Você está na página 1de 91

Procedhnentos de Preparo e Limpeza do Substrato

Os procedimentos de preparo e limpeza do substrato são tão importan- tes que alguns autores os consideram responsáveis por 50 % ou mais do sucesso de uma recuperação ou reforço. Particularmente o autor considera que um pre- paro e limpeza inadequados podem comprometer integralmente um reparo ou reforço, por melhor e mais adequados que sejam os materiais e os sistemas em- pregados.

Preparo do substrato

4.1

O preparo do substrato é entendido como o conjunto dos procedimen- tos efetuados antes da limpeza superficial e da aplicação propriamente dita dos

materiais e produtos de correção, ou seja, são os tratamentos prévios da super-

fície dos componentes estruturais. tos de preparo.

O Quadro 4.1 reúne os principais procedimen-

Quadro 4.1 Procedimentos de preparo do substrato

Item

4.1.1

Procedimento

escarificação

manual

4.1.2 disco de desbaste

4.1.3 escarificação mecânica

4.1.4 demolição

4.1.5 lixamento manual

4.1.6 lixamento elétrico

4.1.7 escova menta manual

4.1.8 pistola de agulha

4.1.9 jato de areia seco ou úmido

4.1.10 disco de corte

4.1.11 queima controlada

4.1.12 remoção de óleo e graxa impregnados

máquina

superficial

4.1.13 de desbaste

Procedimento mais adequado para

concreto com superfície úmida

seca

adequado

adequado

aceitável

adequado

adequado

adequado

adequado

adequado

inadequado

aceitável

adequado

aceitável

adequado

aceitável

inadequado

inadequado

adequado

adequado

aceitável

adequado

adequado

inadequado

inadequado

adequado

aceitável

adequado

aço com superfície úmida

seca

inadequado

inadequado

aceitável

aceitável

inadequado

inadequado

inadequado

inadequado

adequado

aceitável

adequado

aceitável

adequado

aceitável

adequado

adequado

adequado

aceitável

adequado

adequado

inadequado

inadequado

inadequado

adequado

inadequado

inadequado

Manual para Reparo, Reforço e Proteção de Estruturas

de Concreto

85

4.1.1

Escarificação Manual Usos mais comuns

• Preparação de pequenas superfícies e locais de difícil acesso para os equipamentos maiores. Apicoamento das superfícies.

Equipamento

• Ponteiro, talhadeira e marreta.

Procedimento

• Escarificar de fora para dentro, evitando golpes que possam lascar as arestas e contornos da região em tratamento. Retirar todo o material solto, mal compactado e segregado até atingir concreto são, obtendo superfície rugosa e coesa, propiciando boas condições de aderência. Deve-se prever cimbramento adequado, quando necessário.

Vantagens

• Pouco ruído e ausência de poeira excessiva, além de não exigir instalações específicas de água ou energia e mão-de-obra

especializada.

Desvantagens

• Baixa produção; uso restrito. Após a escarificação é necessário

com ar comprimido para re-

moção do pó. Requer cuidados para não comprometer a

estrutura.

efetuar limpeza preferencialmente

I.

I:'.

Idl "li

"

Disco de Desbaste

Usos mais comuns

• Preparação e desbaste de grandes superfícies.

Equipamento

4.1.2

• Lixadeira industrial com disco, adequado para desbaste de pisos (polimento), úmido ou a seco.

Procedimento

• Aplicar o disco com lixa sobre a superfície, aproveitando o peso do próprio equipamento. Efetuar o desbaste em camada ou passadas cruzadas a 90 0. Desbastar, de cada vez, uma espessura pequena, mantendo uniformidade da espessura em

86 Procedimentos

toda a superfície.

Vantagens

• Alta produção

Desvantagens

• Requer mão-de-obra especializada.

de Preparo e Limpeza do Substrato

4.1.3

Escarificação Mecânica Usos mais comuns

• Preparação de grandes superfícies, apicoamento.

Equipamento

• Rebarbador eletromecânico ou fresas (para pisos)

Procedimento

• Escarificar de fora para dentro para evitar lascamentos das arestas e cantos. Em superfícies planas, remover a nata

superficial e procurar conferir rugosidade ao concreto. Retirar todo o material solto, mal compactado e segregado até atingir

o concreto são. Deve-se prever o cimbramento adequado,

Demolição

quando necessário.

Vantagens

• Alto rendimento na preparação, não requerendo mão-de-obra

especializada (qualificada)

Desvantagens

• Rendimento baixo para espessuras superiores a 1 em. Requer cuidados para não comprometer a estrutura. Após a escarifica- ção é necessário proceder à limpeza com ar comprimido, para

remoção do pó.

4.1.4

Usos mais comuns

• Preparação de grandes superfícies, demolições.

Equipamento

• Martelete pneumático 20 kg) ou eletromecânico.

Procedimento

• Retirar todo o material solto, mal compactado e segregado até atingir o concreto são. Deve-se prever cimbramento adequado.

Vantagens • Permite o uso de vários marteletes acoplados a um só compres- sor (no caso do martelete pneumático). Alto rendimento na

preparação.

Desvantagens

• Requer cuidados para não comprometer a estrutura existente. A demolição não é adequada para elementos estruturais esbeltos. Necessita de mão-de-obra especializada.

4.1.5

Lixamento Manual

Usos mais comuns

• Preparo de superfícies reduzidas, lixamento de barras de aço.

Equipamento

• Lixa d'água para concreto ou lixa de ferro para aço.

Procedimento

Esfregar a lixa em movimentos circulares e enérgicos sobre a superfície. No caso do aço, tentar obter cor metálica denomina- da estado de "metal quase branco". (*)

Vantagens

• Dispensa equipamentos pesados.

Desvantagens

• Baixa produção e exigência de controle criterioso (fiscalização).

1

,

I,

'

.'

(*)Toda a carepa de laminação e produtos da corrosão deverão ser removidos, de modo que o metal apresente apenas leves manchas na superfície. Após a limpeza, 95 % de cada área de 9 em" deverão estar livres de resíduos visíveis e apresentar coloração cinza claro. (Padrão SA 2 '/2 da norma sueca SIS 05 5900: 1967: "Pictorial surface pre- paration standards for painting steel surfaces" ou padrão inglês "second quality", norma BS 4232:

1967: "Surface finish ofblast-cleaned steel for painting").

Lixamento Elétrico

Uso mais comuns

• Superfícies de concreto ou chapas de aço

4.1.6

Equipamento

• Disco de lixa acoplado a uma lixadeira eletromecãnica provida de um protetor.

Procedimento

• Manter a lixa paralela à superfície em tratamento, procurando fazer movimentos circulares.

Vantagens

• Remove as impurezas existentes na superfície do concreto, abre e limpa seus poros. Remove a carepa de laminação e a crosta de corrosão superficial das chapas metálicas. Permite a remoção de eflorescências e a regularização das superfícies de concreto. Alto rendimento na preparação.

Desvantagens

• Provoca elevado grau de sujeira e poeira no ambiente, reque- rendo o uso de máscara antipó para proteção do operador.

4.1.7

Escovamento Manual Usos tnais comuns

• Preparação de superfícies de pequenas dimensões em locais de fácil acesso e remoção de produtos de corrosão incrustados

nas barras.

Equipamento

• Escova com cerdas de aço.

Procedimento

• Escovar a superfície até a completa remoção de partículas soltas ou qualquer outro material indesejável.

Vantagens • Fácil acesso e manuseio, não requerendo mão-de-obra especi- alizada nem instalações específicas. Em contato com a armadu- ra, retira os produtos da corrosão, desde que a escova seja aplicada de forma enérgica e eficiente.

Desvantagens

• Baixa produção, uso restrito.

Pistola de Agulha

Usos mais comuns

4.1.8

• Limpeza de superficiesmetálicas, retirada de corrosãoe de pinturas.

Equipamento

• Pistola eletromecânica.

Procedimento

• Colocar a pistola em contato com a armadura ou chapa metáli- ca até que seja retirada toda a camada de corrosão ou tinta. Deve-se tomar cuidado para evitar que o equipamento entre

em contato com o concreto.

Vantagens

Remove os produtos da corrosão (ferrugem) das armaduras, deixando a superfície na condição de "metal branco". (*)

Desvantagens

• Riscode danificaçãodas agulhas quando em contato como concreto.

(*)Toda a carepa de laminação e produtos da corrosão deverão ser removidos, de modo que o metal apre- sente superfície totalmente livre de resíduos visíveis. Após a limpeza a superfície deverá apresentar coloração cinza claro e uniforme. (Padrão SA 3 da norma sueca SIS 05 5900: 1967: "Pictorial surface preparation standards for painting steel surfaces" ou padrão inglês "first quality", norma BS 4232:

1967: "Surface finish ofblast-cleared steel for painting").

Manual para Reparo, Reforço e Proteção

de Estruturas

de Concreto

89

4.1.9

Jato de Areia Seco ou Úmido

Usos mais comuns

• Preparação

de grandes áreas e locais angulosos.

Equipamento

Compressor de ar, equipamento

(areia), mangueira

mente, água. A areia utilizada

adequada, deve ser lavada, isenta de matéria orgânica e preci-

de jato

de areia,

abrasivo

de alta pressão, bico direcional e, eventual-

deve ter uma granulometria

sa estar

seca no

momento da utilização.

A areia utilizada

no

jateamento

não é reaproveitável.

No caso

de jato

de areia

e

água, a água proveniente de um reservatório

ca deve ser pressurizada por uma bomba e conduzida a um

adaptador próprio por uma mangueira de alta pressão.

ou da rede públi-

Procedimento

• Manter o bico de jato numa posição ortogonal à superfície de aplicação. Movê-lo constantemente em círculos, distribuindo uniformemente o jato para melhor remoção de todos os resídu-

I,

I'

os que possam vir a prejudicar

a aderência.

Vantagens

• Prepara as superfícies a serem recuperadas

ou reforçadas, eli-

minando todas as partículas soltas, removendo todo o material

que possa vir a prejudicar a aderência da camada protetora. Permite ainda a limpeza da armadura através da remoção das camadas de corrosão que se formam sobre ela. No caso de um jato úmido, reduz o pó por envolver cada partícula numa

película de água.

Desvantagens

• Provoca elevado grau de sujeira

e pó (no caso de jato seco) no

ambiente. Não remove frações de espessuras superiores a 3 mm e, em certos casos, não dispensa escarificação prévia. Após a utilização dejato seco, é necessário proceder à limpeza de toda

a superfície jateada com ar comprimido.

4.1.10

Disco de Corte

Usos mais comuns

• Retirada de rebarbas, delimitação do contorno da área de reparo, abertura de vincos para tratamento de fissuras.

Equipamento

• Máquina de corte dotada de disco diamantado.

Procedimento

• Manter o disco em posição ortogonal à superfície. Antes de iniciar, demarcar com lápis de cera ou equivalente o contorno

Queima controlada

do serviço a ser executado.

Desvantagens

• Requer o uso de mão-de-obra especializada e acessorIOS adequados. Dificuldade de acesso deste tipo de equipamento a algumas regiões específicas. Requer também cuidados quanto ao controle da espessura do corte para não danificar estribos

e armaduras.

4.1.11

Usos mais comuns

• Preparação de áreas em que não há armadura exposta ou quando a espessura do cobrimento for superior a 30 mm.

Equipamento

• Maçarico

Procedimento

• Direcionar o maçarico de forma a facilitar a retirada das camadas de concreto desagregadas. Procurar não ficar muito tempo na mesma posição para não aquecer muito a superfície e

retirar inadequadamente o concreto são.

Vantagens

• Desagrega o concreto em camadas da ordem de 5 mm de espessura, eliminando impurezas comograxas, óleos e pinturas.

Desvantagens

• Exige mão-de-obra especializada e controle criterioso durante

a execução (fiscalização).

4.1.12

Remoção de Óleos e Graxas Impregnados

A remoção de óleos, graxas e gorduras impregnados em concre-

tos em profundidades superiores a 3 mm requer a remoção do concreto contaminado através dos procedimentos descritos em 4.1.3Escarificação mecãnica, 4.1.11 Queima controlada ou even- tualmente 4.1.4 Demolição. Após a escarificação do concreto, retirada do material solto e des- ligamento absoluto de fontes de calor e chamas, aplicar na super- fície REEBEXOL SUPER, um removedor de graxas e limpador à base de solventes de alta penetração, não-corrosivo, adequada- mente formulado para esta finalidade.

Máquina de Desbaste Superficial

Usos mais comuns

4.1.13

• Preparação de grandes áreas horizontais, pisos e lajes, onde há bom cobrimento da armadura e onde há necessidade de remoção de espessuras da ordem de 0,5 a 3 mm. Pequenas máquinas manuais podem ser usadas em superfícies verticais.

Equipamento

• Escarificadoras ou fresadoras mecânicas

Procedimento

• Pré-umedecer a superfície do concreto. Movimentar o equipa- mento em faixas paralelas, procurando manter velocidade de movimentação constante. Uma máquina fresadora de 30 em de largura bem operada pode preparar cerca de 4 a 8 m" por hora numa espessura de 2,5 a 3,0 mm de profundidade desbastada.

Vantagens

• Retira espessuras elevadas de modo uniforme e eficiente. Tem elevada produtividade.

Desvantagens

• Limitação a superfícies horizontais e planas.

92 Procedimentos

de Preparo e Limpeza do Substrato

4.2

Limpeza das superfícies

A limpeza das superfícies é entendida como o conjunto dos procedimen- tos efetuados instantes antes da aplicação propriamente dita dos materiais de recuperação.

o Quadro 4.2 reúne os principais procedimentos de limpeza.

Quadro 4.2 Procedimentos de limpeza

Procedimento mais adequado para

Item

Procedimento

concreto com superfície

 

seca

úmida

4.2.1 jato de água fria

inadequado

adequado

jato de água

4.2.2 quente

inadequado

adequado

4.2.3 vapor

inadequado

adequado

4.2.4 soluções ácidas

inadequado

aceitável

4.2.5 soluções alcalinas

inadequado

adequado

4.2.6 remoção

de óleos

inadequado

inadequado

e graxas

superficiais

4.2.7 jato de ar comprimido

adequado

aceitável

4.2.8 solventes voláteis

adequado

adequado

4.2.9 saturação

com água

inadequado

inadequado

4.2.10 aspiração

a vácuo

adequado

inadequado

aço com superfície úmida

seca

inadequado

aceitável

inadequado

inadequado

aceitável

aceitável

inadequado

inadequado

adequado

inadequado

adequado

adequado

adequado

inadequado

adequado

aceitável

aceitável

aceitável

inadequado

aceitável

Manual para Reparo,

Reforço e Proteção de Estruturas

de Concreto

93

4.2.1

Jato de Água Fria

Usos mais comuns

• Limpeza de grandes áreas.

Equipamento

• Mangueira de alta pressão, equipamento tipo lava-a-jato e bico direcional.

~

11

.

Procedimento

• Iniciar a limpeza pelas partes mais altas, procurando manter uma pressão adequada para remoção de partículas soltas. Executar, de preferência, movimentos circulares com o bico de jato para facilitar a limpeza de toda a superfície.

Vantagens

• Possibilita limpar a superfície, umedecendo-a ao mesmo tempo.

Desvantagens

• Não é adequado quando os materiais de reparo requerem substrato seco para boa aderência.

I

.

_":

" Jato de Água Quente

4.2.2

Usos mais comuns

• Limpeza de grandes áreas ou locais levemente contaminados com gorduras.

Equipamento

• Mangueiras de alta pressão, equipamento tipo lava-a-jato e bico direcional.

Procedimento

• Iniciar a limpeza nas partes mais altas, procurando manter uma pressão adequada para a remoção de partículas soltas. Executar, de preferência, movimentos circulares com o bico de jato para facilitar a limpeza de toda a superfície.

Vantagens

• Ajuda a eliminar impurezas orgânicas tais como graxas, óleos, pinturas, etc., quando associado a removedores biodegradáveis como REEBEXOL SUPER.

94 Procedimentos

Desvantagens

• Não é adequado quando os materiais de reparo requerem

subs-

trato seco para boa aderência. Requer proteção com luvas

térmicas e operador habilitado.

de Preparo e Limpeza do Substrato

\ EMBRAE. FABI· B!BUOTEC~

Vapor

Usos mais comuns

4.2.3

• Preparação de grandes áreas e locais contaminados com impurezas orgânicas e minerais (sais).

Equipamento

• Mangueira de alta pressão dotada de

isolamento térmico

para evitar perda de calor, bico direcional e caldeira para

geração de vapor.

Procedimento

• Se em forma de jato, o procedimento é similar ao descrito em

4.2.1.- Jato de Água Fria.

Vantagens

• Ajuda a eliminar impurezas minerais e orgânicas

como graxa,

óleo, pintura, etc; preferencialmente, deve ser associado a removedores biodegradáveis tipo REEBEXOL SUPER para

obter-se melhor performance.

Desvantagens

• Exige operador especializado.

4.2.4

Lavagem com Soluções Ácidas Usos mais comuns

• Limpeza de grandes áreas onde não haja, preferencialmente, armadura exposta ou muito próxima à superfície; remoção de tintas e ferrugem de metais, ferramentas, etc.

Equipamento

• Pulverizador, brocha, trincha ou esfregão.

Procedimento

• Antes da aplicação, saturar a estrutura com água limpa para evitar a penetração do ácido no concreto são. Preparar a solu- ção de REEBAKLENS conforme orientação do Boletim Técni- co do produto. Aplicar a solução. A efervecência é sinal de des- contaminação. Imediatamente após a reação, lavar a estrutura com água limpa em abundãncia, para a remoção de partículas

sólidas e resíduos da solução utilizada.

Manual para Reparo, Reforço e Proteção

de Estruturas

de Concreto

95

",

)1

il

Vantagens

• Remove da superfície da estrutura materiais

indesejáveis como

carbonatos, resíduos de cimento, impurezas orgânicas etc, me- lhorando as características aderentes do substrato; não requer

equipamento especial.

Desvantagens

• Seu emprego é aconselhável apenas para tratamentos de lim- peza superficial, tendo em conta a possibilidade de infiltração irreversível de agentes ácidos na estrutura.

4.2.5

Lavagem com Soluções Alcalinas Usos mais comuns

• Limpeza de grandes áreas que apresentam resíduos ácidos

,

"

-,

impregnados.

Equipamento

• Pulverizador, brocha, trincha ou esfregão.

Procedimento

• Saturar a estrutura com água limpa para evitar a infiltração da solução alcalina, que poderá modificar as características do concreto. Aplicar a solução concomitantemente com a lavagem da estrutura através de uma mangueira de água.

96 Procedimentos

Vantagens

• Neutraliza especialmente a estrutura que esteve sujeita ao ataque ácido, melhorando as características aderentes do subs- trato. O método não é agressivo à armadura e não requer equi-

pamento especial.

Desvantagens

• Se por acaso houver presença de agregados reativos no concreto, pode provocar expansão devido à reação alcali-agregado. Não é eficaz na remoção de produtos provenientes da corrosão da arma- dura. Dificulta a aderência de certos produtos à base de epóxi.

de Preparo e Limpeza do Substrato

4.2.6

Remoção de Óleos e Graxas Superficiais Usos mais comuns

• Limpeza de superfícies horizontais (pisos) contaminadas super- ficialmente em espessuras menores que dois milímetros.

Equipamentos

• Vassoura, esfregão, trincha e brocha.

Procedimento

• Aplicar o removedor REEBEXOL SUPER diretamente ~obre as áreas afetadas, deixando-o agir pelo menos por vinte minu- tos. A seguir, lavar a região com água em abundância com o au- xílio de um esfregão ou vassoura, para remoção de partículas sólidas e resíduos do produto utilizado.

Vantagens

• Não é corrosivo, não ataca o concreto nem a armadura e não

requer equipamento especial.

Desvantagens

• Não consegue remover gorduras e óleos impregnados profun- damente (> 2 mm) e havendo, neste caso, conforme o grau de contaminação, necessidade de escarificação mecânica (4.1.3) ou

queima controlada (4.1.11).

4.2.7

Jato de Ar Comprimido Usos mais comuns

• Remoção de pó após os procedimentos de preparo, como esca- rificação, escova de aço oujato de areia. Também é usado quan- do na superfície for aplicada resina de base epóxi, que requer

substrato seco e limpo.

Equipamento

• Mangueira de alta pressão e compressor dotado de filtro' de ar e de óleo, para garantir ar descontaminado.

Procedimento

• Havendo cavidades, colocar no seu interior a extremidade da mangueira, executando a limpeza do interior para o exterior. Uma vez limpas, as cavidades devem ser vedadas com papel, procedendo-se então à limpeza da superfície remanescente. É importante começar sempre o processo pelas cavidades, pas- sando depois para as superfícies circunvizinhas, de modo a evitar deposição de pó no seu interior.

Manualpara Reparo, Reforçoe Proteçãode Estruturasde Concreto

97

Vantagens

• Remove o pó e possibilita, logo em seguida, a aplicação de ade- sivo estrutural de base epóxi, desde que o substrato esteja seco. Adequado para limpeza de fissuras, sob pressão, antes da exe- cução de procedimentos de injeção de grautes ou resinas para restabelecimento do monolitismo estrutural.

Desvantagens

-n

•., I II

,I "

II

1\

'I'

I

;

,-

"

"

,I

"

.:

- .,

Solventes Voláteis

• É inadequado para superfícies úmidas

Usos mais comuns

4.2.8

• Limpeza de superfícies de concreto ou de aço, instantes antes da aplicação de resinas de base epóxi.

Equipamento

• Pincel, estopa e algodão.

Procedimento

• Aplicar o produto (acetona industrial) com estopa, pincelou algodão nas superfícies e executar movimentos adequados para a retirada de eventuais resíduos e contaminações.

Vantagens

• Retira ácido úrico (mãos), contaminações superficiais de gordu- ra, graxas, tintas e óleos. Por ser altamente volátil, evapora levando partículas de água da superfície e, conseqüentemente. auxilia a secagem superficial.

98 Procedimentos

Desvantagens

• É produto inflamável e muito volátil (perda por evaporação).

de Preparo e Limpeza do Substrato

4.2.9

Saturação com Água

Usos mais comuns

• Tratamento de superfícies de concreto antes da aplicação de

argamassas

e concretos de base cimento.

Equipamento

• Mangueira perfurada, sacoSde aniagem.

Procedimento

• Imergir totalmente a superfície a'ser tratada por um período de, pelo menos, doze horas, antes de aplicar os produtos de base cimento. Essa imersão pode ser conseguida com a construção de barreiras temporárias e mangueira com vazão contínua. Em superfícies verticais, é necessário, quando a submersão for inviável, formar um filme contínuo de água na superfície com o auxílio de sacos de aniagem e mangueiras perfuradas. Instantes antes da aplicação dos produtos, retirar a água e secar, com estopa seca e limpa, o excesso de água superficial, obtendo-se a condição de superfície saturada e seca (não

encharcada).

Aspiração a Vácuo

Usos mais comuns

4.2.10

• Limpeza a seco de superfícies de concreto, adequadas para receber adesivos e pontes de aderência que exigem substrato

seco.

Equipamento

• Aspirador de pó industrial especialmente projetado e constituído para aspirar pó de concreto,com alta potência.

Procedimento

• Aspirar cuidadosamente as áreas que serão tratadas manten- do a boca do aspirador próxima 2 mm) à superfície do

concreto.

Vantagens

• Retira partículas pequenas (pó) sem produzir mais poeira.

Ideal para locais fechados.

Desvantagens

Não retira partículas grandes nem úmidas.

Manual para

Reparo, Reforço e Proteção de Estruturas

de Concreto

99

Procedimentos de Reparo e Reforço Estrutural

A necessidade de reparar ou reforçar uma determinada estrutura, restaurando sua segurança e aumentando sua durabilidade (vida útil), tem sido cada vez mais comum por uma série de razões: es~ruturas mais esbeltas, solici- tações mais intensas, ambientes mais agressivos, consciência e maior conheci- mento dos responsáveis pela manutenção das estruturas, recuperação ou aumento do valor do imóvel, inviabilidade de demolição e reconstrução, mudan- ças de uso da construção e outros mais.

Este Capítulo apresenta alguns procedimentos gerais de reparo e reforço de estruturas de concreto. Conforme já foi ressaltado, não se pode pres- cindir de um diagnóstico adequado do problema patológico, realizado por um especialista. Os serviços devem ser iniciados a partir desse diagnóstico, do pro- jeto de recuperação e dos escoramentos e transferências de carga necessários.

Os procedimentos aqui apresentados são apenas um guia de orienta- ção para projetistas, construtores, fiscais e responsáveis pela manutenção preventiva e corretiva das construções civis, não substituindo um projeto espe-

cífico de recuperação.

Roteiro Completo de um Reparo

Foto 5.2

Delimitação da região de reparo com disco de corte

Foto 5.1

Corrosão de armaduras e deterioração do concreto na região de fixação da grade de proteção da sacada. Causa do problema:

Metais diferentes em contato (grade e armadura da estrutura) e ingresso de cloretos

Manual para Reparo, Reforço e Proteção

de Estruturas

de Concreto

101

102 Procedimentos

Foto 5.3

Apicoamento

da superfície

e remoção do concreto

deteriorado

Foto 5.4

Limpeza do concreto

remanescente

e armaduras na

região do reparo com a utilização de equipamento de jato-de-areia

de Reparo e Reforço Estrutural

Foto 5.5

Aplicação de NITOPRIMER

primer

armaduras, na região de reparo

Zn,

rico em zinco, sobre as

Foto 5.6

Saturação da superfície com água

Foto 5.8

Aplicação de argamassa polimérica à base de cimento,

RENDEROCS2

Foto 5.7

Aplicação de ponte de aderência no concreto, constituída

por NITOBOND AR

Manual para Reparo, Reforço e Proteção de Estruturas de Concreto 103

Foto 5.10

. , ~I

,

,\

.

-"

't),

·

1

Foto 5.9

Acondicionamento

do

RENDEROC S2 para

recomposição

da peça

Foto 5.11

pulverização de membrana de cura constituída por

NITOBONDAR

104 Procedimentos

Foto 5.12

Reparo concluído. Observar

que foi alterada a forma

fixação da grade de proteção da sacada, que não está mais vinculada às armaduras da estrutura

de

de Reparo e Reforço Estrutural

Acabamento do

reparo executado

VIGAS- PILARES- LAJES- PAREDES

Reparos Superficiais Localizados

Argamassade reparo

Profundidadede corte '-------------------' com disco no contorno

Área a ser reparada

Delimitaçãodo contorno da área do reparo com disco de corte

5.1

ArgamaSsa polimérica base cimento

RENDEROC S2

• alcance

0,5 em ~ e ~ 2,5 em

• corte do contorno

espessura

2 0,5 cm para superfícies em geral

espessura

2 1,0 cm para pisos

• substrato

• preparação

• aplicação

• acabamento

• cura

saturado e com superfície seca, sem empoçamentos

em um misturador mecânico, adicionar o componente B ao com- ponente A, misturar e homogeneizar por 3 minutos

aplicar ponte de aderência constituída por pasta de cimento aditiva- da com NITOBOND AR, na relação 3:1:1 (cimento:

NITOBOND AR: água), em volume. Pressionar fortemente a arga- massa RENDEROC 82 contra o substrato, em camadas seqüenciais

de 1,0 cm até atingir

desempenadeira de madeira, de feltro (espuma) ou de aço

úmida por 7 dias ou duas demãos de NITOBOND AR aplicadas com

pulverizador

a máxima espessura desejada (~ 2,5 cm)

ou, após início de pega, com trincha ou rolo. Nas primei-

ras 36 horas evitar radiação solar direta através de anteparos

Manualpara Reparo, Reforçoe Proteção de Estruturasde Concreto 105

VIGAS - PILARES - LAJES - PAREDES

Reparos Superficiais Localizados

'"

:a

,I

,

,

••

"

,,,I

"I I

:~

".J

Componente estrutural

Argamassa de reparo

Profundidade de corte

com disco no contorno

5.2

Argamassa base epóxi

NITOMORTAR S

• alcance

• corte do contorno

• substrato

• preparação

• aplicação -',

• acabamento

• cura

• cuidados

0,5 em ~ e ~ 1,5 em

profundidade de 0,5 em

seeo, efetuando-se limpeza comjato de ar seco ou eventualmente ace- tona para limpar e secar

em um misturado r mecânico, adicionar o componente B ao compo- nente A, misturar e homogeneizar por 3 minutos, Juntar aos poucos o componente C (agregados) e homogeneizar por mais 3 minutos

aplicar ponte de aderência NITOPRIMER 25, Respeitando o tempo de manuseio e de colagem (*) do primer aplicar argamassa NITOMORTAR S, pressionando-a fortemente contra o substrato, em camadas seqüenciais de 0,5 em até atingir a espessura desejada (~ 1,5 em), Observar temperaturas ambientes de 10 a 30 °C, Para es- pessuras maiores, defasar de mais de 5 horas e manter a~uperfícies que receberão nova camada ranhuradas, para facilitar a aderência da camada posterior

desempenadeira de aço

proteger contra radiação solar direta nas

trabalhar com luvas e óculos de segurança

par equipamentos e ferramentas com SOLVENTE 140 antes da

polimerização do sistema epóxi

em locais ventilados e lim-

primeiras 5 horas

* tempo de manuseio ou "pot-life" é o prazo disponível para aplicação do produto * tempo de colagem é o prazo total, após mistura dos componentes do primer ou adesivo, em que o material ainda adere, Também conhecido como tempo para aplicar o revestimento ou "open-time"

lGAS _ PILARES - LAJES - PAREDES

eparo s superficiais Localizados

Componente

estrutural

ArgamaSsa de reparo

elimitação

da área

disco

do contorno

com

do reparo

de corte

profundidade

com disco no contorno

de corte

c

Argamassa base poliéster

]

5.3

NITOMORTAR

alcance

------0,5

PE

~ e ~ 1,5 em; área ~ 50 em x 50 em ou faixas lineares de largura ~ 10 em e comprimento ~ 1,0 m

• corte do contorno _profundidade

de 0,5 em

substrato

----seco,

efetuando-se limpeza com jato de ar seco ou, eventualmente,

acetona para limpar e secar

• preparação

--despejar

a resina num balde plástico limpo. Adicionar devagar o

agregado, homogeneizando pelo menos por 3 minutos

• aplicação

--pressionar

fortemente a argamassa NITOMORTAR PE contra o

substrato, em camadas seqüenciais de 0,5 em até atingir a espessura desejada (~ 1,5 cm). Para espessuras maiores, defasar de mais de 5 horas e manter as superfícies que receberão nova camada ranhuradas, para facilitar a aderência 'da camada posterior. Obser-

var tempo de manuseio do material (*)

---desempenadeira

--trabalhar

de aço

• acabamento _--------prote ger

da radiação solar direta nas primeiras 5 horas

com luvas e óculos de segurança e em locais ventilados

• cuidados

cura

* tempo de manuseio ou "pot-life" é o prazo disponível para aplicação do produto

Manual para Reparo,

Reforço e Proteção

de

Estruturas de Concreto 107

VIGAS - PILARES - LAJES - PAREDES

Reparos Superficiais - Grandes Áreas

Ponte de aderênca

Argamassa de reparo

_ \ \ _ Espessura máxima ~ I do revestimento(e)

5.4

Argamassa polimérica base cimento

:.,

.J

",'

",

RENDEROC 52

• substrato

• preparação

alcance

• aplicação

• acabamento

cura

0,5 em s e s 2,5 em

saturado e com superfície seca, sem empoçamentos

em um misturador mecânico, adicionar o componente B ao com- ponente A, misturar e homogeneizar por 3 minutos

aplicar ponte de aderência constituída por pasta de cimento aditiva- da com NITOBOND AR, na relaçâo 3:1:1 (cimento:

NITOBOND AR: água), em volume, Pressionar fortemente a arga- massa RENDEROC 82 contra o substrato, em camadas seqüenciais de 1,0 em até atingir a máxima espessura desejada (~2,5 em)

desempenadeira de madeira, de feltro (espuma) ou de aço

úmida por 7 dias

pulverizador

ras 36 horas evitar radiação solardireta através de anteparos

ou duas demãos de NITOBOND AR aplicadas com

ou, após início de pega, com trincha ou rolo. Nas primei-

1 08 Procedimentosde Reparoe ReforçoEstrutural

VIGAS - PILARES - LAJES - PAREDES

Reparos Superficiais - Grandes Áreas

Componente estrutural

~.

Argamassa projetada

- I I~ Espessura máxima

~

\

do revestimento (e)

5.5

Argamassa polimérica projetada

RENDEROC 52 I RENDEROC HB2

• alcance

• substrato

• preparação

aplicação

• acabamento

• cura

1,0

1,0 ~ e ~ 7,0 em - RENDEROC 82

~ e ~ 10,0 cm - RENDEROC HB2

saturado e com superfície seca, sem empoçamentos

em um misturador mecânico, adicionar o componente B ao com- ponente A, misturar e homogeneizar por 3 minutos

projetar a argamassa contra o substrato (processo via úmida), de baixo

para cima, em camadas seqüenciais até atingir a espessura desejada,

s 10,0 em para RENDEROC HB2 e ~ 7,0 em para RENDEROC 82

desempenadeira de madeira, de feltro (espuma) ou de aço

úmida por 7 dias ou duas demãos de NITOBOND AR aplicadas com pulverizador ou após início de pega, com trincha ou rolo. Nas primei- ras 36 horas evitar radiação solar direta através de anteparos

VIGAS - PILARES - LAJES - PAREDES

Reparos Superficiais - Grandes Áreas

Cavidades

!

n~

,,,I

Estucamento

RENDEROC FC2

• alcance

• substrato

• preparação

• aplicação

• acabamento

cura

f4-i-----Minitissuras

14-+-- Bolhas

Aplicação do estucamento

com desempenadeira

de aço

5.6

estucamento de superfície de concreto com qualquer área, com es- pessura de até 0,3 em

lixado com lixadeira elétrica ou preparado com jato de areia. Ume- decido e com superfície seca

em um misturador mecânico, adicionar o componente B ao compo-

nente A, misturar e homogeneizar por 3 minutos

aplicar o RENDEROC FC2 sobre a superfície, com desempenadeira de aço, pressionando fortemente de modo a evitar a criação de uma camada de ar sobre o concreto, ou seja, o RENDEROC FC2 deve preencher os furos, cavidades e minifissuras

desempenadeira de feltro (espuma) ou de aço. Após 36 horas lixar

novamente, efetuar retoques, lixar e lavar a superfície

úmida por 3 dias

OBS.: Poderá ser utilizada uma pasta para estucamento preparada na seguinte proporção: 2 volumes de cimento Portland comum: 1 volume de cimento branco: 1 volume de alvaiade ou areia fina com Dmax 5 0,30 mm, Misturar bem e adicionar solução de NITOBOND AR na relação de 1 de NITOBOND AR para 3 de água. A proporção entre cimento Portland e cimento branco pode variar um pouco em função da tonalidade origi-

nal do concreto

1 1 O Procedimentos de Reparo e Reforço Estrutural

VIGAS _ PILARES - LAJES - PAREDES

Reparos - .Juntas de Movimentação

5.7

Argamassa polimérica base cimento

RENDEROC 52

• alcance

• substrato ---cortar com disco de corte na profundidade de 1 em (pisos) ou 0,5 em (superfícies verticais). Demolir e escarificar na inclinação 3x1 a ares- ta do componente estrutural. Limpar e manter o substrato saturado

----reparo

das bordas de juntas em superfícies de pequena solicitação

e com superfície seca, sem empoçamentos

preparação

----em

um misturador mecãnico adicionar o componente B ao componen- te A, misturar e homogeneizar por 3 minutos

aplicação

--'----aplicar

ponte de aderência constituída por pasta de cimento aditivado com NITOBOND AR, na relação 3:1:1 (cimento:

NITOBOND AR: água), em volume. Adensar a argamassa RENDEROC 82 nas bordas da junta. Executar em camadas de es- pessura s 2,5 cm, defasadas de 2 horas, mantendo as superfícies que

receberão nova camada ranhuradas

• acabamento --desempenadeira de madeira, de feltro (espuma) ou de aço

cura

-------úmida

por 7 dias ou duas demãos de NITOBOND AR aplicadas com pulverizador ou após início de pega com trincha ou rolo. Nas primei-

ras 36 horas evitar radiação solar direta através de anteparos

• aplicação do selante

após o total endurecimento das bordas (cerca de 7 dias) e com as su- perfícies secas aplicar o selante de acordo com as recomendações de emprego do produto. Na maioria dos casos é recomendável o uso de primer. Observar profundidade h $ L (largura da junta). O selante

não deve aderir no fundo, somente nas laterais.

Manualpara Reparo,Reforçoe Proteçãode Estruturasde Concreto 111

VIGAS _ PILARES - LAJES - PAREDES

Reparos -

Juntas

de Movimentação

5.8

Argamassa base epóxi

NITOMORTAR S

• alcance

• substrato

----reparo

das bordas de juntas em superfícies verticais e horizontais

na profundidade de 0,5 em. Demolir e esca-

rificar na inclinação 3 x 1 a aresta do componente estrutural. Lim-

cortar com disco de corte

par a superfície com jato de ar seco ou eventualmente acetona

• preparação _-----em um misturador mecânico adicionar o componente B ao componen- te A, misturar e homogeneizar por 3 minutos. Juntar aos poucos o componente C (agregados), misturar e homogeneizar por mai

" 1

j

• aplicação

-----aplicar

3 minutos ponte de aderência NITOBOND EP sobre a superfície seca e adensar energicamente a argamassa NITOMORTAR S respeitando o tempo de manuseio e de colagem (*) do adesivo NITOBOND EP. Executar em camadas de espessura ~ 1,5 em defasadas de 2 horas, mantendo as superfícies que receberão nova camada ranhuradas

desempenadeira de aço

• acabamento

• cuidados ----trabalhar com luvas e óculos de segurança, em locais ventilados e limpar equipamentos e ferramentas com SOLVENTE 140 antes da

cura

-------proteger

contra radiação solar direta nas primeiras 5 horas

polimerização do sistema epóxi

• aplicação do selante _-apóS

endurecimento das bordas (cerca de 24 horas) e com a superfí-

cie seca, aplicar o selante de acordo com as recomendações de empre-

go do produto. Na maioria dos casos é recomendável o uso de primer. Observar profundidade h ~ L (largura da junta). O selante não deve

aderir no fundo, somente nas laterais

* tempo de manuseio ou "pot-life" é o prazo disponível para aplicação do produto. * tempo de colagem é o prazo total, após mistura dos componentes do primer ou adesivo, que o material ainda adere. Também conhecido por tempo para aplicar o revestimento OU "open-time"-

1 1 2 Procedimentos de Reparo e Reforço Estrutural

GAS - PILARES - LAJES - PAREDES

eparos Profundos

8

Cantos

arredondados

-:

Esearifieação

o

í

Delimitar contorno

com disco

de corte

profundidade 0,5 em

Argamassa

de reparo

5.9

ArgamaSsa polimérica base cimento

RENDEROC .HB2 *

• alcance

• substrato

• preparação

• aplicação

• acabamento

cura

espessuras de 1,0 cm a 5,0 cm

saturado e com superfície seca, sem empoçamentos

em um misturado r mecânico, adicionar o componente B ao compo- nente A, misturar e homogeneizar por 3 minutos

aplicar ponte de aderência constituída por NITOBOND HAR utili- zando um pincel de pelo curto. Aplicar a argamassa RENDEROC HB2 pressionando-a fortemente contra o substrato com o auxílio de uma colher de pedreiro ou com as mâos protegidas por uma luva, em camadas seqüenciais assegurando a total compactação do RENDEROC HB2, até atingir a máxima espessura

desejada ($ 5,0 em)

desempenadeira de madeira, de feltro (espuma) ou de aço,

úmida por 7 dias ou

duas demãos de NITOBOND AR aplicadas com

pulverizador ou após início de pega, com pincel, trincha ou rolo. Nas

primeiras 36 horas evitar radiação solar direta através de anteparos

'" Também pode ser utilizado o RENDEROC TG, argamassa base cimento, com sistema de compensação de retração, para aplicações com espessura de 1,0 cm a 5,0 em

Manualpara Reparo,Reforçoe Proteçãode Estruturasde Concreto1 1 3

------------------

VIGAS - PILARES - LAJES - PAREDES

Reparos Profundos

8

'-Cantos

arredondados

J;~

Esearifieação

\

o

Delimitar contorno

com disco

de corte

profundidade0,5 em

~Argamassa

de reparo

Argamassa Seca "dry pack"

SHIM SET

• substrato

seco com aplicação de ponte de aderência NITOBOND EP, adesivo base epóxi

em um misturador mecânico, adicionar água ao pó na relação água /

pó de 0,140, misturar e homogeneizar por 3 minutos

preparação

• aplicação

aplicar ponte de aderência NITOBOND EP sobre a superfície seca e aplicar argamassa SHIM SET em camadas finas (cerca de 1,0 cm), compactadas energicamente com soquete de madeira, respeitando-se

o tempo de manuseio e de colagem (oi) do adesivo NITOBOND EP.

A cada duas camadas, encravar o maior número possível de pedras

britadas pré-lavadas, colocando-as uma a uma na argamassa fresca

e compactando com um soquete de madeira. Repetir esta operação cuidadosamente até preencher a cavidade

* tempo de manuseio ou "pot-life" é o prazo disponível para aplicação do produto * tempo de colagem é o prazo total após mistura dos componentes do primer ou adesivo, em que o material ainda adere. Também conhecido por tempo para aplicar o revestimento ou "open-time"

1 1 4 Procedimentosde Reparoe ReforçoEstrutural

VIGAS - PILARES - LAJES - PAREDES

Reparos Profundos

8

o

l

I

Cantos arredondados

Delimitar contorno

_~

com disco

~~profundidade

de corte

0,5 cm

Escarificação

5.10

Graute base cimento / microconcreto

RENDEROC RG I RENDEROC LA

fluido

• alcance

• substrato

• preparação

• aplicação

• acabamento

• cura

profundidade s 6 em RENDEROC RG

profundidade

de 3 em a 30 em RENDEROC LA

saturado e com superfície seca sem empoçamentos

sivo epóxi NITOBOND EPPL

ou seco com ade-

em um misturador

água/pó

RENDEROC LA. Misturar e homogeneizar por 3 minutos

mecânico,

para

adicionar

água

RG

ao pó na

e

0,126

de 0,140

o RENDEROC

relação

para

o

preparar

mentador. Retirar as fôrmas, se necessário, para efetuar a saturação do substrato ou com as superfícies secas aplicar o adesivo NITOBOND EPPL e recolocá-las. Lançar o RENDEROC RG ou RENDEROC LA, respeitando o prazo de colagem do adesivo.

sempre pelo

a

reparar. Observar prazo de no máximo, 20 minutos após mistura

para lançamento total do material

mesmo lado, até atingir altura

Evitar bolhas de ar lançando calma e continuamente

as fôrmas estanques

e rígidas,

com cachimbo ou funil ali-

10 em acima do limite da cavidade

após remover as fôrmas

pre de baixo para cima para evitar lascamentos. Se necessário, dar

acabamento com RENDEROC 82

e depois de 24 horas, cortar os excessos, sem-

úmida por 7 dias ou duas demãos de NITOBOND AR aplicadas com pulverizador, trincha ou rolo imediatamente após desformar. Nas primeiras 36 horas evitar radiação solar direta através de anteparos

VIGAS - PILARES - LAJES - PARED,ES

;

1

.J

Reparos Profundos

8

OJ

1

T

Delimitar contorno com disco de corte

profundidade

0,5 em

'-Cantos

arredondados

i~

Escarificação

5.11

Concreto

• alcance

• substrato

• preparação

• aplicação

• acabamento

• cura

qualquer profundidade

seco com aplicação de ponte de aderência NITOBOND EPPL, ade-

sivo base epóxi

relação água total/cimento ~ 0,50; abatimento de 100 a 150 mm, adi- tivo superplastificante CONPLA8T 8P430; dimensão máxima ca- racterística do agregado igual a 1/4 da menor dimensão da peça

preparar

mentador. Retirar as fôrmas, aplicar o adesivo (ponte de aderência NITOBOND EPPL e recolocar as fôrmas. Lançar o concreto respei- tando o tempo de manuseio e o tempo de colagem (*1 do adesivo. Evitar bolhas de ar lançando calma e continuamente até atingir al- tura 10 em acima do limite da cavidade. Adensar com soquetes ou vi-

fôrmas estanques

e rígidas,

com "cachimbo" ou funil ali-

bradores pequenos e adequados

após remover

as fôrmas

e depois de pelo menos

48 horas,

cortar os

excessos sempre de baixo para cima para evitar lascamentos,

Se ne-

cessário, dar acabamento

saturar com

aplicadas com pulverizador,

formar

com RENDEROC 82

água por 14 dias ou duas demãos de NITOBOND AR

após des-

trincha ou rolo imediatamente

* tempo de manuseio ou "pot-life" é o prazo disponível para aplicação do produto

* tempo

de colagem é o prazo total após mistura dos componentes

do primer ou adesivo, em que

material ainda adere. Também conhecido por tempo para aplicar o revestimento

ou "open-time-

116 Procedimentos de Reparo e Reforço Estrutural

VIGAS - PILARES - LAJES - PAREDES

Reparos Profundos

~--- Fôrma estanque

- Tubo de entrada da argamassa

5.12

Concreto pré-acondicionado ou concreto injetado

• alcance

• preparação

substrato

• aplicação

• cura

qualquer profundidade

saturado e com superfície seca, sem empoçamentos

seixo rolado lavado de dimensão contida entre as peneiras de 12,5 mm e 40 mm. Argamassa de traço em massa 1 de cimento:

1,5 de areia seca com dimensão máxima característica 1,2 mm e relação água / cimento s; 0,45, com aditivo superplastificante CONPLAST SP430

preparar fôrmas estanques e rígidas. Colocar os agregados graúdos e injetar água potável. Após saturação, deixar a água escorrer e inje- tar a argamassa lenta e continuamente, por baixo, fazendo o ar ser expulso. Em cavidades de grandes dimensões é conveniente dispor de vários tubos de injeção espaçados de 50 em

saturado de água por 14 dias ou duas demãos de NITOBOND AR aplicadas com pulverizador, trincha ou rolo imediatamente após desformar

Manual para Reparo, Reforço e Proteção

de Estruturas

de Concreto

1 1 7

VIGAS - PILARES - LAJES - PAREDES

Reparos etn Pisos

Corte

Planta

de reparo

" 5.13

r

Microconcreto de alta resistência inicial

PATCHROC

• alcance

.~

1

• corte do contorno

• substrato

• preparação

• aplicação

• acabamento

• cura

1,0 S e S 10,0 em / LxD S 2,5 x 2,5 m

profundidade = 1,0 cm

saturado e com superfície seca, sem empoçamentos

em um misturador mecânico, adicionar água ao pó na relação á

pó igual a 0,120. Misturar e homogeneizar por 3 minutos

aplicar o PATCHROC no local de reparo em camadas seqüen~ podendo atingir a espessura de até 5 cm em uma só camada. Para es pessuras maiores que 5 em (até 10 em), aguardar 1 hora após o' ~ çamento da primeira camada e lançar a segunda

régua para sarrafeamento, desempenadeira de madeira, de ffê-

(espuma) ou de aço

duas demãos de NITOBOND

atamente após a execução do reparo

AR aplicadas com pulverizador .~

Importante: a área reparada poderá ser liberada para trânsito de pedestres após 1 hora or; ~ trânsito de veículos, após 2 horas do término do reparo, a 25 "C.

1 1 8 Procodimentos

de Reparo e Reforço Estrutural

VIGAS':' PILARES - LAJES - PAREDES

Reparos I Reforços

Corrosão por Cloretos

ir

11

,11

14-- Argamassa

de reparo

f4t-- NITOPRIMERZn

~II-l--

Adesivo

NITOBONDEP

11

11

I1

5.14

Proteção da armadura

NITOPRIMER

• alcance

• substrato

Zn

reparos localizados ou generalizados com armaduras corroídas

remover o concreto ao redor das barras deixando pelo menos 2,5 em

livres. Limpar armaduras retirando os produtos de corrosão, com jato de areia ou eventualmente lixa-ferro ou escovas de aço, remo- vendo detritos com ar comprimido. Em seguida proceder o

hidrojateamento

misturar bem o produto

cuidadoso de toda a superfície das armaduras

na lata até obter homogeneidade

• preparação

• aplicação antes da aplicação da argamassa de reparo (cimento, epóxi ou poliéster) aplicar primer rico em zinco, NITOPRIMER Zn, na superfície da armadura e esperar a secagem por 30 minutos. Poste- riormente, aplicar adesivo epóxi NITOBOND EP na superfície do concreto, para formar barreira em relação ao concreto contaminado e ao mesmo tempo formar uma ponte de aderência. Aplicar a arga- massa adensando bem e respeitando as espessuras máximas de ca- madas recomendadas para o material adotado (ver 5.1 a 5.4 e 5.9 e

 

5.10)

• cura

a cura

do primer ocorre pela simples evaporação do solvente

• cuidados

trabalhar com luvas e óculos de segurança e em locais ventilados

Manualpara Reparo,Reforçoe Proteçãode Estruturasde Concreto 119

VIGAS - PILARES - LAJES - PAREDES

Reparos I Reforços Corrosão por Cloretos

1

I'"

I

Ponte de aderência NITOBOND EP

;.- Argamassa ou concreto com inibidor químico

Inibidor de corrosão

5.15

• alcance

reparos,

reforços generalizados e obras novas na presença de clore-

tos

• substrato

• preparação

• aplicação

• acabamento

cura

remover o concreto ao redor das barras

livres. Limpar armaduras retirando os produtos de corrosão. Aplicar

ponte de aderência NITOBOND EP sobre substrato seco, para cons- tituir barreira ao concreto velho e contaminado

dissolver o inibidor de corrosão (*) na água de amassamento. ~-- 5% de inibidor em massa de cimento Portland comum ou cornpost Misturar bem e homogeneizar na argamassa ou concreto

os procedimentos de execução devem atender às recomenda. õe gerais (ver itens 5.4 e 5.5)

deixando pelo menos 2,5

desempenadeira de madeira, de feltro (espuma) ou de aço

úmida por 14 dias ou duas demãos de NITOBOND AR aplicadaE

pulverizador

ras 36 horas evitar radiação solar direta através de anteparos.

ou, após início de pega, com trincha ou rolo. Nas priz;

* lnibidores de corrosão à base de nitrito de sódio ou de cálcio têm apresentad

desempenho

-

1 2 O Procedimentos

de Reparo e Reforço Estrutural

VIGAS - PILARES - LAJES - PAREDES

Reparo/Reforço - Submerso

Cantosarredondados'_L- ,/

5.16

Graute de base cimento para uso subaquático

CONBEXTRA uw

• alcance

• substrato

• preparação

• aplicação

reparos ou reforços submersos, em água doce ou salgada, de até 25 em de espessura

preparar a cavidade (mergulhador) demolindo e retirando o concre- to velho, Quando se tratar de reforço, este deve envolver o compo-

nente estrutural

em um misturador mecânico adicionar na relação água/pó de 0,22 e misturar

5 minutos

preparar fôrmas rígidas e estanques,

tura e deixando espaço para a entrada do graute sob pressão (inje- ção ou gravidade), de baixo para cima, Em cavidades de pequena pro- fundidade ($ 6,0 em), injetar o CONBEXTRA UW sem adição de agregados. Em cavidades maiores empregar o sistema de concreto pré-acondicionado (item 5.12). Observar, no máximo, 20 minutos

o CONBEXTRA UW à água energicamente por pelo menos

fixando-as bem contra a estru-

após a mistura para lançamento total do CONBEXTRA UW

• acabamento

8e necessário, retirar excesso após 36 horas

VIGAS - PILARES - LAJES - PAREDES

Reforço - Enlendas para Reconstituição da Seção de Arnladura

;

.J

Armadura de costura

5.17

Por traspasse

• comprimento

do traspasse

recomendando-se:

para

armadura

comprimida,

de acordo

com

o projeto.

• base cimento: L ~ 40 0 com espessura de cobrimento conforme NBR 6118.

argamassa

• e graute base epóxi: L ~ 30 0 com d ~ 0,5 em

argamassa

• base poliéster: L ~ 30 0 com d ~ 0,5

argamassa

em

• grautes base cimento, microconcretos e concretos: L ~ 40 0 , com espessura de cobrimento

conforme NBR 6118 • comprimento do traspasse para armadura tracionada, de acordo com o projeto, recomendando-se:

o

S 12,5 mm e até 50 % das emendas na mesma seção - idem para armadura comprimida

o

S 12,5 mm e até 100 % das emendas na mesma seção - aumentar de 50 % o comprimento do

traspasse

o ~12,5 mm: seguir NBR-6118 seção 6.3.5.2

• Observação: armadura CA-50 nervurada, 11b ~ 1,5

122 Procedimentosde Reparo e ReforçoEstrutural

GAS - PILARES - LAJES - PAREDES

,eforço - Emendas para econstituição da Seção de Armadura

Luvatipo CCL (ideal)

5.18

Por luva ou solda

• empregar emendas com luva de pressão tipo CCL da FOSROC

• caso não seja possível a emenda com luva de pressão, empregar solda somente para aço classe A

• preferencialmente a solda deve ser aplicada dos dois lados da barra

• usar eletrodo E 7018 ou E 6013 (AWS)

• após aplicar uma passada (cordão) de solda, esperar que esfrie até poder tocar com a mão, antes

de aplicar a camada seguinte em situações de maior responsabilidade a solda deve ser evitada, pois pode conduzir à

fragilização do aço

Manualpara Reparo, Reforçoe Proteçãode Estruturasde Concreto 123

VIGAS - PILARES - LAJES - PAREDES

Reforço - Injeção de Fissuras

Abertura acima de 10 mm

Graute

Diques

Selos de NITOMORTARS

Cachimbo ou

funil alimentado'

5.19

Graute base epóxi CONBEXTRAEPS/CONBEXTRAEPL

• alcance

aberturas

de 10 mm a 40 mrn CONBEXTRA EPS

aberturas

de 35 mm a 70 mm CONBEXTRA EPL

• substrato

seco e limpo com ar comprimido após lavagem prévia, quando neces-

sário

• preparação em um misturador mecânico adicionar o componente B ao componen- te A, misturando por 3 minutos. A seguir, adicionar o componente e (agregados), misturar e homogeneizar por mais 3 minutos

• aplicação

verter o graute CONBEXTRA EPS ou CONBEXTRA EPL sempre pelo mesmo lado para evitar a formação de bolsões de ar, até o pre- enchimento total do vão. Observar temperatura ambiente de 10 De a

30 De

retirar o excesso depois de 2 horas, sempre de baixo para cima

• acabamento

• cuidados trabalhar com luvas e óculos de segurança, em locais ventilados e limpar equipamentos e ferramentas com SOLVENTE 140, antes da

polimerização do sistema epóxi

1 2 4 Procedimentos de Reparo e Reforço Estrutural

GAS - PILARES - LAJES - PAREDES

eforço - Injeção de Fissuras

=,;ar a cada 5 a 30 cm _J:DS plásticos ou niples =s:JeCia;s com oCíOMORTAR PE

Limpar, comprovando

comunicação

Injetar o sistema

entre

os tubos

epóxi

Limpar e selar a fissura com NITOMORTAR PE

Recipiente

Ar comprimido

do sistema

epóxi

5.20

Graute base epóxi

CONBEXTRA EPLV

• alcance

• substrato

• preparação

• aplicação

• acabaI,llento

• cuidados

aberturas de 0,3 mm a 9,0 mm

seco e limpo com ar comprimido após lavagem prévia, quando

necessário

adicionar o componente B ao A, misturar e homogeneizar por

3 minutos

a cada 5 cm (abertura:S; 1,0 mm) ou a cada 30 cm (aberturas entre 1,0 e 10 mm), fixar tubos plásticos ou niples para injeção com NITOMORTAR PE. Limpar a fissura com água sob pressão (com ou sem detergente) e secá-la com jato dé ar comprimido. Selar a fissura com NITOMORTAR PE em todo o seu contorno. Limpar novamen- te com ar comprimido comprovando comunicação entre bicos e efici- ência do selo. Injetar o sistema epóxi CONBEXTRA EPLV, sempre de baixo para cima ou de um lado para o outro. Quando o material aflorar no tubo adjacente, vedar o anterior e continuar a injetar a

partir deste, e assim sucessivamente

depois de 24 horas, retirar o excesso e dar acabamento com

RENDEROCS2

trabalhar com luvas e óculos de segurança e em locais ventilados

Manual para Reparo, Reforço e Proteção

de Estruturas

de Concreto

1 2 5

------------

VIGAS - PILARES - LAJES - PAREDES

Reforço

Arn'laduras En'lbutidas

\=l~l1'~. DIsco de corte

2'

Escarificação

3'

+1----4.-- Armadura

complementar

1 PILARES

4'

Argamassa epóxi

LAJES

Chumbar com

LOKSET S

Escarificação

5.21

ArgamaSsa base epóxi

NITOMORTAR S

alcance

• substrato

• preparação

reforços estruturais permanentes que mantêm a estética tria da seção original

e a geome-

cortar com disco de corte (profundidade ~ 0,5 cm) e escarificar um nicho ou berço de 3 cm x 3 cm. Limpar com jato de ar seco e, eventualmente, acetona instantes antes de aplicar o adesivo NITOBOND EP no concreto, com o substrato seco. A armadura deve ser lixada com lixa de ferro e limpa com jato de ar seco ou acetona, instantes antes da aplicação do adesivo

em um misturador mecãnico adicionar o componente B ao componen- te A, misturar por 3 minutos. Adicionar o componente C aos poucos, misturar e homogeneizar por 3 minutos

• aplicação

empregar armadura nervurada e levar em conta o comprimento de traspasse para ancoragem reta (Item 5.17) ou empregar ganchos re- tos nas extremidades fixadas com LOKSET S. Aplicar o adesivo NITOBOND EP e, respeitando o seu tempo de manuseio e de cola-

base epóxi

gem ("'), preencher o nicho com argamassa NITOMORTAR S bem adensada no berço

desempenadeira de aço. Colocar em carga somente após 7 dias

• acabamento

• cuidados trabalhar com luvas e óculos de segurança, em locais ventilados e limpar equipamentos e ferramentas com SOLVENTE 140 antes da polimerização do sistema epóxi

'" tempo de manuseio ou "pot-life" é o prazo disponível para aplicação do produto '" tempo de colagem é o prazo total, após mistura dos componentes do primer ou adesivo, em que o material ainda adere. Também conhecido por tempo para aplicar o revestimento ou "open-time"

IGAS - PILARES - LAJES - PAREDES

eforço - Chapas Metálicas Aderidas ao Concreto

[

~madura

em vigas

longitudinal

~s;vo

~Chapa

Es\iropor

papelão

ou

grosso

Estribos em ViQ8S,-j

-_j

J

Estribos em pilares

Componente

Porca

Armadura

positiva

em

lajes

LOKSET

P

5.22

Adesivo base epóxi

NITOBOND

alcance

• substrato

EPD I NITOPRIMER

S

reforços estruturais permanentes que mantêm a estética e a geome-

tria original. Não devem ser usados em situações de temperaturas

elevadas (> 55°C)

retirar revestimentos de argamassa e pintura e remover, por escari- ficação, a nata superficial do concreto. Obter uma superfície plana e rugosa. Se necessário, preencher cavidades e regularizar a superfí- cie com argamassa epóxi NITOMORTAR S, aplicada sobre ponte de aderência NITOBOND EP. Instantes antes da aplicação do adesivo NITOBOND EPD, limpar a superfície do concreto, que deve estar seca, com jato de ar ou eventualmente acetona. As chapas metálicas devem ser preparadas com jato de areia ou lixamento elétrico, no máximo 2 horas antes da colagem. Instantes antes da aplicação do adesivo NITOPRlMER S, limpar e secar a superfície das chapas me- tálicas com jato de ar seco ou eventualmente, acetona

Manual para Reparo, Reforço e Proteção

de Estruturas

de Concreto

1 2 7

VIGAS - PILARES - LAJES - PAREDES

Reforço - Chapas Metálicas Aderidas ao Concreto (continuação)

• preparação

adicionar o componente

zar por 3 minutos

B ao componente

A, misturar

e homogenei-

• aplicação

deve estar de acordo com o projeto. As chapas

de aço devem ter furo

de 3 rnm de diâmetro

a cada 15 cm para

deixar

escapar

o ar e devem

ter espessura máxima de 4 mm. Recomenda-se

fixar as chapas com

o

auxílio de parafusos e porcas. Esses parafusos devem ser previamen- te chumbados no componente estrutural com LOKSET P. Aplicar o adesivo NITOBOND EPD na superfície do concreto numa espessu-

ra da ordem perfície das

mente as chapas metálicas contra a superfície do componente

e escoras te-

de 2 a 3 mm. Aplicar o adesivo NITOPRIMER

chapas

metálicas

a serem colocadas. Pressionar

as porcas e com o auxílio de caibros

respeitando

o tempo de manuseio

e de colagem

S na su- forte- estru-

(*) dos

tural, apertando-se

lescópicas,

adesivos.

Pressionar

até

obter

espessura

uniforme do adesi-

inferior

a 1,5 mm

• acabamento

retirar o escoramento após 48 horas. Retirar os excessos de adesi

enquanto ainda não endureceu

• cura

• cuidados

colocar em carga

após 7 dias

trabalhar

limpar equipamentos

polimerização

com luvas e óculos de segurança,

e ferramentas

do sistema epóxi

em locais ventilad

com SOLVENTE 140, antes ;

'" tempo de manuseio

'" tempo de colagem

ou "pot-life'' é o prazo disponível para aplicação do produto

é o prazo total,

após mistura

dos componentes

do primer ou adesivo, em

material

ainda adere. Também conhecido por tempo para aplicar o revestimento

ou "open-

Vigas e pilares cisalhados

)

1

Cordões de solda

I

7 r---Cantoneiras

I

~

Estribos

Estrlbo J

-If.H----Núcleo

Cantoneira

do p::C:

5

Chapas metálicas soldadas

• alcance

reforço emergencial

e provisório

em casos de ruptura

sobrecargas)

• aplicação

ajustar cantoneiras

metálicas

nas arestas.

Aquecer

a 1

metálicas

o resfriamento

estrutural,

que atuarão

como estribos e soldá-las

às cant

-

do ~--~-

das chapas ocorre uma compressão

uma certa aderência

o que assegura

IGAS _ PILARES - LAJES - PAREDES

eforço em Caso de Emergência ncêndio I Impactos

~

f

I~

~

[b

r

V'

19a

-

1 --'

~

\:;lJ

+

c b

r

c b

L

Escoramento

r-e-

[

.La18

-----

~

-

\

[

r

-

Esco am

r

ent

o

o

U

e olição

d m

5.24

Vigas e lajes

forçar muito para levar

à posição original. A recuperação e reforço definitivos, quando viáveis, devem seguir as recomenda-

As vigas e lajes devem ser escoradas e encunhadas evitando-se, no entanto,

ções específicas deste manual (5.26 a 5.35 e 5.41 a 5.48).

Cintamento e concreto projetado

.5.25

Pilares e paredes:

concreto projetado

Em pilares cisalhados pode-se cintar rapidamente com armadura helicoidal e projetar concreto com aditivo QUICKSOCRETE SPRAYSET SUPER (item 5.39) ou cintar com chapas metálicas solda-

das Em (item paredes 5.23) de concreto ou alvenaria, pode ser conveniente fixar uma malha ou tela na superfície e

projetar o concreto com QUICKSOCRETE SPRAYSET SUPER A recuperação e reforço definitivos, quando viáveis, devem seguir as recomendações específicas

deste Pode ser manual empregado (itens 5.36 um material a 5.40) pré-dosado e pré-embalado, que facilita e minimiza as operações

no campo, LOKCRETE, concreto projetado pré-formulado.

Manual para Reparo, Reforço e Proteção de Estruturas de Concreto 129

VIGAS

Reforço Flexão

Alternativa1

Escarificação

S 20 cm

20 mm

Alternativa2

Furos

Chumbar com

LOKSET

P

Viga

~~--~~----~

Pilar

Chumbarcom LOKSET P

Microconcreto

RENDEROC LA

• alcance

• substrato

• preparação

fluido

5.26

reforços cuja maior dimensão na seção de reforço não supera 30 cm

concreto demolido com

escarificado e seco, com aplicação de ponte de aderência base apôxr

NITOBOND EPPL sobre o substrato seco

em um misturador mecânico adicionar água ao micro concreto na re- lação água/pó de 0,126, misturar e homogeneizar por 3 minutos

superfície preparada na inclinação 3 x 1.

1 30 Procedimentosde Reparo e Reforço Estrutural

GAS

eforço - Flexão (continuação)

:plicação

• acabamento

• cura

• cuidados

deve estar de acordo com o projeto. Quando necessário, furar a viga e colocar novos estribos pelo menos a 20 em da face inferior e fixá-los com LOK8ET P. Colocar a nova armadura longitudinal distanciada

da existente de aproximadamente 1 em na vertical e 2 em na horizon-

tal. Fixar as pontas da armadura longitudinal nos pilares com LOK8ET P, com o comprimento indicado no projeto no mínimo igual

a 6 cm. Preparar fôrmas estanques e rígidas. Retirar as fôrmas,

aplicar adesivo epóxi NITOBOND EPPL, recolocar as fôrmas e verter o microconcreto RENDEROC LA respeitando o tempo de manuseio e de colagem do adesivo ("'l. O RENDEROC LA deve ser lançado calma e continuamente somente por um dos lados da viga, até que apareça do outro lado, evitando-se formação de bolhas de ar, até atingir pelo menos 10 cm acima da superfície da colagem

após remover as fôrmas e pelo menos 48 horas depois, cortar os

excessos, sempre de baixo para cima para evitar lascamentos. Se necessário dar acabamento com RENDEROC 82

úmida por 7 dias ou duas demãos de NITOBOND AR aplicadas com

pulverizador, trincha ou rolo imediatamente após desformar. Nas primeiras 36 horas evitar radiação solar direta através de

anteparos

escorar a estrutura descarregando a viga antes da execução dos reforços. Liberar escoramentos somente após 7 dias

" tempo de manuseio ou "pot-life" é o prazo disponível para aplicação do produto

" tempo de colagem é o prazo total, após mistura dos componentes do primer ou adesivo, em que o material ainda adere. Também conhecido por tempo para aplicar o revestimento ou "open-time"

Manual para Reparo,

Reforço e Proteção de Estruturas

de Concreto

131

,

\ I

VIGAS

Reforço - Flexão

Alternativa

Esearifieação

Novas

armaduras

1

(o)

Alternativa

2

 

Mínimo

de

20 em

Novos

estribos

 

Armaduras

novas

Concreto

• alcance

• substrato

5.27

reforços com qualquer dimensão

seco com aplicação

NITOBOND EPPL

de

ponte

de aderência,

base

epóxi

• preparação relação água total/cimento :S; 0,50; abatimento de 100 a 150 mrn; aditivo superplastificante CONPLAST SP430 e dimensão máxima ca- racterística do agregado graúdo igual a 1/4 da menor dimensão da peça

• aplicação

132 Procedimentos

deve estar de acordo com o projeto.

e colocar novos estribos pelo menos a 20 em da face inferior e fixá-los

com LOKSET P. Colocar a nova armadura longitudinal respeitando distanciamento livre de 1 cm na vertical e 2 cm na horizontal. Chumbar as pontas da armadura longitudinal nos pilares com LOKSET P, com o comprimento indicado no projeto (mínimo igual a 6 cm). Preparar fôrmas estanques e rígidas. Retirar as fôrmas, apli- car adesivo epóxi NITOBOND EPPL, recolocar as fôrmas e correre- tar respeitando o tempo de manuseio e de colagem (*) do adesivo. O concreto deve ser lançado calma e continuamente somente por um dos lados da viga até que apareça do outro lado, evitando-se a forma- ção de bolhas de ar. Adensar com vibradores

Quando necessário, furar a viga

de Reparo e Reforço Estrutural

VIGAS

Reforço - Flexão (continuação)

• acabamento

• cura

• cuidados

após remover as fôrmas e pelo menos 48 horas depois, cortar os excessos sempre de baixo para cima para evitar lascamentos. Se necessário, dar acabamento com RENDEROC 82

saturado de água por 14 dias ou duas demãos de NITOBOND AR aplicadas com pulverizador, trincha ou rolo imediatamente após desformar

escorar a estrutura descarregando a viga antes da execução dos reforços. Liberar escoramentos somente após 21 dias

* tempo de manuseio ou "pot-life" é o prazo disponível para aplicação do produto * tempo de colagem é o prazo total, após mistura dos componentes do primer ou adesivo, em que o material ainda adere. Também conhecido por tempo para aplicar o revestimento ou "open-time"

Manual para Reparo,

Reforço e Proteção de Estruturas

de Concreto

133

1

VIGAS

Reforço - Flexão

com

2' etapa

3' etapa

LOKSET P

nova

Concreto projetado

• alcance

• substrato

reforços com qualquer dimensão

saturado e com superfície seca sem empoçamento

5.28

• preparação

agregado

graúdo com dimensão

máxima característica

~ 19 mm;

traço em

massa de 1 em de cimento

para

2 a 2,5 de areia

mais

• aplicação

agregados graúdos; relação água total/cimento

de 0,35 a 0,50

iniciar a projeção pelos cantos e cavidades, revestindo-se

armaduras.

até

as

com espessura ~ 5 em,

a seguir

o

Projetar em camadas seqüenciais

a

espessura

desejada.

atingir

Utilizar

aditivo

QUICKSOCRETE SPRAYSET SUPER para diminuir a reflexão e

auxiliar na formação da primeira camada de concreto. O excesso de concreto deve ser retirado mediante sarrafeamento

• acabamento

• cura

134 Procedimentos

desempenadeira de madeira ou apenas sarrafeado, ou até ao natural, como um "chapiscão"

úmida por 14 dias ou duas demãos de NITOBOND AR aplicadas com

pulverizador

ras 36 horas evitar radiação solar direta através de anteparos

ou, após início de pega, com trincha ou rolo. Nas primei-

Pode ser empregado um material pré-dosado

operações no campo, LOKCRETE, concreto projetado pré-formulado

que facilita e minimiza as

de Reparo e Reforço Estrutural

VIGAS

Reforço - Flexão

Armadura longitudinal

k :::: }~::

'-//#L 4

44

em vigas

Chapa metálica Q

_-+---Viga

Adesivo

Estiropor ou

papelão grosso

.-

Escoramento metálico

telescópico

1

5.29

Chapas metálicas aderidas com epóxi

NITOBONO EPO/NITOPRIMER

S

• alcance

reforços permanentes. Não devem ser usados em situações de temperaturas elevadas (> 55°C)

• substrato retirar revestimentos de argamassa e pintura e remover, por escari- ficação, a nata superficial do concreto. Obter uma superfície plana e rugosa. Se necessário, preencher cavidades e regularizar a superfí- cie com argamassa epóxi NITOMORTAR S, aplicada sobre a ponte de aderência NITOBOND EP. Instantes antes da aplicação do adesivo NITOBOND EPD limpar a superfície do concreto - que deve estar seca - com jato de ar ou eventualmente acetona. As chapas metálicas devem ser preparadas comjato de areia ou lixa- menta elétrico no máximo 2 horas antes da colagem. Instantes antes da aplicação do adesivo NITOPRIMER S, limpar e secar a superfí- cie das chapas metálicas com jato de ar seco ou, eventualmente,

acetona

adicionar o componente B ao componente A, misturar e homogenei- zar por 3 minutos

• preparação

VIGAS

Reforço - Flexão (continuação)

• aplicação

• acabamento

• cura

• cuidados

deve estar de acordo com o projeto. As chapas de aço devem ter furos de 3 mm de diâmetro a cada 15 cm para deixar escapar o ar e devem ter espessura máxima de 4 mm. Recomenda-se fixar as chapas com o auxílio de parafusos e porcas. Esses parafusos devem ser previamen- te fixados no componente estrutural com LOKSET P. Aplicar o adesivo NITOBOND EPD na superfície do concreto numa espessu- ra. da ordem de 2 a 3 mm. Aplicar o adesivo NITOPRIMER S na superfície das chapas metálicas a serem coladas. Pressionar forte- mente as chapas metálicas contra a superfície do componente estru- tural, apertando-se as porcas e com o auxílio de caibros e escoras, respeitando o tempo de manuseio e de colagem (") dos adesivos. Pressionar até obter espessura uniforme de adesivo inferior a 1,5 mm

retirar o escoramento após 48 horas. Retirar o excesso do adesivo

enquanto ainda não endureceu

colocar em carga somente após 7 dias

trabalhar com luvas e óculos de segurança, em locais ventilados e limpar equipamentos e ferramentas com SOLVENTE 140, antes da

polimerização do sistema epóxi

'" tempo de manuseio ou "pot-life" é o prazo disponível para aplicação do produto '" tempo de colagem é o prazo total, após mistura dos componentes do primer ou adesivo, em que o material ainda adere. Também conhecido por tempo para aplicar o revestimento ou "open-time"

"136 Procedimentosde Reparoe ReforçoEstrutural

VIGAS

Reforço - Cortante

~~cm

LArgamassa

de reparo

5.30

Argamassa base epóxi

NITOMORTAR

• alcance

• substrato

• preparação

• aplicação

• acabamento

• cuidados

S

manutenção da geometria original

cortar com disco de corte ( 2 0,5 em para superfícies verticais e 2 1,0 em

para superfícies horizontais). Escarificar um nicho ou berço de 3 em x 3 cm. Limpar comjato de ar seco ou, eventualmente, acetona instantes antes de aplicar o adesivo NITOBOND EP no concreto com a superfí-

cie seca. A armadura deve ser lixada com lixa de ferro e limpa comjato de ar seco ou acetona, instantes antes da aplicação do adesivo

em um misturador mecânico, adicionar o componente B ao compo- nente A, misturar por 3 minutos. Adicionar o componente C (agrega- dos) aos poucos, misturar e homogeneizar por 3 minutos

deve estar de acordo com o projeto. Empregar armadura nervurada e levar em conta os comprimentos de traspasse para ancoragem reta ou empregar ganchos retos nos extremos fixados com o LOKSET P. Aplicar o adesivo NITOBOND EP e, respeitando o seu tempo de ma- nuseio e de colagem (*), preencher o nicho com argamassa base epóxi NITOMORTAR S, bem adensada no berço

desempenadeira de aço. Colocar em carga somente após 7 dias

trabalhar com luvas e óculos de segurança, em locais ventilados e limpar equipamentos e ferramentas com SOLVENTE 140, antes da polimerização do sistema epóxi

'" tempo de manuseio ou "pot-life" é o prazo disponível para aplicação do produto '" tempo de colagem é o prazo total, após mistura dos componentes do prime r ou adesivo, em que o material ainda adere. Também conhecido por tempo para aplicar o revestimento ou "open-time"

Manual para Reparo, Reforço e Proteção

de Estruturas

de Concreto

137

VIGAS

Reforço - Cortante

LOKSETP

I

f

f

t Adesivo

oi

~ Chapa metálica

~:::zz=z;=oJ

5.31

Chapas metálicas aderidas com epóxi

NITOBOND

• alcance

• substrato

• preparação

EPD I NITOPRIMER

S

reforços estruturais permanentes

original. Não devem ser usados em situações de temperaturas

elevadas (> 55°C)

retirar revestimentos de argamassa e pintura e remover, por escari- ficação, a nata superficial do concreto. Obter uma superfície plana e rugosa. Se necessário, preencher cavidades e irregularidades com argamassa epóxi NITOMORTAR S aplicada sobre ponte de aderên- cia NITOBOND EP. Instantes antes da aplicação do adesivo NITOBOND EPD, limpar a superfície do concreto - que deve estar seca _ comjato de ar ou, eventualmente, acetona. As chapas metáli- cas devem ser preparadas com jato de areia ou lixamento elétrico, no máximo duas horas antes da colagem. Instantes antes da aplicação do adesivo NITOPRIMER S, limpar e secar a superfície das chapas metálicas com jato de ar seco ou, eventualmente, acetona

o componente B ao componente A, misturar e homogenei-

que mantêm a estética e geometria

adicionar

zar por 3 minutos

1 38 Procedimentosde Reparoe ReforçoEstrutural

VIGAS

Reforço - Cortante (continuação)

• aplicação

de aço devem ter furos

de 3 mm de diâmetro a cada 15 em para deixar escapar o ar e devem

ter espessura máxima de 4 mm. Recomenda-se

auxílio de parafusos e porcas. Esses parafusos devem ser previamen-

deve estar de acordo com o projeto. As chapas

fixar as chapas

com

te fixados ao componente estrutural

adesivo NITOBOND EPD na superfície do concreto, numa espessu-

com LOKSET P. Aplicar

o

ra da ordem de 2 a 3 mm. Aplicar o adesivo NITOPRIMER

S na

superfície

das chapas metálicas

a serem coladas. Pressionar

forte-

acabamento

• cura

• cuidados

mente

estrutural apertando-se

escoras,

as chapas

respeitando

metálicas

contra

as superfícies do componente

o auxílio

de caibros

e

e de colagem

("'l dos

e com

o tempo de manuseio

as porcas

adesivos. Pressionar

até obter espessura

uniforme de adesivo inferi-

or a 1,5 mm

retirar o escoramento

após 48

horas. Retirar

o excesso do adesivo

enquanto ainda não endureceu

colocar em carga somente

após 7 dias

trabalhar

limpar equipamentos

polimerização

com luvas e óculos de segurança,

e ferramentas

do sistema epóxi

em locais ventilados

e

com SOLVENTE 140, antes da

tempo de manuseio ou "pot-life" é o prazo disponível para aplicação do produto

'"

'" tempo de colagem

é o prazo total,

após mistura

dos componentes

do primer

ou adesivo,

em que o

material

ainda adere. Também conhecido por tempo para aplicar o revestimento

ou "open-time"

Manual para Reparo, Reforço e Proteção de Estruturas de Concreto 139

VIGAS

Reforço - Torção

~ Abertura na laje

~c=]

,_---:, --

~ 20 cm

M----Armadura

existente

,---

Armadura nova para combater torção

:(:I:0'lil-f--- Adesivo époxi

NITOBOND

EPPL

5.32

Graute base cimento / microconcreto fluido

RENDEROC RG I RENDEROC

LA

alcance

espessura

espessura

S 6 em RENDEROC RG S 30 em RENDEROC LA

escarificado e seco com aplicação de ponte de aderência base epóxi NITOBOND EPPL

• preparação

de 0,140 para o RENDEROC RG e 0,126 para o RENDEROC LA, misturar e homogeneizar por 3 minutos

• aplicação deve estar de acordo com o projeto. Colocar a nova armadura longitudi- nal distanciada da existente de aproximadamente 1 em na vertical e 2 em na horizontal. Chumbar as pontas da armadura longitudinal nos pilares com o LOKSET P, com o comprimento indicado no projeto, no mínimo igual a 6 em. Preparar fôrmas estanques e rígidas. Retirar as fôrmas, aplicar adesivo epóxi NITOBOND EPPL, recolocar as fôrmas e verter o graute ou o microconcreto RENDEROC RG ou RENDEROC LA respeitando o tempo de manuseio e de colagem (*l do adesivo. O graute ou microconcreto deve ser lançado calma e continua- mente somente por um dos lados da viga até que apareça do outro lado, evitando a formação de bolhas de ar

ao pó na relação água I

concreto demolido com superfície preparada na inclinação 3 x 1,

substrato

em um misturador mecãnico, adicionar água

140 Procedimentos de Reparo e Reforço Estrutural

VIGAS

Reforço - Torção {continuação)

• acabamento após remover as fôrmas e pelo menos 48 horas depois, cortar os ex- cessos sempre de baixo para cima para evitar lascamentos. Se neces- sário dar acabamento com RENDEROC 82

por 7 dias ou duas demãos de NITOBOND AR aplicadas com

• cura

~úmida

• cuidados

pulverizador, trincha ou rolo imediatamente após desformar. Nas primeiras 36 horas evitar radiação solar direta através de anteparos

escorar a estrutura descarregando a viga antes da execução dos reforços. Liberar escoramento somente após 7 dias.

* tempo de manuseio ou "pot-life" é o prazo disponível para aplicação do produto

* tempo de colagem é o prazo total, após mistura dos componentes do primer ou adesivo, em que o material ainda adere. Também conhecido por tempo para aplicar o revestimento ou "open-time"

Manual para Reparo, Reforço e Proteção

de Estruturas