Você está na página 1de 22

Universidade Federal do Espírito Santo

Projeto 2 – 2009/1
Prof. Elton Vinícius

RELA TÓRIO FIN AL

Grupo:
Camila Alves
Isabela Malacarne
Marianna Schmidt
Introdução

O Local

Ao procurar, em Jardim da Penha, um local para realizar o projeto da


disciplina, o grupo percebeu a quantidade de salões de beleza que o bairro
possui e chegou à conclusão de que seria interessante desenvolver um
trabalho em algum desses estabelecimentos. Com esse objetivo em mente, o
grupo encontrou o Salão da Zana, que chamou atenção não só por possuir um
ambiente agradável, mas também pela receptividade e dedicação das
funcionárias.
O salão possui dois ambientes e entre os serviços oferecidos estão:
cortes e demais cuidados com os cabelos, massagens corporais, depilação e
serviços de manicure. A Zana, nossa interlocutora, dona e cabeleireira do
salão, comanda uma equipe de cinco pessoas: três manicures e duas
cabeleireiras, excluindo ela própria. O funcionamento é de terça-feira à sábado,
em horário comercial.
Levantamento de Dados

Lista de Falas e Ações

Após algumas visitas ao salão e conversas com a Zana e as


funcionárias, chegamos ao seguinte conjunto de FALAS e AÇÕES:

FALAS AÇÕES
Sempre perguntam que tipo de
O que vamos fazer hoje?
tratamento o cliente pretende realizar.

Sugerem outra alternativa para o cliente


quando julgam que a idéia deste não
Não acha melhor fazer de outro jeito?
atenderá às expectativas, tentando obter
sempre o melhor resultado.

Quer um suco, uma água, um café?

Fazem de tudo para deixar o cliente à


Sente-se aqui enquanto não venho. vontade enquanto espera e ao ser
atendido.

Quer uma revista para passar o tempo?

As funcionárias procuram usar seus


Onde está o meu borrifador? De quem é próprios instrumentos, mas às vezes a
essa tesoura? falta de organização faz com que eles se
misturem

Quando todas as manicures estão


atendendo, elas tentam reorganizar o
Chegue um pouco para lá, assim que
pequeno espaço da melhor forma
coloco minha cadeira aqui.
possível para manter o conforto dos
clientes.

Todas procuram manter sua clientela e a


Você tem preferência por alguma
das outras intactas, a não ser que o
funcionária?
cliente deseje mudar de profissional.
Coisas boas que acontecem lá:

• O ambiente é agradável e descontraído, o que proporciona conforto às


clientes e às funcionárias;
• Universitários têm descontos no corte de cabelo, apesar de isso não ser
muito divulgado;
• Além de um salão de beleza, o segundo andar comporta um clínica de
estética, que possibilita que os clientes façam massagens e outros
tratamentos, além de cuidar dos cabelos e das unhas;
• O ambiente das massagens é separado para que o cliente possa se
desligar e relaxar mais;
• Além de água e café, as funcionárias oferecem sucos e biscoito aos que
chegam ao salão;
• Há uma parceria com um fotógrafo, assim as noivas que se arrumam no
salão têm esse momento registrado;
• Como há muitas funcionárias, é possível atender muitas pessoas ao
mesmo tempo.
Jogo de Palavras

Após observarmos por alguns dias o funcionamento do salão,


selecionamos uma lista de palavras que, julgamos, refletem o cotidiano do
lugar:

Salão Atenção Animação

Amizade Organização Atendimento

Responsabilidade Pontualidade Funcionárias

Agenda Horário Espera

Depilação Beleza Estética

Penteado Maquiagem Massagem

Espelho Borrifador Produtos

Tinta Secador Tesoura

Cabelo Xampu Cera

Corte Escova Pente

Conforto Cadeira Lavatório

Suco Café Água

Revistas Limpeza Gavetas

Cliente Homem Mulher

Crianças Alegria Noiva

Manicure Relaxamento Simpatia

Respeito Esmalte Unha

Propaganda Conversa Fofoca

Fachada Roxo Placa

Cartão de visitas
Em um horário de menos movimento, pedimos à Zana que dispusesse
as palavras da maneira que julgasse mais adequada. Ela o fez, mudando
algumas palavras de lugar várias vezes e excluindo FACHADA e FOFOCA. A
palavra ROXO ela não pretendia retirar, inicialmente, mas ao organizar ela
sentiu que não havia lugar pra ela e a retirou do jogo também.
Perguntamos se ela gostaria de adicionar alguma palavra que nós
esquecemos e ela disse “tratamento”, no sentido de que ela gostaria de dar o
melhor tratamento possível ao cliente.
Outra coisa curiosa que notamos foi a posição da palavra “relaxamento”.
Nós a colocamos no jogo pensando que o cliente relaxa durante os
procedimentos, principalmente na hora da massagem. Mas a Zana interpretou
como sinônimo de desleixo e a associou às manicures, que muitas vezes
deixam seus instrumentos de trabalho bagunçados.
A disposição final ficou assim:
A seguir, um esquema para melhor visualização das palavras
organizadas pela Zana:
Objetivo Geral

Depois de analisarmos todos os dados levantados e acompanhar a


rotina do salão, percebemos duas necessidades que seriam o ponto de partida
de nosso projeto: a organização do espaço e a divulgação/identidade visual do
salão. As duas foram comentadas pelas funcionárias e pela Zana, assim como
observadas por nós.
Após conversar com nossa interlocutora sobre as possibilidades,
optamos por incluir as duas na nossa lista de hipóteses, com a intenção de
poder pensar mais e trabalhar para gerar uma alternativa que melhor atenda às
necessidades do salão.
Primeiras Hipóteses

Assim que foi definido o Objetivo Geral, partimos para a geração das
primeiras hipóteses, buscando algo que refletisse nossas intenções com o
Projeto. Dividimos nossas idéias em dois grupos: Organização e Identidade
Visual/Divulgação, sendo que o segundo é um conjunto de idéias nas quais
uma nova identidade visual elaborada por nós poderia ser aplicada.

Organização:

Ampliação da cozinha: Armário de bolsas:

Banquinho para manicures: Caixinha de dinheiro:

Divisória de gavetas: Mesa para lanche:


Móvel para manicures: Porta-jornal:

Trocar escada de lugar:

Identidade Visual/Divulgação:

Boné: Boneco ‘do posto’:

Cartão de visitas:

Catálogo de serviços: Cartaz com os serviços:


Comercial Audiovisual: Folder:

Materiais personalizados: Placa da fachada:

Uniformes:
Hipóteses-isca

Devido ao fato de que o grupo Organização possuía idéias bastante


diferentes entre si, optamos por testar duas delas: o banquinho com gavetas e
a caixinha de dinheiro; enquanto do grupo Identidade Visual/Divulgação,
tiramos apenas uma hipótese, a que julgamos mais diferente e interessante: o
catálogo com os serviços do salão.
Primeiros Testes

O Banco

Ao pensarmos a melhor maneira de testar cada hipótese escolhida,


decidimos que o banquinho seria analisado a partir da observação da interação
das manicures com as cadeiras que elas já utilizavam.
Existem dois tipos de cadeira: a primeira com uma mesinha acoplada,
para fazer a mão da cliente e a segunda, um pouco mais baixa e sem a mesa,
que a profissional utiliza para ficar confortável quando está cuidando dos pés
da cliente. As duas possuem compartimentos embaixo do assento nos quais as
manicures guardam os objetos que vão utilizar durante a sessão.
Depois de observamos a utilização das cadeiras e conversarmos com as
manicures, chegamos a conclusão de que, apesar de inicialmente parecer o
mais promissor, este não era o melhor caminho. Apesar de as cabeleireiras
desejarem uma maior organização por parte das manicures, estas não estão
interessadas em mudar de atitude e uma nova versão do instrumento que elas
já utilizam não faria diferença.

A Caixinha de Dinheiro

Para simular a utilização da caixa de dinheiro pela Zana, encapamos


uma caixa de sapato com papel roxo e fizemos as divisórias no interior para
notas de diferentes valores com papel cartão.
O objeto foi usado durante pouco tempo, apenas enquanto pudemos
observar, haja vista que não era seguro deixar o dinheiro dentro de uma caixa
sem tranca sem ninguém cuidando. Apesar disso, o teste foi um sucesso. A
Zana gostou muito da nova localização do dinheiro, pois assim não precisava
atrapalhar outros clientes para dar o troco a alguém. E, com uma tranca, só ela
teria acesso ao caixa, trazendo mais segurança.

O Catálogo

A proposta do catálogo de serviços do salão foi muito bem recebida pela


Zana, que não só gostou da idéia como sugeriu que a transformássemos em
um site do salão na internet.
Para o teste, fizemos um protótipo bem simples, dividindo os serviços
prestados em categorias que a própria Zana elegeu e listando-os, ao lado de
um ícone representativo de cada grupo. A folha impressa em policromia foi
colada a uma superfície rígida de papel cartão e depois encapada com papel
contact, para ter mais durabilidade.
Assim que recebeu os dois exemplares que fizemos do catálogo em
mãos, a Zana quis colar um deles no alto do espelho para que o cliente lesse
quando estivesse sentado na cadeira. Então explicamos que a nossa intenção
era que ela entregasse ao cliente quando este chegasse, mas ela não gostou
muito e preferiu deixá-lo sobre o balcão, para que o cliente pudesse olhar de
perto e de fato se interessar pelo impresso.
Nós deixamos um catálogo lá para que elas continuassem a usar depois
do dia da nossa observação. Quando voltamos para saber como tinha ido,
todas as cabeleireiras disseram que ele era ótimo e as clientes estavam
adorando. Ao observarmos, percebemos que o catálogo realmente funcionava
e chamava atenção das pessoas para os outros serviços do salão. E uma
versão completa, contemplando fotos e descrições dos serviços, seria de
utilidade ainda maior.
Partido Adotado

Após avaliarmos a interação das manicures, cabeleireiras e clientes com


os objetos testados e conversar com a Zana, tivemos muita dificuldade para
decidir entre seguir em frente com a concepção de uma identidade visual
aplicada ao catálogo e construir uma caixa para o dinheiro.
A primeira opção fez muito sucesso entre todos. Nós pensávamos que a
Zana estaria mais interessada na organização do ambiente, mas quando
apresentamos uma proposta diferente para aplicação da identidade, ela se
empolgou bastante. Mais do que com todas as outras propostas, sugerindo
coisas, inclusive. Entretanto, a caixinha de dinheiro é uma coisa que ela queria
muito desde o início e que também havia dado certo. Por isso a grande dúvida.
Por fim, escolhemos aquela que seria a opção mais interessante tanto
para nós quanto para dar um diferencial ao salão, o catálogo. Ficou decidido,
porém, que desenharemos o a caixa de dinheiro do jeito que a Zana imagina,
como uma realização à parte da disciplina.
Geração de Alternativas

Após analisarmos os testes das hipóteses e conversarmos com a Zana,


nossa interlocutora, conseguimos estabelecer um caminho para seguir com o
projeto: o da identidade visual que será aplicada a um catálogo de serviços do
salão.
A partir dessa conclusão, tivemos uma série de idéias tanto para a
identidade visual quanto para o formato do catálogo. As idéias foram, aos
poucos se modificando de acordo com as possibilidades de realização e a
aprovação da Zana e, assim, conseguimos chegar ao produto final a ser
construído. Estão listadas a seguir as alternativas referentes ao formato do
catálogo e à identidade visual.

Identidade Visual:

Começamos a pensar a identidade visual após conversarmos com a


Zana, para ter esclarecidos alguns pontos. Primeiro, concluímos que a
identidade deveria ser versátil em relação às cores, pois o salão é
constantemente reformado e todo o material gráfico também deve ser para
acompanhar as transformações e realmente criar uma identificação.
Para agradar o gosto da Zana, que
gosta das coisas tradicionais, mas quer dar
uma aparência moderna e sofisticada ao
salão, optamos por utilizar fios de cabelo
como ponto de partida para a criação. A
primeira idéia era criar um logotipo rico em
curvas, com influência Art Nouveau, que Primeiro esboço
fosse bem delicado e com cara de salão de beleza.
Essa idéia, porém, era genérica e antiquada demais, não atendendo,
portanto, ao nosso propósito inicial de construir uma identidade sofisticada e
marcante. Para atingir a aparência que almejávamos, começamos a
experimentar com a família tipográfica Futura, que possui uma grande
variedade de pesos e nos proporcionou bons resultados.

Resolvemos, por fim,


aliar a tipografia escolhida aos fios de cabelo da primeira proposta, criando um
logotipo que atende as nossas idéias e às expectativas da Zana. Além disso, o
logotipo, da forma que foi construído, pode ser aplicado em diferentes
combinações cromáticas. Tudo isso será especificado quando, na etapa de
construção, elaborarmos o manual da identidade visual.
Catálogo

Ao pensarmos o catálogo entre nós, decidimos que ele teria muitas


páginas, com fotos, ilustrações e as descrições dos serviços. A Zana, porém,
queria apenas um catálogo simples, como o que usamos no teste de hipóteses,
para mostrar às clientes e um que ficasse na parede e fosse maior.
As primeiras idéias giraram em torno do catálogo mais completo, com
várias páginas. Uma opção era fazê-lo no formato de objetos característicos do
salão, como uma tesoura. Mas essa idéia logo foi descartada devido à
dificuldade que enfrentaríamos para recortar as páginas e ao preço elevado
que o serviço teria em uma gráfica.
Ao desistir de dar um ar mais lúdico ao catálogo pelo método anterior,
pensamos em construí-lo com abas para dividir os serviços prestados pelo
salão em categorias como escova, manicure, especiais, etc. A idéia foi muito
apreciada por todas nós e já estava dada como certa. Também pensamos na
Idéia 1 Idéia 2 Idéia 3
possibilidade de utilizar argolas como forma de encadernação.

Quando apresentamos as idéias à turma e, depois, à Zana, percebemos


que não era esse o caminho pelo qual devíamos seguir. O catálogo com muitas
páginas seria uma peça interessante, porém muito trabalhosa e não atenderia
as necessidades e expectativas da Zana, que queria apenas a versão
simplificada do catálogo.

Alternativa Adotada
Após pensarmos e conversarmos com a Zana, nós optamos por não
fazer o catálogo detalhado. Percebemos que uma peça com muitas páginas,
por melhor e mais minuciosa que fosse, nunca traria fotos e informações
atualizadas o suficiente sobre os serviços do salão, que está sempre
melhorando e acumulando bons resultados.
Foi decidido que faríamos catálogos simples, em
formato A4 de uma única página, que a Zana e as outras
funcionárias poderiam entregar diretamente para a cliente e
outro, de tamanho maior, para ser colocado na parede.
No entanto, após novas conversas com a Zana,
chegamos a conclusão de que o catálogo de mão não seria
utilizado corretamente, e a Zana enfatizava muito que queria
um na parede. Por isso optamos por deixar de produzir os
catálogo de mão e ficar apenas com o da parede.
O catálogo seria produzido no formato 26x40cm, para encaixar em uma
pilastra do salão, local bastante visível e ideal para colocá-lo. O conteúdo da
página seria: o logotipo e o telefone do salão e os serviços prestados listados,
cada qual em sua categoria, sendo cada uma destas identificada por um ícone.
O papel utilizado seria o chouchê fosco, de gramatura 300, com laminação
fosca, e impressão em policromia.

Em relação à identidade visual,


chegamos a um logotipo que nos
agrada. Combinando a fonte Futura Std
Medium com os fios de cabelo do
primeiro esboço, alcançamos a estética
que procurávamos. A identidade visual,
na fase de construção, será finalizada e
aplicada ao catálogo. Também será elaborado um manual de utilização da
identidade.
Construção

Antes de pensar de fato o catálogo,


nossa preocupação foi elaborar um manual de
identidade visual que fosse seguido no
momento da criação e pudesse ser usado pela
Zana em projetos futuros. Neste manual, cujo
arquivo está no CD anexo ao trabalho, foram
padronizados tamanhos, a família tipográfica a
ser utilizada nas peças gráficas do salão (a
Futura Std) e a maneira de aplicar a cor nos
projetos.
Para projetar o catálogo, decidimos primeiramente suas medidas e, em
seguida, que tipo de elemento gráfico faria parte deste. Como já fora decidido
anteriormente a presença dos ícones, tivemos que desenhá-los e escolher sua
disposição na página.
Foi separada uma área para o logotipo no topo e outra,
para o telefone, no fim da página. O contorno dessas áreas
segue o formato do fio de cabelo utilizado no logo, de forma a
reforçar a identidade do salão – elemento que reaparece no
exemplo de aplicação para a placa. Foram escolhidas, também,
duas cores que se repetem na composição, de acordo com o
manual. Essas cores são:

Os serviços listados no catálogo foram divididos em grupos pela própria


Zana, a saber:

Cortes: tesoura, navalha, máquina;


Coloração: comum, luzes, reflexo, balaiage;
Escovas: comum, progressiva, definitiva, inteligente;
Tratamento: hidratação, reconstrução, cauterização, máscara capilar,
choque de queratina;
Manicure: pedicure, unhas decoradas, esfoliação dos pés;
Estética: limpeza de pele, drenagem linfática, massagem relaxante,
sobrancelha, sobrancelha de henna, barba;
Depilação: meia perna, perna inteira, buço, virilha, axila;
Especiais: maquiagem, penteado, dia de noiva.

Com a diagramação do catálogo pronta, buscamos o local que pudesse


nos oferecer a melhor impressão possível, dentro das possibilidades que
tínhamos. Como uma impressão offset não seria viável devido a necessidade
de se imprimir grandes quantidades nesse método, procuramos a Alpha
Graphics, cuja impressão é digital, porém de alta qualidade.
O catálogo foi impresso, portanto, em policromia em uma impressora
digital, em papel couchê fosco de gramatura 300, mas sem a laminação fosca
que havíamos pensado, devido à impossibilidade da gráfica de realizar esse
tipo de acabamento no nosso prazo.
Para afixar o catálogo na parede, optamos por um método simples que
sabemos ser eficaz: a fita adesiva dupla face. Aplicamos alguns pedaços de fita
por todo o contorno do verso do catálogo e o colamos na pilastra, onde ele
agora ocupa lugar de destaque no salão.
Experimentação

Devido à falta de tempo hábil para experimentação,


só pudemos observar o comportamento dos clientes do
salão diante do catálogo por alguns dias. Ele foi colocado
na pilastra no dia 30/06, pela manhã. Neste dia, ficamos
cerca de meia hora observando apenas, e uma senhora
que foi ao salão fazer a unha, a Dona Ana, reparou nele e
ficou olhando com interesse. Como era muito conhecida
no salão e simpatizou conosco, tiramos algumas fotos com
o consentimento dela, que acabou posando e se
divertindo.
Nesse dia, a Zana não estava lá. Por isso, no dia seguinte, uma quarta-
feira, nós fomos ao salão à tarde para conversar com ela, saber das primeiras
impressões das clientes e observar mais um pouco. Ela ficou muito agradecida
e feliz com o resultado do projeto, disse que algumas pessoas já tinham
comentado sobre a novidade. Esse foi um dia movimentado e, enquanto
estávamos lá, várias pessoas chegaram e, pudemos perceber, repararam no
catálogo. Uma mulher comentou com a manicure que não sabia dos serviços
da seção de estética que o salão oferece, mostrando-nos pela primeira vez
como o catálogo era realmente útil.
No dia seguinte, nenhuma integrante do grupo pôde ir ao salão, mas na
sexta-feira, dia 03/07, voltamos lá para tirar novas fotos para o vídeo final e
saber como tinha sido o dia anterior. A Luzia, outra cabeleireira do salão, nos
disse que havia gostado muito do catálogo e perguntou se não poderíamos
fazer um maior pra ela colocar em casa. Ela também nos contou que o
catálogo tem sido um sucesso e que foi melhor colocá-lo na parede, pois fica
mais visível e as funcionárias não precisam se preocupar com ele.
Neste dia, o último em que pudemos ir ao salão, a Zana estava bastante
ocupada, pois já era de tarde e a sexta-feira costuma ser agitada, pois é
quando as clientes se preparam para o fim de semana, por isso não
conseguimos conversar muito com ela ou sentar para observar por muito
tempo. De qualquer forma, foi possível reparar novamente em clientes
entrando e lendo, mesmo que rapidamente, o catálogo.
Conclusão

Ao fazer esse projeto, percebemos que muitas de nossas idéias eram


maiores que as necessidades da Zana e do salão. Mesmo aceitando e
gostando de nossas sugestões, ela queria coisas simples, mas que
funcionariam pra ela.
Com o fim da trajetória desse semestre, acreditamos que apesar de
todas as mudanças de planos, cumprimos o objetivo inicial de promover o
salão e criar uma identidade visual que agradasse a Zana e os clientes dela. A
necessidade de divulgar os serviços do salão de uma forma diferente era
sentida pelas funcionárias, porém a Zana só percebeu isso a partir das nossas
sugestões.
É possível dizer, portanto, que nós aprendemos muito sobre ouvir o
outro e entender suas necessidades com esse projeto, compreendendo que
nossas vontades não devem ser colocadas à frente de necessidades reais. E,
por fim, o catálogo mostrou-se um sucesso.

Interesses relacionados