Você está na página 1de 6

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

FACULDADE DE BIBLIOTECONOMIA E COMUNICAÇÃO


DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO
CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA

PLANO DE ENSINO

CÓDIGO/DISCIPLINA
BIB 03052 – Seminário em Arquivologia II
PRÉ-REQUISITOS Jorge Eduardo Enriquez Vivar

ETAPA ACONSELHADA CRÉDITOS/CARGA HORÁRIA


02 Créditos / 30h
PERÍODO LETIVO HORÁRIO
2009/2 Turma U 3202
NATUREZA
Eletiva
SÚMULA
Conteúdo variável de caráter articulador, na perspectiva da relação teoria-prática; temas
emergentes propostos por professores e alunos em áreas de interesse da arquivologia.

1 OBJETIVOS

1.1 Geral

Oportunizar o conhecimento de estudos a respeito dos arquivos e sua


relação com os direitos humanos, visando proporcionar aos alunos
experiências de discussão e debate do fazer arquivístico, inserido numa
perspectiva de ação profissional permeado de consciência e critica social.
1.2 Específicos

− Propor a reflexão e o debate sobre a função social dos arquivos no


âmbito dos direitos humanos
− Oferecer aos discentes a possibilidade de relacionar-se com acervos de
organizações sociais de direitos humanos.
− Conhecer novas e diferenciadas metodologias na organização difusão e
descrição de arquivos de direitos humanos

2. COMPETÊNCI AS E H ABILID ADES

Conhecer o papel social dos diferentes acervos e arquivos de direitos


humanos na construção da memória, estabelecendo metodologias de
trabalho.

3. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

1 . Direitos, memória, verdade, e justiça


2 . Marco Jurídico
2.1 Tribunais internacionais
2.2 Casos emblemáticos
3 . Arquivos para os Direitos Humanos
3.1 Arquivos e Centros de Memória
3.2 Organização tratamento e preservação
3.3 Tipologias de arquivos e documentos
4. Organizações de Direitos Humanos
4.1 Organizações arquivísticas
5. O terrorismo de estado no Cone Sul

4 METODOLOGIA
Apresentação e debate de filmes relacionados com os arquivos e os Direitos
Humanos, palestras, leitura e interpretação de textos, debates, apresentação
de multimídia e materiais visuais.

5 CRONOGRAMA DE ATIVIDADES

Aulas Previstas para o Semestre

Agosto: 04, 11, 18, 25, 31


Setembro: 01, 08, 15, 22, 29
Outubro: 06, 13, 20, 27
Novembro: 03, 10, 17, 24,
Dezembro: 01, 07

6 EXPERIÊNCIAS DE APRENDIZAGEM

Atividades individuais, leituras com apontamentos e redação de texto,


seminários, debates, analise de discussão de documentais e filmes.

7 AVALIAÇÃO

O desempenho do aluno será acompanhado e avaliado mediante os


seguintes:

7.1 Procedimentos

- leitura e redação de textos;


- participação nas atividades em sala de aula;
- apresentação seminário
- avaliações individuais
7.2 Critérios

A- trabalhos excelentes: o aluno demonstra ter aprendido o conteúdo


ministrado; usa adequadamente o vocabulário da Área; aplica com propriedade
os padrões bibliográficos estudados; utiliza bibliografia atualizada e pertinente;
lógica, clara e concisa; evidencia conhecimento do referencial teórico; contribui
com a dinâmica do processo de ensino e de aprendizagem, através de
questionamentos, observações ou outra forma de participação.

B- trabalhos muito bons: o aluno demonstra ter aprendido o conteúdo


ministrado, mas ainda evidencia lacunas em seu conhecimento, manifestas por
meio de dúvidas ou incorreções em seu desempenho, em relação: ao uso do
vocabulário da Área; à aplicação dos padrões bibliográficos estudados; à
utilização da bibliografia atualizada e pertinente; ao conhecimento do
referencial teórico; contribui com a dinâmica do processo de ensino e de
aprendizagem, através de questionamentos, observações ou outra forma de
participação.

C- trabalhos regulares: o aluno demonstra ter aprendido, em parte, o conteúdo


ministrado; apresenta dúvidas e imprecisões conceituais e metodológicas;
pouco contribui com a dinâmica do processo de ensino e de aprendizagem,
através de questionamentos, observações ou outra forma de participação.

D- trabalhos e participação insuficientes: o aluno demonstra não ter aprendido


o conteúdo ministrado; apresenta muitas falhas conceituais e metodológicas;
não contribui com a dinâmica do processo de ensino e de aprendizagem,
através de questionamentos, observações ou outra forma de participação.

CONCEITOS OBJETIVOS ALCANÇADOS QUALIDADE DE ATINGIMENTO DOS


OBJETIVOS ALCANÇADOS
A PLENAMENTE, COM AVANÇOS EXCELENTE
B PLENAMENTE SUFICIENTE
C PARCIALMENTE SUFICIENTE
D MUITO PARCIALMENTE INSUFICIENTE

7.3 Atividades de Recuperação

A atividade de recuperação da avaliação parcial de conhecimentos será


realizada sempre que o conceito obtido pelo aluno for D. Essa prova ocorrerá fora
do horário regular das aulas, em data a ser definida em comum acordo entre a
professora e o aluno, não devendo ultrapassar três semanas após a divulgação do
resultado da referida avaliação. A atividade de recuperação da avaliação final de
conhecimentos será oferecida até setenta e duas horas após a divulgação do seu
resultado, em local e horário estabelecido de comum acordo entre a professora e
o aluno.
O conceito final, a ser atribuído ao aluno, levará em consideração, além das
avaliações parciais e final, os procedimentos relacionados em 7.1

8 BIBLIOGRAFIA

8.1 Básica Essencial


− ALBERCH, Fugueras Ramón. Archivos y derechos humanos. Gijón:
Ediciones Trea, S.L. 2005.
− GONZÁLEZ, Quintana Antonio. Políticas archivísticas para la defensa de
los Derechos Humanos. París: Consejo Internacional de Archivos, 2008
− GONZÁLEZ, Quintana Antonio. Archivos y Derechos Humanos, Madrid:
Anabad, vol XLIX, nº 3 – 4

8.2 Básica

− ALMEIDA CAMARGO, Ana Maria. Os arquivos da policía política como fonte.


Registro, 2002 pp. 7-13
− ALBERCH FUGUERAS Ramón, CRUZ MUNDET José Ramón. Archivese:
Los documentos del poder. El poder de los documentos, Madrid: Alianza,
2005
− ALBERCH I FUGUERAS, Ramon. Los archivos, entre la memoria histórica
y la sociedad del conocimiento. Barcelona: UOC, 2003. 221 p.
− DINGES, John. Operación condor : Una decada de terrorismo internacional
en el Cono Sur, Santiago de Chile : Ediciones B, 2004
− RICOEUR, Paul. La memoria, la historia, el olvido. Madrid: Trotta, 2003

− GONZÁLEZ QUINTANA, Antonio. Los archivos de la represión: balance y


perspectivas. Madrid: Comma, 1999