Você está na página 1de 5

XVIII Congresso Regional De Iniciação Científica e Tecnológica

DESENVOLVIMENTO E TESTE DE UM SENSOR LVDT

Moacir Fonteque Júnior 1 , Fábio Luiz Bertotti 1 , Rafael Bardal 1 , Miguel Antonio Sovierzoski 2 Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná - CEFET-PR

  • 2 Departamento Acadêmico de Eletrônica 1 Curso de Engenharia Industrial Elétrica – ênfase Eletrônica e Telecomunicações

Av. Sete de Setembro, 3165 – Curitiba – PR – CEP 80230-901 moafonteque@cheloco.com, flbert@pop.com.br, rbardal@onda.com.br, miguelsp@cefetpr.br

Resumo. Este artigo apresenta o projeto, o

LVDT

destaca-se

por

apresentar

uma

alta

desenvolvimento e os ensaios de um sensor

precisão, confiabilidade e robustez.

 

LVDT (Linear Variable Differential

O

artigo

apresenta

o

projeto,

o

Transformer). É apresentado um estudo

desenvolvimento e

os

ensaios

de

um sensor

teórico sobre os fenômenos atuantes e

LVDT.

É

apresentado

um

estudo

teórico

princípios

de

funcionamento

do

sensor

sobre

os

fenômenos atuantes e princípio de

LVDT.

Em

seguida,

são

 

apresentadas

funcionamento

dos

sensores

LVDT.

Em

informações

relativas

ao

processo

de

seguida,

 

são

apresentadas informações

desenvolvimento do sensor e ao circuito

relativas ao processo de desenvolvimento do

condicionador de sinal adequados ao sensor

sensor

e

ao circuito condicionador de sinal

desenvolvido.

O

artigo

é

finalizado

adequados ao sensor desenvolvido. O artigo

apresentando

as

respostas

do

sensor,

é finalizado apresentando as características

através

do

condicionador

de

sinais,

em

de respostas do sensor desenvolvido, através

função do deslocamento e posicionamento

do circuito condicionador

de

sinais,

em

do núcleo do sensor.

função

do

deslocamento

e

posicionamento

Palavras-chave: sensor de deslocamento linear, construção de sensor LVDT, sensor de posicionamento.

do núcleo do sensor.

  • 2. ESTUDO DO SENSOR LVDT

 

A

principal finalidade do sensor LVDT

 

é medir deslocamentos e posicionamento de

1. INTRODUÇÃO

 

dispositivos

móveis.

O

sensor

pode

gerar

 

dados,

com

boa

margem

de

precisão,

 

A

medida

 

de

posicionamento

e

relativos

a

velocidades,

acelerações,

deslocamento

 

é

muito

utilizada

na

posicionamentos

instantâneos,

 

comporta-

automação

de

processos

uma

forma

geral.

mentos

de

vibrações,

oscilações

e

instabi-

São

utilizados

 

sensores

de

diversas

lidades do dispositivo móvel acoplado a ele.

tecnologias

cujas

características

de

funcionamento

permitem

 

realizar

tais

2.1

Princípio de funcionamento

 

medidas.

 

Dentre uma grande gama de sensores

O princípio de funcionamento do sensor

para esta finalidade, os mais utilizados são o

LVDT

baseia-se

no

fenômeno

de

transformador diferencial linear variável

transferência

de

energia

eletromagnética

(Linear Variable Differential Transformer -

entre fontes excitadoras

e

dispositivos

LVDT),

os

sensores

potenciômetros

e

os

coletores deste

tipo

de

energia,

no caso

do

sensores

ópticos

tipo

encoders.

O

sensor

sensor, os indutores.

 

XVIII Congresso Regional De Iniciação Científica e Tecnológica

O

dispositivo sensor padrão possui três

indutores

e

um núcleo ferromagnético

móvel. O indutor primário é excitado por um

sinal

elétrico,

sendo

responsável

 

pela

geração

do campo magnético. Este campo

magnético é conduzido, através do núcleo

ferromagnético móvel, para os enrolamentos

secundários

e

estes

geram um sinal

elétrico

proporcional

ao

fluxo

magnético

em

suas

espiras.

Os

indutores

secundários

possuem

sentidos

de

enrolamentos

inversos

sendo

interligados

em

série

e

acoplados

a

um

circuito

condicionador

de

sinal.

O

sinal

elétrico

de

saída

do

sensor

LVDT

 

é

a

diferença

entre

os

sinais

dos

indutores

secundários,

devido

ao

sentido

oposto

 

de

enrolamento

dos

indutores

secundários.

Os

sinais

de

saída

dos

indutores

secundários

variam

proporcionalmente

com a

intensidade do fluxo magnético

em

suas

espiras,

e

a

variação

do

fluxo magnético é

resultante do deslocamento do núcleo

ferromagnético entre as bobinas.

XVIII Congresso Regional De Iniciação Científica e Tecnológica O dispositivo sensor padrão possui três indutores e

Figura 1 – Núcleo na posição central do sensor LVDT e sinal de excitação e sinal de saída

Quando o núcleo encontra-se na posição

central,

conforme

apresenta

a

figura

1,

o

campo

magnético

gerado

pelo

indutor

primário,

é

igual

nos

dois

indutores

secundários. Logo,

os

sinais

de

saída

 

dos

indutores

secundários

terão

as

mesmas

amplitudes,

com

fase

deslocada

de

180º.

O

sinal

resultante

de

saída

do

sensor

LVDT

será

um

valor

 

nulo,

indicando

 

o

posicionamento central do

núcleo

e

de

posicionamento em proporção igual entre as

duas bobinas secundárias.

Com

a

movimentação

do

núcleo

ferromagnético

no

sentido

de

uma

das

extremidades,

ocorre

o

deslocamento

das

linhas

do

campo

magnético

gerado

pelo

enrolamento

 

primário,

alterando

o

fluxo

magnético entre as espiras dos enrolamentos

secundários.

 

Sendo

assim,

o

sinal

de

saída

do indutor

secundário

para o

qual o

núcleo

está

se

deslocando

possuirá

uma

maior

amplitude.

O

sinal

de

saída

no

indutor

secundário

para

o

qual

o

núcleo

está

se

afastando

diminuirá.

O

sinal

de

saída

do

LVDT

será

alterado

em

função

das

amplitudes

 

das

tensões

geradas

pelos

indutores secundários, conforme apresenta as figuras 2 e 3.

XVIII Congresso Regional De Iniciação Científica e Tecnológica O dispositivo sensor padrão possui três indutores e

Figura 2 – Deslocamento do Núcleo no sentido do indutor secundário direito

A

figura

2

apresenta

o

núcleo

ferromagnético

no

indutor

secundário

direito,

isso

provoca

uma

tensão

induzida

maior no indutor direito e uma tensão menor no indutor secundário esquerdo. Assumindo que o enrolamento do indutor secundário

direito

possua

 

o

mesmo

sentido

de

enrolamento

 

do

indutor

primário,

a

resultante

é

uma

tensão

em

fase

com

a

tensão de excitação.

 

A

figura

 

3

apresenta

o

núcleo

ferromagnético

no

indutor

secundário

esquerdo, isso provoca uma tensão maior no

indutor

esquerdo

e

uma

tensão

menor

no

indutor

secundário

direito.

Como

o

enrolamento

do

indutor

secundário

esquerdo

possui

sentido

 

oposto

ao

sentido

de

enrolametno

 

do

indutor

primário,

a

resultante é uma tensão defasada 180º em relação à tensão de excitação.

XVIII Congresso Regional De Iniciação Científica e Tecnológica

XVIII Congresso Regional De Iniciação Científica e Tecnológica Figura 3 – Deslocamento do Núcleo no sentido

Figura 3 – Deslocamento do Núcleo no sentido do indutor secundário esquerdo

Depois

de

condicionado,

o

sinal

do

sensor

LVDT

comporta-se

conforme

apresenta a figura 4, abrangendo uma certa faixa de linearidade.

XVIII Congresso Regional De Iniciação Científica e Tecnológica Figura 3 – Deslocamento do Núcleo no sentido

Figura 4 – Resposta de um sensor LVDT em relação à excursão do núcleo ferromagnético

  • 2.2 Princípio da linearidade do sensor O sensor LVDT, como o nome indica é

um Transformador

Diferencial Linear

Variável.

É

um

dispositivo

que

apresenta

uma ampla faixa de linearidade em seu sinal

de

saída.

Se

o

dispositivo

fosse

projetado

somente

com

um

indutor

secundário,

este

apresentaria

uma

não

linearidade

consi-

derável, característica

do

indutor.

Isso

não

implica

que

a

não

linearidade

intrínseca

a

cada indutor desaparece

com

a

inserção de

outros indutores.

 

Primeiramente os indutores secundários são dispositivos semelhantes, quanto a cons-

trução

e

características

elétricas

apresen-

tando

o

número

de

espiras,

tipo

de

fio,

posicionamento,

e

apresentando

 

também,

características

 

de

não

linearidades

semelhantes.

 

Os

 

indutores

 

secundários são

interligados

em

série

para

formar

o

sinal

de

saída, e

os

indutores

secundários possuem

sentidos

opostos

 

de

enrolamento.

Dessa

forma,

o

sinal

de

saída,

como

mencionado,

é

resultante

da

adição

dos

sinais

de

saída de cada indutor secundário.

Com características de não linearidade muito

semelhantes,

esta

é

cancelada na saída dos

indutores garantindo, assim, a linearidade do dispositivo.

  • 3. PROJETO E DESENVOLVIMENTO DO SENSOR LVDT

O corpo do sensor foi confeccionado em

nylon,

por

ser

facilmente usinado e não ser

ferro-magnético,

gerando

espalhamento do

campo magnético.

 
 

Através

de

processo

de

usinagem

no

nylon,

foram

gerados três

sulcos

para

o

acondicionamento dos indutores. O sulco

central

acondiciona

o

indutor

primário,

que

gera

o

campo

eletromagnético. Este indutor

foi

confeccionado

com

1000

espiras

de

fio

esmaltado 30 AWG. Os sulcos secundários

possuem

tamanhos

padronizados

e

são

igualmente

distanciados

do

indutor

central.

Suas

dimensões

foram

projetadas

para

garantir

a mesma

proporção de entrada do

núcleo

ferromagnético

na

bobina destino

com

a

sua

saída

da

bobina

origem,

sendo

este

fenômeno

o

responsável

pela

linearidade

de

resposta

do

componente.

Estes

sulcos

acondicionam

os

indutores

secundários,

 

confeccionados

com

1500

espiras

de

fio

esmaltado

 

30

AWG

por

indutor,

os

quais

são

sensibilizados

pelas

linhas

de

campo

magnético

induzidas

pelo

indutor

primário

e

conduzidas

com

maior

facilidade

devido

a

permeabilidade

magné-

tica do núcleo móvel, gerando assim sinais nos indutores secundários. A figura 5 ilustra o projeto mecânico do

sensor

LVDT

desenvolvido

e

a

figura

6

apresenta

a

fotografia

do

sensor

protótipo

desenvolvido.

XVIII Congresso Regional De Iniciação Científica e Tecnológica

XVIII Congresso Regional De Iniciação Científica e Tecnológica Figura 5 – Projeto Mecânico do Sensor LVDT
XVIII Congresso Regional De Iniciação Científica e Tecnológica Figura 5 – Projeto Mecânico do Sensor LVDT

Figura 5 – Projeto Mecânico do Sensor LVDT

seja

um

sinal com polaridade negativa, o

sinal

será

bloqueado pelo diodo

de

saída do

operacional.

Neste

caso,

o

sinal é retificado

pelo

retificador

de

ciclo

negativo.

Este

circuito atua como um retificador ideal, pois

a

barreira

de

potencial

 

dos

diodos

não

aparece

na

saída.

Os

sinais

dos

dois

retificadores são

adicionados pelo somador

composto pelos resistores R5 e R6 e passa

por um filtro passivo de primeira ordem. Um

ganho DC ajustável de saída é dado logo após o filtro.

XVIII Congresso Regional De Iniciação Científica e Tecnológica Figura 5 – Projeto Mecânico do Sensor LVDT

Figura 6 – Foto do Sensor Protótipo, apresentando detalhes do núcleo ferromagnético e do sensor construído

 

O

sensor

 

foi

construído

de

forma

a

permitir

que

um

núcleo

cilíndrico

possa

deslizar

com

o

mínimo

de

atrito

em

seu

interior.

O

núcleo móvel é de aço inoxidável

e

se

desloca

pelo

interior

das

bobinas do

sensor.

O

núcleo é fixado por uma

haste

em

latão

a

qual

possui

baixa

condutibilidade

magnética e garante uma maior robustez ao

dispositivo.

 
  • 4. CIRCUITO CONDICIONADOR DE SINAIS

 

O

circuito

condicionador

de

sinais

utilizado

no

ensaio do sensor

é apresentado

na

figura 7.

O

circuito

é

composto por um

retificador

de precisão ativo, implementado

com amplificadores operacionais, e um filtro

passa-baixas.

Quando

 

um

sinal

com

polaridade positiva é aplicado na entrada, na

saída do

retificador de ciclo positivo tem-se

uma

tensão

proporcional

positiva

e

com

ganho ajustado pelo potenciômetro P1. Caso

XVIII Congresso Regional De Iniciação Científica e Tecnológica Figura 5 – Projeto Mecânico do Sensor LVDT

Figura 7 – Circuito condicionador de sinal do sensor LVDT

5.

ENSAIOS E RESULTADOS

 

O

sensor foi ensaiado com um conjunto

de

freqüências

de

excitação

no

indutor

primário

e

os

resultados

obtidos

foram

plotados

no

gráfico

apresentado

pela figura

8.

 

Em

função

do

dimensionamento

físico

do

sensor

desenvolvido

como

número

de

espiras,

formato

e

posicionamento dos indutores, formato do núcleo, este apresentou respostas de amplitudes diferentes para um conjunto de freqüências entre 50 Hz a 10.000 Hz. A melhor resposta do sensor foi para sinal de excitação próximo a 1000

Hz,

resultando

em

uma

maior

variação

de

amplitude

do

sinal

de

saída

em

função

do

posicionamento

do

núcleo

central.

 

XVIII Congresso Regional De Iniciação Científica e Tecnológica

Resposta do LVDT

9,0 f=50Hz f=2000Hz f=100Hz f=250Hz f=500Hz f=1000Hz f=3000Hz f=4000Hz f=5000Hz f=10000Hz 10,0 -10,0 8,0 7,0 6,0
9,0
f=50Hz
f=2000Hz
f=100Hz
f=250Hz
f=500Hz
f=1000Hz
f=3000Hz
f=4000Hz
f=5000Hz
f=10000Hz
10,0
-10,0
8,0
7,0
6,0
5,0
4,0
3,0
2,0
1,0
0,0
-1,0
0
24
44
20
28
48
40
36
32
16
12
4
Deslocamento (mm)
8
Tensão de Saída (Volts)
-2,0
-3,0
-4,0
-5,0
-6,0
-7,0
-8,0
-9,0

Figura 8 – Resposta do sensor protótipo para diversas freqüências de excitação

5.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

Apesar

do

sensor

protótipo

desenvolvido

ter

sido

construído

com

a

utilização

de

equipamentos

simples

como

tornos

mecânicos,

lixadeiras,

furadeiras,

entre

outros

instrumentos

de

tornearia,

seu

modelo

seguiu

perfeitamente

os

padrões

dimensionais propostos na

sua

fase

de

pesquisa.

Isso

garantiu

os

resultados

satisfatórios apresentados como o alto fator

de

linearidade

presente

em

quase

todo

a

região

de

deslocamento

do

núcleo

ferromagnético,

estabilidade

e

robustez

adequada à sua utilização.

 
 

O

projeto

do

sensor

LVDT foi

desenvolvido como parte do Projeto Final do curso de Graduação em Engenharia Elétrica

do Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná.

6.

REFERÊNCIAS

 

[1] Ramos, Helena, LVDT-Based Vibration

 

Meter,

E.P.E.’99

International

Conference on Electrical & Power. Iasi,

Romênia.

[2]

Bolton,

William.

Tradução: Roberto de

Godoi Vidal, Luiz. Instrumentação & Controle. ECCEL Eletrônica 2002.

[3]

Sentech

Incorporated,

Products

LVDT,

813

Series

AC/AC,

disponível

em

<http://www.sentechlvdt.com/pdf/813A

C.pdf>, consultado em 25/06/2003.