Você está na página 1de 8

MUNDO RURAL E MUNDO URBANO

Trabalho realizado por: Marlene Pires

Modulo: Modelos de Urbanismo e Mobilidades

Fevereiro de 2009
Formação Profissional
Co-financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português

Índice

O MUNDO RURAL E O MUNDO URBANO................................................3


Mundo Rural................................................................ ..................3
Mundo Urbano.................................................. .............................5
MAPA DA EVOLUÇÃO DA DENSIDADE DE POPULAÇÃO EM PORTUGAL.........6
MAPA DA EVOLUÇÃO DA DENSIDADE DE POPULAÇÃO EM PORTUGAL NAS
CIDADES..................................................................... ....................7
CONCLUSÃO............................................... .....................................8

Curso: Técnico/a de Controlo de Qualidade Alimentar

Governo da República
Portuguesa

Página | 2
Formação Profissional
Co-financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português

O MUNDO RURAL E O MUNDO URBANO

Mundo Rural

Mundo rural: mais vegetação, espaços


verdes; tranquilidade, liberdade para as
crianças, não têm escolas, não têm cinemas,
não têm supermercados.equenas comunidades, da
produção não massificada, é mar das pequenas
comunidades, da produção não massificada, é marcado
pela exclusão e afastamento aos grandes centros

Uma grande vantagem do meio rural é a


possibilidade de ingerir comida biológica, os
animais vão pastar para as serras e campos
onde comem comida sem hidróxido de
carbono.

Não têm transportes acessíveis, as


camionetas passam duas a três vezes ao dia
não facilitando a vida as pessoas

No meio rural podem fazer-se


caminhadas, desfrutar da paisagem
respirando ar puro.

Curso: Técnico/a de Controlo de Qualidade Alimentar

Governo da República
Portuguesa

Página | 3
Formação Profissional
Co-financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português

No meio rural cultivam para comer, criam animais para o seu


consumo, algum produto para vender para poderem pagar as
despesas. Para obterem os bens essenciais, os habitantes do campo
têm que se deslocar ao meio urbano, também para fazer os
pagamentos como luz, água, finanças, bancos e quando precisam de
ir ao centro de saúde e farmácias. As crianças para terem uma
educação têm que se deslocar para o meio urbano onde há escolas,
bibliotecas, centros de formação, lazer, cinemas, etc. As ruas
principais são estreitas, ainda não são alcatroadas. Os acessos ainda
são precários, à noite não têm luminosidade. As pessoas conhecem-
se umas às outras. No meio rural encontram-se casas abandonadas,
por causa da migração, outras já estão a ser restauradas pelos
herdeiros para poderem passar férias ou finais de semana, escapando
ao stress.

Concebido o rural como o local, autárquico, fechado, com pautas


socioeconómicas e valores próprios, uma estrutura social a partir da
propriedade da terra entendida como a territorialização do agrícola,
teria como resultado o facto de que o progresso é a absorção do
rural, os ajustes são exógenos e passivos, o agrícola tem um
comportamento residual. No Meio Rural o ambiente é 75 por cento
natural e a organização das ruas é pouco frequente.

Curso: Técnico/a de Controlo de Qualidade Alimentar

Governo da República
Portuguesa

Página | 4
Formação Profissional
Co-financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português

Mundo Urbano

Meio Urbano
é mais organizado em termos de
arruamento.
é mais poluente em termos de ambiente
sonoro.

No meio urbano há arranha-céus, as


pessoas mal se conhecem.

No meio urbano tem-se mais facilidades para conseguir trabalhos,


estudos tem-se mais ligação com os outros, as pessoas vivem com
stress, há uma rotina nos adultos (casa - trabalho e vice-versa) e nas
crianças (casa - escola e vice-versa) que no meio rural não há: as
crianças têm “liberdade”, podem brincar nas ruas e no parque se
existir. Os habitantes dos arranha-céus necessitam de descontrair e,
para isso, têm que se deslocar para o meio rural onde tem o sossego
que tanto necessitam. A tranquilidade que no meio urbano não
existe, o ouvir dos pássaros, o desfrutar da paisagem o ar puro que
se respira, comer comidas saudáveis, não ter a preocupação e o
stress do dia-a-dia, hoje em dia já se deslocam pela gastronomia de
cada região para comprar os produtos biológicos que eles produzem.
As populações para terem uma melhor vida deslocam-se para o litoral
como se vê nos mapas que se seguem:

Curso: Técnico/a de Controlo de Qualidade Alimentar

Governo da República
Portuguesa

Página | 5
Formação Profissional
Co-financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português

MAPA DA EVOLUÇÃO DA DENSIDADE DE POPULAÇÃO


EM PORTUGAL

Fonte: INE

Verificou-se que entre 1991 e 2001 houve um aumento de população


no litoral devido à migração do interior, devido a melhorias
económicas, melhores empregos, melhores condições habitacionais.

Exemplos concretos da variação de densidade registada


Zona Norte
• Tâmega - a densidade populacional em 1991 era de 194,27
habitantes por km2, aumentando em 2001 a sua população para
210,33 por km2.
• Douro - a densidade populacional em 1991 era de 58,08
habitantes por km2, diminuindo a sua população em 2001 para
53,98 por km2 .

Curso: Técnico/a de Controlo de Qualidade Alimentar

Governo da República
Portuguesa

Página | 6
Formação Profissional
Co-financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português

MAPA DA EVOLUÇÃO DA DENSIDADE DE POPULAÇÃO


EM PORTUGAL NAS CIDADES

Fonte: INE

No mapa apresentado é evidente a deslocação da população para o


litoral e para os centros urbanos.

Curso: Técnico/a de Controlo de Qualidade Alimentar

Governo da República
Portuguesa

Página | 7
Formação Profissional
Co-financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português

CONCLUSÃO

Nas cidades, as crianças já podem ir para as escolas sem ter a


preocupação de ter que ir para o campo trabalhar, há centros de
saúde, bancos, posto de correios, finanças, supermercados, cinemas,
locais de lazer. No interior ficou mais pobre sem juventude, sem
ninguém para trabalhar nos campos, só ficaram os mais velhos com
as dificuldades.
A população prefere ir para as cidades para terem melhores
condições de vida, deixando para trás a pobreza.
A vida mudou nestes tempos hoje não querem ouvir falar em ir para
o interior a não ser para passar férias e de visita.
A população em Portugal viveu um “Big Ben” no litoral, deixando para
trás anos de sofrimento e de insegurança vividos no interior, deixando
as suas casas em busca de melhores condições.

Curso: Técnico/a de Controlo de Qualidade Alimentar

Governo da República
Portuguesa

Página | 8