quer ex-
norte-americanos. de estradas, tanto em termos de custos portar cerca de cinco milhões de tonela-
Em Janeiro de 2011, o ministro dos quanto pela possibilidade de explorar das este ano, quantidades que pretende
Transportes e Comunicações, Paulo zonas do interior com grande potencial elevar gradualmente. Face às dificulda-
Zucula, assegurou que já decorriam agrícola, e que, eventualmente, estariam des, a multinacional já está a construír
estudos de viabilidade para a materiali- distantes da infraestrutura. a linha Moatize-Nacala, passando pelo
zação do empreendimento e que daria Ainda assim, o Governo apostou na ini- Malawi - um empreendimento avaliado
início, no mesmo ano, à elaboração do ciativa e, em finais de 2010, procurava em cerca de 1.7 biliões de dólares norte-
plano espacial e à definição do traçado investidores interessados em financiar -americanos.
da linha férrea Norte-Sul, nos termos do o projecto, contudo ainda não há res- Face às dificuldades, a Rio Tinto tentou
Plano Económico e Social para 2011. postas. persuadir o Governo a introduzir barca-
O Governante avançou, aliás, que a fer- Cauteloso, em nenhum momento Paulo ças no rio Zambeze, decisão rejeitada
rovia ligaria Maputo à cidade de Nacala, Zucula revelou uma eventual data para o por razões ambientais. A empresa tem
em Nampula, e incluíria a construção arranque das obras, pelo que a economia estado a enfrentar momentos difíceis em
de quatro troços para assegurar a liga- vai continuar a ansear pela sua realiza- Moçambique devido à insuficiência de
ção com as principais linhas existentes ção, bem como de outros projectos de transportes, e já pondera desfazer-se de
nas três regiões do país, viabilizando infraestruturas de transporte. parte da sua concessão carbonífera.c

54 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


UP-GRADE

The economy still awaits


for the railway North-South
with enormous agricultural poten-
tial, and that eventually it would be
far away from main infrastructures.
The Government still contended
on the initiative and by the end of
2010, it was looking for investors
interested in financing the project,
for which no responses have been
obtained as yet.
Paulo Zucula, was cautious enough
not to advance any dates for the
possible commencement of con-
struction works and the economy
is yet to await for its execution as
well as for other projects for trans-
port infrastructures.
The mining sector is the one facing
more constraints due to the insuf-
ficiency of outflow infrastructures.
The Sena line has a capacity two
million tons short, per year, which
is way below the plan of the mining
companies.

I
The Brazilian Vale, for instance,
n light of the reinforcement Economic and Social Plan 2011. would want to export five million
of the fragile transport infra- The Government hinted, in fact, that tons this year and intended to
structure network, the Govern- the railway would connect Maputo gradually increment this capacity.
ment has conceived, in 2010, to the city of Nacala, in Nampula, Given the difficulty, the multi-
a project for the construction and would include the construction national is already building the
of a railway that connects the of four transshipments to secure Moatize-Nacala line, going through
North of the country to the South, the connection with the main lines Malawi – an undertaking estimated
estimated in four billion American in place on the three regions of the at 1,7 billion American dollars.
dollars. country, thus enabling the outflow In light of the challenges, Rio
In January 2011, the Minister of of agricultural produce and miner- Tinto attempted to persuade the
Transports and Communications, als at national scale, apart from also Government to introduce barges
Paulo Zucula, assured that assess- galvanizing the tourism industry. in the Zambeze River, and this was
ment studies were on track for the At that moment, the relevance of declined due to environmental
materialization of the undertaking, the undertaking divided opinions. concerns. The company has been
and still in the same year, the elab- Some businessmen argued that a enduring difficult moments in
oration of the space plan would railway would be less viable than Mozambique due to the paucity of
kick start, as well as the establish- a network of good roads, both in transportation and may possibly
ment of the delineation of the terms of cost as well as the op- let go of its carboniferous conces-
North-South railway, in terms of the portunity to explore the hinterland sion. c

56 AGOSTO 2013 · Capital Magazine


Restaurante
e Serviço de Catering

Organizamos
eventos
os seguintes evento

maclasse”
licid ade ve Banquete
Banquetes
“D a simp Conferência
Conferências
Cocktail
Cocktails
Pequenos almoços
Coffee Breaks
Celebrações(Casamentos,
aniversários, etc.)

Tel.: +258 21 303449


Fax: +258 21 303450
Rua Ngungunhane nº 56 r/c
Afrin Prestige Hotel
Metade do crescimento
económico mundial até 2017
ocorrerá nos países emer-
gentes, com 40% a partir da
Ásia - África e América Latina
representam ainda menos
de ¼ desse valor, com re-
De acordo com um relatório apresentado pela Accenture flexo nos fluxos mundiais de
comércio e de investimento;

América Latina, Europa


e África necessitam de acelerar
as condições de concretização
de um efectivo T“ riângulo Estratégico”

S
ob o título Triângulo Estraté- de 10% do crescimento mundial. re, responsável pela área de Estratégia
gico: América Latina - Europa Quando examinados os fluxos comer- em Portugal, Angola e Moçambique.
- África: Realidade e potencial ciais, de investimento e de aquisições, De acordo com as conclusões deste
de expansão, a Accenture constata-se que a Ásia continuará a ser relatório, existem razões de optimis-
analisou o potencial eco- indiscutivelmente o motor de cresci- mo numa perspectiva integrada de
nómico e geoestratégico do mento. três geografias complementares,
triângulo composto pelas áreas refe- “Evoluir no sentido de um Triângulo constituindo um mercado de dimen-
ridas, de modo a suportar um debate Estratégico é reconhecer a necessidade são relevante e equilibrado: Capital
actual, alargado e multidisciplinar nas de conquistar competitividade num Humano - o Triângulo apresenta um
dimensões política, social, académica mundo multipolar, equilibrando um claro potencial demográfico, contando
e cultural. Apesar do entusiasmo sobre sistema em que o eixo do Pacífico, lide- com 38% da população jovem e 32%
vários projectos nas geografias sul- rado pela China, ganha um peso deter- da população activa mundial (em que
-americanas e africanas, estas áreas minante. Competir exige uma dinâmica a pirâmide integrada das regiões é
representam menos de ¼ da dimen- mais complexa, que conduza a uma equilibrada). Ou seja, elementos gera-
são económica da Ásia e, até 2050, nova normalidade, defende Luís Pedro dores de novos mercados de consumo
estima-se que contribuam com menos Duarte, managing director da Accentu- e trabalho, onde deve ser reconhecido

