A Importância da Responsabilidade Socioambiental Corporativa

Responsabilidade  Socioambiental  são  ações  realizadas  pelas  empresas  que sejam  ALÉM  do  que  é  amparado  ou  estabelecido  por  lei.  Uma  empresa  que realiza  apena  a  destinação  correta  do   Passivo  Ambiental  não  realização  esse trabalho  e  esta  apenas  fazendo  o  correto. Ela se torna  efetiva  quando tange não só  os  dirigentes  das  empresas,  mas  também  seus  funcionários,  fornecedores, clientes e é claro a comunidade onde ela esta inserida. Passivo  ambiental  é  o  conjunto  de  todas  as  obrigações  que  as  empresas  têm com  a  natureza  e  com   a  sociedade,  destinado  exclusivamente  a  promover investimentos em benefícios ao meio ambiente. O  desenvolvimento  sustentável  é  uma  mudança  de  paradigmas  a  que  as empresas  têm  que  submeter.  É  antes  de  tudo,  um  projeto  que  necessita  da participação  de  diversos  agentes  para  a   sua  implantação.  Dentre  os  agentes,  o empresariado se mostra como um ator fundamental para essa mudança. Atualmente,  os  problemas  estão  mais evidentes devido ao fato de alguns recursos naturais  estarem  escasseando  e  por  outro   lado  a  poluição  esta  cada  vez  mais presente  e  causando  prejuízos  a  saúde.  A  escassez  diz  respeito  ao  conceito de estoque enquanto a poluição se refere ao conceito de fluxo. Sob  a  ótica  empresarial  esta  abordagem  significa  elevação  dos  custos  de produção  que  não  agregam  valor  ao  produto  e  que  dificilmente  podem  ser reduzidos  devido a  exigências  legais.  À medida que o controle legal se torna mais rigoroso,  os  custos  ambientais  tendem  aumentar.  O  repasse  dos  custos para os consumidores  também  não  é  uma  solução  interessante,  pois  o  produto  pode perder  o  mercado.  Este  paradigma  empresarial  é  um  dos  fatores  que  mais dificultam  o  envolvimento  mais  ativo  das  organizações  Na solução de problemas ambientais.

1

A valorização da imagem organizacional é uma  conseqüência positiva  e natural da administração  ética  e  não  o  objetivo  final  da  mesma.  As demandas  de  mercado deixaram  de  se   concentrar  apenas  no  produto  para  relacionar­se  a  aspectos ligados  a  própria  empresa  e  de  como  ela  se  apresenta  para  os  seus  clientes. Estratégias  sócio­ambientais  bem sucedidas estão diretamente relacionadas com inovação  e  singularidade, já  que também  são  estratégia de  marketing,  entretanto, quando  é  utilizada  apenas  como  uma  ação  de  marketing,  ela  se  esvazia  e  a empresa se expõe a alguns riscos. Principais Motivos para uma empresa aderir esta postura: 1­  Preferem  ter um produto  um pouco mais caro, mas abraçam um nicho seleto da população  que  preferem consumir  produtos (ou bens) que tenham  uma  qualidade maior. 2­ Utilizam como estratégia de marketing, que alguns percebem como antiética. Parâmetros  para  uma  empresa  se  adequar  a   Responsabilidade Socioambiental ∙         Bom relacionamento com a comunidade; ∙         Bom relacionamento com os organismos ambientais; ∙         Estabelecimento de uma política ambiental; ∙         Eficiente sistema de gestão ambiental; ∙         Garantia de segurança dos empregados e das comunidades vizinhas; ∙         Uso de tecnologia limpa; ∙         Elevados investimentos em proteção ambiental; ∙         Definição de um compromisso ambiental; ∙  Associação das ações ambientais com  os princípios estabelecidos na  carta para o desenvolvimento sustentável; ∙         A questão ambiental como valor do negócio; ∙         Atuação ambiental com base na agenda 21 local; ∙  Contribuição  para  o  desenvolvimento  sustentável  dos  municípios circunvizinhos. Benefícios possíveis: ∙         Melhoria da imagem Institucional ∙         Renovação do “mix” de produto ∙         Aumento da produtividade ∙         Auxilia a motivação dos funcionários e melhores relações de trabalho
2

∙         Melhor entrosamento de cadeia produtiva ∙  Agilidade  e  Criatividade  para  adaptar­se  a  futuras  mudanças e minimização dos riscos ∙         Redução da tributação ∙         Melhores relações com autoridades publicas comunidade e grupos ambientalistas ∙         Fidelização dos clientes ∙         Maior facilidade de cumprir padrões ambientais mais rígidas. ∙         Acesso aos mercados externos ∙         Aumento do interesse dos investidores na empresa Pilares do Desenvolvimento sustentável Social ­ Fundamental por motivos tanto intrínsecos quanto instrumentais, por causa da perspectiva de ruptura social que ocorrem em muitos lugares do planeta. Ambiental  ­ Com  as  suas  dimensões (os sistemas de sustentação  da vida  como provedores de recursos e como “recipientes” para disposição dos resíduos). Territorial ­ Relacionado à distribuição espacial dos recursos. Econômico  ­  sendo  a  viabilidade econômica  a  “Canditio  Sine  Qua  Non” (sem  o qual não pode ser) para que as coisas aconteçam. Político  ­  A  governança  democrática  é  um  valor  fundador   e  um  instrumento necessário para fazer as coisas acontecerem. O  conceito  de  Sobrevivência  sustentável  procura  relacionar  a  idéia  de  que novos  empreendimentos  e  a  inserção  das  populações  da  mais  baixa   renda  em novos  mercados  podem  trazer  benefícios  tanto  as  populações  carentes  quanto para as empresas. Produção  mais  Limpa  ­  Significa  a  aplicação  de  uma  estratégia  econômica, ambiental  e  técnica  integrada  aos  processos  e  produtos  a  fim  de  aumentar  e eficiência  de   uso  de  matérias­prima,  água  e  energia,  através  da  não   geração, minimização  ou  reciclagem  dos  resíduos  gerados  com  beneficio  ambientais  e econômicos para os processos produtivos. A ecoeficiência  pode ser  obtida através da união entre, o fornecimento de bens e serviços  sustentáveis  a   preços  competitivos  que  satisfaçam  as  necessidades humanas,  e  assim,  promove a redução dos impactos ambientais e de consumo de recursos naturais.

