Você está na página 1de 95

Gaétan I. M. Spielmann Moura

Direito Internacional Público e Privado

Questões de concursos diversos.

Brasília, 2012

Índice:

Noções de Direito Internacional:

2

Princípios constitucionais: ................................................................................................

2

4

Direito interno e Direito Internacional:

Fontes do Direito Internacional:

6

Direito dos

9

Personalidade jurídica internacional - Estado:

20

Nacionalidade:

23

Condição jurídica do estrangeiro:

27

Asilo e refúgio:

37

Imunidade de jurisdição e imunidade à jurisdição:

38

Responsabilidade internacional:

44

Reconhecimento e sucessão de Estados:

47

Domínio público internacional:

49

Personalidade jurídica internacional – Organizações Internacionais:

54

Mercosul: ........................................................................................................................

57

Tribunal Penal Internacional:

60

Organização Mundial do

63

Meios de solução pacífica de

65

Meios de solução pacífica de litígios - arbitragem:

67

Meios de solução pacífica de litígios – meios

67

Guerra:

69

72

81

90

Noções de Direito Internacional:

No

que concerne ao

direito internacional público, julgue os itens a seguir. (CESPE.

ANAC, 2012)

) De acordo com a corrente voluntarista, a obrigatoriedade das normas de direito internacional público deve-se a razões objetivas, não vinculadas à vontade dos Estados.

(

Comparando-se as instituições do direito internacional público com as típicas do direito interno de determinado país, percebe-se que, no direito internacional, (CESPE. OAB,

2009.2)

A há cortes judiciais com jurisdição transnacional.

B há um governo central, que possui soberania sobre todas as nações.

  • C há uma norma suprema como no direito interno.

  • D há órgão central legislativo para todo o planeta.

No âmbito do direito internacional, a soberania, importante característica do palco internacional, significa a possibilidade de (CESPE. OAB, 2009.3)

A

igualdade

entre

os

países,

econômica mundial.

independentemente

de

sua

dimensão

ou

importância

B um Estado impor-se sobre outro.

  • C a Organização da Nações Unidas dominar a legislação dos Estados participantes.

  • D celebração de tratados sobre direitos humanos com o consentimento do Tribunal

Penal Permanente.

Princípios constitucionais:

A República Federativa do Brasil rege-se, em suas relações internacionais, por princípios de direito internacional público previstos de forma expressa na CF. Acerca da constitucionalização do direito internacional público no ordenamento jurídico brasileiro, julgue (C ou E) os itens subsequentes. (CESPE. IRBr, 2012)

( ) O compromisso da República Federativa do Brasil com a manutenção da paz e com a não beligerância é enfatizado por referências textuais da Lei Maior à solução pacífica de controvérsias na ordem internacional.

(

)

O

Brasil,

que

consagra constitucionalmente o princípio da igualdade das

nações, é membro

da ONU,

órgão em cujas decisões esse princípio nem sempre é

adotado. ) O pan-americanismo é rigidamente acolhido como norma de política externa,

(

com a previsão da integração econômica, política, social e cultural de todos os povos do continente, para o progresso da humanidade, com a formação de blocos econômicos e de associações regionais, como o MERCOSUL e a UNASUL. ( ) No Brasil, a não intervenção e a não ingerência em assuntos internos de outras nações estão incorporadas à CF como normas que impedem o país de, sem prévia declaração de guerra, empregar suas Forças Armadas fora do território nacional.

A CF deu especial destaque ao direito internacional público, ao dispor a respeito dos princípios que devem nortear as relações internacionais brasileiras. Supondo que um país vizinho da América do Sul decretasse a prisão de um ex-presidente ditador, após o devido processo legal, e os EUA diplomaticamente condenassem essa decisão por simpatizarem com o ex-dirigente, o Brasil deveria (CESPE. TRF5 – Juiz, 2009)

A

agir

da

mesma

forma

que

os

EUA,

tendo em vista

a importância desse país no

mundo.

 

B interferir na decisão daquele país vizinho, a fim de garantir a sua hegemonia política na América Latina.

C

respeitar

a

decisão

do

país

sul-americano,

tendo

em

vista

o

princípio

da

independência nacional e da igualdade entre os Estados.

 

D

agir

da

mesma forma

que

os

EUA, visando ao

princípio da concessão de asilo

político.

 

E

condenar

a

prisão

por

ser

ela

contrária ao princípio da prevalência dos direitos

humanos.

 

Independência nacional, prevalência dos direitos humanos, repúdio ao terrorismo e ao racismo, dentre outros, constituem: (10º Concurso TRF1)

A valores supremos do Estado democrático de direito.

B fundamentos da República Federativa do Brasil.

C princípios de regência do Brasil, em suas relações externas.

D valores políticos do Estado brasileiro.

Assinale a resposta errada. A República Federativa do Brasil adota os seguintes princípios em suas relações internacionais: (6º Concurso TRF 1)

A independência nacional, prevalência dos direitos humanos;

B auto-determinação dos povos, não-intervenção;

  • C defesa da paz, solução pacífica dos conflitos;

  • D preservação do meio-ambiente, defesa da Amazônia brasileira.

A República Federativa do Brasil nas suas relações internacionais adota como princípio:

(10º Concurso TRF1)

A a precedência dos Estados latino-americanos.

B a igualdade dos Estados sul-americanos desde que limítrofes com o território nacional brasileiro.

  • C a igualdade entre os Estados.

  • D a igualdade paulatina

de

todos os

povos se integrem no Mercosul.

Estados sul-americanos à medida em que seus

Com relação aos entes do direito internacional, à responsabilidade internacional e à imunidade de jurisdição, julgue os itens a seguir. (TRF 5, 2007)

  • C Segundo a Constituição de 1988, a República Federativa do Brasil deve buscar a

integração dos povos da América Latina, com vistas à formação de uma comunidade latino-americana de nações.

Direito interno e Direito Internacional:

No

que concerne ao

direito internacional público, julgue os itens a seguir. (CESPE.

ANAC, 2012)

 

(

)

De acordo

com

o

dualismo, as

normas de direito internacional e

de direito

interno existem separadamente e não afetam umas às outras. No Brasil, a teoria adotada

é

o

monismo,

de

acordo

com

a

qual

unidade

do

ordenamento

jurídico,

ora

prevalecendo

as

normas

de

direito

internacional

sobre

as

de

direito

interno,

ora

prevalecendo estas sobre aquelas.

Considerando a jurisprudência atual do STF, assinale a opção correta quanto à relação entre tratado e norma de direito interno. (CESPE. TRF5 – Juiz, 2009)

A O STF apregoa o primado do direito internacional em face do ordenamento nacional brasileiro.

B Tratados e convenções guardam estrita relação de paridade normativa com as leis delegadas editadas pelo Poder Executivo.

C

Há sempre a primazia dos tratados internacionais de comércio

exterior sobre as

normas internas aduaneiras.

  • D O Decreto-lei n.º 911/1969, que permite a prisão civil do devedor-fiduciante, foi

revogado pelo Pacto de San José da Costa Rica.

E Para decidir conflito entre tratado e norma de direito interno, além do critério da lex

posterior

derogat priori, o STF aplica,

ainda, um outro,

qual

seja,

generalis non derogat legi priori speciali.

o

da lex posterior

Os tratados internacionais sobre direitos humanos firmados pela República Federativa do Brasil serão equivalentes às emendas constitucionais, se forem aprovados, em cada Casa do Congresso Nacional, (CESPE. OAB, 2009.3)

A em único turno, por três quintos dos votos dos respectivos membros.

B em dois turnos, por três quintos dos votos dos respectivos membros.

  • C em dois turnos, por maioria absoluta dos votos dos respectivos membros.

  • D em único turno, por maioria absoluta dos votos dos respectivos membros.

Acerca das relações do Direito Interno com Direito Internacional. (10° TRF1)

A A teoria monista sustenta o primado do direito interno.

B A teoria dualista sustenta a existência de um direito supranacional.

  • C A

teoria monista considera os dois direitos como dois ramos de um único sistema

com o primado do direito interno.

  • D Na teoria monista discute-se a questão do primado do Direito Interno ou do Direito

Internacional.

 

Em

2010,

o

Congresso

Nacional

aprovou

por Decreto Legislativo a Convenção

Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. Essa convenção já foi

aprovada na forma do artigo 5º, § 3º, da Constituição, sendo sua hierarquia normativa de

(FGV. OAB, 2011)

  • (A) lei federal ordinária.

  • (B) emenda constitucional.

( ) lei complementar.

  • (D) status supralegal.

O Estado regulamenta a convivência social em seu território por meio de legislação

nacional, e a comunidade internacional também cria regras, que podem conflitar com as nacionais. A respeito das correntes doutrinárias que procuram proporcionar solução para o conflito entre as normas internas e as internacionais, assinale a opção correta.

(CESPE. TRF1, 2011)

A A corrente monista e a dualista apresentam as mesmas respostas para o conflito entre as normas internas e as internacionais.

B Nenhum país adota a corrente doutrinária monista. C Consoante a corrente monista, o ato de ratificação de tratado gera efeitos no âmbito nacional.

D

De

acordo

com

a

corrente

dualista,

o

direito

interno

e

o

direito

internacional

convivem em uma única ordem jurídica.

 

E

De acordo

com

a

corrente

monista,

a

norma interna sempre prevalece sobre a

internacional.

 

Fontes do Direito Internacional:

No

que concerne ao

direito internacional público, julgue os itens a seguir. (CESPE.

ANAC, 2012)

 

) Conforme o Estatuto da Corte Internacional de Justiça, os princípios gerais do direito internacional são fonte do direito internacional público.

(

(

) A Convenção de Viena sobre Direito dos Tratados, de 1969, define jus cogens

como

uma

normativa

imperativa

de

direito

internacional

geral

reconhecida

pela

comunidade

internacional

dos

Estados

como

um

todo.

Essa normativa só pode,

portanto,

ser

modificada por norma ulterior de direito internacional geral da mesma

natureza.

O artigo

38

do Estatuto da Corte Internacional de

Justiça

(CIJ)

relaciona

o

que

se

costuma designar por fontes do direito internacional público, a serem aplicadas para a

resolução das controvérsias submetidas àquela Corte. Acerca desse tema e da jurisdição da CIJ, julgue (C ou E) os seguintes itens. (CESPE. Diplomacia, 2009) ( ) Como o artigo 38 do Estatuto da CIJ lista as fontes em estrito nível hierárquico, os tratados devem sempre ter precedência sobre os costumes.

) Pacta sunt servandae e res iudicata são princípios gerais de direito aceitos pela CIJ e discutidos em casos a ela submetidos.

(

(

Estado,

) Atos unilaterais

dos

Estados, tais

como

o protesto

e o reconhecimento de

apesar de serem

freqüentes nas relações internacionais e de criarem efeitos

jurídicos,

não

são

considerados

pela

CIJ

na

decisão

de

controvérsias,

que

não

constam da lista do artigo 38 do referido estatuto. ) Uma vez que a existência de um costume internacional é reconhecida mediante

(

a comprovação de uma “prática geral aceita como sendo o direito”, um Estado pode lograr obstar a aplicação de um costume por meio de atos que manifestem sua “objeção

persistente” à formação da regra costumeira, a menos que esta tenha caráter imperativo (ius cogens).

Considerando as fontes de direito internacional público previstas no Estatuto da Corte Internacional de Justiça (CIJ) e as que se revelaram a posteriori, bem como a doutrina acerca das formas de expressão da disciplina jurídica, assinale a opção correta.

(CESPE. Diplomacia, 2012)

A De acordo com o Estatuto da Corte da Haia, a equidade constitui, apesar de seu caráter impreciso, fonte recorrente e prevista como obrigatória na resolução judicial de contenciosos internacionais. B A expressão não escrita do direito das gentes conforma o costume internacional como prática reiterada e uniforme de conduta, que, incorporada com convicção jurídica, distingue-se de meros usos ou mesmo de práticas de cortesia internacional.

  • C As convenções internacionais, que podem ser registradas ou não pela escrita, são

consideradas, independentemente de sua denominação, fontes por excelência, previstas

originariamente no Estatuto da CIJ.

  • D Em face do caráter difuso da sociedade internacional, bem como da proliferação de

tribunais internacionais, verifica-se no direito internacional crescente invocação de decisões judiciais antecedentes, arroladas como opinio juris, ainda que não previstas no Estatuto da CIJ. E Ainda que não prevista em tratado ou no Estatuto da CIJ, a invocação crescente de normas imperativas confere ao jus cogens manifesta qualidade de fonte da disciplina, a par de atos de organizações internacionais, como resoluções da ONU.

Assinale a opção correta, com relação às fontes do direito internacional nos termos previstos no Estatuto da Corte da Haia. (CESPE. TRF1, 2011)

A O costume de determinada nação pode ser usado na resolução de conflitos internacionais.

B

Os tratados internacionais podem ser aplicados por essa Corte

na resolução de

conflitos, independentemente de serem reconhecidos pelas nações em litígio.

  • C A doutrina dos juristas mais qualificados das diferentes nações é meio principal de

resolução de conflitos entre países.

  • D A Corte da Haia pode decidir um litígio ex aequo et bono.

E As convenções internacionais especiais não podem ser usadas para decidir conflitos

internacionais.

No que diz respeito às fontes brasileiras de direito internacional e à aplicação do direito

estrangeiro no Brasil, julgue os itens subsequentes.

(CESPE. DPU, 2010)

( ) No Brasil, não se admite o costume como recurso de integração ao direito.

No que concerne às fontes de direito internacional, julgue os itens seguintes. (CESPE. AGU – Procurador, 2010)

( ) Em 2008, a Comissão de Direito Internacional da ONU finalizou seu projeto de artigos sobre reservas a tratados.

( ) O princípio do objetor persistente refere-se à não vinculação de um Estado para com determinado costume internacional.

( ) Costumes podem revogar tratados e tratados podem revogar costumes.

Em

relação

a

atos

unilaterais,

Procurador, 2009)

assinale

a

opção

correta.

(CESPE.

BACEN

-

A

São

aplicados

pela

Corte

Internacional

de

Justiça

como

fontes

do

direito

internacional, conforme disposto em seu estatuto.

B Criam apenas obrigações morais para os Estados.

C Esses atos são conhecidos também como estoppel.

D A Comissão de Direito Internacional da ONU se dedicou a estudar tais atos.

E O Estado brasileiro mantém-se em oposição persistente ao costume que prescreve a existência desses atos.

Com

relação

às

fontes

Diplomacia, 2010)

do

direito internacional público, julgue C ou E. (CESPE.

(

)

O

gentlemen’s

agreement é uma forma de tratado internacional firmado entre

estadistas, fundado sobre a honra e condicionado, no tempo, à permanência de seus

atores no poder.

 

( ) O costume, fonte do direito internacional público, extingue-se pelo desuso, pela adoção de um novo costume ou por sua substituição por tratado internacional.

) Os atos unilaterais dos Estados, como as leis e os decretos em que se determinam, observados os limites próprios, a extensão do mar territorial, da sua zona econômica

(

exclusiva ou

o

regime

de

portos, são considerados fontes do direito internacional

público,

sobre

as

quais dispõe

expressamente o Estatuto da Corte Internacional de

Justiça.

( ) As decisões das organizações internacionais contemporâneas, proferidas na forma de resoluções, recomendações, declarações e diretrizes, apenas obrigam os seus membros quando adotadas por votação unânime em plenário, em qualquer hipótese.

Ao longo da história, empregaram-se diversas denominações para designar o Direito Internacional. Os romanos utilizavam a expressão ius gentium (direito das gentes ou direito dos povos). Entretanto, pode-se afirmar que foi na Europa Ocidental do século

XVI que o Direito Internacional surgiu

nas

suas bases

modernas. A Paz de Vestfália

(1648)

é

considerada

o

marco

do

início

do Direito Internacional, ao viabilizar a

independência de diversos estados europeus. O Direito Internacional Público surgiu com o Estado Moderno. Quando da formação da Corte Internacional de Justiça, após a II Guerra Mundial,

indagou-se

quais

seriam

as

normas

que

poderiam

instrumentalizar o exercício da

jurisdição internacional (fontes do Direito Internacional Público). Assim, o Estatuto da Corte Internacional de Haia, no art. 38, arrolou as fontes das normas internacionais. Com relação ao Direito Internacional, julgue os itens a seguir. (CESPE. AGU, 2008)

(

)

Os

tratados

internacionais

constituem

importante

fonte

escrita

do

Direito

Internacional, a qual vale para toda a comunidade internacional, tenha havido ou não a

participação de todos os países nesses tratados.

( ) Não existe hierarquia entre os princípios gerais do direito internacional e os costumes internacionais. (com adaptações)

( ) O elemento objetivo que caracteriza o costume internacional é a prática reiterada, não havendo necessidade de que o respeito a ela seja uma prática necessária (opinio juris necessitatis).

Acerca de direito internacional público, julgue os itens a seguir. (CESPE. DPU, 2007)

( ) A eficácia interna do tratado internacional depende do decreto de execução do presidente da República.

( ) Os costumes internacionais e os princípios gerais do direito reconhecidos pelas nações civilizadas não são considerados como fontes extraconvencionais de expressão do direito internacional.

Acerca das fontes do direito internacional público (DIP), julgue os seguintes itens.

(CESPE. AGU, 2003)

) A parte que invoca um costume tem de demonstrar que ele está de acordo com a prática constante e uniforme seguida pelos Estados em questão.

(

( ) Os precedentes judiciais são vinculativos tão-somente para as partes em um litígio e em relação ao caso concreto, não tendo, assim, obrigatoriedade em DIP.

( ) Constituem funções da doutrina o fornecimento da prova do conteúdo do direito e a influência no seu desenvolvimento. E O Estatuto da Corte Internacional de Justiça, ao

indicar as

fontes do DIP

que um tribunal irá

aplicar para resolver um caso concreto,

concede posição mais elevada para as normas convencionais, que devem prevalecer sempre sobre todas as outras.

( )Ainda hoje, o rol das fontes indicado no Estatuto da Corte Internacional de Justiça é taxativo.

Com relação à chamada “norma imperativa de Direito Internacional geral”, ou jus cogens, é correto afirmar que é a norma (FGV. OAB. 2011)

  • (A) prevista no corpo de um tratado que tenha sido ratificado por todos os signatários,

segundo o direito interno de cada um.

  • (B) reconhecida pela comunidade internacional como aplicável a todos os Estados, da

qual nenhuma derrogação é permitida.

  • (C) aprovada pela Assembleia Geral das Nações Unidas e aplicável a todos os Estados

membros, salvo os que apresentarem reserva expressa.

(D)

de

direito

humanitário,

expressamente

reconhecida

pela

Corte

Internacional

de

Justiça, aplicável a todo e qualquer Estado em situação de conflito.

Direito dos tratados:

O Congresso Nacional aprova tratados internacionais por meio de: (FGV. IX Exame da Ordem Unificado. 2012)

A)

Decreto.

B)

Resolução.

C)

Decreto-Lei.

D)

Decreto Legislativo.

Julgue os itens que se seguem, relativos a tratados internacionais. (CESPE. ANAC,

 

2012)

( ) Um Estado pode alegar, conforme a Convenção de Viena sobre Direito dos Tratados, de 1969, que seu consentimento em obrigar-se por um tratado foi expresso em violação de uma disposição de seu direito interno sobre competência para concluir

tratados. ) De acordo com a Convenção de Viena sobre Direito dos Tratados, de 1969, um

(

Estado,

ao

assinar,

ratificar,

aceitar

ou aprovar

um

tratado, ou

a

ele

aderir, detém o

direito de reserva, desde que a reserva não seja proibida pelo tratado ou que não seja incompatível com seu objeto e sua finalidade. ( ) De acordo com a Constituição Federal de 1988, os tratados internacionais sobre direitos humanos, aprovados em dois turnos e por três quintos dos votos dos respectivos membros de cada casa do Congresso Nacional, equivalem-se às leis ordinárias.

(

)

Segundo a Convenção de Viena

sobre

Direito

dos

Tratados, de 1969,

a

denúncia

de

um

tratado

internacional

que

não

contenha

disposição

relativa

à

sua

extinção pode ser exercida por um Estado quando esse direito puder ser deduzido da natureza do tratado.

No

que

se refere

à responsabilidade internacional dos Estados e às fontes do direito

internacional

e

sua

relação com o direito interno brasileiro,

julgue

os

itens

a seguir.

(CESPE. AGU, 2012)

( ) Na Convenção de Viena sobre Direito dos Tratados, o dispositivo que versa sobre a aplicação provisória de tratados foi objeto de reserva por parte do Estado

brasileiro. ) Por decisão do STF, os costumes e tratados de direitos humanos adotados pelo

(

Brasil antes da edição da Emenda Constitucional n.º 45/2003 adquiriram, no direito brasileiro, estatuto de normas supralegais.

À luz da Constituição em vigor e da jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, assinale a opção incorreta. (CESPE. Diplomacia, 2008)

A

Ao

Distrito

municípios.

Federal

são

atribuídas

as

competências

legislativas

dos

estados

e

B Eventual conflito entre norma do poder constituinte do estado-membro com alguma regra editada pelo poder constituinte originário resolve-se pela prevalência desta última.

  • C e as convenções internacionais que forem aprovados no Congresso

Os tratados

Nacional por maioria absoluta têm status constitucional, sendo considerados, portanto,

superiores às leis ordinárias e às leis complementares.

 
  • D federativa

A forma

de

Estado

é

cláusula pétrea, o

que impede que

o

Brasil se

transforme em Estado unitário. E As regras básicas do processo legislativo previstas na Constituição Federal devem, obrigatoriamente, ser seguidas pelos estados-membros.

Acerca

do

processo

legislativo

e

dos

direitos

e

garantias

fundamentais,

conforme

previstos na CF, julgue (C ou E) os itens que se seguem. (CESPE. Diplomacia, 2012)

(

)

O

Congresso

Nacional

aprova

os

tratados

e

convenções

internacionais

mediante a edição de resolução, ato que dispensa sanção ou promulgação por parte do

presidente da República.

 

(

)

Embora esteja previsto na CF

que

os

tratados aprovados em cada Casa do

Congresso

Nacional,

em

dois

turnos,

por

dois

terços

dos

votos

dos respectivos

membros, equivalham às emendas constitucionais, não há, na atualidade, registro de ato ou convenção internacional que tenham sido aprovados de acordo com esse trâmite. ( ) A iniciativa das leis complementares e ordinárias pode ser exercida tanto por parlamentares quanto por comissões da Câmara dos Deputados, do Senado Federal ou do Congresso Nacional, pelo presidente da República, pelo STF e tribunais superiores,

pelo procurador-geral da República e por cidadãos, na forma e nos casos previstos na CF.

(

) Nas hipóteses de grave violação de direitos humanos, cabe ao STJ avocar para

si,

como

forma

de

assegurar

o

cumprimento

de

tratados

internacionais

de

direitos

humanos dos quais o Brasil seja parte, inquérito ou processo que estiver em andamento

no âmbito do primeiro e do segundo graus de jurisdição.

Tratado internacional sobre matéria tributária assinado pelo Brasil passa a vigorar no ordenamento jurídico interno na data (CESPE. TJ/BA. 2012)

A

de

início

da vigência do decreto

legislativo que aprovar

o

respectivo projeto de

tratado internacional. B de início da vigência do decreto que o promulgar.

  • C estabelecida pelo próprio tratado.

  • D da troca dos instrumentos de ratificação.

E da assinatura do projeto de tratado internacional.

Indique a assertiva verdadeira: (OAB/DF 2004)

  • a) a expedição, pelo Presidente da República, de decreto, superadas as fases prévias da

celebração da convenção internacional, de sua aprovação congressional e da ratificação

pelo Chefe de Estado, produz o efeito básico de conferir a executoriedade do tratado internacional, que passa, então, e somente então, a vincular e a obrigar no plano do direito positivo interno;

  • b) o Poder Judiciário não dispõe de competência, para, quer em sede de fiscalização

abstrata, quer no âmbito do controle difuso, efetuar o exame de constitucionalidade dos

tratados ou convenções internacionais já incorporados ao sistema de direito positivo interno;

  • c) os tratados ou convenções internacionais jamais poderão prevalecer sobre as regras

infraconstitucionais de direito interno pela impossibilidade de utilização, em eventuais antinomias, dos critérios cronológico e da especialidade;

  • d) os tratados internacionais celebrados pelo Brasil podem versar matéria posta sob

reserva constitucional de lei complementar.

Indique a assertiva verdadeira:

(OAB/DF 2004)

  • a) a expedição, pelo Presidente da República, de decreto, superadas as fases prévias da

celebração da convenção internacional, de sua aprovação congressional e da ratificação pelo Chefe de Estado, produz o efeito básico de conferir a executoriedade do tratado

internacional, que passa, então, e somente então, a vincular e a obrigar no plano do direito positivo interno;

  • b) o Poder Judiciário não dispõe de competência, para, quer em sede de fiscalização

abstrata, quer no âmbito do controle difuso, efetuar o exame de constitucionalidade dos tratados ou convenções internacionais já incorporados ao sistema de direito positivo interno;

  • c) os tratados ou convenções internacionais jamais poderão prevalecer sobre as regras

infraconstitucionais de direito interno pela impossibilidade de utilização, em eventuais

antinomias, dos critérios cronológico e da especialidade;

  • d) os tratados internacionais celebrados pelo Brasil podem versar matéria posta sob

reserva constitucional de lei complementar.

Julgue

os

itens subsequentes, relativos a cooperação internacional, sequestro

internacional

de

crianças

e

atribuições

da

AGU

em matéria internacional. (CESPE.

AGU. 2012)

 

(

)

Compete

ao

Departamento

Internacional

da

AGU,

entre

outras

funções,

auxiliar o consultor-geral da União no assessoramento ao AGU em processo de celebração de tratados.

No

que

se refere

à responsabilidade internacional dos Estados e às fontes do direito

internacional

e

sua

relação com o direito interno brasileiro,

julgue

os

itens

a seguir.

(CESPE. AGU. 2012)

 

(

) Na Convenção de Viena sobre Direito dos Tratados, o dispositivo que versa

sobre

a aplicação provisória de tratados foi objeto

de

reserva

por

parte do Estado

brasileiro. ) Por decisão do STF, os costumes e tratados de direitos humanos adotados pelo

(

Brasil antes da edição da Emenda Constitucional n.º 45/2003 adquiriram, no direito brasileiro, estatuto de normas supralegais.

No

âmbito

dos

direitos

humanos,

a

respeito

do

Incidente de Deslocamento de

Competência, instituído pela Emenda Constitucional 45, assinale a alternativa correta.

(FGV. V Exame da Ordem)

  • (A) Para assegurar o cumprimento de obrigações decorrentes de tratados internacionais

de direitos humanos de que o Brasil seja parte, o Procurador-Geral da República pode

suscitar,

perante

o

Superior

Tribunal

de

Justiça,

incidente

de

deslocamento

de

competência para a Justiça Federal, nas hipóteses humanos.

de

graves violações aos direitos

  • (B) O incidente de deslocamento de competência, embora garanta o cumprimento de

obrigações do Estado brasileiro em relação aos tratados internacionais de direitos humanos, não está relacionado com a razoável duração do processo para a consecução da finalidade de efetiva proteção dos direitos humanos.

  • (C) Pelo incidente de deslocamento de competência, a Justiça Federal só julgaria os

casos

relativos

aos

internacionalmente.

direitos

humanos

após

o

Brasil ser responsabilizado

(D) O incidente de deslocamento de competência se efetiva contrariamente ao princípio

do

federalismo

cooperativo

por

não

obedecer

à

hierarquia

de

competência

para

julgamento dos crimes comuns, mesmo no âmbito de ferimento aos direitos humanos.

 

Considerando

aspectos

relacionados

à

ratificação,

registro,

efeitos,

vigência

e

promulgação dos tratados, assinale a opção correta. (CESPE. TRF1, 2011)

A Os tratados que, concluídos pelos membros da ONU, não tenham sido devidamente registrados e publicados no secretariado desse organismo internacional não podem ser invocados, pelas partes, perante qualquer órgão da organização. B Por criarem ou modificarem situações jurídicas objetivas, os tratados somente produzem efeitos entre as partes.

C

Considera-se vigência diferida o método segundo o qual os tratados entram em vigor

simultaneamente

ao

término

da

negociação e ao consentimento definitivo das partes

envolvidas.

 

D

No Brasil, os tratados entram em vigor após a promulgação dos decretos legislativos

mediante os quais o Congresso Nacional se manifesta favoravelmente à sua aprovação. E A ratificação de um tratado, como expressão definitiva do consentimento das partes, é etapa imprescindível, somente consumada mediante a entrega mútua do instrumento escrito por ocasião de sua assinatura formal.

(D) O incidente de deslocamento de competência se efetiva contrariamente ao princípio do federalismo cooperativo por

(MPF. 25º Concurso.)

(MPF. 25º Concurso.) 14

(MPF. 25º Concurso.)

(MPF. 23º Concurso.) 15

(MPF. 23º Concurso.)

No texto da Convenção de Viena de 1969, tratado internacional é definido como

(TRF5, Juiz, 2011)

A acordo de vontades entre particulares de diferentes nacionalidades.

B negócio jurídico lícito, tal como previsto no Código Civil brasileiro.

C

acordo

internacional

concluído

por

escrito

entre

Estados

e

regido

pelo

direito

internacional.

 

D sentença prolatada por tribunal internacional.

E ato unilateral de imposição de uma norma de um país a outro.

Quando começaria a vigorar, no ordenamento jurídico interno brasileiro, acordo geral sobre a dupla tributação internacional que a República Federativa do Brasil viesse a celebrar com outro Estado da sociedade internacional? (TRF1. 9º Concurso. Juiz)

  • a) na data da troca dos instrumentos de ratificação.

  • b) na data da assinatura do projeto de acordo internacional.

  • c) na data de início da vigência do decreto legislativo que aprovar o respectivo projeto

de acordo internacional.

  • d) na data de início da vigência do decreto que o promulgar.

Como antecipou Joaquim Nabuco, a escravidão e o tráfico de escravos, graves violações aos direitos humanos, estão hoje proscritos pelo direito internacional. À luz das normas de direito internacional aplicáveis ao tema, julgue C ou E. (CESPE. Diplomacia, 2010)

(

)

A Convenção

de

Viena sobre o Direito dos Tratados (l969) enumera as normas

imperativas

de

direito

internacional

(jus

cogens),

entre

as

quais,

a

proibição

da

escravidão.

 

( ) O tráfico de pessoas como modalidade de crime organizado internacional limita-se à exploração de mão de obra escrava.

( ) É nulo todo tratado que regulamente o tráfico de escravos entre dois ou mais Estados.

( ) Atos de escravidão, em determinadas circunstâncias, podem constituir crimes contra a humanidade.

Recentemente, o processo de ratificação da Convenção de Viena sobre Direito dos

Tratados,

após

quarenta

anos

Diplomacia, 2010)

de

sua

firma,

foi

concluído

pelo Brasil (CESPE.

A de forma isenta de reservas, pois o tratado dos tratados não contempla salvaguardas.

B com salvaguardas.

C

de forma isenta de reservas, embora o tratado dos tratados contemple a apresentação

de salvaguardas.

D

com salvaguarda referente ao descumprimento de tratados mediante a alegação de

razões de direito interno.

E com salvaguarda referente a normas imperativas de direito internacional.

Considerando que o presidente da República Federativa do Brasil tenha assinado tratado com três países da América do Sul, no qual ficou deliberado que os produtos originários de um gozarão, nos outros países, do mesmo tratamento tributário aplicado ao produto nacional, assinale a opção correta. (CESPE. TRF2 – Juiz, 2009)

A Por se tratar de convenção internacional de integração regulando matéria tributária, o tratado gerará para os impostos de competência da União efeitos imediatos, por aplicação dos princípios do efeito direto e da aplicabilidade imediata.

B

Caso

o

Congresso

Nacional

venha

a

homologar

o

tratado

mediante

decreto

legislativo, este gerará efeitos para a União, os estados e os municípios, inclusive no que diz respeito à matéria reservada à lei complementar.

  • C O Estado-membro poderá denunciar o tratado sempre que houver diminuição de sua

receita pela incidência do ajuste, com base na distribuição de competência tributária

estabelecida na CF.

D

O

tratado

incorporado

ao

sistema

tributário

prevalência sobre a lei ordinária.

nacional

por

decreto

legislativo

tem

E Em virtude da paridade estabelecida no tratado, não poderá ser tributado o bem importado por instituição que apenas no estrangeiro goze de imunidade tributária.

Quanto ao registro e à publicidade de tratados internacionais, segundo a Carta das Nações Unidas, é correto afirmar que (CESPE. TRF2 – Juiz, 2009)

A os tratados não registrados não podem ser invocados perante órgãos Unidas.

das Nações

B

a

obrigação de registro e publicidade de tratados está contida

em uma norma jus

cogens.

C

é

competência

da

Assembléia-Geral

das

Nações

Unidas

publicar

os

tratados

concluídos por qualquer membro da organização.

 

D

os

tratados

devem

ser

registrados

perante

as

Nações

Unidas

desde

antes

da

ratificação.

E

os

tratados

devem

ser registrados e publicados

em

todas

as

línguas oficiais das

Nações Unidas.

 

Com relação aos tratados internacionais, assinale a opção correta à luz da Convenção de Viena sobre Direito dos Tratados, de 1969. (CESPE. OAB, 2009.1)

A Ainda que a existência de relações diplomáticas ou consulares seja indispensável à aplicação de um tratado, o rompimento dessas relações, em um mesmo tratado, não afetará as relações jurídicas estabelecidas entre as partes.

B Uma parte não pode invocar as disposições de seu direito interno para justificar o inadimplemento de um tratado.

C

Reserva

constitui

uma

declaração

bilateral

feita

pelos

Estados

ao

assinarem um

tratado.

 

D Apenas o chefe de Estado pode celebrar tratado internacional.

Tendo em vista o entendimento do direito internacional, bem como a prática brasileira acerca de tratados internacionais, julgue os itens subseqüentes. (CESPE. AGU, 2003)

( ) Tratado internacional é um acordo celebrado por escrito entre sujeitos de direito internacional que produz efeito jurídico, qualquer que seja sua denominação particular.

(

)

No Brasil,

as convenções internacionais do trabalho, uma vez incorporadas ao

ordenamento jurídico nacional, têm força de lei ordinária.

( ) Na ausência de preceito constitucional claro, o STF firmou entendimento de que os tratados internacionais de direitos humanos estão acima da Constituição da República. E O Congresso Nacional brasileiro resolve definitivamente sobre tratados internacionais ao ratificá-los no plano externo.

(

)

Salvo

afronta

a

regra

de

direito

interno de importância fundamental sobre

competência para concluir tratado, uma parte não pode invocar disposições de seu direito interno para justificar o descumprimento de um tratado.

Julgue os itens seguintes quanto aos tratados internacionais e ao respectivo processo de elaboração, vigência e efeitos em relação a terceiros. (TRF5, 2006)

( ) Os efeitos do tratado celebrado entre dois Estados fronteiriços, que modifica o curso da linha limítrofe que os separa, não repercutem sobre os demais Estados, por ratar-se de uma nova situação jurídica de interesse apenas esses dois Estados fronteiriços.

( ) Antes do início da negociação de qualquer tratado bilateral, ministro das Relações Exteriores do Brasil deve apresentar carta de plenos poderes, perante o governo co- pactuante, ara habilitá-lo a participar dessa fase e, posteriormente, a assinar o tratado em caráter definitivo.

( ) Para que uma convenção sobre direitos humanos seja equivalente às emendas constitucionais, é necessário que seja aprovada, em cada casa do Congresso Nacional, em dois turnos, por três quintos dos votos dos respectivos membros.

( ) No Brasil, a vigência interna de um tratado não coincide, necessariamente, com a sua entrada em vigor no plano do direito internacional.

( ) Durante uma negociação multilateral, se determinado Estado aceitar, expressamente e por escrito, o encargo de depositário, mas acabar por não ratificar o tratado em questão, mesmo assim, esse Estado permanecerá vinculado à obrigação contraída, na condição de terceiro.

Acerca dos tratados, assinale a opção verdadeira: (11º Concurso TRF 1)

A

Na troca

de notas, entendida

como

método supranegocial, é corrente que sejam

antecedentes o término das negociações,

o

consentimento definitivo e a entrada em

vigor.

B A vigência do tratado pode ser contemporânea à do consentimento: neste caso, o tratado passa a atuar como norma jurídica no exato momento em que ele se perfaz como ato jurídico convencional.

C A vacatio não representa real utilidade, pois ela permite que o tratado, mediante promulgação, ou ato análogo, já seja dado a conhecer no interior das nações pactuantes, e que possa vigir, internamente, de imediato.

D O prazo para a entrada em vigor de um tratado é, normalmente, de 90 (noventa) dias, mas na Convenção das Nações Unidas sobre o direito do mar, ele se encontra fixado em 24 (vinte e quatro meses).

(MPF, 23º concurso)

Personalidade jurídica internacional - Estado: No que concerne ao direito internacional público, julgue os itens a

Personalidade jurídica internacional - Estado:

No

que concerne ao

direito internacional público, julgue os itens a seguir. (CESPE.

ANAC, 2012)

 

(

) A doutrina clássica aponta como sujeitos de direito internacional os Estados, as

organizações

internacionais

(intergovernamentais

e

não

governamentais)

e

os

indivíduos.

(MPF. 25º Concurso.) Acerca da personalidade jurídica internacional, essencial para o exercício de direitos e deveres

(MPF. 25º Concurso.)

Acerca da personalidade jurídica internacional, essencial para o exercício de direitos e deveres no âmbito do direito internacional público, assinale a opção correta. (TRT, Juiz, 2010)

A Órgãos internacionais, como a Anistia Internacional e o Greenpeace, são sujeitos de

direito público externo, sem o que não poderiam exercer suas finalidades. B O MERCOSUL, ao contrário da União Européia, não possui personalidade jurídica de direito internacional.

C A OIT não possui personalidade jurídica, pois é filiada à Organização das Nações Unidas e por ela representada.

D

O

Vaticano,

embora

seja

estado

anômalo,

por

não

possuir

território,

possui

representantes diplomáticos, os quais se denominam núncios apostólicos. E O reconhecimento da personalidade jurídica das organizações internacionais não decorre de tratados, mas da jurisprudência internacional, mais especificamente do Caso Bernadotte, julgado pela Corte Internacional de Justiça.

A respeito

do

princípio do uti possidetis é correto afirmar que (CESPE.

Procurador, 2009)

BACEN -

A foi aplicado apenas no processo de descolonização da Ásia.

B não impede que se regulamentem fronteiras por meio de tratado.

C

está presente em tratados internacionais, mas a Corte Internacional de Justiça nunca

se referiu a ele.

 

D

não se aplica a casos de disputas de fronteiras quando estas forem definidas por rios.

E é típica norma jus cogens.

 

Em se tratando de direito internacional público:

(11º Concurso TRF 1)

 

A o Estado exerce jurisdição sobre o seu território, muito embora sempre relativa, o que vale dizer que detém uma série de competências para atuar com autoridade.

B são sujeitos de direito internacional público, também chamados de pessoas jurídicas

de direito internacional público, os internacionais;

Estados

soberanos,

a

Santa

e as organizações

C

a personalidade jurídica do Estado, em direito das gentes, diz-se derivada, enquanto a

das organizações internacionais diz-se originária;

 

D

as empresas públicas possuem personalidade jurídica de direito internacional quando

atuam no exterior, mas tal personalidade jurídica é negada as empresas privadas com a mesma atuação.

Com relação aos entes do direito internacional, à responsabilidade internacional e à imunidade de jurisdição, julgue os itens a seguir. (TRF 5, 2007)

(

)

É

pacífico,

no

campo

doutrinário,

o

entendimento

quanto

à

inexistência

de

personalidade jurídica de direito internacional dos indivíduos.

( ) No direito internacional público, os Estados possuem personalidade jurídica originária e as organizações internacionais, personalidade jurídica derivada.

É

o

direito

internacional

público

uma

espécie

de

direito?

Essa

natureza do direito

internacional público tem sido desafiada por dois argumentos. O primeiro afirma que

não

um

poder

central

mundial

com atividades típicas dos Poderes Executivo,

Legislativo

e

Judiciário.

O

segundo

destaca

a

inexistência

de

uma

sociedade

internacional

que

compartilhe

efetivamente

valores

de

forma

ampla

e

consensual.

Apesar desses argumentos, verifica-se que os Estados nacionais não vivem de forma

isolada, eles interagem

com

 

a

comunidade

internacional por meio de tratados, da

globalização das atividades laborais e econômicas, bem como criam entes de direito supranacional, que buscam, como no MERCOSUL, a integração e a proteção de determinados valores compartilhados mundialmente. Considerando o texto acima como referência inicial, cada um dos itens subseqüentes apresenta uma situação hipotética, seguida de uma assertiva a ser julgada de acordo com a doutrina e a legislação pertinente. (CESPE. AGU, 2007)

( ) As forças da Polícia Militar de Minas Gerais, com o objetivo de ampliar o território

mineiro,

invadiram

parte do estado

do

Rio de Janeiro,

entrando

em

choque

com

a

polícia militar fluminense. Nessa situação,

como

o

conflito

se

entre dois estados

brasileiros, deve-se aplicar o direito internacional, mais especificamente as normas previstas na Convenção de Genebra de 1949, por ser o Brasil dela signatário.

( ) O estado do Rio Grande do Sul, almejando ser reconhecido internacionalmente como um Estado soberano, pleiteou uma cadeira na Organização das Nações Unidas (ONU), alegando que possui um território, uma população e um governo permanente. Nessa situação, os requisitos apresentados não são suficientes para que o Rio Grande do Sul seja aceito na Assembléia-Geral da ONU.

Nacionalidade:

Em relação à condição jurídica do estrangeiro e aos direitos de nacionalidade, julgue os itens que se seguem. (CESPE. AGU. 2012)

(

) É privativo de brasileiro nato o cargo de governador de estado.

(

)

A

reciprocidade

é

pré-condição para que aos portugueses com residência

permanente no país sejam atribuídos direitos inerentes ao brasileiro.

A Constituição de 1988 proíbe qualquer discriminação, por lei, entre brasileiros natos e naturalizados, exceto os casos previstos pelo próprio texto constitucional. Nesse sentido, é correto afirmar que somente brasileiro nato pode exercer cargo de (FGV. VII Exame da OAB. 2012)

  • A) Ministro do STF ou do STJ.

  • B) Diplomata.

  • C) Ministro da Justiça.

  • D) Senador.

Considerando o conceito de nacionalidade e o Estatuto da Igualdade entre portugueses e brasileiros, assinale a opção correta. (CESPE. TRF1, 2011)

A A CF considera brasileiros natos, independentemente de formalidades, os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe brasileira, desde que qualquer deles esteja a serviço do Brasil.

B Além das condições previstas no texto constitucional, somente lei complementar pode estabelecer novos casos em que se exija a condição de brasileiro nato para a ocupação de cargos, empregos e funções públicas.

  • C A exemplo dos países que se formaram a partir de grande contingente de imigrantes,

o Brasil adota predominantemente o critério do jus sanguinis para definição da

nacionalidade, admitindo, porém, em situações específicas, a aplicação do jus soli.

  • D A situação do cidadão português que, no Brasil, seja admitido no regime de igualdade

plena previsto na Convenção sobre Igualdade de Direitos e Deveres entre Brasileiros e Portugueses, é idêntica à do brasileiro naturalizado. E O brasileiro nato e o brasileiro naturalizado que exerçam atividade contrária ao interesse nacional estão sujeitos à perda a nacionalidade, mediante processo judicial, assegurada ao réu ampla defesa.

No que tange ao direito de nacionalidade, assinale a alternativa correta. (FGV. OAB. V Exame)

  • A) O brasileiro nato não pode perder a nacionalidade.

  • B) O filho de pais alemães que estão no Brasil a serviço de empresa privada alemã será

brasileiro nato caso venha a nascer no Brasil.

  • C) O brasileiro naturalizado pode ser extraditado pela prática de crime comum após a

naturalização.

  • D) O brasileiro nato somente poderá ser extraditado no caso de envolvimento com o

tráfico de entorpecentes.

Com relação aos princípios gerais da nacionalidade no direito internacional, assinale a opção correta. (CESPE. BACEN - Procurador, 2009)

A É discricionário dos Estados privar alguém de sua nacionalidade.

B A nacionalidade rege-se pelo princípio da efetividade.

  • C A nacionalidade dá-se apenas pelo jus soli.

D

É

permitido

aplicar

o

banimento

tráfico de drogas ilícitas.

a

indivíduo com comprovado envolvimento no

E Nacionalidade originária é aquela que se adquire por naturalização.

No que concerne à perda e à reaquisição da nacionalidade brasileira, assinale a opção correta. (CESPE. OAB, 2009.1)

A Eventual pedido de reaquisição de nacionalidade feito por brasileiro naturalizado será processado no Ministério das Relações Exteriores.

B A reaquisição de nacionalidade brasileira é conferida por presidente da República.

lei

de

iniciativa

do

  • C Em nenhuma hipótese, brasileiro nato perde a nacionalidade brasileira.

  • D Brasileiro naturalizado que, em virtude de

atividade

nociva

ao

Estado, tiver sua

naturalização

cancelada

por

sentença

judicial

poderá

readquiri-la

mediante

ação

rescisória.

Cada opção abaixo apresenta uma situação hipotética a respeito dos direitos da nacionalidade e do direito constitucional, seguida de uma assertiva a ser julgada. Assinale a opção cuja assertiva esteja correta. (OAB/ES 2004)

A Rodrigo é um turista argentino e foi preso em flagrante em uma praia do Espírito Santo. Nessa situação, Rodrigo não tem direito de impugnar a referida prisão por meio de habeas corpus, pois a Constituição da República garante esse direito somente a brasileiros e a estrangeiros residentes no país.

B Paulo é um brasileiro nato que foi condenado na França por tentativa de homicídio, mas que, apesar da ordem de prisão dirigida contra ele, conseguiu evadir-se da Europa e voltar ao Brasil. Nessa situação, se a França solicitar ao Brasil a extradição de Paulo, para que ele cumpra a pena a que foi condenado, tal pedido lhe será negado.

  • C Hugo, filho de pai brasileiro e mãe colombiana, nasceu na Colômbia e mudou-se para

o Brasil em seu trigésimo aniversário. Nessa situação, ele não pode adquirir o status de brasileiro nato e, portanto, é-lhe vedado candidatar-se à presidência da República.

  • D Gutierrez, nascido na Venezuela, solicitou e obteve sua naturalização como cidadão

brasileiro após ter concluído bacharelado em ciências jurídicas em faculdade brasileira. Nessa situação, mesmo que aprovado em concurso de provas e títulos, Gutierrez não poderá assumir o cargo de juiz de direito, pois tal investidura é restrita a brasileiros natos.

Quanto à forma de aquisição da nacionalidade é incorreto afirmar que: (9º, TRF1)

A jus soli é o sistema em que a nacionalidade originária se estabelece pelo lugar do nascimento, salvo se os pais forem estrangeiros.

B jus sanguinis é o sistema pelo qual os filhos adquirem a nacionalidade de seus pais.

  • C jus laboris é o sistema em que a legislação admite o serviço em prol do Estado como

elemento favorecedor e facilitador para consecução da naturalização.

  • D a nacionalidade derivada ou secundária pode ocorrer por via da naturalização ou em

virtude do casamento.

Segundo a Constituição vigente, será declarada a perda da nacionalidade do brasileiro que: (9º, TRF1)

A tiver cancelada sua naturalização, por decisão do Presidente da República, em virtude de atividade nociva ao interesse nacional.

B tiver cancelada sua naturalização, por ato do Presidente da República, em virtude de provocação do Senado Federal, nos casos de cometimento de crime contra a segurança nacional.

C

tiver

cancelada

sua

naturalização,

nociva ao interesse nacional.

por

sentença judicial, em virtude de atividade

  • D em qualquer hipótese tenha adquirido outra nacionalidade.

Assinale a resposta errada. Somente podem ser exercidos por brasileiros natos os cargos de: (6º Concurso TRF 1)

A integrante da carreira diplomática;

B oficial superior das polícias militares;

C

presidente do Senado Federal;

  • D ministro do Supremo Tribunal Federal.

Assinale a resposta errada. (6º Concurso TRF 1) Constituem requisitos para a obtenção da naturalização:

A não ser portador de idéias políticas que defendam a segregação racial;

B ter registro como permanente no Brasil;

  • C ter plena capacidade e residência no território nacional;

  • D ler e escrever português e ter bom comportamento.

Sobre a nacionalidade e a cidadania, assinale a opção verdadeira: (11º Concurso TRF1)

A

a dimensão

horizontal é a

ligação do indivíduo com o Estado a que pertence, que

lembra a relação do vassalo com o seu suserano, e que contém uma série de obrigações

do indivíduo para com o Estado.

B

a

cidadania

acentua

o

aspecto

internacional,

ao

distinguir

entre

nacionais

e

estrangeiros, enquanto que a nacionalidade valoriza o aspecto nacional.

C

a nacionalidade é geralmente definida como o vínculo jurídico-político que liga o

indivíduo

ao

Estado,

ou,

em

outras

palavras,

o

elo

entre

a

pessoa

física

e

um

determinado Estado.

 

D

a

nacionalidade

primária

ou

originária

ocorre

por

via

da

naturalização,

isto

é,

voluntária ou

em

tempos

idos,

também

imposta

e,

em

certos

países,

por

meio do

casamento.

 

É

o

direito

internacional

público

uma

espécie

de

direito?

Essa

natureza do direito

internacional público tem sido desafiada por dois argumentos. O primeiro afirma que

não

um

poder

central

mundial

com atividades típicas dos Poderes Executivo,

Legislativo

e

Judiciário.

O

segundo

destaca

a

inexistência

de

uma

sociedade

internacional

que

compartilhe

efetivamente

valores

de

forma

ampla

e

consensual.

Apesar desses argumentos, verifica-se que os Estados nacionais não vivem de forma

isolada, eles interagem com a comunidade internacional

por

meio

de

tratados, da

globalização das atividades laborais e econômicas, bem como criam entes de direito supranacional, que buscam, como no MERCOSUL, a integração e a proteção de determinados valores compartilhados mundialmente. Considerando o texto acima como referência inicial, cada um dos itens subseqüentes apresenta uma situação hipotética, seguida de uma assertiva a ser julgada de acordo com a doutrina e a legislação pertinente. (CESPE. AGU, 2007)

( ) Manoel, marroquino, residente há um ano no Brasil, deseja fazer concurso público para diplomata. Nessa situação, de acordo com o regime jurídico do estrangeiro ora vigente, Manoel poderá fazer o concurso referido desde que se naturalize brasileiro.

Verifique cada uma das proposições abaixo e assinale a alternativa correta: (12 º concurso. TRF1, 2006) (Com adaptações).

  • I – São brasileiros natos os nascidos na República Federativa do Brasil, ainda que de pais estrangeiros, desde que estes não estejam a serviço de seu país.

II – São brasileiros natos os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe brasileira, desde que qualquer deles esteja a serviço da República Federativa do Brasil.

III – São brasileiros natos os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe brasileira, desde que venham a residir na República Federativa do Brasil e optem, em qualquer tempo, após atingida a maioridade, pela nacionalidade brasileira.

IV – São brasileiros natos os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe brasileira, desde que sejam registrados em repartição brasileira competente dentro de 30 dias do nascimento.

A Todas as opções estão incorretas.

B Somente a IV opção está incorreta.

  • C Somente a I e IV opções estão incorretas.

  • D Todas as opções estão corretas.

São privativos do brasileiro nato os seguintes cargos, exceto: (12 º concurso. TRF1,

2006)

A Presidente de Comissão Disciplinar de Servidor Público B Ministro do Supremo Tribunal Federal

  • C Oficial das Forças Armadas

  • D Presidente do Senado Federal

Condição jurídica do estrangeiro:

Após

ter

entrado

irregularmente

em

território

nacional,

um

estrangeiro

tem

a

sua

deportação

promovida,

por

não

se retirar voluntariamente. Assinale a afirmativa que

indica o procedimento a ser adotado por esse estrangeiro, caso pretenda reingressar em território nacional. (FGV. IX Exame de Ordem. Reaplicação. 2012)

  • A) O estrangeiro deportado nunca mais poderá reingressar no território nacional.

  • B) O deportado só poderá reingressar no território nacional se ressarcir o Tesouro

Nacional, com correção monetária, das despesas com a sua deportação e efetuar, se for

o caso, o pagamento da multa devida à época, também corrigida.

  • C) O deportado só poderá reingressar no território nacional

após o transcurso do lapso

prescricional quinquenal para a cobrança da quantia devida.

  • D) O deportado poderá retornar se comprovadamente não tiver condições de arcar com

o pagamento da quantia devida, sem prejuízo de sua própria subsistência.

Com relação aos direitos de nacionalidade e a suas variações, previstos na CF, assinale a opção correta. (CESPE. Diplomacia, 2012)

A Estrangeiros são, por vezes, protegidos como os nacionais, a exemplo da vedação de extradição de estrangeiros por crime político ou de opinião.

B

Os

direitos

inerentes

aos

brasileiros

são

atribuídos

a

todo

cidadão português,

ressalvada a limitação constitucional de verificação de reciprocidade.

C

A perda da nacionalidade originária, diferentemente do que ocorre com a derivada, é

medida prevista como forma extrema de cominação penal.

 

D

A extradição de brasileiros portadores de nacionalidade não originária é condicionada

excepcional

e

unicamente

a

comprovado

envolvimento

em

tráfico

ilícito

de

entorpecentes e de drogas afins. E A concessão de asilo a estrangeiro é prevista como direito civil inalienável no artigo 5.º da Lei Maior, que cuida de direitos e garantias fundamentais.

Jean Pierre, cidadão estrangeiro, foi preso em flagrante em razão de suposta prática de crime de falsificação de passaporte com o objetivo de viabilizar sua permanência no Brasil. Diante dessa situação hipotética, assinale a afirmativa correta. (FGV. OAB. VIII Exame Unificado. 2012)

  • A) A fraude para obter a entrada e permanência no território brasileiro constitui motivo

suficiente para a expulsão do estrangeiro, cabendo, exclusivamente, ao Presidente da

República, de forma discricionária, resolver sobre a conveniência e oportunidade da sua retirada compulsória do País.

B)

O

ilícito

deverá

ser

apurado

no

âmbito do Ministério da Relações Exteriores,

tornando desnecessária a instauração de processo administrativo ou inquérito para fins de apuração dos fatos que ensejam a expulsão.

C)

O

mérito

do

ato

de

expulsão é analisado mediante juízo de conveniência e

oportunidade (discricionariedade), sendo descabido o ajuizamento de ação judicial para impugnar suposta lesão ou ameaça de lesão a direito, devendo, nesse caso, o juiz rejeitar

a petição inicial por impossibilidade jurídica do pedido.

  • D) A fraude para obter entrada e permanência no território brasileiro não é motivo para

fundamentar ato de expulsão de estrangeiro.

A respeito da autorização de trabalho a estrangeiro com vínculo empregatício no Brasil, assinale a afirmativa correta. (FGV. OAB. VIII Exame Unificado. 2012)

  • A) Trata-se de ato administrativo de competência do Ministério do Trabalho, para efeito

de requerimento de visto permanente e/ou temporário, a estrangeiros que desejem trabalhar no Brasil.

  • B) O empregador deve se comprometer com o

treinamento profissional, mas não é

necessário

haver

correlação

entre

a

atividade

que

o

estrangeiro

exercerá

e

sua

qualificação/experiência anterior.

 
  • C) O empregador que pretender importar

mão

de

obra deverá manter pelo menos

metade das vagas da empresa ocupadas por brasileiros, que também devem responder

por, pelo menos, metade da folha de salários.

  • D) Trata-se de ato administrativo de competência do Ministério da Educação, que

dispensa a autorização para o estrangeiro que haja concluído curso de pós-graduação

stricto sensu no Brasil ou tiver seu diploma estrangeiro revalidado.

A respeito das leis especiais, julgue os itens a seguir. (CESPE. AGENTE DE POLÍCIA FEDERAL. 2012)

(

) Considere que determinado cidadão australiano deseje vir de férias ao Brasil,

por um período de trinta dias, onde pretende ministrar aulas remuneradas de surfe e

comercializar aparelhos eletrônicos oriundos da Austrália. Nessa situação, caso não haja

acordo

internacional

entre

Brasil

e

Austrália

para

a

dispensa

de

visto,

o governo

brasileiro poderá conceder o visto de turista ao referido cidadão.

Em cada um dos itens de 92 a 95 é apresentada uma situação hipotética, acerca dos crimes contra a pessoa, contra o patrimônio, contra a fé pública e contra a administração pública, seguida de uma assertiva a ser julgada. (CESPE. AGENTE DE POLÍCIA FEDERAL. 2012)

(

) Juan, cidadão espanhol, que havia sido expulso do Brasil após cumprimento de

pena

por

tráfico

internacional

de

drogas,

retornou

ao

país,

sem autorização de

autoridade competente, para visitar sua companheira e seu filho, nascido no curso do cumprimento da pena. Nessa situação, para que o simples reingresso de Juan ao Brasil configurasse crime, seria necessário que ele praticasse nova infração, de natureza dolosa, em território nacional.

Em relação à condição jurídica do estrangeiro e aos direitos de nacionalidade, julgue os itens que se seguem. (CESPE. AGU. 2012)

(

)

O visto consular, concedido

a

autoridades consulares a serviço de

Estado

estrangeiro

no

Brasil

e

a seus familiares,

é

expressamente previsto no Estatuto do

Estrangeiro. O direito brasileiro veda

(

)

a deportação de estrangeiro acusado da prática de

crime político. ) É expressamente proibida pela CF a extradição ou entrega de brasileiro nato a

(

autoridades estrangeiras.

João, residente no Brasil há cinco anos, é acusado em outro país de ter cometido crime político. Nesse caso, o Brasil (FGV. VI Exame da OAB. 2012)

  • (A) pode conceder a extradição se João for estrangeiro.

  • (B) pode conceder a extradição se João for brasileiro naturalizado e tiver cometido o

crime antes da naturalização.

  • (C) não pode conceder a extradição, independentemente da nacionalidade de João.

  • (D) não pode conceder a extradição apenas se João for brasileiro nato.

Assinale a opção correta acerca da condição jurídica dos estrangeiros. (CESPE. TRF1,

2011)

A O Brasil admite a concessão tanto do asilo diplomático quanto do asilo territorial.

 

B

Somente

 

é

passível

de

expulsão

do

território

brasileiro

o

estrangeiro

que

sofra

condenação por crimes que atentem contra a segurança nacional ou a ordem política ou

social.

C Segundo o direito internacional costumeiro, nenhum Estado tem o direito de negar

visto

para

o

ingresso

de

estrangeiro em seu território, seja em definitivo, seja a título

temporário.

 

D A deportação, como forma de exclusão do estrangeiro do território brasileiro, somente se efetiva mediante ato que, exarado pelo ministro de Estado da Justiça, impeça o retorno do deportado ao país. E A CF dispõe que o brasileiro naturalizado somente pode ser extraditado em caso de crime comum ou de comprovado envolvimento em tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, desde que, em ambos os casos, os crimes tenham sido praticados antes da naturalização.

Acerca da condição jurídica dos estrangeiros e dos nacionais no direito brasileiro, assinale a opção correta. (CESPE. OAB, 2010.1)

A A CF dispõe expressamente sobre a possibilidade de expulsão do estrangeiro que

praticar atividade

nociva

à

ordem

pública

e

ao

interesse nacional, salvo se estiverem

presentes, simultaneamente, os seguintes requisitos: cônjuge brasileiro e filho brasileiro dependente da economia paterna.

B O Brasil, por ter ratificado integralmente

o Estatuto de

Roma, que criou o Tribunal

Penal Internacional, tem o compromisso de entregar ao tribunal os indivíduos contra os quais tenham sido expedidos pedidos de detenção e entrega, mesmo que eles possuam, originariamente, nacionalidade brasileira.

C Os estrangeiros de qualquer nacionalidade residentes na República Federativa do

Brasil

mais

de

quinze anos ininterruptos são automaticamente considerados

brasileiros naturalizados, independentemente de qualquer outra condição ou exigência.

D É vedada a extradição de nacionais, salvo em caso de comprovado envolvimento em

tráfico ilícito de entorpecentes, em terrorismo hediondos.

ou

em crimes definidos, em lei, como

Nenhum Estado soberano é obrigado a aceitar o ingresso, em seu território, de pessoa que não mantenha com ele vínculo político. Entretanto, no momento em que aceite o ingresso de indivíduo nessa condição, o Estado passa a ter, em relação a ele, deveres oriundos do direito internacional. Nesse contexto, a Lei n.º 6.815/1980 (Estatuto do Estrangeiro) e diversos julgados do STF vêm normatizando os direitos e deveres dos estrangeiros em território nacional. Com relação a esse assunto, julgue os próximos itens. (CESPE. DPU, 2010)

( ) Um imigrante e um turista recebem o mesmo tipo de visto para ingresso no país.

(X) Considere que, por meio do controle realizado em aeroporto brasileiro, se tenha impedido o ingresso de um chinês que tentava entrar ilegalmente no país e, de imediato, ele tenha sido mandado de volta ao seu país de origem, no mesmo avião que o trouxera. Nesse caso, é correto afirmar que esse chinês foi deportado.

(

)

Considere que um estrangeiro tenha sido expulso do país por pertencer

a célula

terrorista e ter participado do sequestro de autoridades brasileiras. Considere, ainda,

que, após a abertura de inquérito no Ministério da Justiça, no qual foi assegurada ampla defesa ao alienígena, o presidente da República tenha decidido, por meio de decreto,

pela sua expulsão do país. Nessa situação,

o estrangeiro só

poderá voltar ao país

mediante decreto presidencial que revogue o anterior.

( ) Considere que Melchior, devido a fundado temor de perseguição por motivo de raça, se encontre fora de seu país de nacionalidade e que, tendo ingressado no Brasil, se tenha dirigido à Defensoria Pública e indagado acerca da possibilidade de permanência no país, em condição de asilo. Nesse caso, é correto que o defensor público recomende a Melchior que requeira refúgio, com base na lei que normatiza o assunto.

(

)

Suponha

que

Raimundo,

brasileiro

nato,

tenha

saído

do

Brasil para morar nos

Estados Unidos da América, onde reside há mais de trinta anos, e que, nesse país, tenha obtido a nacionalidade americana como condição para permanecer no território

americano.

Nessa

situação,

caso

deseje

retornar

ao

Brasil para visitar parentes,

Raimundo

necessitará

de

visto,

pois,

ao

obter a nacionalidade americana, perdeu a

nacionalidade brasileira.

 

Considerando

o

conceito

e

o

fundamento

da

extradição,

julgue

C

ou

E.

(CESPE.

Diplomacia, 2010)

 

(

)

Não haverá extradição nos

casos

em

que não houver processo penal contra o

extraditando ou pena a ser por ele cumprida.

( ) O requerimento de extradição terá sempre por fundamento a existência de um tratado entre dois países envolvidos.

( ) Fundada em tratado, a demanda extradicional não pode ser sumariamente recusada pelo Estado requerido.

( ) O Estado brasileiro autoriza a extradição de brasileiros natos envolvidos na prática de crime de tráfico de drogas.

A medida que, para ser adotada contra estrangeiros, exige promulgação e publicação de

decreto presidencial para ser efetivada (Lei n.º 6.815/1980) é

 

2009)

A a deportação.

B a expulsão.

C

a extradição.

D

o cancelamento de laissez-passer.

(CESPE. TRF1 – Juiz,

E o banimento.

No Brasil, é permitida a concessão de visto ao estrangeiro quando

(CESPE. TRF2 –

Juiz, 2009)

A anteriormente deportado do país.

B considerado nocivo à ordem pública.

C

considerado nocivo aos interesses nacionais.

  • D menor de dezoito anos, desacompanhado do responsável legal.

E processado em outro país por crime doloso, passível de extradição segundo a lei brasileira.

Com relação ao Estatuto do Estrangeiro (Lei n.º 6.815/1980), assinale a opção correta.

(CESPE. TRF5 – Juiz, 2009)

A A posse ou a propriedade de bens no Brasil confere ao estrangeiro o direito de obter visto de qualquer natureza ou autorização de permanência no território brasileiro.

B O visto de trânsito pode ser concedido ao estrangeiro destino, tenha de entrar em território brasileiro.

que,

para

atingir

o

país de

C

O

registro

do

estrangeiro

deve

naturalização brasileira.

ser

mantido

mesmo

se

o

registrado

obtiver

  • D Deve ser concedida a extradição do estrangeiro quando o fato que motivar o pedido

de extradição não for considerado crime no Brasil ou no Estado requerente.

E Deve ser concedida a extradição do estrangeiro quando o fato que motivar o pedido de extradição constituir crime político.

A exclusão, do território nacional, do estrangeiro com entrada irregular é: (5º TRF1)

  • A) cessação de visto;

  • B) expulsão;

  • C) deportação;

  • D) recambiamento.

Se o estrangeiro tiver filho brasileiro sob sua guarda e dependência:

  • A) não pode ser extraditado;

  • B) não poder ser expulso;

  • C) não pode ser deportado;

  • D) não pode ser preso.

(5º TRF1)

O brasileiro naturalizado pode ser extraditado: (5º TRF1)

  • A) sempre;

  • B) somente em caso de crime comum, praticado antes da naturalização;

  • C) se o Governo brasileiro autorizar;

  • D) se o Estado estrangeiro tiver tratado de extradição com o Brasil.

Acerca de nacionalidade e da condição jurídica do estrangeiro no Brasil, julgue os próximos itens. (TRF5, 2007)

( ) Tem validade imediata no Brasil o divórcio realizado na Itália entre um italiano e uma brasileira, desde que o casamento também tenha ocorrido na Itália, tão logo ocorra o respectivo registro do evento no Consulado Brasileiro em Milão.

( ) Podem naturalizar-se os estrangeiros, de qualquer nacionalidade, residentes na República Federativa do Brasil há mais de quinze anos ininterruptos e sem condenação penal, desde que requeiram a nacionalidade brasileira.

( ) De acordo com o que dispõe o direito internacional, a deportação é uma forma de exclusão de estrangeiro que tenha ingressado de forma irregular no país ou cuja estada tenha se tornado irregular, ficando este estrangeiro impedido de retornar mesmo após sanada a irregularidade que provocou a deportação.

Em cada um dos itens subseqüentes, é apresentada uma situação hipotética relativa à dimensão pessoal do Estado, seguida de uma assertiva a ser julgada. (TRF5, 2004)

( ) Antônio, após cometer diversos crimes de natureza comum no Estado B, emigrou

para

o

Brasil, onde fixou

residência. O

Estado B formulou pedido de extradição de

Antônio, com base em tratado bilateral firmado entre este Estado e o Brasil. Pendente o

julgamento desse pedido perante o STF, Antônio optou pela nacionalidade originária brasileira.Nessa situação, transitada em julgado a sentença que acolheu a declaração de vontade de Antônio, é correto afirmar que este permanecerá no território brasileiro, com a possibilidade de ser punido, nos termos da lei penal brasileira, pelos crimes cometidos no Estado B.

(

) Igor, nascido no Brasil, é filho de um casal de nacionais do Estado A que estão a

serviço

do

Estado

B

em

território

brasileiro.

Nessa

situação,

a

criança

terá

a

nacionalidade de seus pais.

( ) Cláudio, súdito do Estado A, estabeleceu seus negócios no Estado B, onde constituiu vasto patrimônio. Anos depois, correndo risco de se ver expropriado de seus bens pelo governo do Estado B e sem poder contar, por motivos históricos adversos, com a proteção diplomática de seu Estado pátrio, Cláudio emigrou para o Estado C, onde

requereu imediatamente

a

sua

naturalização,

para

receber

a proteção diplomática,

necessária para iniciar procedimento na Corte Internacional de Justiça contra o Estado B. Nessa situação, compete à Corte Internacional de Justiça, como pressuposto ao exame da proteção diplomática outorgada, deliberar acerca da efetividade internacional do ato de naturalização de Cláudio, embora tenha sido este realizado no âmbito da soberania nacional do Estado C.

( ) Mário é binacional nato, tendo adquirido a nacionalidade do Estado B pela regra do jus soli e a nacionalidade do Estado C pela regra do jus sanguinis. Vivendo no Estado B, Mário teve seu patrimônio alcançado por medidas expropriatórias do governo deste Estado. Nessa situação, e devido a sua binacionalidade, Mário pode invocar a proteção

diplomática do

Estado

C

contra

o

Estado

B,

diante

da

legitimidade de ambos os

vínculos no plano do direito internacional.

 

(

) Manoel, de nacionalidade portuguesa, adquiriu no Brasil a igualdade de direitos e

obrigações

civis

e

o

gozo

de

direitos políticos perante o Estado brasileiro. Nessa

situação,

o

fato

acarreta a suspensão

do

exercício dos seus direitos de cidadão em

Portugal, embora o vínculo de nacionalidade portuguesa permaneça intacto. Julgue os itens seguintes, acerca dos princípios informativos da seguridade social.

( ) O postulado da universalidade da cobertura e do atendimento significa que o poder público deve organizar a seguridade social de modo a garantir os benefícios respectivos a todos os residentes no país, observadas as peculiaridades e as especificidades que, nos termos da lei, possam justificar a concessão de benefícios distintos a segurados urbanos e rurais.

Com relação ao direito internacional, julgue os itens abaixo. (CESPE. DPU, 2001)

( ) No Brasil, admite-se a extradição de estrangeiro que tenha filho brasileiro menor, mesmo que esse filho dependa economicamente do pai.

( ) Nos procedimentos de deportação e de expulsão de estrangeiro, a iniciativa é local, ao contrário do processo de extradição.

( ) De acordo com a Lei de Introdução ao Código Civil Brasileiro em vigor, a lei do país de nacionalidade de uma pessoa determina as regras acerca do começo e do fim da sua personalidade, do seu nome, da sua capacidade e dos seus direitos de família.

( ) O Código de Bustamante, de 1928, tratado internacional incorporado ao direito brasileiro em 1929, prevalece em caso de conflito com a Lei de Introdução ao Código Civil de 1942.

( ) O processo de homologação de sentença estrangeira perante o STF não admite exame de matéria de fundo ou apreciação de questões pertinentes ao mérito da causa.

Assinale a alternativa correta: (9º Concurso TRF 1)

A os crimes políticos não ensejam a extradição dos seus agentes.

B o terrorismo e a deserção podem ser caracterizados como crimes políticos.

  • C que estiver irregularmente no País ou

o estrangeiro

tenha ingressado no território

nacional sem observância das formalidades legais estará sujeito a expulsão.

  • D estrangeiro que tiver sido deportado do

o

País

não mais poderá reingressar no

território brasileiro, sob pena de responder a processo criminal.

Assinale a alternativa errada. (6º Concurso TRF 1) A saída do estrangeiro do Brasil pode-se dar coercitivamente por:

A deportação aplicada pelo Presidente da República a estrangeiro que entrou irregularmente em território nacional;

B expatriação aplicada ao estrangeiro renovação;

que não

obteve visto de permanência ou sua

  • C expulsão como pena por comportamento delituoso ou nocivo aos interesses nacionais;

D

extradição aplicada a ex-estrangeiro, naturalizado brasileiro, na forma prevista em lei.

A deportação de estrangeiro far-se-á: (10º Concurso TRF1)

A para qualquer País com que o Brasil tenha fronteira terrestre.

B para o País onde ele tenha condições de fixar residência.

C

para

o

País da sua nacionalidade

ou

de

procedência, ou para outro que consinta

recebê-lo.

 

D

para o País com quem o Brasil mantém reciprocidade quanto a refugiados.

Nenhum brasileiro será extraditado, salvo: (10º Concurso TRF1)

A se praticou crime de racismo.

 

B se envolvido em tráfico ilícito de entorpecentes, mesmo quando brasileiro nato.

C

se praticou crime dito hediondo.

 

D

o naturalizado, em caso de crime praticado antes da naturalização.

Verifique cada uma das proposições abaixo e assinale a alternativa correta: (12 º concurso. TRF1, 2006)

– Não será concedida extradição de estrangeiro por crime político ou de opinião. II – Compete privativamente à União legislar sobre extradição de estrangeiros.

I

III – Compete ao Supremo Tribunal Federal processar e julgar, originalmente, a extradição solicitada por Estado estrangeiro. IV – Nenhum brasileiro será extraditado, salvo o naturalizado, em caso de crime comum, praticado antes da naturalização, ou de comprovado envolvimento em tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, na forma da lei.

A Todas as opções estão incorretas.

 

B Somente a IV opção está incorreta.

C

Somente a I e IV opções estão incorretas.

 

D

Todas as opções estão corretas.

 

Roberta Caballero, de nacionalidade argentina, está no Brasil desde 2008, como correspondente estrangeira do jornal “El Diário”, sediado em Buenos Aires. Roberta possui visto temporário, válido por quatro anos. Em 2011, pouco antes do vencimento

do visto, Roberta recebe um convite do editor de um jornal brasileiro, sediado em São Paulo, para ali trabalhar na condição de repórter, sob sua supervisão, mediante contrato de trabalho. Para continuar em situação regular, é correto afirmar que Roberta

(A)

deverá

renovar,

a

cada quatro anos, o visto temporário VI (correspondente

estrangeiro) e requerer autorização de trabalho a estrangeiro com vínculo empregatício.

  • (B) não poderá aceitar o emprego, pois a Constituição Federal, em seu artigo 222, veda

a atuação de repórteres estrangeiros em qualquer meio de comunicação social.

  • (C) deverá apenas renovar, a cada quatro anos, o visto temporário VI (correspondente

estrangeiro), pois pessoas de nacionalidade de países do Mercosul não precisam de autorização de trabalho.

  • (D) deverá transformar seu visto temporário VI (correspondente estrangeiro) em visto

temporário V (mão de obra estrangeira) e requerer autorização de trabalho a estrangeiro

com vínculo empregatício.

Em referência aos institutos da extradição, expulsão e deportação, assinale a opção correta. (TRF5, Juiz, 2011)

A

Conforme

a

jurisprudência

do

STF,

o decreto de expulsão, de cumprimento

subordinado à prévia execução da pena imposta pelo ordenamento jurídico brasileiro, não constitui empecilho ao livramento condicional de estrangeiro condenado. A análise dos requisitos para a concessão do livramento condicional não ultrapassa os limites do procedimento sumário e documental do habeas corpus.

B O estrangeiro, enquanto não se efetivar a deportação, poderá ser recolhido à prisão por ordem do ministro da justiça, pelo prazo improrrogável de sessenta dias, sendo vedado dispensá-lo de penalidades relativas à entrada ou estada irregular no território

brasileiro

ou

de

qualquer

outra

formalidade,

ainda

que

isso

possa

dificultar

a

deportação.

 

C

Tratando-se de cooperação internacional para a repressão a atos de criminalidade

comum, a existência de vínculos conjugais ou familiares do extraditando com pessoas de nacionalidade brasileira qualifica-se como causa obstativa da extradição.

D

A prisão do súdito estrangeiro não constitui pressuposto indispensável ao regular

processamento da ação de extradição passiva, sendo-lhe aplicáveis, para a sua válida decretação, os pressupostos e os fundamentos referidos no Código de Processo Penal para a prisão preventiva.

E

O

sistema

de

contenciosidade

limitada

não

permite,

ordinariamente,

indagação

probatória

pertinente

ao

ilícito

criminal

cuja

persecução,

no

exterior,

justifica

a

demanda extradicional perante o STF,

salvo em

caso

de

pedido de extradição de

brasileiro naturalizado por tráfico de entorpecentes e drogas afins, praticado antes ou

depois da naturalização.

Asilo e refúgio:

Asilo e refúgio: (MPF. 25º Concurso.) Nascida na ambiência político-jurídica da América Latina do século XIX,

(MPF. 25º Concurso.)

Nascida na ambiência

político-jurídica

da

América

Latina

do

século

XIX,

a

possibilidade de concessão de asilo político é comumente acolhida como garantia facultada pelo Estado Democrático de Direito. Acerca dessa garantia no ordenamento jurídico brasileiro, julgue (C ou E) os itens seguintes. (CESPE. Diplomacia, 2009)

(

)

O

instituto jurídico do asilo político tem natureza infraconstitucional e está

positivado, com exclusividade e especialidade, em legislação ordinária. ) O instituto jurídico do asilo político tem natureza constitucional e está inserido

(

como direito e garantia fundamental, nos termos do art. 5.º da Lei Maior. ( ) O instituto jurídico do asilo político figura entre os princípios constitucionais que regem as relações internacionais da República Federativa do Brasil.

) Questões pertinentes à concessão de asilo político não podem ser reguladas em medida provisória.

(

O asilado que desejar sair do País e nele reingressar sem renúncia à sua condição deverá obter autorização prévia: (10º TRF1)

A

do

Presidente da

República

ou

da

autoridade

a

quem o Presidente delegou sua

competência.

 

B do juiz federal da Seção Judiciária onde estiver o asilado.

C

do Ministério da Justiça.

  • D do Ministério das Relações Exteriores.

Imunidade de jurisdição e imunidade à jurisdição:

Acerca de atos internacionais e organizações internacionais, julgue subsecutivos. (CESPE. ANAC, 2012)

os

itens

(

)

A

imunidade

de

jurisdição

dos

Estados

foi

relativizada

por

tratados

internacionais.

 
C do Ministério da Justiça. D do Ministério das Relações Exteriores. Imunidade de jurisdição e imunidade

(MPF. 25º Concurso.)

Gabarito: D

(MPF. 25º Concurso.) (MPF. 25º Concurso.) Dois ex-empregados da missão diplomática do Estado X situada no

(MPF. 25º Concurso.)

(MPF. 25º Concurso.) (MPF. 25º Concurso.) Dois ex-empregados da missão diplomática do Estado X situada no

(MPF. 25º Concurso.)

Dois ex-empregados da missão diplomática do Estado X situada no Estado Y ajuizaram contra aquele Estado reclamação na justiça trabalhista deste Estado, alegando que alguns de seus salários não haviam sido pagos. Tendo julgado procedente a reclamação,

a

justiça trabalhista

do

Estado Y determinou,

a

fim

de

satisfazer os créditos dos ex-

empregados,

a

penhora

de

bens,

incluído

o

próprio

prédio

da

referida

missão

diplomática. Com relação a essa situação hipotética, assinale a opção correta. (CESPE. Diplomacia, 2011)

A Caso o Estado Y fosse o Brasil, a justiça trabalhista não poderia, de acordo com a jurisprudência do STF, determinar a penhora de bens do Estado X, por gozar o Estado estrangeiro de imunidade de execução.

B

A

justiça

trabalhista

do

Estado

Y

não

deveria

ter

conhecido

da

ação,

pois

a

Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas estabelece a imunidade de jurisdição

do Estado estrangeiro em matéria trabalhista. C A justiça trabalhista do Estado Y não deveria ter conhecido da ação, pois casos que envolvam imunidade de jurisdição e execução somente podem ser julgados por tribunais internacionais.

D

Caso

a