Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA- MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet- regiões

norte, nordeste e centro-oeste)

SUGESTÕES DE DINÂMICAS PARA PROFESSORES TRABALHAREM EM SALA DE AULA
1

Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA- MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet- regiões norte, nordeste e centro-oeste)

Adivinhe quem é? Dinâmica

Educação Infantil – O desafio lúdico e a construção do conhecimento

A dinâmica do jogo, do desafio e do lúdico estão presentes, de diversas formas, em toda a atuação sob a égide construtivista.

Objetivos: O que caracteriza uma situação de jogo é a atividade da criança: sua intenção em brincar, a presença de regras que lhe permitem identificar sua modalidade. De maneira geral, o jogo infantil compreende brincadeiras de fazde-conta (em que intervém a imaginação, a representação, a simulação), jogos de construção (manipulação, composição e representação de objetos), jogos de regra. O segundo é considerado como estratégia didática, facilitadora da
2

Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA- MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet- regiões norte, nordeste e centro-oeste)

aprendizagem, quando as situações são planejadas e orientadas pelo adulto, visando o aprender, isto é, proporcionar à criança a construção de algum tipo de conhecimento, alguma relação ou o desenvolvimento de alguma habilidade. Número de jogadores: 4 por grupo. Material: 50 cartões diferentes (frente e verso) – modelo ao lado. Diversificar ao máximo o tipo de desenho e palavras. Um kit de alfabeto móvel por grupo (com pelo menos oito cópias de cada letra do alfabeto) Desenrolar: Formando palavras com o alfabeto móvel. Modo de jogar: Embaralhe os cartões e entregue dez deles para cada grupo; Marque o tempo – 20 minutos – para formarem a palavra com o alfabeto móvel no verso de cada desenho; Ganha o jogo o grupo que primeiro preencher todos os cartões. Variações:

3

frutas. uma dupla função – lúdica e educativa – aliando as finalidades de divertimento e prazer a outras. como o desenvolvimento afetivo. Exemplos: animais. com o número de letras das palavras constantes dos cartões. objetos e outros.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. social e moral. manifestadas em um grande número de competências: escolha de estratégias. físico. O jogo como alternativa metodológica permite que o aluno construa o seu conhecimento na interação com os colegas. portanto. observação e respeito a regras. com a letra inicial. Conclusão: O jogo cumprirá. Profª Lourdes Eustáquio Pinto Ribeiro Fonte: Revista PCNE – Professor Criativo na Escola – Editora Didática Paulista – Ano II – nº 6 – 2001 4 . Este jogo e sugestões de atividades são indicadas para a intervenção na construção da base alfabética. nordeste e centro-oeste) Classificar (formar conjuntos) de acordo: com o desenho da frente dos cartões.regiões norte.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. ações sensório-motoras. de alunos silábicos-alfabéticos. interação. cognitivo. com o número de sílabas das palavras dos cartões.

Sugira que cada um brinque com o seu pedacinho de barbante. Após percorrer toda a exposição. cada criança mede três palmos do cordão. Material: bastam um rolo de barbante e uma tesoura sem ponta para começar a brincadeira. Depois. Desenvolvimento: Forme com os alunos uma grande roda e. Tempo: 1 aula Local: A brincadeira pode acontecer na classe ou no pátio. as crianças podem perceber sua textura.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. em seguida.regiões norte. o grupo analisa figura por figura. dependendo do tamanho da turma. Prontas as obras.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. Comentários e interpretações são muito bem-vindos. corta para si e passa o rolo adiante. cria no chão um desenho com o seu pedaço de barbante. flexibilidade e versatilidade. cada um desfaz o seu desenho e 5 . Objetivos: a dinâmica é uma ótima oportunidade para você observar melhor o comportamento da turma. Balançando o cordão no ar ou formando uma bolinha com ele. por exemplo. incluindo o professor. nordeste e centro-oeste) Barbante Grupo: alunos de pré-escola à 4a série. toda a turma.

Proponha que refaçam juntos. debocham da situação.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. ponta com ponta. Abaixados ao redor desse grande círculo feito de cordão. É muito interessante repetir a brincadeira com a mesma classe semanas depois. ainda que a solução encontrada não seja. na sua opinião. às vezes. avaliando a evolução do grupo diante de um trabalho coletivo. É hora de comparar os processos de criação com o barbante. seu barbante ao dos vizinhos. a melhor. o professor aproveitará para observá-las. outros ficam chateados. Nessa fase da brincadeira surgem muitas idéias e cada aluno quer falar mais alto que o colega. alguns dos desenhos feitos individualmente. nordeste e centro-oeste) amarra. as crianças devem criar uma única figura. os alunos tomam consciência de seu potencial criativo e se familiarizam com as atividades em equipe. 6 . Enquanto as crianças escolhem juntas qual o desenho irão fazer e colocam a idéia em prática. a turma conversa sobre o que cada um sentiu no decorrer da brincadeira.regiões norte.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. Eles serão produtivos se você abandonar sua posição de coordenador e deixar o grupo resolver seus impasses. Alguns buscam argumentos para as suas sugestões. O professor deve ficar atento ao comportamento da turma durante esses momentos de tensão. em círculo. Conclusão: Por meio desse jogo. No final. cumprem a palavra. ameaçam abandonar a roda e.

• Estabelecer semelhanças e diferenças entre as letras do nome de cada aluno. cartolina.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA.2 Cartela com palavras e fichas com desenho. nordeste e centro-oeste) Jogo enviado pela Profª Ignez A. Variações do jogo: 1.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. Veja o exemplo na figura ao lado. 7 . Material: saco plástico.regiões norte. Preparação: A professora prepara um cartão para cada aluno da turma. • Relacionar letra cursiva e letra script. Em pequenas fichas escrevem-se as letras do alfabeto observando para que apareçam todas as letras necessárias para a escrita dos nomes dos alunos. • Selecionar letras que pertencem ao ser nome. Maraninchi Objetivos: • Identificar as letras do alfabeto. tampas de garrafas e canetinhas. Cada cartão deve ser dividido em tantos quadrados quantos forem as letras do nome do aluno. • Identificar a escrita de seu nome. Em cada quadradinho escreve-se uma letra. • Relacionar letra maiúscula e minúscula.

4 Cartela e fichas com palavras do vocabulário de estudo. Maraninchi .Atividades Lúdicas para Alfabetização-Jogos clássicos transformados em material didático Filosofia e Pedagogia Habilitação Supervisão Escolar Especialista em Educação Pré Escolar e Supervisão Escolar Blocos Lógicos Jogo “O mestre mandou” Blocos Lógicos Jogo “O mestre mandou” Objetivos: Os alunos farão comparações cada vez mais 8 . Primeiramente é sorteada uma letra pela professora e mostrada aos alunos. 1. Desenrolar: Com as fichas das letras dentro de um saco plástico e cada aluno de posse de sua cartela inicia-se o jogo.regiões norte.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA.5 Cartela com letra cursiva e fichas com letra script. A professora segue cantando letra por letra até acabarem as fichas do saco.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. 1. nordeste e centro-oeste) 1. O aluno que encontrar em sua cartela a letra marca com uma tampinha. Profª Ignez A.3 Cartela com desenho e fichas com palavras.

quadrado e retângulo.regiões norte. Preparação: Material: Uma caixa de Blocos Lógicos. vermelho e amarelo. composto por quarenta e oito blocos geométricos. em dois tamanhos: pequeno e grande. Desenrolar: Os alunos deverão encontrar a peça que obedeça à seqüência de comandos estabelecida pela professora. A seqüência poderá ser iniciada com os atributos: círculo. azul e grosso. nordeste e centro-oeste) rápidas quando estiverem pensando na peça que se encaixe em todas as condições dos atributos ditados pela professora. e em duas espessuras: fina e grossa. 9 .Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. triângulo. composto de quatro tipos de “figuras”: círculo. Os alunos escolherão a peça correspondente.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. que variam em três cores: azul.

Eles deverão reverter os comandos para chegar à peça de partida. devem mudar para a espessura fina. Bolinha de gude Jogos de Rua 10 . nordeste e centro-oeste) O comando seguinte é mudar para a cor vermelha.regiões norte.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. Eles selecionarão um círculo grosso e vermelho. principalmente a adição como inverso da subtração e a multiplicação como inverso da divisão. Conclusão: A atividade é essencial para o entendimento das operações aritméticas. Em seguida. Os alunos serão apresentados a uma nova seqüência de comandos.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. um círculo vermelho e fino deverá ser selecionado. A professora poderá continuar acrescentando comandos ou apresentar uma seqüência pronta. Faça depois o processo inverso. Então. já com a última peça.

nordeste e centro-oeste) Origem: Nossos ancestrais pré-históricos já jogavam bolinhas de gude. Preparação: Material: -Bolinhas de gude (vidro).MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. As partidas podem ser a dois ou com mais amigos. Legiões romanas. Desenrolar: Para jogar é necessário que o chão seja plano e firme. Promover a integração do grupo.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. triângulo. por sua vez. No Brasil. de formato arredondado. as bolinhas de gude levam o nome de burico. mármore. Materiais como ferro. seixos de rio e artefatos em argila. papão e mata-mata. também foram usados pelos povos antigos. gesso.regiões norte. 11 . ou melhor. -Chão plano e firme. teriam sido responsáveis por difundir essa prática pelas terras conquistadas. roda. Objetivos: Reconhecer a brincadeira popular.

respeito pelo outro. Ao acertar. ganha a bolinha que bateu em outra. Fonte: Arte e Habilidade .Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. Existem três maneiras de jogar bolinha de gude: 1.Angela Cantele Leonardi e Bruna Renata Cantele Educação Infantil . um gol) 3. O vencedor é quem conseguir o maior número de bolinhas. (ex.Atirando as bolinhas para dentro de uma área delimitada. Brincadeira do espelho Jogo Objetivos: Observar que a imagem se reflete ao contrário quando se olha no espelho.Coleção Horizontes . nordeste e centro-oeste) Distribua as bolinhas pelo chão.Acertando outra bolinha (mata-mata) 2.Jogando as bolinhas em vários buracos. Promover a amizade. que foi para a área delimitada ou que caiu num buraco.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. ao longo da área do jogo.Editora IBEP.regiões norte. 12 .

13 .Editora IBEP. Sabia que sua imagem se reflete ao contrário quando você se olha no espelho? Levantando o braço direito. Procure fazer gestos difíceis de serem imitados. O primeiro que errar sai do jogo e será substituído por outro colega. nordeste e centro-oeste) Preparação: O jogo pode ser feito com duas pessoas ou várias duplas. Material: Fita crepe.Angela Cantele Leonardi e Bruna Renata Cantele Educação Infantil . Você faz um gesto e o seu colega deverá imitá-lo.Coleção Horizontes .regiões norte. Desenrolar: Delimite com fita crepe o lugar que simulará um espelho.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. e a imagem mostrará o seu braço esquerdo.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. será o vencedor. O último que ficar no espelho sem cometer falhas. Fonte: Arte e Habilidade .

Preparação: Material: Um dicionário. O primeiro grupo. nordeste e centro-oeste) Brincando com o Dicionário Jogo Objetivos: O uso do dicionário amplia o vocabulário. Através desse jogo o aluno sente-se incentivado a descobrir o significado da palavra desconhecida e familiariza-se brincando com o uso do dicionário.regiões norte. folhas de papel. que terá o dicionário em mãos. lápis ou caneta. lousa para anotar as respostas e a pontuação dos grupos. escolherá uma palavra do dicionário que ache desconhecida por todos. Apenas um dicionário será utilizado por um grupo a cada rodada.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. Se houver algum integrante de qualquer grupo que saiba a resposta 14 . Desenrolar: Divida a classe em grupos. melhora a interpretação da leitura e esclarece as dúvidas ortográficas.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. falando-a em voz alta para os demais grupos.

Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. que colocará a definição correta. O grupo conta a definição correta. A professora recolhe as folhas e lê todas as definições. antes de começar a rodada. 4 pontos = para o grupo que tiver um integrante que saiba a resposta correta ao ser anunciada. 3 pontos = para o grupo que escolheu a palavra. Cada grupo escreverá numa folha um significado para a palavra.regiões norte. Cada grupo escolhe a definição que achar certa.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. O jogo continua até que todos os grupos tenham escolhido a palavra no dicionário ou até que algum grupo tenha atingido um número de pontos estipulado anteriormente pela classe. 15 . inclusive o grupo que tem o dicionário em mãos. marca 4 pontos para o seu grupo. Escreve as respostas na lousa. A professora marca na lousa os pontos dos grupos de acordo com a seguinte regra: 2 pontos = para o grupo que deu a resposta correta. antes de começar a rodada. inclusive a correta. nordeste e centro-oeste) correta ao ser anunciada. se ninguém tiver acertado ou 1 ponto para cada acerto por grupo.

2.Inclusão.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet.Jogo Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. Preparação: Pegue a caixa com o material de blocos lógicos. 4. 5.Subconjuntos. elemento e atributo. exclusão e pertinência.Conjunto. Exemplos: 16 .Organização de sistemas lógicos de classificação. Apresente o material às crianças para que classifiquem os blocos. nordeste e centro-oeste) Objetivos: Construção das noções de: 1.Interseção. Crie junto com os alunos os atributos que serão dados para os tipos de blocos existentes.Classificação Blocos Lógicos . 3.regiões norte.

vá acrescentando atributos à peça escolhida: vermelha. escolha apenas um atributo (quadrada). fina. fina e vermelha. Peça aos alunos que separem os blocos de acordo com o atributo escolhido. nordeste e centro-oeste) a) as quatro formas: círculo. retângulo e triângulo. pequena. Exemplo: separar apenas as peças quadradas. Divida a classe em grupos e o primeiro que descobrir qual é a peça. quadrado. Os alunos irão completar o quadro com a peça quadrada. 17 . b) as duas espessuras: grosso e fino c) os dois tamanhos: pequeno e grande d) as cores: amarelo. azul e vermelho Desenrolar: Faça em cartolina um quadro.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. Primeiramente.regiões norte. ganha um ponto para o grupo. pequena. Depois. Conclusão: O aluno vai estimular a visão do objeto e lidar com sua imagem mental através de classificações dos atributos estabelecidos.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet.

Objetivos: desenvolver a noção de estimativa. Desenvolvimento: Para começar a brincadeira. nordeste e centro-oeste) Comprimento Medida de Comprimento . divida a turma em quatro grupos. Material: Esta é uma brincadeira que basta usar o material dos próprios alunos para começar a brincar: caneta. equivalência e medida por meio de comparações. Esse objeto pode ser uma caneta.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. uma régua.regiões norte. um livro. ou até o próprio palmo das crianças. Tempo: 1 aula Local: sala de aula ou uma sala grande.Dinâmica Grupo: crianças a partir de cinco anos.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. A dinâmica desse exercício estimula o raciocínio e a percepção das crianças em relação às medidas-padrão. um livro. ou até o 18 . Escolha para cada um deles um objeto que deve substituir a régua como unidade de medida. uma borracha. uma borracha. uma trena ou uma fita métrica.

nordeste e centro-oeste) próprio palmo das crianças.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. estimule as crianças a fazer estimativas: quantas borrachas elas acham que seriam necessárias para determinar o comprimento da mesa? E a largura? Como seriam os resultados se. a classe usasse um livro e um caderno para fazer as medidas? E assim por diante. Objetivo: criar comunicação fraterna e madura. Local: sala suficientemente ampla para acomodar todos os 19 . Em seguida.Dinâmica Grupo: até 20 jovens do Ensino Médio. a lousa ou a altura da parede onde começa a janela.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. em vez desses objetos. Tempo: cerca trinta minutos. a carteira. Comunicação O jovem e a comunicação .regiões norte. a porta. Antes que a turma comece a realizar as medições. defina os objetos que cada grupo deve medir — por exemplo. dependendo do tamanho do grupo.

Foi fácil ou difícil esta comunicação? Por quê? 2. as coisas que viram e mais os impressionaram. Em qual anotação sentiu mais dificuldade? Por quê? 20 . convidá-los a fazer um desenho de um homem e uma mulher. c) diante da cabeça. b) diante da boca. 3 idéias das quais não abre mão.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. Após o desenho. ações inesquecíveis que realizou. 3 expressões (palavras.regiões norte. Desenvolvimento: distribuir aos participantes. papel e lápis e. d) diante do coração. f) diante dos pés. e) diante das mãos. as piores enroscadas em que se meteu. eles devem anotar na figura: a) diante dos olhos.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. Este exercício é uma ajuda? Em que sentido? 3. 3 grandes amores. Material: papel e lápis para cada participante. Convidar o grupo para discutir: 1. nordeste e centro-oeste) participantes. atitudes) dos quais se arrependeu ao longo da sua vida.

adquirir hábitos de relações interpessoais. Material: Toca-fitas com boa potência. Objetivo: Reconhecer o talento dos colegas. Tempo: Cerca de uma hora. desinibir e desbloquear. De quem é o desenho? Dinâmica Dinâmica enviada pela Profª Bruna Grupo: Até 20 pessoas (crianças ou adolescentes). desenvolver o conhecimento mútuo e a participação grupal. dependendo do tamanho do grupo. nordeste e centro-oeste) 4. Folhas avulsas de sulfite. Local: Uma sala suficientemente ampla com cadeiras para acomodar todas as pessoas participantes.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. Desenvolvimento: O professor deverá fazer dois grupos de alunos 21 .regiões norte. lápis e borracha. Este exercício pode favorecer o diálogo entre as pessoas e o conhecimento de si mesmo? Por quê? Conclusão: Integrar a pessoa no meio social.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA.

os alunos deverão passar a folha para o colega da direita (a folha não deverá ter nome) até o professor dar o sinal de parar. o grupo ganha um ponto e se não acertar.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. Podem-se trocar as folhas entre os grupos ou não. E assim continua a brincadeira.Jogo Objetivos: Explorar com seus alunos a manipulação do 22 . Se um do grupo acertar de quem é o desenho. Conclusão: abordagem às vivências do Grupo. um ponto para o outro grupo. nordeste e centro-oeste) em dois círculos na sala com as carteiras. Colocar uma música e distribuir as folhas para os alunos que deverão desenhar qualquer coisa ou a critério do professor. Quando o professor parar a música. Na hora que chegar a folha na primeira pessoa do grupo esse mesmo colega tenta adivinhar de quem é o desenho. criatividade e o conhecimento de cada integrante.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. Decomposição Material Dourado .regiões norte.

saquinhos plásticos e dados. nordeste e centro-oeste) Material Dourado. Recorte nas linhas pontilhadas. com as dezenas 10. Divida a figura em quadradinhos de 2 x 2 centímetros e escreva em cada um número como na figura.regiões norte. fazendo a decomposição e a composição dos numerais em centenas. Preparação: Pegue uma cartolina e desenhe um retângulo de 18 x 12 centímetros. 200 até 900. Material: Cartolinas. tesoura. Faça várias cópias destas cartelas. Guarde o material em saquinhos plásticos.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. Cada uma em sua vez joga o dado e pega a quantidade de 23 . dezenas e unidades. régua. canetas.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. Desenrolar: Escolha um número a ser representado e distribua as cartelas entre as crianças. de modo a ficar com cartelas numeradas com os números de 1 a 9. material dourado de madeira ou papel. 20 até 90 e com as centenas 100.

Vamos tomar como exemplo os números 43 e 178. faz a troca.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. Em seguida. Se for o caso. mais o 8 sobre o 0 do 170. Objetivos: mostrar o quanto dependemos uns dos outros e o quanto podemos contribuir para crescimento de cada um. O número 178 pode ser representado pelo cartão 70 colocado sobre os zeros do cartão 100. Qualquer outro número pode ser representado por esse método. o aluno deve representar com as cartelas numéricas a quantidade obtida. 24 . O número 43 pode ser representado pelo cartão 3 colocado sobre o zero do cartão de dezena 40.regiões norte. nordeste e centro-oeste) quadradinhos equivalente aos pontos. ao lado da representação do número feita com o material dourado. Dependência Mútua Dinâmica Grupo: até 20 pessoas. Tempo: 1 aula Local: sala suficientemente ampla para acomodar todos os participantes.

Depois de terminada esta dinâmica. tão somente o som da voz do outro o guiará. Não é permitido abrir os olhos e nem tocar no companheiro. passa ser o guiado.regiões norte. trocam-se os papéis e o que antes era o guia.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. todos se reúnem para um momento de compartilhar. humildade" etc. longanimidade. 25 . Logo em seguida. nordeste e centro-oeste) Material: nenhum Desenvolvimento: Podemos começar formando duplas. Um dos componentes da dupla fecha os olhos e passa a andar guiado pelo outro durante dois minutos. onde são respondidas várias perguntas: O que você sentiu durante o tempo em que estava sendo guiado pelo outro? Aconteceu de sentir-se tentado a abrir os olhos? Teve total confiança em seu líder? Pensou em se vingar do outro quando chegasse sua vez de ser o guia? Sentiu-se tentado a fazer alguma brincadeira com o "ceguinho"? Procure esclarecer juntamente com o grupo a definição dos termos "coração compassivo.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet.

MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. Grupo: de preferência que seja com adolescentes. nordeste e centro-oeste) Faça perguntas do tipo: "O que falta em você para que as pessoas confiem mais no seu auxílio?" e "Qual a maior ajuda que você pode prestar neste momento de sua vida para as pessoas e para o grupo?". Objetivos: Introduzir temas como: desenvolvimento humano.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA.Orientação Sexual Dinâmica Profª Cecília .regiões norte. puberdade. adolescência. aparelho de som. sexualidade. mas silencioso. sem dúvida alguma. uns dos outros. Desabrochar . e também. Material: jornais.. cd com música suave.Pedagoga.. Diretora de escola. de preferência que seja sons da natureza. Desenvolvimento: 26 . Conclusão: Precisamos. Para que a mutualidade possa ocorrer de forma dinâmica e eficaz. é preciso desenvolver características de caráter que nos capacitem a desempenhar nosso papel fraterno. Instrutora de Cursos de Relações Humanas pelo SEBRAE. Tempo: 20 a 30 minutos Local: sala ampla ou em um espaço aberto.

pedir para que todos virem-se de lado. um botão de rosas. ainda muito pequenino.Que cor será essa rosa? Agora. e encolham as pernas o quanto podem. c) Repete-se este exercício até que todos estejam calmos.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. fechando os olhos e ouvindo a música no fundo.Que cor é esse botão? . teima em se 27 . que uma das pétalas desse botão. cada um escolhe uma cor para representar o seu botão de rosa. ainda deitados. abraçando-as.regiões norte. nordeste e centro-oeste) Pedir para todos os participantes deitarem sobre jornais.. que começa a querer desabrochar. O facilitador começa a falar: . Fazer um breve relaxamento para que todos se acalmem.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. Agora. bem fechadinho.. . Trabalhar o exercício de respiração: a) inspirando pelo nariz. (umas 6 ou 7 vezes).conta-se até quatro com a respiração presa e em seguida expirando pela boca enquanto repete a contagem até quatro. enquanto conta até quatro (mentalmente). Você sente agora.Você é um botão de rosas. b) prendendo a respiração .

Deitando-se normalmente. você continua ainda vendo-se como um botão de rosas... inalando perfume.. O facilitador vai conduzindo o desabrochar. sem pressa. E com todos sentados.. lindo!!! Cheio de vida!!! Sentando-se.Que sentimento tiveram durante a dinâmica? 28 .Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. rodeado de outras rosas. com seus braços livres.. lentamente... seu braço soltase e como se fosse uma pétala.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. você vai soltando o braço que está por cima. Agora. nordeste e centro-oeste) abrir.. e lentamente..Sentiram-se bem à vontade? .O que sentiram? .. sem pressa.Que cor escolheram para sua rosa? Por quê? . passo a passo. muito lentamente. você vai deixando afrouxar suas mãos. você começa a sentir-se como realmente fosse um botão de rosas. muito lentamente.regiões norte. e aos pouquinhos. desabrochando. Agora as pernas. abrindo seus olhos e sentindo-se como num jardim.Tiveram vontade de terminar logo? . mas ainda.. perguntar: .. suas pernas livres. separa-se viçoso.

. confeccionar um jogo de tabuleiro “Caminho das Caravelas”.regiões norte. introduze-se o tema propriamente dito: sexualidade. Profª Cecília Descobrimento Caminho das Caravelas – Jogo Objetivos: Reconhecer a importância da época das grandes navegações e descobertas. Preparação: Em grupos.. virgindade. adolescência..MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. Depois de todos esses questionamentos... da seguinte forma: 29 . nordeste e centro-oeste) Deixar que todos falem. os alunos estarão prontos para participar mais ativamente sobre qualquer debate. Identificar as principais rotas das grandes navegações. (o que foi preparado) Conclusão: Depois do relaxamento.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA.

2. Objetivos: Desenvolver o raciocínio lógico. Desenrolar: Realizar o jogo usando um dado e peões conforme o número de integrantes de cada grupo. o sentido reflexivo e crítico.Reproduzir os caminhos das grandes navegações e escolher uma rota para o jogo. de tal maneira que possam tornar-se cidadãos conscientes de seus deveres e direitos. Tempo: 1 aula Local: sala de aula ou uma sala grande.regiões norte. 30 .Elaborar as regras.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. Comparar diferenças e igualdades. a rota feita por Cabral. Descrição Dinâmica Grupo: Esta dinâmica pode ser utilizada com alunos de várias faixas etárias em diversas disciplinas. 3. legendas e como deverão fazer para percorrer o caminho até a chegada. nordeste e centro-oeste) 1.Desenhar um mapa-múndi numa cartolina. por exemplo.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA.

uma borracha. uma planta. Escolham um só. Conclusão: As dinâmicas na sala de aula têm uma boa aceitação por parte dos alunos e facilitam muito a relação professor-aluno.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. poderá usar um fundo musical. Atenção! Eles não devem citar o nome do item que está sendo descrito. um lugar ou um objeto qualquer.regiões norte. mas não mencionar a palavra “gato”. apresente uma foto ou um desenho da verdadeira descrição. se a descrição for de um gato. um animal. Depois que todos terminarem de desenhar. Se preferir. Finalmente.. nordeste e centro-oeste) Material: Esta é uma brincadeira que basta usar o material dos próprios alunos para começar a brincar: caneta. Peça aos alunos que façam um desenho conforme a descrição. devem dizer que tem pêlos. Por exemplo. Desenvolvimento: Peça aos alunos que descrevam uma pessoa conhecida. peça-lhes que mostrem os desenhos aos colegas e comparem as diferenças e igualdades. utilize um fundo musical. Profª Maria de Fátima Camacho Ferreira Marques Aguiar. lápis de cor e papéis. Fonte: Revista PCNE – Professor Criativo na Escola – Editora Didática Paulista 31 . Se quiser. rabo etc.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet.

Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. nordeste e centro-oeste) 32 .regiões norte.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet.

quadrado e retângulo.regiões norte. triângulo. Desenrolar: 33 . composto de quatro tipos de “figuras”: círculo. nordeste e centro-oeste) Objetivos: Desenvolvimento de seqüências de acordo com os atributos estabelecidos entre duas figuras anteriores. em dois tamanhos: pequeno e grande. Preparação: Material: Uma caixa de Blocos Lógicos. Eles terão que descobrir qual é a peça seguinte para continuar a seqüência.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet. composto por quarenta e oito blocos geométricos. vermelho e amarelo.Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA. e em duas espessuras: fina e grossa. que variam em três cores: azul.

regiões norte. nordeste e centro-oeste) 34 .Elaborada por Julia Rocha Camargo – Consultora Pedagógica FUNDESCOLA.MEC (retirado de sugestões enviadas pela internet.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful