Você está na página 1de 141
srr A Gidade de Tormensa Sumario Invrodusfo: A Companhia Ruby s Bemvindo 20 Ine nnrsnrone 9 O quces Toren? Sai (Conhecendoo Inferno he A Genese ds Temperade nse (O Ete de aa Det cccscncneoinetT (© Desir de Aton 13 ‘Onkame a Chava ds Debs cnn 13 O Lorde de Arar 14 © Novo Ange - 4 ‘A Campanha de Toman 5 Hei Hore old Dewfadores Excmoy.snomnnennnns6 Crain Sls 16 Testes Deere aint iris de Dea 0 Monde Novo” a ocims 7 0 Queen Cention 8 (Origen Secs nm 8 $0 les de rem aca Parte I: Inferno a Tettonvnn 2M "Terence. Panis oven Floss oo ‘Mentanbat on Plano Deron Meow onan Bios «Lagos Subrertneos a NévousInsanat Reale Vase Fentenenoy com Efsos Permancre Fendrnenos Alatirios Dltes enn dealt Enea Circo Estero - Monument a ‘Quares Hospi Madoacor a Pacsdian reuse Views Chindooros Tenplot = sins : (Cano ou Fale : 0 Cora daTormenss “7 A fea de abba ens one38 ‘Aired nn 38 Frome 3° Rio dor Dew Enepes do Nor © Estcpe Slvagem 40 Flore de Gel ne Months Goad Fast enero Rs da Cad Praga Cental Arce. Mera ‘A Taverna do clos Dina == Maadoue a Usina Quate on “empl # Abra Co de Abrak Coraio ds Torment Lanes de Alara ‘AAnéCtagio| a Lovet _ ‘Soe Inano = Poneor de Inde ‘theo anid Dintibios Men en Exerplos de Dirbion (Caran Loven ne Parte 2: Os lnvnores--— Ansonia = ‘Anatomia Estero on ‘Anno ner. Cerca Sinema Nervoms Sendo - Sitema Digenvo ucts Siem i A Mente Alienigen 10 Tempo pars 08 Lalo 0 Fime o lai. Meas ¢ Objevos A Sociedade Ue Relaces Soca. RelagSer com Outs Rat Comuniato (+ Cinco Reb Impose Or Deménior de Tormene Grererise doe Lat sno (casa Ue nll cscs (Casta etal sennnrrenn nae Getthl ensnrrrnnn Hiro Vet noe Morgelal Ile Gancacnaemo an Zyros (Ca Hike Sek Gyre nn Rekid Thar (Case Fagurach| : ‘ise, os Metmorton rok, Gaeeiat “Treat, oF Sabor Keyredan, os Drage. (Cas Leach Lode de Taree ‘Castros doe Lela ‘Aaradsle Lode de Zathoro Gaal Lorde de Trback Iguche: Lande de Tama von eight: Lorde do Desert n= ‘Uae: Lore das Sarguinin (Cristra da Tament sn ‘Ama Acomentd Tome Inlet cnn Exmagador Cae. Frese Fado Fannena do Tecnene = (Golem de Mati Vere Focabador . Intec 3 mo Saget sno ergo Rabo = Model: Cra da Torment Templo de Ceuta da Tore Cran uma Castata daTomena Parte 3: Heri © Loco nnn ‘Or Desires ds Tormenta AV do Desfadae lado ns 7 efi Tacs pa Tomes rags Rats dos Lefow [Novas Clases de Prego ‘Algor da Torment Acaue da Tomes ls da Torment Dipl de Tomer Esplondor da Torment (Gears de Reale ‘Mage de Tomer Seac do Gigante Rabo Novos Equipamenos Novae lens Magis A Compas alr Fil Quadros e Tabelas Energi da Tocment “Tala de Fendmeno Alene ‘Acmadihas Vv Errand Torment : Invcntndo tt Ave de Toment Lovcur: Regs Vaan ALaveun e Ninb [Astrgies € oF Leb Os Leese Bs Nove Deas Mone: ‘Akard, 9 Devrai: 93 6 no 1 136, 16 Esta é una histéri over, lowco & Nia bid um bom ponto one porque na verdade no me lenibro de wane épo neo cota em que todas nds ndo estivesse- mos fi 8. em que nao fos glances, fortes, mortals, em que 0 mundo ndo nos atirasse @ seu pion, para em seguida nos acolber com wm abrago forte ¢ um chifie de hidron el. Eramos a Companhia Rubr A aiudiéncia com 0 Ret-Linperador Thormy parecia ter sido hed uma centena de anos, mas na verdade fora hi apenas dois dias. O velbo Thormy nos recebera como sempre, com seu sorriso largo e bigede volumoso, pronto a mos dar mais uma rmissio na qual arriscar nossos pescogos, ¢ uma recompensa recompensa barbeirae apanarese bigade deploni ow sera para comeratar ur bom Como sempre, Thormy 7 munca aceita 1 defender o Rein cerao deverde tadalomem de bem. E, a, os Deuses sabem por qué. a pasicao de lider comseu riunea perdia wna oportunidace pars um inculea En desconfiava, eagora temo corte tema risa saborosa. Rep deque: jonas ume modo de fora es Alin elo mais, 0 que fariamos com mais ouro? Eu mesmo sav satisfeito com meus dois eastelos, « de guantas frotas vios precixava Jobn? De quanias torres e laboratérios precisa Reynard? Ar veses, eu tinha a impresio de que, st juuntdssemas nossas ters, 17008 extrcitos,terlamos nosso prb- ‘prio reino. Mats, € claro, néo era iso que queriamos, asiint ‘como nao quertamos flear em nossos dominios gozando de toda aquela riquesa. Erantos jovens, ¢ queriamos aventun Shanta, lavras para 0 Rei-lmpe ta como de coscume, emendou as idtioa essa armeaga € 0 que fariamos de qual- (quer forma, Eu pude sentir em minha carne a morte de sodas aquelas drvores é — Fez um anda de serpente se consorcen, — Na morte. Algo piot A Companhia Rubra tomaria mati ermat mes p imperador,e todos née nox despedi- mos. Fallye, Shantall, dere pdssaro gue servi cidade, pronea a carvegar a mestrt. O resto de nds visjow ainda mais rfpido, desaparecendo mediante tom gerto arcana de Reynard. eeccccccce Enemas se sa Fallyse (e antall ene rdpida em nos lembrar que seu péssaro-roci era on membro do grupo). Reynard e JobmdleSangue dividians 12 todo, contando com a uma amizade arraigada ¢ incompreenstueh, que sustentavis Companbia. Nenkum de nds nunca soube como um mage, cextudante prodigio da Academia Arcana e proveniente de wma das mais ricas familias de Dekeon,eisnha se tornado sho prbsch- ‘mo de wom pinata que jd fora o flagelo dt marina de todo 0 Reinada. A tinica certexa ena que Jobn-de-Sangue havia aban donado sua vida de bueaneiro ja hd muitos anos, ¢ que, em ‘algusn ponto enere conseguir 0 sex perdito do Rei Thormy e tormar-se 0 maior cacador de piratas gue Arton jd viu, cone cera 0 mago, e entao ambos decidiram formar a Companhia Exam tao diferentes de corpo quanto de expirito: Reynard era alto, equi, rija por detrds de seus elaborados mantos de arquimago, com uma pele negra e reluzente, ¢eabelos metic losamente curtes. Ctimo como um vuledo, sempre possuidor de wn vasto conbecimento e poder sobre tudo, decidido e impasstoel, até a hora exata de agir. Jobn ena atarracado € foie, musculoso como uns torre, suarento e sorridente, sempre (pronto a dar wma gargatheda ov iniviar wma batatha. Seu sabre, que ele chamava "Desespero”, ceifara a vida de inconuivets monseros, bandides, generais inimigos, deménios. Por debaiso dos tapos e pedacos desencontrados de couro e cota de malha, vestia uma infinidade de objeros encantados, que the provegiam contra quase toda ameaga mundana ou mdgica. Fram amulets, andis, botas, cinturdes, tatuagens, € sempre havia espazo para nis, Fedia a bebida, e jd perdera uma ovetba e trés dedos saluando a vida de amigas variados. Shantall ona wna maga, wna criatra com um estonteanie sronco de mulher e wana longe cauda de serpente. Dizem que cesses sever vive cevea de dois séeulos, mas Shaneall dicta lerm- brar-se de eventos ocorridos havia pelas menos seiscentos anos. Nunca soube o segredo de sua longevidlade, mas ela parecia tdo joven e bela quanto qualquer princesa humana na flor da donzeleza, © sua aparéncia era eapaz de levar san home é ‘morte on ao paraiso. Comandava as forgas da naturezs ser- via & densa Allsharna, a quem chamava t Grande Nagab’, tinha como companbeira False 0 pdsaro-roca — uma dguia a0 grande que podia pegar um marnute en: suas garras. Havia ainda Syrion, nosso amargurado elf, que reeusauase a pegirem armas desea destruicao do rein tlio de Lendrienn. Syriom disia que fors a negligéncia de homens como ele, guer- reivos de Lendrienn, que bravia permitide que a devastagio ocorrese, Assn, julgarase indigno do arco e das espadas gue tuilicava, © pasiou a lucy sem armas ou armaduna, valendo-se apenas do préprio corpo. O gute seria uma loucura suicida para qualquer rm além dele mevmo. O elfo via aprendide a lutar ‘ainda methor com o% punhos eos pés do que com armas, € eu jd ina um de seus golpes quebrar 0 pescogo de 10 gigante. Syrion era uma figura triste, tdo apaixonado por nbs quanto desapege~ do de si mesmo, vestido em tinicas sem cor e com as longos cabelosazses sobre o rosta. Ex sinha pena daguele mew amigo, ainda mais pena dos énionigns que caiam em sas mas E havi, é claro, 0 Galo Louco, 0 dono do obhar que ficcia os lobos fiugirem, da risada que exfriava os infernos, nosso amigo frenttico e incontrolével, Vell, Seria, mais umd vez, 0 mais valioso de nds naguela misito, todos sabiames. Eva para aquilo que 0 Galo Louco vivia: entrar emt dreas de Tormenta, desaftar osdeminios que matavam a pripria terra, ular ague- es insanos 0 bastante pana descjarem segui-lo. A historia de Velk ficava mais complesa a cada vez gue era conada, mis sempre envolvia a chegada daguela terrivel chica vermetba, a morte de tuna noiva ou esposa (eas veces, de filhos também), alguns anos de vida na desolagio carmerim e owiros perdido em lovecat. Periados nas piores masmorras de Reinado, es cravidao e fitga, até ser encontrado por Reynard ¢ Jobn. Fora par causa do Galo Louco ¢ seu absurdo cabelo vermelbo em crises que nés adotdramos 0 nome de Companhia Rubra, e porgite ramos alguns dos tinicos dispostos a penetrarem dreds ide Tormenta, Vell wsava roupas de couro negro, e por cima delas a extraordindria armadura de carapaca de deminio da Tormenta, Aquela verte, combinadd com sua eterna expressdo arregalada e trémula, detsava-o menos parecido com wm o- mem da qiue com os deminios gue cagaua. Bram muitos 0s ugares em que as pesoas corriain do Galo Louco. Também bavia em mas ex sé tinha meu machado e meus suspiros, e era 9 menos notdvel de todos nés. A magia de Remard nédo conseguir nos levar aré noso obje tive, Reynard, mim gesto quase inédito de descontrole, enguet suona sobrancetha ante a surpresa. A tkima vezem que alguém conseguira bloquear seu poderio arcano fore anos arrds. Iso era tum prenincio de problemas. Viaiamos, ensio, montados 0 resto do caminko, Shantall sobrevoava com Fallyse, enegrecendo as encostas das montanhas com sua tombra gigantesse, Dots dias depois de nosia aucdiéncia com Thorony, aviseanos o castle, Nao ene precivo dar ordens para que nos reuntisemos para decidir o que fazer. Reynard levow-nos a uma pequena dimen sto prisioas e paramos para descansar e deliberar. Reynard inka wma agraddvel mansio naguele lugar, esentarno-nos ao redor de uma mesa. O Galo Louco ji estremecia. — Bitd présima — disia ele. — Es inferno, exta présima 4 prisima conto 0 Afinal, & conseguin descobrir qual foi o problenva, seu ‘ago intsile — John dew scm sorriso de crocodile e serviti-se de vinho. — O Rei em Agonia consegui atrapathar 0 seu feitigozinho de arague? O rosea de Reynard permanecen wma rocha. — Ele é mais poderoso do que ex imaginant, ¢ vai trairo acordo com o Rei-lmperador — Thormy, & claro, jd pagos 0 desgracada? — Jobm dew uma eusparadla no chao, — Swa majestade honra seus compromissos. — Agquele borracbotas. Bem, parece que nés vamos ter que negociar eo jeito mais divertide — gargathou. — Com expadas Eu estava quiero, othando com arencdo e aftando 0 mew machado. Shantall chegou priximo a mim, os olbos sérias ‘em Reynard, e encoston a méo em mex brago. Senti um ijolo gelado no extémage. — 0 que devemas esperar, Reynard? Enfrentar a magia do Rei? — disse a nagab. —Nito sei Tales ele nos ataque diresamente. Talves com monstros, talves com mortas-viuos. Quem sabe? Mas temes de estar preparados para 0 pior. z —E no existe nenbsana outra maneira de conseguirmes as tis armadras? — Nio! — cortou Vil, — A no ser que nis mesos entremos no fiend da drea de Tormenta, ox tenbuonos a mesma sorte de encontrar ion grupo de deminios baredores. —O Galo Loucolevantowse, comegou a andar em etreulos, fizendo wma pequena melodia desafinada com a garganta. — Vocés nao sobreviveriam, E, mesmo asim, #3 em Zakharov existert os armeiros que poder fonjar esas armadkiras. — iso d werdade — disse Jol, babando-seem uma golada clevinio, ‘Tinhamos razio em nosso cuidado, Uma nova drea de Tormenta bavia aparecido Id poucos meses, na fronteira en- tre Zakbarov e as Montanhas Uluantes, e quase nada se st bia sobre ela. O mago que se intitulaa 0 Rei em Agoniay senhor de um pedago desolado de terra inisil no sopé das Uivantes, havia matado um pegueno grupo de dembnios da Tormenta, e pago aos melhores armeiras de Zakharov part friar armaduras de suas carapagas. Bra isso que nés quert- ‘amos. Se 0 Galo Louco tinha uma das tntcas armaduras esse tipo conhecidas em Arton, agora todos nés poderiamos rélas. O Rei-lmperadar Thormy tinha pago una fortuna equivalente a um pequeno pats para adguiri-las, para que nds pudéssemos cumprir «nossa missto. Destruir a nova drea de Tormenta, enguanto ela ainda fosse peguena. que nos levava a crer gute conseguirlameos? Por que have- riamos de néo morrer, quando todo um exército bavia tenta- do o mesmo feito em Trebuck,¢ fathade? Porque nbs érames a Companhia Rubra, ¢ nis ndo podiamos deixar de tentan E, mesnio que falhdssemes, sempre poderizmes escapar. — Ji sei — Jobn-de Sangue ainda falava do Rei em Ago- nia, — Ele € um lich. — Por que voce diz isso? — perguntou Shantall, ainda com urna mito suave e terrévelem meu brago. —E tbvie — fobm den de ombre, — Depots de mace suas quatro ou cinco lche, vce aprende a fartjarosdesrasadas Reynard dew rasio ao amigo, e geri gue pasdsiems noite naguela dimensio, preparando-nos para 0 combate. Shantll néo reclamon,porgue sabia que era o melbor, mas seus olbostraiam wm descontemamenta em pasar @ noite donge de Fall ¢ di narureza — Veet nie sente flea da floresta? — ela perguntow a anion, trad sua mui do meu brag edeporiando-e ws albos ainda mais devastadorer: — Nao sei — balbucie, depots de wm longo tempo — Hi canon ica que vocé no sabe! E Intvie mesmo. Ea ona vom imbecil, quando era joven O que é Area de Tormenta? Teno uma confissio: nem sempre fi & de Tormente, Certo, podem parar de atirar pers Quando 0 ceniio foi publiado pela primeica vex, eu ji jogsva RPG ha uns bons sete anes, Tinha as minhas preferncias, e md via como um cenétio novo (fesse nacional ou importado) poderia desbancar meus clisicos pesous, Als, nessa época eu tinha uma ‘campanba que durou mais de sis anos, com uma porrada de jogado- res (essa informagio vai ser importante dagul 2 pouco). Entio, quando eu li aqule suplemento na Drage Brasil 50, 0 vi nada que abalasse os meus gostos Exceto « Torment [No meio dos personagcns higares que eu i conhecia (da prépria _DB) ede alguns elementos novos (com potencal, eu tinka de admi-= tir), aquilo se sobressafa. Uma tempesade de sangue écido, que teazia deménios e enlonquecia os sobreviventes? Exatamente 0 tipo de coisa que eu gost! Para mim, cempestade rubra tinka um elima de mitos de Cehulhu miseurados com 0 desenho Spiral Zone (procu- rem na internet, voeés que no sio da minha époc). Ao longo do tempo, eu fui ficando um pouco (ou muito) de sico cheio da fantasia ultr-tradicional. A minha campanka comevara totalmente arrigada aos clissicos, mas, aos poucos, ia adquirindo elementos de todo tipo de outros géneros, como anime (que io é lum género, vi i, mas tem os seus elementos tipicos), Faroese, super-herdis e horror. E quanto mais eu fa pegando gosto por “mis turae” coisas na fantasia medieval, mais aquele clemento em parti- cular daquele cendtio que eu nio conhecia tornava-se atraente. Eu Jmaginava um reino bonitinho de cavaleiros, castes, magos, prin cesas e dragies — e BAM, a rempestade atacando, com todos seus ddeménios insets ‘Obisazco invadivo fitasia tradicional. Na mina cabega 0 feito sobre os jogidores seria quase andlogo 20 efcto sobre 0s personages. Mas, alm ce manter ssa ida “no forno”, eu nao acompanhava Tormenta. Lin as revises, mas no sabia muito sobre o cendtio. Eis, aque recebi um e-mail do J.M. Trevisan respeito de um conto que eu tinha mostrada a ele um ano antes. Ele me perguntou 0 que eu achava do cenitio eeu disse a verdade: mal conhecia Ele me aconse- Thou a er 0 suplemento O Refuade D20. Eu li, E extava figado, Sem que eu soubese, Tormenta tinha evoluido, tormade-se um cenaio rico e variado, com uma penca de reinos leas, cheios de ‘panchos para aventuras. E surpresa! A propria tempestade rubra ti- fnha avangado, tina tomado boa parte de um reino. Havia aconteci ‘do uma grande bataha, onde um imenso exécio tina enffentado a “Tormenta — ¢ perdido! Por que ninguém me aisou diso ances? \eio encio o conto Reet (que escrevi junto com a minha rojva e musi, Pati € ue hoje vacts podem ler no ste da Jambo) «© 0 convice para fixer O Jnimigo do Mundo, No romance eu podetia — calma, respire — sjudar a definit a ovigem da Tormenta. Logo 0 meu elemento prefeido de Arron! Foi como disse o meu amigo Gustav: “umm presente de aniversirio™ EE continua senda um prvigio tabalhar com Tormenta. Os undo romance est indo de vento em popa. Temos suplementos planejados ‘Arcon um mundo, na minha opinio, rico, rele 0 tipo de elementos ndo-tadicionais que fazem de arcjado, E te lvrinho, onde os Saladino ¢Trevisan aram-me descrever exatamente o que seriam os horrores de um medieval mundo de pesadelo invadindo a fanca Area de Torn de que eu oui f cheio das coisas que povoaram a minha da tempestade pela primeira ver. E ida, C 1 ¢ principalmente ce tenho de confessar: eu fi a parte div sar0 tornou tudo “jogivel’, variado, acessivel, dill, coer ‘eocio. © Guilherme domou as regras e traduziu jogo as maluquices que a gente crou. ‘memoriveis mesmo quando eu pensava "pur, esa descrigéo nem ext consigo viwualizar” E eu, bem s6 despejei horrores e mais hor res por péginas a fio iso, Divirtam-se, chacinem uns lee € boa sorte. Obi todo mundo que botou f pro infe sem conbecer ¢ até a proxima, it du \uperar até a5 rado como este nosso cenatiozinho cor rante tanto tempo, ser uum sucesso nacional, ambien ds. sem que seu n0 muitos de vocésjé saber, © primelao liv remna para ADE mpanhou 2 revista Dra versio mult péiginas) a ‘comemorative, Iso durante RPG, em maio de 1S para completaroito anos. E durante essa quase-dé no inicio de 2007, Tormenta es ida, a maior ameaga do inatingtvl,invencive Todos stbem o que €Tormenta — pelo menos, todos aeredizam aque saber, Uma tem lidade, trazendo bol tes monscros foram cexplicados. E mais nada. Em cada liv pigina falavam sobre a Torment rio mals de demdnios sempre permeou mundo, infiven- ciando seus rumos. Quando inventamos 0 cenério — Rogério Claro, a invasio da Tay Reo Rcurce er Pry ere) Saladino, J.M-Tievisan e eu —, nfo quesiamos eair no “licht do reino asidtco”, mas os fs brasleros adoram samusais, ninjas) ¢ rmonges. A Tormenta resolveu o problema: a iha de Tamura foi descruida pela tempestade, mas sobreviventes do Império de Jade ainda perambulam pelo mundo, {A Torment sempee foi uma ameaca constante. As frcasmilcares do Reinada so mantidas em prontidio contra os demdnios, impe- dindo a movimentasio de grandes tropas para resolver outros pro blemas (como certo general bugbeat). A Academia Arcana estuda 2 ameaca, enviando expedigies para colher amosttas ¢ informagies. sistem magias ¢ classes de prestigio espectficas contra a Tormentay ‘como todo cenétio deve oferecer Hrouve revelagées e mudangas 20 longo dos anos. Quando Tar ‘meta tovnou-se compativel com 0 Sistema D20 (em um excelente livto bisico publicado pela Editora Daemon), a tempestade avan- ou sobre o Reinado ¢ anunciow a existéncia dos Lordes da Tor ‘menta, Shivara Shaspblade, regente da nagio atacada, rornou-se sua mas icdnica oposicora, Mais tarde, O Pantedo ofereceu pistas importantes sobte a natureza do povo da Torment2. Enfim, 0 romance 0 dnimigo do Munda expés os verdadeicosresponsivels pela vinda da tempestade. [Apesar dos segeedos revelados, pouca coisa mudou na pritica Ainda sabiamos pouco sobre as criacuras da Tormenta, ainda nfo ‘conheciamos as profundezss das Areas atingidas. Acima de «udo, ninguém sabia a resposta para uma grande pergunca: por qeospadero- 0 denses do Pane nada fazem conta perio? “Tudo seri respondido agora Areade Tormente trabalho tio imporcance, tio indispensivel que — olhando agora para 0 resultado — fico pensando: come o mundo de Arton conseguiu ser bem-sucedido duran sem ele? Como 0 cendrio conseguiu se manter interessante mesmo sem pista sobre sua ameaga principal? Comoe por gus? canto tempo, E fic responder porgut. Eramos apenas és aor, deste vendo um cenirio gigamesco, Um panto de vite deses, um reinado de quae ina reins, Estas partes, mais préximas dos petionagens jopadores, citham que ser detalhadas primero, Mes- tho bojee Aron tem ainda mits vera selvagens nao desbravaas ‘Seasamente deserts em poucos pardgafos. A Tormenta teria aque espera. Una pergunta mais dif de responde € cone. Simplesmente io hava material de apoio para avenues haseadas em desir @ Torment, Enio, 0 que havea pra fe neste mundo? Maita cost, fizmense, Mesmo que no tnha sido inrencio- sal, Tovmonc seg os passe certo. Seusprimeitos lives ape sentavam coisas familiares como raga, clases, ciades,reinos deuce. Permitiam aos jogadors conseruir personagensnativos favam voce se senirem eas, Também no falta problemas locas a resolver rear o Disco dos Ts, impedira Rebelo dos, Insctosinfitrarse na Aliana Nera deter 0 Cleo Vermeho, até mesmo saat «dessa Valle quanto iso, aTormenta permancianrcivel Arvo contin: ava. exists su sombra rubra, incapa de reac Po isso Aru de Tormenta é tio extrsotdinario. Agora, enfim, vocé poder conduzir aventuras totalmente baseadas ma guerra contra a invasio alienigena, Os ervenos infernals sio descritos até suas profundezas, até 0 proptio plano de exsténcianativo dos lf (sim, gore cles até tém nome), Todos os seus abicantes sfo revelados — do apenas os Lordes da Torment, como também suas demais cs: tas. Voce amlbém vai conbecer a origem sinistra dos monstros, bem. como as rates das deus. ¢ sua culpa Aca de tudo, agora voct pode contia-atacar. Area de Tormenta oferece novas classes de prestigio, novos talentos, magias ¢ itens rxigicas. A nova raca afoul — os estranhos meio-deménios da Tor menta — ¢ uma coleio de noves tlentos permirem aos aventure- ros usar « prdpria corupgio lefeu conta eles, Novas regras para incanidade eausam aos herbs diversas percubagdes mentais, tam- bbém permite tiar proveito dels io vou esconder que Lond of Mave: the Book of Aberrations foi uma poderosa Fonte de inspiracio para este livro, contribuindo pera decisio de mudar os dembaios de exeraplanares para aberta- Bes. Aliis, se vocE possui ese étimo acessrio importado, vai en Contrar al wneladas de material dul para campanias contra os lefeu. ‘Aron acaba de ganhar, sambém, uma nova colegio de herbi ¢ vilées épicos, Alem de Gatavalith, jé revelado em Tormensa D20, temos agora of lordes Aharadak, Igaschra, Raigheb e Urazel. io 08 piores monstios do cendrio, E embora Anton seja povoada de herd, poucos aleansam niveis épicos — como a Companhia Rubra a pri- ‘meira equipe oficial de herbis PMs épicos em Tormenza, Todos fo- ‘ram inventados par Leonel Caldela, ror de O Zinio do Mundo com. {quem tve 0 privlégio de teabalhar aqui (caso estejam em divida sobre quem fez 0 qué.. ns também estamos). Os contos que abrem (05 capitulos deste livo teazem todo o clima de exploragio i. Tor rmenta e também, em minha opinifo, algans dos aventareivos mais colotidos ¢ divetides do cenériot Guilherme Dei Svaldi, editor da Jambo, também soften para tornar este livtoreaidade, Além de assegurar 0 equilbrio de regrs. calcalar as extarstieas de jogo des demnios ¢ Lordes da Tormenta & ‘um erabilho que eu no invejo.. Eas novas imagens de Etica “Ethora" Horicafazem 0 que muita ‘gence acha impossve. Trazem umm cima tenebroso, assustador, mas finda mantendo o estilo anime que permeia Aron, e que tantos aprenderim a amar. Ou amam odias. (Os acontecimentos em Arcon avangaram devagar durante eses anos todos. Agors, cam @ apoio de novos autores como Leonel, Guilherme — ¢ outros que espero poder revelar em breve — a tranaiilidade acabou, ‘Arron sempre foi um mundo de problemas. Alguns deses proble- sas nio podiam ser reolvidos. Agora, podem. Se voeds wo conseguit,é outra questo. Marcelo Casero Bem-vindo ao inferno! Torment. |A maior ameaga que jé pasou pelo mundo de Arron. Uma tem pestade asassina, um fendmeno inexplicivel, uma fonte de horrores « pesadelos que vem desafiando as maiores mences de um mundo que ‘omega a entrar em panico. Apenas 0s malores herds ousam entrar fem uma frea de Tormenta — e poucos voltam com vida. Menos ainda com sanidade, pois a Tormenca corréi a mente ea alma, [A Tormenta chega sem asso, toma una dreae nunca mais desaps- sece, Mata corrompe a vida, a magia, os elementos, coda e qualquer criagio dos deuses. Mas o que ¢ a Tormenta? De onde ver? Por que chegou a Arton? Eo que sio as erfvelseriaruras — os dennis di Tirmenta — que acompanham as horrendas nuvens ‘sss quest6es permaneciam insolveis — até agora. Pols, aqui, wood cencontraté todas as respostas sobre a Torment, Prepares: a verdad € ainda pior do que voce imagina O que é a Tormenta? Para os habitantes de Arton, a Tormenta éa morte A Tormentaé um fenémeno anda sem explcaio. Quando uma fren &atacada, os primitonsnais sao muvensexcarates que formam abaiaaltad, e 0 perurbudor com avermlhado que © proprio cit aque Relimpagosencarmdos comerarn a despencar das nuvens, des ruin constaséese matando inisriminadamente Em seguida ‘em a trie chuva dca, Gov sangsinolentas ccm em prof Sto, qucimando 20 toque. Quase ninguém sobrvie 20 dilivi conor, que também compromete a malora das consirugSes.O propio solo ¢devorud pores po horends, formando lags € Pantanoscistico. A es altura até mesmo oar ¢ «luz parecer Impregnados de pranlagi vermelha. £ como ver © mundo pelos othos de uma fea insana E entio, 0 demonios (Os deménios da Tormenta — um nome vulgar adowado pelos hhabtantes de Arton, embora esses seres no sejam realmente demd- rigs — sio trades pelas nuvens, em enzames. Também emergem das posas, do solo, ou simplesmente abandonam construgées cnfiaquecidas, como se estivesem ali o tempo todo. (Os deménios da Tocmenta matam taco em seu camino. Néo se ‘comunicatn deforma alguma com suas vitimas, néo Fazer quaisquer cexigéncias, nio demonstram quaisquer sentimentos. Seus rostos insetdides, com enoemesolhos ¢ mandlibulas afiadas, so indecifrves. Suas garrascortam armaduras como se fossem papel suas carapagas ‘quebram as armas mais robusta, Sao fortes, pidos, equase nenbu sma magia pode afei-los Hi diferentes tipos dessas criaruras; casas e graus de hierarquia, mas até agora nio hi pists sobre suas formas de comunicagio ou ‘organizacdo. Sabe-se que existem os Lordes da Torment, eres mule to poderosos que comandam uma determinada Srea de Tormenta € todas a8 suas eriaturas Existem muitos horrores em Arton — moastros, vildcs, mortos vivo... —, mas nenhum se equipara 8 Tormenta. Alguma coisa nos demdnios em seu ambiente € tio diferente que, quando consegui- ‘mos ter um vishumbre real de sua naturexs, enlouguecemos, Assim ‘como nosea carne queima 20 toque do fogo ou cio, nossa mente também pode ser ferida pelo comtaco com cettas coisas nocivas. -Mesmo antes de cometer qualquer violéncia, mesmo antes que suas capacidades sejam sequer canhecides, of demnios podem nos en: louquecer apenas por exist. Monstros-insero comuns nio poder tum fazer isso — ji existiam inimeros deles em Arton antes da chegada da Tormenta, Extudiosos dizem que nfo podemos ver 9s deménios como real- mente s50, Sua forma verdadeia é t8o alienigens, io surreal, que snossas mentesracionais no conseguem accitar. Melo um viajan te planar experiente, babituado as criaturas mais estranhas no _multivers, jamais iu algo remotamente parecido com eles. Sobre viventes insanos das areas de Tormenta falam de “formas inirmagindveis”, “angulos impossiveis” ¢ a "verdadeira aparéncia™ das craturas, As Formas insetdides que conhecemos, por mais hor- rendas que sejam, sdo apenas fachada, Uma méscara criada por nossa prdpria mente como procesio. Restam, pois, poueas pesoas que tenhar entrado em uma rea de Tormenta ¢ que sind sejam capazes de relatar 0 que lucidee, Descrigdes de dress de Tormenta jf formadas so vagas, mas todas falam de uma connie absolut, A terra torna-sedcida e frida, Toda a vida vegetal desaparece, com a excegio de algumas érvores negras ¢ otorcdas. A gua trans- forma-se em algo écido, venenoso ot: ambos. O ar € pesado, dolo- roso nas narinas, e comado por imprevsiveis nuvens c6xieas. Rar chaduras no solo seco revelam fontes de vermelhicio borbulhante, ‘ou expelem uma lenta famaga escalate, O efu & encarnado, som. breado por nuvens da mesma cor. Pancadas ocssionais de chuva dcida caem sem aviso, derrerendo mais ainda qualquer matéria narural que tena restado. ‘Aos poucos, a maior parte das estruturas¢ objeto exitentes na fren adquire uma crost dura, parecida com coral, Alguns materiais smdam pars algo poroso ox exponjos0, como se estvesse apodrecido de urea forma estan. “Talver © mais impressionante ¢ medonko sobre a cortupsio da ‘Tormenta seja a tnnsformapto pela qual passam mules estrutures, Nio apenas devido & crosta vermelha, elas se tomam diferentes € horrendas. Portis ¢ janelas lembram bocarras com presas afiadas. “Torres se ascemelham a esprais pontiagudas com espinkos, Paredes sfo como carapacss. Pequenas casas ou oficinas mudam para hor- rores de 03808 e ferro enegrecida. Ruas pavimentadas com crivios. Lamy do chfo, A criatvidade docntia da Tormenca para esses cenésios parece sr infindivel 12s de olhos enormes. Poses feitos de bragos que brotam Conhecendo o Inferno (Os otimistas dizem gue a Tormenta é uma invasio perpetrada por habitantes de outra dimensio, Os pessimistas acham que essa ‘outea dimensia é. inferno, Mas mesmo os pessimists estio sendo cas demais A Tormentaé, realmente, um fico cusado pela superposicio de Arvon ¢ outro lugar terivel e desconhecido. Os “demdnios da Tore ment’ sto os habicantes desse lugar. Nlo sio deménios, mas uma raga chamada lef Seu nome rel éimpronunciivel pelos artonianos (de Fito, owe 4 prontincia do verdadeiro nome das criaturas é um sétio rico 4 sanidade), mas “Tefeu” € uma aproximagio razodvel que pode ser vocalizads e escia, (Os lefeu cram conhecidos, sob a forma de lendas € mitos, por alguns abisas (0s diabos e deménios “verdadeiros") que ratejam em alguns Reinot dos Deuses. Ele erars, para os abissais, aquilo que oF abisais sio para ot mortsis: monstros de poder itestto, hativos de lugares teriveis, «malignos além de qualquer compre ensio, Um diabo ou demdnio reme os lefeu asim como qualquer aldeio teme um abs A Tormenta nfo vem de outro mundo, nem mesmo de ourea dimensio ou Plano. © lugar de onde vem a Tormenta pode ser clasificado como caer redlidade ot auene Crisgo, com ses proprios ‘mundos, Planos, dimens6es, Nada que conhecemos como “real” seaplica 3 cosmologi alienigena dda Tormenca — magi, poderes divinos, leis da fisica ¢ da narureza, nogies de vempo ou espaco. Nada. Por isso a Tormenta aust loucura, «por isto & presenga dessa realidade em conto com a nossa € tio destrtiva de coisa tio exranbas entre si no podem coexist, Qualquer ois oriunda do universo da ‘Tormenta tem, intrinse- camente, a eapacidadle de corto edeformat qualquey coisa no nos- s0 universe. Em um eastlo corrompido pela Torment, nio apenas sas paredes ¢ mobili sfo trnsmutades; 0 préprio conceite de um caste fol ransfigurado, sua propria eaénce A Génese da Tempestade HA incontiveis era, trés deuses de Arton—Nalkaia, Tlliann & Kallyadranoch, mais rarde conhecido como “o Terceira” — desco brieam uma outra Criacio, completamente isolada dos mundos, Planos ¢ dimensées do muliversoartoniano. Essa Criagio era umn lugar érido, desprovido de vide, pois Id 0 Nada ¢ 0 Vazio nunca hhaviam consumado sea amor Os Tiés exploraram essa nova realidade ¢ criaram uma nova raga pra povoi-la, uma raga que se omaria ainda maior ¢ mais poderos. do que seus iho axtonianos.Valkaria imbuiu-os de ambigao infini- 1; Tillian dewlhes inventividade e desapego a limites moras, © Kallyadtanoch presenteou-lhes com 0 poder. Eram os leu. Nunca revelando-seaberramente a seus novos flhos, os Tits vi= ram seu crescimento, Forjaram vinte ceases menores como senhores daquele mundo, para serem um dia superados pelos lefeu. Aquela ‘ach evoluiu mais pido que os Tés supuseram. Assim que puderam, assassinaram seus deuses flsos. Tillann tentou se revelar aos lefeu. No entanto, vendo pela pei mira vez aguilo que seus novos filhos haviam se tornado — sere de ambicfo e maldade incantrolveis —, enlouguecea. Os TiésFagiram de volta para seus Reinos, mas os outros deussjé haviam descoberto tudo sobre as abominagées que eles haviam criado, Vallaria, Tllann e Kallyadranoch foram punidos, e © Panceio cexterminow cotalmente os lfeu. AS duas Criagbes foram isoladas uma da outra, ¢ 0s deuses fizeram com que nada restasse daquele episédio. Nem lembranga, pois até a lembranga de urn deus tem poder. Hoje, nenkum dos deuses lembra-se da verdade sobre os lefeu cea Revolta dos Tes, Mas a semente esta langads, Aquela raga de garra ¢ vontade infinitas nio podia ser facilmente dizimada, mesmo por deus. Eles ressurgiram. “Mesmo sem meméria de san verdadeita ges, 0 lef continu avam sendo 0 que eram: poder © maldade, Novamente cresceram, cdominando todos os Planos, mundos ¢ dimensbes de sua Crago. Eles haviam sido forjados assim, para a conquista e evolugio. E podiam asssinar deuses. Assim como baviam chacinado seus deuses {alsos, os lefew podiam matar deuses verdadeitos. E assim devem tet feiso em outras dimensées, outtos Plnos. Fram agora muito mals poderosos que quando foram exterminados pelo Pancei, Poder fisico,ciéncia, conhecimento — tudo foi explorado por cles ato miximo, dominado, levado 20 ice. E chegando & pee ‘go, estagnouese. Nao bi como imaginar a sociedade lefeu nesse Ponto. Suas artes e cigncia, diferentes de quaisquer outras, ating fam um estigio que mesmo o¢ maiores pensadares no podem sequer concebet, Grande parte deles havia vencido as limitagbes do individuo. Fariam parte de um todo, eram tudo ¢ nads. Ourtos, no encanto, ‘ram tio poderosos ou diferentes que nio podiam ser disipados, Contiauaram exstindo como seresindividuas Tempo e espaco, vida e morte nfo guardavam mais segredos. Os lefeu nfo estavam mais vivos, nem mortos. Estvam em todos 05 lugares e épocas. Hles ocuparam tudo em sua Cage, Ou melhos, cles subsitunam sua Cringi. INio havia mais o universo, Havia apenas feu Nao exstia mals para onde evolu, Formouse 0 tédio. ‘A Criagio viva que era lefeu estava &beira da peur vacio original a busca pela perfeicio, havia sido conclu centdo descobricam a exstencia de outras Criagées, lugares além de todas as dimensées e Planos que conheciam, la, Eles Mas apenas ocupar novasrealidades nto bastava — isco ji avi sido feito, Els buscaram coisas nova. Sees, idiss, conceitos que rio existiam em sua Criagio original. Mandaram batedores para cexplorar diversas realidades, em busca de qualquer coisa digna de interese pata uim povo perfito, Um delesveio a Arto. O Erro de uma Deusa Glérienn, Deusa dos Elfos. Uma divindade de beleza ¢ poesia, de vaidade e orgulho. Uma dama de coragio gentil, pleno de bondade. Quando voed é um eo CCriadora dos seres que considerava os mais pefeitos ¢ belos na existéncia(afinal, haviam sido feitos 4 sua imagem ¢ semelhancs), (Glbtiena hava acabado de sofrer um duto golpe. Um imenso exér- cco de monstros¢ humandides,iderado pelo general bughear Thwor Tronfist destruiu para sempre 0 reino éfico de Lenérienn. Dizima- dos, reduzidos 2 poucos sobreviventes, os elfos foram apenas as primeira vicimas da implacdvel Alianga Negra, que logo conquisaria todo o continemte. A deus fraquejou, debiliada, em agonia [rence 8 more ¢ sft ‘mento de mithares de seus stiditos. Ragnar, 0 Deus da Morte goblindide, havia sido responsivel por aquela alianga ¢ ameagava abater Glenn por definitivo, ‘A.Dama Elfesbuscou uma forma de cones-atque Emoutro agar dstane ecto hava adem More de Vides «¢ Numerlogin Una ances brcraci de monges Que previa © Faro dos homens ¢ dese anes de cllelos. Servos secteton de Tanna-Toh, a Deis do Conecmento, os Videnes Mors vin sempre econdidos — porque garda segredos teres demas pura verem res. E melhor mancirs de nunca precisa responder tina pergunta € nunca ear pe de alguém que pos A Mie da Pale apiedonae de Glenn, revlandothe 0 mos cciro da Ondem, Alf mou pers i, sperando encontrar algo qu parks war conta Ragna ¢«Alanga Ne Deseo sobre 2 Torment GGlérienn acrditou que, ma tempestade mortal, haviaenconado sua arm, Em seu desesper, ulgou que pderiafizer um pato com aqua fog esttangda, var de Arto ses inimigos. Mas eva cnfagucid,fglraa. Precsia da aula de outs dees maio- te. Ot, plo meno, de sun no-nrereréncs Gléricnn coms uma jomada serv dos Reines dos Dewss, ) se os lefou sabem 2 verdade sobre seus antigns res ceuses. Talver ainda ignorem que Vallaria, Tillann eo Terceio pettenciam 20 Pantsio de Aron. Talver ji conhegam esse fato, ¢ sto invadindo 10 mundo justamente em busca de desforra, Ou talvez nem mes- se importem. Esse pode sero tinal de que existe divergénia entre os lefeu. Ese povo taier aio ja asim tio unificado quanto se pensi. Ou alver, s planos sejam tio intrineadas que nfo podemos realmente mpreendé-tos. De qualquer modo, sbios ¢estudiosos sumarizaram os possiveis wos lef + Aprender mais sobre Arton e seus Planos, através de abservado- spies, ou pela dominagio dos natives. + Compreender 0 processo de transformacio em deuses + Expalhar vrrore respeito aos Lordes da Torment, + Conguistar a adorasio de Artoa, substitaindo os deuses do Pantedo, «+ Ampliar seus terittios, expandinda dreas de Tormenta e/ow crianda ites nova + Disseminar o culto aos Lordes entre os povos de Arcn. + Obrigar © préptia Pane a curvar-se em severtncia, + Destruir Aron ¢ seus planos, através das seas de Torment, + Corromper ou destruie clementos veas pas a sobrevivéncia de Aron, como a vids, a magia, a luz do sol. «+ Chacinar todas as eriaruras desta realidad, + Determinar se ainda existe algo a ser conguistado. A Sociedade Lefeu Para um povo que nio conhece diferengas entre seus indi- viduos, o priprio conceito de “sociedade” parece estranho. io sabemos como funcionam as relagées entre os deménios dda Tormenta em seu mundo native. Nunca saberemos. No entanto, sabemos que os lefeu sio velozmente adaptiveis sedentos por novidade O primero ataque em Tamu-ta no demons trou gulalquer Iigica ou padto, apenas caos © destruicdo cega. Mas (os invasores vem, cada vez mai, aprendendo eimitando nosso modo de vida. As manifestagdes mais recentes da Tormenta incluem cida- dds, foralezas, templos outros snais de eivilizagio. Os lefeu parecem scr perfetamente organizados, com fungies definidas para cada cratura, um lugar pré-determinado para todos, Os Lefeu e a Escrita ‘Nao existe uma estita Jefeu nativa Sua comunieagio ns ‘ural € rica, efciente © quate invanainea: no existe, em sta pripria socielacle, a necesidade de algo pareeido. Se exist ‘uma esrialefew algum dla, ela Ft esquecida ‘Mas os lefeuflarum surpresos com a descobecta da eset em Arion, Nao como comuicagao ou rego de informagio {para cles algo obsoleco), mas por sua capacidade de capaurar ‘dls ¢ corné-las materials. Para um lefeu,eserver sobre um deus em um pergaminko é © mesmo que eaprurar esse deus. Um poder assombroso! TInerigados, alguns Loides da Tormenta vém empregando parte de seus recursos para inventar uma “escrca lefeu". E ‘ama tarefs trabalho: seu idioma tio complexo, cio pleno de simbologias © conceitos abtratos, desafa 0 espaco dispontve em biblioweas inteiras. 'A grande inonla € que, através dessa esrita os flew ofere= ‘cem meios para que consigamas aprender sobre eles, Nio podenos ouvir suas vones, mas pademns le seus textos! Nossa ‘ompreensia dessa escrta est ainda em seus primeiims pasos = inas livros e pergaminhos efeu si0 valiosisimos,tesouros Jnestiméveis pata aqueles que estudam os mistéios da ‘Tor- ‘mena, Fo através dees, por exemple, que pudemos determi nat os nomes de suas casas. Desnecesirio dizer, tentar lr idioma lefeu pode causar dans mente. segundo seus mérios,necesidadesecapaidades. Se eles eram assim s adquisram esse comportamento apis conhecer nosio mundo, nio se be. cem sua realidad nativa, ou ape Nafta de temo melhor, olfeu si dividides em casts: Ulrika casta mais baixa, Foroada por trabalhadores braais soldadoe rasos. Séo a forga de trabalho nlo-espesialiada, mantende vende eesruturas Funeionando, Tarabém aruam como soldados de fate escalio, patrulhando regides de Frontcira ou arrebanhando reves, Os ukarlapresenar poucn variagéo em suas formas fis too vivern unicamente para suas fungbes designadas ecules sldadostreinados, Compost unicamente de ger reiron ea casa preenche a maior parte das legiéeslfeu, Diferente dos er, o qeruakk so esponsivels por funges mais specials «env lidrar patcalhes, vig esrurras ot inspecionar novas ops. Podem apresentar uma grande variedade de formas fisicas — hhumandides, quedripedes, insides, monstos alados. ilar: especnisas que desemperiam a maior pare das refs superiors na soca lee. Fazer pre dea casa estrus is ‘Chee o Ciiadouro),inflaores, cents, xploradores, médias escent” e utrosindviduos com FangSes e=pecias Alguns sokdades, comma o colosso da Torment, também pertencem a 6 cst Fygueth: casa superior de sibios,semethane as iar as repeal por tes consieradas mais importants elu nobres Povenczm a ess east 05 Criadours, 0s Cérebros Externos, os bate dora ¢ exploradares dinicos (como o albine) ¢ 0s mais poderosos cOldadon, Os fagurath sio, em excerdo, individuos de poder « co vheeimento incrves. Mesmo o mals aco entre les pode divimar uum exércto de hers. Lekael: sio o: temiveis Lordes da Tormenta, Em Arron, exda Iekacl governa uma dea de Toerenta expecfica. E possvel que estes sates ado existam na realidace naivalefeu — eles teriam sido gera- Glos aq, como uma forma de imiar 0 poder esutordade exetidos por regentes deuses, Alguns sio predominantemente gueteitos guano outros preferem ser cientstas ou inventors (como ‘Aharadik, o Lorde de Zakharov). (Os Cinco Reis Impossiveis: embora no constieuam ura esta propriament dca, ees ses representa o kia ego conheck Nomes Lefeu (Os recente estado da escrita lee levaram A revelagéo de alguns memes que cles uliram, como sus casts ¢ ett ‘raruras Masa verdade € mito mais comple. lavas como “leeu", “ukril” ou “lekacl”sio apenas ‘uma frag, ura aspect dos nomes verdadeirs. Representam thal) o 9m aproximado desses nomes, mas nem 20, menos comegam a rocar seus aspectos mais profuncdos. ‘Um nome lef ¢ longo, comple demeals parse pte senso em nossa lingus. O nome de um tnico individuo, rerio ou objeto poderia ocupar uma encclpéia de muitos elimes — porque, devido & percepelo de tempo dos lefeu, Te simples nome funciona como am relat de fide « sue ‘ptiria, Um nore lefea die ido o queacontecen © acontecerd com azpela peso, repo ou objeto; com prea eat Ea herve velocidade da comunicaco lfeu permite pronunciat toda esa informacio em tum Instance. ddo na sociedade lefeu. Muito pouco € conhecdo sobre cles (vet sMiante, em *Religio”), Nio se sabe, por exemplo, se wm lefeu vafciensemente poderaso pode ascender a ese etigo. Relagées Sociais ‘A maior pare dos lefeu comera a vida perencendo i cast mais axa, Embora as rlacies entre casts diferentes sejam ainda win taifro, ndo hi evidéncia de que membros de castas mais baixis jam desprezados pelos demas: seu papel parece ser considerado natural ¢ necesito, ‘No parece exis qualqur forma de confi interno na sociedx dd lees Tales iso ocorra porque cada individuo jénasee (ou me thor 2 criado) plenamentesaisfeico em realizar suas proprias fun No hi dlsputas de hieraquia, nao hd rvalidade ou competi- go - cada criatura lefew farce satsiia com aia propia posite. Néo ce, asim. qua io — embora sejam ambiciosos como pove, (quer rato para confios Qualquer le obedccecogumene qualquer ondem de membros das uae superiors, até mesmo ordens suicidas. Mesmo assim, ort atsandanee evita sacrificios desnecesrios — néo por qualquer rt So moral ou érica, mas pojue sia desprdiio de recursos, Nie parce cx enteo few, qualquer forma de punisso on execuéo perms (exceo nas ocasis em que tentam imitar ow aerorza habizantes de Aron) Tinguém sabe se ot Ifeu temem a morce. Em ger eles no saciienm suas vidas sem um prop6sico (o qual nem sempre podemos der), mas tmbém néo reeuam diante de perigo ou desculio cave. Talver tenam esquecida como a morte pode ser. Talve, atra- sec de sus poteepeio do empo, eles saiham quando wo mores — mas no possim fazer nada pars evita esse evento Por tudo iso, a socedade lefeu funciona com tamanha ef snexoibilidede, Pela devogio extrema de ss mebos, suas vidas inf ies esa perepgao unica do tempo. Sacificar-se pla ra nfo 6 funds um ato ce hero: ci narra quanto respira € pa ns ‘Os lefeu no ve organizam em fimilas, pois no existe entre ces ‘oconceita de "parentesco” como conhecemos | foi observado que, sc veses alguns lfeuaprecam 2 companhia um do out, formando dlgam po delgo que poderia ser amizade, Mas pons academics fm Anton apéiam esa tori. (0s poucos que obserram comunidad eeu em sua realidad native falam de cidades semelhantes 2 colméias, onde as casts vivern aladas, Mesmo que isso sea verdade (qualquer resternunbo de putin que ise a Ant-Crapo éaltamente divides), al compo reno deve scr apenas simbdlice, uma Vez que espago c distneias wo representa bareires pasos ees. Apenas membros de casts ovadee tem “casas” ou habitagdes proprias. Os ulkril e gertuakke tao conhecem a necesidade ou desjo de qualquer outra coisa além ge balho —e, como nfo preisam descansar, nunca deixam ‘Seus posts. Os hikarelefagurath postuem habitacBes Propris, €o- ‘quanto of ekal vive (eoricamente) em foals ov cidadeas. Relagdes com Outras Ragas Ads longas eras de unfiagio total os lefeu equecrram que pers haver qualger difeenga entre cles prion ¢ quslaver rerea ebisa que nao fosem eles prOpriot. Assim, a descoberta de sennas ralidades — povoadas por ovintscriaruras — deve rer sido chocante para ees. feu tenham precisdo de muico te “Talver tear cons sma, Sua primeita reagio, 0 ataque fulminant “Tamura, teria sido pasamente instinciva. Como quando masam tum inseto por simples reflex. Hoje, néo hé dvida de que eles entendem a exiséncia de out «que-ndo-sejam-eles. Bes eudam, observar, aprendem om 0 tranhos” — mas em hipérese alguma pensam em nés comme