Você está na página 1de 4

PARASITAS INTESTINAIS

 Platelmintos: vermes Chatos


 Nematelmintos: Vermes cilíndricos, tubo digestivo pouco desenvolvido.
 Protozoários intestinais: presentes em paciente imunossuprimidos.
 Ciclo de Loss: Ingestão de ovos e liberação de larvas no TD. Elas entram na
circulação venosa e nos alvéolos pulmonares gerando tosse e deglutição de
larvas. Ocorre em: ascaris, strongyloides, ancylostoma, necator. Síndrome de
Löefler- tosse, broncoespasmo, infiltrados pulmonares migratórios.

NEMATELMINTOS
 ASCARIDÍASE:
 Pode atingir até 45 cm
 Ingestão de ovos embrionários que liberam larvas que invadem o intestino e
alcançam a corrente sangüínea, fígado e, posteriormente, os pulmões. As larvas
atingem a epiglote e são deglutidas e se transformam em vermes adultos no
intestino delgado.
 Sintomas: Síndrome de Löeffler (estágio larval), eliminação espontânea do
verme adulto, distensão abdominal, flatulência, náuseas, vômitos.
 Complicações: obstrução intestinal (bolo de ascaris), perfuração intestinal,
colangite, infiltração da tuba auditiva, infiltração e obstrução do pâncreas,
apendicite.
 Tratamento:
o Piperazina-paralisa o verme para que não ocorram complicações.
o Obstrução intestinal-NPO, hidratação, piperazina+óleo mineral.
Resolução em 48h (espera-se a eliminação do verme).
o Vermífugos polivalentes: Albendazol, Mebendazol-matam os germes.
São contra-indicados na gravidez.

 TRIQUIURÍASE:
 Trichocephalus trichiuris ou Trichiura trichiurus.
 Diarréia, cólica abdominal, disenteria, tenesmo, prolapso retal, enterorragia,
anemia ferropriva.
 Vermes adultos localizam-se principalmente no ceco, apêndice e íleo terminal.
 Contaminação através da ingestão de ovos do parasita.
 Tratamento: Albendazol e Mebendazol.

 ANCILOSTOMIASE
 Necator americanus e Ancylostoma duodenale.
 Amarelão ou doença do Jeca Tatu.
 Larvas do meio-ambiente penetram na pele (dermatite pruriginosa), corrente
sangüínea, pulmões (pneumonite eosinofílica), tubo digestivo, vermes adultos.
 Ocorre a liberação na forma de ovos, mas a contaminação se dá na forma de
larvas.
 Sintomas: duodenite- epigastralgia e vômitos (vermes adultos), geofagia,
alteração do apetite, do hábito intestinal.
 Tratamento: Reposição de ferro, Albendazol e Mebendazol.

 ESTRONGILOIDÍASE
 Estronguloides stercoralis
 Verme encontrado na mucosa e submucosa do intestino delgado.
 Causa sintomas cutâneos: caminho pruriginoso
 Síndrome de Löffler
 Larvas eliminadas nas fezes penetram à pele, sangue, pulmões, intestino.
 Sintomas: dor abdominal, náuseas, vômitos, diarréia e síndrome de má absorção.
 Alta eosinofilia sangüínea
 Septicemia em imunossuprimidos. Larvas com grande poder de reprodução
podendo causar auto-infecção.
 Amamentação contra-indicada: larvas podem estar presentes no leite.
 Tratamento:
o Ivermectina
o Tiabendazol: doença disseminada durante 7 a 21 dias.
o Cambendazol
o Albendazol e Mebendazol NÂO FUNCIONAM!!!!!!

 ENTEROBÍASE OU OXIURÍASE
 Menor verme
 Cólon direito e ceco.
 O depósito de ovos na região peri-anal pode invadir a região e provocar uma
reação inflamatória no TGU feminino.
 Não faz ciclo de Loss porque não tem passagem pulmonar.
 Sintomas: Dor na FID, prurido anal, vulvar, flatulência, diarréia, náuseas.
 Tratamento: Albendazol, Mebendazol+ medidas higieno-dietéticas
o Tratar familiares
o Unhas bem aparadas
o Evitar disseminação pelo ar.

PLATELMINTOS
 TENÍASE
 Taenia saginata e Taenia Solium (solitária)
 Ingestão de carne mal cozida.
 Bivina- cysticerco bovis
 Suína- Cysticerco cellulosae.
 O cisticerco libera a larva que dá origem ao verme adulto. A tênia fixa-se no
intestino delgado através do escólex e elimina os ovos pelas fezes.
 A cisticercose é a complicação mais grave causando neuropatias. È a ingesta de
proglotes ou ovos.
 Tratamento:
o Praziqualtel
o Albendazol

 HIMENOLEPÍASE
 Hymenolepis nana
 Embrião penetra no intestino delgado do homem
 Sintomas através da irritação do intestino delgado
 Tratamento: Praquiquantel

 ESQUISTOSSOMOSE

 Os ovos eliminados nas fezes do homem contêm miracídios que em meio


líquido abandonam os ovos e infectam os moluscos Biophalaria. O miracídio se
reproduz dando origem as cercáceas que abandonam o hospedeiro e penetram na
pele ou mucosa dos homens.
 Os esquistossômulos atingem o sistema porta intra-hepático onde atingem a
maturidade.
 Tratamento:
o Oxamnique
o Praziqualtel

PROTOZOÁRIOS
 GIARDÍASE
 Giardia lamblia
 Infecção endêmica em países subdesenvolvidos.
 Animais de estimação são vetores de transmissão
 Forma infectante é o cisto, pode ter forma de trofozoíta.
 O cisto é resistente ao cloro e a baixas temperaturas.
 A diarréia aguda pode estar associada à esteatorréia e vir acompanha de náuseas,
vômitos e dor epigástrica.
 A diarréia crônica ocorre normalmente em imunossuprimidos, lactentes e
crianças. Tem um quadro de desnutrição mais intenso e compromete a absorção
dos dissacarídeos.
 Tratamento:
o Furazolidona
o Secnidazol, Tinidazol
o Metronidazol.

 AMEBÍASE
 Entamoeba hystolitica
 Distribuição universal e endêmica em países subdesenvolvidos
 Ingesta de cistos que dão origem aos trofozoítos que se reproduzem e voltam a
se encistar para serem eliminados nas fezes.
 A forma intestinal pode ser assintomática caso seja não invasiva. A forma
intestinal invasiva pode ser complicada e apresentar perfuração, obstrução,
peritonite,...
 Pode haver formas extra-intestinais: hepáticas, pleuro-pericárdica, cutânea,
cerebral.
 Tratamento:
o Portadores assintomáticos: Metronidazol 5 dias
o Portadores sintomáticos:
 Metronidazol 10 dias
 Secnidazol DU

 CRIPTO, MICRO, ISOSPORÍASE:


 Febre, mialgia, exantema, náuseas, vômitos, diarréia.
 Imunodeprimidos: diarréia crônica, líquida, profusa, não sanguinolenta, cólicas
abdominais.
 Tratamento:
o Criptosporidiose: espiramicina
o Microsporidiose: albendazol (não há tratamento eficaz)
o Isosporíase: Trimetoprim +sulfametoxazol

 BALANTIDÍASE
 Balantidium coli
 Ingestão de água contaminada por fezes de suínos
 Tratamento: tetraciclina

Diagnóstico das Parasitoses Intestinais


 Eosinofilia
 Fita gomada: E. vermicularis
 Macroscopia
 EPF: 3 amostras
o Lutz
o Faust
o Baermann-Moraes
Profilaxia
 Destino adequado das fezes humanas
 Lavagem das mãos
 Água adequada para consumo
 Lavagem e conservação dos alimentos
 Uso de calçados
 Ambiente livre de insetos
 Não levar objetos/dedos à boca nem relações sexuais oro-anais.
 Desaconselhar o abandono precoce do aleitamento materno.

Contra-Indicações:
 Durante a gravidez nenhum anti-parasitário é seguro. Não utilizar vermectina na
amamentação.