58 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


GESTÃO ESTRATÉGICA

1 - África e LATAM apresentam um potencial que deve ser considerado em perspectiva

=1x
40% 10%
Ásia 9x
África e 3x
LATAM

Na veloci crescimento económico mundial até Na dimensão de base: economia asiática = 3x LATAM e 9x África
2017 ocorrerá nos países emergentes, com 40% a partir da
Ásia; África e LATAM representam menos se valor

que os temas da saúde e educação rais pode tomar uma forma mais cé- de um triângulo estratégico, que
serão sujeitos à pressão adicional cau- lere nas empresas, sobretudo naquelas constituem mercados de dimensão
sada pelo movimento de urbanização. que reconhecem a vantagem de incor- relevante e equilibrado. No entanto,
“Recursos Naturais - América Latina porar a multipolaridade - neste caso, aproveitamento de alguns dos facto-
e África assumem um papel determi- dos três vértices do triângulo - no dese- res competitivos, como o dividendo
nante nesta variável, tornando o eixo nho do seu modelo operativo ao longo demográfico ou poder das marcas
emergente do Triângulo incontornável, de várias localizações ou na diversifi- ocidentais, subsistirá apenas numa
onde existem mais de 1/4 das reser- cação de risco do seu portfolio de ne- janela temporal limitada, sugerindo
vas de petróleo, 50% da água potável gócios, em mercados com maturidades um sentido de urgência nas transfor-
e 50% da terra arável não explorada e ciclos distintos. E, nessa perspectiva, mações necessárias.
no mundo. “Proximidade Cultural são frequentemente as multinacionais Este relatório é parte integrante do
- aspecto mais importante e menos de origem em países emergentes que posicionamento estratégico da Ac-
replicável do Triângulo Estratégico, apresentam casos de referência, refere centure enquanto parceiro para a
devido à interligação histórica, sobre- ainda o responsável. Essas organiza- internacionalização das organizações,
tudo através da Europa. Se promovido ções conseguem capitalizar as vanta- sustentado num programa de longo
efectivamente, pode constituir um gens competitivas do seu conhecimen- prazo para a pesquisa e estudo sobre
factor de vantagem competitiva face to local, flexibilidade na adaptação, a globalização das economias. Os con-
a outras áreas económicas (eg. uma apresentam um maior conforto com o teúdos apresentados baseiam-se na
antiga relação histórica e uma língua risco e estratégias de alcance de novos revisão e sistematização de dezenas
comum potenciam o comércio em mais segmentos da procura, por exemplo, as de estudos, a partir da investigação
de 900% e mais de 200%, respecti- bases-da-pirâmide. e experiência nos mercados locais,
vamente, factores significativamente Ao longo das cadeias de valor, do realizados de forma autónoma ou em
mais impactantes do que a distância financiamento à inovação, estas orga- continuidade com organizações inter-
geográfica). nizações começam a explorar comple- nacionais como o Fórum Económico
“A materialização de relações trilate- mentaridade entre as três geografias Mundial.c

Factores competitivos do Triângulo Estratégico


30% jovem Forte interdependência
+90% das exportações
da LATAM para a China
foram produtos

Com 30% da população activa 1/4 primários, nos quais se


incluem produtos
mundial e jovem, a pirâmide
alimentares importados
demográfica conjunta é equilibrada,
pelo país asiático
devendo ser reconhecidos os temas
de saúde, educação e urbanismo

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 59


Half the world economic
growth until 2017 will take
place in emerging countries,
with 40% coming from Asia
– Africa and Latin America
still represent less than ¼ of
that amount, with reflex in
the world flows of commerce
and investment;

According to the report presented by Accenture

Latin America, Europe and Africa


need to accelerate the conditions
for the materialization of an
effective “Strategic Triangle”
Commercial flows of merchandise from Europe, Africa and Latin America (2008-2011) in US$ Millions

8% 3%
7%
7% 3%
9% 6%

2% Exp. 23.706
13% 3%
7%
Imp.6%
24.566
2%
72%
13%
69%
2%

69%
7% 12%
18%
6% 3% Exp. 2.044
Europe 19%
37%

25% 23% 10% 13%


Exp. 2.385 3% 7%
3% 3%
Latin America 26%
16%
Imp. 1.839
28%
21%
27% 39%
Imp. 2.355
Africa 27%
4%
24%

Asia

North America

Others

Source: WTO e Accenture Analisis

U
nder the title “Strategic support the current expanded and and up to 2050 it is estimated that
Triangle: Latin America – multidisciplinary debate, in the po- they contribute with less than 10%
Europe – Africa: Reality litical, social, academical and cultural of the world growth. When we exam-
and expansion potential”, dimensions. Despite the enthusiasm ine the commercial flows of invest-
the Accenture analysed the over various projects in the South ment and acquisitions, the findings
economic and geostrategic American and African geographies, are that Asia will unquestionably
potential of the triangle composed these regions represent less than ¼ remain the engine of growth.
by the referred regions, in order to of the economic dimension of Asia, “Evolve in the spirit of a Strategic

60 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


MANAGEMENT STRATEGIC

Proximity” – most important aspect bility in the adaptation, present more


and less replicable in the Strategic comfort with the risk and strategies
Triangle, due to the Historic Integra- to attain new segments of the search,
tion, particularly through Europe. If for example, the “pyramid-bases”.
promoted effectively, it may consti- Along the value chains of the financ-
tute a factor of competitive advan- ing to innovation, these organisations
tage given the other economic areas start to explore complementarities
(i.e. an old historic relationship and between the three geographies of a
a common language potentiate com- strategic triangle, which constitute
merce in more than 900% and more balanced markets of relevant dimen-
than 200%, respectively; factors sions. Meanwhile, taking advantage
significantly more impacting than the of some of the competitive factors,
geographic distance). such as the “demographic dividend”
Triangle is to acknowledge the need “The materialization of the trilateral or the force of occidental brands, will
to conquer competitiveness in a relations may take a more expedi- only substitute in a limited temporal
multipolar world, thus balancing a tious form among enterprises, par- window, suggesting a sense of urgen-
system where the Pacific axle, led by ticularly among those that acknowl- cy in the necessary transformations.
China, amasses a determining weight. edge the advantage of incorporating This report is part and parcel of the
Competing requires a more complex the multi-polarity – in this case, of strategic positioning of Accenture
dynamic which leads to a new nor- the three vertices of the triangle – in while being a partner for the inter-
mality”, argues Luis Pedro Duarte, the design of their operative model nationalization of organizations,
the managing director of Accenture; along the various locations or in the sustained in a long term programme
responsible for the area of strategy in diversification of risk of their busi- for the research and study of the
Portugal, Angola and Mozambique. ness portfolio in markets with dis- globalization of the economies. The
According to the conclusions of this tinct maturities and cycles. Therefore, presented contents are based on the
report, there are reasons for opti- in that perspective, it is frequently review and systematization of dozens
mism in an integrated perspective the multinationals with origin in of studies with basis on investiga-
of three complementing geogra- emerging countries which represent tion and experience in local markets,
phies, thus constituting a balanced reference cases”, the director further carried out in an autonomous form,
market of relevant dimension: “Hu- utters. These organizations manage or in continuity with the international
man Capital” – the triangle presents to capitalize the competitive advan- organizations such as the World Eco-
a clear demographic potential, count- tages of their local knowledge, flexi- nomic Forum.c
ing with 38% of young population
and 32% of the active world popu- Importance of china in the exportation of commodities from African and Latin America countries
lation (on which the regions’ inte-
grated pyramid is balanced). In other
words, generating elements of new
markets of consumption and labour,
where there has to be recognition
that the issues of health and educa- China

tion will be subject to additional


Mali Chad
pressure caused by the movement Burkina Faso Sudão
Nigeria
of urbanization. “Human Resources” Ghana
Gabão
– Latin America and Africa take on Congo R.D. Congo
Angola
Perú Brasil
a determining role in this variable, Bolívia

making the emerging axle of the África do Sul

triangle inescapable, where ¼ of the Chile

world’s oil reserves, 50% of potable Argentina

water and 50% of non-exploited 82%


Metals Soybean Cotton Petrol

arable land are located. “Cultural


Source: ITC Deutsch Bank Research e Accenture Analisis

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 61


EMPREENDER

Ajudar Moçambique a pedalar


sentando uma alternativa à falta de
transporte público.
Segundo o sócio-gerente da Mozam-
bikes, Rui Mesquita, as bicicletas são
vendidas a um preço abaixo do que
é praticado no mercado, sendo que
os compradores, das zonas rurais,
passam por uma selecção, na qual
o mais necessitado é que deve ficar
com a bicicleta.
“A bicicleta é um meio de transporte
indispensável e de grande valor para
muitas famílias rurais, em Moçam-
bique. A Mozambikes foi criada para
encurtar a distância e o tempo que
muitos percorrem quando vão à ma-
chamba, ao trabalho, assim como
as viagens para a escola e unidades
sanitárias. Enfim, queremos que a vida
seja mais facilitada”, explicou Rui
Mesquita.

Bicicletas
customizadas
sustentam projecto

A
Como forma de tornar sustentável
Mozambikes nasceu há três com a participação de moçambica- o projecto de venda de bicicletas
anos e já distribuiu bicicletas nos. Cerca de 10 nacionais montam e adaptadas às condições das zonas
em todas as províncias de pintam bicicletas nas oficinas da Mo- rurais, a Mozambikes conta com uma
Moçambique. Trata-se de uma zambikes. Este número de trabalha- linha de montagem de bicicletas cor-
empresa social, que viabiliza dores, de acordo com as projecções porativas ou customizadas, a partir
o objectivo de ajudar os mo- da companhia, deverá duplicar até ao da qual os lucros resultantes servem
çambicanos a pedalar, juntando-se a fim deste ano, na medida em que há para financiar a distribuição de bici-
outras empresas do género que actu- cada vez mais encomendas por parte cletas em diversos pontos do país.
am no país. de empresas e particulares. Cerca de 50 empresas moçambica-
Segundo a “Capital” apurou, a filo- O negócio é simples. A Mozambikes nas aderiram à iniciativa das bicicle-
sofia adoptada passa por ir buscar importa componentes de bicicletas, tas customizadas da Mozambikes,
aos que têm e dar aos que mais ne- na sua maioria da China, e, nas suas tendo pouco mais de 80% das 1.200
cessitam. A empresa resulta de uma oficinas, localizadas na cidade da bicicletas, já disponibilizadas, sido
ideia de dois cidadãos estrangeiros, Matola, faz a montagem adaptada adquiridas por empresas que atri-
que viram o sofrimento passado por às condições de transitabilidade das buíram, posteriormente, aos seus
muitos residentes nas zonas rurais, zonas rurais, para posterior venda das colaboradores e clientes, no âmbito
quando têm de se deslocar de um bicicletas. Nas zonas recônditas, so- das suas acções de responsabilidade
ponto para o outro. bretudo a do Norte, a bicicleta ainda social.c
Hoje, o empreendimento já conta é um objecto de grande valor, repre-

62 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


ENTREPRENEURSHIP
Perspective COAL

Help Mozambique to Pedal

T
he Mozambikes came to be three are still an item of enormous value, re- 1,200 bicycles already made available and
years ago and has distributed presenting an alternative to the lack of acquired by companies which further allo-
bicycles in all provinces of Mo- public transport. cated to their laborers and clients, in light
zambique. It is about a social According to the managing shareholder of of their social responsibility actions.
company which enables the ob- Mozambikes, Rui Mesquita, the bicycles According to Mesquita, the Mozambikes
jective of helping Mozambicans are sold at a lower price than what is makes a point to explain to the compa-
to pedal, and thus joining other similar practiced in the market, where the buyers, nies that the customized bicycles don’t
companies operating in the country. from rural areas, go through a selection only help the awarded collaborators and
As per the findings from “Capital”, the process in which the main requirement is clients, but are also a strong vehicle for ad-
adopted philosophy entails collecting that they stay with the bicycle. vertisement as being a means of transport
from those who have and give to those “The bicycle is an indispensable means of which circulate in regions where newspa-
who need the most. The company unfolds transport and of great value for many rural pers, magazines and radio and television
from an idea of two foreign citizens who families in Mozambique. The Mozambikes signals don’t reach.
witnessed the challenges faced by many was created to shorten the distance and Despite showing special attention to the
residents of rural areas whenever they time that many travel whenever going to rural areas, the Mozambikes intends throu-
have to move from one point to another. the crop-fields, to work as well as the trips gh their project, to seize interest of resi-
Today, the undertaking already counts to school and health centers. In short, we dents in the cities, showing that besides
with the participation of Mozambicans. want that life is made easier”, explained being healthy, bicycles are environmen-
Around ten nationals assemble and paint Rui Mesquita. tally sustainable compared to motorized
bicycles in Mozambikes workshops. This vehicles.
number of workers, according to the Customized bicycles “People use cars for all situations, even to
company’s projections, will duplicate un- travel short distances, thus polluting the air
sustain the project
til the end of the current year considering and increasing even more the congestion of
As means of ensuring the sustainability
that there are more and more orders from roads. For instance, during weekends, city
of the project for the sale of bicycles
companies and individuals. residents could well opt in riding a bicycle.
adapted to the rural areas’ conditions, the
The business is simple. Mozambikes They would save on fuel and would be
Mozambikes counts with an assembly line
imports components of bicycles, mainly green”, emphasized Rui Mesquita.
of corporative and customized bicycles,
from China and in their workshops loca- At the moment, the Mozambikes is assem-
from where the profits serve to finance the
ted in the city of Matola, carries out the bling and customizing 2,400 bicycles alre-
distribution of bicycles in various points of
assembling adapted to the transitability ady ordered by companies and individuals.
the country.
conditions of the rural areas, towards The idea of the company is to until 2014,
Around 50 Mozambican companies adhe-
further selling of bicycles. In the remote have distributed five thousandbicycles in
red to the initiative of customized bicycles,
areas, particularly in the North, bicycles the whole national territory.c
having slightly more than 80% of the

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 63


Índico, o seguro que
nasceu da velha experiência

A
empresa Índico Seguros princípios estabelecidos no QC100 dos princípios do Business Initiative
completou, a 1 de Setem- TQM model (modelo de Gestão de Directions (BID).
bro deste ano, dois anos de Qualidade Total). O segundo prémio foi atribuído em
actuação no mercado mo- Mas a distinção francesa não Julho pela Sociedade Europeia de
çambicano. Apesar do pouco contribuiu para acomodar a empre- Pesquisa de Qualidade (ESQRS) e
tempo, a experiência que a sa. Pelo contrário, impulsionou a recebido em Londres, onde a Índico
seguradora oferece, trazida pelos mesma a ambicionar desafios ainda Seguros venceu na Categoria de
seus colaboradores, é secular. Com- maiores. Desafios que foram alcan- Ouro. Para a distinção contou funda-
prova a existência deste know-how, çados na íntegra, atendendo a que mentalmente a elevada performance
as prestigiosas distinções interna- nos primeiros sete meses de 2013 da empresa na gestão de qualidade
cionais arrecadadas em dois anos a Índico Seguros foi distinguida com e desenvolvimento de soluções.
consecutivos. mais dois prémios. Este trajecto coloca a Índico Segu-
Em 2012, em Paris, a Índico Segu- O primeiro prémio foi o “Platinum ros bem focada no seu objectivo: A
ros arrebatou o prémio Gold Star Award For Excelence and Business liderança do mercado moçambicano,
For Quality em reconhecimento da Prestige” atribuído em Nova Iorque, em termos de protecção financeira,
qualidade e excelência, inovação e em reconhecimento da sua qualida- que no fundo é a sua principal acti-
tecnologia e em cumprimento dos de, que resulta da implementação vidade. c

64 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


PANORAMA

TEXTO
Yves Gounin *

Onde está
a Françáfrica?

A
França sempre manteve com brancos” da Costa do Marfim e do outros. Mas porque se assiste em
África e nomeadamente com Zaire). França a uma mudança de geração. Os
as suas antigas colónias da U
  m homem simbolizou a Françáfrica Antigos, amarrados à preservação de
África Ocidental e da África durante muito tempo: Jacques Foc- uma relação peculiar entre a França
Central uma relação muito cart que exerceu, junto ao General e a África, estão a ceder lugar aos
particular. Há quem preze tal de Gaulle e aos seus sucessores, as Modernos, que desejam normalizar
relação; há quem a deplore. É curioso funções ocultas de “Senhor África” essa relação. Os primeiros focavam-
constatar que aqueles tenham encon- na Presidência da República. Jacques -se nas antigas colónias francesas. Os
trado um neologismo para caracterizar Foccart trabalhou com presidentes segundos, geralmente mais jovens,
de direita. Mas a esquerda também falam línguas estrangeiras, integraram
esta simbiose cujo significado estes
recorreu às mesmas práticas. Eleito a dimensão européia da diplomacia
últimos desviaram. Com efeito, a pala-
em 1981, François Mitterrand, após ter e encontram-se mais abertos à África
vra Françáfrica foi inventada por Félix
feito campanha pelo fim da Françáfri- anglófona e lusófona.
Houphouët-Boigny nos anos 50 para
ca, rapidamente relançou o “foccartis- A
  evolução não será feita num dia.
exaltar as excelentes relações entre a
mo”, confiando ao seu próprio filho as Verificar-se-ão avanços mediatizados
metrópole e as suas colónias. Foi ape- (como a viagem de François Hollande
funções de “Senhor África”.
nas nos anos 90 que a palavra mudou S  arkozy reproduziu o mesmo esque- à Etiópia, em Maio último) e recuos
de sentido, passando a caracterizar ma. Também preconizou durante a crassos (como o encerramento estúpi-
relações marcadas por um forte passi- sua campanha o fim da Françáfrica; do da missão económica francesa de
vo feito de tramóias e de intervenções ora ele também manteve uma rela- Maputo). Mas, a mais ou menos longo
político-militares. Este termo resumia ção excessivamente personalizada e prazo, ela será inevitável.
as ingerências excessivas da França pouco transparente com a “coutada”  
na política interna das suas antigas francesa, através da personalidade (*) Antigo aluno da Sciences-Po Paris
colónias: intervenções militares para controversa de Robert Bourgi. e da ENA, Yves Gounin é Conselheiro
defender um regime desacreditado E   quanto a François Hollande? Como de Estado em França. Assessor Jurídi-
(como nas Ilhas Comores com Bob os seus predecessores, prometeu co do Presidente do Senegal de 2006
Denard), relações financeiras opacas normalizar a relação franco-africana. a 2009, é autor do livro La France en
(os diamantes de Bokassa), desvio de Apostamos que o vai conseguir. Não Afrique (ed. De Boeck, 2009).c
verba da ajuda pública (os “elefantes porque seja mais virtuoso que os

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 65


PANORAMA

TEXT
Yves Gounin *

Where is
the FranceAfrica?
F
rance has always maintained lowing his predecessors, he promised
a very specific relationship to normalize the Franch-African rela-
with Africa, and namely with tions. We take the bet that he will
its former colonies in West succeed. Not because he is more
and Central Africa. There are virtuous than the others but because
those who like it and those France is experiencing a genera-
who deplore it. It is rather interest- tion change. The Ancients, who are
ing to note that the former created a attached to the perpetuation of a
neologism to characterize this sym- peculiar relationship between France
and Africa, are giving way to the
biosis and that the latter altered the
Moderns, who are eager to normalize
meaning of this new term. The word
such relationship. The former were
Françafrique was in fact invented by
focused on the former French colo-
Félix Houphouët-Boigny in the 50s, in
nies. The latter, generally younger,
order to exalt the excellent relations
speak foreign languages, have
between France and its colonies. It embraced the European dimension
was only in the 90s when the word of diplomacy and are more gladly
gained a new meaning, and started open to Anglophone and Lusophone
referring to conditioned relations Africa.
with a heavy set of liabilities made at the French Presidency. Jacques
 The transition will not be achieved in
resulting from racketeering and black Foccart worked with conservative
a day. There will be notable broad-
presidents. However, the socialists
operations. This term summarised casted progress (such as François
also used similar methods. Elected
France’s excessive interference in Hollande’s trip to Ethiopia last March)
in 1981, after campaigning in favour
its former colonies’ internal poli- as well as appaling steps back (such
of the end of the Françafrique, Fran-
tics: military operations to defend a as the stupid shutdown of the French
çois Mitterrand promptly revived the
discredited regime (like Bob Denard’s economic mission in Maputo). None-
“Foccartism” by appointing his own
in the Comoros), dodgy financial rela- theless, with time, it will become
son as his “Mr. Africa”.
tions (Bokassa’s diamonds), massive inevitable.
 Sarkozy recreated the same model.
misappropriation of official develop- He also campaigned in favour of the
ment assistance funds (Ivory Coast’s (*) A Sciences-Po Paris and ENA alum-
end of the Françafrique practices;
and Zaire’s “white elephants”).
 nus, Yves Gounin is a French Councillor
he also maintained an excessively
For a long time, one man symbolized of State, who served between 2006 and
personalized and poorly transparent
the Françafrique: Jacques Foccart 2009 as the President of Senegal’s Le-
relationship with the French “turf”
who served as general de Gaulle’s gal Advisor. He is the author of La Fran-
with the assistance of so controver-
“Mr. Africa” and was confirmed by his ce en Afrique, De Boeck ed., 2009.c
sial an individual as Robert Bourgi.
successors in this obscure position  How about François Hollande? Fol-

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 67


PLATAFORMA EMPRESARIAL

Janela única
o que os consumidores e
não apenas os produtores
devem saber

E
m geral, o sector privado saú- serviços para os consumidores locais,
da o novo sistema aduaneiro tornando as produções e exporta-
Janela Única (JU) que irá, ao ções não competitivas.
longo do tempo, aumentar a O Diploma Ministerial 25/2012,
transparência, a velocidade de 12 de Março, estabelece taxas
e a flexibilidade nos procedi- até 0,85% do valor FOB (Free on
mentos de desembaraço aduaneiro. Board) para importações acima de
No entanto, o custo do uso da JU tem 50.000,00 USD, que são pagas pelos
sido suportado pelas empresas, em utilizadores da JU. É evidente que há
vez da Administração Pública, o que uma necessidade de gerar receitas
pode provocar uma subida nos pre- para o Estado. O aumento das taxas
ços do consumidor. existentes, ou a aprovação de novas
Um relatório encomendado pela que são propostas, vai ter, provavel-
ACIS que avalia o JU desde o seu mente, um efeito adverso sobre o
lançamento, há um ano, indica que desenvolvimento da economia. Ao
as taxas cobradas para o seu uso não longo do tempo, isto pode corroer a absorver aumentos de preços.
são os únicos custos que as empre- base fiscal, complicando a actividade Os produtores locais nos sectores
sas suportam. Há muitos outros cus- de produtores e exportadores locais. da agricultura e da indústria fabril
tos «ocultos», tais como as taxas de Pode, também, aumentar os custos vão verificar que os preços dos seus
inspecção não-intrusiva (scanning), dos consumidores, alargando a in- inputs aumentam juntamente com o
que são cobradas ainda que um formalidade e exacerbando factores custo de levar os seus bens aos mer-
contentor não seja inspeccionado, e desestabilizadores na sociedade e na cados, retirando competitividade à
as taxas para as inúmeras licenças e economia. produção local.
procedimentos que a empresa preci- É provável que os pequenos Somos da opinião que estes au-
sa para operar. importadores e transportadores mentos não servem o objectivo de
A ACIS está profundamente preocu- locais descubram que os seus garantir que os consumidores locais
pada com os aumentos recentes de negócios ficaram mais difíceis na tenham acesso a comida, transportes,
muitas taxas e encargos impostos sequência do aumento dos custos, etc., a preços acessíveis, nem estimu-
pelos diferentes órgãos governamen- que deverão reflectir-se no preços lam a produção local, para que, com
tais, que terão o efeito combinado de dos consumidores. Isto, num mer- a passagem do tempo, se assegure a
um aumento dos preços dos bens e cado com capacidade limitada para substituição das importações.c

68 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


ENTREPRENEURIAL PLATFORM

Why consumers not just


producers should know
about Janela Única

I
n general the private sector wel- Ministerial Diploma 25/2012 of 12th Small local importers and transport-
comes the new Janela Única cus- March establishes ad valorem fees ers are likely to find their business
toms system which will, over time, of up to 0.85% of the FOB (“Free more difficult as a result of rising
increase speed, transparency and on Board”) value for imports over costs which will be reflected in an
flexibility in customs clearance US$50,000 payable by users of the increase in prices to consumers. This
procedures. However, the cost of Janela Única. Clearly there is a need takes place in a market with limited
using the Janela Única is carried by to generate revenue for the State, ability to absorb price rises.
business rather than public adminis- and broadening the fiscal base and Local producers in the agriculture
tration, which ultimately will trigger a promoting private sector growth and manufacturing sectors will find
hike in consumer prices. are essential. However increased the cost of their inputs increasing
A report commissioned by ACIS to fees and charges which have been along with the cost of getting their
evaluate the Janela Única system made or are proposed will without goods to market, thus making local
from its launch a year ago indicates doubt have an adverse effect on the production uncompetitive.
that the fees charged for using the development of the economy, and Therefore, in our opinion, these in-
Janela Única are not the only costs will in fact over time erode the fiscal creases in fact serve neither the pur-
to business. There are many other base by making it more difficult for pose of ensuring that local consum-
“hidden” costs of doing business, local producers and exporters, while ers have access to affordable food,
such as scanning fees, which are at the same time increasing costs to transport and so on, nor of stimulat-
charged whether or not a container consumers and thus increasing infor- ing local production to ensure import
is scanned, and fees for the myriad mality and exacerbating destabilizing substitution over time.c
licenses and procedures which busi- factors in society and the economy
ness needs in order to operate. as a whole.

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 69


PERSPECTIVA . Banca

Banco Único tem o melhor


Internet Banking de Moçambique
Depois do Presidente do Conselho de Administração e CEO do Banco Único, João
Figueiredo, ter sido distinguido recentemente como o melhor CEO do sector
financeiro em África pela prestigiada revista African Banker, o Banco Único é agora
eleito como o Banco com o melhor site e serviço de Internet Banking em Moçambique
pela publicação Global Finance.

derado pela prestigiada seu número de balcões e posicionar-


revista The Banker como -se entre os maiores e mais antigos
um dos 13 bancos mais bancos a actuar em Moçambique.
promissores do mundo, Neste momento, o Nedbank, um dos
ter visto o seu presidente maiores bancos sul africanos, aguar-
do Conselho de Adminis- da apenas o parecer das autoridades
tração e CEO eleito pela sul-africanas e moçambicanas para
revista African Banker concretizar a aquisição de 36.4% do
como o melhor CEO de capital do Único.
África, o Banco é agora
distinguido com este pré- Um banco com
mio pela sua forte estraté-
vocação de retalho
gia de serviço on-line aos
O Banco Único é um banco universal
seus clientes, pelas fun-
com forte vocação de retalho, diri-
cionalidades e pelo vasto
gido a todos os clientes empresas
leque de produtos on-line
e particulares que valorizam um
e pelo excelente design
serviço de qualidade, personalizado
do seu website.
e distinto. A sua aposta decorre na
O Banco Único, sedeado
oferta de um serviço próximo, íntimo
em Moçambique, é um
e disponível, em que a excelência e o
banco universal, com
perfeccionismo assentam numa base
forte vocação de retalho,
de extrema confiança pessoal entre o
inaugurado há menos de
cliente e o banco.
2 anos, a 30 de Agosto de
Com 13 balcões, 9 na cidade de
2011. Liderado por João
Maputo, 1 na cidade da Matola, 1 na

O
Figueiredo e contando
cidade da Beira, 1 na cidade de Tete
Banco Único foi distinguido com accionistas portugue-
e 1 na cidade de Nampula, o Banco
pela prestigiada revista Glo- ses e moçambicanos de referência,
Único nasceu com a ambição de, a
bal Finance com os prémios como Américo Amorim, o Grupo Vi-
médio prazo, se posicionar entre os
de melhor site e serviço de sabeira, o Instituto Nacional de Segu-
bancos de referência no País e contar
Internet Banking para Parti- rança Social, a Rural Consult, a DHD
com a presença em todas as provín-
culares e para Empresas em e a SF Holding, o Banco Único conse-
cias.c
Moçambique. Após ter sido consi- guiu desde a sua abertura triplicar o

70 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine


Perspective . Banking

Bank Único has the


with this prize for its strong strategy
of online service to its clients, based
on the functionalities and the vast

best Internet Banking


array of online products as well as
the excellent design of the website.
The Bank Único, based in Mozam-

of Mozambique bique, is a universal bank with strong


retail vocation, inaugurated in less
than two years, on the 30th of Au-
gust 2011. Led by João Figueiredo
and counting with Portuguese and
After the president of the board of directors and CEO of Mozambican shareholders of note
the Bank Único, João Figueiredo, had been distinguished such as Américo Amorim, the Visa-
recently as the best CEO in the financial sector in Africa, beira Group, the National Institute
of Social Security, the Rural Consult,
by the prestigious magazine African Banker, the bank the DHD and the SF Holding, the
Único is now elected the bank with the best site of Bank Único managed to triple its
internet banking service in Mozambique, by the Global number of branches since its launch
and position itself amidst the big-
Finance publication. gest and oldest banks operating in
Mozambique. At the moment, the
Nedbank, one of the largest South
African banks, merely awaits for the
dispatch from the South African and
Mozambican authorities to material-
ize the acquisition of 36.4% of the
Único’s capital.

A bank with a
vocation for retail
The Bank Único is a universal bank
with a strong vocation for retail,
oriented to all clients - companies
and individuals that value a quality
service, personalized and distinct.
Its wage unfolds from the offer for a
close service, intimate and available,
where the excellence and perfection-
ism gravitate in a base of extreme
personal trust between the client
and the bank.
With 13 branches, 9 in the city of
Maputo, 1 in the city of Matola, 1 in

T
the city of Beira, 1 in the city of Tete
he bank Único was distin- sidered as one of the 13 most prom-
and 1 in the city of Nampula, the
guished by the prestigious ising banks in the world by the pres-
bank Único was born with the ambi-
magazine Global Finance with tigious magazine The Banker; having
tion of positioning itself among the
the prizes of the best site and seen its president of the board of
acclaimed banks in the country, with-
internet banking services for directors and CEO elected as the best
in a short period of time, and count
individuals and companies, in CEO of Africa by the magazine African
with presence in all provinces.c
Mozambique. After having been con- Banker, the bank is now distinguished

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 71


ESTILO DE VIDA

Arrendamos
Apartamentos luxuosos
totalmente mobilados
por dias/temporadas

Abre-se o véu
do VMFW`13

O
Mozambique Fashion Week aos projectos lançados há dois anos,
teve a sua 1ª edição no ano o MFW School e o Mozambeat. Nesta
de 2005. Ao longo de todos edição, o evento dá mais um passo e
estes anos, tem vindo a de- vai ainda mais longe, o VMFW ruma a
senvolver um conceito que o outros países marcando presença em
diferencia face aos demais, eventos na mesma categoria a nível
trabalhando diferentes plataformas internacional.
como a moda, arte, música, educação Em Julho, o VMFW vai a Itália, repre-
e responsabilidade social. sentado com um estilista moçambi-
Este ano, conta já com a realização cano num desfile na RMI – Ricerca
da sua 9ª edição, com data prevista Moda Innovazione.
de realização entre 29 de Novembro Em Outubro o VMFW vai a Portugal,
a 7 de Dezembro. fruto de uma parceria fechada com o
Esta edição, para além das vertentes Portugal Fashion , participando com
social e cultural assinaladas desde o três estilistas moçambicanos, que
seu lançamento, vai dar continuidade vão ver as suas colecções desfilar

Rua da Sé, Nº 114, 4o andar, Porta 35


Cel: +258 82 05 35 491
claudia@maputotouristapart.co.mz 72 SETEMBRO 2013 · Capital Magazine

Maputo - Moçambique
que Fashion Week (VMFW) vai actuar,
a nível internacional, levando consigo
Moçambique rumo à Europa.

Calendário
- Abertura das Inscrições, 8
de Julho, que deverão ser efectuadas
nas instalações, na DDB Moçambique;
- Deverá efectuar a sua inscrição de
8 de Julho a 6 de Setembro, sendo
que após 6 de Setembro não serão
aceites mais inscrições.
. Inscrições para o VMFW´13
. Inscrições para o MFW School
. Inscrições para o Mozambeat
- Data a anunciar aos participantes
para o concurso MFW School, depois
de uma avaliação exaustiva dos can-
didatos,
.13 de Setembro
- Workshop para concorrentes ao
MFW School:
. 14 de Setembro a 19 de Outubro,
em que 6 sessões serão lideradas por RESTAURANTE
estilistas conceituados moçambica-
nos. Estas sessões serão realizadas &
apenas aos Sábados, e decorrerão
durante todo o dia. PASTELARIA
. Datas de realização: 14 de Setem-
no “catwalk” da semana da moda bro, 21 de Setembro, 28 de Setem-
portuguesa. A título de intercâmbio, bro, 5 de Outubro, 12 de Outubro e
em Dezembro, três estilistas portu- 19 de Outubro.
gueses conceituados farão desfilar - Casting para Modelos que queiram
as suas colecções na “red carpet” em participar nos desfiles do VMFW´13;
Moçambique.
. 13 de Setembro.
Sob esta nova vertente o Mozambi-
. Trainning para modelos: de 14 a 20
de Setembro.
- Casting para Crianças, modelos
que queiram participar no desfile das
crianças;
. 21 de Setembro.
- Lançamento oficial do VMFW’13,
Lançamento da Campanha e Confe-
rência de Imprensa; Bolos especializados feitos a ordem
. 8 de Outubro. Chefe Pasteleiro - Rui
Contacto: 845033997
. Será anunciado todo o programa a
decorrer, de 29 de Novembro a 7 de
846212344 / 846212355
Dezembro, e os parceiros oficiais da
9ª Edição do VMFW .c

Rua do Pântano
E-mail: sabordosempre@gmail.com
Maputo - Moçambique
Capital Magazine · JULHO 2013 73
MOÇAMBIQUE •
TANZANIA •
CHIPRE •
Av. 25 de Setembro Nr. 2009 SWAZILÂNDIA •
Caixa Postal Nr. 2183
Tel. +258 21309068/328998
DELEGAÇÕES
Fax. +258 21328997/333809
info@afritool.co.mz Quelimane,
Maputo - Moçambique Tete e Nampula

A mais de 13 anos
a proporcionar
os mais altos padrões
de Serviços,com Produtos
de Qualidade, Preços Competitivos,
Ideias Inovadoras,
atendimento personalizado
LIFE STYLE

T The veil of the


he Mozambique fashion week
had its 1st Edition in the year
2005. All along these years,
it has been developing a
concept that differentiates it
from the others; working in
VMFW’13 is uncovered
different platforms such as fashion,
art, music, education and social re-
sponsibility.
This year, it already counts with the
realization of its 9th edition which is
scheduled from the 29th November
to 7th December.
Besides the social and cultural as-
pects underpinned since its launch,
this edition will ensure continuity
to the projects launched two years
back; the MFW School and the Mo-
zambeat. In this edition, the event
gives one more step and goes even
further; the VMFW is en route to
other countries and thus setting foot
in events of the same category at
international level.
In July, the VMFW heads to Italy rep-
resented by a Mozambican fashion
designer in a RMI Parade – Ricerca
Moda Innovazione
In October, the VMFW goes Portugal
as a result of a closed partnership from 8th July to 6th September, con- October, 12th October and 19th Oc-
with Portugal Fashion, participating sidering that as from 6th September tober;
with three Mozambican fashion de- onwards, no more registrations will - Casting of models willing to
signers who will see their collections be accepted; participate in the parade for the
parade in the catwalk of the Portu- o Registrations for the VMFW’13; VMFW’13;
guese fashion week. In December, o Registrations for the MFW .13th September.
in view of the exchange, three Por- School; - Training of models: from 14th to
tuguese fashion designers of repute o Registrations for the Mozambeat; 20th September.
will stage their collections in the red - Date to be announced to partici- - Casting for children models will-
carpet in Mozambique. pants of the MFW contest following ing to participate in the children’s
Under this new approach the Mo- exhaustive scrutiny of candidates, parade;
zambique Fashion Week (VMFW) will 13th September .21st September
perform at international level and - Workshop for contestants to the - Official launch of the VMFW’13,
taking along Mozambique through to MFW School: launch of the campaign and Press
Europe. 14th September to 19th October, in Conference;
which 6 sessions will be led by re- .8th October;
nowned Mozambican fashion design- - The whole programme to take
Schedule ers. These sessions will take place place will be announced, from 29th
- Opening of registrations, 8th only on Saturdays and will go for the November to 7th December as well as
July, which have to be done in DDB whole day. the official partners of the 9th Edition
Mozambique Premises; Dates to be held: 14th September, of the VMFW.c
- Registrations ought to be done 21st September, 28th September, 5th

Capital Magazine · SETEMBRO 2013 75


Com uma linha gráfica e produção editorial modernas
e de elevada qualidade,
A revista para o seu negócio dirigida ao mundo do negócio,
Av. Mao Tse Tung, 1245, Maputo-Moçambique esta revista está empenhada no desenvolvimento à sua volta
Telefax (+258) 21 303188
e-mail: revista.capital@capital.co.mz
NUIT: 400253080

BOLETIM DE ASSINATURA

Na assinatura da revista beneficie de um desconto

Período Valor % de desconto Valor após desconto Condições


12 meses 2400 10% 2160(*) Pronto pagamento
6 meses 1200 5% 1140(*) Pronto pagamento
3 meses 600 0% 600 Pronto pagamento

Valores em Meticais

(*) - Descontos aplicáveis na assinatura de seis ou mais exemplares

Desejo assinar a Revista CAPITAL por um período de _____ meses, a partir do mês
de __________________ de 20____.
A assinatura compreende______ exemplar (es) por mês.
Nome_________________________________________________________________________________
N˚ do B.I e data da emissão______________________________ NUIT____________________________
Morada________________________________________________________________________________
Morada de entrega______________________________________________________________________
N˚ de tel.______________ n ˚________________ email________________________________________

Formas de pagamento
• Cheque / Transferência (Conta N˚217544811 do BIM) MOZMÉDIA LDA
• Numerário

Assinatura do cliente O responsável

_____________________________________ ___________________________________

Assine e receba a sua Revista


Capital onde estiver
sem custos adicionais
Preço: 200.00 Mt
Capital Magazine · SETEMBRO 2013 79