TRABALHO DE DIREITO AGRÁRIO

1) O QUE É CADASTRO RURAL E QUAIS SÃO AS ESPÉCIES DE CADASTRO RURAL? Essa preocupação com o cadastramento dos imóveis rurais não é recente. Começou com a Lei nº 601/1850, art 13, onde o governo manifesta o interesse em conhecer a situação das terras que ele possui. O Considera-se como justificativa dessas leis a defesa da integridade do território nacional, a segurança do Estado e a distribuição da propriedade. Espécies de Cadastro a) De imóveis rurais b) De propriedade e detentores de imóveis rurais c) De arrendatários e parceiros rurais d) De terras publicas 2) QUAIS SÃO AS FINALIDADES DO CADASTRO RURAL? O cadastramento tem duas finalidades: a) Fiscal: onde tem o objetivo de identificar o imóvel e o tipo de sua exploração para efeito de classificação e lançamento do ITR sobre ele. b) Econômica: com o objetivo de fazer um quadro demonstrativo da situação por municípios, ou por regiões, da exploração agrária no país, com todos os problemas existentes. 3) DESCREVA SOBRE A POLÍTICA AGRÁRIA CONTEMPLADA NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 88? A partir da Constituição Federal de 1988 a reforma agrária adquiriu status constitucional, já que a ele foi dedicado um capítulo específico ( artigo 184 e seguintes). Primeiramente observa-se que compete a União e tão somente a ela, a desapropriação por interesse social para fins de reforma agrária. 4) O QUE É CRÉDITO RURAL E QUAIS AS LINHAS DE CRÉDITO RURAL EXISTENTES? O crédito rural é um financiamento destinado a produtores rurais e cooperativas ou associações de produtores rurais. Seu objetivo é estimular os investimentos e ajudar no custeio da produção e comercialização de produtos agropecuários. As linhas de crédito do Pronaf:

• Pronaf Custeio

• Pronaf Custeio e Comercialização de Agroindústrias Familiares . inclusive aquelas relacionadas com projetos de produção e serviços agropecuários e não agropecuários. no estabelecimento rural ou em áreas comunitárias rurais próximas. • Pronaf Agroindústria Linha para o financiamento de investimentos. agropecuários ou não agropecuários.Destina-se ao financiamento das atividades agropecuárias e de beneficiamento ou industrialização e comercialização de produção própria ou de terceiros agricultores familiares enquadrados no Pronaf. exploração extrativista ecologicamente sustentável. ampliação. focados na sustentabilidade dos agroecossistemas.Investimento Destinado ao financiamento da implantação. bem como permitam ao agricultor melhor convívio com o bioma em que sua propriedade está inserida. ampliação ou modernização da infraestrutura de produção e serviços. • Pronaf Eco Linha para o financiamento de investimentos em técnicas que minimizam o impacto da atividade rural ao meio ambiente. o processamento e a comercialização da produção agropecuária e não agropecuária. plano de manejo florestal. inclusive em infraestrutura. que visam o beneficiamento. ou de produtos artesanais e a exploração de turismo rural. • Pronaf Jovem Financiamento de investimentos de propostas de crédito de jovens agricultores e agricultoras. de acordo com a realidade das famílias agricultoras da região Semiárida. priorizando infraestrutura hídrica e implantação. • Pronaf Mais Alimentos . recuperação ou modernização das demais infraestruturas. • Pronaf Agroecologia Linha para o financiamento de investimentos dos sistemas de produção agroecológicos ou orgânicos. de produtos florestais e do extrativismo. • Pronaf Floresta Financiamento de investimentos em projetos para sistemas agroflorestais. • Pronaf Mulher Linha para o financiamento de investimentos de propostas de crédito da mulher agricultora. • Pronaf Semiárido Linha para o financiamento de investimentos em projetos de convivência com o semiárido. incluindo-se os custos relativos à implantação e manutenção do empreendimento. recomposição e manutenção de áreas de preservação permanente e reserva legal e recuperação de áreas degradadas.

o que é um dos objetivos do Decreto n. • Microcrédito Rural Destinado aos agricultores de mais baixa renda. principalmente no que se refere aos métodos de supervisão e controle. ao mesmo tempo. Créditos para agricultores familiares enquadrados no Grupo B e agricultoras integrantes das unidades familiares de produção enquadradas nos Grupos A ou A/C. Como conseqüência direta pode-se observar a inversão da tendência de formação de resultados já a partir da safra 94/95. alguns aperfeiçoamentos à sua base normativa. de forma a permitir a ampliação de sua abrangência e que a definição dos níveis das alíquotas passe a ser feita em bases essencialmente atuariais. todos interessados na maior diluição possível dos riscos. atendam ao produtor e à sua produção. à geração de garantias a seus financiadores.º 2. é intenção da administração do PROAGRO acrescentar. podendo os créditos cobrirem qualquer demanda que possa gerar renda para a família atendida. • Pronaf Cota-Parte Financiamento de investimentos para a integralização de cotas-partes dos agricultores familiares filiados a cooperativas de produção ou para aplicação em capital de giro. 5) O QUE É SEGURO AGRÍCOLA? O Seguro Rural é um dos mais importantes instrumentos de política agrícola. o crédito para comercialização desses produtos.103/94. Finalmente. reduzindo assim a dependência de recursos da União. Contudo. mas também a atividade pecuária. o patrimônio do produtor rural. investidores. O objetivo maior do Seguro Rural é oferecer coberturas que. pela combinação dos diversos ramos de seguro. custeio ou investimento. à sua família. além do seguro de vida dos produtores.º 175/91. seus produtos. resultando na divulgação de novo regulamento pela Resolução n. cobrindo não só a atividade agrícola. . é mais abrangente. parceiros de negócios. permite o financiamento das atividades agropecuárias e não agropecuárias. ainda. 6) COMENTE SOBRE A IMPORTÂNCIA DO PROGRAMA DE GARANTIA DE ATIVIDADE AGROPECUÁRIA – PROAGRO? A percepção dessa realidade levou à adoção de uma postura mais conservadora.Destinada aos agricultores e suas cooperativas ou associações para que financiem as necessidades de custeio do beneficiamento e industrialização da produção própria e/ou de terceiros. por permitir ao produtor proteger-se contra perdas decorrentes principalmente de fenômenos climáticos adversos.

de 3 (três) federações de cooperativas ou cooperativas centrais. admitir associados individuais. • Cooperativas de Terceiro Grau: são as cooperativas cujo quadro social é formado por centrais de cooperativas e federações. Seu quadro social é formado por cooperativas singulares. no futuro. Classificação das cooperativas brasileiras por ramo de atividade: . sendo excepcionalmente permitida a admissão de pessoas jurídicas que tenham por objeto as mesmas ou correlatas atividades econômicas das pessoas físicas ou.confederações de cooperativas. originárias de setor público ou privado. O movimento Cooperativista possui duas classificações para as sociedades cooperativas. é hierárquica. podendo.cooperativas centrais ou federações de cooperativas. DA LEI 5764/71: As sociedades cooperativas são consideradas: I . as constituídas de. desde que reconhecido seu interesse público. II . DE 16 DE DEZEMBRO DE 1971.7) O QUE É COOPERATIVISMO? LEI Nº 5. ainda. 1° Compreende-se como Política Nacional de Cooperativismo a atividade decorrente das iniciativas ligadas ao sistema cooperativo. por Grau. em cooperativas singulares que a elas se filiarão. possui três classificações e se baseia nos quadros sociais. 8) DESCREVA A CLASSIFICAÇÃO DAS COOPERATIVAS EM CATEGORIAS? Art. aquelas sem fins lucrativos. § 2º A exceção estabelecida no item II. 6º. excepcionalmente. in fine. § 1º Os associados individuais das cooperativas centrais e federações de cooperativas serão inscritos no Livro de Matrícula da sociedade e classificados em grupos visando à transformação. por segmento de atuação.764. da mesma ou de diferentes modalidades. do caput deste artigo não se aplica às centrais e federações que exerçam atividades de crédito. A primeira. III . no Brasil. isoladas ou coordenadas entre si. Já a segunda. separa as entidades em 11 ramos. no mínimo. as constituídas pelo número mínimo de 20 (vinte) pessoas físicas.singulares. Art. Classificação por grau: • Cooperativas de Primeiro Grau: têm seu quadro social composto por pessoas físicas. 3 (três) singulares. pelo menos. não possui hierarquia e. as constituídas. • Cooperativas de Segundo Grau: são as centrais de cooperativas e as federações de cooperativas.

comercialização e benefícios aos produtos agropecuários. • Cooperativas de serviço: prestação de serviços específicos. • Cooperativas de mineração: exploração de minério e pedras preciosas. diz: "É lícito às partes estipular contratos atípicos.566/66. em virtude de os contratos típicos serem chamados de nominados por estarem previstos e . também são disciplinados pelo Dec. É neste segmento que a Cooperforte atua.• Cooperativas agropecuárias: produção. Saraiva. • Cooperativas educacionais: fornecimento de ensino com qualidade ou ensino do cooperativismo. assim como os contratos típicos. • Cooperativas de produção: produção de bens e produtos para comercialização em ação cooperativa. Os contratos atípicos. • Cooperativas de trabalho: promoção da força de trabalho de seus associados. definiu da seguinte maneira os Contratos Agrários: "Chama-se de contrato agrário aquele que tem por objeto serviços referentes ao cultivo do solo. 1992. ou sui generis. mediante um salário em moeda ou em frutos cultivados ou colhidos pelo locador". Contratos Agrários Atípicos são contratos não regulamentados por lei. 59. • Cooperativas de crédito: concessão de crédito e prestação de serviços de cunho bancário. entre eles portadores de necessidades especiais. e sua produção. Os contratos atípicos também são erroneamente chamados de contratos inominados. observadas as normas gerais fixadas neste Código". não descritas ou especificadas na lei. 425. • Cooperativas habitacionais: compra ou construção da casa própria a preço justo. • Cooperativas de saúde: prestação de serviços na área de saúde. • Cooperativas de consumo: aquisição e distribuição de bens de consumo. • Cooperativas especiais: compostas por menores de idade e grupos que necessitem de tutela. O novo Código Civil em seu art. 9) O QUE É COLONIZAÇÃO E QUAIS SÃO OS TIPOS EXISTENTES? 10) O QUE É CONTRATO AGRÁRIO? CITE OS CONTRATOS TÍPICOS E ATÍPICOS? Alfredo Vasconcelos em "Dos Contratos Agrícola e Pecuário". que têm por objeto regular relações negociais menos comuns.

NA ÁREA. QUAL A DIVERGENCIA DOUTRINÁRIA COM RELAÇÃO A APLICABILIDADE DO CÓDIGO CIVIL. 11) NA QUESTÃO CONTRATUAL. . OBJETO DO CONTRATO? 16) QUAL A RELAÇÃO DOS BENS PÚBLICOS E O DIREITO AGRÁRIO? EXPLIQUE. EXPLIQUE? 12) QUAIS SÃO OS ELEMENTOS NORTEADORES DAS MODALIDADES CONTRATUAIS DA PARCERIA E DO ARRENDAMENTO? 13) DESCREVA SOBRE O DIREITO DE PREFERÊNCIA NA ALIENAÇÃO DO IMÓVEL RURAL CONTRATADO? 14) QUAIS SÃO AS CAUSAS DE EXTINÇÃO CONTRATUAL? 15) É CASO DE INDENIZAÇÃO AO ARRENDATÁRIO OU PARCEIRO OUTORGADO. sendo assim um contrato atípico. uma vez que o contrato poderá ter seu nome genericamente citado na lei. mas não regulamentado por esta. porém o fato de ser nominado na lei não o caracteriza como típico. Nos contratos atípicos as partes interessadas aproveitam o grau de flexibilidade existente em normas legais supletivas (também chamadas de permissivas ou facultativas).regulados na lei. A EXISTÊNCIA DE UMA PLANTAÇÃO DE SOJA. submetendo-se no mais ao império das normas obrigatórias.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful