Você está na página 1de 9

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CENTRO DE TECNOLOGIA DA ELETRONORTE

RELATÓRIO DE ATIVIDADES

CALIBRAÇÃO DOS SENSORES DE NÍVEL DE MONTANTE E DE JUSANTE INSTALADOS NA UHE TUCURUÍ

PROJETO: Desenvolvimento de Sistema de Diagnóstico e Base de Conhecimento para Auxílio à Manutenção Preditiva de Hidro-Geradores.

Belém – Pará Abril de 2009

1.

OBJETIVO

Verificação de funcionamento e levantamento de curva de calibração dos sensores de nível ultra-sônico da KAB INSTRUMENTS de montante e de jusante instalados na UHE Tucuruí.

2. LOCAL

UHE Tucuruí.

3. PERÍODO

05 a 08 de abril de 2009.

4. PARTICIPANTES

Jorge Rebelo - CTC

Wilson - CTC

Rangel - CTC

Ednelson Costa - UFPA

Anderson Sena – UFPA

5. ATIVIDADES REALIZADAS

5.1. Deslocamento dos pesquisadores da UFPA

No dia 05 de abril ocorreu o deslocamento dos pesquisadores da UFPA, Ednelson Costa e Anderson Sena, saindo de Belém para a cidade de Tucuruí através de ônibus intermunicipal. Enquanto que no dia 08 de abril ocorreu o deslocamento dos mesmos de Tucuruí para Belém através de transporte aéreo.

5.2. Inspeção visual do local de instalação dos sensores

Sob a supervisão do Eng. Jorge Rebelo, foi feita a inspeção visual da instalação dos sensores de nível de montante e de jusante, onde também foram verificados os módulos SUMPI MR, responsáveis pela alimentação dos sensores,

leitura e transmissão dos valores medidos. Foi observado que os mesmos encontravam-se desativados (desenergizados). Isso foi constatado após ter-se realizado a medição da tensão nos terminais de entrada do disjuntor que alimenta esses módulos.

nais de entrada do disjuntor que alimenta esses módulos. Figura 1 - Local de instalação dos
nais de entrada do disjuntor que alimenta esses módulos. Figura 1 - Local de instalação dos

Figura 1 - Local de instalação dos sensores de nível de jusante e de montante

Na ocasião, o Eng. Jorge Rebelo se encarregou de verificar a causa do problema junto a equipe responsável pela parte elétrica da própria usina, de modo a restabelecer a alimentação dos módulos SUMPI MR que era feita em 220 V.

alimentação dos módulos SUMPI MR que era feita em 220 V. Figura 2 - Local de
alimentação dos módulos SUMPI MR que era feita em 220 V. Figura 2 - Local de

Figura 2 - Local de instalação do módulo SUMPI MR da jusante

Além disso, nos foi informado que o sistema de monitoração DIAHGER, responsável pela leitura dos valores de nível de montante e jusante, valores estes fornecidos pelos sensores ultra-sônicos, encontrava-se fora de operação.

5.3. Verificação do funcionamento dos sensores de nível

Os sensores de nível de montante e de jusante foram retirados dos seus locais de instalação para que pudesse ser feita a limpeza e verificação de

funcionamento, pois como os seus circuitos encontravam-se desenergizados, surgiu a preocupação de que os sensores ultra-sônicos e os seus respectivos módulos SUMPI MR não estivessem mais funcionando.

módulos SUMPI MR não estivesse m mais funcionando. Figura 3 - Desinstalação dos sensores ultra-sônicos A

Figura 3 - Desinstalação dos sensores ultra-sônicos

A limpeza foi necessária, pois foi constatada muita sujeira no interior dos sensores como acúmulo de teia de aranha, conforme mostrado na figura abaixo. Também foram retirados os módulos SUMPI MR para teste de funcionamento em bancada, visto que no painel onde os mesmos estavam instalados não havia alimentação disponível. Após o teste foi constatado que os mesmos estavam funcionando normalmente.

constatado que os mesmos estavam funcionando normalmente. Figura 4 - Sujeira encontrada na parte interna dos

Figura 4 - Sujeira encontrada na parte interna dos sensores

Foram recuperadas as conexões elétricas entre os sensores e os seus módulos SUMPI MR, pois as mesmas estavam oxidadas. Além disso, foi feita a montagem do circuito para o levantamento das curvas de calibração dos sensores com o apoio dos senhores Wilson e Rangel, que integram a equipe técnica do laboratório de instrumentação mecânica da UHE Tucuruí.