3

No  âmbito  da  poluição  ambiental,  um  [sistema]  ecoeficiente  é  aquele  que consegue  produzir  mais  e  melhor,  com  menores  recursos  e  menores  resíduos. Para tal, pressupõem­se oito elementos fundamentais para a ecoeficiência: 1.    Minimizar a intensidade de materiais dos bens e serviços 2.    Minimizar a intensidade energética de bens e serviços 3.    Minimizar a dispersão de tóxicos 4.    Fomentar a reciclabilidade dos materiais 5.    Maximizar a utilização sustentável de recursos renováveis 6.    Estender a durabilidade dos produtos 7.    Aumentar a intensidade de serviço dos bens e serviços 8.  Promover a educação dos consumidores para um uso mais racional dos recursos naturais e energéticos Na  abordagem  preventiva,  a  empresa  procura  atuar  sobre  os  produtos  e processos produtivos para prevenir a  geração  de  poluição,  empreendendo ações com  vistas  a  uma  produção  mais  eficiente  e,  desta  forma,  poupando  material  e energia  em sua atividade produtiva. (sendo um dos 10 princípios do Pacto Global). Esta  abordagem também auxilia a prevenção de acidentes em geral, pois também funciona  como  meta  de  treinamento  dos  colaboradores,  para  se  tornarem motivadamente responsáveis de forma gradativa. GreenWashers:  Esse  termo  é  utilizado  para  denominar  “ações  verdes” incoerentes  com  a  postura  da  empresa.  São  ações  marketing  promovidas  para “maquiar”  uma empresa para terem uma aparência  socioambiental e aproveitar  a “Onda Verde” para ludibriar o cliente. Para entender melhor entender o assunto, assista o documentário: “Greenwashers” ­ Bret Malley https://www.youtube.com/watch?v=FSmD8KWdlD4 Prêmio Nacional de Qualidade (PNQ) Disseminar  os  fundamentos  da  Excelência  em  Gestão  para  o  aumento  de competitividade  das  organizações  e  do Brasil.  O PNQ é utilizado para promover a melhoria  da  qualidade  da  gestão  e  o  aumento  da  competitividade  das organizações.  Por   isso,  o  PNQ  é  considerado  o  maior  reconhecimento  a excelência na gestão das organizações sediadas no Brasil: ­ Liderança ­ Planejamento estratégico
4

­ Foco no cliente e no Mercado ­ Informação e analise ­ Gestão de pessoas ­ Resultado da Organização Principais temas tratados na Agenda 21 Agenda  21  é  um  instrumento  de  planejamento participativo para  a construção  de uma  sociedade  sustentável;  se  admite  de  forma  explícita a responsabilidade dos governos  em  impulsionar  programas  e  projetos  ambientais  através  de  políticas que  visam  à  justiça  social  e  a  preservação  do  meio  ambiente.  Ela  foi  formulada originalmente  durante  a  conferência  internacional Eco­92, realizada na cidade do Rio  de  Janeiro  entre  três  e  quatro  de  junho  de  1992.  Organizada  pela  ONU (Organização das Nações Unidas) contou com a participação de 179 países 1. Combate à pobreza. 2. Cooperação entre as nações para chegar ao desenvolvimento sustentável. 3. Sustentabilidade e crescimento demográfico. 4. Proteção da atmosfera. 5. Planejamento e ordenação no uso dos recursos da terra. 6. Combate ao desmatamento das matas e florestas no mundo. 7. Combate à desertificação e seca. 8. Preservação  dos diversos  ecossistemas  do planeta  com atenção especial aos ecossistemas frágeis. 9. Desenvolvimento rural com sustentabilidade. 10.  Preservação  dos  recursos  hídricos,  principalmente  das  fontes  de  água doce do planeta. 11.  Conservação da biodiversidade no planeta. 12.  Tratamento  e  destinação  responsável  dos  diversos  tipos  de  resíduos (sólidos, orgânicos, hospitalares, tóxicos, radioativos). 13.  Fortalecimento das ONGs na busca do desenvolvimento sustentável. 14.  Educação  como  forma  de  conscientização para as questões de  proteção ao meio ambiente. (Tiago Malta, 06 de Setembro de 2013) tiagomaltapsi@gmai.com (21) 94205918

5

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful