Você está na página 1de 60

ano 9 • edição 60 • julho 2009

O Morumbi abriga renomados


chefs de cozinha que vieram
de variadas partes do mundo
incrementar nossa rica
gastronomia

O italiano
Vincenzo Vessicchio
comanda a cozinha veja mais!
da Casa da Fazenda • Especial Educação:
Meritocracia nas escolas
• Especial Inverno
• Em Vitrine: Alimentos
funcionais funcionam?
edição 60 julho 2009
Carta ao leitor an o 9 • ed i ç ã o 60 • julho 2 0 0 9

DIRETORIA
Quero que você... Denise Gonçalves, Elisabeth Resende e Vania Ferreira

F az frio nas ruas do Morumbi. O ar gelado nos faz encolher na cadeira do escritório,
o vento cortante nos leva pra dentro de casa, nos empurra pra dentro de nós
mesmos. Ocasião perfeita para refletir com os próprios botões como aproveitamos os
PUBLISHER Denise Gonçalves • denise@dolcemorumbi.com
PRODUÇÃO E ARTE - DIREtora
Vania Ferreira • vania@dolcemorumbi.com
longos dias de verão passados, se nos deixamos contagiar pela energia do sol pleno REDAÇÃO Fran Oliveira / Mtb 47.074 • editorial@editorasupernova.com.br
para armazenarmos as forças necessárias para o inverno. Roseli Gonçalves • roseli@dolcemorumbi.com
O frio da estação se impõe ao nosso corpo e inquieta a nossa alma, saudosa de um calor ARTE Charles Camargo • charles@dolcemorumbi.com

que suplica pra ser relembrado. As noites ganham mais importância, nos ocupamos ASSISTENTE DE ARTE Milena Coelho • milena@dolcemorumbi.com
CAPA JAF
mais com as oportunidades que elas sugerem. O frio, quanto mais rigoroso, mais JORNALISTA RESPONSÁVEL Jorge Fernando Jordão / Mtb 25.370
provoca os sentidos, e da necessidade de abrigo surgem os mais românticos jantares, DEPARTAMENTO ADMINISTRATIVO e COMERCIAL
com lareira, vinho e luz de velas; as melhores sessões caseiras de filmes que se assiste DIREtora
Elisabeth Resende • elisabeth@dolcemorumbi.com
abraçado embaixo do edredom. Sucumbimos com mais facilidade aos prazeres do
ASSISTENTE Comercial
paladar, que não se contenta só com calor humano – o que importa mesmo é caloria, Alice Cristina Gonçalves • comercial@dolcemorumbi.com
e quanto mais saborosa, melhor! O inverno é realmente um perigo, mas também é ASSISTENTE administrativo
uma delícia... Renata Nakazawa • administracao@dolcemorumbi.com
ASSESSORIA JURÍDICA
A solidariedade também é mais generosa no inverno. Com tantas campanhas de João de Paulo Neto • jpn.adv@aasp.org.br
doação de agasalhos, nos sentimos encorajados a abrir o guarda-roupa e avaliar em REPRESENTANTES COMERCIAIS
cada peça se a sua história conosco já acabou. Haja desapego! De peças, de lembranças, Ana Paula Freitas e Cilmara Ferreira
de sentimentos... Missão nobre fazer do desapego a energia que vai aquecer alguém. COLABORARAM NESTA EDIÇÃO: Claudia Castellan, Floriano Serra,
JAF (fotos), Lívio Giosa, Marcelo Negrão,
E com o guarda-roupa e a consciência mais leves fica mais gostoso curtir o inverno, Paulo Roberto Amaral, Renata Agostine, Renato Corrêa,
enquanto se espera a primavera chegar com todas as suas cores para nos trazer de Rosa Richter, Roseli Gonçalves (revisão) e Thais Narkevitz
Tiragem 15 mil exemplares – IMPRESSÃO CLY
volta ao dia.
DISTRIBUIÇÃO Gratuita • via courier para mailing VIP
Aproveite bem o seu inverno. Crie energia própria. Desfrute as noites. Doe os agasalhos
TRÁFEGO e CIRCULAÇÃO
que puder. Sergio Falsetta • sergio@dolcemorumbi.com
E não esqueça de gastar as calorias! Ronaldo Ferreira

Revista DOLCE Morumbi é uma publicação da


Um caloroso abraço. Página 8 Editora Ltda.-ME. A editora não se responsabiliza pelas opiniões
emitidas nos artigos assinados. Ninguém pode retirar produtos nem
quaisquer outros materiais em nome desta publicação sem autorização
expressa, por escrito, em papel timbrado, da diretoria da Página 8.
Denise Gonçalves denise@dolcemorumbi.com CARTAS PARA A DOLCE apoia:
REDAÇÃO
Av. Dr. Guilherme
D. Villares, 2309 B
05640-004 – SP
atendimento@
dolcemorumbi.com
Tel.: (11) 3464-6600

sumário
Fax: (11) 3464-6612 reciclamorumbi.com.br escoladopovo.org

CAPA Colunas
06 Mistura de sabores 16 moda Para aquecer com sofisticação • por Claudia Castellan
Especiais
20 esporte Corra do sedentarismo, literalmente! • por Marcelo Negrão
27 viver o inverno
37 educação 22 TEST DRIVE Q5, um Audi na medida certa... • por Renato Corrêa
48 alimentos 24 egotrip Peregrinando pelos caminhos do apóstolo São Paulo
funcionais 44 CORPORATIVO Amizade e sociedade, em negócios,
Seções é possível? • por Lívio Giosa
14 Achados Se aqueça 46 Cidadania Virada Social: mais serviços ao cidadão • por Rosa Richter
neste inverno!
47 Pensata A Copa perto de casa • por Paulo Amaral
18 Bem-casado
32 em foco 58 final feliz Tanto faz, pode ser. Você que sabe... • por Floriano Serra

4 Morumbi julho 2009


capa
por Fran Oliveira • fotos Jaf

M stura de
Sabores
Dolce procurou renomados chefs internacionais do Morumbi, como o italiano Vincenzo Vessicchio,
os franceses Laurent Hervé e Laurent Grolleau, o ítalo-holandês Erik Fois e o libanês Stephan
Kawijian para registrar o que há por trás do glamour da profissão

Vincenzo Vessicchio veste calça solta e con- Hoje, aos 39 anos, diminuiu o ritmo. Em 2002, o
fortável, uma camisa branca e avental enquanto jovem italiano veio ao Brasil passar as férias, en-
inspeciona os 20 funcionários que trabalham na cantou-se pelo povo brasileiro. Mais tarde, conhe-
cozinha do restaurante da Casa da Fazenda do ceu a engenheira brasileira Adriana, com quem é
Morumbi. Ele chega de ônibus, cedo, por volta casado há dois anos e tem um filho. Assim que
das nove da manhã, depois de deixar o filho de Vincenzo Júnior completou 1 ano e quatro me-
dois anos no berçário. ses, os três viajaram para a Itália onde percorre-
Vessicchio nunca ficou muito tempo num ram, de carro, 3.500 km apreciando a paisagem.
mesmo lugar, desde que decidiu pela sua profis- Assim que chegou ‘de mala e cuia’ a São
são, aos 14 anos, ao entrar para a Escola de Hote- Paulo, em 2007 – depois de se desligar de um
laria de Salerno. Estudava no inverno e trabalhava restaurante, no centro de Milão, onde traba-
no verão em algumas cidades italianas. Ele come- lhava como chef –, Vincenzo enviou currículos
çou de baixo, primeiro lavando as panelas, louças e para vários restaurantes até ser contratado por
pratos, descascando batatas e limpando peixes. Em Roberto Oropallo, da Casa da Fazenda, de onde
Salerno, quando criança, aos domingos e feriados, sai por volta das três horas da tarde para voltar
a família se reunia para apreciar o ragu, um molho às sete da noite. Neste intervalo, brinca com o
espesso, encorpado, feito com tomate, vinho e pe- filho e, quando o menino dorme, entrega-se à
daços de carne, preparado pela mãe costureira. O sua paixão pelo jogo de futebol no Playstation.
pequeno Vincenzo observava enquanto era sedu- Vincenzo se impôs como chef devido ao seu
zido pelo cheiro das iguarias e deliciava-se. temperamento combativo. Ele corre atrás dos
Assim que concluiu os estudos, Vincenzo objetivos e ama a profissão, trabalha domin-
foi para a Toscana, passou dois verões na costa gos, feriados e Réveillon, em média, 15 horas.
sul francesa, seguiu para a Alemanha, Principado Amante da boa gastronomia, aprecia feijoada,
de Mônaco, Londres e depois voltou para a Itália mas torce um pouco o nariz para as comidas e
onde trabalhou em regiões como Piemonte e ingredientes de gosto muito forte, como acarajé
Lombardia aprendendo a peculiaridade culinária e azeite-de-dendê. Na última vez em que foi a
de cada uma delas. Nunca ficou parado, trabalha- Salvador a degustação de moqueca rendeu-lhe
va para ser independente e aproveitar as festas. uma indisposição, o que não o impediu de con-

6 Morumbi juLho 2009


Vincenzo Vessicchio
chegou ao Brasil com
a cara e a coragem

juLho 2009
foto: divulgação
capa

Laurent Hervé
encanta-se
pelas
novidades dos
lugares por
onde passa

tinuar experimentando pratos variados, assim mento de novos produtos e cultura o trouxe para
como faz o francês Laurent Hervé. o Hyatt Brasil em 2007.
Uma das primeiras coisas que Hervé fez ao Laurent Hervé já tem muitos amigos brasi-
chegar ao Brasil foi visitar o Masp. Aproveitando leiros e também franceses que moram na cidade.
a feira na Avenida Paulista, comprou um quadro No pouco tempo livre gosta de viajar. Já conhece
de uma figura abstrata, que levou para decorar o Ubatuba, Maresias, Guarujá e Rio de Janeiro, mas
apartamento em Santo Amaro. seu sonho é conhecer a Amazônia e Belém.
Hervé tem o hábito de acordar cedo para No ano passado, o chef foi à França rever a
preparar e saborear sua comida favorita, misto família – o irmão engenheiro Sebastian, a mãe
quente com café. No trajeto para o trabalho, pas- Naae­ge e o pai Jean. Em sua casa em La Rochelle,
sa no supermercado para conferir novos produ- tem uma coleção de mais de 500 LPs, pois adora
tos que chegaram e sentir os cheiros dos legu- música e até ensaia uma performance como DJ
mes e frutas. em alguns eventos com amigos. Mas aqui os LPs
Chegando ao restaurante Eau, no Hyatt, o servem apenas para decoração do apartamento.
jovem chef de 35 anos comanda uma equipe for- Tímido, o chef não planeja o futuro. Se, por
mada por brasileiros, um argentino e um chinês. um lado, parece inconstante, por outro aprecia o
Quase dois anos depois de sua chegada, pratica- imprevisível. Ele só conheceu o caju depois que
mente domina a língua portuguesa. chegou ao Brasil e fica inquieto com a sensação
Hervé é natural de La Rochelle. Na infância, de que existem muitas coisas no mundo a serem
aos finais de semana, saía para pescar, pegar os- vistas e de a vida ser muito curta para ver tudo.
tras e colher frutas, como amoras e framboesas, Quem deu muita força a Laurent Hervé as-
próximo ao oceano Atlântico. Aos 12 anos, o jo- sim que ele chegou ao Hyatt foi o também fran-
vem de família simples interessou-se por cozinha cês Laurent Grolleau, que, quando criança, fazia
e, aos 15, começou a trabalhar em restaurantes biscoitos enquanto esperava os pais voltarem do
de alguns amigos. Passou por lugares badalados, trabalho. O pai sempre dizia “você é muito de-
foi chef executivo do Maxim’s de Paris e atuou nas talhista”, o que pode ser observado no aspecto
principais unidades do Hyatt como os Park Hyatt artístico dos doces que prepara desde que resol-
de Nova York e Paris-Vendôme. Em 2002, abriu o veu, ainda adolescente, trabalhar na cozinha e se
restaurante Pur’Grill ao lado do chef Jean-François especializar em pâtisserie.
Rouquette, em Paris, mas a sua sede de conheci- Laurent Grolleau aprendeu técnicas moder-

8 Morumbi juLho 2009


foto: divulgação
capa

nas com Nicolas Boussin, eleito melhor chef con-


feiteiro em 2002, trabalhou com Pierre Hermé, se
dedicou por sete anos à pâtisserie da elegante
loja Fauchon e passou também por Nice e por
Tóquio.
Ao retornar do Japão, Grolleau resolveu abrir
um negócio. A esposa franco-italiana, Lucia, que
já morara no Brasil o convenceu a arriscar a vida
em terras tupiniquins. Em março de 2002 abriu a
pâtisserie L’Opera em Curitiba, um sucesso.
Grolleau é detalhista e firme na cozinha. Ele Como a família de Erik Fois era dona de res-
gosta das coisas certas e de inventar novos sa- taurante, o jovem optou pelo caminho gastronô-
bores e misturas. Após o sucesso em Curitiba, foi mico. O primeiro lugar em que trabalhou, como
convidado para trabalhar no Hyatt onde está há estagiário, foi num restaurante de um campo de Laurent
três anos e meio comandando uma equipe de 16 golfe na Holanda. Como ninguém se torna chef Grolleau
pessoas na preparação de sobremesas, pães, sor- de uma hora para outra, ele começou preparan- destaca-se
vetes e viennoiseries dos cafés-da-manhã. do banquetes – refeição para muitas pessoas. A com um dos
Quem também passa o dia na cozinha de um partir desta prática, foi crescendo até chegar aos melhores chefs
hotel é o ítalo-holandês Jon Erik Fois, do restauran- melhores restaurantes. de pâtisserie
te Canvas do Hilton Morumbi. Erik chegou há qua- Fois casou com a neozelandesa Rachael, que do Brasil
tro meses e ainda se atrapalha com a língua. conheceu em Londres quando era subchef e ela
supervisora do salão. No meio gastronômico, cor-
re a lenda que quem é da cozinha não se dá bem
Erik Fois veio com quem é do salão. Eles levavam isso a sério e
ao Brasil discutiam sempre. Porém, um dia se encontraram
como uma fora do hotel e se apaixonaram. Hoje têm um filho
forma de de dois anos, o Marnix.
desafio, Fois trabalhava no Hilton, na Austrália, quan-
importante do surgiram duas outras opções de trabalho:
para sua Londres ou o Brasil. Escolheu o Brasil pelo desafio,
carreira importante para sua carreira. Ele está com uma
lista de lugares para visitar em São Paulo, mas ain-
da organiza a recente mudança. Como mora na
Avenida Santo Amaro, vai de casa para o hotel a
pé, geralmente correndo, pois gosta de praticar
esportes como andar de bike e correr maratonas
e meia-maratonas. Por enquanto, sua maior ma-
ratona é correr de um lado para outro do Hilton.
O chef está ensinando Rachael a cozinhar, ela
tem se mostrado uma boa aprendiz. Mas seu pra-
to preferido não requer grandes elaborações, pois
é uma salada simples com legumes frescos em
que também pode acrescentar algumas ostras.
Há mais tempo em São Paulo, 22 anos, o
libanês Stephan Kawijian tem negócio próprio,
o Sainte Marie Gastronomia, aqui no Morumbi.

10 Morumbi juLho 2009


ideall
capa

Stephan nasceu em Beirute, gostava de ver os cor-


deiros na fazenda, colher azeitonas verdes e roubar os
charutos de folha de uva na cozinha de sua avó.
A mãe Margo cuidava dos filhos e o pai, empresário,
cozinhava nas horas vagas. Quando Stephan tinha quatro
anos, a família mudou-se para a Líbia onde ele foi jogador de
futebol profissional. Mais tarde, mudou-se, com o irmão, para a
Itália e de lá para o Brasil, onde pretendia investir na carreira de
jogador. Flamenguista, o libanês conheceu Zico na Itália, mas
em vez de ir para o Rio aterrisou em São Paulo.
Aqui, Stephan sempre preparava refeições típicas de sua
região para os irmãos e em almoços e jantares de amigos.
Numa dessas ocasiões foi convidado para expor os pratos no
Empório Santa Maria. Ele começou fazendo produtos por en-
comenda, a coalhada seca era feita numa panela de dois litros,
hoje faz barris que revende junto com pratos libaneses, líbios,
marroquinos e gregos para os melhores empórios e hortifrutis
da cidade. Ah, ao longo dessa trajetória, Stephan acabou redi-
Stephan Kawijian começou fazendo produtos por recionando uma de suas paixões. Agora, em vez do Flamengo,
encomenda. Hoje tem uma produção quase industrial o libanês vibra nos jogos do Timão! g

Dáda Bedin é da época em que ainda era gastronomia. Quando cozinha, a gaúcha pensa em
chamada de cozinheira. De uns anos para coisas boas e certamente passa para a comida o que
cá é que virou moda ser chef de cozinha. está sentindo.
Natural de Caxias do Sul, Dáda trabalhou
20 anos no empório dos pais, que vendiam Já o fluminense Maurício Ganzarolli começou sua
alimentos, bebidas importadas e tinham um carreira nas cozinhas da Itália lavando pratos e pane-
pequeno restaurante em que o pai cozinha- las até se tornar chef assistente em restaurantes como
va e a mãe cuidava da loja e da administração. Aimo e Nádia, em Milão. Assim que retornou ao Brasil,
Um dia, Dáda decidiu ir embora de sua cidade e passou pelo La Tambouille e Leopolldo até criar em
foi convidada para assumir o Skapino, no Jardim 2006, junto com o sócio Sérgio Melaragno, o restau-
Guedala. Apesar de o restaurante ter cardápio va- rante Bananeira, próximo ao Portal, já indicado pela
riado, Dáda sempre incrementa sua gastronomia Veja como um dos melhores restaurantes de comida
com as lembranças da infância passada com sua brasileira de São Paulo. Apesar de doce e tranquilo,
avó Madia, grande Maurício fica “bravo”
cozinheira, e das téc- na cozinha, uma ca-
nicas aprendidas com racterística comum a
seu pai, estudioso da todos os chefs.

EXPERIMENTE: Dáda Bedin Skapino R. Guihei Vatanabe, 289, Jd. Guedala – Tel.: 3722-5277 Jon Erik Fois Canvas – Hilton Morumbi Av. Nações Unidas,
12901 – Tel.: 2845-0055 Laurent Hervé (restaurante Eau) e Laurent Grolleau Hyatt Av. Nações Unidas, 13301 – Tel.: 2838-3207 Maurício Ganzarolli Bananeira
R. Mal. Hastinfilo de Moura, 417 – Tel.: 3502-4635 Sainte Marie Gastronomia Stephan Kawijian Tel.: 3501-7552 Vincenzo Vessicchio Casa da Fazenda do Morumbi
Av. Morumbi, 5594 – Tel.: 3742-2810

12 Morumbi juLho 2009


achados produção Renata Agostine

Se aqueça neste
inverno !
Espante o friozinho investindo em roupas e acessórios que,
além de manterem a temperatura, são lindos e estilosos.
Xale para
sofá R$ 59
Fleur de Lis

Manta em microfibra
R$ 54,90 cada
Mundo do Enxoval

Conjunto
infantil
R$ 189,90
Casa das
Cuecas

Pijama Chinelo
masculino masculino
R$ 99 R$ 59,90
Fleur de Lis Casa das Cuecas

Meia infantil
R$ 11
Viwa Criança

Pijama infantil
R$ 61 Viwa Criança
Cobertor Fleece
R$ 47 cada Mundo do Enxoval

onde encontrar: Casa das Cuecas – MorumbiShopping – Tel.: 5183-4398; Av. Giovanni Gronchi, 5819 – Tel.: 3502-4541 Fleur de Lis – Shopping
Portal – Av. Dr. Guilherme Dumont Villares, 1269 loja19A/20B – Tel.: 3742-1288 Folic – Av. Giovanni Gronchi, 5819 Piso2 Loja 444 – Tel.: 3743-5678
Kids Land – Av. Dr.Guilherme Dumont Villares, 2430 – Tel.: 3739-3323 Mundo do Enxoval – Shopping Cidade Jardim – 1º piso – Tel.: 3758-4945

14 Morumbi julho 2009


Casaco
Xadrez
R$ 689,70
Tess Concept
Pijama de malha
e plush
R$ 209,90 Selleta
Bota
infantil
R$ 119,90
Kids Land

Pelerine feita
em tear manual
Jaqueta em plush R$ 199,90
R$ 102 Rosana Assaf Belle Boutique

Cachecol tricô
R$ 129,60 Folic

Jaqueta
masculina Zebra
World Traveller
R$ 680 Racer One

Belle Boutique – Rua Dom Armando Lombardi, 514 – Tel.: 3773-4093 Racer One – Av. Giovanni Gronchi, 5180 – Tel.: 2769-0700 – Rosana Assaf Rua
Domingos Lopes da Silva, 281 – Tel.: 4111-3339 Selleta – Av. Dr. Guilherme Dumont Villares, 2481 – Tel.: 3744-0430 Tess Concept Rua Deputado João
Sussumo Hirata, 479 – Tel.: 3742-9235 Viwa Criança – Shopping Open Center – Av. Dr. Guilherme Dumont Villares, 1210 loja 11 – Tel.: 3501-2503
Consulte os estabelecimentos para verificar a disponibilidade dos produtos. Preços válidos enquanto durarem os estoques e sujeitos a alterção sem prévio aviso.

julho 2009 Morumbi 15


porClaudia
por ClaudiaCastellan
Castellan Moda

Para aquecer com


A
qui em São Paulo, onde o inverno não pega tão
pesado, podemos facilmente trocar a lã pelo couro
ou apenas usar um casaco mais pesado por cima
de peças leves como jeans, calças de alfaiataria com ca-
misas e tricôs sobrepostos. Ou trocar os casacos por pe-
ças que sutilmente vêm reaparecendo há uns três anos,
como as capas, com capuz ou não (mais longas), as pe-
lerines (com um corte para os braços) e as visitas (com
aberturas nas mangas deixando uma nesga de braço
aparente). Algumas usadas pelos romanos na Antiguida-
de, outras de origem nos séculos XVIII e XIX hoje desfilam

Uma echarpe de seda, um


cashmere fininho, uma
gola de tricô – dá voltas
no pescoço e aquece na
medida–, realçam o rosto e
podem fazer uma grande
diferença na produção final

não só pelas passarelas, mas pelas ruas em todo inverno. E


voilá! Proteção perfeita!
Mas um simples pedaço de tecido também pode sal-
var sua vida!
Primeiro as definições: Foulard é quadrado (90x90),
normalmente de seda, echarpe é um longo retângulo
com franja na beirada e normalmente em seda ou algodão,
cachecol é retângulo, com ou sem franja, de tricô.
Xales (com franja) e mantas são quadrados, só que
maiores que o foulard, para se enrolar e envolver os om-
bros, além das golas postiças trabalhadas.
Esqueça cachecóis volumosos e de lã pesada, uma
echarpe de seda, um cashmere fininho, uma gola de tricô
– dá voltas no pescoço e aquece na medida –, realçam o
rosto e podem fazer uma grande diferença na produção

16 Morumbi julho 2009


MODA

m sofisticação
final. Laçarotes de seda fazem o tipo easy seu corpo foi cortado em três partes e
chic, práticos, deixam toda mulher femi- você ganhou alguns quilinhos extras
nina em qualquer hora do dia. Para as visualmente.
lady likes de plantão, é perfeito para arre-
matar uma blusa decotada, enfeitar um
vestido ou uma simples camiseta, com a
vantagem de substituir uma gargantilha
com proteção extra. Echarpes podem vi-
rar laços, gravatas, pode-se dar voltas no
pescoço para um efeito mais cool, fazer
amarrações inglesas e indianas, como as
dos marajás, portanto, são mais práticas
que os lenços. À noite ou numa ocasião
onde impera mais formalidade, pashmi-
nas, lenços ou echarpes de seda acom- Se o seu quadril é mais largo ou sua
panharão melhor a roupa e o make. estrutura corporal é grande ou você
Se você faz o estilo bohemiam chic está acima do peso, precisa equilibrar
o cachecol fair isle é perfeito, ou se seu a silhueta usando botas de cano médio
estilo ou visual é mais informal, opte por ou baixo e saltos médios ou grossos, que
cachecóis de tricôs de pontos e fios mais criam equilíbrio.
grossos e abertos e combine com peças Vale lembrar que todo salto fino faz a
neste pretexto. parte de cima, ou seja, a pessoa, parecer
maior.
MAS ATENÇÃO: Se o seu pescocinho é Não importa seu estilo, enrole-se
curto e grosso nada de amarrações nele, com uma peça handmade ou sofisti-
principalmente se você for mais baixi- cada, incremente looks globalizados,
nha. Sua aparência ficará atarracada e invente, o importante é aquecer, apro-
isso com certeza você não quer! Use pe- veitando o efeito menos por mais em
ças lisas e mais escuras e longe do pes- pequenos tecidos com efeito extra-
coço. Ao contrário, se ele for fino e longo grande.
e você também mais magra, enrole-se à Compras feitas, todos aquecidos,
vontade. convido-os a visitarem meu novo site.
Mas nem só de amarrações vive o Importante é aquecer não só o corpo,
inverno. Não se esqueça das botas. As mas a alma e os dois de quem precisa!
botas de montaria ou as de cano médio Então, entrou peça nova, doe a antiga!!!
e bico arredondado, por exemplo, são
perfeitas para usar com jeans skinny. Cui- Abraços ! g
dado com botas para fora da calça: cor-
tam o corpo, principalmente se houver
contraste de cor da calça com a blusa. Claudia Castellan é consultora de imagem, consultora de private
label, especialista em marketing de moda, professora universitária e
Ou seja, calça escura (ou jeans), bota do Senac, palestrante e autora de cursos na área de moda.
marrom e parte de cima clara, pronto, Site claudiacastellan.com.br E-mail claudiall@ig.com.br

julho 2009 Morumbi 17


bem-casado

Creme de Cebola
Brownie Branco
N
o inverno, nada como uma sopa bem to balsâmico entram no preparo e na decoração
Serviço quentinha para esquentar. A sopa sa- do prato, e proporcionam um sabor diferente
Creme de Cebola: tisfaz sem pesar no estômago. Pode e particular. O aceto balsâmico acentua a do-
R$ 15,40 ser considerada uma das refeições mais çura da cebola e o resultado é surpreendente.
Brownie Branco: completas da história da humanidade, pois Para finalizar a refeição, um Brownie Bran-
R$ 14,90
seus ingredientes concentram todos os nu- co, variação do tradicional Brownie America,
America trientes necessários para suprir as necessi- só que feito com chocolate branco e pista-
Av. Giovanni Gronchi, dades do organismo. che, servido com sorvete de creme e uma
5819 – Praça de
Alimentação A sugestão de Dolce para este inverno é o deliciosa calda de frutas vermelhas. A acidez
Tel.: 3747-8100 Creme de Cebola com queijo Gruyère e Aceto da calda de frutas vermelhas quebra o doce
Balsâmico do America. A receita da tradicional do chocolate branco. É uma sobremesa que
MorumbiShopping
Tel.: 5180-6843 sopa de cebola francesa foi revista e ganhou propõe maior consistência à leveza do creme
americaburger.com.br uma versão contemporânea. O queijo e o ace- de cebola.  g

18 Morumbi julho 2009


por Marcelo Negrão esporte

Corra do sedentarismo,
literalmente!

C
ansado (a) da rotina diária, que se res- cinco minutos de caminhada e um minu-
tringe do caminho para o trabalho a to e meio de corrida leve. Esta sequência
volta para casa? Então, vá correr! ajuda a preparar o corpo para quando as
Na rotina em que hoje vivemos, seja atividades ficarem mais contundentes,
no trabalho, na faculdade, nos afazeres melhorando a respiração e o ritmo dos ba-
domésticos, fica cada vez menor o tempo timentos cardíacos. Este processo também
para a prática de algum exercício físico e, é válido para quem está voltando de con-
consequentemente, nosso desempenho tusão e precisa de um período de readap-
em todas essas atividades. tação. Neste início de trabalho, não fique
Segundo pesquisa feita pelo Ministério preocupado com o tempo em que vai per-
da Saúde, cerca de 30% da população brasi- correr o caminho estipulado, preocupe-se
leira não praticam nenhuma atividade física. em terminá-lo, porque, para atingir uma
Para driblar o sedentarismo, uma boa pedi- velocidade de corrida maior, é necessário
da para manter o corpo saudável é praticar um condicionamento físico mais apurado,
a corrida. Mas não se precipite. Antes de exigindo mais dos músculos, ligamentos e
correr, como em qualquer outro esporte, é sistema cardiovascular.
necessário uma série de cuidados para não Assim como em todos os esportes,
prejudicar a saúde. Primeiramente, consul- a alimentação antes e depois do treino
te um médico e faça um check-up. Com os é essencial para um melhor resultado.
exames, é possível saber se há alguma limi- Antes de começar a atividade, escolha
tação no seu corpo que o impossibilite de alimentos leves. Dê preferência aos car-
fazer este esporte. Liberado pelo médico, boidratos, eles são a principal fonte de
o próximo passo é achar um tênis próprio energia para os corredores. Depois do
para corrida. Na hora da compra, deve-se treino, a fim de fortalecer a musculatura,
dar preferência aos modelos que respei- continue com carboidratos e acrescen-
tem a sua pisada, caso contrário podem te proteínas como queijo, peito de peru,
ocorrer lesões, principalmente na coluna ovo e carne. É importante incluir na sua
e nos pés. Tomadas todas as precauções, é dieta alimentos que contenham potás-
hora de começar. Defina os dias e os ho- sio, como banana, tomate, suco de la-
rários disponíveis em sua agenda, estipule ranja e água. Estes alimentos diminuem
metas e tente cumpri-las. Tenha bom sen- as chances de o atleta sentir câimbras.
so, não queira correr uma maratona logo Outra forma de diminuir esta e outras
no primeiro dia de treino. Se estiver muito contusões é o aquecimento das partes
tempo sem atividade física, comece com do corpo que serão exigidas nos movi-
uma caminhada de pelo menos 30 minu- mentos de corrida (o posterior – múscu-
tos por dia, três vezes por semana. Repita a lo adutor – , a panturrilha, o quadríceps
série por três semanas. Passado este perío- e o bíceps), que deve ser feito antes e
do, quando estiver mais seguro, tente alter- depois dos exercícios.
nar a caminhada com as corridas, fazendo Bom treino! g

Marcelo Negrão é jogador de vôlei de praia, campeão olímpico,Embaixador dos Esportes pelo Banco do Brasil e morador do Morumbi.
E-mail: marcelonegrao@rojascomunicacao.com.br

20 Morumbi julho 2009


TEST DRIVE
por Renato Corrêa

Q5, um Audi na medida certa...

“O Q5 é eficiente sem diminuir o prazer de


dirigir, é esportivo, mas prudente” – a fra-
se é do fabricante, mas eu completaria:
velift, que contribui para aumentar a eficiência da
máquina e diminuir o consumo de combustível.
Item de série no Q5, o programa de estabilida-
nem tão grande, nem tão pesado, nem tão es- de ESP, de última geração, adapta o veículo ao cen-
portivo, nem... tro de gravidade de acordo com o peso da carga. A
O Q5 tem personalidade própria com vocação direção Servotronic é sensível à velocidade, sendo
para agradar à nova geração de fãs dos utilitários mais resistente em manobras, permitindo controle
esportivos de um segmento muito competitivo. preciso na ação.
A indústria automobilística atual aproxima os Os freios ABS e ESP podem ser ajustados para
modelos no que diz respeito a tecnologia e eletrô- condução fora de estrada. O sistema Hill Descent
nica embarcadas, então é preciso buscar as dife- mantém a velocidade programada pelo motorista
renças nos detalhes, no acabamento, no conforto, (até 30km/h) em descidas íngremes e escorrega-
na elegância, na performance. dias. A tração Quattro® integral distribui a força
O Q5 é tão confortável entre as rodas conforme a necessidade e melho-
quanto os outros modelos ra a dirigibilidade em curvas ou em pistas mo-
da marca alemã. Chama lhadas, a suspensão five-link é uma exclusivida-
atenção pelo design de um de da Audi e o pacote de tecnologia encontrado
coupé com linha de cintura supera as expectativas.
alta, porém com desem- O Audi Drive Select (item opcional) tem três
penho de um esportivo e ajustes: auto, comfort e dynamic. Conforme a op-
recursos de um utilitário. ção escolhida, a regulagem dos amortecedores,
Como assim? É um utilitário a firmeza da direção, a resposta do acelerador
esportivo, mas com aspecto e o ponto de mudança do câmbio são altera-
mais urbano – o Q5 é um dos automaticamente. No modo auto o Q5 fica
crossover que lembra um equilibrado, unindo conforto e agilidade. No
A3 com ar de carro para comfort a viagem é tranquila e o ajuste dynamic
aventura, mas as linhas suaves da carroceria garan- permite condução esportiva e concentrada. O
tem o melhor coeficiente de arrasto aerodinâmico câmbio S-Tronic traz inovador sistema de dupla
da categoria. No Brasil ele chegou em duas versões embreagem (dual clutch), o que possibilita maior
de motorização: 2.0 Turbo FSI quatro cilindros e 3.2 rapidez na troca de marchas sem perda de po-
FSI V6. Ambas equipadas com o sistema Audi Val- tência, mas com muita suavidade.

22 Morumbi JULHO 2009


Renato Corrêa é jornalista, diretor do Jornal Off Road,
piloto das categorias Turismo, Kart, Rally Cross Country,
Enduro e Rally com Motos. É morador do Morumbi.
E-mail: rcorrea@aclnet.com.br

fotos: divulgação
...e person
vocação para alidade pr
óp
de fãs doasgradar à nova greiar com
utilitários a ão
esportivço
s

Outro item opcional, mas inovador, é o pilo-


to automático adaptativo que controla distância e
velocidade em relação ao veículo da frente. O Audi O poderoso V6
Q5 também pode ser equipado com o side assist, da versão topo
um dispositivo que auxilia o motorista a mudar de de linha
faixa para uma ultrapassagem, por exemplo.
É um carro bonito, com teto solar open sky, e o
conjunto de faróis dianteiros, lanternas traseiras e
Publicidade
pisca-alerta tem iluminação com LEDs, que valori-
zam o design e aumentam a segurança ativa.
Nos bancos traseiros, muito conforto, refor-
çando a vocação de carro familiar: como opcional
pode-se ter o recurso Comfort Plus, um comando
que ajusta o banco para trás ou para frente em até
dez centímetros para aumentar quase três vezes o
volume do porta-malas. O encosto também pode
ser inclinado individualmente. Os materiais esco-
lhidos para o interior – alumínio e couro – confe-
rem ao Q5 uma aparência refinada. Os airbags têm
ação inteligente de última geração, segundo infor-
ma a montadora.
E se o desejo do motorista estiver focado ape-
nas no quesito esportividade, a Audi informa que
a versão com o motor V6, 3.2 litros e 269 cv de po-
tência acelera de 0 a 100 km/h em 6,9 segundos e
atinge velocidade máxima de 234 km/h.

O preço? R$ 206 mil para o modelo de en-


trada. Mas quem está interessado no preço
dessa joia? g

JULHO 2009 Morumbi 23


egotrip

Peregrinando pelos caminhos do

A
O que é Peregrinar? Peregrinar não é apenas viajar, é também busca. peregrinação que produz frutos é aque-
A verdadeira peregrinação é, de fato, tentar encontrar um caminho para casa. la em que viajamos com humildade e
Peregrinação é associada à religião porque, definitivamente, nossa casa é com amor. Frustrações, atrasos, calor exces-
Deus, nosso criador. A peregrinação expressa o chamado que experimentamos sivo, noites frias, insetos, sede e fome são tão
interiormente, um chamado que poderíamos colocar em uma palavra, expressa necessários quanto boa companhia, riso, comi-
como um convite: Vinde! da saudável e oração. Uma das graças que se
espera de uma peregrinação é saber distinguir
o bem e o mal em nós mesmos e no mundo
Publicidade
ao nosso redor. Isto significa que um dos mais
importantes apelos em uma genuína peregrina-
ção é o chamado ao arrependimento. Em busca
desse imenso chamado, decidimos participar da
Peregrinação da Paróquia de Santa Suzana, com
direção espiritual do pároco Pe. Manoel C. Via-
na Neto, realizada de 20 de abril a 7 de maio de
2009, com um grupo de 24 pessoas. Para essa
viagem preparamos uma bagagem especial.
Além de nossas “nécessaires”, roupas, calçados
etc., levamos também algumas horas de refle-
xões carinhosamente feitas sobre a vida e obra
do Apóstolo São Paulo. Com tudo isso pronto,
partimos dia 20 de abril com destino à Turquia,
onde encontramos uma guia local que nos
acompanhou durante todo o percurso nesse
país. Lá visitamos Istambul, Ancara, Capadócia,
Konya, Pamukkale, Éfeso e Kusadasi, cidades es-
tas por onde São Paulo passou. Em Istambul visi-
tamos a Basílica de Santa Sofia, a Mesquita Azul,
o Palácio de Topkapi, o Hipódromo Romano e
as Cisternas. De barco, atravessamos o Estreito
de Bósforo (que corta Istambul), vendo de um
lado a costa europeia e do outro a asiática, pois

24 Morumbi julho 2009


Apóstolo São Paulo

é a única cidade do mundo localizada entre dois Acima, da esquerda para a


continentes. Em Ancara (capital da Turquia) visi- direita, Mesquita Azul, uma
tamos o museu das civilizações e pernoitamos das obras-primas em Istambul
na cidade. Pela manhã partimos para Capadócia do arquiteto Sinán, Ilha
(região da Anatólia, que significa “Mãe Terra”) vulcânica de Santorini e padre
passando pelo Lago Salgado. Manoel com os peregrinos.
Em Capadócia, visitamos o Vale dos Göreme Abaixo, a Casa de Nossa
(museu ao ar livre com suas igrejas) e as cidades Senhora, em Éfeso.
subterrâneas onde os primeiros cristãos perse-
guidos pelos romanos se refugiaram.
Fizemos um fantástico passeio de balão,
no qual observamos a impressionante paisa-
gem formada ao longo do tempo pela erosão e
ação da água e do vento; e vulcões em erupção
de outras eras geológicas. Sentimos com essa
experiência a nossa pequenez diante da imen-
sidão e da beleza da criação de alguém muito
maior, que é o Deus de todos.
Em Konya (maior cidade da Turquia) visita-
mos o Museu Mevlana (antigo convento místico
muçulmano dos Derviches dançantes).
Depois de um dia de viagem chegamos a Pa-
mukkale, nome que significa Castelo de Algodão,
devido à formação calcárea com piscinas termais
e cascatas petrificadas. Para relaxar tomamos um
banho nessa água a 37ºC (conhecida por suas
propriedades medicinais desde a Antiguidade)
apesar do frio que fazia fora. Pela manhã, visita-
mos as Ruínas de Hierápolis e partimos com des-
tino a Éfeso. Chegando em Éfeso, um dos maiores
sítios arqueológicos do mundo, visitamos a Casa
de Nossa Senhora, uma humilde construção de

julho 2009 Morumbi 25


egotrip

Corinto; passeio de pedras onde, supostamente, segundo a tradição, a dade em que viveu o Minotauro. Nos tempos an-
balão na Capadócia e Virgem Maria, após a crucificação de Jesus Cristo, te- tigos foi rota dos venezianos a caminho da Índia.
o Pamukkale, conjun- ria sido levada por João Evangelista, e lá vivido seus Santorini, ilha vulcânica de paisagens exuberan-
to de piscinas termais últimos dias. Consideramos o ponto mais alto de nos- tes, onde pudemos observar um dos mais lindos
de origem calcária sa peregrinação, pois lá foi o único lugar da Turquia pores-do-sol do mundo. Visitamos a igreja de São
em que participamos de uma celebração em templo João Batista.
sagrado, já que nossas missas eram diárias e muitas Por fim, chegamos em Atenas, capital da
vezes tivemos que celebrar numa sala de hotel. Em Grécia. Visitamos a Acrópole, onde também São
seguida conhecemos as Ruínas da cidade de Éfeso, Paulo pregou, sobre a Decápole, falando sobre
da época dos romanos, onde São Paulo pregou para o Deus desconhecido. Também conhecemos o
25 mil pessoas. Vimos também a Basílica de São João. famoso canal de Corinto, nesta cidade citada no
Pernoitamos em Kusadasi (Ilha dos Pássaros), e no Novo Testamento, pelo apóstolo Paulo em suas
dia seguinte, embarcamos em um cruzeiro para as viagens missionárias. Lá estabeleceu uma igreja
Matéria escrita por Ilhas Gregas. Durante o cruzeiro visitamos: Patmos, e mais tarde escreveu duas epístolas aos cristãos
Cilmara S. Ferreira da Silva,
Maria Carrau, Maria de Fátima ilha onde São João, em exílio, escreveu o Apocalip- (At. 18:1-18). Saímos da Grécia, fomos para Itália.
Prósperi Calil, Susana Borges e se. Rhodes, cidade medieval considerada patrimônio Conhecemos San Giovanni Rotondo, na província
Valéria Perocco Ribeiro histórico da humanidade. Creta, segundo o mito, ci- de Fogia, visitamos a igreja de Padre Pio, onde seu
corpo está exposto. Visitamos o Monte de Santo
Publicidade Angelo, linda gruta onde o Arcanjo São Miguel
apareceu. Seguimos para Roma, onde concluí-
mos nossa peregrinação, conhecendo as Basílicas
São Paulo, fora dos muros, Santa Maria Majore,
São João de Latrão, a Tre Fontane, onde São Paulo
foi decapitado. Neste local, onde sua cabeça ro-
lou, brotaram três fontes, por isso esse nome.
Enfim, vivemos uma experiência maravilhosa
durante este longo percurso, em que São Paulo
nos tocou através da sua história, de sua conver-
são e evangelização, de seus longos caminhos,
da sua força, humanidade e humildade. Por onde
passamos, vimos a beleza, o encanto e a grandio-
sidade de cada lugar, independente da crença
religiosa, pois tudo isto faz parte da história da hu-
manidade. Sentimos como foi gostoso vivenciar
o que o apóstolo São Paulo pregou e assim sair-
mos fortalecidas para ensinar um pouco de tudo
o que experimentamos. Toda esta viagem foi em-
preendida para nos manter atentas a este intenso
chamado que deve ser vivido aqui e agora.
Devemos também deixar nossas marcas de
amor por onde passarmos. “Precisamos de mais
‘Paulos’ na nossa igreja”. g

26 Morumbi julho 2009


Especial Inverno
Em julho as noites são mais frias,
dá vontade de ficar em um lugar
aconchegante em que se ouça o crepitar
das chamas da lareira ou tenha um
bom aquecedor. Na mesa, um delicioso
prato fumegante, acompanhado de
um bom vinho encorpado, é perfeito.
Como no inverno o organismo costuma
queimar mais calorias para manter o
corpo aquecido, as comidas tendem a ser
mais gordurosas, pois elas fornecem os
nutrientes necessários para enfrentar os
dias gelados. Uma feijoada, hummm!
Um creme de cebola ou uma fondue
de chocolate, de queijo ou carne,
huummmmmm!!! No Morumbi, não
faltam lugares gostosos para conhecer
ou para fazer “aquelas” compras e se
divertir em casa vendo um bom filme
no DVD. Divirta-se e aqueça-se com
nosso roteiro!
especial inverno
Seu inverno mais quentinho e
gostoso... Só no Bendito
O Bendito Bar saúda a estação mais fria do ano com seus já conheci-
dos quitutes e incrementa mais ainda seu cardápio com uma deliciosa
variedade de caldos e cremes: Caldos de feijão, verde e peixe com ca-
marão; Cremes de palmito, cebola, ervilha, aspargos e legumes; Canja;
Fondues apetitosas de carne, queijo e chocolate, e tábuas de queijos de
dar água na boca e uma selecionada carta de vinhos. Além, é claro, das
supertradicionais feijoada dos sábados e da bacalhoada e da paella dos
domingos, que também ajudam a esquentar o clima.
Tudo isso servido num espaço aconchegante, com aquecimento, que
conta também com um salão para eventos informais, com mesa de sinu-
ca. Com todas essas opções, o único espaço para o frio é do lado de fora.

Rua Dr. Fonseca Brasil, 289


Tel.: 3749-1066
De seg a sex das 16 h à 1 hora
Sáb, dom e fer das 12 à 1 hora
www.benditobar.com.br

28 Morumbi julho 2009


especial inverno
CHÁ DA TARDE supermercados Inverno no Morumbi
Casa da Fazenda do Morumbi Mambo - Av. Giovanni Gronchi, 2799
Av. Morumbi, 5594 – Tel.: 3742-2810 Tel.: 3507-3782 - mambo.com.br ADEGAS & EMPÓRIOS
casadafazenda.com.br
Diversas opções para curtir o inverno, Adega Bolinha............................................3721-9988
desde vinhos nacionais e importados Casa dos Arcos.............................................3749-1596
Primeira fazenda de chá preto de que até comidinhas e petiscos prontos
se teve notícia no Brasil, a sede da fa- Empório Viseu.............................................3773-7767
para consumo. Liquor Store................................................3507-6222
zenda hoje pertencente à Academia
Brasileira de Arte, Cultura e História Oba - Av. Dr. Guilherme Dumont Villares, 2100 Oba Empório.................................3745-4400
abriga em seus salões um amplo res- Veja anúncio na página 29
Tel.: 3745-4400 – grupooba.com.br
taurante e serve em seus jardins, de ter- Portal dos Vinhos........................................3498-5799
A unidade do Morumbi possui em
ça a sexta-feira, um delicioso buffet de
seu mezanino uma adega climatizada BARES & CHOPERIAS
chá da tarde, com grande variedade de
com cerca de 600 rótulos nacionais e Barbolla......................................................3722-0792
chás, bolos, pães, chocolates e sucos.
estrangeiros, ilhas de frios, rotisserie.
É necessário fazer reserva e somente
Tudo o que você precisa para tornar o Bendito Bar..................................3749-1066
para grupos acima de 40 pessoas. Veja anúncio na página 28
clima frio mais aconchegante.
Braugarten..................................................3744-7955
Fundação Maria Luísa e restaurantes Club Chalezinho..........................................3501-9322
Oscar Americano Era uma vez um Chalezinho...
Av. Morumbi, 4077 – Tel.: 3742-0077 BUFFET DE SOPAS
Rua Itapimirum, 11 – Tel.: 3501-9322
fundacaooscaramericano.org.br chalezinho.com Casablanca..................................................3743-5169
A fundação dispõe de um amplo e La Roma......................................................3772-6346
No Morumbi desde 2001, a casa, que já Le Champ....................................................3743-6013
aconchegante salão onde é servido tem 30 anos de idade, possui ambiente
um chá da tarde completo, das 11 às Portal do Padeiro . ......................................3744-6114
acolhedor e o carro-chefe da estação Sabor das Massas .......................................3501-2931
17h30 diariamente, à moda inglesa, são as deliciosas fondues, servidas num
com diversos tipos de pães e vários Sabor das Massas II.....................................3739-0056
aconchegante salão com lareira, além Villa Colmeia...............................................3771-3377
acompanhamentos, bolos, salgadi- de abrigar também o Club Chalezinho,
nhos, sucos e, claro, chá ou chocolate. É recomendável consultar os estabelecimentos
espaço mais despojado onde também
E se pode apreciar a vista dos jardins. sobre os horários do buffet.
se pode apreciar as delícias do inverno.
CAFETERIAS & CHÁ DA TARDE
Blenz...........................................................3501-6875
Casa da Fazenda do Morumbi......................3742-2810
Café Tostare.................................................3744-9300
Coffeeling....................................................3186-9674
Fundação Maria Luísa e Oscar Americano....3742-0077
Kopenhagen Market Place..........................3048-7004
Kopenhagen Portal ....................................3501-0846
Starbucks J. Saad.........................................2537-0369
Starbucks MorumbiShopping......................5181-2108
Vanilla Caffè................................................3743-6039
RESTAURANTES
Empório da Villa...........................3467-4068
Veja anúncio nesta página
Era uma vez um Chalezinho..........3501-9322
Veja anúncio na página 28
Casa da Fazenda do Morumbi......................3742-2810
Casuale.......................................................3744-9444
La Table.......................................................5181-4094
Maré Alta....................................................3721-6766
Vittoria........................................................3721-1124
SUPERMERCADOS
Carrefour Bairro...........................................3739-4419
Mambo........................................3507-3782
Veja anúncio na página 31
Oba..............................................3745-4400
Veja anúncio na página 29
Pão de Açúcar Jd. Sul...................................3744-5400
Pão de Açúcar Portal...................................3749-1437
Pão de Açúcar Real Parque..........................3758-5886

30 Morumbi julho 2009


em foco

Caminhada pela
reciclagem
Mais de 300 pessoas participaram no dia 7 de junho
da terceira edição da Caminhada pela Reciclagem
promovida pelo movimento Recicla Morumbi. A
atividade começou por volta das 9 horas da manhã
e percorreu ruas do bairro, num total de cinco quilô-
metros, com direito a dois “pit stop”: supermercado
Oba e estande da Camargo Corrêa, na rua Nelson
Gama de Oliveira. O evento contou com a partici-
pação de entidades e empresas parceiras do mo-
vimento, como Academia Gustavo Borges, Grupo
Pro-Security, Associação AMO Jardim Sul, Supporte
Engenharia, entre outras (fotos à esquerda).

Diário de um
Aquaman
O jornalista Paulo Maia,
também dono da Pizzaria
Mercatto, acaba de escre-
ver seu livro “Diário de um
Aquaman”, no qual relata
suas aventuras em alto-
Publicidade
mar ao atravessar o Canal da Mancha (44 km entre
a França e a Inglaterra), em 2007, e o Estreito de Gil-
bratar (22 km), que separa dois continentes, Europa
e África, em 2008. O livro é prefaciado pelo nadador
medalhista olímpico Gustavo Borges e será lançado
ainda em julho na Pizzaria Mercatto, vendido ao pre-
ço de R$ 25. A partir desta história, Paulo Maia pre-
tende dar palestras em empresas sobre superação,

privete
determinação e mudança de vida.

Tradição
alemã
A Lecka Doces trou-
xe diretamente da
Alemanha a tradi-
ção dos biscoitos natalinos e os adaptou às diver-
sas épocas festivas brasileiras. Além dessas delícias,
também produz bolos e doces variados para festas
de aniversário e casamento.
Lecka Doces R. Bruno Simoni, 52 – Pinheiros
Tel.: 3814-2920 / 8611-1598
leckadocesartesanais.ning.com

32 Morumbi julho 2009


Época de festas
No dia 6 de junho, três colégios do bairro promoveram suas
festas juninas, já tradicionais: Pentágono, Porto Seguro e Nossa
Senhora do Morumbi. Churrasco, quentão, doces, comidas e
danças típicas, quadrilhas e muita, muita animação fizeram parte
do roteiro de todas as escolas.
E no final de semana anterior, dia 30 de maio, a Scuola Italiana
Eugenio Montale promoveu seu “arraial”, que foi parte do
encerramento do ano letivo, que segue o calendário europeu.

Dez anos Em Harmonia


Com muita alegria e deliciosos quitutes, Luciana Lara recepcionou
amigos, alunos, pais e professores em comemoração aos dez anos
da escola de música Em Harmonia. A festa foi embalada ao som de
MPB e bossa nova, claro!

julho 2009 Morumbi 33


em foco

Oficina com excelência


Os irmãos Ricardo e Roberto Falco Amadeo coman-
dam a Oficina Brasil, franquia da loja de serviços auto-
motivos localizada no estacionamento do Carrefour da
Giovanni. A unidade do Morumbi é especializada em
serviços rápidos, perfeitos para serem feitos enquan-
to se faz as compras no supermercado, e oferece aos
clientes formas de pagamento diferenciadas, mão-de-
obra qualificada e horário de atendimento de domin-
S.C.A. na go a domingo.
OFICINA BRASIL
Casa Cor Av. Giovanni Gronchi, 5930 (Carrefour)
A grife gaúcha de mobiliário plane- Tel.: 3742-0725 – redeoficinabrasil.com.br
jado está presente na mostra deste
ano, que termina no dia 14 de ju-
lho, em dois ambientes exclusivos,
na Casa Hotel: “Suíte do Apresenta-
dor Amaury Jr”, criada por Brune-
te Fraccaroli, e “Suíte Lua de Mel”,
criada por Marco e Volmar Stancati.
A SCA comemorou o sucesso na mostra em coquetel promovido
para arquitetos e especificadores no dia 4 de junho no Restaurante
Bananeira (também presente na Casa Hotel).
Fotos: 1 Daniela Kono, Siomara Leite, Renata e Ronaldo Debski
2 Priscila Manfroi e Brunete Fraccaroli 3 Marcelo Perin e Luzia Coelho
De casa nova
S.C.A. MORUMBI – Av. Dr. Guilherme Dumont Villares, 2250 O atelier Belle Mosaique está de casa nova. No dia 6
Tel.: 3744-8080 – sca.com.br de junho, abriu seu novo espaço no Jardim Guedala,
onde continua ministrando os cursos de Mosaico, Pin-

Bate-papo sobre e-commerce tura Country e Découpage, Pintura em tecido, Marche-


taria e Patchwork. Além do atelier, as empresárias Lúcia
A administradora de empresas e especialista em comércio eletrô- Sanchez e Sônia Martucci abriram também, no mesmo
nico Lígia Dutra (esq.), idealizadora de encontros sobre Comér- endereço, a Belle Boutique, lugar bem charmoso, com
cio Eletrônico realizados todos os meses na Livraria Cultura do moda, acessórios e bolsas.
Shopping Market Place, promoveu no mês de junho mais um
encontro de sucesso. O bate-papo BELLE BOUTIQUE
começou com Diego Monteiro, Rua Dom Armando Lombardi, 514 – Tel.: 3773-4093
autor do blog People Based, que
falou sobre o tema “Inteligência
Coletiva” e como o estudo das re-
des sociais pode ajudar uma loja
vitual a obter melhores resultados.
Marcelo Vitorino (dir.), escritor do
divertidíssimo blog “Pergunte ao
Urso“, contou tudo sobre sua expe-
riência como empreendedor num
site de comércio eletrônico. Acom-
panhe na agenda os próximos
eventos (página 56). Saiba mais:
batepapoecommerce.com

34 Morumbi julho 2009


publieditorial

Reserva Especial
Com lançamento nacional marcado para
o dia 13 de julho, o Barolo, de O Boticário,
dentro da marca Reserva Especial, vem fazer
companhia ao perfume campeão de vendas,
Malbec (vinho malbec). A sua fragrância exalta
uma nova uva (nebbiolo) e um novo vinho
nobre, produzido na região de Piemonte,
Itália, criando um produto de alta expressão
e personalidade e que promete fazer tanto
sucesso quanto seu colega Malbec.

SERVIÇO O Boticário
Carrefour Tel.: 3742-1127 / Centro Empresarial Tel.: 3741-4526 / Extra João Dias Tel.: 5851-7908 / Jardim Sul Tel.: 3742-0975

julho 2009 Morumbi 35


em foco NOVIDADES NO BAIRRO

Racer One
Preocupada em oferecer o melhor em produtos e
equipamentos para motociclistas, a Racer One, em
sua loja recém-inaugurada, comercializa produtos
das marcas mais conceituadas no mercado, em
mais de 120 itens, desde macacões e jaquetas até
capacetes e botas. “Desta forma, buscamos oferecer
os melhores equipamentos e acessórios em um am-
biente confortável, com segurança e preços atraen-
tes”, diz Pedro Oliveira.

RACER ONE – Av. Giovanni Gronchi, 5180


Skill Doors Tel.: 2769-0700 – racerone.com.br

Desde maio no Morumbi, a Skill Doors faz móveis sob medida e


projetos planejados exclusivos, além de oferecer garantia de dez
anos. Rodrigo Zanata, proprietário da loja, aposta na experiência
de 15 anos da rede em oferecer os melhores produtos e serviços
aos clientes do bairro.

SKILL DOORS planejados exclusivos


Av. Dr. Guilherme Dumont Villares, 2340-A
Tel.: 3507-4198 – skilldoors.com.br

Au au Q Mia
Publicidade
No final de maio, os bichinhos do Morumbi ganha-
ram a segunda unidade da pet shop Au au Q Mia.
A primeira loja foi aberta há 12 anos no Extra Mo-
rumbi. A nova loja está no Panamby e conta com di-
versos produtos e serviços, como hotel, clínica e tra-
tamentos diversos, como cauterização, máscaras e
hidratação de pelos, terapias floral e ortomolecular.

Unidade Extra Morumbi


Av. das Naçaões Unidas, 16741 – Tel.: 3759-2232
Unidade Panamby
R. Dr. Chibata Miyakoshi, 100 – Tel.: 3758-3398

36 Morumbi julho 2009


Questão de
mérito
Pouco se falava em meritocracia Para os defensores da meritocracia, nas escolas é importante porque não há
na educação brasileira até mérito significa habilidade e inteligência. mais a possibilidade de não se compro-
Muitos países fazem grandes investi- meter com uma educação de qualidade.
o governo do Estado de São mentos para descobrir e estimular talen- Segundo ela, o bom professor deve ter
Paulo passar a utilizá-la a tos na formação de professores. Segundo atributos essenciais para o ensino, dentre
um estudo da consultoria McKinsey, os eles, preocupar-se com a aprendizagem
partir deste ano. Algumas dez melhores sistemas de educação do dos alunos, conhecer profundamente o
escolas particulares também já mundo são os que têm seleção mais rígi- conteúdo que ministra, saber trabalhar
adotam o conceito, outras são da dos professores. Só entram na escola com a diversidade cultural e gerir rela-
os melhores. A bonificação pelo desem- ções, lembrando que a escola deve res-
mais reticentes. A meritocracia penho pode aumentar o salário em até paldá-lo com um consistente programa
é uma forma de reconhecer o 40% de seu valor normal. de formação contínua e trabalhar com
Para a diretora pedagógica geral do coordenadores e diretores que sejam
desempenho de professores que Colégio Pentágono, Gracia Klein, a im- parceiros nesse crescimento.
formam alunos que tenham bons plantação do conceito da meritocracia Segundo o Índice de Desen-
resultados em testes acadêmicos.
Provavelmente, a palavra A implantação do conceito da
meritocracia surgiu pela meritocracia nas escolas é importante
primeira vez no livro “Rise of the porque não há mais a possibilidade de não se
comprometer com uma educação de qualidade.
Meritocracy”, de Michael Young
O bom professor deve ter atributos essenciais
(1958), cuja história tratava de para o ensino, dentre eles, preocupar-
uma sociedade na qual a posição se com a aprendizagem dos alunos.
social era determinada pelo QI
Gracia Klein, diretora pedagógica geral do Colégio Pentágono
e pelo esforço.
julho 2009 Morumbi 37
painel da educação
Se passar 10%, 10% a mais, com teto em
Atualmente estamos elaborando com a 20%. Isso equivale a 2,9 salários na forma
equipe um plano de cargos e salários de bônus.
compatível com o projeto pedagógico, O bônus é afetado pelas faltas dos
profissionais. Para receber o bônus os
mas até o momento não há diferenciação professores devem ter atuado, no míni-
de pagamento entre os professores. Os mo, em dois terços do ano. Ou seja, de-
incentivos são, geralmente, a participação vem ter participado da rede pelo menos
em congressos, viagens pedagógicas, 244 dias. Caso tenha havido faltas haverá
desconto proporcional no bônus.
cursos e outros mecanismos de Os professores das escolas estaduais
formação permanente. receberam no final de março o primei-
Sônia Maria Barreira, diretora pedagógica da Escola da Vila. ro bônus por desempenho, pago pela
primeira vez em razão dos resultados al-
cançados. No total, 195.504 profissionais
volvimento da Educação de São Paulo 12 salários mensais, ou seja, 2,4 salários receberam bônus, dos quais cerca de 160
(Idesp), as escolas estaduais que melho- mensais a mais. Se a escola atingiu 50% mil são professores que receberam até
raram o desempenho dos estudantes de sua meta, seus funcionários recebem R$ 12 mil. O governo do Estado inves-
agora têm seus funcionários bonificados. 50% do bônus – 1,2 salário mensal a mais. tirá R$ 590,6 milhões com a premiação
O pagamento cai na conta dos funcioná- Se a escola chegou a 10% da meta, seus por desempenho, o que representa au-
rios até o fim do mês. Será o equivalente funcionários recebem 10% do bônus. mento de 30,2% em relação ao bônus
a 14º, 15º e, em alguns casos, 16º salário. Os funcionários das escolas que supe- do ano passado (que não era pago por
A bonificação equivale à evolução raram as metas pré-estabelecidas rece- desempenho, mas por assiduidade).
da escola. Se as metas foram 100% al- bem também pelo resultado superior. As equipes das escolas (diretor,
cançadas, todos os funcionários da esco- Ao passar 20% do índice os funcionários professores-coordenadores, agentes de
la receberão o total do bônus: 20% dos têm acréscimo de 20% ao bônus total. organização escolar, agentes de ser-

38 Morumbi julho 2009


painel da educação
viço escolar, assistentes de administração
escolar, secretários) receberão de acordo
com a média das unidades. Dirigentes
de ensino e supervisores receberão pela
média das escolas na região.
No Colégio Pentágono há um pro-
cesso semestral de avaliação de profes-
sores em que entram itens de mérito
que analisam sua eficácia profissional.
Neste ano, os professores do Ensino Mé-
dio foram premiados pelos resultados
no Enem. “Embora haja ainda poucos
prêmios quantificáveis, a escola sem-
pre enaltece o mérito de ser um bom
professor nas ações cotidianas. Estamos
estudando um sistema de premiação
institucional. Esse estudo demanda uma
ponderação para os critérios quantificá-
veis do mérito”, enfatiza Gracia.
Segundo a diretora pedagógica da
Escola da Vila, Sonia Maria Barreira, em
relação aos professores a escola tem um
processo de avaliação profissional que
não considera apenas a formação do
professor, mas as suas competências pro-
fissionais, ou seja, a forma como conse-
guem utilizar o conhecimento para agir
na prática.
A Escola da Vila tem um Centro de
Formação responsável pela formação
permanente dos professores, e todos
são incentivados a participar. Aqueles
que conhecem melhor os princípios e a
metodologia do trabalho atuam como
formadores de professores de outras
escolas. “Atualmente estamos elaboran-
do com a equipe um plano de cargos
e salários compatível com o projeto pe-
dagógico, mas até o momento não há
diferenciação de pagamento entre os
professores. Os incentivos são, geralmen-
te, a participação em congressos, viagens
pedagógicas, cursos e outros mecanis-
mos de formação permanente”, diz Sônia.

O mérito na formação de alunos


No Colégio Pentágono, a meritocra-
cia vem sendo aplicada, formalmente, há
cinco anos. Em 2008, os melhores alunos
de cada série, em termos de rendimento
escolar, ganharam bolsa de estudo para
2009. O primeiro lugar ganhou 100%, o
segundo, 75% e o terceiro, 50%. A partir
do sexto ano, os melhores alunos de

40 Morumbi julho 2009


painel da educação
cada classe são convidados a tomarem
café-da-manhã na escola com os pais
para celebrar. Segundo Gracia Klein, esse
incentivo é fundamental para os alunos
que não têm as melhores notas, mas,
dentro de suas possibilidades, apresen-
tam um crescimento acadêmico e de ati-
tude de estudo. O colégio também envia
cartas aos pais parabenizando os alunos
que se sobressaem em notas e atitudes.
A meritocracia voltada para alunos,
no entanto, não é vista com os mesmos
olhos em todas as escolas. A diretora pe-
dagógica da Escola da Vila, Sonia Barreira,
vê na meritocracia um conceito muito
presente no mundo empresarial e não no
educacional, por isso não usa este critério
nas práticas educacionais. “Qual o aluno
não merece ou não tem mérito? Aquele
que não tira boas notas? Acho temeroso.
Para uns, parece natural que as escolas
se organizem em nichos de mercado: as
fortes, para os fortes, as fracas ou pouco
exigentes para os que não conseguem
responder às exigências daquelas. Para os
educadores isso não pode ser naturaliza-
do, pois sabemos que isso foi construído,
no mais das vezes, pelas próprias escolas.
A outra consequência conhecida é a fal-
ta de vínculo com o conhecimento. Não
é difícil entender como isso é construído:
depois de alguns anos, os alunos come-
çam a entender que mais importante do
que saber, é ter boas notas”, diz.
A meritocracia voltada para alunos
depende da linha educacional adotada
para a escola. Cabe aos pais averiguar
o sistema que considera melhor para a
educação do seu filho.

42 Morumbi julho 2009


por Lívio Giosa

Amizade e sociedade,
em negócios, é possível?
T
LÍVIO GIOSA é
presidente do CENAM em sido cada vez mais comum, principal- A sociedade entre amigos é mais comum do que
(Centro Nacional de mente entre jovens recém-formados, a inten- se pode imaginar. No entanto, é preciso ficar aten-
Modernização
Empresarial); ção de abrir o próprio negócio. to para que o sonho de trabalhar com um velho
vice-presidente da ADVB Esta tendência tem sido identificada pela qualifica- conhecido não se torne pesadelo.
(Associação dos
Dirigentes de Vendas e ção que o Brasil atingiu como 3º país com maior A sociedade entre amigos é como se fosse um
Marketing do Brasil); índice de empreendedorismo, segundo o GEM – casamento, mas com dinheiro. Se a parceria não
Coordenador Geral do
IRES (Instituto ADVB de Global Entrepremeur Monitor (2009). estiver sólida, se a empreitada der certo, o pensa-
Responsabilidade Além disto, nos bancos universitários cada vez mento será: por que preciso de um sócio? Agora,
Socioambiental) e
sócio-diretor da G,LM mais as disciplinas acadêmicas expõem estas inspi- caso dê errado, a culpa será do outro.
Assessoria Empresarial. rações e colocam os alunos numa dimensão pró- Por esta razão, é preciso conhecer realmente a pes-
ativa para esta direção empreendedora. soa com a qual se dividirá o empreendimento. Por
isto, analise os comportamentos desse amigo. Na
E aí nasce a pergunta: abrir um negócio
maioria das vezes, o lado pessoal se reflete no am-
próprio sozinho ou com outro(s) sócio(s)?
biente de trabalho.
Então, o dito popular entra em cena: “Amigos, ami- É necessário se perguntar se os amigos estão ap-
gos, negócios à parte”. Será verdade? tos a se tornarem sócios. Quais as minhas compe-

44 Morumbi julho 2009


CORPORATIVO

tências e as do meu colega? Como lidamos com pro-


blemas? E qual nível de confiança deposito nele? Estas
são só algumas das questões a serem pensadas antes
de decidir algo.
Passado este item, é hora de cada um deixar claro, desde
o princípio, quais expectativas tem em relação ao negócio.
Para que o negócio alcance o sucesso, o ideal é que os
sócios tenham habilidades profissionais complementa-
res e aí comprometendo-se formalmente com cada de-
cisão. Assim, as chances são maiores. Não adianta ter dois
sócios que vendam muito bem e ninguém que entenda
da produção, por exemplo.
Todavia, é positivo que as habilidades se complementem
desde que não haja conflito entre determinada área se
valorizando mais do que as demais.

A questão mais delicada numa


empresa, o investimento, tam-
bém pode ser alvo de atritos.
O mais recomendado é que
seja meio a meio. Caso contrá-
rio, um sócio acaba sendo mais
dono que o outro. Entretanto,
se por algum motivo, um dos
sócios investir mais na abertu-
ra da empresa, ambos terão de
combinar uma maneira para
que tenham poderes iguais no
comando do negócio, senão a
sociedade afunda antes mesmo
de começar e um passa a ser
chefe do outro.
Ainda no assunto dinheiro, ou-
tro ponto que merece cuidado é a maneira pela qual será
feita a administração financeira, pois o caixa da empresa
é da empresa, e não é o bolso dos sócios.
E aí vem o alerta máximo: o ingresso de familiares e agre-
gados é sempre motivo para dores de cabeça. Há que
se esclarecer entre sócios se irão permitir que familiares
trabalhem na empresa ou até mesmo se haverá espaço
para o palpite de cônjuges que, geralmente, só atrapa-
lham o desenvolvimento do trabalho.
Vencidas estas questões e diante de tais situações, o que
se espera é que haja desprendimento entre as partes,
capacidade de compreensão, ética no relacionamento,
conversas abertas e maduras e muito trabalho.
Aí a sociedade dá certo, os negócios dão certo e a
amizade estará preservada. Por muito tempo... E com
dinheiro no bolso. g

juLho 2009 Morumbi 45


por Rosa Richter cidadania

Virada Social:
mais serviços ao cidadão
Caro leitor, de”, afirmou Alexandrino. “Estou muito feliz”, ressaltou
Eliane, informando que ambos estão juntos há
Mais uma edição chegou, encaminho os últimos 16 anos e têm dois filhos.
acontecimentos da Virada Social. A inscrição para o casamento comunitá-
VIRADA SOCIAL: JORNADA DA CIDADANIA REA- rio foi apenas um dos serviços oferecidos nos dias
LIZA 7,2 MIL ATENDIMENTOS EM PARAISÓPOLIS 5 e 6 de junho da Jornada da Cidadania, que regis-
trou um balanço final de 7,2 mil atendimentos entre
emissão de documentos, palestras, orientações, en-
“Na vida não existem prêmios nem castigos, tre outros.
mas sim consequências.” Robert Green Ingersoll Realizada pelo Centro de Integração da Cida-
dania (CIC), da Secretaria de Estado da Justiça e De-
O porteiro Dinaldo Alexandrino e a dona-de-
fesa da Cidadania, a Jornada ofereceu à população
casa Eliane Rocha eram só sorrisos ao comparecer ao
emissão de carteira de trabalho, documento de iden-
CEU Paraisópolis no último dia 5 de junho. Eles apro-
tidade e 2ª via de certidões de nascimento, casamento
veitaram a Jornada da Cidadania, evento da Virada
e óbito, juizado itinerante, orientação jurídica e so-
Social, para dar o primeiro passo em direção à oficia-
cial, bate-papos sobre uso racional de água e riscos
lização de sua união, com a inscrição gratuita para o
de eletricidade, corte de cabelo, limpeza de pele e
casamento comunitário. “Já tínhamos a intenção de
esmaltagem, medição de peso e altura, orientação
casar e agora resolvemos aproveitar essa oportunida-
nutricional, exame oftalmológico, triagem e encami-
Publicidade
nhamento odontológico e acupuntura. Enquanto isso,
as crianças puderam se divertir com pintura de rosto,
torneio de xadrez, gincana educativa sobre trânsito, dis-
tribuição de pipoca e algodão-doce e curtas-metragens
sobre Direitos Humanos.
Durante os dois dias, 45 casais fizeram a inscrição
para o casamento comunitário. Este evento, outra ação
da Virada Social em Paraisópolis, será realizado em no-
vembro.
A empregada doméstica Ornelia Souza Rocha
compareceu à Jornada para tirar a segunda via da cer-
tidão de óbito de sua mãe e aprovou a iniciativa. “Foi
ótimo esse serviço ter sido trazido para perto de casa.
Fomos muito bem tratados e nem precisamos enfrentar
filas”.
Para conhecimento de todos comunico-lhes
a saída do Secretário de Desenvolvimento Dr. Rogério
Amatto e a posse da Secretaria do Desenvolvimento
à deputada Rita Passos. Com certeza as ações conti-
nuarão positivas e os resultados satisfatórios. g

Rosa Richter é pedagoga; presidente da Associação Cultural e de Cidadania do


Panamby; presidente da AMO Jardim Sul; conselheira e diretora de várias entidades na
área de desenvolvimento social. rosarichter@gmail.com

46 Morumbi juLHO 2009


por Paulo R. Amaral pensata

A COPA perto de casa

O
Morumbi é o maior estádio particular do na Praça Roberto Gomes Pedrosa está sendo co- Paulo
Brasil, sede do time mais vencedor do país gitada e o projeto prevê ainda ações nas áreas Roberto
Amaral
e um símbolo da força do futebol paulista de saneamento, hotelaria, saúde e educação. é morador do
no cenário nacional. Já fui a Olimpíadas e Pan-ame- As mudanças viárias na região já começaram Morumbi e
jornalista da
ricanos, e o clima que envolve eventos desse porte com a construção da Avenida Perimetral, que já Rede Globo de
costuma contagiar a população local. Pra quem está em andamento, e o plano mais ambicioso Televisão,
onde edita o
gosta de esporte, ter a Copa do mundo quase no da prefeitura é ligar a Avenida Roberto Marinho Jornal Hoje.
quintal é como um sonho. Mas não se pode aban- à Rodovia dos Imigrantes. Setores da sociedade
donar a realidade. Há problemas, e muitos, que pre- falam muito em acompanhar os gastos públicos
cisam de solução. Não falo nem do estádio, porque para a Copa, mas eu entendo que essa é uma
o São Paulo já cansou de provar a sua capacidade obrigação de todos os governantes em qualquer
de gerenciamento e há de encontrar soluções para tempo. O que deve ser fiscalizado é se a popu-
adequar o Cícero Pompeu de Toledo às exigências lação, realmente, vai lucrar com os investimen-
da FIFA. O que todos nós do Morumbi queremos tos, e isso sim deve ser o maior benefício de um
é que a Copa ajude na solução de antigos trans- grande evento internacional. Já aconteceu an-
tornos do bairro que ficam ainda mais evidentes tes em outros países e pode se repetir aqui sim.
em dias de jogos. Quem mora perto do estádio Neste nosso bairro em constante mutação, a
sofre com o abuso dos torcedores que deixam os Copa pode antecipar mudanças urbanas e so-
carros parados em qualquer lugar, com as brigas ciais que são necessárias. Se for para o benefício
no meio da rua, com o bloqueio do trânsito, com de todos, vamos torcer!  g
o transporte público precário e com a falta de se-
gurança na região. O caderno de encargos da FIFA
Publicidade
é rigoroso e exige a solução de todos esses pro-
blemas. Os governos estadual e municipal dizem
que vão marchar juntos para cumprir as exigências
e anunciam investimentos de R$ 32 bilhões em
obras de infraestrutura nos aeroportos, trens, me-
trô e na abertura de ruas. “Queremos fazer inves-
timentos que sejam permanentes, independente-
mente da Copa, para melhorar a vida das pessoas
que vivem aqui”, disse o prefeito Gilberto Kassab.

O Governo do Estado anunciou investimen-


tos no Rodoanel para desafogar o trânsito em
toda a cidade. E que a estação São Paulo-Mo-
rumbi do metrô deve ficar a 1.200 metros do
estádio. A construção de um estacionamento

julho 2009 Morumbi 47


julho 2009
vitrine
vitrine

Alimentos
funcionais:
funcionam?
Brócolis ajuda a prevenir
câncer de próstata?
Vinho tinto ajuda na
prevenção de doenças
cardiovasculares?
O consumo de peixes reduz os
níveis de colesterol?
Claro que os alimentos, por si só, não
fazem milagres, mas podem previnir, o
surgimento de alguns tipos de cânceres,
auxiliar no controle do diabetes, auxiliar
na redução dos níveis de colesterol ruim
e triglicérides, contribuindo com a quali-
dade de vida e longevidade. “É preciso,
portanto, manter uma dieta equilibra-
da: evitar o consumo de açúcar comum
e o excesso de gordura saturada. Assim
é recomendável incluir frutas e vegetais
e aumentar o consumo de produtos in-
tegrais além de praticar atividades

48 Morumbi julho 2009


vitrine
vitrine

julho 2009 Morumbi 49


vitrine

físicas com regularidade”, diz a nutricio-


nista Dra. Sandra Vieira de Olim.

De uns 30 anos para cá, a ciência vem


estudando as propriedades de diver-
sos alimentos que, além de atenderem
às necessidades nutricionais básicas,
podem apresentar algum benefício
fisiológico adicional, normalmente
determinado pela presença de compo-
nentes bioativos. Essas características
fazem com que esses alimentos sejam
denominados “alimentos funcionais”,
também conhecidos como nutracêu-
ticos, medical food, nutritional food,
biocêuticos, pharmafood, fitness food.

Alho e cebola: estimulam o sistema


imunológico, através da alicina, com-
batem os radicais livres e ajudam na
redução de colesterol e triglicérides.

Aveia: é um ótimo redutor dos níveis de


colesterol e ajuda a regular as funções
intestinais por conter alto teor de fibras.

Berinjela: seus compostos bioativos


são cinarina e o ácido caféico (estimu-
lam a produção de bile hepática), con-
trola os níveis de colesterol e triglicérides.
Tem sido usada no combate da angina,
infarto do miocárdio, acidente vascular
e algumas doenças renais e hepáticas.
Porém, não substitui o uso de medica-
mentos, pois seu efeito é discreto.

50 Morumbi julho 2009


vitrine

Chocolate amargo: rico em flavo-


noides. Possuem ação antioxidante,
que reduzem o risco de doenças car-
díacas. A quantidade recomendada é
20 g/dia, e por ser um alimento com
grande quantidade de gordura e açú-
car, convém observar o consumo em
caso de restrição calórica.

Iogurtes e leites fermentados:


contêm componentes bioativos,
que regulam a flora intestinal

Soja: este grão é rico em isoflavona,


substância que também ajuda a redu-
zir o teor de colesterol, e suas proprie-
dades também auxiliam na redução
dos sintomas da menopausa e riscos
de câncer de mama e osteoporose.

Suco de uva e vinho tinto: contêm


flavonoides, em especial o revasterol,
componente bioativo que diminui os
riscos de doenças cardiovasculares e
também de câncer. A quantidade que
se recomenda é uma taça por dia (300
ml). Para pessoas que fazem uso de me-
dicamentos, 200 ml de suco de uva po-
dem promover os mesmos benefícios.

Tomate: seu composto bioativo é o Li-


copeno, que reduz o risco de câncer de
próstata, previne o envelhecimento ce-
lular, é antiaterogênico e estimula o sis-
tema imunológico. O Licopeno é melhor
absorvido em molhos concentrados.

Estes são apenas alguns exemplos de


como os alimentos podem agir em
nosso organismo.
O ideal, mais uma vez, é ter uma die-
ta equilibrada e variada, se possível
elaborada por um nutricionista, que
contenha todos os grupos de alimen-

52 Morumbi julho 2009


vitrine

julho 2009 Morumbi 53


vitrine

tos em proporções corretas, e também


manter a saúde em dia, não deixando
de visitar seu médico, e nem de fazer
os exames de rotina.

SERVIÇO:
Dra. Sandra Vieira de Olim
Nutricionista – Tel.: 9994-7368
sandra.olim@uol.com.br

54 Morumbi julho 2009


vitrine

julho 2009 Morumbi 55


vitrine

Vai Acontecer
Livraria Cultura
Shopping Market Place
INFANTIL
14 de julho às 14h
Cineminha Clubinho Mais Cultura
Bolt – O Supercão
Palestra
18 de julho às 15h
Encontro Oficial Conselho Jedi
São Paulo – CJSP
Av. Chucri Zaidan, 902 – Tel.: 3048-7000
exposição / mostra
Palácio dos Bandeirantes
Até 26 de julho:
Mostra “Valdir Cruz – fotografias:
Sinfonia de um Viajante”
Até 2 de agosto:
Exposição “Vida após a Vida Testemunhos
da Passagem”
Av. Morumbi, 4.500 - Hor.: De ter a
dom das 10h às 17h (de hora em hora);
atendimento para grupos acima de 10
pessoas por agendamento prévio. Entrada
franca. Tel.: 2193-8282. acervo.sp.gov.br
INFANTIL
Colônia de Férias CNA
Diversas atividades gratuitas, voltadas
para crianças de 6 a 11 anos.
Minicurso de espanhol Actitud para
adolescentes de 11 a 13 anos.
De 27 a 31 de julho.
Av. Jorge João Saad, 560 – Tel.: 3501-9444
palestra
Bate-papo sobre e-commerce
No dia 18 de julho acontecerá um bate-
papo sobre e-commerce na Livraria Cultura

56 Morumbi julho 2009


vitrine

do Shopping Market Place. O diretor da


Ikeda, Alessandro Gil, empresa especialista
em e-commerce, versará sobre “Os maiores
desafios de varejistas tradicionais ao
lançar uma loja virtual”. Na segunda etapa
haverá uma conversa com Flavio Pripas,
sócio do byMK, maior rede social brasileira
de moda. Logo em seguida, a realização
de um bate-papo pretende ajudar quem
quer iniciar ou aperfeiçoar seu negócio na
internet. Para se inscrever, acessar o link
www.2day.com.br/bpse/inscricao e levar
um quilo de alimento não-perecível.
Serviço Shopping Market Place
Livraria Cultura
Das 10h30 às 15h
Av. Chucri Zaidan, 902 – Tel.: 3048-7000

promoção
Férias na Clínica Weiss
A criança ou adolescente que fizer um
trabalho artístico (desenho ou colagem)
incentivando a preservação do meio
ambiente e levar na Clínica Weiss ganha
um cupom para concorrer a um dia
com muitas atrações no Ski Mountain
Park, em São Roque. O prazo de entrega
dos desenhos é até 31 de julho, dia
em que acontece o sorteio. Consulte o
regulamento na clínica.
Clínica Weiss – R. Dr. Luiz Migliano, 1110
6º e 8º andares – Tel.: 3744-897. Até 31/07/09
ERRATA
Na edição 59 de Dolce, página 45, Painel da Educação,
o nome da psicóloga Suely Nogueira Dias e da
psicopedagoga Tania Regina Moura Bueno foram
grafados de forma incorreta.
Na matéria “Fazendo a cabeça do Morumbi”, edição 59,
página16, são os profissionais cabeleireiros do Studio
Morumbi que fazem cursos no Brasil e no exterior, não
as sócias-proprietárias.

julho 2009 Morumbi 57


FINAL FELIZ por Floriano Serra

Q
uem ama de verdade sabe que as coisas da vida per-
dem muito do seu sentido quando a pessoa amada
não está ao nosso lado. Porque quando a gente ama
de verdade, há um desejo sincero de compartilhar com o par-
ceiro os momentos de beleza e alegria, tudo aquilo que é belo,
gratificante, alegre – não é verdade?
- Ah, que pena que ele/ela não esteja aqui... – Este é um
pensamento muito comum dos amantes quando estão mo-
mentaneamente sós. Longe de mim achar que deva haver de-
pendência entre os parceiros. Nada disso. Por maior que seja o
amor, cada um deve manter sua individualidade, sua persona-
lidade e ter seus momentos particulares. O amor é construído
pela força da atração e pelo recíproco desejo de duas pessoas
com fortes afinidades, mas individualmente diferentes entre si.
Talvez iguais em essência, mas diferentes na forma. Na maior equivalentes, do tipo “se você quiser”...) funciona como um ver-
parte das vezes, é essa complementaridade que dá o tempero, dadeiro balde de água gelada em propostas cheias de boas
que promove a liga e responde pela química da relação. intenções amorosas. Mesmo que não seja essa a intenção,
O sentimento pela ausência do outro a que me referi na tais respostas demonstram indiferença, desinteresse, desâ-
introdução deste artigo, nada tem a ver, portanto, com depen- nimo, desmotivação, falta de cumplicidade – o que é grave,
dência, mas sim com o desejo de compartilhar com o outro porque no amor as coisas não funcionam unilateralmente.
aquilo que é belo, bom e prazeroso. Mesmo estando ocasio- No amor, para que tudo ocorra bem e haja magia no ar, é fun-
nalmente só, o parceiro saberá, poderá e deverá desfrutar os damental que os dois compartilhem dos mesmos sonhos e
momentos e contextos gratificantes – sem o menor sentimen- fantasias. Claro que se houver algum impedimento sério que
to de culpa. Apenas não terá o mesmo sabor que teria se a torne desaconselhável a realização da proposta, o outro parcei-
pessoa amada estivesse ao seu lado. Não teria a mesma inten- ro deverá primeiramente manifestar sua aprovação da ideia e
sidade, o mesmo significado, o mesmo prazer. Não há alterna- somente depois, se for o caso, deve calmamente argumentar
tiva: quando amamos de verdade, é como se existisse em cada eventuais inconveniências. A restrição pode estar num com-
parceiro uma visão quádrupla da vida, dois corações, duas promisso anteriormente assumido, pode estar na prioridade
mentes, duas almas, dois espíritos – reunidos num só amor. de gastar o dinheiro para resolver um problema de saúde, ou
pode ser uma enxaqueca (real...) na terceira proposta. Se o diá-
Usei toda essa introdução para demonstrar a importância logo for conduzido nestes termos, o casal pode até não realizar
do compartilhamento da vida a dois, quando o amor é bastan- a proposta inicial, mas certamente, juntos, encontrarão alterna-
te. E devido a essa importância, quero apontar neste artigo a tivas que agradarão a ambos.
inadequação e a desqualificação que alguns parceiros come- A harmonia nas relações humanas depende de muitos fato-
tem – acredito até que de maneira involuntária, inconsciente res, mas com certeza a qualidade da comunicação está nos pri-
ou mesmo querendo parecer gentil – quando usam certas meiros lugares no ranking de influên­cia. O poder da comunicação
expressões, diante de alguma proposta do outro: respostas do é tanto que às vezes nem precisa uma frase para estragar tudo,
tipo “Tanto faz...”, “Pode ser...”, “Você que sabe...” são frases que ex- basta uma palavra ou até mesmo um gesto silencioso. Por isso,
pressam absoluta indiferença à proposta do outro. Imagine só: é preciso atenção no que a boca ou o corpo fala.
- Hoje à noite tenho um compromisso fora. Mas posso As inconvenientes expressões “tanto Floriano Serra
Floriano Serra é
cancelar e irmos a um cinema. O que acha? faz...” “pode ser...” “você que sabe...” podem ser psicólogo, consultor,
- Tanto faz... substituídas, com imensas vantagens, por, por palestrante, autor
de vários livros e
- Estou pensando em juntar uma graninha para fazermos exemplo: “Topo! Legal! Feito! Ótima ideia! É inúmeros artigos sobre
uma nova lua-de-mel, desta vez em Paris... pra já! Eu estava justamente pensando nisso!” ohumano comportamento
e colunista da
- Pode ser... Agora, fico imaginando que resposta você, revista “Dolce”. E-mail:
- Vamos transar? leitor(a), me daria se eu lhe der a seguinte ideia: florianoserra@
somma4.com.br
- Você que sabe... que tal, ainda nesta semana, você fazer ao seu
Ilustração
Esses são exemplos de como uma dessas respostas (ou parceiro uma das três propostas acima? g Thais Narkevitz

58 Morumbi julho 2009