EXMº SR. DR.

DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL – 5ª REGIÃO

HABEAS CORPUS Nº 3463/RN (2008.84.00.010185-1) Impetrante: Manuel de Jesus Soares – RJ019552 Paciente: Nagib Teixeira Suaid Relatora: Des. Federal Margarida Cantarelli

ANIZ ABRAHÃO DAVID vem nos autos do Habeas corpus supramencionado, o qual foi impetrado em favor de NAGIB TEIXEIRA SUAID, com base no que dispõe o art. 580 do Código de Processo Penal, Reiterar o pedido formulado de Extensão, dos efeitos da ordem do Habeas corpus concedido, nos autos do processo nº 3463/RN, em razão dos fatos que passa a expor. Ao conceder a ordem de Habeas Corpus em favor de NAGIB TEIXEIRA SUAID, a Egrégia Quarta Turma deste Tribunal, por unanimidade, decidiu que: “Confesso um certo receio na abrangência dada à investigação realizada pela Polícia

dentre o quadro de suspeitos. não identifico um liame tão forte entre o esquema financeiro investigado e o paciente níqueis Nagib nas e Suaid. conhecimento sobre as atividades mais complexas do grupo em território potiguar. uma vinculação entre a operadora Marlene Chueke e o grupo potiguar do espanhol Francisco Rico. da repito. Todavia.Federal no Rio Grande do Norte quanto à admissão pura e simples de conexão entre crimes tipicamente fluminense (praticados no Estado do Rio de Janeiro) e as condutas de crime de lavagem de dinheiro com amparo de agências de turismo e doleiros. como é óbvio. teria um papel secundário frente aos supostos controladores. Ela. a ser apurada. cidades sequer que. Baixada demonstra restringe-se a controlar o negócio de caçaFluminense. pela via processual adequada. de fato. Percebo. mas ainda assim poderia ser vinculada ao “grupo das operações de câmbio”. 2 .

01. incorrendo em possível bis in idem.812262-4).Ao tecer tais considerações. Minha consideração é de ordem processual. Vejo.51. Aliás. 2007. 3 . desde a petição inicial até as informações processuais.807725-4. pois em vários momentos destes autos. o risco de duplicidade ou sobreposição no exercício da persecução criminal. constando como objetos os crimes de lavagem de dinheiro e descaminho. da qual faz parte o Rio de Janeiro.°s 2007.8068915 e 2007.807604-3. 2007. até porque são perceptíveis os indícios de autoria contra ele produzidos pelo criterioso relatório policial. ou atraindo para a 5ª Região o que seria próprio da 2ª Região.51. não pretendo isentar previamente Nagib Suaid de qualquer responsabilidade.01.01. é noticiada a existência de ação penal contra Nagib e seu suposto chefe Aniz Abrahão David em trâmite na 6ª Vara Criminal Federal do Rio de Janeiro (fl.01.51. 393).51. há mais de feito em curso contra o ora paciente (processos n. portanto.

a prisão do paciente Nagib Suaid também não preenche os requisitos do art. para o curso das ações penais recentemente intentadas na Justiça Federal do Rio Grande do Norte. cumpre-me esclarecer que. enfatizei neste caso a questão da competência desta 5ª Região para apreciar conexão matérias não está relativas a fatos com específicos do Rio de Janeiro. Novamente. dentro da esfera cognitiva da 5ª Região. pelo que a instrução desse segundo bloco ou a ordem pública não serão prejudicadas com a liberdade do paciente. ressalte-se. cabendo aos magistrados federais da 2ª Região o exame sobre as demais condutas sob persecução. cuja comprovada suficiente nitidez.Como visto. retorno à minha tese sobre a distinção dos grupos (ou partes do mesmo grupo) na exploração do jogo ilegal e nas operações ilícitas de câmbio. Isso. segundo minha observação dos fatos. Todavia.” 4 . Sua soltura não representará um perigo insuportável para as investigações – ou melhor. 312 do CPP.

com redação dada pela Emenda Regimental nº 35. antes do mais. de 22/10/2007). Exa. Descendo a analise do pedido de extensão formulado por Alexandre Monte Pereira 5 . o caráter excepcional e urgente da situação descrita nos autos. assim como a ordem pública. 16 do Regimento Interno deste Tribunal. afirmando que: “Registro. não serão prejudicadas com a liberdade do paciente”. e b – as investigações. art. quando do deferimento de pedido de Liminar em favor de ALEXANDRE MONTE PEREIRA DIAS e CLEVELAND PEREIRA MORAES.É dizer: a concessão da ordem de habeas corpus em favor do Paciente se fundou nas seguintes premissas: a – ausência de conexão entre as condutas tidas como delituosas praticadas no Estado do Rio de Janeiro e as condutas de crime de lavagem de dinheiro com amparo de agências de turismos e doleiros.. Decisão esta que foi Ratificada por V. a justificar a atuação desta presidência no feito (cf.

observo que. ibi eadem dispositio. RJ. sendo seu homem de confiança no tocante a administração da arrecadação da baixada fluminense.. A similitude de situações entre o paciente Nagib Teixeira Suaid e os ora requerentes encontra-se evidenciada pela conclusão das investigações. descrita no bojo do decreto que determinou a preventiva. sendo subordinado diretamente a NAGIB TEIXEIRA SUAID. integrante da organização que explora máquinas caça-níqueis. É. não justifica a manutenção da custód ia preventiva em relação aos requerentes: ubi eadem ratio. de fato. função em que é auxiliado por ALMIR JOSÉ DOS REIS e ALEXANDRE MONTE PEREIRA DIAS. onde divide a gerencia da BANCA de Nilópolis. ainda auxiliado por ALAN (CLEVELAND PEREIRA MORAES) 6 . Está subordinado diretamente a ANIZ ABRAHÃO DAVID. (. verbis: XI – NAGIB TEIXEIRA SUAID .) XIII – ALEXANDRE MONTE PEREIRA DIAS conhecido por GORDINHO. RJ com ALMIR JOSE DOS REIS..Dias e Cleveland Pereira Moraes. e a luz dos fundamentos adotados pela Quarta Turma deste Egrégio que determinou a concessão da ordem em favor do paciente Nagib Teixeira Suaid. integrante do grupo que explora caça-níqueis no qual exerce a coordenação da BANCA de Nilópolis.

segue-se que tal fundamento é extensível aos requerentes ALEXANDRE MONTE PEREIRA DIAS e CLEVELAND PEREIRA MORAES.na “arrecadação de rua” do percentual destinado a BANCA das máquinas de caça-níqueis. integrariam a mesma organização criminosa dedicada à exploração de máquinas caça-níqueis no Rio de Janeiro. 25) a decisão do recurso interposto 7 . Sua função é de “arrecadar de rua” da BANCA de Nilópolis. RJ. Se a Egrégia Quarta Turma deste Tribunal. de codinome ALAN. XIV – CLEVELAND PEREIRA MORAES. cuja subordinação é direta a ALEXANDRE MONTE PEREIRA DIAS. “No caso de concurso de agentes (Código Penal art. integrante do grupo que explora máquinas caça-níqueis.” Segundo dispõe o art. não vislumbrou a existência de conexão entre a suposta conduta criminosa imputada ao paciente NAGIB TEIXEIRA SUAID e os fatos que são objeto de investigação que motivou o decreto preventivo pelo juízo federal do Rio Grande do Norte. embora também preste contas a ALMIR JOSE DOS REIS da “arrecadação do pessoal de rua” dos pontos da BANCA da baixada fluminense. 580 do Código de Processo Penal. à unanimidade. juntamente com aquele . os quais .

Juízo a Extensão dos Efeitos da Decisão que concedeu Ordem de Habeas Corpus. aproveitará aos outros”. Pede e espera Deferimento. e V. Exa. sendo certo. Dúvidas inexistem que com base no dispositivo legal. a sua Liberdade não causará nenhum transtorno ao desenrolar da ação penal. saúde totalmente abalada . razão pela qual é a presente para Reiterar a este MM. 29 de dezembro de 2008. Finalmente. cumprenos esclarecer que o Requerente tem mais de 71 (setenta e uma) anos de idade. a ALEXANDRE MONTE PEREIRA DIAS e CLEVELANDO PEREIRA MORAES. são aplicados a ANIZ ABRAHÃO DAVID. UBIRATAN T. Recife. GUEDES OAB/RJ 23674 RODRIGO DANTAS DO NASCIMENTO OAB/RN 4476 8 . por dever de ofício. como os demais. se fundado em motivos que não sejam de caráter exclusi-vamente pessoal.por um dos réus. Nestes termos. acima mencionados determinando Liminarmente a expedição de Alvará de Soltura em favor de ANIZ ABRAHÃO DAVID. os fundamentos que levaram essa Egrégia Corte conceder a Liberdade de NAGIB TEIXEIRA SUAID.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful