Você está na página 1de 245

GRUPO

GRUPO 2013
GRUPO 2013
GRUPO 2013

2013

ÍNDICE GERAL VOLUME 1 1. INTRODUÇÃO 1 2. INFORMAÇÕES GERAIS 2 2.1 IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDEDOR

ÍNDICE GERAL

VOLUME 1

ÍNDICE GERAL VOLUME 1 1. INTRODUÇÃO 1 2. INFORMAÇÕES GERAIS 2 2.1 IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDEDOR 2

1. INTRODUÇÃO

1

2. INFORMAÇÕES GERAIS

2

2.1 IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDEDOR

2

2.2 EMPRESA RESPONSÁVEL PELA ELABORAÇÃO DO EIA-RIMA

2

2.3 LOCALIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO

3

2.4 OBJETO DO EIA-RIMA

15

2.5 EQUIPE TÉCNICA

18

3. JUSTIFICATIVA DO EMPREENDIMENTO

29

3.1 JUSTIFICATIVA SOCIOECONÔMICA

29

3.2 JUSTIFICATIVA LOCACIONAL

31

3.3 JUSTIFICATIVA TÉCNICA

31

3.3.1 Modal Rodoviário

31

3.3.2 Modal Ferroviário

35

3.3.3 Modal Aeroviário

37

3.3.4 Modal Hidroviário

38

3.4 JUSTIFICATIVA AMBIENTAL

42

3.5 CONCLUSÃO

42

4. ABORDAGEM METODOLÓGICA GERAL

43

4.1 PREMISSAS

43

4.2 ASPECTOS LEGAIS

44

4.3 PROJETOS E ATIVIDADES COLOCALIZADOS

45

4.4 ESTUDO DE ALTERNATIVAS

45

4.5 CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO

45

4.6 ÁREAS DE INFLUÊNCIA PRELIMINARES (ÁREAS DE ESTUDO)

46

4.7 DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DAS ÁREAS DE INFLUÊNCIA PRELIMINARES

46

4.8 AVALIAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS E PROPOSIÇÃO DE MEDIDAS MITIGADORAS 49

4.9 PLANOS E PROGRAMAS AMBIENTAIS

50

4.10 PROGNÓSTICO

51

4.11 MATERIAL CARTOGRÁFICO

51

5. ASPECTOS LEGAIS

54

5.1 INTRODUÇÃO

54

5.2 TEMAS EM DESTAQUE

54

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

i

  5.2.1 Licenciamento 54 5.2.1.1 Licenciamento ambiental 54 5.2.1.2 Uso e Ocupação do Solo 58
  5.2.1 Licenciamento 54 5.2.1.1 Licenciamento ambiental 54 5.2.1.2 Uso e Ocupação do Solo 58
 

5.2.1

Licenciamento

54

5.2.1.1 Licenciamento ambiental

54

5.2.1.2 Uso e Ocupação do Solo

58

5.2.1.3 Aspectos regulatórios da atividade portuária

59

 

5.2.2 Legislação Florestal

61

5.2.3 Áreas de Preservação Permanente (APPs)

63

5.2.4 Qualidade e Proteção dos Recursos Hídricos e dos Mananciais

64

5.2.5 Compensação Ambiental - Snuc

65

5.2.6 Legislação de Navegação

67

5.3

LEGISLAÇÃO

68

5.3.1

LEGISLAÇÃO

FEDERAL

68

5.3.2

LEGISLAÇÃO ESTADUAL

72

5.3.3

Legislação Municipal

73

6. PROJETOS E ATIVIDADES COLOCALIZADOS

75

6.1 PROJETOS E ATIVIDADES DE MESMA TIPOLOGIA

75

 

6.1.1 Porto Público de Manaus (Porto Organizado)

77

6.1.2 TUP

Super Terminais

82

6.1.3 TUP Porto Chibatão

85

6.1.4 Terminal Portuário das Lajes (projeto)

89

6.2 USOS E ATIVIDADES EXISTENTES NA ÁREA DE EXPANSÃO DO PORTO ORGANIZADO DE MANAUS

90

 

6.2.1 Instalações da Companhia Siderúrgica da Amazônia (Siderama)

92

6.2.2 Instalações da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa)

94

6.2.3 Faixa de duto de gás natural e de fibra óptica da Petrobras (gasoduto Urucu-Coari-

Manaus)

94

6.2.4 Instalações de empresas de transporte de cargas Ro-Ro Caboclo

96

6.2.5 Rodovia BR-319, Porto da Ceasa e Balsas

100

6.2.6 Vila da Felicidade

103

6.3 O EMPREENDIMENTO NO CONTEXTO DOS PROJETOS E ATIVIDADES COLOCALIZADOS

 

103

7. ESTUDO DE ALTERNATIVAS

112

7.1 ALTERNATIVAS

TECNOLÓGICAS

112

7.2 ALTERNATIVAS

LOCACIONAIS

114

7.2.1 Eventuais alternativas regionais

116

7.2.2 Características específicas da área do empreendimento

120

7.3 ALTERNATIVA DE NÃO IMPLANTAÇÃO DO EMPREENDIMENTO

120

8. CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO

121

8.1

APRESENTAÇÃO

121

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

ii

  8.1.1 Informações Gerais 121 8.1.2 Localização Geográfica 122 8.2 DESCRIÇÃO DO
  8.1.1 Informações Gerais 121 8.1.2 Localização Geográfica 122 8.2 DESCRIÇÃO DO
 

8.1.1 Informações Gerais

121

8.1.2 Localização Geográfica

122

8.2

DESCRIÇÃO DO EMPREENDIMENTO

123

8.2.1

Premissas do Projeto Básico

124

8.2.1.1 Capacidade

Operacional

124

8.2.1.2 Layout do Projeto Básico

125

8.2.1.3 Faseamento do Projeto Básico

126

 

8.2.2 Instalações Projetadas

129

8.2.3 Equipamentos

152

8.2.4 Acessos terrestre e hidroviário

153

8.2.5 Plano de Desenvolvimento

154

8.3

AÇÕES DA FASE DE PLANEJAMENTO

154

8.3.1 Certame Público

154

8.3.2 Levantamento

Topográfico

155

8.3.3 Levantamento Batimétrico

157

8.3.3.1 Implantação do Cais Flutuante

157

8.3.3.2 Pontos de restrição de calado na navegação

159

 

8.3.4

Estudo de Viabilidade Econômica e financeira

161

8.4

AÇÕES DA FASE DE INSTALAÇÃO

161

8.4.1 Infraestrutura de apoio (canteiros de obra)

161

8.4.2 Sistemas de infraestrutura para canteiro de obra

163

8.4.3 Demanda de mobilização de mão de obra para implantação

164

8.4.4 Métodos construtivos

165

8.4.4.1 Terraplenagem e contenção

165

8.4.4.2 Compartilhamento de faixa de duto de gás natural e de fibra óptica

168

8.4.4.3 Pavimentação do pátio de contêineres

170

8.4.4.4 Flutuante

172

8.4.4.5 Demolições

172

 

8.4.5 Cronograma

173

8.4.6 Valor do investimento

175

8.5

AÇÕES DA FASE DE OPERAÇÃO

175

8.5.1 Carga a ser movimentada

175

8.5.2 Movimentação de embarcações

176

8.5.3 Transporte terrestre rodoviário de cargas

176

8.5.4 Sistemas de infraestrutura para a operação

177

8.5.4.1 Água

 

178

8.5.4.2 Sistemas de Água Não Potável e de Combate a Incêndio

178

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

iii

  8.5.4.3 Esgoto 179   8.5.5 DRENAGEM DE ÁGUAS PLUVIAIS 181 8.5.6 RESÍDUOS 183
  8.5.4.3 Esgoto 179   8.5.5 DRENAGEM DE ÁGUAS PLUVIAIS 181 8.5.6 RESÍDUOS 183
 

8.5.4.3

Esgoto

179

 

8.5.5

DRENAGEM DE ÁGUAS PLUVIAIS

181

8.5.6

RESÍDUOS

183

8.5.7

FORNECIMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

184

8.5.8

IDENTIFICAÇÃO DE ASPECTOS AMBIENTAIS E DE PERIGOS À SAÚDE E SEGURANÇA DOS TRABALHADORES E RESPECTIVOS PROCEDIMENTOS DE CONTROLE

187

 

8.5.9

Mão de obra (fase de operação)

195

 

8.6

DESATIVAÇÃO

195

9.

ÁREAS DE INFLUÊNCIA PRELIMINARES (ÁREAS DE ESTUDO)

196

9.1

CRITÉRIOS CONSIDERADOS NA DEFINIÇÃO DAS ÁREAS DE INFLUÊNCIA PRELIMINARES (ÁREAS DE ESTUDO)

196

9.2

ÁREA DE INFLUÊNCIA INDIRETA (AII) PRELIMINAR

197

 

9.2.1 Meio Físico e Meio Biótico

197

9.2.2 Meio Socioeconômico

199

 

9.3

ÁREA DE INFLUÊNCIA DIRETA (AID) PRELIMINAR

201

9.3.1

MEIO FÍSICO E MEIO BIÓTICO

201

 

9.3.2

Meio Socioeconômico

203

 

9.4

ÁREA DIRETAMENTE AFETADA (ADA) PRELIMINAR

205

VOLUME 2

 

10.

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DAS ÁREAS DE INFLUÊNCIA PRELIMINARES (ÁREAS DE ESTUDO)

1

10.1

MEIO FÍSICO

1

 

10.1.1 GEOLOGIA

2

10.1.2 GEOMORFOLOGIA

10

10.1.3 CLIMA

19

10.1.4 CARACTERIZAÇÃO FLUVIOMÉTRICA E REGIME DE ESCOAMENTO SUPERFICIAL

 

27

10.1.5 RECURSOS HÍDRICOS

37

10.1.6 QUALIDADE DAS ÁGUAS SUPERFICIAIS

41

10.1.7 QUALIDADE DOS SEDIMENTOS SUPERFICIAIS

74

10.1.8 COMPORTAMENTO HIDRODINÂMICO E TRANSPORTE DE SEDIMENTOS

100

10.1.9 PASSIVOS AMBIENTAIS

113

10.1.10

CONCLUSÃO/SÍNTESE DOS ASPECTOS DO MEIO FÍSICO

172

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

iv

VOLUME 3 10. DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DAS ÁREAS DE INFLUÊNCIA PRELIMINARES (ÁREAS DE ESTUDO) 1 10.2

VOLUME 3

VOLUME 3 10. DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DAS ÁREAS DE INFLUÊNCIA PRELIMINARES (ÁREAS DE ESTUDO) 1 10.2 MEIO

10.

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DAS ÁREAS DE INFLUÊNCIA PRELIMINARES (ÁREAS DE ESTUDO)

1

10.2

MEIO BIÓTICO

1

 

10.2.1 VEGETAÇÃO

1

10.2.2 FAUNA TERRESTRE

64

10.2.3 BIOTA AQUÁTICA

173

10.2.4 UNIDADES DE CONSERVAÇÃO E OUTRAS ÁREAS LEGALMENTE PROTEGIDAS

 

271

 

10.2.5 CONCLUSÃO/SÍNTESE MEIO BIÓTICO COM ENFOQUE NO EMPREENDIMENTO

 

284

VOLUME 4

 

10.

