Você está na página 1de 49

Tamanho

não é .DOC

Erik Kurkowski Weber


Fabio Cunha P. Coelho
Henry Alfred Bugalho
Rafael T. Okada
Wilson Gorj

ficina
Capa:
Erik Kurkowski Weber

Organização e diagramação:
Henry Alfred Bugalho

Esta obra está protegida pela Licença Creative Commons de


Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Deriva-
das 2.5. Para ver uma cópia desta licença, visite:
http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/2.5/br/

2009
Oficina Editora
SUMÁRIO

Apresentação 7
Erik Kurkowski Weber 9
Fabio Cunha P. Coelho 17
Henry Alfred Bugalho 21
Rafael T. Okada 37
Wilson Gorj 45
Apresentação

Twitter s.m. 1 serviço gratuito de rede


social e microblogging que permite o
envio de mensagens, limitadas a 140
caracteres, para outros usuários.
Microconto s.m. 1 narrativa literária
breve, com estrutura semelhante à do Tamanho
do conto, mas de menor extensão, geral- não é
mente, inferior a mil palavras. .DOC

Os microcontos que
compõem esta obra foram
redigidos e postados no
Twitter (www.twitter.com)
durante os meses de maio
e junho de 2009.
Erik Kurkowski

WEBER Formado em Design Gráfico,


mas busca agora seu lugar à
sombra no funcionalismo públi-
co; nas horas vagas é mais um
gênio da humanidade.
Nunca se sabe o futuro; mas
se sabe menos ainda o pretérito
perfeito do subjuntivo.

Era um grande homem; daí o


Tamanho dividiram pela metade.
não é
.DOC

10

Gripe Suína não apenas emagreceu 10


quilos como é a convidada desta semana
no Programa do Jô.
WEBER
Erik Kurkowski

A Suiça é um belo país; o único


­problema é que fica, praticamente, na
China; o problema da China é o mesmo.

Tamanho
não é
.DOC

Não sabia o que querer da vida, 11


dessa vida imunda e dolorida;
até assistir ao desenho animado
Bambi.

Disse o Pai: Carlinhos, que


vc quer ser quando crescer? E
­Carlinhos disse, Anão!
Amazônia ganha novo radar para
­ onitorar região; com este, já são 3
m
radares de carro no Estado.

Menina de 7 anos acha ­preservativo


Tamanho em lanche; e mesmo assim ela engravi-
não é dou.
.DOC

12

Homenagem póstuma;
­Clodovil, o único ele, vós, ela -
da política brasileira.
WEBER
Erik Kurkowski

Na embalagem do BigMac estavam


cinco pênis humanos, ainda quentes;
ninguém conseguiu explicar o ocorrido.

Tamanho
não é
.DOC

Ela disse que o queria como 13


amigo; ele, de raiva, mudou a
ideia, e a enterrou ainda viva e
chorando.

Contava animais para dormir; noite


passada, antes de cair no sono, contou
204 Presidentes Lula.
Só de alma ela pesava
120 quilos.

Knock Knock na madeira; quem é,


Tamanho ­ ergunta. Tarde demais; era a gripe
p
não é suína.
.DOC

14

Abraçou o Pai, a Mãe, e disse:


Consegui, Consegui, o papel de
mictório na próxima novela das
9 é meu!
WEBER
Erik Kurkowski

Gripe Suína anuncia turnê pela europa;


ingressos vendidos apenas no México.

Tamanho
não é
.DOC

Mais vale um pássaro na mão 15


que uma mãe-da-água.

Jogador Adriano troca mulher


moranguinho por Gripe Suína;
digo, mulher caviar.
Fabio Cunha P.

COELHO
23 anos, formando em
­ omunicação social na UFF, con-
c
trolador de tráfego aéreo e autor
do blog http://cunhandocoelhos.
blogspot.com
O príncipe regente vestiu-se para
a missa. Discordou da opinião do
­espelho... penteou o cabelo olhando-se
no verso de um vintém.

Finalmente pegou o diamante.


Tamanho Mas de que valia tanto brilho,
não é se, na outra mão, havia tanto
.DOC ­sangue?
18

A professora de estudos sociais viu de


novo aquele monte de rabiscos, e deu a
ele outro zero. Na solução da Conjectura
de Poincaré.
COELHO
Fábio Cunha P.

O homem bateu na porta e ela abriu.


Eram vários senhores e senhoras,
­pulando de um pé só e pondo a mão no
chão.

Tamanho
não é
.DOC

Viu a moça outra vez. Criou coragem 19


e a abordou, contrariando o que estava
escrito. Pior para o universo: Operação
ilegal e foi terminado.

O sudanês ouviu no rádio: O mundo


comovido com as 228 pessoas no avião
desaparecido. 228 pessoas por minuto
era o rendimento de sua AK-47.
Henry Alfred
BUGALHO
Formado em Filosofia pela
UFPR, com ênfase em ­Estética.
Especialista em Literatura
e ­História. Autor de quatro
romances e de duas coletâne-
as de contos. Editor da Revista
SAMIZDAT e um dos fundadores
da Oficina Editora. Autor do
livro best-selling "Guia Nova
York para Mãos-de-Vaca". Mora,
atualmente, em Nova York, com
sua esposa Denise e Bia, sua
cachorrinha.
Desculpa esfarrapada
Ele pra ela:
— Não é nada disto que você está
­pensando, querida, o Marcão só estava
me mostrando a cueca nova dele.

Sinal dos tempos


Tamanho
não é
A polícia invadiu o barraco e o pegou
.DOC
molestando a enteada de nove anos:
— Sabe como é, seu polícia, estas
22 ­meninas de hoje são todas safadas!

Estrela de cinema
Queria ser estrela de cinema,
mas só conseguiu ser bilheteira.
BUGALHO
Henry Alfred

As Facilidades da Vida Moderna


O leão viu a gazela correndo e pensou:
“que preguiça”.
Mais tarde, foi ao supermercado e
comprou tudo congelado.
Tamanho
não é
.DOC

Mulher-barbada 23

Ela só interrompeu o
t­ ratamento hormonal quando
passaram a chamá-la de Moisés.

Você é insubstituível
Você é insubstituível... Até
­encontrarmos um substituto.
Popularidade
Tinha tantos amigos que, quando
f­ icava doente, a fila para visitá-lo dava
duas voltas no quarteirão e tinha até
distribuição de senha.

Atraiçoado
Tamanho
não é
Era do tipo que ­confiava
.DOC
em todo mundo. Um dia,
­decepcionado, apunhalou a si
24 mesmo pelas costas.

Um Sonho de Liberdade
Sonhou que podia voar. De manhã,
ao acordar, subiu no parapeito e bateu
asas. O papagaio finalmente fugia.
BUGALHO
Henry Alfred

Sobre a Felicidade
“Felicidade é uma mentira
que inventamos para nos ­ajudar
a vender eletrodomésticos”,
­confidenciou-me um publicitário.
Tamanho
não é
.DOC

O que os olhos não vêem... 25

“Depois que descobri como se


faz, nunca mais comi salada”,
disse a salsicha.

Poder de síntese
Antes, escrevia 200 páginas sem
­pestanejar; hoje, se chega a 200
­caracteres já começa a ter dores-de-
cabeça.
A verdade sobre Sherazade
Assim que descobriu que ­Sherazade
era manca, desdentada e frígida, o
­sultão mandou decapitá-la antes mesmo
da primeira noite.

O Mistério da Vida
Tamanho
não é
O sábio da montanha
.DOC
­descruzou os braços e disse: o
grande mistério da vida é desco-
26 brir de quem devemos puxar o
saco.

Às vezes, é tarde demais...


A ironia do suicídio é mudar de ideia
em plena queda livre.
BUGALHO
Henry Alfred

Similitudes
Ele comia feito um porco,
r­ oncava feito um porco, fedia
como um porco, mas cagava
como um elefante.
Tamanho
não é
.DOC

O emprego perfeito 27

Um dia, encontrou o emprego


perfeito: test-drive de colchões.

É muito engraçado
Ele explodiu de tanto rir. Tiveram de
recolher seus pedaços num raio de cinco
quilômetros.
Adolescente do futuro
Os dois braços biônicos ­entraram
em pane. Punheta agora só depois da
­assistência técnica.

