CENTRO EVANGÉLICO DE EDUCAÇÃO E CULTURA

ALESSANDRO MICHEREFF CECÍLIA DA MAIA EDILSON JAIR CASAGRANDE MÁRCIO DA COSTA BATISTA NATANAEL DE MELO ROSANE SENA

CONHECENDO O LIVRO DO PROFETA SOFONIAS

JOINVILLE 2008

ii

ALESSANDRO MICHEREFF CECÍLIA DA MAIA EDILSON JAIR CASAGRANDE MÁRCIO DA COSTA BATISTA NATANAEL DE MELO ROSANE SENA

CONHECENDO O LIVRO DO PROFETA SOFONIAS

Trabalho acadêmico para avaliação na disciplina de Antigo Testamento V – Profetas Menores do Curso de Teologia do Centro Evangélico de Educação e Cultura. Professora: Izabel Cristina Veiga

JOINVILLE 2008

iii

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO............................................................................................ 04 01 DESCOBERTAS CIENTÍFICAS DO LIVRO DE SOFONIAS................ 05 02 QUEM É SOFONIAS............................................................................. 05 03 TEMA DO LIVRO................................................................................... 06 04 A MENSAGEM DE SOFONIAS............................................................. 06 05 AUTORIA............................................................................................... 07 06 DATA DO LIVRO................................................................................... 07 07 CENÁRIO HISTÓRICO.......................................................................... 07 08 CENÁRIO POLÍTICO............................................................................. 08 09 CENÁRIO RELIGIOSO.......................................................................... 08 10 CONTEÚDO........................................................................................... 09 11 ESBOÇO DO LIVRO DE SOFONIAS.................................................... 09 CONCLUSÃO............................................................................................. 11 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS........................................................... 12

4

INTRODUÇÃO

Conhecer o profeta Sofonias é resgatar o passado e trazer a atualidade o que ainda acontece e os homens cometem por não conhecer as Escrituras Sagradas. Quanto mais o homem se distancia de Deus, mais sujo ele fica e próximo a perdição ele está. Este trabalho visa ver de perto o tema do livro, os assuntos abordados pelo profeta Sofonias nos capítulos e versículos apresentados no livro de Sofonias, o 36º livro da Bíblia Sagrada. Além de conhecer, ver, analisar, diluir as informações contidas no livro vamos resumir os capítulos do livro para entender a mensagem central do livro. A metodologia utilizada para a realizar deste trabalho é a pesquisa bibliográfica através de diversos autores da teologia cristã nacional e internacional na Biblioteca do CEEDUC.

5

1

DESCOBERTAS CIENTÍFICAS DO COMENTÁRIO DE SOFONIAS

Quando lemos a Bíblia e lemos o livro de Sofonias, não imaginamos que este livro é real e foi encontrado a partir das descobertas das cavernas de Qumran. Foi em abril de 1947, em Israel no vale de Khirbet Qumran, próximo às encostas do Mar Morto, o pastor beduíno, Juma Muhamed, enquanto recolhia seu rebanho e quando estava seguindo uma ovelha desgarrada, percebeu que havia entre duas rochas uma extensa fenda. Curioso, pegou uma pedra e atirou, foi quando ouviu o ruído de um vaso se quebrando. Naquele vaso ele encontrou diversos pergaminhos. A partir deste momento, foi caracterizado como um marco para o mundo arqueológico: A Descoberta dos Manuscritos do Mar Morto. Em 11 cavernas das ruínas de Qumran foram encontrados centenas de pergaminhos que datam – através de testes realizados com carbono 14 – do terceiro século a.C até 68 d.C. Os Manuscritos do Mar Morto foram escritos em três idiomas: Hebreu, Aramaico e Grego, totalizando quase mil obras. Eles incluíam manuais de disciplinas dos Essênios, que segundo o Dicionário Aurélio, “os Essênios pertencem a uma das seitas judaicas, do II séc. a.C. ao primeiro séc. d.C., e que constituía um grupo fechado, coeso, de vida ascética1”. Foram encontrados também hinários, comentários bíblicos, escritos apocalípticos, cópias do livro de Isaías e quase todos os livros do Antigo Testamento.