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DAS ÁREAS DE INFLUÊNCIA PRELIMINARES (ÁREAS DE ESTUDO)

1

10.3

MEIO SOCIOECONÔMICO

1

 

10.3.1 Inserção Regional

3

10.3.2 Uso e Ocupação do Solo e Ordenamento Territorial

11

10.3.3 Aspectos Demográficos e Caracterização Populacional

22

10.3.4 Aspectos Econômicos

63

10.3.5 Condições de Vida

83

10.3.6 Mobilidade Urbana

103

10.3.7 Balneabilidade

111

10.3.8 Patrimônio Histórico e Arqueológico

112

10.3.9 Histórico de Acidentes

147

10.3.10 Conclusão/Síntese Meio Socioeconômico com Enfoque no Empreendimento

150

VOLUME 5

 

11.

AVALIAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS E PROPOSIÇÃO DE MEDIDAS MITIGADORAS

1

11.1 INTRODUÇÃO

 

1

11.2 MÉTODO

1

 

11.2.1 Identificação de impactos

1

11.2.2 Caracterização dos impactos

5

 

11.3 IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS

8

 

11.3.1

Impactos sobre o Meio Físico

12

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

v

11.3.1.1 Fase de Planejamento 12 11.3.1.2 Fase de Implantação 14 11.3.1.3 Fase de Operação 21
11.3.1.1 Fase de Planejamento 12 11.3.1.2 Fase de Implantação 14 11.3.1.3 Fase de Operação 21

11.3.1.1 Fase

de

Planejamento

12

11.3.1.2 Fase de Implantação

14

11.3.1.3 Fase de Operação

21

 

11.3.2

Impactos sobre o Meio Biótico

26

11.3.2.1 Fase

de

Planejamento

26

11.3.2.2 Fase de Implantação

29

11.3.2.3 Fase de Operação

43

 

11.3.3

Impactos sobre o Meio Socioeconômico

53

11.3.3.1 Fase

de

Planejamento

53

11.3.3.2 Fase de Implantação

57

11.3.3.3 Fase de Operação

66

 

11.3.4

Componentes ambientais não impactados

77

11.3.4.1 Unidades de Conservação e Outras Áreas Legalmente Protegidas

78

11.3.4.2 Tombamento do Encontro das Águas

78

11.3.4.3 Comunidades Tradicionais

79

11.3.4.4 Atividade de Pesca

79

11.3.4.5 Vila da Felicidade

80

11.3.4.6 Uso e Ocupação do Solo

80

11.4

SÍNTESE E CONCLUSÕES DOS IMPACTOS

81

11.5

DELIMITAÇÃO DAS ÁREAS DE INFLUÊNCIA

96

11.5.1 Área de Influência Indireta – AII

96

11.5.2 Área de Influência Direta –

96

11.5.3 Área Diretamente Afetada –

97

12.

PLANOS E PROGRAMAS AMBIENTAIS

102

12.1

INTRODUÇÃO

 

102

12.2

PROGRAMAS

104

12.2.1

PLANO DE GESTÃO AMBIENTAL

106

12.2.1.1 Apresentação e Justificativa

106

12.2.1.2 Objetivos

 

108

12.2.1.3 Indicadores e Metas

109

12.2.1.4 Procedimentos Metodológicos e Atividades

115

12.2.1.5 Aspectos Ambientais e de Saúde e Segurança

122

12.2.1.6 Público Alvo

 

122

12.2.1.7 Recursos Materiais e Humanos

122

12.2.1.8 Atendimento a Requisitos Legais e Institucionais

123

12.2.1.9 Inter-relação com Outros Programas Ambientais

124

12.2.1.10 Etapa do Empreendimento

125

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

vi

12.2.1.11 Cronograma de Execução   125 12.2.1.12 Responsável pela Implementação do Programa 125
12.2.1.11 Cronograma de Execução   125 12.2.1.12 Responsável pela Implementação do Programa 125

12.2.1.11 Cronograma de Execução

 

125

12.2.1.12 Responsável pela Implementação do Programa

125

12.2.1.13 Sistemas de

Registro

 

125

12.2.2 PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

126

12.2.2.1 Apresentação e Justificativa

 

126

12.2.2.2 Objetivos

127

12.2.2.3 Indicadores e Metas

128

12.2.2.4 Metodologia, Procedimentos e Descrição do Programa

130

12.2.2.5 Público Alvo

 

152

12.2.2.6 Recursos Materiais e Humanos

152

12.2.2.7 Responsabilidade pela Implementação do Programa

152

12.2.2.8 Interferência com Outros Programas Ambientais

153

12.2.2.9 Etapa do Empreendimento

e Cronograma

153

12.2.2.10

Atendimento a Requisitos Legais e Institucionais

153

12.2.2.11

Sistema de Registro

155

12.2.3

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE EFLUENTES LÍQUIDOS

156

12.2.3.1 Introdução

 

156

12.2.3.2 Justificativa

157

12.2.3.3 Objetivos

158

12.2.3.4 Metas e Indicadores de Desempenho

158

12.2.3.5 Público Alvo

 

159

12.2.3.6 Procedimentos Metodológicos

159

12.2.3.7 Responsável pela Implementação do Programa

164

12.2.3.8 Instituições Envolvidas

 

164

12.2.3.9 Recursos Materiais e Humanos

165

12.2.3.10 Inter-relação com Outros Programas Ambientais

165

12.2.3.11 Atendimento a Requisitor Legais e Institucionais

165

12.2.3.12 Cronograma de Execução

 

166

12.2.3.13 Acompanhamento e Avaliação (Sistemas de Registro)

166

12.2.4

PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL DA CONSTRUÇÃO – PCA-C

167

12.2.4.1. Apresentação e Justificativa

 

167

12.2.4.2. Objetivos

167

12.2.4.3. Metas

168

12.2.4.4. Descrição das Instalações e Fases de Implantação do Porto do PIM

169

12.2.4.5. Descrição Geral das Atividades de Construção

171

12.2.4.6. Procedimentos Metodológicos e Atividades

178

12.2.4.7. Aspectos Ambientais

 

196

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

vii

12.2.4.8. Público Alvo   197 12.2.4.9 Recursos Materiais e Humanos 197 12.2.4.10 Atendimento a
12.2.4.8. Público Alvo   197 12.2.4.9 Recursos Materiais e Humanos 197 12.2.4.10 Atendimento a

12.2.4.8. Público Alvo

 

197

12.2.4.9

Recursos Materiais e Humanos

197

12.2.4.10

Atendimento a Requisitos Legais e Institucionais

197

12.2.4.11

Inter-relação com Outros Programas Ambientais

200

12.2.4.12

Etapa do Empreendimento

200

12.2.4.13

Cronograma de Execução

200

12.2.4.14

Responsável pela Implementação do Programa

200

12.2.4.15

Sistemas de

Registro

201

12.2.5

PROGRAMA DE MONITORAMENTO DA QUALIDADE DA ÁGUA

209

12.2.5.1 Apresentação e Justificativa

209

12.2.5.2 Objetivos

 

209

12.2.5.3 Metas

209

12.2.5.4 Metodologia e Descrição do Programa

209

12.2.5.5 Aspectos Ambientais

212

12.2.5.6 Público-alvo

 

212

12.2.5.7 Recursos Materiais e Humanos

213

12.2.5.8 Atendimento a Requisitos Legais e Institucionais

213

12.2.5.9 Inter-relação com Outros Programas Ambientais

213

12.2.5.10

Etapa do Empreendimento

213

12.2.5.11

Cronograma de Execução

213

12.2.5.12

Responsável pela Implementação do Programa

213

12.2.5.13

Sistemas de

Registro

214

12.2.6

PROGRAMA DE MONITORAMENTO DA QUALIDADE DOS SEDIMENTOS

214

12.2.6.1 Apresentação e Justificativa

214

12.2.6.2 Objetivos

 

214

12.2.6.3 Metas

214

12.2.6.4 Metodologia e Descrição do Programa

214

12.2.6.5 Aspectos Ambientais

218

12.2.6.6 Público-Alvo

 

218

12.2.6.7 Recursos Materiais e Humanos

218

12.2.6.8 Atendimento a Requisitos Legais e Institucionais

219

12.2.6.9 Inter-relação com Outros Programas Ambientais

219

12.2.6.10

Etapa do Empreendimento

219

12.2.6.11

Cronograma de Execução

219

12.2.6.12

Responsável pela Implementação do Programa

219

12.2.6.13

Sistemas de

Registro

219

12.2.7

PROGRAMA DE MONITORAMENTO DA FAUNA E BIOINDICADORES

220

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

viii

12.2.7.1 Subprograma de Monitoramento da Fauna de Vertebrados Terrestres 220 12.2.7.2 Subprograma de Monitoramento
12.2.7.1 Subprograma de Monitoramento da Fauna de Vertebrados Terrestres 220 12.2.7.2 Subprograma de Monitoramento

12.2.7.1 Subprograma de Monitoramento da Fauna de Vertebrados Terrestres

220

12.2.7.2 Subprograma de Monitoramento do Sauim-de-Coleira

233

12.2.7.3 Subprograma de Monitoramento da Biota Aquática

236

12.2.8

PROGRAMA DE CONTROLE DE SUPRESSÃO DA VEGETAÇÃO E RESGATE DE FAUNA

250

12.2.8.1 Apresentação e justificativa

250

12.2.8.2 Objetivos

 

251

12.2.8.3 Metas

252

12.2.8.4 Métodos

252

12.2.8.5 Inspeção Ambiental

266

12.2.8.6 Elaboração de Relatório Técnico

266

12.2.8.7 Responsáveis Técnicos

267

12.2.8.8 Público-Alvo

 

267

12.2.8.9 Atendimento a Requisitos Legais e Institucionais

267

12.2.8.10

Interação com Outros Planos e Programas

267

12.2.8.11

Cronograma e Etapa do Empreendimento

268

12.2.8.12

Responsável Pela Implementação do Programa

268

12.2.8.13

Sistemas de

Registro

268

12.2.9

PROGRAMA DE CONTROLE DE VETORES E PRAGAS URBANAS

268

12.2.9.1 Apresentação e Justificativa

268

12.2.9.2 Objetivos

 

268

12.2.9.3 Metas

268

12.2.9.4 Metodologia e Descrição do Programa

268

12.2.9.5 Aspectos Ambientais

269

12.2.9.6 Público-alvo

 

270

12.2.9.7 Recursos Materiais e Humanos

270

12.2.9.8 Atendimento a Requisitos Legais e Institucionais

270

12.2.9.9 Inter-relação

com Outros Programas

270

12.2.9.10 Etapa do Empreendimento

270

12.2.9.11 Cronograma de Execução

270

12.2.9.12 Responsável pela Implementação do Programa

270

12.2.9.13 Sistemas de Registro

270

12.2.10 PROGRAMA DE PROSPECÇÃO E GESTÃO DO PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO.270

12.2.10.1 Apresentação e Justificativa

271

12.2.10.2 Objetivos

271

12.2.10.3 Metodologia e Descrição do Programa

271

12.2.10.4 Recursos Materiais e Humanos

271

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

ix

12.2.10.5 Atendimento a Requisitos Legais e Institucionais 272 12.2.10.6 Inter-relação com Outros Programas
12.2.10.5 Atendimento a Requisitos Legais e Institucionais 272 12.2.10.6 Inter-relação com Outros Programas

12.2.10.5 Atendimento a Requisitos Legais e Institucionais

272

12.2.10.6 Inter-relação com Outros Programas

272

12.2.10.7 Etapa do Empreendimento

272

12.2.10.8 Cronograma de Execução

272

12.2.10.9 Responsável pela Implementação do Programa

272

12.2.10.10

Para as Ações de Educação Patrimonial

272

12.2.11

PROGRAMA DE CONTROLE AMBIENTAL DA OPERAÇÃO – PCA-O

273

12.2.11.1 Apresentação e Justificativa

273

12.2.11.2 Objetivos

274

12.2.11.3 Indicadores de Metas

274

12.2.11.4 Descrição das Instalaçõaes e Fases de Implantação do Porto do PIM

275

12.2.11.5 Procedimentos Metodológicos e Atividades

281

12.2.11.6 Público-Alvo

294

12.2.11.7 Recursos Materiais e Humanos

295

12.2.11.8 Atendimento a Requisitos Legais e Institucionais

295

12.2.11.9 Inter-relação com Outros Programas Ambientais

299

12.2.11.10 Etapa do Empreendimento

299

12.2.11.11 Cronograma de Execução

299

12.2.11.12 Responsável pela Implementação do Programa

299

12.2.11.13 Sistemas de

Registro

300

12.2.12

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL, SAÚDE E SEGURANÇA DOS TRABALHADORES

301

12.2.12.1 Apresentação e Justificativa

301

12.2.12.2 Objetivos

302

12.2.12.3 Metas

303

12.2.12.4 Metodologia e Descrição do Programa

304

12.2.12.5 Público-Alvo

311

12.2.12.6 Recursos Materiais e Humanos

311

12.2.12.7 Atendimento a Requisitos Legais e Institucionais

312

12.2.12.8 Inter-relação com Outros Programas Ambientais

313

12.2.12.9 Etapa do Empreendimento

313

12.2.12.10 Cronograma de execução

313

12.2.12.11 Responsável pela Implementação do Programa

313

12.2.12.12 Sistemas de

Registro

314

12.2.13

PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

314

12.2.13.1.

Apresentaçãoe Justificativa

314

12.2.13.2

Objetivos

314

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

x

12.2.13.3 Metas   315 12.2.13.4 Metodologia e Descrição do Programa 315 12.2.13.5 Aspectos Ambientais
12.2.13.3 Metas   315 12.2.13.4 Metodologia e Descrição do Programa 315 12.2.13.5 Aspectos Ambientais

12.2.13.3 Metas

 

315

12.2.13.4 Metodologia e Descrição do Programa

315

12.2.13.5 Aspectos Ambientais

322

12.2.13.6 Público-Alvo

 

322

12.2.13.7 Recursos Materiais e Humanos

322

12.2.13.8 Atendimento a Requisitos Legais e Institucionais

322

12.2.13.9 Inter-relação com Outros Programas Ambientais

322

12.2.13.10 Etapa do Empreendimento

323

12.2.13.11 Cronograma de Execução

323

12.2.13.12 Responsável pela Implementação do Programa

323

12.2.13.13 Sistemas de

Registro

323

12.2.14 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE ENDEMIAS

323

12.2.14.1.

Apresentação e Justificativa

323

12.2.14.2

Objetivos

324

12.2.14.3

Metas

324

12.2.14.4

Metodologia e Descrição do Programa

324

12.2.14.5

Aspectos Ambientais

326

12.2.14.6

Público-Alvo

326

12.2.14.7

Recursos MAteriais e Humanos

326

12.2.14.8

Atendimento a Requisitos Legais e Institucionais

326

12.2.14.9

Inter-relação com Outros Programas Ambientais

326

12.2.14.10 Etapa do Empreendimento

326

12.2.14.11 Cronograma de Execução

326

12.2.14.12 Responsável pela Implementação do Programa

327

12.2.14.13 Sistemas de

Registro

327

12.2.15 PROGRAMA DE COMPENSAÇÃO AMBIENTAL (Snuc)

327

12.2.15.1 Apresentação e Justificativa

327

12.2.15.2 Cálculo do Valor da Compensação Ambiental

328

12.2.15.3 Unidades de Conservação Inseridas na Área de Influência do Empreendimento333

13. PROGNÓSTICO

335

13.1 CENÁRIO FUTURO COM A IMPLANTAÇÃO DO EMPREENDIMENTO

335

13.2 CENÁRIO FUTURO SEM A IMPLANTAÇÃO DO EMPREENDIMENTO

338

14. CONCLUSÃO

340

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

xi

VOLUME 6 15. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1 16. ANEXOS 36 PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS

VOLUME 6

VOLUME 6 15. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1 16. ANEXOS 36 PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS -

15. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1

16. ANEXOS

36

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

xii

ANEXOS VOLUME 6 ANEXO 1: TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO 2: LICENÇA AMBIENTAL PRÉVIA ANEXO 2A:

ANEXOS

ANEXOS VOLUME 6 ANEXO 1: TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO 2: LICENÇA AMBIENTAL PRÉVIA ANEXO 2A: OFÍCIO

VOLUME 6

ANEXO 1: TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO 2: LICENÇA AMBIENTAL PRÉVIA ANEXO 2A: OFÍCIO Nº 1175/2012/SEP/PR ANEXO 2B:LICENÇA PRÉVIA - LP 065/2012 1ªALTERAÇAO ANEXO 2C: PUBLICAÇÃO LP 065/2012 1ª ALTERAÇÃO ANEXO 2D: CARTA DE ENCAMINHAMENTO LP 065/20121ª ALTERAÇÃO - DE APMT PARA SEP ANEXO 3: CERTIDÃO DE USO DO SOLO ANEXO 4: OFÍCIO Nº 40-885/EMA-MB 041.12/2011 ANEXO 4A: OFÍCIO 1213/2012/SEP/PR ANEXO 5: PORTARIAS SEP-PR ANEXO 6: ANOTAÇÕES DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA – ARTS ANEXO 7: CADEIA DE CUSTÓDIA DOS LABORATÓRIOS - ÁGUA ANEXO 8: RELATÓRIO DE GARANTIA E CONTROLE DE QUALIDADE (QA/QC) ANEXO 9: RELATÓRIO DE ENSAIO FÍSICO-QUÍMICOS DE ANÁLISES IN SITU - ÁGUA ANEXO 10: RELATÓRIOS DE ENSAIOS ANALÍTICOS DE ANÁLISES LABORATORIAIS - ÁGUA ANEXO 11: CADEIA DE CUSTÓDIA DO LABORATÓRIO - SEDIMENTO ANEXO 12: RELATÓRIO DE ENSAIO FÍSICO-QUÍMICOS DE ANÁLISES IN SITU - SEDIMENTO ANEXO 13: RELATÓRIOS DE ENSAIOS ANALÍTICOS DE ANÁLISES LABORATORIAIS - SEDIMENTO ANEXO 14: MATRÍCULA DO IMÓVEL ANEXO 15: CERTIFICADO DE CALIBRAÇÃO ANEXO 16: RELATÓRIOS DE ENSAIOS ANALÍTICOS DE ANÁLISES LABORATORIAIS PASSIVO ANEXO 17: INFORMAÇÃO Nº 24/2011 – DIAPR/DEAPGT/SEMMAS ANEXO 18: RELATÓRIO APRESENTADO AO IPHAN (CD) E PROTOCOLO DE ENTREGA ANEXO 19: DIÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO DE MANAUS ANEXO 20: AUTORIZAÇÃO NLA 012012

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

xiii

DESENHOS VOLUME 1 DESENHO LOCA 2.3-1: Localização do empreendimento 4 DESENHO COLOC 6.1-1: Atividades de
DESENHOS VOLUME 1 DESENHO LOCA 2.3-1: Localização do empreendimento 4 DESENHO COLOC 6.1-1: Atividades de

DESENHOS

VOLUME 1

DESENHO LOCA 2.3-1: Localização do empreendimento

4

DESENHO COLOC 6.1-1: Atividades de mesma tipologia

76

DESENHO USOEX 6.2-1: Atividades na área de expansão do Porto Organizado de Manaus

91

DESENHO 03734-MA-00-DSK-0006: Faixa do gasoduto

110

DESENHO 03734-MA-00-DSK-0003: Layout do Projeto Básico

127

DESENHO 03734-MA-00-DSK-0051: Fases de implantação do Porto do PIM

128

DESENHO 03734-MA-00-DSK-0003: Layout do Projeto Básico

137

DESENHO 03734-MA-00-DSK-0036: Arranjo geral do cais e ponte de acesso

138

DESENHO 03734-MA-00-DSK-0037: Arranjo geral do cais e ponte de acesso

139

DESENHO 03734-MA-00-DSK-0038: Arranjo geral do módulo flutuante do cais

140

DESENHO 03734-MA-00-DSK-0039: Plano de capacidade do módulo flutuante do cais

141

DESENHO APM 41: Arranjo geral do módulo do cais flutuante e da rampa flutuante

142

DESENHO APM 42: Arranjo geral do módulo do cais flutuante e da rampa flutuante

143

DESENHO APM 43: Arranjo geral do módulo do cais flutuante e da rampa flutuante

144

DESENHO 03734-MA-00-DSK-0025: Ponte fixa

145

DESENHO 03734-MA-00-DSK-0050: Armazém de Consolidação e Desconsolidação

146

DESENHO 03734-MA-00-DSK-0007a: Portão de entrada

147

DESENHO 03734-MA-00-DSK-0007b: Portão de saída

148

DESENHO APM 14: Estacionamento de caminhões

149

DESENHO APM 13: Projeto básico de arquitetura do edifício administrativo

150

DESENHO APM 22: Área para produtos perigosos

151

DESENHO PLANBAT 8.3-1: Levantamento planialtimétrico

156

DESENHO BATIM 8.3.3-1: Levantamento Batimétrico

158

DESENHO 03734-MA-00-DSK-0002: Muros de contenção (corte e aterro)

167

DESENHO 03734-MA-00-DSK-0006: faixa do gasoduto

169

DESENHO 03734-MA-00-DSK-0030: Projeto de Pavimentação (tipos de pavimentos)

171

DESENHO 03734-MA-00-DSK-0035: sistema de água e de esgoto

180

DESENHO 03734-MA-00-DSK-0033: Sistema de drenagem

182

DESENHO 03734-MA-00-DSK-0048: Subestações, redes de média e baixa tensão

186

DESENHO AIIFB 9.2-1: Área de Influência Indireta Preliminar – AII – Meio Físico e Biótico

198

DESENHO AIISE 9.2-2: Área de Influência Indireta Preliminar – AII – Meio Socioeconômico

200

DESENHO AIDFB 9.3-1: Área de Influência Direta Preliminar – AID – Meio Físico e Biótico

202

DESENHO AIDSE 9.3-2: Área de Influência Direta Preliminar – AID – Meio Socioeconômico

204

DESENHO ADA 9.4-1: Área Diretamente Afetada – ADA

206

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

xiv

VOLUME 2 DESENHO GEOLAII 10.1.1.3-1: Mapa Geológico AII/AID 4 DESENHO GEOLADA 10.1.1.5-1: Mapa Geológico

VOLUME 2

VOLUME 2 DESENHO GEOLAII 10.1.1.3-1: Mapa Geológico AII/AID 4 DESENHO GEOLADA 10.1.1.5-1: Mapa Geológico

DESENHO

GEOLAII 10.1.1.3-1: Mapa Geológico AII/AID

4

DESENHO

GEOLADA 10.1.1.5-1: Mapa Geológico ADA

9

DESENHO

GEOMORFAII 10.1.2.3-1: Mapa Geomorfológico AII/AID

13

DESENHO GEOMORFADA 10.1.2.5-1: Mapa Geomorfológico ADA

18

DESENHO AGUA 10.1.6-1: Mapa pontos de coleta de água superficial

43

DESENHO AGUA 10.1.6-2: Mapa pontos de amostragem de dados históricos de água superficial

50

DESENHO SEDI 10.1.7-1: Mapa pontos de coleta de sedimentos superficiais

76

DESENHO SEDI 10.1.7-2: Mapa pontos de amostragem de dados históricos de sedimento superficial

81

DESENHO PAS 10.1.9.3.2: Identificação das instalações existentes

120

DESENHO PAS 10.1.9.3.3.2: Localização dos pontos de sondagem

125

VOLUME 3

DESENHO VEG 10.2.1-1: Pontos de amostragem de vegetação AID/ADA

5

DESENHO VEG 10.2.1-2: Cobertura vegetal AII

16

DESENHO VEG 10.2.1-3: Cobertura vegetal AID

31

DESENHO VEG 10.2.1-4: Cobertura vegetal ADA

41

DESENHO VEG 10.2.1-5: Áreas de preservação permanente incidentes na AID e ADA

62

DESENHO MASTOTE 10.2.2.1-1: Pontos de amostragem de mastofauna terrestre

69

DESENHO AVI 10.2.2.2-1: Pontos de amostragem de avifauna

102

DESENHO HERP 10.2.2.3-1: Pontos de amostragem de herpetofauna

140

DESENHO ARTRO 10.2.2.4-1: Pontos de amostragem da artropodofauna

163

DESENHO MASTOAQ 10.2.3.1-1: Pontos de amostragem de mastofauna aquática

175

DESENHO QUEL 10.2.3.2-1: Pontos de amostragem de quelônios

184

DESENHO ICTIO 10.2.3.3-1: Pontos de amostragem de ictiofauna

193

DESENHO BENTOS 10.2.3.4-1: Pontos de amostragem de macroinvertebrados bentônicos

240

DESENHO ZOOFITO 10.2.3.5-1: Pontos de amostragem de zooplâncton e fitoplâncton

245

DESENHO UCAII 10.2.4-1: Unidades de conservação e outras áreas legalmente protegidas – AII

277

DESENHO UCAID 10.2.4-2: Unidades de conservação e outras áreas legalmente protegidas – AID e ADA 279

DESENHO MMA 10.2.4.5-1: Áreas Prioritárias

282

VOLUME 4

DESENHO USOLO 10.3.2-1: Uso do solo na AII

17

DESENHO USOLO 10.3.2-2: Uso do solo na AID

20

DESENHO USORLA 10.3.2-3: Atividades desenvolvidas na orla do rio Negro

21

DESENHO

TERIND 10.3.3.9-1: Terras Indígenas

48

DESENHO CORIB 10.3.3.9-2: Comunidades Ribeirinhas

51

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

xv

DESENHO QUILOMB 10.3.3.9-3: Quilombolas 53 DESENHO TMB 10.3.8-1: Tombamento Encontro das Águas 132 DESENHO
DESENHO QUILOMB 10.3.3.9-3: Quilombolas 53 DESENHO TMB 10.3.8-1: Tombamento Encontro das Águas 132 DESENHO

DESENHO QUILOMB 10.3.3.9-3: Quilombolas

53

DESENHO TMB 10.3.8-1: Tombamento Encontro das Águas

132

DESENHO SITARQ 10.3.8-1: Sítios arqueológicos AII

143

DESENHO SITARQ 10.3.8-2: Sítios arqueológicos AID

144

DESENHO SITARQ 10.3.8-3: Sítios arqueológicos ADA

145

DESENHO SITARQ 10.3.8-4: Sítio Siderama

146

VOLUME 5

DESENHO AI 11.5-1: AII do Porto do PIM

98

DESENHO AI 11.5-2: AID do Porto do PIM (MEIO FÍSICO E BIÓTICO)

99

DESENHO AI 11.5-3: AID do Porto do PIM (MEIO SOCIOECONÔMICO)

100

DESENHO AI 11.5-4: ADA do Porto do PIM

101

DESENHO AGU 12.2.5-1: Pontos de monitoramento de água superficial

210

DESENHO SED 12.2.6-1: Pontos de monitoramento de sedimentos superficiais

216

DESENHO HERP 12.2.7-1: Pontos de monitoramento da herpetofauna terrestre

225

DESENHO MAST 12.2.7-1: Pontos de monitoramento da mastofauna terrestre

226

DESENHO AVI 12.2.7-1: Pontos de monitoramento da avifauna terrestre e aquática

227

DESENHO ZOOFITO 12.2.7-1: Pontos de monitoramento de fitoplâncton e zooplâncton

238

DESENHO BENT 12.2.7-1: Pontos de Monitoramento de Macroinvertebrados Bentônicos

240

DESENHO ICTI 12.2.7-1: Pontos de monitoramento de ictiofauna

243

DESENHO MAM 12.2.7-1: Pontos de monitoramento de mastofauna aquática

245

DESENHO QUEL 12.2.7-1: Pontos de monitoramento de quelônios

248

DESENHO 03734-MA-00-DSK-0003: Layout Porto do PIM

278

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

xvi

FIGURAS VOLUME 1 FIGURA 2.3-1: Área de expansão do Porto Organizado de Manaus (Porto Público),
FIGURAS VOLUME 1 FIGURA 2.3-1: Área de expansão do Porto Organizado de Manaus (Porto Público),

FIGURAS

VOLUME 1

FIGURA 2.3-1: Área de expansão do Porto Organizado de Manaus (Porto Público), conforme Decreto da Presidência da República, de 30 de março de 2006, e área na qual se pretende implantar o Porto do PIM (área da antiga

5

FIGURA 2.3-2: Fotografia aérea de 1988 mostrando a área de expansão do Porto Organizado de Manaus

8

FIGURA 2.3-3: Fotografia aérea de 1989 mostrando a área de expansão do Porto Organizado de Manaus

9

FIGURA 2.3-4: Fotografia aérea de 1990 mostrando a área de expansão do Porto Organizado de Manaus

10

FIGURA 2.3-5: Imagem de satélite de 2002 mostrando a área de expansão do Porto Organizado de Manaus.

11

FIGURA 2.3-6: Imagem de satélite de 2005 mostrando a área de expansão do Porto Organizado de Manaus.

12

FIGURA 2.3-7: Imagem de satélite de 2010 mostrando a área de expansão do Porto Organizado de Manaus.

13

FIGURA 2.3-8: Imagem de satélite de 2011 mostrando a área de expansão do Porto Organizado de Manaus.

 

14

FIGURA 2.3-9: Trecho da área de expansão do Porto Organizado de Manaus cedido à Marinha do Brasil

15

FIGURA 3.3.1-1: Mapa Rodoviário do Brasil elaborado pelo Ministério dos Transportes. Nota-se a diferença entre a densidade de rodovias existentes na região Norte e nas demais regiões do

32

FIGURA 3.3.1-2: Mapa da região Norte e parte da região Centro-Oeste, com a indicação dos poucos trechos

de rodovias

FIGURA 3.3.1-3: Mapa rodoviário elaborado pelo Ministério dos Transportes, com ampliação para a região de

Manaus; observa-se a pequena incidência de rodovias nessa

34

33

FIGURA 3.3.1-4: Mapa rodoviário elaborado pelo CNT com a indicação dos trechos de rodovias no Estado do

Amazonas e a classificação quanto ao estado de conservação (ruim e péssimo)

35

FIGURA 3.3.2-1: Mapa Ferroviário do Brasil; notar a diferença da densidade de ferrovias nas regiões sul, sudeste e nordeste com relação à região

36

FIGURA 3.3.2-2: Detalhe do Mapa Ferroviário do Brasil indicando a inexpressiva ocorrência de ferrovias na região amazônica (Estrada de Ferro do Amapá – EFA, Estrada de Ferro Jari – EFJ e Estrada de Ferro Trombetas –

37

FIGURA 3.3.4-1: Mapa com a hidrografia do Brasil e seu potencial navegável. Diferente dos demais modais de transporte nota-se que a região Norte é extremamente rica em rios navegáveis, implicando condições muito favoráveis ao desenvolvimento do transporte fluvial

FIGURA 4.1-1: Área de expansão do Porto Organizado de Manaus (Porto Público), conforme Decreto de 30

de março de 2006 da Presidência da República, e área na qual se pretende implantar o Porto do PIM (área

da antiga

FIGURA 6.1.1-1: Área de expansão do Porto Organizado de Manaus (Porto Público), conforme Decreto de 30

de março de 2006 da Presidência da República, e área na qual pretende-se implantar o Porto do PIM (área

39

44

da antiga

78

FIGURA 6.2.3-1: Mapa esquemático do gasoduto Urucu-Coari-Manaus com seus respectivos trechos e pontos de

96

FIGURA 6.2.5-1: Mapa rodoviário do Estado do Amazonas. Trecho em vermelho contínuo da BR-319 =

rodovia pavimentada. Trecho em vermelho pontilhado da BR 319 = rodovia em pavimentação. Trecho em

rosa da BR-319 = rodovia implantada

102

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

xvii

FIGURA 6.3-1: Projeção da demanda de TEUs em Manaus até o ano de 2040 105
FIGURA 6.3-1: Projeção da demanda de TEUs em Manaus até o ano de 2040 105

FIGURA 6.3-1: Projeção da demanda de TEUs em Manaus até o ano de 2040

105

FIGURA 6.3-2: Capacidade versus demanda de contêineres em Manaus, considerando a implantação do Terminal Portuário das

106

FIGURA 6.3-3: Capacidade versus demanda de contêineres em Manaus, considerando a não implantação do

106

FIGURA 7.2-1: Indicação da área proposta para o Porto do PIM. Notar a proximidade das indústrias já em operação no Polo Industrial de Manaus (Distrito Industrial I), além da indicação das principais vias de acesso

115

FIGURA 7.2.1-1: Indicação da área indicada como “Alternativa Puraquequara” em comparação à localização da área proposta para o Porto do PIM. Embora nenhuma das duas alternativas interfira diretamente com as áreas densamente habitadas do município de Manaus, a proximidade e as condições de acesso do Porto do

116

FIGURA 7.2.1-2: Indicação da área indicada como “Alternativa São Raimundo” em comparação à localização da área proposta para o Porto do PIM. Além da maior distância às indústrias do PIM, a carga entre a área de São Raimundo e o Polo Industrial de Manaus teria que atravessar toda a área urbana de Manaus, agravando

117

PIM projetado são melhores do que as da “Alternativa

(BR-319 e Rua Ministro João Gonçalves de Araújo)

Terminal Portuário das

ainda mais os problemas de tráfego de carga pesada já existentes naquela região

FIGURA 7.2.1-3: Indicação da área denominada “Alternativa Itacoatiara” comparada à localização da área

indicada para a implantação do Porto do PIM. Notar a proximidade entre a área do Porto do PIM e o Distrito

Industrial de Manaus, principalmente quando comparado com a área de

FIGURA 7.2.1-4: Indicação da área denominada “Alternativa Manacapuru” comparada à localização da área

indicada para a implantação do Porto do PIM. A distância do Distrito Industrial da Manaus é muito superior à

118

do Porto do PIM

119

FIGURA 8.1.2-1: Área de expansão do Porto Organizado de Manaus, conforme Decreto da Presidência da República, de 30 de março de 2006, e área na qual se pretende implantar o Porto do PIM (área da antiga

 

123

FIGURA 8.2.2-1: Layout do Projeto Básico do Porto do

129

FIGURA 8.2.2-2: Layout do Porto do PIM - Localização do cais flutuante

130

FIGURA 8.2.2-3: Layout do Porto do PIM - Localização dos pátios de

131

FIGURA 8.2.3-1: Guindastes em pórtico móveis (com pneus) – RTG - Rubber Tyred Gantry

152

FIGURA 8.2.3-2: Guindaste giratório

153

FIGURA 8.3.2-1: Configuração final de elevação dos pátios projetados definida mediante modelo CAD 3D.

 

155

FIGURA 8.3.3.1-1: Localização do Porto do PIM sobre Carta Náutica

157

FIGURA 8.3.3.2-1: Pontos de restrição de calado – sistema hidroviário do rio Amazonas e rio

159

FIGURA 8.3.3.2-2: Pontos de restrição de

160

FIGURA 8.4.1-1: Localização canteiro de obra sobre Projeto Básico do Porto do

162

FIGURA 8.4.1-2: Localização canteiro de obra sobre imagem da área a ser implantado o Porto do

162

FIGURA 8.4.4.3-1: Seção-tipo de

170

FIGURA 8.5.4.2-1: Localização do poço profundo de captação de água subterrânea existente na área a ser

implantado o Pátio 3

179

VOLUME 2

FIGURA 10.1.1.1-1: Localização da Bacia do Amazonas (Almeida et al.,

2

FIGURA 10.1.1.5-1: Solo argiloarenoso amarelado situado no topo do relevo da área do

6

FIGURA 10.1.1.5-2: Níveis topográficos e rochas predominantes (arenitos) na área do

6

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

xviii

FIGURA 10.1.1.5-3: Níveis arenosos 7 FIGURA 10.1.1.5-4: Material friável da Formação Alter do Chão
FIGURA 10.1.1.5-3: Níveis arenosos 7 FIGURA 10.1.1.5-4: Material friável da Formação Alter do Chão

FIGURA 10.1.1.5-3: Níveis arenosos

7

FIGURA 10.1.1.5-4: Material friável da Formação Alter do Chão apresentando um quadro de ativação da

 

7

FIGURA 10.1.1.5-5: Sedimentos aluvionares das margens do rio

8

FIGURA 10.1.1.6-1: Domínio Fanerozóico. Atividade erosiva

10

FIGURA 10.1.2.3-1: Visão Geral do relevo de colinas do Planalto

11

FIGURA 10.1.2.4-1: Mapa batimétrico do rio Negro nas proximidades da área do empreendimento. Dados relativos ao nível de referência zero da régua do Porto de Manaus – junho 2004 (COPPETEC, 2004)

15

FIGURA 10.1.2.5-1: Nível topográfico

16

FIGURA 10.1.2.5-2: Nível topográfico

17

FIGURA 10.1.3.3.1-1: Campo médio mensal de intensidade (m/s) e direção do vento no nível isobárico de 1000 mb para o mês de Janeiro sobre a região equatorial e America do Sul (acima) e em maior detalhe sobre a região Amazônica

21

FIGURA 10.1.3.3.1-2: Campo médio mensal de intensidade (m/s) e direção do vento no nível isobárico de

1000 mb para o mês de Julho sobre a região equatorial e America do Sul (acima) e em maior detalhe sobre

a região Amazônica

22

FIGURA 10.1.3.3.1-3: Histograma direcional e de intensidade de ventos METAR medidos no aeroporto de Ponta Pelada, totalidade dos

23

FIGURA 10.1.3.3.1-4: Histograma directional e de intensidade de ventos METAR medidos no aeroporto de Ponta Pelada no trimestre Dezembro-Janeiro-Fevereiro

24

FIGURA 10.1.3.3.1-5: Histograma direcional e de intensidade de ventos METAR medidos no aeroporto de Ponta Pelada no trimestre Junho-Julho-Agosto

24

FIGURA 10.1.3.3.2-1: Temperatura media mensal medida na estação METAR e extraída da reanálise global

CFSR/NCEP para as mesmas coordenadas da

25

FIGURA 10.1.3.3.3-1: Média mensal e desvio padrão da precipitação medida na estação Ponta Pelada da ANA (46 anos de

26

FIGURA 10.1.3.3.3-2: Média mensal e desvio padrão da precipitação medida na estação CPRM-SUREG/MA da ANA (8 anos de

26

FIGURA 10.1.3.3.3-3: Média mensal e desvio padrão da precipitação medida na estação Reserva Florestal Ducke-INPA da ANA (9 anos de dados)

27

FIGURA 10.1.4.2.2-1: Vazões médias mensais (m³/s) do rio Parana do Careiro, na estação Careiro, calculadas a partir dos dados coletados entre 1977 e

31

FIGURA 10.1.4.2.2-2: Vazões médias mensais (m³/s) do rio Solimões/Amazonas, na estação Jatuarana, calculadas a partir dos dados coletados entre 1977 e

31

FIGURA 10.1.4.2.2-3: Vazões médias mensais (m³/s) do rio Solimões/Amazonas, na estação Manacapuru, calculadas a partir dos dados coletados entre 2006 e

32

FIGURA 10.1.4.2.2-4: Vazões médias mensais (m³/s) do rio Negro, na estação Serrinha, calculadas a partir

dos dados coletados entre 2006 e

FIGURA 10.1.4.2.2-5: Cotas médias mensais (cm) do rio Parana do Careiro, na estação Careiro, calculadas a

32

partir dos dados coletados entre 1977 e

33

FIGURA 10.1.4.2.2-6: Cotas médias mensais (cm) do rio Solimões/Amazonas, na estação Jatuarana, calculadas a partir dos dados coletados entre 1977 e

34

FIGURA 10.1.4.2.2-7: Cotas médias mensais (cm) do rio Solimões/Amazonas, na estação Manacapuru, calculadas a partir dos dados coletados entre 1972 e

34

FIGURA 10.1.4.2.2-8: Cotas médias mensais (cm) do rio Negro, na estação Manaus, calculadas a partir dos

dados coletados entre 1902 e

35

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

xix

FIGURA 10.1.4.2.2-9: Cotas médias mensais (cm) do rio Negro, na estação Serrinha, calculadas a partir
FIGURA 10.1.4.2.2-9: Cotas médias mensais (cm) do rio Negro, na estação Serrinha, calculadas a partir

FIGURA 10.1.4.2.2-9: Cotas médias mensais (cm) do rio Negro, na estação Serrinha, calculadas a partir dos

dados coletados entre 1977 e

FIGURA 10.1.5.5-1: Localização dos principais pontos de captação de água para abastecimento público de Manaus e da área de estudo (polígono vermelho): Ponta do Ismael (cerca de 15 quilômetros à montante da

35

área de estudo), ETA Mauazinho e Captação PROAMA

40

FIGURA 10.1.8.2.1-1: Grades numéricas do modelo hidrodinâmico, com a localização das bordas abertas (em

101

FIGURA 10.1.8.2.1-2: Batimetria associada às grades numéricas. A barra de cores lateral apresenta a profundidade local (em

102

FIGURA 10.1.8.2.3-1: Comparação da cota média mensal (m) dos dados coletados (em preto) com os resultados do modelo numérico (em

104

FIGURA 10.1.8.2.3-2: Comparação da vazão média mensal (m/s) dos dados coletados (em preto) com os resultados do modelo numérico (em

105

FIGURA 10.1.8.2.3-3: Campo de correntes obtidos com o modelo Delft3D em um instante no mês de junho,

com a localização da secção utilizada para comparação dos dados de correntes (em

106

FIGURA 10.1.8.2.3-4: Resultados do modelo numérico para a concentração de sedimentos em suspensão (mg/L) em um ponto na frente ao

107

FIGURA 10.1.8.3-1: Instantâneo do campo de correntes em um período de cheia, com a localização da secção para apresentação dos resultados (em vermelho)

108

FIGURA 10.1.8.3-2: Perfil transversal de velocidade média na vertical em períodos de cheia, seca e

 

108

FIGURA 10.1.8.3-3: Variação batimétrica após um ano de simulação, com a localização da secção utilizada para comparação dos resultados (em vermelho). Cabe ressaltar que os tons de azul indicam erosão, enquanto que os tons de vermelho um padrão deposicional

FIGURA 10.1.8.3-4: Perfil longitudinal de profundidade no instante inicial (em preto) e após um ano de simulação (em vermelho)

FIGURA 10.1.8.3-5: Variação na magnitude da corrente média na vertical (m/s), em um instante de cheia, entre a configuração atual e futura (considerando o empreendimento). Valores positivos (tons de vermelho) indicam acréscimo na intensidade das correntes e valores negativos (tons de verde) indicam o decréscimo.

109

109

110

FIGURA 10.1.8.3-6: Variação na magnitude da corrente média na vertical (m/s), em um instante de seca, entre a configuração atual e futura (considerando o empreendimento). Valores positivos (tons de vermelho) indicam acréscimo na intensidade das correntes e valores negativos (tons de verde) indicam o decréscimo.

111

FIGURA 10.1.8.3-7: Comparação entre a variação batimétrica após um ano de simulação para situação atual (painel superior) e configuração futura (painel inferior). Cabe ressaltar que os tons de azul indicam erosão,

enquanto que os tons de vermelho um padrão deposicional

FIGURA 10.1.9.3.2-1: Área de interesse para os trabalhos de avaliação preliminar, identificada pelo polígono tracejado em vermelho, inserida na área de Expansão do Porto Organizado de Manaus (polígono tracejado

112

em

116

FIGURA 10.1.9.3.3.4-1: Perfil da sondagem PS-01 (poço de

128

FIGURA 10.1.9.3.3.4-2: Perfil da sondagem PS-02

129

FIGURA 10.1.9.3.3.4-3: Perfil da sondagem PS-03

130

FIGURA 10.1.9.3.3.4-4: Perfil da sondagem PS-04

131

FIGURA 10.1.9.3.3.4-5: Perfil da sondagem PS-05

132

FIGURA 10.1.9.3.3.4-6: Perfil da sondagem PS-06

133

FIGURA 10.1.9.3.3.4-7: Perfil da sondagem PS-07

134

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

xx

FIGURA 10.1.9.3.3.4-8: Perfil da sondagem PS-08 135 FIGURA 10.1.9.3.3.4-9: Perfil da sondagem PS-09 136
FIGURA 10.1.9.3.3.4-8: Perfil da sondagem PS-08 135 FIGURA 10.1.9.3.3.4-9: Perfil da sondagem PS-09 136

FIGURA 10.1.9.3.3.4-8: Perfil da sondagem PS-08

135

FIGURA 10.1.9.3.3.4-9: Perfil da sondagem PS-09

136

FIGURA 10.1.9.3.3.4-10: Perfil da sondagem PS-10

137

FIGURA 10.1.9.3.3.4-11: Perfil da sondagem PS-11

138

FIGURA 10.1.9.3.3.4-12: Perfil da sondagem PS-12

139

FIGURA 10.1.9.3.3.4-13: Perfil da sondagem PS-13

140

FIGURA 10.1.9.3.3.4-14: Perfil da sondagem PS-14

141

FIGURA 10.1.9.3.3.4-15: Perfil da sondagem PS-15

142

FIGURA 10.1.9.3.3.4-16: Perfil da sondagem PS-16

143

FIGURA 10.1.9.3.3.4-17: Perfil da sondagem PS-17

144

FIGURA 10.1.9.3.3.4-18: Perfil da sondagem PS-18

145

FIGURA 10.1.9.3.3.4-19: Perfil da sondagem PS-19

146

FIGURA 10.1.9.3.3.5-1: Desenho esquemático da instalação do poço de inspeção

148

FIGURA 10.1.9.4.4-1: Perfil da sondagem

157

FIGURA 10.1.9.4.4-2: Perfil da sondagem

158

FIGURA 10.1.9.4.4-3: Perfil da sondagem

159

FIGURA 10.1.9.4.4-4: Perfil da sondagem

160

FIGURA 10.1.9.4.4-5: Perfil da sondagem

161

FIGURA 10.1.9.4.4-6: Perfil da sondagem

162

FIGURA 10.1.9.4.4-7: Perfil da sondagem

163

FIGURA 10.1.9.4.4-8: Perfil da sondagem

164

FIGURA 10.1.9.4.4-9: Perfil da sondagem

165

FIGURA 10.1.9.4.4-10: Perfil da sondagem PS-29

166

VOLUME 3

FIGURA 10.2.1.5.1-1: Fotografia aérea de 1988 mostrando a área de expansão do Porto Organizado de Manaus

33

FIGURA 10.2.1.5.1-2: Fotografia aérea de 1989 mostrando a área de expansão do Porto Organizado de Manaus

34

FIGURA 10.2.1.5.1-3: Fotografia aérea de 1990 mostrando a área de expansão do Porto Organizado de Manaus

35

FIGURA 10.2.1.5.1-4: Imagem de satélite de 2002 mostrando a área de expansão do Porto Organizado de Manaus

36

FIGURA 10.2.1.5.1-5: Imagem de satélite de 2005 mostrando a área de expansão do Porto Organizado de Manaus

37

FIGURA 10.2.1.5.1-6: Imagem de satélite de 2010 mostrando a área de expansão do Porto Organizado de Manaus

38

FIGURA 10.2.1.5.1-7: Imagem de satélite de 2011 mostrando a área de expansão do Porto Organizado de Manaus

39

FIGURA 10.2.1.5.2.6-1: Indicação do lay out do empreendimento sobre a faixa de preservação às margens

do rio Negro (50 metros – linha pontilhada). A intervenção referente à implantação do Porto do PIM sobre a

faixa de preservação é estimada em uma área de 1,3

61

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

xxi

FIGURA 10.2.2.2.2.1-1: Imagens das áreas de amostragem da avifauna na área Porto do Polo Industrial
FIGURA 10.2.2.2.2.1-1: Imagens das áreas de amostragem da avifauna na área Porto do Polo Industrial

FIGURA 10.2.2.2.2.1-1: Imagens das áreas de amostragem da avifauna na área Porto do Polo Industrial de

Manaus – Porto do PIM, Manaus, AM

FIGURA 10.2.2.2.4-1: Imagens das espécies migratórias registradas na área do Porto do PIM durante o

presente inventário entre 25 de março e 12 de abril de 2012. A. Actites macularius (foto: Arnaldo Bruno); B. Falco peregrinus (foto: Thiago Rodrigues); C. Tyrannus savana (foto: Gabriel Leite); D. Vireo olivaceus (foto:

Marco A.Silva); E. Coccyzus euleri (foto: Leonardo Pimentel); F. Myiodinastes maculatus (foto: Roberta Boss); G. Progne tapera (foto: Julio Silveira); H. Tyrannus savana fêmea sem o entalhamento nas primárias que é característica própria dos machos (foto: Marco A.Silva); I. Tyrannus savana macho, demonstrando na ponta da seta detalhe do entalhamento das primárias característico da subespécie Tyrannus savana

monachus (foto: Marco A.Silva)

FIGURA 10.2.2.3.2.1-1: Aspectos dos ambientes estudados; comunidade estabelecida às margens do rio Negro na área de influencia do empreendimento (foto A); vista geral da AID (foto B); mata localizada na ADA, direita do galpão (foto C) (Coord. 0173053, 9652867); área de baixio amostrada na ADA, esquerda do

100

130

galpão, observado ao fundo (foto D) (Coordenadas UTM SAD 69 Fuso 21 Sul 172860,

138

FIGURA 10.2.2.3.2.2-1: Armadilhas de interceptação e queda (pitfalls). A) Armadilha montada em área aberta da AID; B) Armadilha montada em borda de mata na Área Diretamente Afetada

143

FIGURA 10.2.2.3.2.2-2: A) Revisão de armadilha pitfall; B) Lagarto Ameiva ameiva coletado em armadilha.

143

FIGURA 10.2.2.3.4-1: Espécies de répteis; A=Liophis reginae B= Mastigodryas boddaerti; C=Gonatodes

humeralis; D=Bachia panóplia; E= Coleodactylus amazonicus; F=Uranoscodon superciliosus; G=Plica umbra;

H=Ameiva ameiva. Fotos: Samuel C. Ribeiro (A,C,D,E,F,G,H); André L. F. Silva

FIGURA 10.2.2.3.4-2: Espécies de anuros; A=Rhinella marina; B=Leptodactylus wagneri; C=Hypsiboas aff. multifasciatus; D=Leptodactylus cf. fuscus; E=Hypsiboas aff. geographicus; F=Pseudis laevis; G=Osteocephalus taurinus; H=Trachycephalus typhonius. Fotos: Samuel C. Ribeiro

FIGURA 10.2.2.3.4-3: Espécies de anuros; A=Trachycephalus typhonius; B=Sphaenorhynchus lacteus; C=Osteocephalus taurinus; D=Scinax aff. garbei; E=Hypsiboas lanciformis; F=Dendropsophus leucophyllatus; G=Leptodactylus andreae; H=Dendropsophus nanus; Fotos: Samuel C. Ribeiro (A,B,C,D,E,F,G); Rafael Bernhard (H)

FIGURA 10.2.2.4.2.1-1: Fitofisionomia da área estudada. A) Vista do dossel da vegetação da ADA próximo a margem do rio Negro; B) Área degradada de ADA; C) Vegetação de AID em área militar; D) Vegetação de

ADA dentro da área da

FIGURA 10.2.2.4.2.2-1: Armadilha do tipo Pitfall instalada em um dos pontos de coleta de artropodofauna

nas áreas de influência do Porto do PIM, Manaus,

158

159

160

162

165

FIGURA 10.2.3.2.2.2-1: Busca visual de quelônios (foto A); revisão de armadilhas trammel nets (foto B); armadilha de funil tipo hoop traps, instalada em igarapé (Coordenadas UTM SAD 69 Fuso 21 Sul 178091, 9656450), e iscada com peixe podre (foto C); Igarapé da AID, com banco de macrófitas (Coordenadas UTM

SAD 69 Fuso 21 Sul 170417, 9651894), local onde foram realizadas buscas durante o dia(foto

FIGURA 10.2.3.3.2.1-1: Diferenciação dos ambientes amostrados: igapó (I01 e I09); água aberta (I02, I03,

186

I04 e I08); igarapé (I05 e I06)

196

FIGURA 10.2.3.3.2.1-2: Diferenciação dos ambientes amostrados: água preta (I10, I11, I12 e I13); ilha

 

197

FIGURA 10.2.3.3.2.2-1: Entrevista com pescador local em atividade no rio Negro, Manaus,

200

FIGURA 10.2.3.5.2.2-1: Esquema do método de filtragem de material biológico na coluna de água

246

FIGURA 10.2.4.5-1: Ficha da área prioritária para a biodiversidade AM199, na qual parte da área do empreendimento Porto do PIM está

283

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

xxii

VOLUME 4 FIGURA 10.3.1.3-1: Inserção regional do 4 FIGURA 10.3.1.3-2: Localização dos municípios da AII

VOLUME 4

VOLUME 4 FIGURA 10.3.1.3-1: Inserção regional do 4 FIGURA 10.3.1.3-2: Localização dos municípios da AII na

FIGURA 10.3.1.3-1: Inserção regional do

4

FIGURA 10.3.1.3-2: Localização dos municípios da AII na RMM e no Estado do Amazonas

5

FIGURA 10.3.1.3-3: Localização dos municípios da AII na RMM extendida e no Estado do

6

FIGURA 10.3.1.3-4: Município de Manaus. Divisão da área urbana e a área

7

FIGURA 10.3.1.3-5: Município de Careiro da Várzea. Divisão da área urbana (pequena porção do município) e área rural (grande parte do município)

8

FIGURA 10.3.1.3-6: Município de Iranduba. Divisão da área urbana e área

9

FIGURA 10.3.1.4-1: Proximidade do Porto do PIM ao Distrito Industrial I

10

FIGURA 10.3.1.5-1: Porto do PIM inserido na Área de Expansão do Porto Organizado de

11

FIGURA 10.3.2.3-1: Unidades de estruturação urbana – área urbana do município de Manaus

14

FIGURA 10.3.2.3-2: Setores

15

FIGURA 10.3.2.3-3: Áreas de interesse Social na

16

FIGURA 10.3.3.3.1-1: População rural e urbana dos municípios da

24

FIGURA 10.3.3.3.2-1: Divisão dos bairros da área urbana de Manaus e AID do

27

FIGURA 10.3.3.5.1-1: Divisão das zonas administrativas da área urbana de Manaus

31

FIGURA 10.3.3.7-1: Produção de pescado (t) nacional da pesca extrativa continental em 2009 e 2010 discriminada por Unidade da Federação

34

FIGURA 10.3.3.9.1-1: Iconografia dos índios Mura. A – Retrato de índio com adrono, B - Cabana dos Mura.

In: Spix

Und Martius,

40

FIGURA 10.3.3.9.1-2: Casa multi-familiar na aldeia Mura do Janary. Fotografia de Curt

40

FIGURA 10.3.3.9.1-3: Escola na aldeia Mura de Puracuhuba-Autaz. Fotografia de Curt

41

FIGURA 10.3.3.9.1-4: Mulheres indígenas Mura. Fotografia de Curt

41

FIGURA 10.3.3.9.1-5: Mapa Etno-histórico do Brasil e Regiões Adjacentes, IBGE,

42

FIGURA 10.3.3.9.1-6: Detalhe do Mapa Etno-histórico do Brasil e Regiões Adjacentes, IBGE,

42

FIGURA 10.3.3.9.1-7 Foto coletiva mostrando comunidade e casa com cobertura tradicional ao fundo. (Ano

de 1931, do Auto da Comissão de Inquérito da

FIGURA 10.3.3.9.4-1: Uso do tipiti. A) tipitis feitos de palha com suas alças; B) Uso do tipiti por comunidade

43

indígena; C) massa da mandioca após prensagem com

56

FIGURA 10.3.3.9.4-2: Exemplo da cerâmica

57

FIGURA 10.3.4.6-1: Principais atividades portuárias de carga e de passageiros na faixa de AID em Manaus e

em Careiro da Várzea e

78

FIGURA 10.3.5.3-1: Mapa das unidades de saúde na área urbana de Manaus e na

87

FIGURA 10.3.5.3-2: Mapa do coeficiente médio de detecção dos casos de hanseníase por bairros. Manaus, AM

88

FIGURA 10.3.5.4-1: Mapeamento das escolas da rede Pública de Manaus, com foco na AID do

 

92

FIGURA 10.3.5.5-1: Divisão das zonas administrativas da área urbana de

93

FIGURA 10.3.5.5.1-1: Linha 013 – Compensa –

96

FIGURA 10.3.5.5.1-2: Linha 705 – Mauazinho – Centro

96

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

xxiii

FIGURA 10.3.5.5.1-3: Linha 653 – Terminal 4 – Ceasa 96 FIGURA 10.3.5.5.1-4: Linha 213 –
FIGURA 10.3.5.5.1-3: Linha 653 – Terminal 4 – Ceasa 96 FIGURA 10.3.5.5.1-4: Linha 213 –

FIGURA 10.3.5.5.1-3: Linha 653 – Terminal 4 – Ceasa

96

FIGURA 10.3.5.5.1-4: Linha 213 – Augusto Monte Negro –

97

FIGURA 10.3.5.5.1-5: Linha 215 – Redenção –

97

FIGURA 10.3.5.5.1-6: Linha 712 – Mauazinho – Terminal 2

98

FIGURA 10.3.5.5.1-7: Linha 714 – Vila da Felicidade – Terminal

98

FIGURA 10.3.5.5.1-8: Corredores urbanos, monotrilho, Bus Rapid Transit – BRT e terminais de integração do

transporte público na área urbana de

99

FIGURA 10.3.5.5.2-1: Rede do sistema de abastecimento de água e Estações de Tratamento de

100

FIGURA 10.3.5.5.2-2: Reservatórios - sistema de abasteciemnto de

100

FIGURA 10.3.5.5.2-3: Poços tubulares – sistema de abasteciemnto de

101

FIGURA 10.3.5.5.2-4: Mapa do sistema de esgotamento sanitário da cidade de

101

FIGURA 10.3.6.1-1: Principais pontos de atracação de passageiros, bem como o trajeto de balsas, que funcionam como transporte de veículos e passageiros. (transporte

105

FIGURA 10.3.6.2.1-1: Acesso à área do

109

FIGURA 10.3.8.3-1: Pintura rupestre em Monte Alegre, na Serra da Lua, Pará. Fotografia Iphan

115

FIGURA 10.3.8.3-2: Pintura rupestre em Monte Alegre, Pará

115

FIGURA 10.3.8.3-3: Urnas funerárias da fase Guarita. Exposição Arqueologia na Amazônia, realizada na sede

do Iphan de Manaus

115

FIGURA 10.3.8.3-4: Cerâmica da fase Manacapuru. Exposição Arqueologia na Amazônia,

116

FIGURA 10.3.8.3-5: Cerâmica proveniente do Sítio Morro

116

FIGURA 10.3.8.3-6: Reserva Técnica do Museu Emílio

116

FIGURA 10.3.8.3-7: Distribuição geográfica dos principais sítios arqueológicos identificados na Amazônia

 

117

FIGURA 10.3.8.3-8: Urna funerária encontrada em

118

FIGURA 10.3.8.3-9: Sítio arqueológico Hatahara em

118

FIGURA 10.3.8.6.1-1: Principais formas de terra da Amazônia, com registros de sítios arqueológicos de Terra

140

FIGURA 10.3.8.6.1-2: VASILHAME. 400 a 1400 A.D. Cerâmica Marajoara; Ilha de Marajó; 38,5 cm. Tigela cerimonial decorada internamente com pintura policroma, em vermelho e preto sobre fundo branco, com motivos geométricos e representações estilizadas da figura humana. A borda, sem pintura, recebeu decoração em relevo, com representações de serpentes e rostos humanos dispostos alternadamente. No

verso a peça apresenta uma exuberante decoração plástica com motivos geométricos feitos com a técnica

da excisão. Acervo Museu Nacional do Rio de

141

FIGURA 10.3.8.6.1-3: Fragmento de cerâmica Manacapuru. Foto Helena Lima. Fonte: Guia Temático MAE/USP. Programa de Educação Patrimonial do Gasoduto Coari-Manaus, sem data

142

VOLUME 5

FIGURA 11.3.4.1-1: Reprodução do Desenho UCAID 10.2.4-2, indicando a localização da área do Porto do

PIM e as Unidades de Conservação mais próximas. O referido desenho pode ser consultado no item 12.2.15

78

FIGURA 12.2-1: Organograma dos planos e programas propostos para o empreendimento Porto do PIM. 105

deste EIA

FIGURA 12.2.1.4.1-1: Modelo de sistema de gestão ambiental, baseado na metodologia PDCA

117

FIGURA 12.2.2.3-1: Modelo de Controle de Geração e Destinação de Resíduos

129

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

xxiv

FIGURA 12.2.2.4.7-1: Modelo de Etiqueta para Resíduos 141 FIGURA 12.2.2.4.8.1-1: Tabela de Incompatibilidade
FIGURA 12.2.2.4.7-1: Modelo de Etiqueta para Resíduos 141 FIGURA 12.2.2.4.8.1-1: Tabela de Incompatibilidade

FIGURA 12.2.2.4.7-1: Modelo de Etiqueta para Resíduos

141

FIGURA 12.2.2.4.8.1-1: Tabela de Incompatibilidade Química entre

142

FIGURA 12.2.2.4.16-1: Modelo de Etiqueta para Resíduos

147

FIGURA 12.2.2.4.16-2: Check-list de veículos para transporte de

149

FIGURA 12.2.2.4.18-1: Modelo de Cadastro de Fornecedores

151

FIGURA 12.2.4.4-1: Localização dos Pátios de

170

FIGURA 12.2.4.5.2-1: Localização do Canteiro de

172

FIGURA

12.2.4.5.10-2: Seção-tipo de

176

FIGURA 12.2.4.15.1-1: Fluxograma simplificado das etapas necessárias para realização das Inspeções

208

FIGURA 12.2.11.4-1: Localização dos Pátios de Contêineres

276

FIGURA 12.2.15.2.1-1: Características da região de implantação do Porto do PIM (polígono azul), com base no mapa de Áreas Prioritárias para a Conservação, Utilização Sustentável e Repartição de Benefícios da

Biodiversidade Brasileira ou Áreas Prioritárias para a Biodiversidade (MMA,

332

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

xxv

FOTOS VOLUME 1 FOTO 6.1.1-1: Vista do cais Roadway do Porto Público de Manaus destinado
FOTOS VOLUME 1 FOTO 6.1.1-1: Vista do cais Roadway do Porto Público de Manaus destinado

FOTOS

VOLUME 1

FOTO 6.1.1-1: Vista do cais Roadway do Porto Público de Manaus destinado ao embarque e desembarque de passageiros (Estação Hidroviária do Amazonas). Manaus – AM, 13/03/2012

79

FOTO 6.1.1-2: Vista do cais das Torres do Porto Público de Manaus destinado à movimentação de carga. Notar ao fundo a área de estocagem de contêineres. Manaus – AM,

79

FOTO 6.1.2-1: Vista, a partir do rio Negro, da retroárea do TUP Super Terminais, vizinha à retroárea do TUP

Porto Chibatão. Manaus – AM,

83

FOTO 6.1.2-2: Píer de atracação do TUP Super Terminais com um navio atracado sendo carregado com

contêineres. Manaus

– AM,

83

FOTO 6.1.3-1: Vista, a partir do rio Negro, da retroárea do TUP Porto Chibatão. Manaus – AM, 14/03/2012.

87

FOTO 6.1.3-2: Vista a partir do rio Negro, da retroárea do TUP Porto Chibatão. Manaus – AM, 14/03/2012.

87

FOTO 6.1.3-3: Cais de atracação do TUP Porto Chibatão com dois navios sendo carregados com contêineres.

Manaus – AM,

88

FOTO 6.1.3-4: Cais de atracação do TUP Porto Chibatão. Detalhe de navio sendo carregado com contêineres. Manaus – AM,

88

FOTO 6.1.4-1: Vista a partir da confluência do rio Negro com o rio Solimões, do local destinado para a implantação do Terminal Portuário das Lajes. Manaus – AM,

89

FOTO 6.2.1-1: Vista das antigas instalações da Companhia Siderúrgica da Amazônia (Siderama) a partir do

Porto da Ceasa. Manaus – AM, 21/09/2010

FOTO 6.2.1-2: Vista das antigas instalações da Companhia Siderúrgica da Amazônia (Siderama). Manaus –

92

AM,

92

FOTO 6.2.1-3: Instalações desativadas da Companhia Siderúrgica da Amazônia (Siderama). Manaus – AM,

21/09/2010

93

FOTO 6.2.1-4: Galpão desativado da Companhia Siderúrgica da Amazônia (Siderama). Manaus – AM,

21/09/2010

93

FOTO 6.2.2-1: Área utilizada pela Superintendência da Zona Franca de Manaus e Receita Federal inserida na

área de estudo (área à direita do alambrado). Os piquetes amarelos indicam a faixa de servidão do gasoduto

Urucu-Coari-Manaus. Manaus – AM,

94

FOTO 6.2.3-1: Traçado vermelho indicando a faixa do gasoduto Urucu-Coari-Manaus na área do Porto do PIM. A área asfaltada é utilizada pela Suframa nas suas operações de fiscalização. Manaus – AM,

21/09/2010

95

FOTO 6.2.3-2: Faixa do gasoduto Urucu-Coari-Manaus na área do Porto do PIM. Notar piquete indicando o

ramal Mauá e profundidade do duto nesse ponto. Manaus – AM,

FOTO 6.2.4-1: Empresa privada de transporte de carga do Grupo J. F. Oliveira Navegação localizada ao lado

95

da área do Porto do PIM. Manaus – AM,

97

FOTO 6.2.4-2: Transporte de carretas em barcaças (Ro-Ro Caboclo) na empresa privada de transporte de carga do Grupo J. F. Oliveira Navegação localizada ao lado da área do Porto do PIM. Manaus – AM,

14/03/2012

97

FOTO 6.2.4-3: Barcaças transportando carretas da empresa privada de transporte de carga do Grupo J. F.

Oliveira Navegação estacionadas às margens do rio Negro em frente à área do Porto do PIM. Manaus – AM,

21/09/2010

98

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

xxvi

FOTO 6.2.4-4: Vista a partir da área do Porto do PIM do pátio de armazenagem
FOTO 6.2.4-4: Vista a partir da área do Porto do PIM do pátio de armazenagem

FOTO 6.2.4-4: Vista a partir da área do Porto do PIM do pátio de armazenagem de carretas da empresa privada de transporte de carga do Grupo J. F. Oliveira Navegação e do Porto da Ceasa (galpão ao lado do terminal privativo). Manaus – AM,

98

FOTO 6.2.4-5: Vista, a partir do rio Negro, da empresa privada de transporte de carga do Grupo J. F. Oliveira Navegação localizada ao lado da área do Porto do PIM e do Porto da Ceasa. A constução azul é o prédio administrativo do terminal. Manaus – AM,

99

FOTO 6.2.4-6: Empresa privada de transporte de cargas por meio de Ro-Ro Caboclo localizada na área de expansão do Porto Organizado de

99

FOTO 6.2.5-1: Localização da Rodovia BR-319, do Porto da Ceasa, de seu atracadouro e do ponto de saída da balsa Manaus-Careiro da Várzea, do terminal portuário privativo e da área do Porto do PIM. Manaus –

AM,

101

FOTO 6.2.6-1: Vila da Felicidade vista a partir do rio

103

FOTO 8.4.4.2-1 A e B: Piquetes indicativos da localização da Faixa do gasoduto Urucu-Coari-Manaus e profundidade do duto na área do Porto do PIM. Foto

168

FOTO 8.4.4.5-1: Foto das instalações existentes da antiga Siderama a serem

172

FOTO 8.4.4.5-2: Foto das instalações existentes da antiga Siderama a serem

172

FOTO 8.4.4.5-3: Foto das instalações existentes da antiga Siderama a serem

173

VOLUME 2

FOTO 10.1.6.2.2-1: Sonda multiparamétrica da marca HANNA modelo HI 9828 utilizada para as medições físico-químicas in situ

45

FOTO 10.1.6.2.2-2: Registro das medições físico-químicas realizadas em

45

FOTO 10.1.6.2.2-3: Amostra de água coletada com a garrafa do tipo van

45

FOTO 10.1.6.2.2-4: Acondicionamento das amostras de água superficial em frascos apropriados, fornecido pelo laboratório responsável pelas

45

FOTO 10.1.6.2.2-5: Amostras de água sendo filtradas em campo

45

FOTO 10.1.6.2.2-6: Preservação das amostras de água em caixas térmicas com gelo

45

FOTO 10.1.7.2.2-1: Detalhe do recolhimento da Draga Van Veen para a amostragem de sedimento

 

77

FOTO 10.1.7.2.2-2: Retirada do sedimento coletado da Draga Van Veen para a bandeja de aço

77

FOTO 10.1.7.2.2-3: Medição e registro dos parâmetros físico-químicos in situ utilizando a sonda multiparamétrica da marca HANNA modelo HI

77

FOTO 10.1.7.2.2-4: Homogenização das sub-amostras de sedimento superficial em bandeja de aço inox com

espátula de aço inox

FOTO 10.1.7.2.2-5: Acondicionamento do sedimento superficial em frascaria adequada com espátula de aço

inox

FOTO 10.1.7.2.2-6: Acondicionamento das amostras de sedimento superficial em caixas térmicas com gelo.

77

78

 

78

FOTO 10.1.9.3.2-1 de A a O: Instalações existentes e desativadas da Siderama

119

FOTO 10.1.9.3.3.2-1 A, B e C: Dique de Contenção com material

122

FOTO 10.1.9.3.3.5-1 A e B: Instalação do poço de

147

FOTO 10.1.9.4.2-1 A e B: Dique de Contenção com material

154

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

xxvii

VOLUME 3 FOTO 10.2.1.2.2.2-1: Levantamento florístico realizado em fragmento florestal na AID do Porto do

VOLUME 3

VOLUME 3 FOTO 10.2.1.2.2.2-1: Levantamento florístico realizado em fragmento florestal na AID do Porto do PIM,

FOTO 10.2.1.2.2.2-1: Levantamento florístico realizado em fragmento florestal na AID do Porto do PIM, Manaus, AM (Coordenadas UTM SAD 69 Fuso 21S:

7

FOTO 10.2.1.2.2-2: Demarcação dos transectos para o levantamento florístico em fragmento florestal na AID do Porto do PIM, Manaus, AM (Coordenadas UTM SAD 69 Fuso 21S: 172799/9652442)

7

FOTO 10.2.1.2.2.2-3: Caminhamento em transecto para o levantamento florístico da AID do Porto do PIM, Manaus, AM (Coordenadas UTM SAD 69 Fuso 21S:

8

FOTO 10.2.1.2.2.2-4: Identificação das espécies no levantamento florístico realizado em fragmentos florestais da AID do Porto do PIM, Manaus, AM (Coordenadas UTM SAD 69 Fuso 21S: 172737/9652985)

8

FOTO 10.2.1.2.2.3-1: Marcação das parcelas na vegetação presente na ADA do Porto do PIM, Manaus, AM (

Coordenadas UTM SAD 69 Fuso 21S:

10

FOTO 10.2.1.2.2.3-2: Marcação das parcelas na vegetação presente na ADA do Porto do PIM, Manaus, AM (Coordenadas UTM SAD 69 Fuso 21S: 172600,814/

10

FOTO 10.2.1.2.2.3-3: Marcação das espécies arbóreas nas parcelas instaladas na ADA do Porto do PIM, Manaus, AM (Coordenadas UTM SAD 69 Fuso 21S:

11

FOTO 10.2.1.4-1: Área de capoeirinha na AID do Porto do PIM, Manaus, AM (Coordenadas UTM SAD 69 Fuso 21S:

20

FOTO 10.2.1.4-2: Área de capoeira na AID do Porto do PIM, Manaus, AM (Coordenadas UTM SAD 69 Fuso

21S:

20

FOTO 10.2.1.4-3: Área de capoeira na AID do Porto do PIM, Manaus, AM (Coordenadas UTM SAD 69 Fuso

21S:

21

FOTO 10.2.1.4-4: Área de capoeirão na AID do Porto do PIM, Manaus, AM (Coordenadas UTM SAD 69 Fuso

21S:

21

FOTO 10.2.1.4-5: Transecto P1.1-P1.2. Floresta de Capoeirão. AID do Porto do PIM, Manaus, AM (Coordenadas UTM SAD 69 Fuso

28

FOTO 10.2.1.4-6: Transecto P2.1-P2.2. Floresta de Capoeirão, AID do Porto do PIM, Manaus, AM (Coordenadas UTM SAD 69 Fuso 21S:

28

FOTO 10.2.1.4-7: Transecto P3.1-P3.2. Identificação das espécies. Floresta de Capoeira, AID do Porto do PIM, Manaus, AM (Coordenadas UTM SAD 69 Fuso 21S:

29

FOTO 10.2.1.4-8: Transecto P4.1-P4.2. Área de topografia irregular. Floresta de Capoerinha, AID do Porto do PIM, Manaus, AM (Coordenadas UTM SAD 69 Fuso 21S: 172891/9652513)

29

FOTO 10.2.1.4-9: Transecto P5.1-P5.2. Identificação das espécies. Floresta de Capoeirão, AID do Porto do PIM, Manaus, AM (Coordenadas UTM SAD 69 Fuso 21S:

30

FOTO 10.2.1.5.2-1: Parcela P6.1-6.2: Floresta de Capoeirinha (Coordenadas UTM SAD 69 Fuso 21S:

172220/9653208)

44

FOTO 10.2.1.5.2-2: Parcela P7.1-P7.2: Floresta de Capoeirão (Coordenadas UTM SAD 69 Fuso 21S:

172256/9653328)

44

FOTO 10.2.1.5.2-3: Parcela P8.1-P8.2: Floresta de Capoeirinha (Coordenadas UTM SAD 69 Fuso 21S:

172578/9652364)

45

FOTO 10.2.1.5.2-4: Parcela P8.1-P8.2: Levantamento das espécies. Floresta de Capoeira (Coordenadas UTM

SAD 69 Fuso 21S:

45

FOTO 10.2.1.5.2-5: Parcela P9.1-P9.2: Floresta de Capoeirão. (Coordenadas UTM SAD 69 Fuso 21S:

172897/9652518)

46

FOTO 10.2.2.1.2.1-1: Trecho da Área Diretamente Afetada (ADA) (Coordenada UTM-SAD69 21M

 

67

PORTO DO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS - PORTO DO PIM

Índice Geral

xxviii

FOTO 10.2.2.1.2.1-2: Trecho da AID no qual foi realizada apenas buscas ativas (Coordenada UTM-SAD69 21M
FOTO 10.2.2.1.2.1-2: Trecho da AID no qual foi realizada apenas buscas ativas (Coordenada UTM-SAD69 21M

FOTO 10.2.2.1.2.1-2: Trecho da AID no qual foi realizada apenas buscas ativas (Coordenada UTM-SAD69 21M 0172274/9652515)

FOTO 10.2.2.1.2.1-3: Trecho da AID utilizada para a disposição de armadilhas e realização de buscas ativas

67

(Coordenada UTM-SAD69 21M

67

FOTO 10.2.2.1.2.2-1: Armadilha disposta no solo (Coordenada UTM-SAD69 21M

71

FOTO 10.2.2.1.2.2-2: Armadilha fixada em árvore (Coordenada UTM-SAD69 21M

71

FOTO 10.2.2.1.2.2-3: Aplicação de brinco metálico na orelha de um marsupial (Coordenada UTM-SAD69 21M

 

71

FOTO 10.2.2.1.2.2-4: Um grupo de armadilhas tipo pitfall, com quatro baldes em disposição de ‘Y’ (Coordenada UTM-SAD69 21M

72

FOTO 10.2.2.1.2.2-5: Câmera fotográfica instalada em trilha utilizada por animais (Coordenada UTM-SAD69

21M 0173124/9652946)

73

FOTO 10.2.2.1.2.2-6: Realização de busca ativa com barco tipo voadeira. Coordenada UTM-SAD69 21M

 

74

FOTO 10.2.2.1.2.2-7: Metodologia para captura de morcegos: instalação de rede de neblina em ponto de amostragem na ADA do Porto do PIM, Manaus, AM (Coordenada UTM-SAD69 21M

75

FOTO 10.2.2.1.2.2-8: Abrigos subterrâneos em antigo armazém da Siderama (Coordenada UTM-SAD69 21M

 

76

FOTO 10.2.2.1.2.2-9: Salas escuras em antigo armazém da SIDERAMA (Coordenada UTM-SAD69 21M

 

76

FOTO 10.2.2.1.4-1: Pegada de mão pelada (Procyon cancrivorus) localizada na AID (Coordenada UTM- SAD69 21M 0172831/9653777)

88

FOTO 10.2.2.1.4-3: Tatu galinha (Dasypus novemcinctus) registrado por câmera fotográfica na ADA (Coordenada UTM-SAD69 21M

88

FOTO 10.2.2.1.4-5: Micoureus demerarae registrado na AID (Coordenada UTM-SAD69 21M

 

88

FOTO 10.2.2.1.4-2: Pegada de tatu galinha (Dasypus novemcinctus) localizada na AID (Coordenada UTM- SAD69 21M 0172892/9653466)

88

FOTO 10.2.2.1.4-4: Mucura (Didelphis marsupialis) registrado na ADA/AID (Coordenada UTM-SAD69 21M

 

88

FOTO 10.2.2.1.4-6: Preguiça bentinho (Bradypus tridactylus) registrada na AID (Coordenada UTM-SAD69 21M 0172940/9653683)

88

FOTO 10.2.2.1.4-7: Preguiça comum (Bradypus variegatus) registrada na AID (Coordenada UTM-SAD69 21M

 

89

FOTO 10.2.2.1.4-9: Sauim de coleira (Saguinus bicolor) registrado na ADA (Coordenada UTM-SAD69 21M

 

89

FOTO 10.2.2.1.4-11: Parauacu (Pithecia pithecia) registrado na AID (Coordenada UTM-SAD69 21M

 

89

FOTO 10.2.2.1.4-8: Tamanduá mirim (Tamandua tetradactyla) registrado na AID (Coordenada UTM-SAD69

21M 0172719/9653724)

FOTO 10.2.2.1.4-10: Mico de cheiro (Saimiri sciureus) registrado na AID

89

(Coordenada UTM-SAD69 21M

89

FOTO 10.2.2.1.4-12: Roedor Oecomys bicolor registrado na AID (Coordenada UTM-SAD69 21M

89