DINÂMICA DO RELACIONAMENTO FUNCIONAL

Momento 01 – A Cultura do Comprometimento e os princípios do bom Ambiente de Trabalho. I. As pessoas e um bom ambiente de trabalho: a grande diferença do mundo empresarial moderno e competitivo. Hoje as empresas têm acesso a máquinas, equipamentos, instalações, tecnologia e recursos financeiros. Tudo isso pode ser comprado e a disponibilidade é praticamente ilimitada. Portanto, o diferencial de sucesso das empresas é o ser humano, é a gente que faz e sabe fazer acontecer. Gente que não dá para comprar, não é padronizada e, quando motivada, é altamente comprometida. Neste sentido, o Comprometimento é a chave para a motivação e desempenho com expectativas de resultados desafiadores. Sendo o comprometimento um estado psicológico de doação, empático, positivo e construtivo, no qual cada um considera-se responsável pelo sucesso de todos. Desta forma, com funcionários comprometidos, a produtividade e a qualidade melhoram, os custos da empresa diminuem, clientes tornam-se mais satisfeitos, a lucratividade aumenta, o clima organizacional melhora, as insatisfações diminuem e as questões de recompensa e reconhecimento ficam mais fáceis de administrar. Por outro lado, com funcionários envolvidos, mas não comprometidos, a empresa perde produtividade e qualidade, desencadeando-se toda a seqüência de “sintomas” de desarranjo organizacional. Faz-se necessário estabelecer a cultura do comprometimento, e do bom ambiente de trabalho, construídos a partir da prática correta da auto-estima, empatia e afetividade. Quando a maioria das pessoas, na maior parte do tempo, pratica os valores da cultura do Comprometimento e os princípios do bom ambiente de trabalho, a empresa certamente terá sucesso. Um ganho significativo em todo esse modelo é a percepção das pessoas de que os processos permeiam a organização e de que as fronteiras entre eles são maleáveis. Todos são importantes e as pessoas estão em cada um deles, participando ativamente. Nessas condições: gente capacitada é que a diferença. E que diferença! II. Os valores da Cultura do Comprometimento e os princípios do bom ambiente de trabalho. A. O processo de percepção de si e do outro. “Assim como espero que os outros me aceitem como sou, devo aceita-los como são” Às vezes não compreendemos nossas atitudes ou nosso comportamento por desconhecermos os nossos conflitos e ou não conseguimos resolve-los. Existem pessoas que não se dão conta da atmosfera que criam no trabalho, no lar e nos grupos. É necessário observarmos o impacto que causamos no nosso ambiente e no dos outro. Nós usamos defesas para repelir ameaças imaginárias ou reais. Se eu me compreendo melhor passo a entender melhor o outro; Entender as barreiras e defesas que limitam meu relacionamento e estabelecer metas. A melhor maneira de compreender o outro é observando meu comportamento. Poderá reconhecer as diferenças no modo de agir pensar e sentir. Assim, você terá mais condições de interpretar os outros pelo o que eles são. As pessoas que apresentam pensamentos rígidos que não entendem o outro apresentam comportamento estereotipados. Ex; Ah! É mulher... não sabe dirigir; É loira, só podia... por isso é burra; etc. B. O poder e a importância da Auto-Estima na Cultura do Comprometimento e de um bom Ambiente de Trabalho. “Se não sou comprometido comigo mesmo e com minhas metas pessoais, como serei comprometido com objetivos alheios?” Querer se transformar no que não é, entrar na onda da banalização e do culto ao corpo, esquecendo completamente do espírito, é o primeiro passo que o levará a uma possível depressão. É preciso manter sempre vivo o interesse pelas coisas de modo geral, pela vontade de aprender e, principalmente, pela constante auto-reflexão.

Algumas empresas estão realizando um grande esforço . principalmente. Consequentemente. ou seja.como aborda W. há necessidade de colocar-se continuamente no lugar dos outros e. cumprindo o exercício de sua função de forma prazerosa. simpática. pensar e repensar sua forma de trabalhar. Se tivesse a sabedoria de hoje. contribui também no sentido do profissional despertar. Gentileza: a dama do terceiro milênio. Desse modo. solidária e gentil. 1. cordial. principalmente nas bases operacionais. Por tanto. alguns a mais.é a capacidade do indivíduo de colocar-se psicológica-mente no lugar do outro. Aproveite este momento para refletir e. permitindo que o mesmo faça a diferença.dirigentes e dirigidos assumam consigo mesmos um compromisso de alterar algum comportamento que julgue inadequado. resultados além do esperado. as que observam as coisas acontecerem e as que se espantam com que aconteceu. esforços e conhecimentos.emanadas da alta-administração para restabelecerem a confiança dentro de suas organizações. decisões sobre o futuro. conseguiria mudar muita coisa nessa época. existe também a empresa gentil. educada. meus filhos. é a tendência natural dos indivíduos julgar os outros a partir de suas próprias referências e valores. Pense bem.a partir de diretrizes . pois se não sentirmos a outra pessoa como um ser humano. o seu corpo acompanhará. Na excelência da Dinâmica do Relacionamento Funcional. alcançando assim. conduzindo-os a somar habilidades. a gentileza. o primeiro namorado. mudar o seu comportamento.. Empatia e Afetividade. indiferentemente de quem quer que seja e da posição que o mesmo ocupa numa determinada organização. As pessoas não se integram. conduz o profissional ao destaque. Enxergar as barreiras como novos desafios a serem enfrentados. não conversam. Que tal transformar essas barreiras em desafios? Volte no tempo. relacionar-se de maneira autêntica. se doando e se entregando de corpo e . 2. amável. Um dos problemas que mais atrapalham no processo de relação interpessoal. minha vida social? Como me avalio hoje? Nenhum julgamento é tão importante quanto o que o “EU” faz de si mesmo. Nesse sentido. outros a menos. trabalho. A chave para mantê-la em alta é se perguntar constantemente: como anda o meu trabalho. Um dos valores decorrentes da afetividade é a confiança.políticas . tornou-se um grande trunfo. Poderíamos dizer que afetividade é o tratamento igualitário das pessoas. D. Na era do terceiro milênio. é fundamental que o indivíduo reflita e assuma alguns compromissos sobre sua forma de se relacionar com os clientes internos e externos da empresa que trabalha. Cerqueira . que é aquela que atrai e mantém verdadeiros talentos. e é ela. Invista o seu tempo e dinheiro para manter o espírito jovem. não prejulgar. se for o caso. as pessoas altamente eficazes procuram ser sempre gentil com todos. Em se tratando ao mundo dos negócios. Para que tudo isso aconteça é fundamental que as pessoas da empresa . seus próprios paradigmas. respeitosa. criar valores.. Sendo assim. delicada. paciente. sentindo suas necessidades. em prol de uma mesma sintonia. A grande carência nas empresas é de relações interpessoais com afetividade. lembre-se de quando era adolescente. Mas o que importa é que precisamos reestruturar nossas vidas. Empatia . Afetividade .é a grande facilitadora da empatia. Essa fase era repleta de problemas e dúvidas a resolver. independente da idade. desejos e expectativas. não se cumprimentam e nem mesmo sem olham. planejamentos. que além de ter vez e voz onde quer que esteja. nunca nos colocaremos no seu lugar. porque valoriza e promove a cultura da gentileza. C. é preciso reconhecer que tais atitudes recebem o nome de gentileza. contagiando a todos os envolvidos. faculdade.A auto-estima é importante para qualquer pessoa. O que certos empresários não entendem é que há três tipos de empresas: as que fazem as coisas acontecerem. Vamos agora voltar aos dias de hoje. sincera. Podemos dizer que entramos numa segunda fase de planejamento. Durante este questionamento você encontrará diversas barreiras. além de propiciar um ambiente de trabalho agradável e harmonioso. Ela quer dizer “a capacidade que o indivíduo tem de ter uma avaliação positiva de si mesmo em diversos aspectos da vida”.

Cada ser humano é uma jóia única no palco da existência. B. A. ele prosseguiu fazendo um trabalho de segunda qualidade e usando materiais inadequados. Os sete hábitos das pessoas altamente eficazes. Hábito 4 –Pense ganha / ganha. Fica evidente que o bom profissional do terceiro milênio não poderá jamais abrir mão desta dama denominada gentileza.Esta é a sua casa. C. mas não podemos voltar atrás. foi uma maneira negativa de ele terminar sua carreira. nós construímos nossa vida um dia de cada vez e muitas vezes fazemos menos que o possível e depois. uma obra-prima do Autor da existência. . Você é o carpinteiro todo dia você martela prego. à ética. se alguém numa determinada organização contemporânea. A empresa não seria muito afetada pela sua saída. 1. o mesmo deverá repensar de forma urgente sua maneira de ser. ame como se você nunca tivesse magoado antes. O carpinteiro concordou. Finalmente. iniciar e cultivar este belo e importante hábito. Itens importantes sobre a Cultura da Eficácia. o chefe veio fazer a inspeção da casa. mas era fácil ver que ele não estava entusiasmado com a idéia. ainda não possui ou deixou adormecer esta valiosa virtude. A Eficácia e as leis da Qualidade de Vida no Trabalho. 2. faça bem feito. ajusta tábuas e constrói paredes. mas o chefe estava triste em ver um bom funcionário partir.Só você pode decidir mudar a sua história. pois. teria feito tudo diferente. Momento 02: A Cultura da Eficácia e o Trabalho em Equipe. somos responsáveis por nossas próprias vidas. Implica que nós. e colaborando para o sucesso de um trabalho em equipe uma vez que provoca e conduz a prática do companheirismo. Hábito 5 –Primeiro procure compreender. Elas ouvem com intenção de responder. Dance como se ninguém estivesse olhando. faríamos diferente.alma as suas atividades. Saber administrar o tempo. O carpinteiro ficou muito surpreso. Texto: O Carpinteiro. Eficácia: Dar sempre o melhor de si. deverá ter sabedoria suficiente para enxergar que ser gentil faz todo um diferencial no mercado. Que pena! Se ele soubesse que estava construindo sua própria casa. então pediu ao carpinteiro para trabalhar em mais um projeto como um favor. sempre que você for fazer alguma coisa. depois deu a chave da casa para o carpinteiro e disse: . Hábito 2 –Comece com um objetivo em mente. Proatividade significa muito mais do que tomar a iniciativa. Hábito 7 –Afinando o instrumento. construa com sabedoria. trabalhe como se você não precisasse do dinheiro. Se preocupar com os seus interesses e os interesses coletivos. mas realmente queria se aposentar. Quando o carpinteiro acabou. se nós pudéssemos fazer tudo de novo. como seres humanos. constituindo assim uma grande vantagem competitiva. I. depois ser compreendido. alguém disse que a vida é um projeto que você mesmo constrói. Suas atitudes e escolha de hoje estão construindo a casa que você vai morar amanhã. Constante processo de capacitação e de atualização. ele informou ao chefe seu desejo de sair da indústria de construção e passar mais tempo com sua família. Hábito 6 –Crie sinergia. Estabelecer a missão pessoal Hábito 3 – Primeiro o mais importante. é o meu presente para você. ele ainda disse que sentiria falta do salário. com surpresa descobrimos que precisamos viver nessa construção. ao bom convívio e à integração. A maioria das pessoas não conseguem escutar com intenção de compreender. procurando resgatar. O mesmo acontece muitas vezes conosco. Hábito 1 –Seja Proativo. bem como suas atitudes e comportamentos. Saber trabalhar em equipe. Um velho carpinteiro estava pronto para se aposentar.

existe uma transparência muito grande entre todos. O trabalho em Equipe. eles fazem parte do relacionamento humano e se tornam até fator de crescimento se forem trabalhados através do debate conduzido da maneira certa e na hora certa. ou o objetivo principal. compartilham de certas características. mas não necessariamente ha uma harmonia e senergia entre todos. os objetivos individuais são considerados em 2º plano ou então como meta secundária. e um objetivo comum. Um exemplo. o resultado sai em nome da equipe e beneficia a todos. caminham para a autodestruição. Finalmente. Há uma diferença entre trabalhar em GRUPO e trabalhar em EQUIPE. liderança é a habilidade de influenciar pessoas para trabalharem entusiasticamente visando atingir aos objetivos identificados como sendo para o bem comum. 7. Portanto. é fundamental a participação e o trabalho eficaz de uma boa liderança envolvida. III. 8.Um ser humano saudável forma pessoas saudáveis. Normalmente denominamos grupo as pessoas que fazem parte de uma empresa. a linha que separa grupo de equipe é muito tênue. quando supervalorizamos alguém. mas que assume um determinado objetivo coletivo. Sendo assim o essencial é aprender e saber trabalhar em equipe. e que cada objetivo ou participação individual será aplicado e coordenado para o alcance da grande meta coletiva. Cada um pode contar com o outro que espontaneamente e prazerosamente se dispõe a dar o apoio e ajuda quando necessário. É aqui que dizemos que o Grupo. Nesse ambiente tão bom não quer dizer que não existam conflitos. se tornou uma Equipe. Quanto pior a qualidade da educação mais importante será o papel da psiquiatria. 10. Liderança e o Trabalho em Equipe. o nível de mútua colaboração é ótimo. unidade ou setor cuja finalidade específica de cada membro. o esfacelamento ou a simplesmente a dissolução. . A comunicação entre os membros é verdadeira e as opiniões diferentes são estimuladas.A educação é o alicerce da qualidade de vida. ainda que haja grupos com excelentes resultados. independentemente deste ter sido atingido pela ação de um membro isoladamente. que sempre se formam mediante um determinado número de jogadores organizados em forma de grupo. mas pelo caráter de individualidade e também pela própria competitividade. Os fortes reconhecem suas falhas. mas tudo de forma muito construtiva! Além disso. 9. pois quando algo coletivo é alcançado. mas invariavelmente as empresas de sucesso costumam ter pessoas que se comportam na maioria do tempo propiciando a existência de características que denotam a formatação de uma equipe. é formada logicamente por um grupo.Quando discriminamos alguém. Um líder forma outros líderes.3.Saber ouvir é tão ou mais importante do que saber falar. mas nem todo grupo pode ser chamado de uma Equipe. é alcançar determinada meta de caráter individual.O amor é o fundamento da vida: quem ama nunca envelhece no território da emoção. que mesmo possuindo cada um deles um objetivo pessoal. o fato é que toda Equipe é formada por um determinado Grupo. 4. mas nem todos estes grupos podem ser chamados de boas equipes. como a grande meta de todos. a Equipe é um grupo que compreende seus objetivos e está engajado em alcançá-los de forma compartilhada. Apesar de ser uma diferença extremamente sutil. Nesse caso. nós o diminuímos. trabalham realmente em um time.Os fortes compreendem. e neste caso. são as seleções de futebol. Neste contexto.A solidariedade e a tolerância são os fundamentos das relações sociais. 5. os frágeis escondemnas. IV. Ninguém esconde o jogo. Na equipe. 6. é porque a equipe. Já esta mesma reunião de pessoas é chamada de equipe quando o resultado que se busca é feito em função do todo. Para que um determinado grupo evolua para se tornar uma equipe. Um grupo é formado por um conjunto de pessoas. mediante a integração e colaboração de todos os envolvidos.Os sofrimentos bem trabalhados produzem a sabedoria. Cada um sabe o que o outro pensa e sente sobre os assuntos do trabalho. nós nos diminuímos. os frágeis condenam.

este tipo de liderança é voltado para as pessoas e há participação dos liderados no processo decisório. Neste tipo de liderança as pessoas tem mais liberdade na execução dos seus projetos. Teoria sobre estilos de liderança. mesmo como verdadeiros atores. de modo imprevisível para o grupo. habilidades interpessoais e habilidade administrativa 4. Daí se começou os estudos sobre o comportamento do líder.Existem três principais teorias sobre a liderança:  Traços da personalidade. aparência e peso. Ele é objetivo e limita-se aos fatos nas suas críticas e elogios. a Liderança liberal também pode ser indício de uma liderança negligente e fraca. Um traço é uma qualidade ou característica da personalidade. Traços relacionados com a tarefa: impulso de realização. democrática e liberal. A divisão das tarefas fica ao critério do próprio grupo e cada membro pode escolher os seus próprios companheiros de trabalho. Teoria de traços de personalidade. aprenderam a se comportar. Nesta teoria o líder pode assumir diferentes padrões de liderança de acordo com a situação e para cada um dos membros da sua equipe. Traços físicos: energia. Refere-se àquilo que o líder faz.  Situações de liderança. Esta teoria aponta três estilos de liderança: autocrática. Para meditar: Qual o melhor estilo de liderança? C. onde o líder deixa passar falhas e erros sem corrigi-los. liberal e democrática. Segundo esta teoria. 3. desconsiderando a opinião dos liderados. fazendo o papel de grandes líderes. Além da tarefa que cada um deve executar. As tarefas ganham novas perspectivas com o debate. O líder toma decisões individuais.  Liderança democrática: Chamada ainda de liderança participativa ou consultiva. Neste caso. com o lado profissional. que significa literalmente "deixai fazer. estimulado e assistido pelo líder. entusiasmo e autoconfiança. ou traços da personalidade. Vejamos em detalhes cada uma delas. B. São as teorias mais antigas a respeito da liderança. O líder é dominador e pessoal nos elogios e nas críticas ao trabalho de cada membro. Aqui as diretrizes são debatidas e decididas pelo grupo. Os traços mais comumente apontados foram os seguintes: 1. .  Estilos de liderança. passando este a sugerir duas ou mais alternativas para o grupo escolher. isto é. Com o passar do tempo. Há três estilos de liderança: autoritária ou autocrática. A. o seu estilo de comportamento para liderar. Por outro lado. o líder determina ainda qual o seu companheiro de trabalho. A teoria dos traços parte do pressuposto de que certos indivíduos possuem uma combinação especial de traços de personalidade que podem ser definidos e utilizados para identificar futuros líderes potenciais. agressividade. Traços sociais: cooperação. deixai ir. o líder apresenta características marcantes de personalidade através dos quais pode influenciar o comportamento das demais pessoas. foram percebidas excelentes lideranças em pessoas que no seu lado pessoal não tinham nascido ou desenvolvido tais características. indicando possivelmente uma equipe madura. persistência e iniciativa. são aquelas que não misturam o seu lado pessoal. mas que quando se viram numa posição ou necessidade de liderar uma determinada equipe. maneiras pelas quais o líder orienta sua conduta. deixai passar". Traços intelectuais: adaptabilidade. ou as teorias dos estilos de liderança. 2. tais pessoas. o líder é aquele que possui alguns traços específicos de personalidade que o distinguem das demais pessoas. Este tipo de liderança também é chamado de liderança autoritária ou diretiva. O próprio grupo esboça as providências para atingir o alvo solicitando aconselhamento técnico ao líder quando necessário.  Liderança liberal ou Laissez-faire: Laissez-faire é a contração da expressão em língua francesa laissez passer. São as teorias que estudam a liderança em termos de estilos de comportamento do líder em relação aos seus subordinados. Teorias situacionais da liderança.  Liderança autocrática: Na Liderança autocrática o líder é focado apenas nas tarefas. auto dirigida e que não necessita de supervisão constante. O líder determina as providências e as técnicas para a execução das tarefas. Segundo esta teoria o líder possui características marcantes de personalidade que o qualificam para a função. Assim. O líder procura ser um membro normal do grupo.

educação ou hábito. Visão. A confusão que acontece entre as palavras Moral e Ética existem há muitos séculos. pois leva o homem a agir não só por tradição. e a inspiração porque esse "algo" deve merecer e valer a pena ser concretizado.pelos esforços das equipes e . Moral e Ética. nas primeiras tribos. Esse enunciado reflete o alvo a ser procurado: . Cada tipo de situação requer um tipo de liderança diferente para alcançar a eficácia dos subordinados.Por que a empresa existe? . Partem do princípio de que não existe um único estilo ou característica de liderança válida para toda e qualquer situação. surgiu nas sociedades primitivas. deve-se sentir orgulho em participar da construção dessa visão. Enfim. realista e visível. e estas normas são adquiridas pela educação. B. Ou seja. garantindo. A Moral sempre existiu. .pela alocação dos recursos. sendo que Moral é um conjunto de normas que regulam o comportamento do homem em sociedade. A aspiração de tornar-se "algo". por uma construção conjunta. esforços. Esta confusão pode ser resolvida com o esclarecimento dos dois temas.Para quem? O propósito é algo com muito mais significado do que a simples descrição do que é feito internamente. Missão. . deve ter luz suficiente (inspiração) para apontar o caminho que leva à concretização da aspiração. O enunciado da visão é a descrição do futuro desejado para a empresa. outrossim. Momento 03 – Moral. que se tem na cabeça e no coração.O que a empresa faz? . Missão. intenções. ou seja. Já a palavra Ética. As teorias situacionais são mais atrativas ao gerente. Surgindo realmente quando o homem passou a fazer parte de agrupamentos. Ética é a forma que o homem deve se comportar no seu meio social. e Moral tem sua origem no latim. pois todo ser humano possui a consciência Moral que o leva a distinguir o bem do mal no contexto em que vive. a missão retrata a verdade de que o resultado da empresa é maior do que a soma das partes do que é feito. é um “conjunto de valores que orientam o comportamento do homem em relação aos outros homens na sociedade em que vive. Ética e Moral são os maiores valores do homem livre. Visão. A visão deve ter o perfil que a empresa deve se tornar quando toda a boa vontade. pois se exigi maior grau de cultura. que vem de “mores”. A missão deve responder o que a empresa ou a organização se propõe a fazer. sem perder contanto. e para quem. Ética e Cultura Organizacional. O enunciado da missão é uma declaração concisa do propósito e das responsabilidades da sua empresa perante os seus clientes: . como a inspiração. Ambos significam "respeitar os valores de uma determinada cultura. O enunciado da visão deve conter tanto a aspiração. A Ética teria surgido com Sócrates. A própria etimologia destes termos gera confusão. sua própria identidade". passarem pelas mãos de todos os colaboradores para se tornarem realidade. II. isto é. significando costumes. o bem-estar social”. ou então mudar o modelo de liderança para adequá-lo à situação. A visão precisa ser prática. A. sendo que Ética vem do grego “ethos” que significa modo de ser. Ela investiga e explica as normas morais.pelos esforços individuais. I.São as teorias que procuram explicar a liderança dentro de um contexto bem mais amplo do que as teorias anteriormente apresentadas. Para esta teoria o verdadeiro líder é aquele que é capaz de ajustar a um grupo particular de pessoas sob condições extremamente variadas. mas principalmente por convicção e inteligência. Valores e demais Elementos da Cultura Organizacional. recursos e projetos. pela tradição e pelo cotidiano. uma vez que aumentam as suas opções e suas possibilidades de mudar a situação para adequá-la a um modelo de liderança.

Em geral. muitas empresas acabam por ficar pelo meio do caminho. os elementos mais comuns são: Estórias e mitos – São os “contos” que você ouve a respeito de fatos – reais ou não – que ocorreram na empresa.Qual a direção é apontada? .Em que direção eu devo apontar meus esforços? . independentemente das dificuldades e espera que seus colaboradores contribuam nesta trajetória.Eu estou ajudando a construir o que? . ou seja.O que a empresa será? . Podemos citar diversos exemplos de heróis: Antônio Ermínio de Moraes. Por isso. etc. a premiação de um ou mais funcionários pelo destaque na atividade exercida. que são validadas com o tempo. Trata-se do que a empresa entende como atitudes primordiais para o sucesso. etc. E para permanecer competitivo. é o que molda e o que define o que a empresa realmente é. Temos como exemplo: a credibilidade. rituais e cerimônias – São os eventos. E. quais benefícios a empresa pretende oferecer para a sociedade. A importância da visão. Os valores são a base da cultura organizacional. Nós temos como conhecer os demais elementos da cultura organizacional de uma empresa a partir de uma série de elementos que podemos observar e que são repassados aos novos integrantes. São eles que personificam os valores adotados pela empresa. é importante que seja também definida a missão da empresa. deve ter sonhos e uma vontade arraigada por dias melhores. namoro entre colegas de trabalho. é fundamental que a empresa tenha Visão. da GE e Ulisses Tapajós Neto. E a principal razão disso é a falta de um bom planejamento. Heróis – Tratam-se das pessoas que fizeram e/ou fazem história dentro da organização através de ações que fortaleceram a mesma. O planejamento permite o desenvolvimento de ações e atitudes dentro das organizações capazes de produzir um roteiro preciso do que deve ser feito para alcançar os objetivos almejados. médio e longo prazo. etc. Planejar é estabelecer uma linha mestra.No que a empresa quer se tornar? . e da visualização do futuro da empresa a curto. ela está manifestando sua vontade de prosseguir num caminho. Para a elaboração de um plano estratégico deve-se discutir qual é a razão de ser da empresa. em geral. Símbolos – Vão desde o logotipo até a mobília da empresa. a empresa precisa encontrar a sua razão de competir. por exemplo que vetam a contratação de pessoas da mesma família. de ser prática. presidente da MASA. Quando uma empresa estabelece uma missão. uma imagem compartilhada do que a empresa aspira. que ocorrem dentro da organização e fazem com que a cultura se torne mais visível. satisfação do cliente. D. uma diretriz visando reduzir incertezas e riscos no caminho rumo ao êxito. Jack Welch. as empresas despertam para a necessidade de se fazer um planejamento estratégico para enfrentar os desafios da competitividade.Onde nós estaremos? . ou seja. Existem organizações. Nesse contexto. O Brasil é um dos países mais empreendedores do mundo. São exemplos: as festinhas de aniversariantes do mês. narrados por pessoas mais antigas na organização. Normas – São as regras escritas que ditam o comportamento considerado correto pela empresa e que deve ser seguido pelos seus funcionários. missão e definição do negócio. por exemplo. as percepções de mundo. transparência. enfim deve facilitar a resposta às seguintes perguntas: .O enunciado da visão. Tabus – É tudo o que tido como não é permitido dentro da empresa. Porém. Os Valores. Outros Elementos da cultura organizacional. ou melhor.Os recursos investidos estão levando a empresa para onde? C. realista e visível. por que a empresa existe e qual a importância dela para uma determinada comunidade ou púbico-alvo. da Votorantin. Crenças e pressupostos – Refere-se ao que é tido como verdadeiro pela empresa. É tida como a essência da filosofia da empresa e promove o direcionamento comum aos funcionários. A bandeira nacional é um símbolo da República Federativa do Brasil. . Por isso. além dos aspectos de aspiração e inspiração. cada dia mais. Ritos.

Por ser algo privado. etc). É o tipo mais comum de assédio. São mais comuns em relações hierárquicas autoritárias e assimétricas. dando-se isto na seguinte fase. É algo normal que nas empresas surjam conflitos devido à diferença de interesses. II. Primeira fase. Assédio Descendente. mas de baixo (subordinados) para cima (chefia). existe um ou dois que infuenciam os demais.Com visão e missão bem definidas. Ocorre de forma horizontal. pelo contrário. repetitivas e prolongadas durante a jornada de trabalho e no exercício de suas funções. C. Solução positiva: Quando a direção da empresa realiza uma investigação exaustiva do conflito e se decide trocar o trabalhador ou o agressor de posto e se articulam mecanismos necessários para que não voltem a produzir o conflito. excelentes resultados. Tipo mais raro de assédio. Nesta fase. se dá de forma vertical. metas e. se dá de forma vertical. Assédio Paritário. Devido a isto surgem problemas que podem solucionar-se de forma positiva através do diálogo ou que. geralmente. Principais causas é eliminar concorrentes. já que dificilmente um subordinado isoladamente conseguiria desestabilizar um superior. A. Fases. relações desumanas e antiéticas de longa duração. e se sentem parte do grupo de tomada de decisões. I. Momento 04 – Assédio Moral. as empresas conseguem projetar melhor o seu plano estratégico. É mais difícil de acontecer pois geralmente é praticado por um grupo contra a chefia. mas é possível conseguir provas técnicas obtidas de documentos (atas de reunião. além de testemunhas idôneas para falar sobre o assédio moral cometido.parceiro. Assédio moral. Na segunda fase de assédio ou fase de estigmatização. C. e é freqüente que negue a evidência ante o resto do grupo a que pertence. quando um grupo isola e assedia um membro . Principais causas é subordinados com ambição excessiva. utilizando uma série de comportamentos perversos cuja finalidade é ridicularizar e isolar socialmente a vítima. A. desestabilizando a relação da vítima com o ambiente de trabalho e a organização. Segunda fase. onde o que em princípio gera um conflito transcende à direção da empresa. objetivando alcançar o lugar do superior e já tendo os subordinados como aliados. de um ou mais chefes dirigida a um ou mais subordinado(s). B. Principais causas é desestabilizar o trabalhador de forma que produza mais por menos. o agressor põe em prática toda estratégia de humilhação de sua vítima. sempre com a impressão que não esta atingindo os objetivos da empresa. constituam o início de um problema mais profundo. de cima (chefia) para baixo (subordinados). principalmente quando este individuo vem se destacando com frequência perante os superiores. avaliando seus diferenciais. III. . seus concorrentes reais e potenciais. Esta é a fase de intervenção da empresa. É a exposição dos trabalhadores e trabalhadoras a situações humilhantes e constrangedoras. a vítima não é capaz de crer no que está passando. produzindo assim. principalmente. B. Assédio Ascendente. A. o que na maioria das vezes já foi ultrapassado e a meta revista por seus superiores. Terceira fase. Tipos de assédio. a vítima precisa efetuar esforços dobrados para conseguir provar na justiça o que sofreu. uma vez que estes o ajudaram a "derrubar" a antiga chefia. em que predominam condutas negativas. fichas de acompanhamento de desempenho. Definição.

e pode desembocar no abandono do trabalho por parte da vítima. D. IV. sexo. ideologia ou classe social reforça como inferioridade. em sua totalidade parciais e mentirosas. há casos de assédios contra trabalhadores com altos salários que são ameaçados de substituição por outros com menores salários e trabalhadores que são representantes de sindicatos e associações.  Necessidade excessiva de ser admirado. O agressor. ou de humilhar a vítima com exigências absurdas. Aquele que faz o assédio moral pode ter desejo de abuso de poder para se sentir mais forte do que realmente é. que graças a sua preparação ou sua inteligência questiona sistematicamente os métodos e fórmulas de organização do trabalho que lhe vem imposto. outros se unem por covardia e medo de perderem o emprego e outros por ambição e por competição aproveitam a situação para humilhar mais ainda a vítima. A vítima. Na maioria dos casos. Alguns inclusive são sádicos e provocam outras violências além da moral. B. e esta ambição empurra a eliminar drasticamente qualquer obstáculo que se interponha em seu caminho. tornando-se cúmplice do conflito.  Fantasias ilimitadas de êxito e poder. A. qualquer um pode ser objeto deste acaso. Olhando externamente é difícil identificar o agressor pois a imagem que projeta de si mesmo é sempre bastante positiva. a vítima é uma pessoa inconformista. para gerar a ridicularização pública no ambiente de trabalho e a humilhação do assediado. É o conhecimento de sua própria realidade o que os leva a destroçar carreiras de outras pessoas. Aos olhos do agressor. O que desencadeia sua agressividade e sua conduta é um receio pelos êxitos e méritos dos demais. Vale salientar que diminuir ou criticar é colocar o outro em situação de inferioridade. Embora não haja um perfil psicológico. Fazer propaganda contra alguém é mais fácil se essa pessoa possui características que o preconceito de cor. Geralmente os agressores (ou "assediadores") não centram suas forças em pessoas serviçais e/ou naqueles que são considerados partes do "grupo" de amigos. reparando em suas características pessoais distorcidas e manipuladas. deficiências e incompetência profissional. . Partes Implicadas. fortalecendo o assédio moral ao profissional isolado. Em casos mais extremos os trabalhadores acuados podem chegar ao suicídio. Ao falar de agressor tem que fazer uma distinção entre aqueles que colaboram com o comportamento agressivo de forma passiva e os que praticam a agressão de forma direta. Em geral. Outra estratégia utilizada pelos assediadores é denegrir a imagem do profissional com humilhações e restrições genéricas. os assediadores provocam ações humilhantes ao profissional ou o cumprimento de tarefas absurdas e impossíveis de realizar. mesmo aqueles considerados inocentes úteis. Alguns se unem porque igualmente gostam de abuso de poder e de humilhar. Chegam a conceder concessões a possíveis adeptos para que se juntem ao grupo. Em geral. Pode-se somar o medo de perder determinados privilégios. Não existe um perfil psicológico determinado que predisponha a uma pessoa a ser vítima de assédio moral. O agressor tem claras suas limitações. utilizam-se de armas psicológicas para angariar aliados. É comum colegas de trabalho se aliarem ao agressor ou se calar diante dos fatos. sendo consciente do perigo constante a que está submetido em sua carreira.  Atitudes e comportamentos arrogantes. Quarta fase. A quarta fase é chamada a fase de marginalização ou exclusão da vida laboral. aquele que pratica o assédio moral tem o desejo de humilhar o outro ou de ter prazer em sentir a sensação de poder sobre os demais integrantes do grupo. buscam forçar o profissional atingido a desistir do emprego. Características próprias de pessoas narcisistas:  Idéia grandiosa de sua própria importância. E para conseguir adeptos e ganhar força com a perseguição moral que perpetram. que se desencadeia através da felicidade e vantagens que o outro possa ter. Um sentimento de irritação rancorosa.Solução negativa: Que a direção veja o trabalhador como o problema a combater.

A Organização Internacional do Trabalho define assédio sexual como “atos. normalmente em local de trabalho ou ambiente acadêmico. desde que apresentem uma das características a seguir: a) Ser uma condição clara para manter o emprego. cargo ou função. insinuações. contatos físicos forçados. . embora normalmente haja. prevalecendo-se o agente de sua condição de superior hierárquico ou ascendência inerentes ao exercício de emprego. ou a ameaça de demissão caso o empregado recuse o flerte do superior. embora nada garanta que ele também não possa ser praticado contra homens. insinuação de ameaça ou hostilidade contra o subordinado.empregado. não é necessário que haja uma diferença hierárquica entre assediado e assediante.V. insultar ou intimidar a vítima. Do mesmo modo o agressor pode ser homem (mais comum) ou mulher." No âmbito laboral. convites impertinentes. b) Influir nas promoções da carreira do assediado. humilhar. o contrário também pode acontecer. c) Prejudicar o rendimento profissional. Assédio sexual. No Brasil o assédio está assim definido na lei número 10224. homossexuais ou não. O assédio sexual caracteriza-se por alguma ameaça. É um tipo de coerção de caráter sexual praticada geralmente por uma pessoa em posição hierárquica superior em relação a um subordinado. Exemplos clássicos são as condições impostas para uma promoção que envolvam favores sexuais. com fundamento em sexismo. pois nem sempre o assédio é empregador . Geralmente a vítima do assédio sexual é a mulher. de 15 de maio de 2001: "Constranger alguém com intuito de obter vantagem ou favorecimento sexual.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful