Você está na página 1de 8

Desenvolvimento dos Portais Corporativos: Casa Apis e Cocajupi

Alcilene D. de Sousa1, Antonio Oseas de C. Filho1, José Anatiel G. Santos1, Aislan Rafael
Rodrigues de Sousa2
1
Acadêmico do Curso Bacharelado em Ciência da Computação – Instituto de Educação Superior
Raimundo Sá (IESRSA) – Picos – Piauí – Brasil

2
Instituto Federal de Ciência, Educação e Tecnologia do Piauí Campus Picos – Brasil
alcileneluzsousa@gmail.com, antoniooseas@gmail.com, anatielsantos@gmail.com,
aislanmaster@gmail.com

Abstract. This article aims to demonstrate the process of developing the


portals of Cooperatives Casa Apis and Cocajupi, developed with the aim of
facilitating access to digital information in the organizational context, gather
information and services that can add value to these institutions using a
context of corporate technology, moreover, also aims to contribute to the
development of strategies to support greater interaction and integration
among cooperated.

Key-words: Casa Apis, Cocajupi, Portal

Resumo. O presente artigo tem o propósito de demonstrar o processo de


desenvolvimento dos portais das Cooperativas Casa Apis e Cocajupi,
desenvolvidos com a finalidade de facilitar o acesso as informações no
contexto organizacional, reunir conteúdo e serviços que possam agregar
valores a essas instituições utilizando-se das tecnologias de contexto
corporativo, além disso, visa também contribuir para o desenvolvimento de
estratégias de apoio com uma maior interação e integração entre os
cooperados.

Palavras-Chave: Casa Apis, Cocajupi, Portal

1. Introdução

A macrorregião de Picos – PI, que compreende 60 cidades, com população


estimada em 450 mil habitantes, destaca-se na produção de mel e caju, e tem
a necessidade de tornar o mercado competitivo para organizar a produção
através das cooperativas como a Casa Apis e Cocajupi. A produção de mel e
de caju tem um importante papel sócio econômico na região. Ações para
organização dessa produção têm sido articuladas, com a finalidade de reunir
informações e serviços que possam agregar valor aos produtos
comercializados.

Para conseguir concretizar esse benefício, segundo Dias (2001), é


fundamental que o projeto do portal corporativo busque priorizar a usabilidade,
para permitir uma melhor relação entre os colaboradores e as ações das
cooperativas, ou seja, o portal desenvolvido tem a finalidade de centralizar as
informações para o público interessado formado pelos cooperados e
consumidores.

Com isso, os portais irão difundir o conhecimento como meio para as


cooperativas administrarem suas informações e facilitar a tomada de decisões
de negócios, além de atender as expectativas funcionais dos cooperados,
sendo considerado um ambiente estratégico e essencial para permitir uma
efetiva comunicação e influência mútua interna e externa da cooperativa.

2. Proposta de Desenvolvimento

2.1 Casa Apis e COCAJUPI

Iniciativas como as Cooperativas Casa Apis e COCAJUPI, tem um cunho social


importante para a região Centro-Oeste do semi-árido piauiense. Ambas
localizadas na cidade de Picos – PI. Visam integrar os pequenos produtores de
mel e caju respectivamente à sociedade empresarial em geral. A casa Apis,
recém criada em 02/06/2005, beneficia diretamente cerca de 1.600 famílias e
indiretamente 6.000, de 34 municípios piauienses e cearenses. A COCAJUPI
reúne 478 famílias de produtores e outras 285 pessoas atuam diretamente nas
minifábricas e na central. Os pequenos produtores retiram a sua renda familiar,
produzindo o mel e o caju e comercializando diretamente com as cooperativas,
retirando a imagem do atravessador, e ganhando como beneficio um preço
justo pelos seus produtos.

2.2 Portais Corporativos

Segundo Dias (2002), a terminologia relacionada com os portais corporativos


ainda não se definiu totalmente. Os termos "portal corporativo", "portal de
informações corporativas", "portal de negócios" e "portal de informações
empresariais" são utilizados na literatura, algumas vezes, como sinônimos.
Pode-se afirmar que um portal corporativo é um sítio, destinado às
organizações, e que possui um único ponto de acesso para todas as fontes de
informações, sejam elas estruturadas ou não. Proporcionam facilidades de
obtenção e manutenção da informação e permitem a uniformidade e
compatibilização de dados e informações. Também propiciam a integração em
tempo real de muitas aplicações de Tecnologias da Informação com soluções
personalizadas de uso. Estes sendo capazes de organizar grandes acervos de
conteúdo a partir dos temas ou assuntos neles contidos, conectando as
pessoas às informações. A proposta então é, facilitar o acesso às informações
digitais no contexto organizacional.

No mundo institucional, o portal tem o propósito de expor e fornecer


informações específicas de negócio, dentro de determinado contexto,
auxiliando os usuários de sistemas informatizados a encontrar as informações
de que precisam para atender suas necessidades. O portal corporativo é
considerado por Dias (2001, apud Reynolds & Koulopoulos (2000)), como uma
evolução do uso das Intranets, incorporando, a essa tecnologia, novas
ferramentas que possibilitam identificação, captura, armazenamento,
recuperação e distribuição de grandes quantidades de informações de
múltiplas fontes, internas e externas, para os indivíduos e equipes de uma
instituição.

2.3 Objetivos

Foram realizadas visitas em ambas as cooperativas no período compreendido


entre novembro de 2008 a maio de 2009, totalizando 20 horas, para conhecer
a realidade das cooperativas.

A implantação desses Portais permitirá:

• Desenvolvimento de programas de gestão voltados à descentralização


administrativa e ao desenvolvimento regionalizado da cooperativa.

• Criar um modelo inovador de gestão.

• Estabelecer as bases para o desenvolvimento harmônico e integrado


das Cooperativas nas diferentes regiões.
• Permitir a integração de iniciativas de associados e de outras entidades,
criando soluções articuladas e capazes de estimular o crescimento da
Cooperativa.

• Estabelecer canais de comunicação.

• Desencadear projetos regionais de crescimento econômico e social,


pela disponibilização, atualização e monitoramento, de forma ágil e
contínua, de um amplo sistema de informação e orientação.

Entre seus principais benefícios estão:

• Diminuição dos custos associados ao processo de gestão;

• Melhora no processo de comunicação entre os diversos colaboradores;

• Novos rumos de comércio;

• Inserção de capital intelectual no processo de gestão;

• Proximidade e transparência com os cooperados.

3. Desenvolvimento

3.1 Tecnologias Utilizadas

3.1.1 Layout
Foram utilizadas tecnologias de diferentes plataformas com os recursos
necessários para o desenvolvimento dos portais, como XHTML, CSS e
Javascript. XHTML é uma linguagem de marcação, CSS é denominada como
uma folha de estilo e JavaScript é uma linguagem script para rodar no lado do
cliente, ou seja, o navegador.
Figura 1. Layout dos portais.
Os portais seguiram o padrão de layout especificado na Figura 1,
composto de:

Topo: onde ficam a logomarca e fotos da cooperativa;

Menu Horizontal: Menu Principal, onde estão localizadas principais páginas


do Portal;

Menu Lateral Esquerdo: aborda as subcategorias dos itens do Menu


Horizontal;

Área de Trabalho: Principal área do sítio, onde estão as informações contidas


no Portal;

Rodapé: Créditos do Portal.

3.1.2 PHP
Linguagem de código aberto, multiplataforma e com boa performance. A versão
utilizada no desenvolvimento dos portais foi a PHP 5.0 de forma
completamente Orienta a Objetos.

3.1.3 MySQL
Atualmente o MySQL é o servidor de bancos de dados de código aberto mais
popular do mundo, com mais de 70 milhões de instalações entre websites,
datawarehouses, aplicações comerciais e outras mais. Empresas como
Motorola, NASA e Google usam o MySQL em suas aplicações.
Com base nessas informações, foi feita a opção pela utilização do
MySQL 5.0, ideal para a utilização com o Sistema de Gerenciamento de
Conteúdo utilizado nos portais, o Epistemer.

3.1.4 Epistemer
Para o gerenciamento do conteúdo dos portais foi escolhida uma ferramenta
desenvolvida pelo professor do IFPI (Instituto Federal de Ciência, Educação e
Tecnologia do Piauí), Aislan Rafael. O Epistemer mostrou-se uma ferramenta
simples, porém muito eficiente no gerenciamento de conteúdo de sítios, agora
aperfeiçoado e modelado as necessidades dos portais em estudo.

Algumas características consideradas para a sua escolha foram (Sousa, 2006):

• Estruturação do processo de autoria, no qual toda a equipe poderá


contribuir cada um na sua área de atuação e conhecimento;

• Fácil acesso, não importando o lugar, o único pré-requisito é um sinal de


internet;

• Diminuição de custos de manutenção.

3.2 Metodologia

Para o desenvolvimento dos portais foi utilizado alguns conceitos de


metodologia ágeis e ferramentas para acelerar o desenvolvimento. O layout foi
criado através de prototipação com iterações para avaliação dos usuários
através de apresentações para os representantes das cooperativas. Como a
aplicação se trata de um portal corporativo, o epistemer foi escolhido como
gerenciador de conteúdo por atender todos os requisitos funcionais e por ser
possível a customização do seu código.

Realizou-se reuniões regulares da equipe de desenvolvimento para


avaliação e a definição dos rumos do projeto. O desenvolvimento se deu de
forma descentralizado através do apoio de ferramentas. Foram definidas
tarefas de acordo com escopo definido pelas iterações com as cooperativas,
uso de versões para o código e o controle de configuração para organização
do projeto.
4. Conclusão

Os portais corporativos disseminam as informações e o conhecimento dentro


das organizações, possuindo como maior vantagem ser o centralizador das
informações com soluções personalizadas de uso em um ambiente de trabalho
integrado, com fácil acesso aos serviços e recursos, fazendo das informações
contidas no portal uma importante ferramenta para propagação das ações
realizadas pelas Cooperativas.

O processo de desenvolvimento dos portais proporcionou aos


envolvidos um amplo conhecimento no que diz respeito ao cooperativismo e
desenvolvimento sustentável. Esta iniciativa tornou possível uma aproximação
entre o meio acadêmico e a sociedade cooperativista.

Como projetos futuros destaca-se a implementação da


comercialização dos produtos das cooperativas através dos portais, ampliando
as opções de negócio e conquistando novos consumidores para as
cooperativas.

5. Referências

DIAS, Cláudia. Métodos de avaliação de usabilidade no contexto de portais


corporativos: um estudo de caso no Senado Federal. Brasília: Universidade de
Brasília, 2001.229p. Disponível em
<http://www.geocities.com/claudiaad/heuristicas_web.html>. Acesso em: 22 maio.
2009.

DIAS, Cláudia Augusto. Portal corporativo: conceitos e características. Ciência da


Informação, Brasília, v. 30, n. 1, p. 50-60, jan./abr. 2002. Disponível em<
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S010019652001000100007&script=sci_arttext&tln
g=es>. Acesso em: 22 maio. 2009.

FARHAT, RODRIGO. FUNDAÇÃO BANCO DO BRASIL. Indústrias do mel e do caju


fortalecem cadeias produtivas do nordeste brasileiro. Disponível em
<http://www.fbb.org.br/portal/pages/publico/expandir.fbb?codConteudoLog=5332>.
Acesso em: 11 junho. 2009.

MySQL. Disponível em <http://www.mysqlbrasil.com.br/>, Acesso em: 6 junho. 2009.


NIEDERAUER, JULIANO. Integrando PHP 5 com MySQL, Informática, Editora:

NovaTec, Edição 2, ano 2007.

REYNOLDS, Hadley & KOULOPOULOS, Tom. Enterprise knowledge has a face.


Intelligent Enterprise, v. 2, n. 5, p. 29-34, Mar. 1999. [online], abril 2000.
[http://www.intelligententerprise.com/993003/feat1.shtml].

SOUSA, Aislan Rafael Rodrigues de. Construção e Uso do Gerenciador de Conteúdo


Epistemer. Teresina: Instituto Federal de Ciência, Educação e Tecnologia do Piauí.
2007.