5.4. Levantamento da curva de calibração dos sensores

Foi levantada a curva de calibração dos sensores de nível de jusante e de montante, utilizando as mesmas configurações no módulo SUMPI MR utilizadas pela equipe do ensaio anterior. Também foram utilizadas várias configurações no teste realizado. O local escolhido para o ensaio foi o piso da casa de força da primeira etapa da UHE Tucuruí, próximo ao elevador que leva para o laboratório de instrumentação mecânica.

le va para o laboratório de instrumentação mecânica. Figura 5 - Local escolhido para a realização

Figura 5 - Local escolhido para a realização do ensaio

O ensaio foi feito com o sensor na horizontal, instalado em um carrinho de modo que pudesse ser deslocado para fazer a variação e medição da distância do sensor em relação a uma parede. Desse modo, com o sensor apontado para a parede, as distâncias eram estabelecias com a trena e, posteriormente, eram anotados os valores medidos pelo sensor em metros e, também, o seu valor de saída de corrente elétrica.

e, também, o seu valor de saída de corrente elétrica. Figura 6 - Levantamento da curva
e, também, o seu valor de saída de corrente elétrica. Figura 6 - Levantamento da curva

Figura 6 - Levantamento da curva dos sensores de nível ultra-sônicos

5.5. Instalação dos sensores nos locais de origem

Posteriormente, os sensores de nível de montante e jusante e os seus respectivos módulos SUMPI MR foram novamente instalados nos seus locais de origem. Porém, os módulos SUMPI MR e consequentemente os sensores continuaram desligados, pois a alimentação no terminal de entrada do disjuntor ainda não havia sido restabelecida.

6. CURVA DE CALIBRAÇÃO DO SENSOR DE NÍVEL DE JUSANTE

6.1. Configuração utilizada no módulo SUMPI MR

Security code: 4998 Rate of change: 0,3 m/min Solid/Liquid: Solid Operation mode: Distance Meters/Feet Mode: Meters Maximum distance: 15 m Span: 13 m Blanking distance: 2 m

6.2. Valores medidos para levantamento da curva

 

Calibração do Sensor de Nível da Jusante

Distância Medida na Trena

Distância Medida pelo Sensor

Corrente de Saída do Sensor

(m)

(m)

(mA)

3

3,30

4,79

4

4,25

6,76

5

5,01

7,68

6

6,11

9,01

7

7,05

10,18

8

8,11

11,40

9

8,97

12,45

10

9,96

13,62

11

11,05

14,91

12

11,98

15,99

13

12,88

17,07

14

13,85

18,18

15

14,87

19,36

6.3. Curva de calibração apresentada pelo sensor

6.3. Curva de calibração apresentada pelo sensor 6.4. Equação da curva de calibração D(m) = 0,8381

6.4. Equação da curva de calibração

D(m) = 0,8381 . I(mA) – 1,4268

7. CURVA DE CALIBRAÇÃO DO SENSOR DE NÍVEL DE MONTANTE

7.1. Configuração utilizada no módulo SUMPI MR

Security code: 4999 Rate of change: 0,4 m/min Solid/Liquid: Solid Operation mode: Distance Meters/Feet Mode: Meters Maximum distance: 15 m Span: 13 m Blanking distance: 2 m

7.2. Valores medidos para levantamento da curva

 

Calibração do Sensor de Nível da Montante

Distância Medida na Trena

Distância Medida pelo Sensor

Corrente de Saída do Sensor

(m)

(m)

(mA)

3

3,47

5,83

4

4,43

7,00

5

4,99

7,67

6

5,99

8,87

7

6,99

10,07

8

7,99

11,28

9

8,95

12,42

10

9,93

13,59

11

10,95

14,79

12

11,93

15,93

13

12,87

17,03

14

13,99

18,32

15

14,95

19,45

7.3. Curva de calibração apresentada pelo sensor

19,45 7.3. Curva de calibração apresentada pelo sensor 7.4. Equação da curva de calibração D(m) =

7.4. Equação da curva de calibração

D(m) = 0,8419 . I(mA) – 1,4672

8.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Pelas curvas obtidas observa-se que os sensores mantêm uma resposta linear, apresentando erro de medição em torno de 1 % para os valores medidos acima de 5 m. Os valores iniciais como 3 e 4 metros apresentaram diferença elevada como a maior encontrada que foi de 47 cm para o sensor de nível de montante. Provavelmente isso se deve a uma certa imprecisão dos sensores para medições relativamente pequenas.

Durante os ensaios foi observado que era necessário aguardar cerca de 5 minutos para o valor medido pelos sensores se estabilizar na medição próxima da distância estabelecida pela trena, sempre que essa distância do sensor em relação a parede era alterada.

Abaixo é exibida a ilustração da posição do sensor em relação a parede para um melhor entendimento da distância do sensor em relação a parede considerada nos ensaios .

a parede para um melhor entendimento da di stância do sensor em relação a parede considerada