2

QUEM É SOFONIAS O nome Sofonias significa “O Senhor escondeu”, ele foi profeta em Judá.

Sofonias identificou-se melhor do que qualquer outro dos profetas menores, era tataraneto do Rei Ezequias, um bom rei que levou o povo de volta a Deus durante o tempo do profeta Isaías.

1

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário Aurélio Eletrônico, Século XXI. Editora Nova Fronteira. Novembro de 1999.

6

Segundo Pfeiffer, “o profeta nasceu durante o cruel reinado de Manasses (692-638 a. C.), que ‘derramou muitíssimo sangue inocente, até encher a Jerusalém de um ao outro extremo’ (II Rs 21.16)”2. Segundo Champlin, ele foi “levita do ramo caotita de sacerdotes. Hemã, descendente distante, serviu no ministério da música no tabernáculo. Sofonias também era um servo no ministério da música no tabernáculo. Ele foi um ancestral de Samuel, o juiz e profeta (I Cr 6.36)”3. Sofonias foi contemporâneo ao Rei Josias e seu parente distante, pois era da linhagem real, suponha-se que ele era amigo do Rei Josias.

3

TEMA DO LIVRO O tema do livro é: A grande ira do Senhor e a redenção do “dia do

Senhor”.

4

A MENSAGEM DE SOFONIAS Sofonias aponta a causa do juízo de Deus, proclamando a degeneração

moral do povo. Ele, entretanto, torna claro que a porta da misericórdia está aberta para aqueles que sinceramente se arrependem. O profeta vê o significado de tudo isto à luz do propósito de Deus em enviar o seu Filho, o Senhor Jesus, como o Messias de Israel e o Salvador de toda a humanidade. Segundo Schökel, Sofonias “conclui, como outros profetas, com uma profecia de esperança. Como poeta é menos pessoal, recolhe temas da tradição profética e os compõe com o procedimento da enumeração. Sofonias viva à sombra do seu grande contemporâneo Jeremias”4.

2

PFEIFFER, Charles F. e HARRISON, Everett F. Comentário Bíblico Moody. São Paulo, SP. IBR. 1994. pp 343 3 CHAMPLIN, R. N. O antigo testamento interpretado versículo por versículo. São Paulo, SP. Candeia. 2000. pp 5311 4 SCHÖKEL, Luís Alonso. Bíblia do Peregrino. São Paulo, SP. Paulus. 2002. pp 2266

7

5

AUTORIA Segundo Pfeiffer, “o primeiro versículo de Sofonias (usando a fórmula

costumeira das obras dos profetas) indica que o livro constitui a mensagem que Deus concedeu ao profeta e que o profeta mesmo registrou”5. Não temos motivos para considerar esta indicação como inserção de algum escritor não identificado posteriormente.

6

DATA DO LIVRO Embora sofonias tivesse nascido durante o reinado de Manassés, ele não

assumiu seu ofício profético até o começo do reinado de Josias, provavelmente em 627-626 a. C. Presumivelmente a profecia foi escrita não muitos anos depois. O livro foi escrito entre 630 e 625 a. C.

7

CENÁRIO HISTÓRICO O ministério de Sofonias ocorreu durante o reinado de Josias, 640 – 609

a. C., e antes da queda de Nínive em 612 a. C.. Segundo Ellisen, “a firme condenação da idolatria e indisciplina sugere que ele tenha profetizado antes de 621 a. C., se não antes de 628 a. C., quando Josias realizou a grande reforma. Se a profecia tiver precedido a primeira purificação, 630 a. C. será a data provável. Se precedeu a purificação posterior, 625 a. C. será a data mais conveniente”6.

PFEIFFER, Charles F. e HARRISON, Everett F. Comentário Bíblico Moody. São Paulo, SP. IBR. 1994. pp 343 6 ELLISEN, Stanley. Conheça melhor o antigo testamento. São Paulo, SP. Editora Vida. 2007. pp 378

5

8

8

CENÁRIO POLÍTICO

O profeta Sofonias desempenhou seu ministério no início do ministério do profeta Jeremias, que foi seu grande contemporâneo. Tanto o cenário internacional quanto o nacional passavam por profundas transformações. A Assíria estava em declínio, a Babilônia ascendia ao poder sob Nabopolassar – que segundo Champlin, foi “rei da Babilônia de 626 a 605 a. C. Foi o primeiro rei da dinastia caldéia. Foi o pai de Nabucodonosor II. Começou sua carreira como pequeno chefe caldeu do sul da Babilônia. Tornou-se rei por ocasião da morte do rei Assurbanipal, da Assíria, em 626 a. C.”7 – e o Egito penetrava na Palestina, mas não de modo eficiente. Segundo Ellisen, “Judá tinha-se enfraquecido durante o longo reinado de Manassés e era praticamente um vassalo da Assíria. Josias começou seu reinado de 31 anos em 640 a. C. com 8 anos de idade, diante de uma nação muito enfraquecida tanto política quanto moralmente”8.

9

CENÁRIO RELIGIOSO O rei Josias começou a reinar após 55 anos de derramamento de sangue

e corrupção moral sob Manassés e Amon. Seu reinado pode ser dividido em diversos períodos, de conformidade com II Crônicas 34: 640 – 632 a. C.: princípio de reinado até buscar o Senhor aos 16 anos. Neste período, segundo Josefo, “desde a idade de 12 anos, uma prova ilustre de sua piedade e de sua justiça, pois exortou o povo a renunciar ao culto dos falsos deuses, para adorar o Deus de seus antepassados e começou, desde então, a restaurar a antiga observância das leis, com tanta prudência, como se ele já tivesse muito mais idade”9. 632 – 629 a. C.: período de reinado depois de buscar o Senhor, antes da reforma.

CHAMPLIN, R. N. O antigo testamento interpretado versículo por versículo. São Paulo, SP. Candeia. 2000. pp 4845 8 ELLISEN, Stanley. Conheça melhor o antigo testamento. São Paulo, SP. Editora Vida. 2007. pp 378-379 9 JOSEFO, Flávio. História dos Hebreus. Rio de Janeiro, RJ. CPAD. 1990. pp 220

7

9

628 – 621 a. C.: primeira purificação da idolatria em Jerusalém e todo Israel. 621 – 609 a. C.: posterior purificação depois de o Livro da Lei ser encontrado no templo e o povo ter-se reunido para renovação da aliança. Sofonias, segundo Ellisen, “pode ser considerado o profeta que influenciou Josias a voltar-se para o Senhor e o ajudou nas fases da reforma, apresentando ao povo um dos quadros bíblicos mais aterradores do julgamento”10.

10

CONTEÚDO / MENSAGEM Segundo Backer, “o livro traz em seu conteúdo o Dia de Iavé. Embora não

seja o primeiro nem o último do profetas a escrever sobre o assunto, tal devoção a um único tema não se encontra em nenhum outro. O fato de esse dia ser como uma moeda, abrangendo duas faces, porém relacionadas, são o juízo e a benção”11. No livro, o profeta fala do dia do Senhor, em que Ele vai castigar o povo de Judá e os moradores de Jerusalém. Porém Ele castigará também os outros povos, e as cidades dos filisteus serão destruídas. Mas a cidade de Jerusalém, depois de ser castigada, receberá de novo a graça e as bênçãos de Deus.

11

ESBOÇO DO LIVRO DE SOFONIAS I. A determinação do Senhor (1.1-6) A. Para julgar completamente (1.2-4) B. Para julgar eqüitativamente (1.5, 6) II. O dia do Senhor (1.7 – 3.8) A. As pessoas mencionadas (1.7-13) 1. Os poderosos: Muito independentes para ouvir (1.10, 11)

ELLISEN, Stanley. Conheça melhor o antigo testamento. São Paulo, SP. Editora Vida. 2007. pp 379 11 BACKER, David W. ALEXANDER, T. Desmond. STURZ, Richard J. Obadias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuque e Sofonias. Introdução e comentário. São Paulo, SP. Editora Vida Nova. 2001. pp 369

10

10

2. A turba: Muito injusta para ouvir (1.9) 3. Os comerciantes: Muito envolvidos para ouvir (1.10, 11) 4. A maioria: Muito indiferente para ouvir (1.12, 13) B. O período mencionado (1.14 – 18) 1. Sua proximidade (1.14) 2. Sua natureza (1.15 – 18) C. Os lugares mencionados (2.1 – 3.8) III. A libertação do Senhor (3.9, 10) A. O ajuntamento de Israel (3.9, 10) B. O arrependimento de Israel (3.11 – 13) C. O regozijo de Israel (3.14, 15) D. O redentor de Israel (3.16 – 20)12

12

PHILLIPS, John. Explorando as escrituras. Rio de Janeiro, RJ. CPAD. 2004. pp 152

11

CONCLUSÃO

O livro de Sofonias pode ser lido como composição unitária, semelhante às escatologias proféticas, ou como exemplo delas. Celebra-se um julgamento solene, definitivo em relação a uma etapa, ao que se segue a grande restauração que implanta o reino do Senhor. O julgamento é celebrado num dia estabelecido e num espaço de

dimensões cósmicas. Termina o tempo da paciência e do perdão, é preciso prestar contas finais, o Senhor pronuncia a sentença. Por isso, é um dia de ira, introduzido por uma teofania surpreendente. A restauração é tempo de alegria mútua, do Senhor e do seu povo; tempo de mudança interna e definitiva; terminam o temor e a opressão e retornam os dispersos.

12

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1 PFEIFFER, Charles F. e HARRISON, Everett F. Comentário Bíblico Moody. São Paulo, SP. IBR. 1994. pp 343 2 CHAMPLIN, R. N. O antigo testamento interpretado versículo por versículo. São Paulo, SP. Candeia. 2000. pp 5311 3 FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário Aurélio Eletrônico, Século XXI. Editora Nova Fronteira. Novembro de 1999. 4 SCHÖKEL, Luís Alonso. Bíblia do Peregrino. São Paulo, SP. Paulus. 2002. pp 2266 5 PFEIFFER, Charles F. e HARRISON, Everett F. Comentário Bíblico Moody. São Paulo, SP. IBR. 1994. pp 343 6 ELLISEN, Stanley. Conheça melhor o antigo testamento. São Paulo, SP. Editora Vida. 2007. pp 378 7 CHAMPLIN, R. N. O antigo testamento interpretado versículo por versículo. São Paulo, SP. Candeia. 2000. pp 4845 8 ELLISEN, Stanley. Conheça melhor o antigo testamento. São Paulo, SP. Editora Vida. 2007. pp 378-379 9 JOSEFO, Flávio. História dos Hebreus. Rio de Janeiro, RJ. CPAD. 1990. pp 220 10 ELLISEN, Stanley. Conheça melhor o antigo testamento. São Paulo, SP. Editora Vida. 2007. pp 379 11 BACKER, David W. ALEXANDER, T. Desmond. STURZ, Richard J. Obadias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuque e Sofonias. Introdução e comentário. São Paulo, SP. Editora Vida Nova. 2001. pp 369 12 PHILLIPS, John. Explorando as escrituras. Rio de Janeiro, RJ. CPAD. 2004. pp 152

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful

Master Your Semester with Scribd & The New York Times

Special offer for students: Only $4.99/month.

Master Your Semester with a Special Offer from Scribd & The New York Times

Cancel anytime.