Você está na página 1de 59
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL DANIEL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

DANIEL SILVA CURVELLO

PROJETO DE PONTES

São Cristóvão/SE

2012

SUMÁRIO

1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS

5

2. DIMENSIONAMENTO DAS LAJES EM BALANÇO

5

 

2.1. VÃOS

5

2.2. COEFICIENTE DE IMPACTO VERTICAL

6

2.3. CARGAS PERMANENTES

6

2.4. CARGA MÓVEL

6

2.5. VERIFICAÇÃO DA ESPESSURA

7

2.6. ARMADURA DA LAJE

8

2.6.1. Engaste Direção X

8

2.6.2. Bordo Direção X

8

2.6.3. Engaste Direção Y

9

2.6.4. Bordo Direção Y

9

3. DIMENSIONAMENTO DA LAJE CENTRAL

9

 

3.1. VÃOS

9

3.2. COEFICIENTE DE IMPACTO VERTICAL

10

3.3. CARGAS PERMANENTES

10

3.3.1. Laje Apoiada

10

3.3.2. Laje Engastada

10

3.4.

CARGA MÓVEL

10

3.5.1. Laje Apoiada

10

3.5.2. Laje Engastada

11

3.5. ENGASTAMENTOS ELÁSTICOS

11

3.6. VERIFICAÇÃO DA ESPESSURA

11

3.7. ARMADURA DA LAJE

12

3.7.1. Engaste Direção X

12

3.7.2. Centro Direção X

12

3.7.3.

Engaste Direção Y

13

3.7.4. Centro Direção Y

14

4. PLANTA DE ARMADURA DAS LAJES

15

5. DIMENSIONAMENTO DAS VIGAS T

16

5.1.

CARREGAMENTO PERMANENTE

16

5.1.1. Cálculo das Ações

16

5.1.2. Cálculo das Reações

16

5.1.3. Cálculo dos Esforços

17

5.2.

CARREGAMENTO MÓVEL

19

5.2.1.

Linha de Influência

19

5.2.1.1. Definição

19

5.2.1.2. Linha de Influência das Reações de Apoio

19

5.2.1.3. Linha de Influência da Força Cortante

21

5.2.1.4. Linha de Influência do Momento Fletor

21

5.2.2.

Determinação das Reações do Trem-tipo

22

5.2.2.1. 1ª Distribuição das Cargas

22

5.2.2.2. 2ª Distribuição das Cargas

23

5.2.2.3. Cálculo do coeficiente de impacto vertical

24

5.2.3. Reações

25

5.2.4. Esforços Cortantes

26

5.2.4.1. Seção 0,00 m Mínimo

26

5.2.4.2. Seção 2,00 m Mínimo

26

5.2.4.3. Seção 4,00 m Mínimo

27

5.2.4.4. Seção 4,00 m

Máximo

27

5.2.4.5. Seção 5,20 m Mínimo

28

5.2.4.6. Seção 5,20 m

Máximo

29

5.2.4.7. Seção 6,40 m Mínimo

30

5.2.4.8. Seção 6,40 m Máximo

31

5.2.4.9.

Seção 7,60 m Mínimo

32

5.2.4.10. Seção 7,60 m Máximo

33

5.2.4.11. Seção 8,80 m Mínimo

34

5.2.4.12. Seção 8,80 m Máximo

35

5.2.4.13. Seção 10,00 m Mínimo

36

5.2.4.14. Seção 10,00 m Máximo

37

5.2.5.

Momentos Fletores

37

5.2.5.1. Seção 0,00 m

Máximo

37

5.2.5.2. Seção 0,00 m Mínimo

38

5.2.5.3. Seção 2,00 m Mínimo

38

5.2.5.4. Seção 4,00 m Mínimo

39

5.2.5.5. Seção 5,20 m

Máximo

39

5.2.5.6. Seção 5,20 m Mínimo

40

5.2.5.7. Seção 6,40 m

Máximo

41

5.2.5.8. Seção 6,40 m Mínimo

42

5.2.5.9. Seção 7,60 m Máximo

43

5.2.5.10. Seção 7,60 m Mínimo

44

5.2.5.11. Seção 8,80

m Máximo

44

5.2.5.12. Seção 8,80 m Mínimo

45

5.2.5.13. Seção 10,00 m Máximo

46

5.2.5.14. Seção 10,00 m Mínimo

47

5.3. TABELA RESUMO

48

5.4. ENVOLTÓRIAS

49

5.4.1. Esforços Cortantes (tf)

49

5.4.2. Momentos Fletores (tf·m)

50

5.5.

DIMENSIONAMENTO DAS ARMADURAS LONGITUDINAIS

51

5.5.1. Armadura Mínima

51

5.5.2. Armadura Negativa

52

5.5.2.1.

Dimensionamento

52

5.5.2.2.

Detalhamento

52

5.5.3.

Armadura Positiva

53

5.5.2.1. Dimensionamento

53

5.5.2.2. Detalhamento

54

5.6.

DIMENSIONAMENTO DAS ARMADURAS TRANSVERSAIS

55

5.6.1. Armadura Mínima

55

5.6.2. Armadura de Cisalhamento

55

5.6.3. Detalhamento

56

5.7. DIMENSIONAMENTO DAS ARMADURAS DE PELE

57

5.8. ARMADURAS DE LIGAÇÃO MESA-ALMA

57

1.

CONSIDERAÇÕES INICIAIS

Ponte Classe 30;

Concreto C25 Lajes;

Concreto C30 Vigas;

Aços CA-50;

Coeficientes de segurança: γ c = 1,4 e γ s = 1,15;

Peso específico do concreto armado: γ Concreto = 2,5 tf/m³.

concreto armado: γ C o n c r e t o = 2,5 tf/m³. Figura 1:

Figura 1: Seção transversal

c r e t o = 2,5 tf/m³. Figura 1: Seção transversal Figura 2: Seção longitudinal

Figura 2: Seção longitudinal

2. DIMENSIONAMENTO DAS LAJES EM BALANÇO

2.1. VÃOS

Será usada a tabela de Rüsch nº 98.

2.2. COEFICIENTE DE IMPACTO VERTICAL

2.3. CARGAS PERMANENTES

[ (

)

(

)

]

Pela Tabela de Rüsch nº 98 tem-se que:

k

(M xm ) = -0,125

k

(-M xe ) = -0,50

2.4. CARGA MÓVEL

O Trem-tipo a ser utilizado nos cálculos será o 30 devido à classe da ponte. Com isto, obtêm-se os seguintes coeficientes:

a = 2,0 m

p = 0,5 tf/m²

 

p’ = 0,5 tf/m²

Da Tabela de Rüsch nº 98:

-M xe M xm -M xm M yr M ym

-M xe

M xm

-M xm

M yr

M ym

c

P

-1,180

0,094

-0,328

0,360

0,125

c

p

-0,050

0

-0,060

0

0

c

p

0

0,010

0

0

0

Calculam-se os momentos fletores atuantes na laje:

 

(

)

(

)

 

(

)

(

)

 

(

)

(

)

2.5. VERIFICAÇÃO DA ESPESSURA

 
 

|

|

Pela Tabela de Süssekind têm-se que k d = 0,0419, considerando-se Ɛ c = 3,5‰ e Ɛ s =

2,070‰.

Como os cálculos são feitos por metro de laje, então b = 1,0 m.

(

)

Como a menor espessura da laje é de 25 cm, esta exigência esta atendida.

2.6. ARMADURA DA LAJE

2.6.1. Engaste Direção X

O cobrimento considerado nas lajes deste projeto é de 5,0 cm. A espessura da laje

neste ponto é de 45,0 cm.

|

|

(

)

 

Pela Tabela de Süssekind, têm-se que α = 4,195.

| |

σ e = 500 MPa Δσ = 360 MPa

Pela Tabela-mãe métrica, têm-se que 11Ø10,0 mm c/7,5 cm, a cada metro de laje.

2.6.2. Bordo Direção X

A espessura da laje neste ponto é de 25,0 cm.

|

|

(

)

Pela Tabela de Süssekind, têm-se que α = 4,161.

| |

σ e = 500 MPa Δσ = 360 MPa

Pela Tabela-mãe métrica, têm-se que 7Ø10,0 mm c/12,5 cm, a cada metro de laje.

2.6.3.

Engaste Direção Y

(

)

(

)

Pela Tabela de Süssekind, têm-se que α = 4,258.

σ e = 500 MPa Δσ = 360 MPa

Pela Tabela-mãe métrica, têm-se que 2Ø10,0 mm c/30,0 cm, a cada metro de laje.

2.6.4. Bordo Direção Y

(

)

(

)

 

Pela Tabela de Süssekind, têm-se que α = 4,195.

σ e = 500 MPa Δσ = 360 MPa

Pela Tabela-mãe métrica, têm-se que 6Ø10,0 mm c/17,5 cm, a cada metro de laje.

3. DIMENSIONAMENTO DA LAJE CENTRAL

3.1. VÃOS

Como esta laje possui dois engastamentos elásticos, serão utilizadas as Tabelas de Rüsch nº 01, para os apoios, e nº 27, para os engastes.

3.2. COEFICIENTE DE IMPACTO VERTICAL

3.3. CARGAS PERMANENTES

3.3.1. Laje Apoiada

(

)

Pela Tabela de Rüsch nº 01 tem-se que:

k

(M xm ) = 0,125

k

(M ym ) = 0,0208

 

(

)

(

)

3.3.2. Laje Engastada

 

Pela Tabela de Rüsch nº 27 tem-se que:

k

(M xm ) = 0,0417

k

(M ym ) = 0,0069

k

(-M xe ) = -0,0833

 

(

)

(

)

(

)

3.4. CARGA MÓVEL

3.5.1. Laje Apoiada

a = 2,0 m

 

p = 0,5 tf/m²

p’ = 0,5 tf/m²

Da Tabela de Rüsch nº 01:

M xm M ym

M xm

M ym

c

P

0,590

0,338

c

p

0,580

0,100

c

p’

0,960

0,240

 

(

)

 

(

)

(

)

3.5.2. Laje Engastada

Da Tabela de Rüsch nº 27:

 
 
  M xm M ym -M xe  

M xm

M ym

-M xe

 

c

P

0,357

0,198

-0,700

c

p

0

0

-0,080

c

p’

0,270

0,130

-0,370

 

(

)

 

(

)

(

)

(

)

3.5. ENGASTAMENTOS ELÁSTICOS

De

acordo

com

o

livro Pontes

de

Concreto Armado

(MARCHETTI,

2008), os

engastamentos elásticos serão 40% apoiados e 60% engastados.

3.6. VERIFICAÇÃO DA ESPESSURA

(

)

(

)

Pela Tabela de Süssekind têm-se que k d = 0,0419, considerando-se Ɛ c = 3,5‰ e Ɛ s =

2,070‰.

Como os cálculos são feitos por metro de laje, então b = 1,0 m.

(

)

Como a espessura da laje é de 25 cm, esta exigência esta atendida.

3.7. ARMADURA DA LAJE

3.7.1. Engaste Direção X

A espessura da laje neste ponto é de 45,0 cm.

[

(

(

)

(

)]

)

Pela Tabela de Süssekind, têm-se que α = 4,258.

(

|

)

|

(

)

σ e = 500 MPa Δσ = 360 MPa

Como o k Fadiga foi menor que 1, então o valor utilizado para calcular a área de aço será igual a 1.

Pela Tabela-mãe métrica, têm-se que 5Ø10,0 mm c/20,0 cm, a cada metro de laje.

3.7.2. Centro Direção X

A espessura da laje neste ponto é de 25,0 cm.

(

)

[

(

)

(

)]

 

Pela Tabela de Süssekind, têm-se que α = 4,008.

( )

| |

(

σ e = 500 MPa Δσ = 360 MPa

)

Como o k Fadiga foi menor que 1, então o valor utilizado para calcular a área de aço será igual a 1.

Pela Tabela-mãe métrica, têm-se que 12Ø10,0 mm c/7,5 cm, a cada metro de laje.

3.7.3. Engaste Direção Y

(

)

[

(

)

(

)]

 

Pela Tabela de Süssekind, têm-se que α = 4,289.

( )

| |

(

σ e = 500 MPa Δσ = 360 MPa

)

Pela Tabela-mãe métrica, têm-se que 3Ø10,0 mm c/30,0 cm, a cada metro de laje.

3.7.4. Centro Direção Y

(

)

[

(

)

(

)]

 

Pela Tabela de Süssekind, têm-se que α = 4,195.

|

(

|

)

(

)

σ e = 500 MPa Δσ = 360 MPa

Pela Tabela-mãe métrica, têm-se que 6Ø10,0 mm c/17,5 cm, a cada metro de laje.

4. PLANTA DE ARMADURA DAS LAJES

4. PLANTA DE ARMADURA DAS LAJES 15

5. DIMENSIONAMENTO DAS VIGAS T

5.1. CARREGAMENTO PERMANENTE

5.1.1. Cálculo das Ações

Área da seção transversal da ponte:

Carga distribuída devido ao peso próprio:

Área da seção transversal do guarda-roda:

Carga distribuída nos bordos devido ao guarda-roda:

Carregamento distribuído na viga principal:

Esquema de carregamento:

Carregamento distribuído na viga principal: Esquema de carregamento: 5.1.2. Cálculo das Reações ( ) ( )

5.1.2. Cálculo das Reações

(

)

(

)

5.1.3. Cálculo dos Esforços O cálculo dos esforços cortantes e momentos fletores nas seções escolhidas,

5.1.3. Cálculo dos Esforços

O cálculo dos esforços cortantes e momentos fletores nas seções escolhidas, bem como seus respectivos esquemas, foram realizados com o auxílio do software Ftool.

- Esforço cortante:

bem como seus respectivos esquemas, foram realizados com o auxílio do software Ftool . - Esforço

- Momento fletor:

- Momento fletor: Em resumo: Seção Reações Esforço Cortante (tf) Momento (m) (tf) Negativo

Em resumo:

Seção

Reações

Esforço Cortante (tf)

Momento

(m)

(tf)

Negativo

Positivo

Fletor (tf)

0,00

 

- 0,00

-

0,00

2,00

 

- -10,40

-

-10,40

4,00

52,00

-20,80

31,20

-41,60

5,20

-

 

- 24,96

-7,90

6,40

-

 

- 18,72

18,30

7,60

-

 

- 12,48

37,02

8,80

-

 

- 6,24

48,26

10,00

-

 

- 0,00

52,00

11,20

-

-6,24

 

- 48,26

12,40

-

-12,48

 

- 37,02

13,60

-

-18,72

 

- 18,30

14,80

-

-24,96

 

- -7,90

16,00

52,00

-31,20

20,80

-41,60

18,00

-

 

10,40

-10,40

20,00

-

 

0,00

0,00

5.2. CARREGAMENTO MÓVEL

5.2.1. Linha de Influência

5.2.1.1. Definição

Uma linha de influência mostra como um determinado esforço numa seção varia quando uma carga concentrada move sobre a estrutura. A linha de influência é construída sobre o eixo da estrutura sendo que as abscissas representam as posições da carga móvel

e as ordenadas representam os respectivos valores do esforço considerado.

5.2.1.2. Linha de Influência das Reações de Apoio

5.2.1.2. Linha de Influência das Reações de Apoio ( ( ) ) Dividindo agora ambos os

(

(

)

)

Dividindo agora ambos os membros pela carga P para tornar o carregamento unitário

e adimensional, temos:

̅̅̅

(

)

Chama-se ̅̅̅ de “linha de influência” da reação de apoio V B , isto é, uma equação que mostra como a reação VB varia com a posição x de uma carga unitária que se desloca sobre a estrutura. Nota-se que os valores de ̅̅̅ são adimensionais. Dando valores para x determina-se os respectivos valores de ̅̅̅ .

̅̅̅

(

̅̅̅

̅̅̅

(

(

)

)

)

̅̅̅

(

)

̅̅̅ ( ) A ordenada y S representa o valor da reação de apoio V B

A ordenada y S representa o valor da reação de apoio V B quando a carga móvel unitária estiver sobre a seção S. Analogamente, obtêm-se ̅̅̅ :

 

(

)

 

(

)

Dividindo-se ambos os membros por P, resulta:

 

̅̅̅

(

)

̅̅̅

(

)

̅̅̅

(

)

̅̅̅

(

̅̅̅

(

(

)

)

)

̅̅̅ ( ) ̅̅̅ ( ) ̅̅̅ ( ̅̅̅ ( ( ) ) ) A ordenada

A ordenada y S representa o valor da reação de apoio V A quando a carga móvel unitária estiver sobre a seção S.

Resumindo, pode-se concluir que as linhas de influência das reações de apoio de uma viga biapoiada são lineares e têm valor unitário no apoio analisado, e zero no outro apoio, prolongando-se a reta até as extremidades dos balanços.

5.2.1.3. Linha de Influência da Força Cortante

5.2.1.3. Linha de Influência da Força Cortante A linha de influência de Q S pode ser

A linha de influência de Q S pode ser obtida a partir das linhas de influência de V A e V B .

Chamando a carga unitária de P = 1 e as reações de ̅̅̅ e ̅̅̅ , tem-se:

Resultando portanto:

̅̅̅̅

̅̅̅̅

̅̅̅

̅̅̅

tem-se: Resultando portanto: ̅̅̅̅ ̅̅̅̅ ̅̅̅ ̅̅̅ A ordenada y S 1 representa o valor da

A ordenada y S1 representa o valor da força cortante na seção S, quando a carga unitária estiver na seção S 1 .

5.2.1.4. Linha de Influência do Momento Fletor

S 1 . 5.2.1.4. Linha de Influência do Momento Fletor A linha de influência de M

A linha de influência de M S pode também ser obtida a partir das linhas de influência de V A e V B .

Fazendo a carga unitária P = 1 e as respectivas reações ̅̅̅ e ̅̅̅ , tem-se:

Resultando portanto:

̅̅̅̅

̅̅̅̅

̅̅̅

̅̅̅

tem-se: Resultando portanto: ̅̅̅̅ ̅̅̅̅ ̅̅̅ ̅̅̅ A ordenada y S 1 representa o valor do

A ordenada y S1 representa o valor do momento fletor na seção S quando a carga unitária móvel estiver sobre a seção S 1 . Neste caso os valores de ̅̅̅̅ não são adimensionais, pois foram obtidos do produto de ̅̅̅ ou ̅̅̅ por uma distância “a” ou “b”, tendo, portanto, a dimensão de comprimento. As ordenadas positivas podem ser marcadas de qualquer lado desde que se indique o sinal.

5.2.2. Determinação das Reações do Trem-tipo

5.2.2.1. 1ª Distribuição das Cargas

Trem-tipo carga para a primeira distribuição das cargas:

Trem-tipo carga para a primeira distribuição das cargas: Linha de influência para a primeira distribuição das

Linha de influência para a primeira distribuição das cargas na seção da viga (VP):

distribuição das cargas: Linha de influência para a primeira distribuição das cargas na seção da viga

Ordenadas devido à aplicação do trem-tipo carga na seção transversal para a primeira distribuição das cargas:

Reação na viga principal VP:

(

)

5.2.2.2. 2ª Distribuição das Cargas

(

)

Trem-tipo carga para a segunda distribuição das cargas:

) Trem-tipo carga para a segunda distribuição das cargas: Linha de influência para a segunda distribuição

Linha de influência para a segunda distribuição das cargas na seção da viga (VP):

a segunda distribuição das cargas na seção da viga (VP): Ordenadas devido à aplicação do trem-tipo

Ordenadas devido à aplicação do trem-tipo carga na seção transversal para a segunda distribuição das cargas:

Reação na viga principal VP:

(

(

)

Trem-tipo reação:

)

(

(

)

)

na viga principal VP: ( ( ) Trem-tipo reação: ) ( ( ) ) 5.2.2.3. Cálculo

5.2.2.3. Cálculo do coeficiente de impacto vertical

Vão de 4,00 m

Trem-tipo reação com o coeficiente de impacto vertical:

m Trem-tipo reação com o coeficiente de impacto vertical: − Vão de 12,00 m Trem-tipo reação

Vão de 12,00 m

Trem-tipo reação com o coeficiente de impacto vertical:

com o coeficiente de impacto vertical: − Vão de 12,00 m Trem-tipo reação com o coeficiente

5.2.3. Reações

Linha de influência da seção longitudinal para determinação da reação nos apoios:

longitudinal para determinação da reação nos apoios: Ordenadas: Reação nos apoios A e B: (  

Ordenadas:

Reação nos apoios A e B:

(

 

)

(

)

(

)

 

(

)

[

(

)

(

)

(

)

(

) ]

[

(

) ]

(

)

5.2.4. Esforços Cortantes

5.2.4.1. Seção 0,00 m Mínimo

5.2.4. Esforços Cortantes 5.2.4.1. Seção 0,00 m – Mínimo 5.2.4.2. Seção 2,00 m – Mínimo (

5.2.4.2. Seção 2,00 m Mínimo

5.2.4. Esforços Cortantes 5.2.4.1. Seção 0,00 m – Mínimo 5.2.4.2. Seção 2,00 m – Mínimo (

(

)

(

)

(

)

5.2.4.3.

Seção 4,00 m Mínimo

5.2.4.3. Seção 4,00 m – Mínimo ( ( ) ) 5.2.4.4. Seção 4,00 m – Máximo

(

(

)

)

5.2.4.4. Seção 4,00 m Máximo

(

)

5.2.4.3. Seção 4,00 m – Mínimo ( ( ) ) 5.2.4.4. Seção 4,00 m – Máximo

(

)

(

)

(

)

(

)

(

)

 

(

 

)

 
 

(

 

)

 

(

 

)

 

(

 

)

(

)

   
 

(

 

)

 

(

 

)

 
   

[(

)

5.2.4.5. Seção 5,20 m Mínimo

(

)]

  (   )   (   )       [( ) 5.2.4.5. Seção 5,20

(

(

)

5.2.4.6. Seção 5,20 m Máximo

)

(

(

)

)

[

(

) ]

 
 

[

(

) ]

) ) [ ( ) ]     [ ( ) ] ( ) ( )

(

)

(

)

(

)

(

)

[

(

 

)

 

(

 

)

(

 

)

 

[

(

) ]

(

) ]

(

)

5.2.4.7. Seção 6,40 m Mínimo

5.2.4.7. Seção 6,40 m – Mínimo ( ( ) ) ( ( ) ) [ (

(

(

)

)

(

(

)

)

[

(

) ]

[

(

 

) ]

5.2.4.8. Seção 6,40 m Máximo

5.2.4.8. Seção 6,40 m – Máximo ( ) ( ) ( ) ( ) [ (

(

)

(

)

(

)

(

)

[

(

 

)

(

 

)

(

 

)

 

[

(

) ]

(

) ]

(

)

5.2.4.9. Seção 7,60 m Mínimo

5.2.4.9. Seção 7,60 m – Mínimo ( ( ) ) ( ( ) ) ( )

(

(

)

)

(

(

)

)

(

)

(

)

5.2.4.10. Seção 7,60 m Máximo

5.2.4.10. Seção 7,60 m – Máximo ( ) ( ) ( ) ( ) [ (

(

)

(

)

(

)

(

)

[

(

 

)

(

 

)

(

 

)

 

[

(

) ]

(

) ]

(

)

5.2.4.11. Seção 8,80 m Mínimo

5.2.4.11. Seção 8,80 m – Mínimo ( ( ) [ [ ( ) ( ) [

(

(

)

[

[(

)

(

)

[(

(

) ]

)]

[

(

) ]

)

(

(

)

)]

(

)

5.2.4.12. Seção 8,80 m Máximo

5.2.4.12. Seção 8,80 m – Máximo ( ) ( ) ( ) ( ) [ (

(

)

(

)

(

)

(

)

[

(

 

)

(

 

)

(

 

)

 

[

(

) ]

(

) ]

(

)

5.2.4.13. Seção 10,00 m Mínimo

5.2.4.13. Seção 10,00 m – Mínimo ( ( [ ) [ ( ) ( ) (

(

(

[

)

[(

)

(

)

(

) ]

[(

)]

[

)

(

(

(

) ]

)

)]

(

)

5.2.4.14. Seção 10,00 m Máximo

5.2.4.14. Seção 10,00 m – Máximo ( ( ) ( ) ( ) ) (  

(

(

)

(

)

(

)

)

(

 

)

 
 

(

[

) ]

(

(

)

5.2.5. Momentos Fletores

5.2.5.1. Seção 0,00 m Máximo

)

[

(

) ]

(

)

    ( [ ) ] ( ( ) 5.2.5. Momentos Fletores 5.2.5.1. Seção 0,00 m

5.2.5.2. Seção 0,00 m Mínimo

5.2.5.2. Seção 0,00 m – Mínimo 5.2.5.3. Seção 2,00 m – Mínimo ( ⁄ ) (

5.2.5.3. Seção 2,00 m Mínimo

5.2.5.2. Seção 0,00 m – Mínimo 5.2.5.3. Seção 2,00 m – Mínimo ( ⁄ ) (

(

)

(

(

)

)

(

)

[

(

) ]

(

)

5.2.5.4.

Seção 4,00 m Mínimo

5.2.5.4. Seção 4,00 m – Mínimo ( ( 5.2.5.5. Seção 5,20 m – Máximo ) )

(

(

5.2.5.5. Seção 5,20 m Máximo

)

)

(

)

(

)

5.2.5.4. Seção 4,00 m – Mínimo ( ( 5.2.5.5. Seção 5,20 m – Máximo ) )

( )

(

[

(

)

(

) ]

 

(

) ]

 

[

 

(

)

(

(

)

[

) ]

 

) ]

[

 

5.2.5.6. Seção 5,20 m Mínimo

( ) ( ( ) [ ) ]   ) ] [   5.2.5.6. Seção 5,20

(

)

(

)

(

)

(

)

5.2.5.7. Seção 6,40 m Máximo

(

)

(

)

( ) 5.2.5.7. Seção 6,40 m – Máximo ( ) ( ) ( ( ) (

(

(

) ( ) ( ) ( ) [ ( ) ] ( ) ( [
)
(
)
(
)
(
)
[ (
) ]
(
)
(
[
) ]
)
(
)
(
)
(
)
[ (
) ]
(
)
(
[
) ]

5.2.5.8. Seção 6,40 m Mínimo

5.2.5.8. Seção 6,40 m – Mínimo ( ( ) ) ( ( ) ) ( )

(

(

)

)

(

(

)

)

(

)

(

)

5.2.5.9. Seção 7,60 m Máximo

5.2.5.9. Seção 7,60 m – Máximo ( ( ) ( ) ( ) ( ) [

(

(

) ( ) ( ) ( ) [ ( ) ] ( ) ( [
)
(
)
(
)
(
)
[ (
) ]
(
)
(
[
) ]
)
(
)
(
)
(
)
[ (
) ]
(
)
(
[
) ]

5.2.5.10.

Seção 7,60 m Mínimo

5.2.5.10. Seção 7,60 m – Mínimo ( ( ) ) 5.2.5.11. Seção 8,80 m – Máximo

(

(

)

)

5.2.5.11. Seção 8,80 m Máximo

(

(

)

)

(

)

(

)

5.2.5.10. Seção 7,60 m – Mínimo ( ( ) ) 5.2.5.11. Seção 8,80 m – Máximo

(

(

) ( ) ( ) ( ) [ ( ) ] ( ) ( [
)
(
)
(
)
(
)
[ (
) ]
(
)
(
[
) ]
)
(
)
(
)
(
)
[ (
) ]
(
)
(
[
) ]

5.2.5.12. Seção 8,80 m Mínimo

( ) [ ( ) ] ( ) ( [ ) ] ) ( ) (

(

(

)

)

5.2.5.13. Seção 10,00 m Máximo

(

(

)

)

(

)

(

)

) ) 5.2.5.13. Seção 10,00 m – Máximo ( ( ) ) ( ) ( )

(

 

)

[ (

)

(

)

(

)

(

 

) ]

[

(

)

(

) ]

 
 

(

[

)

[ (

)

(

)

(

)

(

) ]

(

)

(

) ]

5.2.5.14. Seção 10,00 m Mínimo

( [ ) [ ( ) ( ) ( ) ( ) ] ( ) (

(

(

)

)

(

(

)

)

(

)

(

)

5.3. TABELA RESUMO

Cortante (tf) DOS

ENVOLTÓRIA

Fletor (tf)

 

0,00

0,00

0,00

40,86

102,39

145,05

172,57

183,22

172,57

145,05

102,39

40,86

0,00

0,00

0,00

0,00

Mom.

 

0,00

-48,12

-156,89

-114,22

-79,05

-51,36

-31,15

-18,44

-31,15

-51,36

-79,05

-114,22

-156,89

-48,12

0,00

Esf.

 

0,00

0,00

80,04

67,28

54,63

42,46

30,65

19,21

14,38

9,85

10,34

9,71

67,77

41,00

14,23

Negativo Positivo Negativo Positivo Negativo Positivo Negativo Positivo

-14,23

-41,00

-67,77

-9,71

-10,34

-9,85

-14,38

-19,21

-30,65

-42,46

-54,63

-67,28

-80,04

0,00

0,00

ESFORÇOSCARREGAMENTO

CARREGAMENTO MÓVEL

Mom. Fletor (tf)

 

0,00

0,00

0,00

48,76

84,09

108,03

124,31

131,22

124,31

108,03

84,09

48,76

0,00

0,00

0,00

 

0,00

-37,72

-115,29

-106,32

-97,35

-88,38

-79,41

-70,44

-79,41

-88,38

-97,35

-106,32

-115,29

-37,72

0,00

Esf. Cortante (tf)

 

0,00

0,00

48,84

42,32

35,91

29,98

24,41

19,21

14,38

9,85

10,34

9,71

46,97

30,60

14,23

 

-14,23

-30,60

-46,97

-9,71

-10,34

-9,85

-14,38

-19,21

-24,41

-29,98

-35,91

-42,32

-48,84

0,00

0,00

Reações

(tf)

0,00

0,00

73,95

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

73,95

0,00

0,00

PERMANENTE

Mom.

Fletor (tf)

0,00

-10,40

-41,60

-7,90

18,30

37,02

48,26

52,00

48,26

37,02

18,30

-7,90

-41,60

-10,40

0,00

Esf. Cortante (tf)Reações

 

0,00

0,00

31,20

24,96

18,72

12,48

6,24

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

20,80

10,40

0,00

Negativo Positivo

0,00

-10,40

-20,80

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

-6,24

-12,48

-18,72

-24,96

-31,20

0,00

0,00

 

(tf)

0,00

0,00

52,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

52,00

0,00

0,00

Seção

(m)

0,00

2,00

4,00

5,20

6,40

7,60

8,80

10,00

11,20

12,40

13,60

14,80

16,00

18,00

20,00

5.4. ENVOLTÓRIAS

5.4.1. Esforços Cortantes (tf)

5.4. ENVOLTÓRIAS 5.4.1. Esforços Cortantes (tf) 49

5.4.2. Momentos Fletores (tf·m)

5.4.2. Momentos Fletores (tf·m) 50

5.5. DIMENSIONAMENTO DAS ARMADURAS LONGITUDINAIS

5.5.1. Armadura Mínima

─ Trecho apoiado

{

─ Trecho em balanço

{

Os valores de b 1 e b 3 considerados neste projeto serão 0,80 m.

 

[

(

)

]

[

(

)

]

5.5.2. Armadura Negativa

5.5.2.1. Dimensionamento

Seção

M k

MIN

         

A

 

-

A

 

ADT

k

 

ε

x

Caso

k

 

s

s

(m)

(tf·m)

c

s

(cm²)

(cm²)

         

0,00

0,00

0,00

0,00

0,0

1-2

-

-

 

-

2,00

-48,12

15,20

0,04

6,4

1-2

0,023

6,92

15,90

4,00

-156,89

4,66

0,15

24,0

1-2

0,024

23,53

23,53

5,20

-114,22

6,40

0,10

16,0

1-2

0,024

17,13

17,13

6,40

-79,05

9,25

0,07

11,2

1-2

0,024

11,86

15,90

7,60

-51,36

14,24

0,04

6,4

1-2

0,023

7,38

15,90

8,80

-31,15

23,48

0,02

3,2

1-2

0,023

4,48

15,90

10,00

-18,44

39,67

0,01

1,6

1-2

0,023

2,65

15,90

11,20

-31,15

23,48

0,02

3,2

1-2

0,023

4,48

15,90

12,40

-51,36

14,24

0,04

6,4

1-2

0,023

7,38

15,90

13,60

-79,05

9,25

0,07

11,2

1-2

0,024

11,86

15,90

14,80

-114,22

6,40

0,10

16,0

1-2

0,024

17,13

17,13

16,00

-156,89

4,66

0,15

24,0

1-2

0,024

23,53

23,53

18,00

-48,12

15,20

0,04

6,4

1-2

0,023

6,92

15,90

20,00

0,00

0,00

0,00

0,0

1-2

-

-

 

-

5.5.2.2. Detalhamento

{

Seção

 

Ø

e

 

A sw

REAL

N

h

(m)

(mm)

(cm)

(cm²)

 

0,00

-

-

-

 

-

2,00

8

16,0

2,46

16,08

4,00

5

25,0

4,38

24,54

5,20

6

20,0

3,60

18,85

6,40

8

16,0

2,46

16,08

7,60

8

16,0

2,46

16,08

8,80

8

16,0

2,46

16,08

10,00

8

16,0

2,46

16,08

11,20

8

16,0

2,46

16,08