Você está na página 1de 47

CENTRO PAULA SOUZA ETEC PROFESSOR APRÍGIO GONZAGA

O ENDOMARKETING APLICADO EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO COMO FATOR DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL.

SÃO PAULO

2012

Cleidson Borges Gabriela Maria Romualdo Jessica Gomes Kayke Vargas Paula Caroprese Pedro Caliman

O Endomarketing Aplicado em uma Instituição de Ensino como fator de desenvolvimento profissional.

Trabalho

de

conclusão de curso

apresentado a ETEC Profº Aprígio

Gonzaga como requisito

para

obtenção do certificado de técnico em administração.

Orientadores: Roberto Luiz Garcia Vichinsky Neide Gonçalves da Silva

São Paulo

2012

Cleidson Borges Gabriela Maria Romualdo Jessica Gomes Kayke Vargas Paula Caroprese Pedro Caliman

O Endomarketing Aplicado em uma Instituição como fator de desenvolvimento profissional.

Examinadores:

________________________

________________________

________________________

________________________

________________________

________________________

São Paulo

2012

AGRADECIMENTOS

Agradecemos primeiramente a Jeová Deus, Pois sem ele não poderíamos fazer nada. Agradecemos também ao Professor Roberto e a Professora Neide, Por ter nos orientado a compor uma boa monografia. A todos os professores da ETEC Aprígio Gonzaga Por nos ter dado conhecimento necessário para que pudéssemos desenvolver este trabalho, e também a cooperação de cada componente de grupo, por nunca desistirem de suas obrigações mediante o trabalho.

RESUMO

Esse trabalho de conclusão de curso tem como objetivo primeiramente explanar sobre o conceito de endomarketing, o conhecido marketing interno, entre as diferenças entres ele e o dito marketing comum, fala também sobre assuntos referentes à ETEC Professor Aprígio Gonzaga, como historia, fatos sobre a escola, missão, visão, normas de convivência, entre outros. O trabalho aborda sobre o fator empreendedorismo e o mercado de trabalho hoje em dia, e como a escola pelo uso do endomarketing pode ajudar no desenvolvimento profissional e pessoal dos estudantes. Por meio de pesquisas feitas com os alunos, pode-se falar um pouco sobre o perfil estudantil da ETEC Professor Aprígio Gonzaga, também foi feita uma pesquisa com os professores, onde fatos sobre a relação "escola - professor - aluno" foram vistos, o objetivo principal do trabalho foi promover mudanças na ETEC por meio de propostas feitas, um projeto de mudanças foi disposto no trabalho, que incluiria a criação de um grêmio e de uma pagina no facebook.

Palavras-chave:

profissional, Aprígio.

Endomarketing, Empreendedorismo, desenvolvimento

ABSTRACT

This conclusion of course explains firstly about the concept of "endomarketing" also known as "internal marketing", among the differences between itself and the common marketing, it also talks about subjects concerning ETEC Professor Aprígio Gonzaga, as its history, facts about that school, mission, vision, rules of coexistence among others. The work approach the entrepreneurship factor and the market work nowadays, and how the school can help the professional and personal developing of his students by using "endomarketing". By means of researches done with the students, we can speak a little bit about the student profile of those at ETEC Professor Aprigio Gonzaga, and also another research was done with the teachers in which facts about the relashionship "school - teacher - students" was observed, the principal goal of this research was to promove some changes in ETEC by means of analyses made in all the school; a project of changes was disposed, which includes the creation of a guild and also a page in the Facebook

Key words: Endomarketing, Entrepreneurship, Professional Developing, Aprígio.

Sumário

1

INTRODUÇÃO

9

1.1

Objetivos

9

2

ENDOMARKETING

10

2.1

Marketing x Endomarketing:

10

2.2

Conceito de endomarketing:

10

2.3

Comunicação interna:

12

2.4

Objetivo do endomarketing em uma

14

3

ETEC PROFESSOR APRÍGIO GONZAGA

17

 
  • 3.1 Historia

17

  • 3.2 Atos legais de Criação e Funcionamento da ETEC Professor Aprígio Gonzaga

 

18

  • 3.3 Normas de Convivência escolar da ETEC Professor Aprígio Gonzaga

18

  • 3.5 Características regionais oriundas a ETEC Professor Aprígio Gonzaga:

20

4

MERCADO DE TRABALHO: FATOR EMPREENDEDORISMO

21

  • 4.1 Endomarketing

x empreendedorismo

 

22

  • 4.2 Endomarketing como fator de desenvolvimento profissional

23

5

PESQUISA COM OS

PROFESSORES

24

  • 5.1 Você sabe o que é “endomarketing”?

 

24

  • 5.2 Você pratica “endomarketing” dentro do Aprígio? Se sim, como?

24

  • 5.3 Você utiliza a internet para se comunicar com os alunos? Se sim como?

24

5.3.1 Você concorda que a internet ajuda no aprendizado dos alunos?

25

 
  • 5.4 Você

conhece o MOODLE?

25

  • 5.5 Você o utiliza (moodle)? Se sim como?

...........................................................

25

  • 5.6 Você conhece a missão, visão e valores do Aprígio?

......................................

26

  • 5.7 Você participa integralmente das atividades interdisciplinares do Aprígio?

26

  • 5.8 Que qualidades profissionais você como professor procura desenvolver em

seus alunos? E por quê?

 

26

  • 5.9 Você acha que as gincanas proporcionadas pelo Aprígio trazem contribuições

para a escola e para o desenvolvimento dos seus alunos?

 

27

5.10 Como você desenvolve o espírito de equipe dos seus alunos?

27

5.11 Dê uma nota de 0 á 10 na interação entre escola

 

28

6

PESQUISA E

28

Gráfico

  • 6.1 .........................................................................................................

1:

29

Gráfico

  • 6.2 .........................................................................................................

2:

29

Gráfico

  • 6.3 .........................................................................................................

3:

30

Gráfico

  • 6.4 .........................................................................................................

4:

30

Gráfico

  • 6.5 .........................................................................................................

5:

31

Gráfico

  • 6.6 .........................................................................................................

6:

32

Gráfico

  • 6.7 .........................................................................................................

7:

32

gráfico 8:

  • 6.8 ..........................................................................................................

33

Gráfico 9:

  • 6.9 .........................................................................................................

34

Gráfico 10:

  • 6.10 .....................................................................................................

35

Gráfico 11:

  • 6.11 .....................................................................................................

36

Gráfico 12:

  • 6.12 .....................................................................................................

37

  • 6.13 Gráfico 13: .......................................................................................................

38

Gráfico 14:

  • 6.14 .......................................................................................................

39

Gráfico 15:

  • 6.15 .......................................................................................................

40

  • 7

ENDOMARKETING NO AMBIENTE ESCOLAR

42

7.1 A Utilização do Grêmio

43

44

7-3 Endomarketing como fator de Otimização

45

7.4- Questões escolares

45

  • 8

CONSIDERAÇÕES FINAIS

46

  • 9 REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS....................................................................47

9

1 INTRODUÇÃO

O contexto empresarial hoje em dia está mudando, comparado há anos atrás, aquele funcionário que servia apenas como "cumpridor de tarefas" não é mais reconhecido, com o padrão de colaborador do novo século, hoje em dia as empresas estão tão preocupadas com as qualidades oriundas a personalidade, quanto às qualidades profissionais, as empresas necessitam e procuram profissionais com visão crítica, criatividade e que vejam um problema como apenas mais um obstáculo a mais a ser vencido. Esses valores não são algo que as pessoas já nascem com, tais características deveriam ser desenvolvidas com os alunos nas escolas, o berço de seu

conhecimento e de seu desenvolvimento. O grande desafio é como ensiná-los? Fazer com que estes entrem no mercado de trabalho com algo a mais para oferecer a empresa. Este trabalho visa aplicar o endomarketing dentro de uma instituição possibilitando mudanças, e melhorias na interação entre aluno e escola, que leva a refletir no desenvolvimento do estudante para o mercado. A instituição escolhida foi a ETEC Professor Aprígio Gonzaga, umas das mais conhecidas e renomadas escolas da zona leste da cidade de São Paulo cuja missão

é “promover um ensino de qualidade formando cidadãos com amplo conhecimento

humanístico, científicos e tecnológicos que garantam uma competência profissional

e o exercício efetivo de cidadania”

Este trabalho apresenta analises e propostas a instituição escolhida, para melhorar a sua interação com os alunos, influenciando no desenvolvimento destes para o mercado de trabalho, tornando-se assim profissionais cada vez mais capacitados.

1.1 Objetivos

Este

trabalho

tem

como

objetivo

provar

com

a

ajuda de pesquisas

desenvolvidas na ETEC Prof. Aprígio Gonzaga, tanto qualitativas como quantitativas, que o endomarketing implantado em instituições de ensino pode melhorar o desenvolvimento profissional e escolar dos estudantes. E assim explanar e desenvolver uma campanha de endomarketing no Aprígio.

10

  • 2 ENDOMARKETING

    • 2.1 Marketing x Endomarketing:

Para se começar a falar sobre o endomarketing deve-se primeiro entender a diferença entre o marketing e o endomarketing.

Marketing é uma função organizacional e um conjunto de processos que envolvem a criação, a comunicação e a entrega de valor para os clientes, bem como a administração do relacionamento com eles, de modo que beneficie a organização e seu público interessado. AMA (2005)

Esta é uma das muitas definições existentes sobre o marketing, entretanto

sobre esta citação acrescenta-se também que o marketing visa analisar o mercado para assim identificar o produto que seja uma necessidade e também preferência do consumidor. O marketing visa o público externo enquanto o endomarketing o público interno.

No livro “100 dúvidas de marketing” Arthur Ribeiro Coutinho diz que “O

endomarketing é o marketing direcionado aos funcionários da empresa. Ele pode ser

utilizado basicamente de duas formas: como ferramenta de comunicação ou para a

motivação dos funcionários.”

Em a entrevista de Paulo Bertone “marketing não sobrevive sem

endomarketing”, Bertone relata “

...

não acredito em nenhuma estratégia de

marketing que possa dar um resultado satisfatório, se você não preparar as pessoas da sua empresa, ou seja, não criar o comprometimento entre elas para poder

satisfazer as reais necessidades do cliente”. Então o endomarketing é uma das estratégias do marketing, mas que tem o interior da empresa como objetivo, motivando os colaboradores a vestir a camisa da empresa, para poder assim, induzir os consumidores a acreditar no produto que ele esta vendendo.

  • 2.2 Conceito de endomarketing:

O conceito de endomarketing cresceu muito conforme o tempo e hoje poderia ser a iniciativa da empresa de tomar decisões no sentido de proporcionar um melhor

11

nível de informação interno, para que os seus funcionários tenham uma maior participação no que a empresa esta fazendo, integrando assim seus empregados à situação da empresa. Toda e qualquer atitude de comunicação entre liderança e subordinado (face a face) é entendido como uma atitude de endomarketing.

Endomarketing é, portanto, uma das principais estratégias de gestão de pessoas nas empresas que buscam não apenas sucesso em termos de mercado, mas a perenização. BRUM (2010, pag. 22)

A origem do endomarketing não é documentada, mas é relatado que ele sempre foi usado pelas empresas, embora tenham utilizado de técnicas e estratégias mais arrojadas nos anos de 1980 e 1990, na necessidade de se tornarem mais competentes que os sindicatos na comunicação com seus funcionários. As pessoas acreditavam que o endomarketing havia sido criado com um único objetivo, o de fazer com que os empregados tomassem conhecimento das decisões,

do lançamento de um novo produto ou de uma nova estratégia, primeiro que os consumidores. Neste caso ao comunicar primeiro internamente, a empresa estaria garantindo a satisfação de seus funcionários. Endomarketing é uma palavra registrada pelo INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial) no Brasil, em 1996, por Saul Faingaus Bekin, como resultado

de sua experiência profissional. A palavra “endo” é de origem grega e significa “ação

interior ou movimento para dentro”. O endomarketing pode ser descrito, portanto como a necessidade de estar sempre atento ao seu publico interno, ou seja, a cada célula, departamento e colaboradores da empresa, englobando temas como motivação, comunicação, comprometimento e valores. Quando o endomarketing é usado como ferramenta de comunição interna, faz com que os funcionários passem a entender os objetivos principais da empresa, ou seja, sua visão e missão, o endomarketing tenta fazer o seu funcionário "pensar" como a empresa, tornando-o assim parte de um todo interligado por um só objetivo, o aumento de eficiência faria com que a empresa os premie de alguma forma, seja por remuneração, promoção ou qualquer outro tipo de vantagem. Por esse motivo o endomarketing auxilia também para como o cliente esta satisfeito com a empresa e com seus serviços. Hoje as empresas Brasileiras parecem já ter entendido que ambientes de

12

trabalho sem informação, motivação, gera trabalho triste e desunido. O endomarketing seria o fator principal para fazer com que o ambiente de trabalho vire um lugar agradável e entusiasmante.

O endomarketing tem como objetivo realizar e facilitar trocas, construindo lealdade no relacionamento das pessoas com seu cliente interno, compartilhando seus objetivos, cativando e cultivando certa harmonia para fortalecer as relações interpessoais e, principalmente, a comunicação interna. BEKIN (2000)

Pode-se definir novamente o endomarketing de uma maneira mais simples, contudo para isso teria de se falar sobre o amor, não aquele sentido por outra pessoa, mas visto como as ações de uma pessoa em relação a outra.

Hoje não podemos mais falar sobre uma empresa sem pensar no amor, já que as empresas são feitas de pessoas e o amor é algo que permeia todo e qualquer tipo de relacionamento. BRUM (2010, Pag. 23)

Medeiros Brum autor do livro “Um olhar sobre o Marketing Interno” (2000) exibe no decorrer do seu livro exatamente o que seria o amor como estratégia de endomarketing, em uma de suas passagens menciona na seguinte frase o conceito de endomarketing “Dar ao funcionário educação, carinho e atenção, tornando-o preparado e bem informado para que possa torna-se, também, uma pessoa criativa e feliz capaz de surpreender, encantar e entusiasmar o cliente.” Esta citação revela exatamente a relação de amor que deve ser estabelecida entre uma empresa e seus empregados, determinando a necessidade de instrumentos e ações de comunicação entre as duas partes.

2.3 Comunicação interna:

No capitulo anterio foi visto que o endomarketing é qualquer ato que a empresa faz para estimular positivamente os sentidos dos funcionários permitindo relacionamentos duradouros e produtivos com a organização. Sempre os informando sobre o que acontece no ambiente interno, fazendo assim com que o funcionário se sinta parte importante e fundamental da empresa. A comunicação entre a empresa e o funcionário é algo importante em qualquer lugar.

Existem empresas que são verdadeiros exemplos de comunicação

13

com os funcionários. Algumas, inclusive, obtiveram sucesso fazendo da instituição a sua estratégia. Outras buscaram profissionais especializados que criaram e implementaram competentes processos de comunicação interna, sem os quais não imaginam viver. BRUM (2010)

A comunicação interna é algo fundamental em qualquer instituição, mas a comunicação verbal muitas vezes é falha, pelo simples processo da falha de comunicação, Medeiros Brum no livro “Um olhar sobre o marketing interno” diz o seguinte sobre a comunicação nas empresas “Algumas o fazem não apenas por considerarem importante, mas porque o seu tipo de negócio exige.” Com base nisto entendesse o porquê de alguns funcionários se sentirem menosprezados dentro das organizações, Mazur (1999) divulgou na The Marketing & Comunnications (MCA) and MORI, uma pesquisa com empregados de uma empresa inglesa com aproximadamente 1.000 funcionários, onde a maioria mostrou sentir-se subestimada, desprezada e sem confiança nos lideres de suas organizações e em suas visões. Segundo a autora, não é mais suficiente enviar cartas e realizar comemorações anuais para garantir a felicidade de um funcionário. Um colaborador que não é ouvido se sente excluído da empresa. Para defender este aspecto Bernadi (1998, pag.13) ressalta:

Mais do que atrativos materiais, uma das coisas que mais impacta diretamente a satisfação das pessoas é a qualidade de comunicação dentro da empresa. É importante para qualquer funcionário, do mais baixo ao mais alto escalão, do menos qualificado ao mais preparado, ter liberdade de expressão. Isso traz a sensação de estar sendo ouvido e de poder mudar coisas. O empregado sente que tem influência na organização do trabalho, na qualidade dos produtos, nos processos da empresa. Esse tipo de clima, enfim, dá ao funcionário a segurança de poder discordar da opinião dos superiores sem que isso lhe cause problemas.

Definir um programa de comunicação interno é fundamental. Quando não é corretamente empregado, ou, pior ainda, quando são totalmente desprezados os resultados podem ser traumáticos, podendo levar a conflitos internos, o que

14

prejudicaria o ambiente, fazendo assim o desempenho organizacional cair drasticamente. Bekin expõe no seu livro “Endomarketing: Como Praticá-lo com Sucesso” que o segundo fundamento do Endomarketing, contempla a preocupação com a comunicação. E diz que os melhores instrumentos de comunicação interna eficientedevem ser "por meio de boletins, house organs, circulares, quadros de avisos" alem da comunicação telefônica e eletrônica. "Todos esses recursos estão à disposição para ampliarmos os efeitos da comunicação inerentes ao conceito de endomarketing."

2.4 Objetivo do endomarketing em uma instituição:

No conceito de endomarketing foi dito uma previa de qual seria o objetivo do endomarketing dentro das empresas, mas mesmo não sendo uma organização o endomarketing pode ser utilizado em outros lugares, afinal ele tende a dar ao funcionário informações a fim de que se torne mais motivado, criativo e feliz dentro da empresa. Este estudo relata sobre o endomarketing como fator de desenvolvimento profissional, utilizando-o em uma instituição de ensino, o endomarketing poderia motivar tanto os funcionários (que seriam os professores), quanto os clientes (que neste caso seriam os alunos). Saul Faingaus Bekin Afirma que o endomarketing sempre existiu, ainda que de maneira informal e intuitiva, só o ato de dar ao funcionário participação na empresa, ou mostrar na empresa um reconhecimento por aquilo que ele conquistou já seria um ato de endomarketing. Ou seja, o endomarketing deseja atrair seu cliente interno - os funcionários com a função de obter resultados eficientes para a empresa. Atraindo assim seus clientes externos. No ambiente escolar os murais, comunicados, e outras coisas que a escola utiliza são todos, meios de comunicação interna, a implementação do endomarketing para motivar os alunos, séria neste caso apenas o fato de se comunicar com os alunos, mas com estratégias. Os canais usados pela escola para transmitir alguma coisa aos alunos são pouco ardilosos, como por exemplo, os murais, os cartazes (que são vistos, mas não notados), o endomarketing como dito anteriormente “é a comunicação interna feita

15

com brilho, cor, imagens, frases de efeito e outros recursos e técnicas de marketing”,

ou seja, o endomarketing e a comunicação interna andam juntos, mas seu

diferencial é que este não apenas informa como também faz com que sua informação seja observada. Com frases simples e locais estratégicos para serem colocados, os meios de comunicação seriam notados com mais facilidade pelos alunos. Medeiros Brum completa dizendo no livro “Um olhar sobre o marketing interno” que:

Para gerar impacto no comportamento do funcionário, o estímulo precisa obedecer a três dimensões específicas:

Personalização O nível de personalização depende de como a forma e o conteúdo da comunicação interna se ajustam ás características do público ao qual se destina. Quanto mais pessoal e menos formal for à mensagem, maior o êxito. Interatividade O nível de interatividade depende da velocidade e do incentivo ao retorno que a comunicação interna provoca no funcionário. A comunicação de mão dupla é sempre importante para qualquer processo de gestão, pois permite saber o que pensa e como se sente o funcionário diante daquilo que lhe foi informado. Impacto Sensorial O nível de impacto sensorial torna-se alto quando o funcionário pode ver, ouvir, sentir, cheirar e experimentar a informação. Esse tipo de estímulo é ideal para o lançamento de novos produtos e/ou serviços, quando o objetivo é fazer com que ele acredite e aprecie aquilo que vai produzir, vender ou simplesmente manipular.

Como mostrado o endomarketing usado na empresa faz com que os funcionários não só recebam as informações, mas também procurem por elas, do mesmo modo a escola deve "despertar" no aluno o interesse por novas informações, mas como ela pode fazer isso, por estudar o comportamento de seus alunos assim como a empresa estuda o comportamento de seus colaboradores. O que incentivaria o aluno a ler um aviso no mural? Como fazer com que informações vitais sejam passadas aos alunos e tenham o feito esperado neles? O endomarketing visa responder essas perguntas, sendo de grande auxilio para as escolas, pois ele próprio auxilia tanto na administração da escola, como no aprendizado dos alunos. Analisemos a primeira questão, o que incentiva os alunos a lerem um

16

aviso/informação no mural?

A escola tem como “cliente” principal o aluno, então ela deve visar formar

profissionais que se adaptem ao seu ambiente, ou seja, profissionais preparados para desenvolver uma grande gama de ações, mas como se sabe nem todos os alunos em geral, não tem essa visão de mercado, e cabe a escola “dar” essa visão para o aluno, ou seja, orienta-lo para que ele possa ter uma “pré-experiência” de mercado. Muitas vezes para integrar o aluno as suas ações a escola usa informações dispostas em murais para que os alunos leiam e assim fiquem a par de todas as ações internas e externas que ocorre dentro da instituição, mas o que faz com que

os alunos leiam essas informações? Como visto o endomarketing é a comunicação interna feita com brilho, cor, imagens, frases de efeito e outros recursos e técnicas de marketing, do mesmo modo a escola deve usar técnicas de marketing que atraiam os alunos para as informações que ela acha de vital importância para tais, que ajudem a formar o perfil de funcionário que o mercado procura e precisa. Como fazer com que informações vitais sejam passadas aos alunos e tenham o efeito esperado neles? De nada vale uma informação se ela não é lida analisada e posta em pratica, do mesmo modo, as informações que a escola passa para os alunos deve ser bem analisada ajudando os alunos em algum sentido, mas como esta pode saber que foram assimiladas pelos alunos, a escola deve manter estreita relação com os estudantes, dispondo sempre de uma via aberta de comunicação com eles, mas como poderia fazer isso? Uma ideia que é usada em escolas são as chamadas “caixas de sugestões e reclamações”, com ela pode-se ter a noção de como as informações passadas para os alunos os tem afetado, e também ela pode ter uma ideia de que maneiras a escola pode se “adaptar” para melhor se adequar aos alunos, seus “clientes” principais, e desse modo melhor realizar seu trabalho de criar

profissionais ativos no mercado, que sejam adaptáveis às circunstancias de mercado.

17

  • 3 ETEC PROFESSOR APRÍGIO GONZAGA

3.1 Historia

A ETEC Aprígio Gonzaga é uma das escolas mais conhecidas e renomadas da Zona leste da cidade de São Paulo, criada na década de 50 (Ato de Criação da Escola: Lei 2.663 de 21/01/54) foi nomeado como Escola Artesanal da Penha e era mantida pela Secretaria da Educação. O Professor Aprígio Gonzaga foi um dos percussores da educação profissional em São Paulo, e fundou dois colégios e educação profissional masculina e feminina, ETEC Getúlio Vargas e ETEC Carlos de Campos, respectivamente em 1911. Em 1994 a ETEC Aprígio foi transferida para o Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza (CEETEPS). A ETEC Prof. Aprígio Gonzaga é um exemplo de perseverança, dedicação ao trabalho e respeito à sua comunidade. A primeira Sede da ETEC foi construída no ano de 1947, mas só começou a funcionar em 03 de novembro de 1958, com a lei de criação nº 822 de 03 de novembro de 1950. Nessa época a escola ficava localizada na Rua Guaiaúna , 751 - Penha, e o diretor era Mario Augustos Martins e somente os homens podiam ingressar na escola. Eram oferecidos os cursos de mecânica de automóveis, desenho técnico e pré-industrial. Depois de alguns anos passou a ser uma escola industrial com equipamentos avançados para a época. Devido aos grandes acidentes decorridos de enchentes na Rua Guaiaúna em que o prédio era interditado seguidas vezes, a escola mudou seu endereço para a Avenida Doutor Orêncio Vidigal, 212 Penha, onde está situado até hoje. Eram oferecidos os cursos de Secretariado, Desenho Mecânico, e Eletrônica. Em 1994 a ETEC Professora Aprígio Gonzaga foi transferida para o Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza, e por conta disso o leque de cursos oferecidos aumentou e muito, sendo que hoje em dia os cursos oferecidos são: Técnico em Administração, Técnico em Agenciamento de Viagem, Técnico em Eletrônica, Técnico em Logística, Técnico em Projetos de Mecânica, Técnico em Secretariado e Técnico em Segurança do Trabalho, além de oferecer o Ensino Médio no período da manha e a ETEC Aprígio é considerada hoje em dia uma das melhores escolas mediante o curso do Ensino Médio.

18

A partir do ano de 2009 com o plano de expansão tido pelo Governo do Estado

de São Paulo para as ETEC’s, a ETEC Professor Aprígio Gonzaga ganhou três

classes descentralizadas, onde são oferecidos cursos técnicos no período noturno, respectivamente:

E.E. Maria Carvalho Senne (Vila Ré): que possui os cursos Técnicos em Administração, Técnico em Logística, e Técnico em Informática. E.E. Cel. Ary Gomes (Guarulhos) que possui o curso Técnico em Administração e Técnico em Logística CEU Quinta do Sol (Cangaíba) que possui o curso Técnico em Administração, Técnico em Informática e Técnico em Logística.

3.2 Atos legais de Criação e Funcionamento da ETEC Professor Aprígio Gonzaga

  • Ato de Criação da Escola: Lei 2.663 de 21/01/54

  • Integração ao CEETEPS: Decreto Estadual nº 37.735 de 27/10/93 publicado no DOE em 28/10/93

DOCUMENTOS LEGAIS DE APROVAÇÃO DOS CURSOS

  • Técnico em Segurança do Trabalho - Portaria CETEC-2 de 05/01/2009

  • Técnico em Eletrônica e Técnico em Projetos de Mecânica - Portaria CETEC- 4 de 06/01/2009

  • Técnico em Administração, Técnico em Contabilidade, Técnico em Logística e Técnico em Secretariado - Portaria CETEC-6 de 06/01/2009.

  • Técnico em Agenciamento de Viagem - Portaria CETEC-8 de 06/01/2009

  • Técnico em Informática - Portaria CETEC-10 de 06/01/2009

**CETEC - Coordenadoria de Ensino Médio e Técnico

  • 3.3 Normas de Convivência escolar da ETEC Professor Aprígio Gonzaga

    • É expressamente proibido jogo de cartas (baralho, carteado, truco, etc) nas dependências da Unidade Escolar.

19

  • É proibida a afixação de cartazes na escola sem a devida autorização da Direção Escolar.

  • Quaisquer atitudes de desrespeito ou brincadeiras inadequadas aos professores, funcionários, colegas e aos demais membros da comunidade escolar serão objeto de aplicação das penalidades contidas no regimento escolar.

  • O trote é expressamente proibido e os alunos envolvidos poderão ser transferidos compulsoriamente da escola de acordo com as normas do Regimento Escolar.

  • Os prejuízos causados por danos nas instalações e equipamentos da escola serão ressarcidos pelo seu autor.

  • Os alunos do Ensino Médio têm tolerância de 10 minutos para entrar na 1ª aula, desde que seja ocasional e autorizado pelo professor. Não será permitida a entrada na 2ª aula.

  • É obrigatório o uso de uniforme para o Ensino Médio.

  • Os alunos do Ensino Técnico têm tolerância de 10 minutos para entrar na 1ª aula, após essa tolerância, poderão entrar somente na 2ª aula, desde que seja ocasional e autorizado pelo professor. A entrada após a 2ª aula não será permitida tanto à tarde como à noite.

  • As saídas de alunos, da unidade escolar, por qualquer outro motivo só poderão ocorrer após o intervalo de cada período.

  • Alunos menores de 18 anos só poderão retirar-se da escola, antes do término das aulas, mediante autorização de pai ou responsável.

  • Alunos maiores de 18 anos só poderão retirar-se da escola antes do término da aula, solicitando autorização para professor ou equipe de direção.

  • Os alunos só poderão entrar e sair da sala de aula com a autorização do professor.

  • É importante que todos identifiquem seus materiais escolares.

  • Evitar trazer para a escola objetos de valor, a não ser que seja extremamente necessário.

  • A escola não se responsabiliza por furtos e perdas, portanto nunca deixar dinheiro, cartão de banco, passes escolares, etc. em sala de aula.

  • É proibido o uso de celular em sala de aula.

20

  • É de responsabilidade do aluno, apresentar justificativa de ausência em avaliações. O professor poderá aplicar outra avaliação mediante análise da justificativa apresentada.

  • É de inteira responsabilidade do aluno que faltar, manter-se informado sobre o conteúdo ensinado e tarefas solicitadas.

3.4 Missão e Visão da ETEC Professor Aprígio Gonzaga

  • Missão

Promover

um

ensino

de

qualidade,

formando

cidadãos

com

amplos

conhecimentos humanísticos, científicos e tecnológicos que garantam a

competência profissional e o exercício efetivo da cidadania.

  • Visão

Em verdade, buscamos a excelência: do saber, do relacionamento humano, da satisfação. "Etec Professor Aprígio Gonzaga tem 90% de seus professores e alunos satisfeitos".

3.5 Características regionais oriundas a ETEC Professor Aprígio Gonzaga:

A Etec Professor Aprígio Gonzaga está localizada a Avenida Doutor Orêncio Vidigal, 212, Penha, na Zona Leste da Capital Paulista. A Penha, além de ser um tradicional bairro na cidade de São Paulo, caracteriza-se por ser um importante centro comercial da região. Até os primeiros anos do século XX, quando a igreja da Penha foi declarada "episcopal santuário" pelo bispo de São Paulo, Dom José de Camargo Barros, a história do bairro, o primeiro da cidade depois da Freguesia da Sé, confunde-se com a devoção paulistana à Nossa Senhora da Penha da França, padroeira de São Paulo por aclamação popular, e com suas numerosas festas de oito de setembro. São Paulo é uma grande metrópole, onde se destacam as atividades industriais, comerciais e de serviços. A cidade possui um grande parque industrial

21

moderno, absorvendo um grande contingente de profissionais de formação técnica. Sua população é constituída de aproximadamente 11 milhões de habitantes, concentrados principalmente nas zonas leste e sul da cidade. A heterogeneidade caracteriza as condições sócio-econômicas da sua população. Existem; no bairro da Penha, lugares de importância cultural e artística, como:

o Museu da Penha, o Teatro Martins Pena, a igreja de Nossa Senhora da Penha e a Capela do Rosário. Por estar localizada próxima a Estação Penha do Metrô, e aos terminais de ônibus, a escola tem sua clientela oriunda de diversos bairros da Zona Leste, bem como, de alguns municípios da Grande São Paulo (Guarulhos, principalmente). Dentro de um complexo centro técnico-educacional, formado pôr mais de 100 escolas, a ETEC Prof. Aprígio Gonzaga é um exemplo de perseverança, dedicação ao trabalho e respeito à sua comunidade. Teve como ponto de partida a criação da Escola Artesanal da Penha na década de 50, cujo objetivo já configurava a formação do aluno através do ensino profissionalizante. Seu patrono, o Professor Aprígio Gonzaga, foi um dos precursores da educação profissional em São Paulo, fundando a Escola Profissional Masculina (hoje, Etec Getúlio Vargas) e a Escola Profissional Feminina (hoje, Etec Carlos de Campos), em 1911. Em 1994, a escola foi incorporada ao CEETEPS com o intuito de centralizar, através da instituição, os novos conceitos e metodologias do ensino profissional para a cidade de São Paulo, o que propiciou um salto qualitativo, sob o ponto de vista administrativo e pedagógico. Durante todos esses anos, a escola sempre buscou desenvolver projetos pedagógicos consistentes para abastecer o mercado de trabalho com mão-de-obra qualificada e formar cidadãos atuantes em sociedade. Está classificada como a 9ª escola pública, nos resultados do ENEM, na cidade de São Paulo e a 2ª escola classificada, na zona leste.

  • 4 MERCADO DE TRABALHO: FATOR EMPREENDEDORISMO

O mercado se encontra em um constante processo de expansão, sempre se

22

atualizando e seguindo as tendência que parecem ser prosperas para gerar novas oportunidades de negócios, e novas oportunidades de emprego em diversas áreas, até mesmo em áreas novas , que estão se estabilizando. Peter Ducker cita no livro "Um olhar sobre marketing interno" o seguinte "O emprego que conhecemos esta deixando de existir”, ou seja, o funcionário de antes já não é o funcionário desejado pelas empresas hoje. O conceito de qualificação para o trabalho hoje esta mudando, os colaboradores desejados já não tem que ter só conhecimento intelectual, as organizações anseiam por habilidades empreendedoras, elas buscam profissionais que saibam lidar com situações difíceis sem desistir.

4.1 Endomarketing x empreendedorismo

O empreendedorismo é o desenvolvimento de competências e habilidades.

O desenvolvimento econômico da sociedade não existiria se não houvesse alguém que constantemente desequilibrasse a produtividade das organizações e das pessoas, introduzindo novas formas de atuar sobre os recursos com ganho econômico sobre as formas preexistentes. LOPES (2010, pag. 4)

No livro educação empreendedora (2010, pag. 4) se define o empreendedor

como “aquele que inova, aquele que propõe formas diferentes de fazer as coisas,”

se este é realmente o empreendedor ou a ação empreendedora considerando o conceito de forma ampla, pode-se aplicar na educação como desenvolvimento da atitude empreendedora. O endomarketing como já visto anteriormente visa a motivação do funcionário,

mas também, resaltando a citação de Medeiros Brum, o endomarketing deseja que o

colaborador se torne “(

...

)

uma pessoa critica e feliz capaz de surpreender, encantar

e entusiasmar o cliente”, ou seja, a definição do empreendedor é o desejo daquele

que aplica o endomarketing a uma empresa. Em uma escola onde a educação é dita boa ou ruim pelo número de alunos que passaram em um vestibular, sem ao menos se preocupar com sua interação no

mercado de trabalho, da ao aluno apenas conceitos e educação formal.

23

Apesar de a educação objetivar a manutenção da sociedade com

sua forma atual, a educação tem em sua essência o progresso

social. O quebra cabeça resultante é, no mínimo, interessante.

LOPES (2010, pag. 4)

Assim pode-se entender que a educação é o caminho para a manutenção da sociedade, e a economia só cresce com novas ideias, ou seja, com pessoas que tenham habilidades empreendedoras. No livro “Educação Empreendedora” é dito que o empreendedorismo:

(

)

visa o desenvolvimento e/ou fortalecimento de:

 

Crenças

Atitudes

Habilidades

Conhecimento

Analisando o que já foi dito no primeiro capitulo vemos que o endomarketing em uma instituição de ensino seria a estratégia para desenvolver empreendedores, ou seja, para se formar alunos que inovam e tem aquilo que as empresas procuram.

4.2 Endomarketing como fator de desenvolvimento profissional

Hoje em dia as empresas procuram profissionais cada vez mais desenvolvidos, e cabe às escolas em seu trabalho formar tais profissionais. Sabe-se que atualmente está cada vez mais difícil formar profissionais preparados para o competitivo mercado de trabalho, por isso, cabe à escola procurar maneiras de adequar os seus alunos a esse novo contexto, uma das ferramentas que a escola pode usar é o endomarketing. Mas, de como a escola pode usar o endomarketing, pra auxiliá-la no desenvolvimento profissional de seus alunos? A escola deve se ver como uma empresa, e seus alunos como funcionários e colaboradores, ela deve usar de estratégia tanto para auxiliar os alunos nas suas escolhas com respeito ao futuro, quanto ao seu aprendizado. Os alunos hoje em dia não tem uma visão de mercado ampla, e muitas vezes não tem uma noção de qual carreira seguir, ou não tem conhecimentos razoáveis sobre a área em que se tem interesse, e cabe à escola por meio de professores, providenciar ações para informação (murais, panfletos, palestras). As palestras ajudam o aluno a ter um

24

conhecimento, para que ele próprio possa conseguir se firmar no mercado de trabalho. Os murais ajudam como meio de pesquisas sobre trabalhos cursos preparatórios e interesses que eles possam ter em algo.

5 PESQUISA COM OS PROFESSORES

Foi feito uma pesquisa (qualitativa) com os professores da ETEC Professor Aprígio Gonzaga para constatar fatos sobre a inteiração “Escola - Professor - Aluno”, tal pesquisa esteve disposta a 60 professores, mas infelizmente foi recebido um numero muito abaixo de pesquisas respondidas, o numero total de 12 pesquisas respondidas, abaixo segue a pergunta os resultados e a analise das pesquisas.

  • 5.1 Você sabe o que é “endomarketing”?

Seis (50%) dos professores entrevistados sabiam o que era endomarketing, e os outros seis (50%) não sabiam. Isso indica que um numero pequeno dos professores tinham conhecimento sobre uma das estratégias de comunicação interna mais usadas hoje em dia, quanto mais informados, mais o professores estarão aptos a treinarem seus alunos e troná- los profissionais empreendedores e aptos ao mercado de trabalho hoje em dia.

  • 5.2 Você pratica “endomarketing” dentro do Aprígio? Se sim, como?

Sete (58%) dos professores não praticam o endomarketing dentro ao Aprígio, e cinco (42%) o praticam. Os professores que praticam endomarketing disseram que o praticam muitas vezes no: no apoio a propagação do nome da ETEC aos alunos e professores, apontando melhorias, por meio de e-mails e comunicação verbal, interagindo (?), levando aos alunos o poder da tecnologia, etc. O uso do endomarketing em instituições de ensino é muito proveitoso para os alunos e a escola, com isso a escola deveria incentivar os professores a usarem mais o endomarketing para auxiliar no desenvolvimento profissional dos alunos.

25

Um (8%) dos professores responderam que não, um (8%) dos professores responderam as vezes e dez (84%) dos professores responderam que sim, todos os que as respostas foram positivas responderam “via e-mail”. Hoje em dia a internet é considerada um dos maiores meios de comunicação, o que ajuda muito no aprendizado dos alunos, e cada vez mais os professores devem ser incentivados a utilizarem a internet não só por ser um meio facilitador como ele próprio possui uma grande gama de informações que poderiam ser utilizadas para apoio ao ensino.

5.3.1 Você concorda que a internet ajuda no aprendizado dos alunos?

Um (8%) dos professores responderam às vezes, e onze (92%) responderam que sim.

  • 5.4 Você conhece o MOODLE?

Um (8%) dos professores responderam que não, um (8%) dos professores

responderam que “um pouco” e dez (84%) dos professores responderam que sim.

Quase todos os professores têm conhecimento dessa grande ferramenta que é o MOODLE, a escola deveria fazê-lo conhecido a todos os professores para que todos tenham acesso e assim possam usá-lo para ajudar no aprendizado.

  • 5.5 Você o utiliza (MOODLE)? Se sim como?

Sete (58%) dos professores não utilizam o moodle para apoio no ensino, e cinco (42%) dos professores não o utilizam. Os professores que o utilizam, utilizam geralmente para postar atividade e receber trabalhos, para apoio ao material didático e para o Ead da pós-graduação. A escola deveria incentivar os professore a usarem o MOODLE, pois por meio dele os alunos teriam acesso a grande parte das matérias dados em aula, e o estudo pós-aula seria mais utilizado, o que auxiliaria e muito o aprendizado dos alunos.

26

  • 5.6 Você conhece a missão, visão e valores do Aprígio?

Dois (16%) dos professores não conheciam, um (8%) dos professores foi incitado a ver no site a ETEC, e ficou sabendo após esta pesquisa, e nove (75%) dos professores conheciam. Se os professores conhecerem a missão da escola, terão em mente suas funções de formar profissionais e o farão da melhor maneira.

  • 5.7 Você participa integralmente das atividades interdisciplinares do Aprígio?

Três (24%) dos professores responderam que não, dois (16%) respondeu quase sempre, e sete (58%) dos professores responderam que participam. Sabe-se que as atividades interdisciplinares que a ETEC realiza, é de grande apoio para o aprendizado dos alunos, por fazerem que com que na maioria das vezes eles busquem informações e participem bastante na parte organizadora, ajudando a aprimorar o trabalho em equipe, os professores deveriam ser incentivados a participarem dessas atividades.

  • 5.8 Que qualidades profissionais você como professor procura desenvolver em seus

alunos? E por quê?

Segue abaixo as respectivas respostas:

Postura profissional, comunicação, interação, formar opinião critica e construtiva. É importante saber se expressar para impactar o ambiente. Formar cidadão e ensinar algo prático e técnico da profissão. Ética, respeito, flexibilidade, autonomia, pro atividade.

Habilidades de comunicação, clareza e objetividade na expressão oral e escrita, formação de pensamento critico reflexivo.

Procuro conscientizá-los das necessidades do mercado Pontualidade e pró-atividade. Ética, responsabilidade, empreendedorismo, liderança, trabalho em equipe Ética, cidadania e qualidade.

27

Por meio das disciplinas, procuro abrir espaço para discussão e ponto de vista, sempre envolvendo no contexto. Desta forma, qualidades como interpretação, compreensão e analise de situação são qualidades que inspiro desenvolver. Resiciência, o aluno tem de ser flexível para sobreviver as pressões do mercado. Habilidades e competências voltadas para a comunicação oral e escrita. Responsabilidade, pró-atividade, assertividade, comprometimento com metas, organização. Como pode ser visto, os professores estão empenhados em desenvolver qualidade muito esperadas nesse mercado competitivo, e que devem ser sempre aprimoradas.

5.9 Você acha que as gincanas proporcionadas pelo Aprígio trazem contribuições para a escola e para o desenvolvimento dos seus alunos?

Dez (84%) dos professores, responderam que sim, um (8%) dos professores

responderam que não, e um (8%) dos professores responderam “se for a beneficio da comunidade”.

Sabe-se que atividade que correlacionam muitas pessoas tem um grande impacto na formação profissional delas, por vivemos num meio totalmente social, e toda nova experiência de socialização é tida com um novo aprendizado no meio social.

5.10 Como você desenvolve o espírito de equipe dos seus alunos?

Respostas dos professores sobre a questão acima:

Através da resolução de problemas

“?”

Atividades em grupo e extra-sala de aula, de forma que possam integrá-los

cada vez mais. Trabalho em equipe o Maximo possível.

28

Seminários, respeito mutuo.

Atividades em grupo.

Através de trabalho em grupo

Por meio de trabalhos em grupo, discussões pertinentes sobre assuntos relacionados ao conteúdo abordado e interatividade.

Com trabalhos em equipe.

Em atividades em sala de aula.

Sim, o Maximo possível.

Trabalhos em grupo, seminários. Hoje o espírito de equipe é muito buscado no mercado de trabalho, e professores devem sempre achar novas maneira de desenvolver esse espírito em seus alunos.

5.11 Dê uma nota de 0 á 10 na interação entre escola aluno.

Uma média de 7,33. A escola deve ter um meio de comunicação estreita com respeito a seus alunos, pois com isso a escola ficará a par de todos os problemas e questões levantadas, e poderá melhor auxiliar os alunos, principalmente com respeito a sua profissionalização.

6 PESQUISA E RESULTADOS

Neste capitulo ira ser mostrado (através de gráficos) a pesquisa desenvolvida e realizada na ETEC Professor Aprígio Gonzaga, com base nos resultados obtidos poderá ser observado os efeitos de gincanas e através do mesmo, ira ser analisado o entrosamento e a desenvoltura da escola com seus alunos.

29

  • 6.1 Gráfico 1:

1 - Idade: Menos de 18 Mais de 30 18 a 30 208 25 1
1 - Idade:
Menos de 18
Mais de 30
18 a 30
208
25
1

Pode-se observar que 208 entrevistados (89% do total) são menores de 18 anos enquanto 25 dos entrevistados ( 10,6% do total) tem de 18 a 30 anos e apenas 1 entrevistado (0,4% do total) tem mais de 30 anos.

  • 6.2 Gráfico 2:

2 - Série:

Médio Concluido 3º Médio 2º Médio 1º Médio 127 36 71 0
Médio Concluido
3º Médio
2º Médio
1º Médio
127
36
71
0

Pode-se observar que 71 dos entrevistados (30,3% do total) são alunos que estão no 2º do médio, enquanto 127 dos entrevistados ( 54,3% do total) estão no 3º do médio e 36 dos entrevistados ( 15,4%) já terminaram o ensino médio. Isto mostra que, a maioria dos estudantes da escola é menor de idade e ainda cursa o ensino médio, ou seja, praticamente todos são adolescentes, então as estratégias de endomarketing a serem desenvolvidas teriam de ser voltadas a um publico jovem.

30

  • 6.3 Gráfico 3:

3 -Trabalha: Não Sim 217 17
3 -Trabalha:
Não
Sim
217
17

Pode-se observar que 17 dos entrevistados (7,2% do total) trabalham, enquanto 217 entrevistados (92,8%) não trabalham. Isto mostra que muitos dos alunos da ETEC Aprígio Gonzaga não estão ainda envolvidos no mercado de trabalho, ainda estão só estudando, a escola pode então explorar melhor sua parte na integração com os alunos para a suas carreiras.

  • 6.4 Gráfico 4:

4 - Gosta de ler: Razoavelmente Não Sim 123 94 17
4 - Gosta de ler:
Razoavelmente
Não
Sim
123
94
17

Pode-se observar que 123 entrevistados (52,6% do total) gostam de ler, 94 dos entrevistados (40,2% do total) gosta de ler razoavelmente e 17 dos entrevistados (7,2% do total) relata que não gosta de ler.

31

6.5 Gráfico 5:

5 - Você costuma ler os cartazes espalhados pela escola:

Sim Não 160 74
Sim
Não
160
74

Pode-se observar que 160 dos entrevistados (68,4% do total) costuma ler os cartazes espalhados pela escola, enquanto 74 dos entrevistados (31,6% do total) não costuma ler. Com os dados do gráfico 4 e 5 pode-se observar que a maioria dos alunos gosta de ler, mas a uma queda quanto aos que costuma ler os cartazes espalhados pela escola, o que deveria ser ao contrario, este ponto é um dos que a escola deve realmente observar, se tantos alunos gostam de ler porque a uma porcentagem tão alta de estudantes que não leem os cartazes que são colocados nos murais? Será que os cartazes estão chamando atenção? Estão no lugar certo? Já vimos pelo gráfico 1 e 2 que o publico de maior quantidade dentro da escola são os adolescentes, que ainda estudam e não trabalham (conforme gráfico 3). A causa dos estudantes não lerem os cartazes pode ser pelo fato dos cartazes não serem voltados tanto para os jovens como se acha. Com isto pode-se ver a importância de um grêmio na escola, para poder ter um maior entrosamento entre diretoria e alunos.

32

  • 6.6 Gráfico 6:

6 - Costuma usar a internet por quanto tempo:

  • Menos de 3h por dia

de 3h a 4h por dia Mais de 4h por dia 108 45 81
de 3h a 4h por dia
Mais de 4h por dia
108
45
81

Observa-se que 108 dos entrevistados (46,2% do total) costumam usar a internet por menos de 3 horas diariamente, 81 dos entrevistados (34,6% do total) utilizam de 3 à 4 horas diariamente, enquanto 45 dos entrevistados (19,2% do total) utilizam a internet por mais de 4 horas por dia.

  • 6.7 Gráfico 7:

7 - Utiliza rede social:

Não Sim 221 13
Não
Sim
221
13

33

Observa-se que dos entrevistados 221 (94,4%do total) utilizam rede social, enquanto apenas 13 entrevistados (5,6% do total) não utilizam. Com base nos dados dos gráficos 6 e 7, a escola pode explorar seu entrosamento com os alunos através da internet, pode-se notar que todos os entrevistados utilizam internet e apenas uma pequena porcentagem não utiliza rede social. A internet esta cada dia mais no convívio das pessoas, seja para estudo, para achar emprego, ou apenas para se comunicar com outras pessoas, sabe-se hoje que a internet é um meio de comunicação extremamente importante, através dela as noticias chegam mais rápido para todas as pessoas do mundo. Mesmo a escola tendo o MOODLE onde deveria acontecer um entrosamento entre professores e alunos, e mesmo os professores sabendo usar este sistema, o Aprígio não teve sucesso com isto, sendo assim a ideia de se entrosar com os alunos através da internet foi deixada para lá, o que na verdade deveria ter sido o contrario, através de pesquisas poder-se-ia saber qual o motivo de não ter dado certo o MOODLE. Será que era difícil de usar? O publico alvo deste programa eram os alunos, mas estes foram pesquisados?

6.8 Gráfico 8:

8 - Tem acesso a internet pelo celular: Não Sim 136 96
8 - Tem acesso a internet pelo celular:
Não
Sim
136
96

Pode-se observar que 136 entrevistados (58,6% do total) têm acesso à internet pelo celular, enquanto 96 dos entrevistados (41,4% do total) não têm.

34

Isto mostra o potencial que a escola poderia explorar na área da internet, como visto nos gráficos 6 e 7 o acesso a internet é muito fácil para os alunos, e agora com base nos resultados obtidos pode-se observar que mais da metade tem acesso a internet pelo celular, e este numero só tende a crescer, os celulares que utilizam wi-fi hoje estão cada vez mais barato, e o acesso a internet pelos alunos já é algo que vem sendo a cada ano mais comentado, o acesso a internet em todos os lugares já é algo comum. A própria instituição em si tem wi-fi e muitos alunos usam esta rede para fazer trabalhos na própria escola, mas isto pode ser melhor explorado criando então uma rede para comunicação de alunos com professores divulgando tudo o que ocorre na escola e fazendo assim os alunos interagirem mais com a própria instituição, não só um canal de comunicação entre professor e alunos, mas um canal onde os antigos estudantes possam se comunicar com os atuais, trocando experiências entre si, divulgando algo em que estão envolvidos, fazendo com quem é e com quem não é da escola se motivarem a continuar nela, e assim se esforçar mais.

6.9 Gráfico 9:

9 - Você conhece a missão e visão do Aprígio: Não Sim 187 47
9 - Você conhece a missão e visão do
Aprígio:
Não
Sim
187
47

Estes dados mostram que 187 dos entrevistados (80% do total) não conhecem a missão e visão do Aprígio, enquanto 47 dos entrevistados (20% do total) responderam que conhecem. Isto mostra que a missão e visão do Aprígio são desconhecidas por uma porcentagem muito alta dos estudantes, sendo assim uma coisa ruim, pois com base nesses dados pode-se supor que a escola não esta comprometida em mostrar aos seus alunos suas reais intenções. Como foi relatado no 1º capitulo os funcionários

35

quando estão informados sobre sua organização se sentem mais uteis para a empresa, o mesmo ocorre com os estudantes.

6.10 Gráfico 10:

10 - Você participa das atividades que o Aprígio faz com os alunos: Não Sim 142
10 - Você participa das atividades que o
Aprígio faz com os alunos:
Não
Sim
142
92

Pode-se observar que 142 dos entrevistados (60,6% do total) participam das atividades desenvolvidas pela escola, enquanto 92 dos entrevistados (39,4% do total) não participam.

Com base no gráfico 10 percebe-se que a maioria dos alunos da ETEC Aprígio tem participação ativa nas atividades desenvolvidas pela escola, isto pode ser considerado bom, pois por meio de atividades envolvendo vários alunos o espírito de liderança e equipe é desenvolvida com maior facilidade, sendo que estas qualidades são muito procuradas no novo contexto do mercado de trabalho.

6.10.1 Gráfico 10 (b):

10 - (b) Tipo de influência que as atividades trouxeram para sua vida:

Amizades Características 1 Características 0 profissionais pessoais Diferencial no mercado de trabalho Prejudicou Contribuiu Indiferente 1
Amizades
Características
1
Características
0
profissionais
pessoais
Diferencial no
mercado de trabalho
Prejudicou
Contribuiu
Indiferente
1
136
168
191
30
79
85
54
142
1

36

Pode-se observar que 136 dos entrevistados (61,3% do total) dizem que as atividades desenvolvidas pela escola trouxeram uma contribuição na característica pessoal deles, já 85 dos entrevistados ( 38,3% do total) dizem que não interferiu em nada, enquanto 1 dos entrevistados (0,4 do total) diz ter prejudicado suas características pessoais. Enquanto sobre as características profissionais observa-se que 168 dos entrevistados (75,7% do total) dizem ter contribuído, enquanto 54 dos entrevistados (24,3% do total) vê isto como indiferente, e nenhum entrevistado relata ter sido prejudicado com isto. No diferencial no mercado de trabalho foi relatado que 142 dos entrevistados (64% do total ) dizem que a influencia das atividades contribuíram para sua vida, já 79 dos entrevistados (35,6% do total) relatam indiferença sobre isto, e apenas 1 dos entrevistados (0,4% do total) diz terem sido prejudicado. Na influencia das atividades sobre amizade 191 dos entrevistados (86,1% do total) dizem ter contribuído, enquanto 30 dos entrevistados (13,5% do total) relatam indiferença sobre isto e apenas 1 dos entrevistados ( 0,4% do total) diz ter sido prejudicado. Isto mostra que as atividades (gincanas) desenvolvidas pela escola surgem efeitos positivos nos estudantes, o que se pode observar é que os dados de contribuição tem uma porcentagem bastante elevada, mas isso deve apenas crescer conforme o tempo.

6.11 Gráfico 11:

11 - Em sua opinião a escola interage com os alunos:

Sim Não 179 55
Sim
Não
179
55

37

Pode-se observar que 179 dos entrevistados (76,5% do total) relatam que a escola interage com os alunos, enquanto 55 dos entrevistados (23,5% do total) relatam que não. Com esses dados se observa que a ETEC Aprígio Gonzaga interage com seus alunos, e a escola pode explorar mais esta interação, pois esses dados ainda mostram que a uma boa porcentagem de alunos que não se sentem interagidos com a escola.

6.12 Gráfico 12:

12 - De uma nota de 0 á 10 na interação entre escola e aluno:

19 2 5 3 1 4 4 7 0 4 2 3 14 22 10 74
19
2
5
3
1
4
4
7
0
4
2 3
14
22
10
74
76
10
8 9
5 6

Neste gráfico observa-se que quatro dos entrevistados (1,7% do total) deram nota 0 para a escola, dois deles (0,8% do total) deram nota 1, enquanto três dos entrevistados (1,3% do total) deram nota 2 a escola, já cinco (2,1% do total) deram nota 3, dez (4,3% do total) deram nota 4, vinte dois (9,4% do total) deram nota 5, dezenove ( 8,1% do total) deram nota 6, setenta e quatro (32% do total) deram nota 7, setenta e seis (32,6% do total) deram nota 8, catorze (6% do total) deram nota 9 e quatro dos entrevistados (1,7% do total) deram nota 10 para a interação entre escola e aluno.

38

6.13 Gráfico 13:

13 - Em quantas atividades escolares você já participou:

Gincana 121 193 18 126 130 Já participaram Paulo Freire tecnocultural Semana Feira Feira do livro
Gincana
121
193
18
126
130
Já participaram
Paulo Freire
tecnocultural
Semana
Feira
Feira do livro
Feira tecnocultural
Feira escolar
0
50
100
150
200
Feira escolar
Gincana
Feira do livro
Semana Paulo Freire

Observa-se que 130 dos alunos entrevistados já participaram da feira escolar, 126 já participaram de gincanas, 18 já participaram de uma feira do livro, 193 já participaram de uma feira tecnológica e 121 já participaram da semana Paulo Freire. Com base nesses dados pode-se afirmar que a maioria dos alunos aqui entrevistados já participou de uma atividade escolar. E foi visto que muitos nunca foram a uma feira do livro, algo que a escola poderia explorar mais para o desenvolvimento cultural dos seus estudantes.

39

6.14 Gráfico 14:

14 - Você acha importante a interação escola aluno:

Sim Não 230 4
Sim
Não
230
4

Neste gráfico observa-se que 230 dos entrevistados (98,3% do total) acha importante a interação escola aluno, enquanto 4 dos entrevistados (1,7% do total) não acham. Com base nesses resultados pode-se então confirmar que a grande maioria dos estudantes entrevistados acha importante a interação da escola com os alunos, a escola então pode explorar mais esta área através da internet como foi relatado no gráfico 6 e 7.

40

6.15 Gráfico 15:

15 - Com que intensidade você acha que as caracteristicas abaixo são trabalhadas em uma gincana aqui no Aprígio:

Foco nos resultados Responsabilidade social Trabalho em equipe Trabalho sobre pressão Espirito de liderança Desenvolvimento estratégico
Foco nos resultados
Responsabilidade social
Trabalho em equipe
Trabalho sobre pressão
Espirito de liderança
Desenvolvimento estratégico
Organização
Superação de limites
Improvisação
Cooperação
Competitividade
Integração
 

0

20

40

60

80

100

120

140

 

Espiri

lidera

to de

Traba

em

lho

Super

ação

de

result

Foco

nos

onsab

ilidad

Resp

Integr

ação

Comp

etitivi

eraçã

Coop

Impro

visaç

nvolvi

Dese

ment

o

nizaç

Orga

Traba

sobre

lho

nça

equip

limite

ados

e

dade

o

ão

estrat

ão

press

e

s

social

égico

ão

  • Não trabalhada

10

3

24

9

 
  • 12 13

7

 

18

  • 10 18

  • 24 34

 
  • Pouco trabalhada

62

39

83

51

 
  • 51 44

41

 

61

  • 58 61

  • 72 64

 
  • Trabalhada

117

113

99

136

111

118

89

125

93

 
  • 94 70

100

 
  • Muito trabalhada

44

78

27

38

54

34

75

35

45

 
  • 30 51

39

 

41

Pode-se observar que 10 dos entrevistados dizem que dentro de uma gincana no Aprígio o espírito de liderançanão é trabalhado, enquanto 62 dos entrevistados dizem que é pouco trabalhada, já 117 dizem que esta característica é trabalhada e 44 dos entrevistados dizem ser muito trabalhada. É relatado que 3 dos entrevistados dizem que o trabalho em equipenão é trabalhado em uma gincana, enquanto 39 dos entrevistados relatam ser pouco trabalhada, já 113 dos entrevistados dizem ser trabalhada e 78 dos entrevistados dizem ser muito trabalhada. Já 24 dos entrevistados dizem que a superação de limitesnão é trabalhada em uma gincana na ETEC Aprígio, enquanto 83 dos entrevistados dizem ser pouco trabalhada, já 99 dos entrevistados expõem ser trabalhada e 27 dos entrevistados dizem ser muito trabalhada. É visto também que 9 dos entrevistados falam que o foco nos resultadosnão é trabalhada em uma gincana na ETEC Aprígio, enquanto 51 dos entrevistados dizem ser pouco trabalhada, já 136 dos entrevistados contam ser trabalhada e 38 dos entrevistados relatam ser muito trabalhada. Observa-se que 12 dos entrevistados dizem que a responsabilidade social não é trabalhada em uma gincana na ETEC Aprígio, enquanto 51 dos entrevistados contam ser pouco trabalhada, já 111 dos entrevistados relatam ser trabalhada e 54 dos entrevistados falam ser muito trabalhada. Os dados mostram que 10 dos entrevistados dizem que a integraçãonão é trabalhada em uma gincana na ETEC Aprígio, enquanto 58 dos entrevistados falam ser pouco trabalhada, já 118 dos entrevistados dizem ser trabalhada e 34 dos entrevistados relatam ser muito trabalhada. Já a competitividadepara 7 dos entrevistados não é trabalhada em uma gincana na ETEC Aprígio, enquanto 41 dos entrevistados dizem ser pouco trabalhada, 89 dos entrevistados relatam ser trabalhada e 75 dos entrevistados falam ser muito trabalhada. Sobre a cooperação13 dos entrevistados dizem não ser trabalhada em uma gincana na ETEC Aprígio, enquanto 44 dos entrevistados contam ser pouco trabalhada, já 125 dos entrevistados falam ser trabalhada e 35 dos entrevistados dizem ser muito trabalhada.

42

Já na “improvisação” 18 dos entrevistados dizem não ser trabalhada em uma

gincana na ETEC Aprígio, enquanto 61 dos entrevistados relatam ser pouco

trabalhado, já 93 dos entrevistados falam que é trabalhada e 45 dos entrevistados contam ser muito trabalhada.

Em diagnostico sobre o “desenvolvimento estratégico” em uma gincana, 24 dos

entrevistados relataram que esta característica não é trabalhada, enquanto 72 dos entrevistados disseram ser pouco trabalhada, já 94 dos entrevistados falaram ser trabalhada e 30 dos entrevistados contaram ser muito trabalhada. Observa-se que na “organização” como característica desenvolvida em uma gincana, 18 dos entrevistados dizem que não é trabalhada, enquanto 61 dizem ser

pouco trabalhada, já 100 dos entrevistados relatam ser trabalhada e 39 dos entrevistados relatam ser muito trabalhada.

E no “trabalho sobre pressão” como característica desenvolvida em uma

gincana, 34 dos entrevistados dizem não ser trabalhada, enquanto 64 dos entrevistados relataram ser pouco trabalhada, já 70 dos entrevistados falaram ser muito trabalhada e 51 dos entrevistados contaram ser muito trabalhada. Com base nesses dados pode-se observar que todas as características mostradas acima para a maioria dos alunos tem uma intensidade boa, mais a metade relatou, em todas as características, que são muito trabalhadas ou

trabalhadas em uma gincana, estas características são habilidades procuradas no mercado de trabalho, desenvolve-las através de gincanas e atividades é algo muito apropriado para o desenvolvimento profissional dos estudantes, o que a escola deve explorar agora é como aumentar essa porcentagem positiva, ate por que ainda se tem uma quantidade significante de pessoas que vem estas características não trabalhadas em uma gincana.

7 ENDOMARKETING NO AMBIENTE ESCOLAR

Neste capitulo será relatado como o uso do endomarketing pode beneficiar o ambiente escolar e todos aqueles que fazem parte e compõem o mesmo. Explanando o que a escola não possui, e através das pesquisas feitas e dos resultados obtidos mostrar o que a escola pode explorar para melhoria da sua grade

43

de projetos. Abordando questões referentes a projetos que poderiam beneficiar os alunos, e ajudar em sua vida estudantil e profissional, devido à necessidade de interação com os demais membros da escola, e saber utilizar da melhor forma possível o tempo que passam no ambiente escolar.

7.1 A Utilização do Grêmio

O grêmio é utilizado nas escolas, para ser o veículo que os alunos têm para promoverem mudanças e melhoras no ambiente escolar. Geralmente é utilizado para criar eventos, melhorar algo que não esteja de acordo com a situação da escola, ou simplesmente, para manter a ordem e a organização da grade da escola. É um processo democrático, afinal é dever de a escola promover a participação

de seus alunos em questões sociais. Na lei Nº 7.398, de novembro de 1985, foi declarado o seguinte:

Art. 1º Aos estudantes dos estabelecimentos de ensino de 1º e 2º graus fica assegurada a organização de Grêmios Estudantis como entidades autônomas representativas dos interesses dos estudantes secundaristas, com finalidades educacionais, culturais, cívicas, desportivas e sociais. § 1º (Vetado.) § 2º A organização, o funcionamento e as atividades dos Grêmios serão estabelecidas nos seus Estatutos, aprovados em Assembleia Geral do corpo discente de cada estabelecimento de ensino, convocada para este fim. § 3º A aprovação dos Estatutos e a escolha dos dirigentes e dos representantes do Grêmio Estudantil serão realizadas pelo

voto direto e secreto de cada estudante, observando-se, no que couber, as normas da legislação eleitoral.

Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

44

Art. 3º Revogam-se as disposições em contrário. Brasília, em 4 de novembro de 1985. 164º da Independência e 97º da República.

Com isso pode-se entender a importância do grêmio dentro de uma escola, mas é necessário também que sejam escolhidos alguns representantes para cada sala e esta escolha deve ser feita por meio de votos, todos os alunos tem de estar plenamente de acordo com o que foi escolhido, dessa forma são feitos os grupos. Depois do processo de escolha, cada grupo já formado tem que estabelecer quais são suas metas e quais suas propostas, para ajudar a melhorar o ambiente escolar, de uma forma que seja benéfica para todos os que lá estão.

É necessário que todas as propostas sejam muito bem analisadas e revistas se necessário para depois serem enviadas à coordenação escolar. Dadas às opiniões, a coordenação escolhe qual grupo foi o melhor no termo de propostas e decide realizar o projeto proposto, sendo este, possível na situação escolar.

7.2- O Fator da Internet na Escola:

É realmente proveitoso a escola ter uma página na internet, pois este é hoje um dos maiores veículos de informação, utilizado por grande parte das pessoas. Podendo ficar acessível aos alunos, quando estiverem fora do ambiente escolar, pois como analisados nas pesquisas, grande parte dos estudantes tem internet, e passam boa parte do seu tempo neste local, como visto 34,6% dos alunos utilizam internet por uma média de 3h ao dia, e a escola utilizando esse meio poderia informar os alunos sobre atividades de uma forma rápida e extremamente prática. Uma pagina no “Facebook”, (rede social mais utilizada por jovens nesse momento) seria uma das melhores maneiras da escola passar informações para os alunos, como por exemplo, avisos de que não haverá aula, comunicados sobre atividades que serão realizadas na ETEC, comunicado sobre reunião de pais etc., vê-se que hoje em dia muitas escolas tomam parte dessa nova ferramenta que é a rede social, pois por meio dela a escola pode tanto passar informações como recebê-las gerando assim um intercambio comunicativo, e como demonstrado nos

45

gráficos 94,4% dos alunos acessam uma rede social. Seria proveitoso no sentido de algumas atividades curriculares poderem ser dadas no ambiente online, visando uma forma mais descontraída para avaliar os alunos e receber resultados satisfatórios, é claro que para estabelecer atividades desse tipo é necessário ver se é possível com a matéria em questão, e fazer testes com os próprios alunos, para verificar o sucesso desse projeto. É preciso saber que, é dever da escola dar condições, para que seus alunos possam progredir e obter um maior aprendizado não apenas com o que é dado em sala de aula, mas também com as situações positivas que ocorrem na escola, que sempre deve ter a imagem de um ambiente inspirador. Também é dever do aluno que frequenta o ambiente escolar saber como utilizar tudo o que é oferecido pela escola e retirar disso seu aprendizado da melhor forma possível. O aluno deve saber respeitar o ambiente escolar, visando que este é representante e parte fundamental de sua formação como cidadão.

7-3 Endomarketing como fator de Otimização

Dentro do ambiente escolar e sua grade de projetos a serem realizados, o endomarketing entra como o fator que vai melhorar tudo o que é proposto de uma forma que seja extraído bons resultados. É preciso ter o conhecimento de que os resultados que são esperados, não virão de forma imediata, afinal, é precisa-se tempo para que os projetos sejam aperfeiçoados e comecem a oferecerem resultados satisfatórios. O endomarketing também vai ser um fator que ira organizar o processo de transmissão entre uma etapa e outra até chegar à meta estabelecida anteriormente. É importante ter cada detalhe muito bem esquematizado para que, caso ocorra algum erro ou algum fator que atrapalhe o processo, possa ser corrigido da forma mais rápida.

7.4- Questões escolares

O endomarketing dentro do ambiente institucional seria utilizado para melhorar as condições das questões escolares, como funcionamento, manutenção,

46

gerenciamento e até pode ser aplicado dentro da sala de aula. Dentro da escola temos o padrão de ambiente extremamente padronizado sem muitas possibilidades de mudanças e questionamentos. O endomarketing entra para dar condições para essas mudanças não apenas no ambiente da gestão da escola, mas também da chance aos próprios alunos de participarem das decisões tomadas em sua escola. Poderem participar ativamente da vida escolar, não apenas como alunos, mas como colaboradores diretos nesse processo. É claro que a escola deve dar condições para a participação e a criação de interesse por parte dos alunos, que tem a visão de que o ambiente escolar é apenas uma obrigação desagradável pela qual tem que passar. Com a criação de atividades que vão além da sala de aula e além do ambiente da escola, irão proporcionar aos alunos novas experiências graças ao novo método de aprendizado.

8 CONSIDERAÇÕES FINAIS

No decorrer do trabalho pôde-se observar grandes falhas de comunicação entre a instituição escolhida e seus alunos, com todo este conhecimento descrito, através do conhecimento técnico adquirido no transcorrer do curso e em função de pesquisas sobre o assunto que foi tratado, foi provado que se pode programar uma estratégia de endomarketing na escola para o desenvolvimento profissional dos alunos, e também foi visto que esta implementação beneficiaria os professores que ali trabalham. As pesquisas utilizadas e os dados obtidos foram descritos em detalhes, mostrando assim que os resultados encontrados proporcionam a continuação deste trabalho, seja para melhorar seu conteúdo ou para estender o escopo do projeto. Pelo bom desenvolvimento do assunto e do projeto apresentado aos Coordenadores da área de Gestão do Aprígio, foi solicitada aos integrantes do grupo uma palestra para os novos módulos do curso de Administração 2° semestre 2012, para que eles tenham uma visão previa do tão importante assunto “O Endomarketing Aplicado em uma Instituição de ensino como fator de Desenvolvimento profissional”.

47

9 REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BEKIN, Saul Faingaus, Endomarketing: como praticá-lo com sucesso. São Paulo: Makron Books, 2000.

BRUM, Medeiros, Endomarketing de A a Z. São Paulo: Integrare Editora, 2010.

LOPES, Rose Mary, Educação Empreendedora: conceitos, modelos e praticas. São Paulo: Elsevier, 2010.

BRUM, Medeiros, Um Olhar Sobre Marketing Interno. São Paulo: L & P, 2000.

BEKIN, Saul Faingaus, Conversando sobre endomarketing. São Paulo: Makron Books, 1995.

BERNADI, Luiz Antonio, Política e formação de preços. São Paulo: Atlas, 1998.

AMA, American Marketing Association, disponível em: Portal do Marketing Acesso: http://www.portaldomarketing.com.br/Artigos/O_que_e_marketing.htm

Anselmo Ferreira Vasconcelo, contribuições ao estudo do Marketing Interno:

Aplicação no ambiente de ensino superior. São Paulo, PUC, 2004

Bertone, Paulo, entrevista: Marketing não sobrevive sem endomarketing.