EXMº SR. DR.

DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL – 5ª REGIÃO

HABEAS CORPUS Nº 3463/RN (2008.84.00.010185-1) Impetrante: Manuel de Jesus Soares – RJ019552 Paciente: Nagib Teixeira Suaid Relatora: Des. Federal Margarida Cantarelli

ANIZ ABRAHÃO DAVID vem nos autos do Habeas corpus supramencionado, o qual foi impetrado em favor de NAGIB TEIXEIRA SUAID, com base no que dispõe o art. 580 do Código de Processo Penal, Reiterar o pedido formulado de Extensão, dos efeitos da ordem do Habeas corpus concedido, nos autos do processo nº 3463/RN, em razão dos fatos que passa a expor. Ao conceder a ordem de Habeas Corpus em favor de NAGIB TEIXEIRA SUAID, a Egrégia Quarta Turma deste Tribunal, por unanimidade, decidiu que: “Confesso um certo receio na abrangência dada à investigação realizada pela Polícia

como é óbvio. a ser apurada. dentre o quadro de suspeitos. cidades sequer que. Todavia. Baixada demonstra restringe-se a controlar o negócio de caçaFluminense. uma vinculação entre a operadora Marlene Chueke e o grupo potiguar do espanhol Francisco Rico. da repito. 2 . pela via processual adequada. mas ainda assim poderia ser vinculada ao “grupo das operações de câmbio”. conhecimento sobre as atividades mais complexas do grupo em território potiguar. teria um papel secundário frente aos supostos controladores.Federal no Rio Grande do Norte quanto à admissão pura e simples de conexão entre crimes tipicamente fluminense (praticados no Estado do Rio de Janeiro) e as condutas de crime de lavagem de dinheiro com amparo de agências de turismo e doleiros. não identifico um liame tão forte entre o esquema financeiro investigado e o paciente níqueis Nagib nas e Suaid. Ela. Percebo. de fato.

incorrendo em possível bis in idem.807725-4. da qual faz parte o Rio de Janeiro. é noticiada a existência de ação penal contra Nagib e seu suposto chefe Aniz Abrahão David em trâmite na 6ª Vara Criminal Federal do Rio de Janeiro (fl. Minha consideração é de ordem processual. 2007. desde a petição inicial até as informações processuais.01.01.51. não pretendo isentar previamente Nagib Suaid de qualquer responsabilidade.8068915 e 2007. o risco de duplicidade ou sobreposição no exercício da persecução criminal. ou atraindo para a 5ª Região o que seria próprio da 2ª Região.51.812262-4).01. há mais de feito em curso contra o ora paciente (processos n. Vejo. até porque são perceptíveis os indícios de autoria contra ele produzidos pelo criterioso relatório policial. 3 . pois em vários momentos destes autos. portanto.Ao tecer tais considerações.51.°s 2007.807604-3. constando como objetos os crimes de lavagem de dinheiro e descaminho. 393).51. Aliás. 2007.01.

pelo que a instrução desse segundo bloco ou a ordem pública não serão prejudicadas com a liberdade do paciente. para o curso das ações penais recentemente intentadas na Justiça Federal do Rio Grande do Norte. retorno à minha tese sobre a distinção dos grupos (ou partes do mesmo grupo) na exploração do jogo ilegal e nas operações ilícitas de câmbio. Novamente. ressalte-se. a prisão do paciente Nagib Suaid também não preenche os requisitos do art. cabendo aos magistrados federais da 2ª Região o exame sobre as demais condutas sob persecução. Sua soltura não representará um perigo insuportável para as investigações – ou melhor.Como visto.” 4 . Todavia. Isso. enfatizei neste caso a questão da competência desta 5ª Região para apreciar conexão matérias não está relativas a fatos com específicos do Rio de Janeiro. segundo minha observação dos fatos. cuja comprovada suficiente nitidez. dentro da esfera cognitiva da 5ª Região. 312 do CPP. cumpre-me esclarecer que.

o caráter excepcional e urgente da situação descrita nos autos. Descendo a analise do pedido de extensão formulado por Alexandre Monte Pereira 5 .. antes do mais. e b – as investigações. a justificar a atuação desta presidência no feito (cf. com redação dada pela Emenda Regimental nº 35. Decisão esta que foi Ratificada por V.É dizer: a concessão da ordem de habeas corpus em favor do Paciente se fundou nas seguintes premissas: a – ausência de conexão entre as condutas tidas como delituosas praticadas no Estado do Rio de Janeiro e as condutas de crime de lavagem de dinheiro com amparo de agências de turismos e doleiros. assim como a ordem pública. afirmando que: “Registro. art. de 22/10/2007). Exa. 16 do Regimento Interno deste Tribunal. não serão prejudicadas com a liberdade do paciente”. quando do deferimento de pedido de Liminar em favor de ALEXANDRE MONTE PEREIRA DIAS e CLEVELAND PEREIRA MORAES.

onde divide a gerencia da BANCA de Nilópolis. descrita no bojo do decreto que determinou a preventiva. de fato.. função em que é auxiliado por ALMIR JOSÉ DOS REIS e ALEXANDRE MONTE PEREIRA DIAS.) XIII – ALEXANDRE MONTE PEREIRA DIAS conhecido por GORDINHO. sendo subordinado diretamente a NAGIB TEIXEIRA SUAID. RJ com ALMIR JOSE DOS REIS. integrante da organização que explora máquinas caça-níqueis.. (. sendo seu homem de confiança no tocante a administração da arrecadação da baixada fluminense. A similitude de situações entre o paciente Nagib Teixeira Suaid e os ora requerentes encontra-se evidenciada pela conclusão das investigações. e a luz dos fundamentos adotados pela Quarta Turma deste Egrégio que determinou a concessão da ordem em favor do paciente Nagib Teixeira Suaid. RJ. integrante do grupo que explora caça-níqueis no qual exerce a coordenação da BANCA de Nilópolis. observo que.Dias e Cleveland Pereira Moraes. não justifica a manutenção da custód ia preventiva em relação aos requerentes: ubi eadem ratio. verbis: XI – NAGIB TEIXEIRA SUAID . É. ibi eadem dispositio. Está subordinado diretamente a ANIZ ABRAHÃO DAVID. ainda auxiliado por ALAN (CLEVELAND PEREIRA MORAES) 6 .

Se a Egrégia Quarta Turma deste Tribunal. à unanimidade. Sua função é de “arrecadar de rua” da BANCA de Nilópolis. segue-se que tal fundamento é extensível aos requerentes ALEXANDRE MONTE PEREIRA DIAS e CLEVELAND PEREIRA MORAES. XIV – CLEVELAND PEREIRA MORAES.” Segundo dispõe o art. juntamente com aquele . RJ. 580 do Código de Processo Penal. de codinome ALAN. cuja subordinação é direta a ALEXANDRE MONTE PEREIRA DIAS. não vislumbrou a existência de conexão entre a suposta conduta criminosa imputada ao paciente NAGIB TEIXEIRA SUAID e os fatos que são objeto de investigação que motivou o decreto preventivo pelo juízo federal do Rio Grande do Norte. os quais .na “arrecadação de rua” do percentual destinado a BANCA das máquinas de caça-níqueis. integrante do grupo que explora máquinas caça-níqueis. integrariam a mesma organização criminosa dedicada à exploração de máquinas caça-níqueis no Rio de Janeiro. “No caso de concurso de agentes (Código Penal art. 25) a decisão do recurso interposto 7 . embora também preste contas a ALMIR JOSE DOS REIS da “arrecadação do pessoal de rua” dos pontos da BANCA da baixada fluminense.

a sua Liberdade não causará nenhum transtorno ao desenrolar da ação penal. e V. UBIRATAN T. Recife. 29 de dezembro de 2008. Dúvidas inexistem que com base no dispositivo legal. sendo certo. são aplicados a ANIZ ABRAHÃO DAVID. Juízo a Extensão dos Efeitos da Decisão que concedeu Ordem de Habeas Corpus. a ALEXANDRE MONTE PEREIRA DIAS e CLEVELANDO PEREIRA MORAES. como os demais. razão pela qual é a presente para Reiterar a este MM. cumprenos esclarecer que o Requerente tem mais de 71 (setenta e uma) anos de idade. Finalmente. os fundamentos que levaram essa Egrégia Corte conceder a Liberdade de NAGIB TEIXEIRA SUAID. Pede e espera Deferimento. por dever de ofício. acima mencionados determinando Liminarmente a expedição de Alvará de Soltura em favor de ANIZ ABRAHÃO DAVID. aproveitará aos outros”. Nestes termos. GUEDES OAB/RJ 23674 RODRIGO DANTAS DO NASCIMENTO OAB/RN 4476 8 .por um dos réus. se fundado em motivos que não sejam de caráter exclusi-vamente pessoal. Exa. saúde totalmente abalada .