Hora do almoço
Tamanho
não é
No canavial, ele era conhecido
.DOC
como “o magnata”, porque trazia
lagosta e caviar na marmita.
28

O Duelo
No momento em que o adversário
­ acou a katana, o samurai ­compreendeu
s
o sentido da existência. Então sua
­cabeça rolou pela grama molhada.
BUGALHO
Henry Alfred

O trapezista
Andava sempre na corda bamba, isto
até constatar que ela não era bamba,
aliás, que nem a corda de fato existia.

Tamanho
não é
.DOC

Colecionador 29

Colecionava de tudo. ­Apenas sua


coleção de pentelhos ­encontrados em
banheiros ­públicos pesava mais de 20
­quilos.

Fim da História
O escritor teve uma epifania: o ­ponto
nem sempre significava o fim, mas
podia também ser o começo duma nova
frase.
Atropelamento
O lagarto hesitou no meio da
estrada. O asfalto ardia sob o sol
incadescente. Sem dar-se conta
do caminhão em alta velocidade.

Dia das Mães


Tamanho
não é
Ela almoçava sozinha numa mesa de
.DOC
botequim: a filha se prostituía em São
Paulo, o filho morto pela polícia na noite
30 passada.

Bode expiatório
O coroinha voltou com o cu
­ rrombado. Logo botaram a culpa no
a
padre. Em casa, o pai ria sozinho: havia
escapado desta por pouco.
BUGALHO
Henry Alfred

Ausência
O silêncio estava em cada canto, nos
armários vazios, no quarto quase sem
móveis, no berço vazio. Ela acarinhava
no colo o bebê inexistente.
Tamanho
não é
.DOC

Falta de talento 31

Tocava violão até os dedos ­sangrarem,


mas mal conseguia tirar uma única
canção. Numa realidade paralela, era o
melhor trompetista do mundo.

O Intelectual
Exausto de tanto receber perguntas
estúpidas, ele passou a dar apenas
­respostas imbecis.
Estética da fome
Seis meses num campo de
concentração era bem mais do
que Sarah esperava para perder
aqueles quilinhos a mais.

Distraído
Tamanho
não é
“Hã?”: eis suas últimas palavras
.DOC
antes de ser atingido pelo trem.

32

Catoteiro
Dedo no nariz, pinçava de tudo
- lápis, parafusos, bolinhas de
gude, ervilhas, moedas - menos
meleca.
BUGALHO
Henry Alfred

Viver é arriscado
Sempre lhe diziam: “mergulhe de cara
na vida”.
Foi o que ele fez. Acertou o fundo e
quebrou uma vértebra da coluna. Hoje, é
paralítico. Tamanho
não é
.DOC

Que gracinha! 33

O poodlezinho fofinho só ­gostava


mesmo de carne ­humana.

Não me fazes falta


Enfim ela descobriu o que era aquele
fedor que há meses vinha da garagem:
o marido havia morrido, entalado,
­consertando o motor do carro.
Moça recatada
Apregoava que sexo só depois do
casamento, mas era tão feia que, aos 80
anos, morria ainda virgem.

Corrida bélica
Tamanho
não é
“O teste nuclear foi um sucesso,
.DOC
­general, todos nós morreremos em até
48 horas!”
34

Que menino lerdo!


A mãe o considerava ­retardado, mas,
em seu silêncio ­introspectivo, ele
e­stava ­quase descobrindo a ­irrefutável
e ­definitiva prova matemática da
­existência de Deus.
BUGALHO
Henry Alfred

Busca da iluminação
Saíra pra comprar cigarro e nunca
mais voltara.
“Por causa da amante”, ela ­pensou,
mas o real destino dele era um
­monastério no Tibet. Tamanho
não é
.DOC

Difícil decisão 35

“A cabeça de cima ou de
­ aixo?”, o jagunço balançava o
b
facão.
Aterrorizado, o polícia refletiu
por uns segundos: “Não pode ser
um braço? Assim todos ficam
felizes”.
Rafael T.
OKADA
Vinte e cinco anos, estudan-
te de engenharia mecânica da
Universidade Estadual Paulista
(UNESP), mora atualmente na
­República Vamointão com doze
outros estudandes. E não ve a
hora de formar-se. Sempre gos-
tou de ler, porém nunca escre-
veu nada com mais de cento e
quarenta caracteres.
Orkut, facebook, msn, twitter,
icq, e então percebeu que só
tinha amigos imaginários.

No começo do mundo, deus


Tamanho teve seis dias de caganeira. De
não é segunda à sábado.
.DOC

38

A mãe se desculpava com o filho pois


não tinha perdido o relógio dele, tinha
guardado bem.
OKADA
Rafael T.

O sábio sonhou que era uma borboleta


que sonhava que era George W. Bush. Ao
acordar não sabia se era filho da mãe ou
filho da puta.

Tamanho
não é
.DOC

Na dúvida o professor preferiu 39


ser mendigo, pelo menos não
teria de pagar impostos.

Hoje foi um dia ambíguo,


pensou o senhor. Pois não tinha
câncer de próstata.
Neste momento o adolecente não sabia
se sentia medo, orgulho ou tesão. Mas a
dúvida durou pouco: três minutos.

Era a terceira vez na semana


Tamanho mas ainda não compreendia
não é aquele desafio. Aos cinco anos, o
.DOC menino ainda fazia xixi na cama.
40

Depois de tantos anos, enfim, o


­planeta decidira comprar um veneno
contra pulgas.
OKADA
Rafael T.

“Maria, o que você espera


na vida?”, perguntaram-lhe.
­Respondeu sem demora: “que a
fila ande.”

Tamanho
não é
.DOC

Decidiu trabalhar para ter dinheiro 41


para deitar na rede e beber água-de-
coco. Outro decidiu deitar numa rede e
beber água-de-coco.

Eras e mais eras de avanço


t­ ecnológicos para chegarmos no fim do
universo e não acharmos nada. enfim
sós.
Neste país, após roubarem até
a constituição, decidiram trocar
a bandeira. Agora seria bandeira
de pirata!

O despertador tocou, acordou


Tamanho mas estava escuro. Tateando, foi
não é ao interrupitor. Ligou a luz, mas
.DOC desde aquele dia não encherga.
42

Esse ano pediu ao papai noel uma bola


de futebol, uma bicicleta e uma cadeira
de rodas nova.
OKADA
Rafael T.

Suicidou-se. E flagrou deus nas fontes


termais dos quintos dos infernos.

Sentiu-se valorizado após ter


injetados todos os seus bens e de
seus pais na veia.

Tamanho
Quando o capitalista não é
descobriu que é melhor ser .DOC
feliz, não havia mais ­tempo. 43
Estava tendo um ataque
fulminate.

Esforçava-se muito, ­corria


muito e até barulho, fazia muito.
Seu objetivo era claro. E quando
conseguiu, a roda o atropelou, o
cachorro.
Wilson
GORJ
Autor do livro Sem Contos
Longos. Tem contos, minicon-
tos e poesias publicados em
antologias e premiados em
alguns concursos. Mantém o
blog O Muro & Outras Páginas
(omuroeoutraspgs.­blogspot.com),
onde expõe seus textos e outras
novidades vinculadas ao mundo
da micronarrativa.
I
Aquela dor no peito, quem dera
fosse poesia... Mas era crônica.

II
Tamanho
não é
Era um prefeito muito religioso. A
.DOC
cada obra, pegava um terço.

46

III
Levava uma vida muito corrida. Tudo
nela era abreviado: rs, bjs, abs...
Wilson

GORJ
IV
Um marido exemplar: meigo, atencio-
so, bonito. Só tinha um probleminha.
Era gay.

Tamanho
não é
.DOC

V 47

À entrada da Ilha da Fantasia,


barraram-no. Seu traje de náufra-
go era muito manjado.

VI
A família dele era corintiana; a dela,
palmeirense.
Ainda bem que ambos eram são-
­paulinos!
VII
À beira-mar, enamorou-se de uma
sereia.
Sua paixão morreu a seco. Não sabia
nadar.

VIII
Tamanho Violento, o meu pai? Ele nunca pôs a
não é mão em mim. Nunca!
.DOC Suas surras eram sempre a pauladas.

48

IX
Chorava torrecialmente.
Em seus olhos, duas cataratas.

X
Toda vez que ligava o potente
som do seu carro os ouvidos da
vizinhança ­imediatamente se
convertiam em penico.