iguals, ou semoramente semelhantss, Nunca saberemos ralnienséycomo so ‘os vistos pelos demdnios ds Tarmenta, mas & bepl-powsiel que nossa prépris existéncia saa da hediondy// Ningulm ates ceo see consegy erential eats de Aon, ‘s Aealningur eure rt homer uma ful hunanoe uel i memo um goblin eum dag Tit nem slum a diene Sod senate no nog ng fifa de papel nde Per'yn spe it Claro, come em quae nf light acs, dic as pk taatlis igo by le po sebecu pons devin one leas ee um er hum fa de poplin = cortas conclusées + Os lefeu nia pategem ypazes de comunicar de Tormenta, Assim (mo fossa vor & levada pelo vento, é posi ue a "vou" lefeu (ou sca equivalent) seja também conducida atra- & de um meio especifia, que existe apenas na Tormenta. Obviad rnenhum nativo de Arion dispoe de sentdos prepso petecber esa “voa": alguns magos tentam desenvolver ma sigam ese fein. walve ‘elepatis”. Aventurciros e académicos planares declaram 2 ex da “priguiame”, Esse estranho poder da menfe incligetce seria paz de feos tio assombs on div so hd qualquer evdencia de suz manifesto eny Aton. Assim ‘no 2 magia divina néo funciona na AntisChario Jefe, é possive] asim chamado “piguismo” tambenh ®-Fancioneaqut — ceto em freas de Tormenta i. ATor: ser eapaz de propagar su" cs ire, No entanto, no hi ainda nenhura prova de que a comu 0 lefeu possaaleangar uma drea de Tormenta diferente + Os Lordes da Tormenta, como sempre, So exces6es para todas regras. Ele parecer se Ee Pe) Preis Cores Cesc) Religiao: os Cinco Reis Impossiveis Se os deménios da Tormenta compreendem 0 conceto de reli Bio, é evidente que nao o respeitam. Religiosidade supse no apenas renca em seres superiors, mas eambém devogao ¢ subservigncia vo luntérias a esses seres. Para 0s lefeu, iso deve set impensivel, uma blasfemia contra a existéaca, Também deve-selembrar que, para os lei, ni existe pisovida les néo mortem, nem mestso pessuem alma ou espitito, Nao existe ‘uma jornada fina, no hi “inferno” ou "paraiso" —em seu mulkverso, esses lugares ji foram conquistados ¢ ocupados. Esse fato também reduz a importincia ou necessidade de uma eligi No entanto, descobrindo © poder dos deuses de Arton, os lefeu Pessiram a considerar a religido como uma ferramenta util, Os préprios lefeu sio incspazes de fornecer essa devosio — & impos sivel para eles respeitar ou venerar alguém. Embora alguns deles tragam sculos como “sacerdotes” ou “lérigos”, na priticasio ape nas pastores ou supervsores de culos: eles ndo respeitam verdadei samente nenhuma divindade. (© mais proximo que os lefeu possuem de uma rligiso ou paneeso so os Cinco Reis Impossves. io os lfeu mais poderosos de todos, os verdadeiros lideres de sua realidade, eres que nem mesmo. um Lode da Tarmenta pode igual A existéncia dos Cinco Reis € hipotética — nenhum estudioso em Arton sabe dizer se eles existem realmente, ou so apenas mats ‘uma invensio lefeu em suas tenativas de imicar nossos costumes, De qualquer forma, eles raramente incerferem com a sociedade lefeu, e mesma um deus nio poderia compreender suas motiva. Ges estatagcinas. Apenas @ Nada ¢ 0 Vazio poderiam rivalizar ‘com eles, em poder. © Cavaleiro Vermelho: na forma de uen majestose ¢ apavorante ‘guerrero de armadura, sobre um corcel gigantesco (que, na verda. de, faz parte de seu corpo), o Cavalcira Vermelho € 9 menos alienigens dos Reis Impossireis. Também éo tnico que demonstra Inceresse ocasional pelos assuntos das craturasinfeiores. E cons dlerado o lutador pereito, o general capar de vencer qualquer baca. hae criunfar sobre milhdes de inimiges. Ele teria lderado a chac ra contea os antigos deuses lefeu © Verme Devorador: tem exatamente a aparencia de umm vetme igumtesco, com centenas de quildmetros de comprimento, Sua exit. 'eacia se resume devorar tudo pela fente,destnuindo grandes cas de realidade lefeu, apenas para era sepuide expelir matéria vermelha «rua, dando origem a novas estruturaseregies. O Verme Devoradot encarna a auséncia de moralidade dos leu, destruindo sem pensar ‘ou petceber, apenas para renovar © que esté no catninho. © Lorde Labirinto: ese ser existe como um gigantesco ¢ in- termindvel Iabivinto, e representa a ambigéo ¢ descontentamento dos lefeu. E impossivel seguir seus meandros até o fim; cle umm enigma insolivel, que desafla todos os lefeu. Esse desafio vivo & luma lembranca constante de que apenas a insatisfagdo e cobica levaram sua raga ao Spice, AA Escola Infemals un imenso sol, muito malor ¢ mais quente que qualquer estrela no multiverso de Arron, Com seu corpo letal © indestruiel, representa infin formas que os lfeu poem asus ‘Tambeéim personficea versalidade einvenividade,lembrando que ren sderse a conccitos antgos & desperdiar porecll para cresciment, APalavra Infinita: 0 mais estranho Rel Impossvel nao tem corpo Fico: ele um om. A Palara Infnia encama todo o conhecimenve lefeu, todas as invengiies e descoberts que esta raga prodigiosa tea lizou em sua histéria. Ele se manifesia Coma uma misica discante, ‘em momentos de casi. Os Deménios da Tormenta Pessoal e socialmente, os lefeu nio existem como individuos. Fisicamente, no entanto, sua variedade de formas ¢ tamanhos ¢ imensurdvel. A Academia Arcana lta para tentar catalogé-lo, mas cada nova expedigio de h (Os deménios da Tormenta encontads em Tavmenta D20: Guia do Mestre corresponcdem 20s primeiros — e imprecisos — relatos de {ncontros com aventurctos. Seus nomes e sistema de catas ram Aesconhecids, mesmo suas habilidades nda correspondem & aval realidade. Néo fatam motives, desde testemuunkos distoreos pela Joucura,espécies vatiantes em cada deea, até mutages mais receees promovidas pelos lef, As informagoes e regras apresentadas a seguir substcuem todas ‘aquelas encontradas em Tormenta D20: Guia do Mes e quaisquer fouros tal. Caracteristicas dos Lefeu “Todos os demdnios da Tormenta so criatura do tipo aberrayso ¢ do subsipo lefeu, Toda cratura do subeipo lf tem as seguintes * Coordenapéo Perfita: 0 sistema nervoso lefew, espalhado por todo o corpo, &extremamente efieze em realizar miltpls tare 20 ‘mesmo tempo. Por esse motivo, ees podem atacar com todos seus ‘membros em softer penalidades por combater com miltipls armas. No entanto, sb podem receber ataquesadicionais por binus ase de araque com um dice memo. * Imortalidade: os lefew nio precisam se alimentar, dormir ou ‘spina Também nao cnvelhecem,¢ 8 mortem por cass violent * Inunidades: demonios da Tormenta sho imunes a icido, aaques furtivos, dreno de energia, dreno de habilidad, cletricidade,fogo, fio, mecamorfose, morte por dano massivo, paralisia. petificigio, sbnizo, sono, sucesso decsivos e veneno, Demdnios da Tormenta podem sorter ano de energia quando ela prowém de um conjurador com o talento Energia da Tormenta(veja em "Novos Talento) * Insonidade da Tormence: qualquer ciara ineigente {Ine 3 ou mais) que veja um deménio ds Tormenta pode sofce danos mentais. Ao observar um tinico lfeu, a vitima deve ser bem-sucedida em urn teste de resistencia de Vontade (CD 10 + 1/2 DV do deménio). Em. «aso de fracas, a vitima adquire pontos de insenidade em quantida dei ura"), Caso seja um grupo de lefeu, apenas um teste deve ser fit, com uma CD igual 10 + 1/2 DV do demnio com a maior quant. dade de Dados de Vida, +1/10 da soma das DV dos outras demi 1s. Em caso de fracasso, a vicima adquire pontos de insanidade cm ‘quantidade igual metade dos DY do deménio com a maior quant dade de DV, +1/10 da soma dos DV dos outios deménios. Em caso fe suceso no teste de resisttacia de Vontade, um personagem fica imune a este ataque por um dla, al metade dos DV do demdnio (vejx mais detalhesem “Lou + Monte Alienigena0 co0tat0 ‘com a mente lefeu € perigoso, Qualquer cracura que tenteler co estudar a mente de um de- sménio da Tormenta deve ser bem sucedida em um reste de resstincla de Vanade (CD 10 + 1/2 DV do de- smn). Em caso de fracaso, a vitima ad- quire pontos de insanidade em quantidade igual 3 metade dot DV do deménio (veja mais sletalhes em “Loucura”), + Perceppo Temporal um lefew consegue ceaxergar alguns instances no futuro, en do capaz de csquivarse de golpes antes {que eles ocorram, ou atacar seus oponen- tes no lugar onde estario. Um lefeu soma seu rmadlficador de Sabedoria como um bonus de Incuigio em sts jogs- das de taque, estes de ressrincia de Reflesos e Classe de Armaddur, + Sontids Séaico: am lefeu conseque perceber outras eriaturas que estejam em contato dizeto com 0 chio. O aleance do sentido siomico do lefeu & de 1,5 m para cads DV que ele possui. Esta habilidade funciona apenas em éreas de Torment + Vide Ampla: por seus olhos grandes e mltiplos, um lefeu recebe +4 de bus em testes de Observar,e nio pode ser Aanqueado, = Visio no Escure: 18m. ‘que iio existe magia na And-Criaio, todas as caracteristicas dos lefeu sio consideradas habilidades extraordinésias, Casta Uktril ‘A mais baixa casta lefeu é formada por soldados e operirios fisicamente idénticos entre si, criaturas “produzidas em massa”, que compem a maior parte de suas tropas. Em Tarmu-ra, mem- casta eram conhecidos como kanarwy, ou “homem- Geraktril Uktril ND4 (Os ulkaril lembram huumandides de clevada esearura (em média 2m), compo delgado e earspasa vermelha attculada. A eabecorra lembrs uma formiga, Sous bragos si desiguais: um deles termina em ‘uma mo funcional, enquaneo 0 outro pode ser uma ferramenta ou. tema, conforme a fungio da critura. ‘Uhesil exitem em quase todos os pontos de uma sea de Tormen- 1 realizando carcfas diversas em suas comunidades. Pequenos gr- pos destes monstras percorrem as foneiras, atcando intrusos ow realizando pilhagens em aldeias préximas, pars caprurar escravo, ‘io, quae Sempre, os primeiros demdnios encontrados por explora- ddores que avencuram-se na Torment. Ero regides mais profundas, formam verdadeiras lepises prontas para avancar como enxames sob ‘0 comanda de seus meses. ‘Combate (Os ukarilexploram sua superioridade numérica ¢ destemor pela ‘moze, scrifiando todos os membros de uma wnidade para abater pelo menos un ninige Fl concninm cir auquoremun iio Casta Qerluakk aadversiso [normalmente aquele que parece mais aco em combate), tentando receberbinus por Banquss. A cast getuakk €formada por guereiros specializes. A ‘Uktril: ND 4 Abetragio Media (Lefeu); DV 648+18; 45 PV; maior parte dos lefeu encontrados e confrontados por aventure- Inic. +7; Del 9m CA 20 (+3 Des, #6 narra, +1 intuigo), toque r0s(e também vstos em Tarmenta D20: Guia de Mestre) prcence 14, surpresa 175 tq Base +45 Agr +93 corpo-a-compo: pinga +1 aesa cast (1d8e5):Atq Te compo-s-corpos pina 111 (1d8+3) ¢ gar +10) (lele2), AB insanidade da Torment (Ph; Voneade CD 13 anal): ‘il CBee len, euro de ano mii Tend Sene_ SEU nes pre GM; TR Fot 5, Rev, Von +6: For 20, Des 16, Con 16, Inv 8; DurtoraGonhecidos como ta-kanatur (rei dos homens Formiga- Sa 125 Car sao"), co gerkuil parecem atuar como comandantes para os ull ants s Lo (a eligis ds egies lefeu— mas também podem ser vstosformando Peicas & Valen Observar +10, Satar +9; Arma Naral Spri= z re ia ie nae pegienos grupes. Excsto pelos préprios uktril so os deménios da da (pina), Fes Ava (pina) Tnisitva Apsioseda, — —Tsrmenea mais fegientemente wvistades por avennuiros. Sua forma lembrs um ukteil mas avancado, com a mesma aparéo- cia aproximada, excsto pelo fato de que possuer es bragos — dois deles-en sum>mesma lado da corpo, terminanda em pingas terives r Sto também maiores,acingindo tés metos ou ‘mais de altura (geri ape- sentam variagiex sua apa: Ie b, Tepuaridides em sua crapara por snitem qe seiden- siflqueum individu expecificn com um olhar aero. ‘Combate Numa lura, um ge- raktril tenta entrar em ‘combate corpo-a-compo 0 mas ripi> do possivel, para entio atacar seus . inimigos com suas pings. ‘Hurobakic 2 Geraktril: ND 6; Aberragio Mé- dia (Lefeu): DV 948436; 76 PV; Inic. +8; Des Dims CA 22 (+4 Des. +7 natural, +1 intuigio) toque 15, surprest 185 ‘Aug Base +6; Agr +125 corpo-a-corpo: pinga +14 (1d8+6); Atq Td corpo-a-corpo: 2 pings +14 (1d8+6) e gar +13 (1d443)s AE snidade da Tormenta (4 Pl: Vontade CD 14 anula); QE caracteristicas de = CM; TR Fort +7, Ref «8, Von 47; For 22, Des 18, Con 18, 2, Sab 12, Car 8, sricias¢ Talotos Escalac +15, Itimidagio +5, Observar +17, 115; Arma Nasural Aprimorada (pinca), Armadura Natural .orada, Foco em Arma (ping) Iniciativa Aprimorada Hurobakk urs de poder de combate impressionante, os hurobakk: Ls guerreiros de elite que fornecem suporte e forca de ataque stadora aos batalhoes lefeu. Equivalentes (em linhas gerais)& svia peda em wm exército do Reinado, os hurobakk entram = cena quando 0 inimigo ¢ force demais pars as fleras notmais ssl ¢ gers NDO Os hurobakk lembram um inseto quadripede, com um segundo ‘co eretoemergindo do primeir (deforma similara um centauro), “=: quatz bragos adiionais e uma cabegorrainserdide. Seusbragos jones tém a forma de imensas garras de lagosa, que dilaceram Sua armadduca estéentee as mais resistentes entre os lef. geral sfo vistos em rertenos de planicie, onde sao mais azes, mas também pairulham as vias de acesso principats 3s parsee proxim. «s burodron sio soldados obediences na hierarquia lefeu. Embo- te operem em conjnto com ouctaserlaturas, em geral sio (por um geraktrl, que conanda operagbes a partir de uma Sede ou comunidade de outro tipo Combate ‘ burodron centa identifica eriatura mais faea is, valendo-se da surpresa © grande Fores para conjuradores antes que consigam fazer qualquer magi Burodron: ND 11; Aberracio Enorme (Lefeu); DV 1348+81; 'V; Inic. +1; Des. 15m; CA 20 (-2 tamanho, +1 Des, +10 sal, +1 inelgao), rogue 10, surpresa 19; Atq Base +95 Age +427; do aterorizada pode se sficiente para banit umn Desafiador. ‘Também existe « medo de que pessoas préximas tornem-se vit mas dos eeu. Todo aventureizo teme que sua familia e amigos seam atacados por vl6es, mas essa amesca é ainda pior para aquees que enfrentam a Torment, Quando os lefeu matam, ado hf volta. A pr pria alma é desrufda, nio resex nem mesmo 0 descanso nos Reinos dos Deuses como consolo. Entes queridos do Desafiador também podem ser carrompidos, eransformados em aberragbes — obrigando © herdi a abaté-los. Nao é ta surproendente, assim, que muitos Deesafladores relacionems-e apenas com outros que possam se defen der conta os lef. (Quando Destiadorsformam um vineulo— por amor, amizade ou courte motivo —, quase sempre existe um forte componente de desespe- oem sua relao, Cassis despedem-se antes de cada incurio,sabendo «que alver nunca ina se vam. Amigos fizem paces, prometendo ur 0 outro uma morte ripida caso seam corrompidos. Companbeirs de fgupo véem une aos ots como figes, até sciicvels saber que oucas sobresiveio a mais de uma expedio, (© Desafiador da Tormenta vive uma existéncia slic, brutal © breve. Ele defende um mundo onde néo ter lat, nem famili, tendo como campankseiros mais constances os odiadas inimigos.f foreado 4 cometer stor dos quas ee envergonba, e aramente pensa na dia de amanha. Porque 0 dia de hoje pode ser o uti. Aliados Algumas vers, 0s Desafadores da Tormenta pensam estar com- pletamente sozinhos em su luca, Todos os evitam, ¢ nem mesmo ‘outros aventureiras querem estar perto de tipos to sinistros ou insanos. Mas rambém é verdade que, contra a Torment, todos estio juntos, Os lefeusio inimigos comune de toda as criaturss em Arto. Assim, os Desafladores da Tormenca dever estar preparndos para fazer alianga inusitadas. Um lich ou vampiro pode ser tio valioso quanto um cavalero ow nobre. Uma eraeura vil como um diabo pode fornecer apoio temporirio, Afinal, ninguém seri poupado urea ver que os lefeu dominem ou destruam Arran. Apenas as riaturas intligentes so capazes de perceber isso, & claro, Monsttos bestiais continuam sendo monstros bestais, nio pensando além de sua préxima cagada ox refeiio. Também ¢ verdade que, embora sja possve finer aliangas com poririas com criaturas malignas ou inimigos jarados, néo se pode confiar plenemente em tas “parceiros’. Um finnerol pode colabo- rar com humanos para destruir um cuko lefeu, mas tencari escravi- rar out matar esses humanas depois de cumprida a tarela, caso renha oportunidad Mesmo assim, Desafiadores experientessabem que nenhura 3ju- dda & desprezivel, Clergos de deusee adversitioe ji foram visto Iv tando lado a lado contra os invasores. Rivalidades ancestais como Augher e Tenebra, ou Lena e Ragnar, tormam-se secunditas frente ‘Tormenta. Caso 0 multiversoseja dominado pela Ant-Criagio, néo haveré dia e nem noite; nem morte, nem vids. Inimizades entre nagdes ¢ preconesios bairristas empalidecem ainda mais, ente 4 Tormenta. Em grupos de Desafiadores da Tor ‘ments emnon ver patton de Deheon ajudando cdadios orgulho- sot de Yuden, ou nativos de Portsmouth confiando em magos de Wyn. Quando sio questonados sobre esa aliangas, Desaisdores olham inerédulos. O que importa o pedago de chio onde voc# nas. ce, quand sim univer esti nos atacando? Alguns dizem que a Tormenta é uma grande provagio, um test terrivel, do qual Arton emergiri forte unido. Dizem que a rempes- ‘ade vai dle inimizades, apagarconfltestolos — no final restard tum Gnieo povo unido, governado por vodos os deuses. Taver sso ‘ja otimismo demasiado, Mas a verdade é que, sem uni entre 2s imuiores forgas de Arton,calver nenhuina delas sobrevva Motivacées (© que far alguém tormar-se um Desafiador? Que motivos l- vam um aventureiro a hutar uma guerra impossivel, enfrentar monstros inesgotivels, colocando em risco sua vida e sanidade? Devatar seus esforgos a um inimigo invencfvel,eilhar um cami ‘tho maldico, quando Arton oferece tantas outras aventuras? AS ‘motivacées de um Desafiador da Tormenta podem ser do varia~ das quanto eles proprios, mas quase nunca sio agradaveis, Altruismo Alguns bravos enfiencam a Tormenta simplesmente porque al- udm precisa faé-lo, Dentre eses, 0s mais ingtnues aceditam que basta coragem e f€ para vencer os lefeu. Outros sabem que é uma boealha quace impossvel, e seu trabalho seeS pouco mais que uma migalha em meio ao esforgo necessirio para vencer a Tormenta Escolhem se sactfcar sem esperar nada em troca ‘Conssienes ou néo do perigo rel, aventureiros movidos por alru- {smo nao precsam de jusificativa. Eles acreditam que podem fazer clifeenga,« iso auflciente, Alguns no conseguem ficar de bragos ‘ruzads apés ouvir a5 hisécias de horror dos sobreviventes. Outros acreditam ouvir chamades de sous deuses, e outeos ainda quetem proceger seus ents queridos antes que a empestade chegue até els Altruistassf0 or mais nobres denere os Desafiadores, alguns dos ‘que mais sofrem com a dura realidad desta lu Curiosidade A masiora julgaria que apenas um louco enfrentaria a Tocmenca por cutisidade, Mas existem aqucles tio fiscinados por descober- ‘as, ao inteigados pelo desconhecido, que arriscam rudo em nome de novos achados. A Academia Arcana ests cheia desss pos. Dessfiadores movidos por curiosidade decidem enriar na Tor menta apenas para conhecé-la, mapear suis esieucuris, entrevista sebreviventes enlouquecides. Também podem ser dedicados a cole- tar amotras mincrais, artefatos ou capécimes de dembaios, vives ou morts. Podem até mesmo tentar inflrar-se entre os lefeu, buscan- dlo aprender sobre sua sociedade € mado de “vida”. Esto, mais interestados em entender o inimigo, em ver de dest. cm geval Nioé surpresa que muitos cutioss cerminem loucos. O conhe- ‘imento sabre a Tormenta é horrendo demais — nesce caso, saber ddemais pode, literalmente, matar. Assim, a0 contritio do que se ppensa, alguns dos mais corsjosos Desafadores da Tormenta nio sio _gucrrczos que se langam em combate contta os leu, mas est ‘os trancado em seus Iahoratérios enquanto sua sundae se esvah a poucos Desespero Alguns lutam cones a Tormenta porque é tudo que lhes resto. Nao enconttam saida para si mesmos, ou para Arton. Perderam (ou acreditam estar peste perdes) ado que amavam, © encregam-se a misses suicidas como tinicaalternativa aparene Alguns sobreviventes de Tamu-raencaixam-e nesse grupo. Apds a destruigio de rude que conheciam, ro energars mais qualquer raaSo para viver. Muitos outros que escaparam de ataques da Tor ments também pensam asim. Apés a sibirachacina de seus entes queridos, decidem juncarse 20s mores. Mas também ha desespero entce aqueles que nunca viram de pertoa Tormenta. Apenas saber sobre a cerivel sombra rubra que paiza sobre © mundo, 2 ameaga invencivel que nem mesmo os deuses podem repelin é suficiente para levar ao desespero, Esses infelizes podem até mesmo abandonar suas Familias, acrediranda ser questio de tempo acé que todos motram, A presenga de um arauto ou cultista da Tarmenta em uma comuinidade por vers leva a esse tipo de reacées. (Os Desafadores da Tormenta motivados pelo desespero eém as vidas mais curas de todos, Bes no experam cumprir nenhum gran de objesvo, no esperam se vingar ou mesmo proteger niaguém. ‘Simplesmente se entzegam, esperam tombarem combate, nao vendo sentido em postergar urna more que jlgam ser ineviive Dever A verdad € que, embora varias nagdes de Arron tenham tentado ignorar a Tormenta nos cltimos anos, ningudem mais pode faxd-lo atualmente, Com o surgimento da drea de Zakharov, prticamence ‘no quintal de Dehson, 0» segentesextio mais alarmados que nunca, -Muitos avencurcirs véem-se obrigidos a Tura, recrurados por seus reinos ou pela oxganizages a que pertencer, DDesaftadotes morivadas pelo dever dividem-se em dois grupos. Os primeieos acecam sua responsabilidad, esto promtos a mozrer ‘ou enlouquecer por seus superires, Outros revoltam-se contra essa Imposiio, tentando fugir ou, quando iss ¢ impossve,cormando-se amargos e desihudidos entre os reinos de Arton, Deheon e Tiebuck sio aqueles que avian mais avennurciros bs eas de Tormenta, O Rei-lmpers dor Thormy actedita se sua responsabilidade pessoal lidar com a ameaga, enquanto Lady Shivara, regente de Teebuck, ndo cem Kkhagov cambémn sou a mobilizar agentes para investir contra “sua Torment’, ¢ 0 regente vem solicitando ajuda a seus vizinhos ¢ aliadas, especial- mente 0 reino de Yuden. ‘opcio: a Tormenta esti em suas teras! Denire guildas e orginizagées, a Academia Arcana lidera as investidas contra 2 Tormenta (em geral na forma de expedigoes cientifca), A ordem dos Cavaleitos de Khalmyr também costuma caviar seus membros mais poderosos, «a ands (Cavaleios Libertadores tambérn vem des dados para enffentar 0s lefeu. Ganancia ‘Qua ninguém em Arton pensa em envolver-se com os lefeu por ‘ganho material, nfo importando quéo valioso 0 prémio. Alguns, no tentanto, io ambiciosos — ou temeririos — o suficiente para en- fientar a Tormenta atris de tesouros, De cera Forma distorcida, of gananciosos conseguem ver uma ‘oportunidade real: coletr amostras de maria vermelha, rcolher cadivereslefeu, © até mesmo caprurar deménios vivos. Pesqus sobre a natureza da Tormenta, sobre as faquezas dos lee, deman- dam material de estudo, Assim eles extsa suprindo + necessidade por coisas extremamente ras, ¢ hi quem pague caro por isso! Contudo, sta pode set mais atiscada forma de ganhar dinheiro em toda Amtons & muito mais dificil enriquecer que morte! Aventuciras gananciosos aprovcitam-se de recentes peaquiss sobee armas ¢ armaduas fits a partir dos corpos dos lefeu para fazer sua Fortuna. Com certea, 08 atmeitos que desenvolverem estes equips mentos poderio vendé-los para os reinos mais rcos, e aquees que fomecers a matévia-prima podem enriquecer junco com cls Gloria Arron é um mundo de herds, © muitas vezes 0 deseo por fun e seconbiecimento ¢ sufcente para lear alguém a ser aventurcico, E ‘que facana seria mais famosa que derrotar a invencivel Tormentat Desafiadores movides por pléria costumam ser ingénuos ou con- Fiantes demais, julgando que @ horror afeta apenas “es outros", bas tando coragem e forca de vontade para ser benr-scedido, Mas eam- Jaém ha herdi poderosos, experientes, que enfrentam 2 Toementa movidos pela busca por glia, acreditando poder elevar seus nomes acima de Talude, Vecrorius ou Arsenal (Claro, hd mancrss menos suicidas de conquistar gléria na Tota contra a Tarmenta. Aventurizosinexperientes que coletam amostras para a Academia Arcana podem construir uma sélida repuragio, poupando anos de esforgo ¢ recompensas incerta. O lado ruim, claro, € que uma jnica missio de expedicio a uma drea de Tormenta pode ser mais perigosa que muitos anos de aventuras“comuns! Loucura (Os loucos de Arcan sio protegidas por Nimb, © Deus do Caos, Sorte ¢ Azar. No entanto, aqucles enlouguecidos pela Tormenta podem ser rejeitados até mesmo por ele. Voce precisa de fortes andes para desatiar a Tormenta Existem Desafiadotes da Tormenca motivados unicamente pela Joucura. Alguns tiveram contato com os lefeu, simbiontes ou ser +05 da ‘Torment, ¢ iso foi o bastante para erodir suas mente, Outros chegaram a caminhar sob a tempestade (motivados por ‘outro fator qualquer) e li perderam a sanidade. O fara é que tais Ingelizes nto conseguem mais existe de forma confortivel no mune do “normal”, As dreas de Tormenta sio os Ginicos lugares onde Esses Desfiadores desbrava os, mas também para alvia o pedpria soffimente. Tém uma relagio ambigua com os invasores: embora os odciem, 96 em seus dominios a Tormenta para desteuir dembai- ‘conseguem sentir algo parecido com paz. No entanra, umm insino pode ser 6 mais valioso aventuciro em um grupo de Desfiadores Els entendem a légicainsana que gover ra este terra maldita, resem melhor a0 horror e, por inervel que pareya,conseguem — pelos menos em meio i Torrsenta — demons. ‘tar extrema sabedoria. Muitos Desafiadores valores sio ou acabam loucos. Mes muitos ‘ambéan acabam como serves dos lefeu,corrempidos pela Torment, Traigéo ou Rendicgaéo Para alguns, a batalha contra of lefeu jf estd perdida. Nao hi chance conta 0 inimigo, nio ha raxdo para lutar. Dente estes, 0s piores decidem mudar pata o "lado vencedoe”, tind sua préipria, realidade em nome da Torment “Traidores no podem ser realmente chamados de “Desaladores’, porque juntam-se« grupos de avennureiros apenas como meio para Visicr uma drea de"Tormenca. Els manipulam ¢ usam seus compa rsheivos para localiza algozes e cultists da Tormenca — no para dlestri-los, mas sim conseguir informagées sobre como servi a seus mestres. Néo & rar, também, que terminem causando a morte de todos os colegas em sua empreitada, Esse vildes esto entte os mais detestados de Anton. Alguém que ‘ecolhe tiie no apenas sua terra out raga, nas também seu mundo inteiro — em nome de um inimigo que ninguém & capaz de compre ‘ender — € visto como um yerme além de qualquer redencio. Em ‘eral, Desafladores matam-nos 3 primeira vist odiando-os mais que fs pris invasores. Por isso, grupos manipuledos por taidores tendem a encontrar sou fim em uma ou outa emboseada, Vinganga [Una das mais comuns — e poderosas — morivagées dos Desii- adores da Torment (© primero de vitimas ¢ incalcubvel, Muites perderam amigos, familiares ¢até comunidades para a tempestade, No caso dos amu= ranianos, um cultura itera fol estrada. HS mult a er vingado. (© desejo por vinganga rorna um Desafiador fro e amargo, Ele se importa eada ver mae com a desteuicio do inimigo, e menos com sua propria vida ou a salvagio do mundo, Mula vezesrorna-seincole- ante, chacinando qualquer pessoa rocada pela Tormenta sem 20 menos tentar salvia, O pior € que seu martitio nunca termina: 3 medida que perde seus compankeiros, acrescenra suas perdas 3 “is. fa", enconcrando multo mais az6es para se ving. Talvez sea possivel cumprir uma vinganga contra um vilio ou criminoso especfico, encontrar algums forma de paz com sua des- ‘Wuiglo. Mas agueles que tentam vingurse concra a Tormenta en frentam algo maior do que podem imaginar, algo que nunca sera ‘oralmente exterminido. Amcnos que desitam dese caminho, aquees, motivados por vinganga estio destinados a uma morte violenta ¢ inti, sem conseguir comple seu objetivo. Taticas Cada aventurciro ou grupo que enfients 2 Tormenta tem seu préprio modo de aie suas prépriasestatégias, Alguns confiam em. poder bruro, oucros contam com esperteza © engenhosidade. As formas de latar contra a Tormenta sio muias, embora todas seam. arriscadas e sem qualquer garantia de sucesso — o sobrevivencia Ajuda Divina (Os deuses de Arcon sio muito presenter na vids dos mortas. Embora quase nunca caminhem sobre 0 mundo, por vezesenviam. eur avatares, envalvendo-se em questbes graves 2 respeito do uni- verso, E pouca coisa parece mais grave que a Torment -Muicos se perguncam: com seu poder infindivel, por que os deu- ses nio cnfrentim « ameaca pessoalmente? As tentatvas de amar por sua intervengio tém sido indmeras ¢ incansives. Clétigos e paladinos avancam contra 2 Tormenta conando na protegio de suas divindades, apenas para car fulminados. Servosde Lena e Marah. (as deusse da Vida ¢ Paz, respectivamente) poneceam em teritério hostl em procissées, de mos dadas,entoundo canticos —e também acabam mortos. Um clésiga insano de Khalmyr chegow a enviar cana para uma rea de Tormenta, cogitando que sua inocéncia € feagldade atrariam s compaixio divina. Mas todas pereceram. Por queos deuses nfo eseutam? Séo muita tors, mas nenbuma 6 satsftdra, Uma das mais ousaas, formulada por sibios que che- ‘garam a ser expulsos de remplos ¢ univeridades,¢ infeliamente a mais provivel: as eases rém med (Orar para que o Panteio tue dliretamente no & uma titcaefetiva contra a Tormena. Esti claro que isso nde ocorserd. O que muitos ‘squecem, no entanto, & que os deuses no recuse ajudar indiens- ‘mente — conjuradoces divinos que atacam a Tormenta ainda podem ‘conta com seus poderes e magi. Paadines nfo so privades de seu status quando desaiam os deménios. Esta parece ser toda a ajuda ‘que os deuses estio dispostas a farnece, e iso ter que hast. Expedigées Cientificas Alguns dizem que 2 lura contra os lefeu nao seré vencida no) ‘eampo de batalha, mas em um laboratdco. Expedicées para coleca de informagoes, amostrss¢ espécines sao algumas ds formas mals ‘comuns de combater a Torment, Una expodisia cientificaé uma incursio a uma dea de Tormen 12 (ou outro local corrompide) sem a intenso principal de matat os lefeu: 0 objetivo & ter couhecimento. Esgusiranda-se pelo terred- Fio inimig e lutando apenas quando necesirio, uma equipe colera ponente em dino 3 tore. O arauo frum este de Attagio, € todos 0s oponentes até 9m dever fier testes de resistencia de Vontade (CD igual 10 resultado do teste de Anuagio do rau). Em caso de filha, cceber 1d6 niveis negatives ‘enquan o afsuo se mantém concentrado € por 5 rodalas subseqientes. [Aspecto do Horror (Ext): 20 axingir 0 10° nivel, o arauro da ‘Tormenta ado precisa mais ser ‘ouvido ou compreendido para uti- Tizar sua habilidade eoncos da TTormenta. A loucura e © horror estdo estampados em se rosto, seus gestos — basta um olhar ou feabro para aque suas v- Jumbrem 0 desespe- 0: O arauto da Tor- smenta ainda precisa de testes de Atuagio pars asivar sua habilidade ‘contos da Tormen: ta, mas agora nao € necessirio que suas vitimas pos lo; basta que possam velo Berserker Insano Nos reinas mais sevagens de Anon, onde & Gvlzagio teme penetra, hi. gueretos que se de- ‘xam tomar pla cera maxima, Um frees de baal ainda mais impressonante que fia bitbara — séo os chamads berserker, Dente ste, guns soma loucura 3 sua cilera,abandanando qualquer ago de cvilzaao. (O berserker insano destin da sanidade, abandonou a pos- lida de eonvive com outas pessoas —em toca do put jibilo da matanga, da loucura sanguinolenra que habita sua mente Dieremte de um bitbaro, am berserker insane nio velo necesariamente de uma cultura primi, esti. Guerteiros urbanos sfisicados tam bhém sio eapazes ce abandonar a cilizagio para abragara fore da niva cegu Transformam-se em msiguinas asassinas sem controle. ‘Embora sia possvel conviver com um berserker isan, seu com porsamento imprevsivel geralmenceafasta todas 2s pesoas com um frinimo de cautel, Mas, para aqueles capazes de tolerar seu comm portamento feral, ele pode ser um aldo valoroso quando sus louct- ra destrutva ¢ volrada contra o inimigo. Pré-requisitos: para se comar um berseer insano, um persone gem deve presncher todos os seguintes crtéios + Tendéncia: Castica e Neutra, ou Caética © Maligna. + Bonus Base de Ataque: +10, *Talentos: Ataque Poderoso, FsiaInsuna + Especial: habilidade de clase fii, insanidade Moderada Dado de Vida: 12. Pericias de Classe: a percias de classe de um berserker insano (cahabilidade chave de cada perc) sio: Esealar (For, Intimida- ‘0 (Car), Natagio (For) e Saltar (For). Ponts de pric. cada née: 2+ modifcador de lnecigenca, Caracteristicas da Classe Faria Barbara: no 1° nivel, e2 cada dois niveissubseqiten- tes, 0 berserker insana recebe uma wtlizasso di dda abilldade de clase ira Devorat a Mence:o berserker insano wsiliza sual pparaalimentar us Riria esa prdpriavtaidade. No 2a para mance sua fii, ps sua duro ter expitad. Ne nivel, o berserker insino pode escolherceceber 1 pont insanidade por rodada para contnuse aginda normalmente quando estver ene -1 9 pons devia (contd, cle rmomerd ao chegar a -10 PY). Muralha da Loucurs: no 4 ave, o enter nsano std to comade pela loucura que pode ignorar ferimentos reais, perdido em seu delrio, Ao sage qualquer dano, o berserker pode fazer um teste de reiténcia de Fortitude (CD igual a0 dano soo). «so de sucesso, cle nfo eecee enum dano fico, mat rece ports de insanidade em quantdad igual meg de do dano que teria reebido (arredondado para d Golpe da Loueura: no 8" nivel, 0 berserig praticamence vive em um mundo préprio e cabal indo forgas surpreendentes de seu frenestaluci pode receber voluntariamente uma quantidade de pon- tos deinsanidade igual ow inferior a seu nivel de cass, & adicionar ese valor ao dano de um ataque, O berser pode anunciae 0 uso desta habilidade apd fazer sea (mas deve fixé-lo antes de jogar o dno) Golpe da Lovcara Tota: no 10° nivel ao war hab gelpe da leucur,o benekerincanoaiions 2 poncos de dato a Seu aaque para cada ponto de insnidade adgutdo Berserker Insano Nivel BBA Fort 4 2 2 +3 +4 +5 46 47 “8 0 Centauro Berserker Insano Fiira Vidia Devorara mente 1 Fiiia 2idia Muralha da loucura Fira 3/dia Devorara mente? Piiia dia Golpedaloucura Fiiria Sidia Golpe da loucura coral BBA +0 41 42 8 3 4 +5. 46 +6 7 Cultista da Tormenta Arton gem deuses malignos, ¢ seus Servs realizam cerimdnis ma- ligns,serificios humanos e ours arrocidades em nomede seus mes tres. Mas nenhum dels se compara aos cubits que adoram os lefeu Diante da aparente invencbilidade dos invasores,o cultists da ‘Tormenta espera ser ecompensando (ox, pelo menos, poupado) quando a tempestade rubra tomar este mundo por completo. Ble devora-se um Lorde da Tormenta, 00 raga lefeu como um todo, sendo agra- cada com paderes profinos. Ningugm sabe ao certo como a Tormenta pode conceder magias dvinas a um servo; este pode sero primeito sinal de que os efeu realmente querem —e podem —se or ‘Ando Cultist da Tormenta nna dewses verdadeiros, (Oats eva hors aos pontos mais dlistantes ¢ improvivels, demonstrando {que ninguém est seguro contea a Tor ‘menta. Vitimas inocemres sio assassin dls, Deménios lef sio enjurados para aterorizar comunidades distntes. O co ragio da cidade mais populosa pode abr {ga um furtivo devoro asasino,capar de falesinar oF inimigos de seus mess. Progredir nesta classe equer rituals profaos que envolvem a morc de pelo ‘meno unna vitima, Os culistas dx Tor 9) menta realizam ais ceriménias sceretamente, sorinhos, ou cada ver se lecionando um ou mais membros do cul> to — conforme sua hierarquia — para reeeber a(s) recampensa(s) pelo(s) sscrifico() A maior parte dos eulistas venera [Aharadsk, mas qualquer Lorde da Tor- ments pode ser venerado, Aléms de ma- ‘gas divinas, um culista recebe defor- ‘mages que aos poicos cansformam seu ‘corpo em uma abominagio horrenda. Pré-requisitos: para se come um ‘eultsta da Tormenta, um personagem Especial Afinidade com 2 Torment, olharinsano I/eia Files inoeénca, talento adiconal Rejeigio divina “Talento adicional Exullacio infernal, olhar insano 2/dia “Talento adicional Energiada Tormenta, Talencoatcional Olhar insano 3/dia, Tormenta final deve preencher todos os seguintescritéios. ‘ Tendéncias qualquer Maligna + Pericias: Conhecimento (religio) 8 gaduagies, Conecimento (Torment) 8 graduagies. Especial: 0 personagem deve realizar um sucifcio ritual, Ese -scifcinrequer uma ceimSnia com duragio minima de uma hora, tum tse bem-sucedide de Conheimento (tligio) conta CD 15,€ Explorador da Tormenta Niel BRA For Ref 41 42 +2. Insanidade controlada, resisténcia’d Tormenta +1 2 a Tnimigo de aberrgses «2, preservacio da vids 1 3 43 Resistencia} Tormenca +2 “4 Tnimigo de aberrages +4, preservaio da vida 2 +5 Resistencia Tormenca +3, resiscénciapartilhada +1 46 nimigo de aberragées +6, preservacio da vide 3 7 Resistencia &Tormenta +4 48 nimigo de aberragées +8, preservacio da vida 4 49 Resistencia Tormenta +5 ‘Inimigo de abertagées +10, preservagio da vida total, resisténcia parilhada +2 , tiwmane ~ Explorador da Tormenta Exploradora Em Arton, o maior exemplo de loucura e ousadia que se conhece sio os explonadores da Tormenta. Homens ¢ mulheres cexpecialistas em desbravardrcas de Torment, guiar grupos por cls e stir vivos (¢ is vores até ineiros), eles sio consideredos| alguns dos mais valentes — e mais insanios — hersis, Poucos grupos de Desaiadores da Torments te qualquer chance de sucess sem um explorador em suas fleiras. Da mesma forma, exploradores da Tormenta costumam ser ‘empregados pela Academia Arcana, a coroa de Tiebuck € |) ours patronos, atuando como guias e escolta em misses |) exploraeérias nos dominios lee ‘Um explorador da Tormenta é imune ou resistente 3 maior parte dos perigos da tempestadeeubra, também con- segue assequrar protcio a seus compankeirs. Além disso, ‘les também suportam melhor os horcores lefe, ser gran- des danos& si sanidade — porque jd sto loucos! A eficiénca desesrastcalores contra os lefeu €espota- cular. Infeliamente, por sus espcializario extrema, explorz doves da Tormena sS0 pouco eficzes em qualquer ou- ‘Ho rerreno, ou conta qualquer outro adversirio. Case Tormenta fose vencla, eles no trian mais propésto, Ens até mesmo a suspeics, SA. de que ees sjamy elves, primelrosnativos de Arcon que realmente acetarn a vinda da “Taraenta, sentindo-se em casa sob a tempest Pré-requisitos: pata se tomar um explorador da Toemenea, um ppersonagem deve preencher todos os seguints critros. + Tendéncia: qualquer Caética, + Perici: Conbecimento (Tormenta) 8 graduagbes, Sobrevivén- la 8 graduagoes. + Talentos: Rasirear, Resistncia A Tormenta, Terreno Familiar (Greas de Torment) + Fpecih insanidade Suave, deve te vistado uma ira de Torment. Dado de Vida: di. ee } Sop 43 +3 4 4 5 +4 +6 5 47 5 6 8 46 +9 +6 bba monstros antinacurais. No 5* nivel, qualquer aberragéo adja ‘ente 20 guardio sofie uma penalidade em suns jopsdas de ataque ce teses de resisténcia, periciae « habilidades igual ao modificador de Carisma do guardido, No 10° nivel, o alcance desta habilidade aumenca pars 3m. Observagio para Multichsse:paladinos que adquiram nives nes sa classe de prestigio podem continuar adquitindo niveis come pala- ins livement, Mago da Tormenta CGragas aos esforgos da Academia Arcana om pesquisira Tormenca, seus efeitos e formas de combaté-la, hoje existem numerasos conjuradores especializados em magia efetva contra os lefeu. O mag dda Tormenta adap seus poder arcanos para enffencar a tempest Considerados académicos © pesqusadores ousados, estes mapos cstio sempre experimentando novas técnica. A parte de tals expe- riéneias nasceram magias como prove conn a Tormenta, que por ito tempo apenas estes eonjuradores domiaram toralmenc. (Os primeizos magos da Tormenta foram sobreviventes de Tamu- 2 ¢ Trebuck. Contudo, nos dias de hoje, numerosos conjuradores ‘ontam com mais bravura (e menos sanidade) par estdara temper tade rubra, A maioria dos magos da Tormenta combage os leew, mas alguns escolhem servic as invasors, Pré-rquisitos: para se rormar um mago da Tormenta, um perso nagem deve preenche rods os Seguintescrittos + Tendéncia: qualquer Castica, + Percias: Concentragao 8 graduagdes, Conhecimento (Tormen- 42) 6 graduagbes, Sobrevivencia 6 griduacées, + Talentos: Conjuragio Insana, Energia de Torrenta, + Magias:eapacidade de conjurar proto conte Torment + Epi insane Suave, cee ter viskado wna dea de Termenta Dado de Vida: Pericias de Classe: as pericas de classe de wm mago da Tarmenta (ea habilidade chave de cada pericia) sio; Concentrasio (Con), ‘Conhecimento (todos, escolhidosinviualimente) (Ln), Furtivdade (Des), Identficar Magia (In), Intimidacio (Car), Observar (Sab). Oficios (In), Procurar (Int), Profisso (Sab) c Sobrevivencia (Sab). Pontos de pericia.cada nivel: 2+ modicador de Tclighncia, Especial Detectar aberracio, destrviraberracio Destruiro mal Lidia Fontfcacioleve Presenca rel adjacente) Destruiro mal 2a Fortificagio moderada Destruiro mal 3/dia 47 Presencareal Gm) Mago da Tormenta Noel BBA Fon Ref i Conjuracio 40 Insanidade contcolada, resisténcia 3 Tormenta +1 41 nivel +0 (Conjiragio insanaapaimorads +i nivel + Resisténcia& Tormenta +2 +1 nivel #1 ‘Magia anti-aberrante (CD +2, +246) +1 nivel +1 Resisténcia 3 Tormenta +3 +1 nivel a = +1 nivel 42 Magia anc-aberrance (+36), resistnciaTormenta +4 _ +1 nivel 42 = +1 nivel +3 Resisténcia 3 Tormenta +5 +1 nivel 8 Magia anti-aberrante (+446) +1 nivel Caracteristicas da Classe Conjurasio: quando um mago da Tormenta atinge um novo nivel nesta classe, 0 personagem adguire mais magis didvias (© ‘agias conhecidas, quando aplicivel), como se estivesse avangan- do um nivel na sua clase de conjurador arcano anterior. Entretan- to, dle nio recebe qualquer outro bencficia daquels classe (como talentos de crlagio de tens ou metamagicos), apenas um nivel de conjuradorefetiva. Caso 0 pertonagem tena mais de uma classe ‘apan de conjurar magias arcanas antes de se tornar um mago da ‘Tormenta, deveré escolher qual delas teri seu nivel elevado para determinar a quantidade de magias dria sempre que aleangar um novo nivel na classe de prestgi. Insanidade Controladat urn mago da Tormenta testemnhou n= smerosesatrockdades lefeu. Ele reebe um bénus, igual a scu nivel rests classe, em testes de revsténcia de Vontade para evitar adquisie pontos de insanidade Resisténcia & Tormenta: um mago da Tormenta ¢ familarizado com os terreno alienigens da tempestade. Ele reebe Resisténca 3 ‘Tormenta como um calento adicional no 1° nivel. A cada 2 nivels subsgiientes, ecebe ainda +1 de bénus aicional em testes de reis- ‘éncia contra efeos nocivos provocads pela Tormenta ¢ seus babi ‘anes, cumulative com o talento Resistencia & Tormenta / Conjuragio Insana Aprimorada: a partir do 2° nivel, ao f utilizar 0 talento Conjuragio Insana, 0 mago da Tormenta | sdlquire pontos de insanidade em quantidade igual 3 metade do nivel da magia que deseja conjutar espontancamente (arredon- dado para cima). Magia Anti-Abersante: um mago da Tormenta & capaz de con- jurar magias mais eferivas contra os lefeu e outros monstros antinazurais, No 4° nivel, a Classe de Dificuldade de estes para resis sss maga aumente em +2 concra aberragses, Alémn disso, contra aberragies, uma magia conjurida pelo mago da) Tormenta causa +2d6 poncos de dano (ese efeito afeta ape ‘as magias que causam dan). Uma magia pode recchero beneficio desta habilidade ape- fas uma vex por conjuragio, Por exemplo, 20 conjurar mist ‘ndgico contra um lefew, se © mago produz dois ou mais misses, apenas um deles (2 sua escolha) ter seu dano aumentado (© ddano extra oferecido por esta habilidade sumenta puea +346 no 7 nlvel, e +446 no 10° nivel Senhor do Gigante Rubro Enquanto alguns screditam que a Tormenta vai simplesmente desruir nosco mundo, eurras acham que os invasores querem nos transforma, mudor nosso mundo pats algo mais compativel com ss forma de "vida". Os simbiontes, pequenas aberragies que ofercem pouleres a seus hospedeiros, podem ser a prova dessa teora. gigante mubro é0 mais poderoso simbionte conhecido, eapae de transforma seu hospedeiro em uma maquina de combate guase im- bativel — mas, difecente de outros simbiontes, seu poder total se (quer experigncia e convivéncia para sur acesado. O hospedelro deve Sa ee oo cae ctl eg a eae arly tinamemeo camino qe le afpbin comple, Emer de jeg ne pecenyeeesee peel sth op uy Ae aie con aceaall Psi cacde peo. | um caminho aericago, Quant malar gato entre o senhor «0 giant, maioes eo sev podees — e tam mas forte er tus liga. Tomas cada ver mas dil pura o hospodeire separa se daarmadira vv, mesmo por cir periods. F quando a hr ‘onl completa for acangad, quando as das rataras omaremse sma, no hivers mss eterno Pebeqsiie: prs utomar um shor de pipet rales pet sonagem deve preencher todos os seguines cto + Bons Base de Ago 5. + Percis: Gonheciment (Torments) 4 gradsacies + Tilemos: Grand Fortitude, Toerincis + Especial: peronagem dev aqitirum ggente mdr credizar a sinbixe com cle. Vga em “Simbione Goblin Sentor do Gigante Puro Dado de Vide: 10. Pericias de Classe: as pericias de classe de um senhor do gigante rubro (e 2 habilidade chave de cada pericia) sio: Conhecimento (Tormenta) (In), Escalar (For), Intimidagio (Car), Natagio (For), Observar (Sab), Ouvir (Sab), Saltar (For) e Sobrevivencia (Sab). Ponto: de percia a cada nivel: + modifcador de Ineligtncia, Caracteristicas da Classe Unio Reforcada: a cada novo nivel nesta classe a separasio entre 0 hospedeizo e o simbionte flea mas dificil e dolorosa, O ddano de Constituigio sofrido com a separacio passa a set igual a1 +0 nivel nesca classe apés cada hora de afastamento. Atingindo 0 10° nivel, um senor de gigente rubro nto conseguir mais separar- se de seu simbionte Bvolugéor a cada nivel nesta clase, © senhor do gigante reccbe tuma das Seguintes habilidades & sua ecolha. Todas elas funcionam apenas quando o personagem estiver no interior do gine Arague de Matiie Verma: quando o hospedeto sea wm stage corpora-corpo, pngos de matériayermlha exorrem pari os feimentos o inimigo, corrompendo seu corpo. Uns aague corpo-t