Você está na página 1de 7

McCrometer V-Cone Metros Testado de acordo com

API 5.7 "Protocolo de teste para dispositivos de pressão diferencial para medição de pressão"

E subsequentemente testado para atender aos requisitos adicionais do API 22 "protocolo de teste" Seção 2 - " Dispositivos de pressão diferencial para medição de pressão " (Em edição de API 5.7)

O American Petroleum Institute Manual of Petroleum Measurement

Standards(Instituto Manual de Normas de Medição de Petróleo), Capítulo 5.7 (API 5.7) especifica um protocolo de teste para o fluxo de pressão diferencial dispositivos de medição. O protocolo foi escrito para aplicar a todos os dispositivos de fluxo de medição que medem o fluxo de fluido monofásico com base na detecção de uma pressão diferencial criado na corrente de fluxo do fluido. Este padrão foi publicado em Janeiro de 2003 "para abastecer a indústria com uma descrição comparável das

capacidades destes dispositivos para a medição de fase úni ca de fluxo do fluido quando eles são usados em condições de funcionamento semelhantes. " Um laboratório para rastreáveis NIST ou um equivalente nacional ou internacional

é necessário. McCrometer escolheu para realizar as provas do V-Cone Wafer, em

acordo com a API 5.7 a CEESI, Os resultados dos testes do API 5.7 foram apresentados

em um documento conjunto McCrometer e CEESI em Flomeko 2004 [1] em Guilin, China, em 14 à 17 de setembro de 2004.

McCrometer escolheu para realizar os testes do padrão V-Cone, de acordo com API 5.7 a Southwest Research Institute, em San Antonio Texas e Utah State University. Os resultados dos testes de API 5.7 foram apresentados em um documento conjunto por McCrometer e Southwest Research Instituto no Mar do Norte Oficina de Medição de Fluxo em St Andrews. Escócia em 26 à 28 de Outubro de 2004 [2].

API 22 "Protocolo de Teste" - Seção 2 " Diferenciais de medição de pressão dispositivos de fluxo ", publicado em agosto de 2005 ",

Esta norma é uma revisão da API 5.7 [2] e foi publicada em agosto de 2005 "para abastecer a indústria com uma descrição comparável das capacidades destes dispositivos para a medição de fase única de fluxo do fluido quando eles são utilizados sob semelhante condições ". Um laboratório para rastreáveis NIST ou um equivalente nacional ou internacional

é necessário. McCrometer escolheu para realizar os testes adicionais do Wafer V-

Cone e a norma V-Cone, para trazer o regime de testes anteriores em conformidade com os requisitos adicionais de 22,2 API, em CEESI, como o inicial testes da pastilha V- Cone metros para 5,7 API tinha sido realizada lá. O resultados destes Wafer V-Cone

testes será apresentado em um documento conjunto McCrometer e CEESI, a medição

do fluxo de fluidos 6º Simpósio Internacional em Queretaro, Mexico em 16 à 18 de Maio de 2006 [3]

Quando o relatório de teste padrão V-Cone é concluído em Maio de 2006, um documento será apresentado em um documento conjunto na próxima conferência apropriada.

Elementos fundamentais e as conclusões destes Trabalhos

FLOMEKO 2004, CHINA

A 12 ª Conferência Internacional sobre Medição de Vazão

Setembro 14-17,2004 Guilin,China

Testando os Wafer V-Cone Fluxômetros de acordo com API 5.7 "Protocolo de teste para dispositivos de pressão diferencial para medição de vazão" na instalação de ensaio CEESI Colorado

Dr R.J.W.Peters Flow Measurement Technology Manager, McCrometer Dr Richard Steven Multiphase Meter Development Manager, McCrometer Steve Caldwell Vice President, CEESI Bill Johansen Engineering Manager, CEESI

7. Conclusões sobre o Teste do medidor de Wafer V-Cone

7.1 Água e testes aéreos foram realizados em 4 Wafer V-Cone metros para

McCrometer. Uma 2 polegada Wafer V-Cone com um beta de 0.45 e três 4 "Wafer V- Cone metros com taxas de beta de 0.45, 0.5 e 0.65 foram testadas.

7.2 O teste foi realizado usando ar comprimido em todos os Wafer V-Cone metros, a

uma pressão de linha de 87 psia a estabelecer o desempenho de linha de base. Estes testes revelaram que as curvas características de todos os Wafer V-Cone metros eram

muito semelhantes. A semelhança das curvas características indica que a equação expansibilidade usado com a bolacha metros V-Cone está correcta.

7.3 O teste foi realizado a uma pressão de ar significativamente maior em todos os 4

Wafer V-Cone metros. Os resultados do teste de alta pressão foram comparados com os resultados de baixa pressão de teste e limites de incerteza. Os 4 "0,45 e 0,65 beta relação Wafer V-Cone resultados do teste do medidor não apresentam diferenças entre a pressão alta e desempenho metros de linha de base. O 2" 0,45 razão beta e 4

"0.5 beta resultados do teste de razão mostrar pequenas diferenças entre a pressão alta e a linha de base resultados do teste.

7.4 teste líquido foi realizada sobre as 4 "0.65 e 0.45 beta relação Wafer V-Cone

metros, bem como o 2" 0.45 beta rácio Wafer medidor V-Cone. O teste líquido foi realizada utilizando água. As diferenças entre os ensaios de fluxo de líquidos e os testes realizados sobre os basais metros, juntamente com as incertezas associadas a essas diferenças são mostrados na Figura A1. Os 4 "0.65 e 0.45 beta relação Wafer V- Cone resultados do teste do medidor não mostram diferenças entre o fluxo de líquido e de desempenho metros de linha de base. Os 2" 0.45 rácio beta Wafer V-Cone resultados do teste do medidor mostrar uma diferença entre o fluxo de líquido e fluxo de ar os resultados do teste de linha de base de 1.93% ± 0.644%.

7.5 testes não-padrão foi realizada sobre a 4 0.45 beta "metros rácio Wafer V Cone-

para determinar a sensibilidade da bolacha metros V Cone-a perfis de velocidade assimétricos e redemoinho. Os testes foram conduzidos com um gerador de turbulência no 0D, dobrar-se de avião, os cotovelos em 0D, uma válvula de porta semi- aberta em 3.1d, e uma válvula de porta semi-aberta em 0E. As diferenças entre estes testes e os resultados dos exames iniciais na 4 0.45 beta "medidor de taxa de Wafer V- Cone ao longo com a incerteza associada com as diferenças é mostrado na Figura A1. O único teste que mostra uma diferença estatística significativa entre os resultados do teste e os dados de referência é a válvula gaveta semi-aberta no 0D. Estes resultados indicam que a Wafer V-Cone exibe um elevado grau de insensibilidade a efeitos da instalação.

7.6 Medição do ruído foram feitas durante todo o teste de baixa pressão de ar

realizada sobre as quatro Wafer V-Cone metros. Não foi possível diferenciar entre o ruído de fundo na área de teste e do ruído produzido pelas Wafer V-Cone metros.

7.7 Em conclusão, o McCrometer Wafer metros V-Cone nesses testes conheci as

reivindicações feitas pelo fabricante e exibiu uma habilidade excepcional para operar de forma eficaz a jusante de distúrbios de fluxo.

NORTH SEA OFICINA DE MEDIÇÃO DE FLUXO 2004

Em

St Andrews, Escócia

De 26 à 28 de Outubro de 2004

"Testes do medidor de fluxo V-Cone em Southwest Research Institute ® e do Estado de Utah University em conformidade com a nova API Capítulo 5.7 Protocolo de teste "

Authors:

Dr. Darin L. George Senior Research Engineer, Southwest Research Institute Mr. Edgar B. Bowles Fluid Systems Engineering Manager, Southwest Research Institute Ms. Marybeth Nored Research Engineer, Southwest Research Institute Dr. R.J.W. Peters Flow Measurement Technology Manager, McCrometer Dr. Richard Steven Multiphase Development Manager, McCrometer

conclusões

• Os testes do medidor de fluxo V-Cone de acordo com a API Capítulo 5.7

demonstraram a V-Cone Fluxômetro desempenho de gás de alta pressão no MRF e na água na Utah State University. Os resultados do teste mostraram repetibilidade metros boa, resultando em uma margem de incerteza de medição pequeno no coeficiente de descarga calibrado. Além disso, os ensaios mostraram concordância excelente entre a

MRF, o estado de água Utah University Research Laboratory eo laboratório de água McCrometer.

• O medidor de vazão V-cone conheceu as alegações do fabricante como um

dispositivo de ± 0,5% em relação a uma gama grande número de Reynolds. A equação expansibilidade fornecido para o medidor foi eficaz em toda a gama de pressões de teste, pressões diferenciais e tamanhos de linha de metro.

• Teste não-padrão 2 demonstraram que dois, 90 º fora do plano-cotovelos poderia ser colocado no tubo de aspiração do medidor com um deslocamento máximo do coeficiente de descarga de não mais do que ± 0,15%. Um fluxo com um ângulo d e redemoinho até 30 º na entrada para o medidor de fluxo de V-cone irá produzir resultados semelhantes, com uma alteração mínima (± 0,15%) no coeficiente de descarga calibrado. Quando uma meia lua placa de orifício é colocado no 5D a montante do contador, a mudança no coeficiente de descarga pode ser esperado a ser não mais do que ± 0,5%, dentro da tolerância reivindicado pelo fabricante.

• o teste de ruído acústico indicou que não havia nenhum ruído significativo do medidor, mas não o nível de ruído conclusivo pôde ser determinado para o medidor devido ao ruído de fundo da instalação de ensaio.

Medição de Vazão

6 º Simpósio Internacional

16 à 18 de Maio de 2006, QUERETARO, MEXICO

Testando a pastilha V-Cone fluxômetro em conformidade com a API 22 "protocolo de teste" SECÇÃO 2 - "pressão diferencial dispositivos para medição de vazão" na instalação de ensaio CEESI Colorado Instalações de teste.

Dr R.J.W.Peters Flow Measurement Technology Manager McCrometer, Inc. Casey Hodges Staff Engineer CEESI Steve Caldwell Vice President CEESI

8. Conclusões sobre o teste da Pastilha V-Cone metros em espaço

8.1 testes de ar foram realizadas em 4 da pastilha V-Cones - One 2 polegadas Pastilha

V-Cone com um beta de 0,45 e três 4 "Pastilha V-Cones com betas de 0.45, 0.5 e 0.65.

8.2 O teste foi realizado usando ar comprimido em toda a Pastilha V-Cones a uma

pressão de linha de 87 psia a estabelecer o desempenho de linha de base. Estes testes revelaram que as curvas características de toda a Pastilha V-cones foram muito semelhantes. A semelhança das curvas características indica que a equação expansibilidade usado com a Pastilha V-Cone está correcta.

8.3 Durante os teste da linha de base para o tamanho da linha 4 "com o inserto Beta

0.65, a gama mais baixo número de Reynolds testados foi de 93 962. Na altura do teste, que teria tido excessivamente longo para cobrir a extremidade inferior do intervalo, de modo foi tomada a decisão para avançar para outros testes. Devido à forma do Cd vs curva de números de Reynolds, isto tem um efeito significativo sobre o cálculo do Cd Mid. Na Tabela 2, os resultados são mostrados com efeitos primeiro a

instalação de teste valores acima de toda a gama número de Reynolds de 50 000 a 500 000. Isto mostra que existe uma diferença significativa entre os valores de Cd mediana de cada teste efeitos instalação a partir do teste de linha de base. Devido à não- linearidade do Cd vs número curvas Reynolds a maneira correta de comparar os valores de Cd Mid é comparar os efeitos dos testes de instalação sobre o mesmo intervalo que o teste inicial foi executado.

Estes resultados, limitando a instalação efeitos gama número de Reynolds de 90 000 a 500 000, estão em mostrado como uma secção separada na parte inferior da Tabela 2.

8.4 As conclusões para os testes de meia-lua perturbação são como se segue:

2 "0.45 m

Não existe nenhuma diferença estatística a partir do teste de linha de base quando

Placa Meia Lua 5D Montante

Placa Meia lua 1D Jusante

Placa Meia Lua 5D a montante e 1D a jusante

4 " 0.45 m

Não existe nenhuma diferença estatisticamente do teste de linha de base quando

Placa Meia Lua 5D Montante

Placa Meia Lua 2D Jusante

Conclui-se que não haveria diferença estatística se houver

Placa Meia Lua 5D a montante e 1D a jusante

4

"0.50 m

Não existe nenhuma diferença estatisticamente do teste de linha de base quando

Placa Meia Lua 5D Montante

Placa Meia Lua 1D a jusante

Meia Lua Prata 5D a montante e 1D a jusante

4 "0,65 m

Re gama restrita de 90.000 para 500.000

Não existe nenhuma diferença estatisticamente do teste de linha de base quando

Placa Meia Lua 5D Montante

Placa Meia Lua 2D Jusante

Conclui-se que não haveria diferença estatística se houver

Meia Lua Prata 5D a montante e 1D a jusante

8.5 medições do ruído foram feitas durante todo o teste de baixa pressão de ar

realizada sobre as quatro Pastilhas V-Cone metros. Não foi possível diferenciar entre o

ruído de fundo na área de teste e do ruído produzido pela Pastilha V-Cone metros. 8,5 medições do ruído foram feitas durante todo o teste de baixa pressão de ar realizada sobre as quatro Pastilhas V-Cone metros. Não foi possível diferenciar entre o ruído de fundo na área de teste e do ruído produzido pela Pastilha V-Cone metros.

8.6 Em conclusão, o McCrometer Pastilha V-Cone metros nestes testes demonstrado

uma capacidade excepcional para operar de forma eficaz a jusante do fluxo de extrema perturbação. McCrometer agora vai aconselhar os seus clientes a montante e a jusante requisitos de trechos retos entre tais distúrbios e a Pastilha medidora V- Cone para alcançar a incerteza afirmou.