Você está na página 1de 73
Pregue a Palavra Seminário de Treinamento 2 Timóteo Nunca Desista do Evangelho MANUAL DO TREINADOR

Pregue a Palavra

Seminário de Treinamento

2 Timóteo

Nunca Desista do Evangelho

MANUAL DO TREINADOR

Pregue a Palavra Seminário de Treinamento 2 Timóteo Nunca Desista do Evangelho MANUAL DO TREINADOR
Pregue a Palavra Seminário de Treinamento 2 Timóteo Nunca Desista do Evangelho MANUAL DO TREINADOR

2

Bem Vindo!

Você tem em mãos o Manual de Estudo do Treinador da matéria “2 Timóteo” do Pregue a Palavra.

Este Manual foi escrito para ajudá-lo a se preparar antes de ensinar outros. Inclui:

instruções para cada seção;

explicações mais completas sobre os conceitos a serem ensinados;

sugestões para perguntas e respostas sobre cada passagem para você usar a fim de entender o que você deseja que os alunos aprendam.

A outra versão desta matéria é o Manual do Aluno. Ele tem menos material e mais es- paço para anotações. Você deve dá-lo aos alunos durante o Seminário para que possam fazer anotações. Talvez você queira também usar o mesmo como um esboço para en- sino, incluindo as suas anotações, e assim poder trabalhar com o mesmo documento e ter como referência os mesmos números em suas páginas.

Que o Senhor o abençoe, o desafie, e transforme o seu coração: ao estudar a Sua Palavra, ao ensinar outros como estudá-la e ensiná-la, e ao descobrir mais, sobre quem Ele é através deste estudo.

Gratidão:

À Sonya Gale pelo trabalho de Tradução deste Manual para a Língua Portuguesa

À Vera Lúcia Alves Farto Batista pelo trabalho de Revisão.

Aceitem a sincera gratidão da Equipe do Pregue a Palavra pelo precioso investimento de vocês em nossas vidas e ministérios.

Sumário

Mapear o Curso: Introdução e Visão Geral do Curso

 

5

1 Demonstrar – Pregando 2 Timóteo 1:6–12

 

8

1.1

Uma Palavra Final

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

9

2 Cavar/Descobrir – Fazendo Perguntas

 

10

2.1 Por que fazer perguntas?

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

10

2.2 Ver Nem Sempre É Observar

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

10

2.3 Como Fazer Perguntas

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

11

2.4 Pedir Que Deus O Transforme

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

15

2.5 Perguntas Aplicativas para serem levantadas enquanto você estuda a Palavra de

 
 

Deus

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

16

2.6 Uma Palavra Final

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

17

3 Fazer – 2 Timóteo 2:1–7

 

18

3.1 Itens para Discussão

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

18

3.2 Exemplos de Conclusão

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

19

3.3 Palavra Final:

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

19

4 Fazer – 2 Timóteo 2:8–13

 

20

4.1 Itens para Discussão

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

20

4.2 Exemplos de Conclusão

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

21

4.3 Palavra Final:

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

21

5 Lições Para Líderes de Grupos Pequenos

 

22

5.1 Remover

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

22

5.2 Cavando Fundo

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

22

5.3 Preparando-se para Liderar um Grupo de Discussão “Fazer”

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

23

5.4 Princípios Gerais para Liderar Grupos

 

24

5.5 Instruções Específicas para Sua Primeira Reunião

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

25

5.6 Uma Palavra Final

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

26

6 Cavar/Descobrir – Instruções p/ Viagem: Entender o Contexto

 

27

6.1 Cavando Profundamente

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

27

6.2 Instruções para a Viagem a 2 Timóteo

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

30

6.3 Uma Palavra Final

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

33

7 Cavar/Descobrir – Captando a Grande Ideia

 

34

7.1 O que A Grande Ideia Não É

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

34

7.2 A Grande Ideia

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

35

7.3 Sugestões para encontrar a Grande Ideia nas Passagens

 

37

7.4 Uma Palavra Final

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

39

 

3

4

SUMÁRIO

8 Fazer – 2 Timóteo 2:14–19

 

40

8.1 Itens para Discussão

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

40

8.2 Exemplos de Conclusão

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

41

8.3 Palavra Final:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

41

9 Fazer – 2 Timóteo 2:20–26

 

42

9.1 Itens para Discussão

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

42

9.2 Exemplos de Conclusão

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

43

9.3 Palavra Final:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

43

10 Cavar/Descobrir – Captando a Grande Ideia de Um Livro

 

44

10.1 O que é a Grande Ideia de um Livro?

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

44

10.2 Por Que é Importante Encontrar a Grande Ideia?

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

45

10.3 Como Encontramos a Grande Ideia de Um Livro?

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

45

10.4 A Grande Ideia de 2 Timóteo

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

46

10.5 Pensamentos para Revisão

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

49

10.6 Uma Palavra Final

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

50

11 Demonstrar – 2 Timóteo 4:1–8

 

51

11.1

Uma Palavra Final

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

52

12 Discussão – Refletindo sobre o Seminário

 

53

A Tarefas Prévias – 2 Timóteo

 

58

B Respostas Para Professores

60

C Avaliação do Professor

 

70

D Relatório do Encontro para Treinamento

 

71

Mapear o Curso Introdução e Visão Geral do Curso

Bem Vindo!

Damos-lhes um caloroso bem-vindos a esse seminário sobre exposição bíblica! A equipe de “Leadership Resources” tem orado para que Deus traga pastores e líderes fiéis para estudarem e serem treinados conosco para a glória de Jesus Cristo.

Você estará fazendo parte de centenas de pastores e líderes ao redor do mundo, que também participam desse treinamento chamado de TNT (Treinando Novos Treinadores)

Queremos dar uma ideia geral do que se espera alcançar com esses seminários. Chamamos esse panorama de Mapear o Curso. Se você fizer uma viagem, deve planejar aonde vai antes de começar a viagem. Igualmente, queremos dar-lhes o planejamento da nossa jornada juntos nesse tempo de treinamento.

Esse seminário tem como finalidade:

Estudar a Palavra de Deus;

Ensinar a Palavra de Deus de uma forma precisa e correta no poder do Espírito Santo;

Treinar outros como estudar e ensinar a Palavra de Deus.

O modelo para este tipo de treinamento vem da instrução de Paulo para Timóteo:

“E as palavras que me ouviu dizer na presença de muitas testemunhas, confie-as a homens fiéis que sejam também capazes de ensinar outros.” (2 Tm 2.2 NVI)

Estudaremos 2 Timóteo porque a mensagem da carta é especialmente encorajadora para pasto- res e líderes. Ao estudarmos essa carta, veremos o profundo cuidado de Paulo para com Timóteo e os desafios que os pastores enfrentavam na igreja de Éfeso. Juntos vamos explorar maneiras de aplicar as instruções de Paulo a Timóteo para os desafios que enfrentamos ao ministrar a Palavra de Deus.

Como funciona?

Pastores e líderes de igrejas vêm preparados para estudarem juntos uma parte significativa da Palavra de Deus durante vários dias intensivos de treinamento — aprendendo novas habilidades para o estudo da Bíblia, ouvindo sermões que pregam a Palavra de Deus com fidelidade, e tendo uma oportunidade para praticar o que tem aprendido, pregando sermões curtos e oferecendo avaliações e “feedback” uns aos outros. A motivação final é vir para conhecer a Deus melhor, ouvindo o que Ele tem para nos dizer através de Sua Palavra.

5

6

SEÇÃO 0. INTRODUÇÃO E VISÃO GERAL DO CURSO

Quais são as partes?

O Seminário é como um banquinho de três pernas. Cada perna é necessária para que o banqui-

nho possa ser usado. Da mesma forma, cada parte do Seminário é necessária para que seja útil e eficaz. O Seminário tem três seções que nos permite:

Demonstrar:

O propósito destas seções é exemplificar o ensino e a pregação expositivos. O ensino e a

pregação expositivos têm como alvo responder duas perguntas fundamentais:

1. Qual é o significado desta passagem para os ouvintes originais?

2. O que esta passagem significa para nós hoje?

Cavar/Descobrir:

O propósito desta seção é dar princípios da hermenêutica aos ouvintes e praticar a aplica-

ção dos mesmos para que os alunos sejam bem equipados para descobrir a mensagem da Bíblia e explicá-la claramente a outros.

Fazer:

O propósito desta seção é ajudar o aluno a ser um melhor pregador e professor expositivo

da Palavra de Deus dando a ele uma oportunidade para pregar e receber avaliações dos

outros alunos.

Antes do Seminário

1. Enviar as Tarefas Prévias aos participantes para que possam começar a estudar o livro de

2 Timóteo antes de chegarem ao Seminário. Uma cópia das Tarefas Prévias se encontra no Apêndice ao final deste Manual.

2. Criar um horário para o Seminário.

3. Designar passagens para as devocionais a alunos específicos do Pregue a Palavra.

Durante o Seminário

Para que você saiba o que esperar cada dia, uma programação será providenciada.

O Seminário será dividido em três partes: Demonstrar, Cavar/Descobrir, e Fazer. Poderíamos

ajudar pensando nestas três partes como sendo três pernas de um banquinho. Assim como cada

perna é de igual importância, assim cada parte do Seminário é igualmente importante.

1. Demonstrar: O professor irá demonstrar pregação expositiva pregando dois sermões ba- seados em textos de 2 Timóteo 1 e 4. A primeira mensagem será no começo do Seminário e a segunda mais perto do final.

2. Cavar/Descobrir: Você irá aprender ferramentas que irão ajudá-lo a cavar na Palavra de Deus e descobrir a sua mensagem para que você possa ensinar a Palavra de Deus de uma forma clara e ajudar outros a fazerem o mesmo.

3. Fazer: Você terá a oportunidade de fazer um curto sermão sobre um texto específico de

7

No Final do Seminário

No final do Seminário gostaríamos que fizesse o seguinte:

1. Preencher uma avaliação para que saibamos como melhorar os Seminários

2. Falar com um grupo sobre o Seminário e decidir sobre passos específicos que devem ser tomados para prosseguir com o programa Pregue a Palavra.

3. Mais tarde o professor irá dar mais informações sobre as tarefas deste Seminário.

Seção 1

Demonstrar Pregando 2 Timóteo 1:6–12

Visão Rápida

Pregação e ensinamento expositivos buscam a reposta para duas perguntas fundamentais:

O que esta passagem significava aos ouvintes originais?

À luz disto, o que esta passagem significa para nós hoje?

Alguém uma vez observou que a pregação expositiva tem a tendência de ser algo que “pegamos” (pela observação e convivência), mais do que algo que aprendemos (formalmente). Por isso o professor irá usar esta seção para demonstrar uma mensagem expositiva da Palavra de Deus.

Levar

Vamos observar como a exposição da Palavra de Deus é feita através dos dons únicos e da personalidade do pregador.

Anotações (Observe como as perguntas acima são respondidas e anote comentários ou perguntas)

8

1.1.

UMA PALAVRA FINAL

9

Anotações (continuação):

1.1 Uma Palavra Final

Timóteo estava começando a mostrar sinais de que se envergonhava tanto do evangelho como de Paulo (2 Timóteo 1:8). Paulo estava extremamente preocupado, que Timóteo deixasse que o medo o impedisse de usar o seu dom de pregar de uma forma completa. Paulo disse a Timóteo, “Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação.” (2 Timóteo 1:7)

Se você sentir medo de pregar o evangelho, lembre-se que Deus tem dado a você o poder do Cristo vivo. Ele tem derramado o seu infinito amor no seu coração através do Espírito Santo. Ele tem dado a você a capacidade para disciplinar a sua mente ao focalizá-la na verdade da Palavra de Deus.

Seção 2

Cavar/Descobrir Fazendo Perguntas

Visão Rápida

Esta seção irá demonstrar a importância de fazer perguntas ao estudar a Palavra de Deus

Levar

Iremos aprender como fazer boas perguntas sobre qualquer texto bíblico para que possamos ouvir o que Deus está dizendo através do autor e suas circunstâncias.

2.1 Por que fazer perguntas?

Perguntas são ferramentas que nos ajudam a descobrir o que a Palavra de Deus diz, o que quer dizer e as implicações para as nossas vidas. Os melhores observadores da Palavra de Deus têm se aperfeiçoado na arte de fazer perguntas. Fazer boas perguntas é uma das coisas mais importantes que fazemos quando estudamos a Palavra de Deus.

Fazemos perguntas não somente para obter informações, mas porque queremos conhecer a Deus melhor, amá-lo melhor, e nos conformarmos à imagem do Seu Filho. Fazer perguntas é a chave para entender e comunicar a Palavra de Deus a fim de que vidas sejam transformadas e Deus glorificado.

2.2 Ver Nem Sempre É Observar

Cada vez que abrimos as nossas Bíblias, vemos palavras que temos visto muitas vezes antes. Ao estudarmos a Palavra de Deus queremos não somente ver palavras, mas observá-las cuidadosa- mente. Assim poderemos entender e ensinar melhor o que Deus está dizendo através de Sua palavra. Como podemos fazer isto? Fazendo perguntas!

Um famoso detetive da literatura inglesa, Sherlock Holmes, era um perito na observação dos elementos da cena do crime. O que o fazia tão extraordinário era a sua capacidade de fazer as perguntas certas. O que os outros somente viam, Holmes observava porque fazia perguntas.

Vemos a seguir um exemplo de como Holmes treinou o seu amigo e sócio, Dr. Watson, a ser mais observador.

Holmes: Você vê, mas você não observa. Por exemplo, você tem muitas vezes visto os degraus que sobem do corredor para esta sala.

10

2.3.

COMO FAZER PERGUNTAS

11

Watson: Muitas vezes.

Holmes: Quantas vezes?

Watson: Bem, centenas de vezes.

Holmes: Então me diga, quantos degraus são?

Watson: Quantos? Eu não sei.

Holmes: Exatamente! Você não tem observado. Mas você tem visto. É isto que quero dizer. Agora, eu sei que há dezessete degraus porque eu tenho visto e observado.

2.3 Como Fazer Perguntas

Todos nós sabemos como fazer perguntas. Fazemos isto todos os dias. Para sermos melhores professores da Palavra de Deus, queremos aprender a fazer boas perguntas. Isto exige tempo e prática.

Imagine que você é um detetive. Estude a Bíblia com as habilidades de observação de um investigador que cuidadosamente questiona cada detalhe para descobrir o que foi dito. Ao observar o texto através de perguntas, você será encorajado ao ver os detalhes se encaixando e enriquecendo o seu entendimento da Palavra de Deus.

A arte de fazer perguntas começa com o óbvio. Comece com as seis perguntas básicas da obser-

vação.

Quem?

O que?

Quando?

Onde?

Por quê?

Como?

Vamos agora separar um tempo para praticar como fazer perguntas usando 2 Timóteo. Segue um exemplo de perguntas para te ajudar a começar: Quem é o autor de Timóteo? Onde o seu nome se encontra? O que você aprende sobre ele aqui? Por que ele estava escrevendo?

Quem é o autor de 2 Timóteo?

Onde o seu nome se encontra?

O que você aprende sobre ele aqui?

Por que ele estava escrevendo?

12

SEÇÃO 2. CAVAR/DESCOBRIR – FAZENDO PERGUNTAS

A arte de fazer perguntas é moldada pela busca do saber. O quanto você se importa sobre alguma questão faz toda a diferença em como você faz perguntas. Se você realmente se importa, você irá atrás da questão até o fim.

Agora vamos olhar para três qualidades essenciais que nos ajudam a fazer boas perguntas:

Curiosidade, Discernimento, e Perseverança.

Curiosidade

As crianças têm uma curiosidade natural porque elas estão vendo as coisas pela primeira vez. Tudo é novidade para elas e por isso fazem muitas perguntas para saber e compreender.

Depois que um pastor retornou de uma viagem para o Alaska, a sua filha tinha muitas perguntas para ele. “Papai, quem vive lá? Como que eles vivem num lugar tão gelado? Por que moram lá? Que língua eles falam?”

Precisamos estudar a Palavra de Deus com a curiosidade de uma criança. Olhe para o texto como se tivesse o vendo pela primeira vez. E nunca pare de fazer perguntas.

Vamos usar a nossa curiosidade para nos aprofundar um pouco mais em 2 Timóteo fazendo estas perguntas sobre o capítulo 1:1–8:

O que você aprende nestes versículos sobre Paulo e Timóteo?

Como você descreveria o seu relacionamento?

Quais preocupações Paulo tinha ao escrever esta carta?

Como esses versículos moldam a mensagem da carta como um todo? Em outras palavras, o que é introduzido pela primeira vez aqui e que depois é expandido no restante do livro?

Queremos fazer perguntas com a curiosidade de uma criança, mas, às crianças, muitas ve- zes faltam a maturidade de fazer perguntas com discernimento. Junto com a curiosidade, queremos ter discernimento em como fazermos perguntas.

2.3.

COMO FAZER PERGUNTAS

13

Discernimento

Perguntas com discernimento sondam o texto de uma forma mais profunda através de questões que buscam saber o significado do texto. Ao progredirmos na arte de fazer perguntas, faremos perguntas que vão além das respostas óbvias.

Este processo é semelhante ao aprendiz que se torna um artista ou um artesão habilidoso. Um artista principiante pode usar uma fórmula básica para misturar as suas cores e pintar uma paisagem. Mas ao se tornar mais habilidoso, ele combina cores com um olhar de discernimento que vê a riqueza e a profundeza das cores nas árvores e no céu.

Da mesma forma, quando aprendemos a estudar a Bíblia começamos talvez como um aprendiz que faz perguntas básicas com respostas óbvias. Mas ao nos tornarmos mais experientes, nos afastamos das fórmulas e moldamos as nossas perguntas para que elas possam tirar o significado do texto e nos mostrar o que Deus está dizendo. Assim crescemos no nosso entendimento da riqueza e da profundeza da Sua Palavra e nos tornamos um artesão ou “obreiro” habilidoso (2 Timóteo 2:15). E mais importante, queremos pedir a Deus que nos dê a sua sabedoria para fazer perguntas com discernimento para que conheçamos o seu coração.

Pense em como as perguntas seguintes são diferentes das perguntas de curiosidade:

Qual é o tom ou o sentimento geral da carta?

Por que Paulo tem um senso de urgência? De angústia?

O que aprendemos sobre os “últimos dias” nesta carta?

Qual é a expectativa de Paulo quanto ao futuro? Como que este futuro molda o presente? Veja também 1:1, 4; 4:4–8, 9.

14

SEÇÃO 2. CAVAR/DESCOBRIR – FAZENDO PERGUNTAS

Perguntas Essenciais para Qualquer Texto da Bíblia:

1. O que o autor diz?

2. Como que ele o diz? Por que ele o diz assim? Por que aqui?

3. Como que os receptores da carta teriam ouvido isto?

4. O que é surpreendente sobre isto?

5. O que está dizendo como um todo?

6. Como que aponta para Cristo ou fala dele?

7. E daí? O que está dizendo para nós hoje?

Um aprendiz deve trabalhar diligentemente para se tornar um artesão habilidoso. Desenvolver nossa habilidade na arte de fazer perguntas sobre um texto Bíblico também requer diligência.

Perseverança

Além de termos curiosidade e discernimento, queremos também perseverar em fazer perguntas.

Um pastor comparou a perseverança no estudo Bíblico com colher frutos de uma árvore: Pri- meiro, sacode toda a árvore para que o fruto mais maduro caia. Depois sobe na árvore e sacode cada galho grande e depois cada galho pequeno. Finalmente, procura debaixo de cada folha. É este tipo de perseverança que temos que ter quando fazemos perguntas a um texto.

Faça perguntas por que você tem que saber. Não se contente com menos. Persista em conhecer a Deus através de Sua palavra. Seja perseverante e determinado. Nunca desista! Continue trabalhando para entender a verdade eterna de Deus. Como Paulo disse para Timóteo:

“Procura apresentar-te a Deus, aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra de verdade.” (2 Timóteo 2:15)

Separe um tempo para escrever uma oração no espaço abaixo. Peça que Deus dê a você uma

paixão renovada para conhecê-lo através de Sua palavra e para ser fiel no estudo e no ensino de

sua preciosa verdade.

reavives o dom de Deus, que há em

” (2 Timóteo 1:6).

Formulamos perguntas com a curiosidade de uma criança para nos ajudar a ver o que o texto diz. Também perseveramos formulando perguntas que nos ajudam a entender o que o texto significa pelo que diz. Depois, passamos para o próximo passo de aplicar a Palavra de Deus para que Ele possa mudar tanto a nós como as pessoas para quem pregamos.

2.4.

PEDIR QUE DEUS O TRANSFORME

15

2.4 Pedir Que Deus O Transforme

Quando formulamos perguntas sobre as Escrituras, devemos fazê-lo com o entendimento de que Deus quer nos mudar. Não podemos pedir para Deus transformar as pessoas para quem pregamos, sem primeiro pedir que Ele nos transforme. Queremos ser mais e mais parecidos com nosso Salvador Jesus que deu Sua vida por nós. Quando Deus toma posse do nosso coração com a verdade da Sua Palavra e traz a mudança que precisamos, Ele é glorificado em nós.

Enquanto você pensa mais sobre essa questão de fazer perguntas sobre o texto, observe como as perguntas que seguem são formuladas. Essas perguntas são feitas para ajudá-lo a extrair do texto aplicação pessoal. Vamos notar agora como a Palavra de Deus pode tomar posse do nosso coração e trazer mudança, olhando para 2 Timóteo 3:14–17.

Quem é o “homem de Deus” neste contexto? Como você sabe?

Quais verdades sobre as Escrituras Paulo diz serem essenciais para seu trabalho?

Quais as áreas de fraqueza pessoal, limitações ou deficiências que você sente em seu traba- lho como pastor? Em qual (quais) área(s) de ministério pessoal você se sente inadequado ou não-preparado?

Como que essas verdades sobre a Palavra de Deus (16–17) equipam a você para cumprir seu ministério?

16

SEÇÃO 2. CAVAR/DESCOBRIR – FAZENDO PERGUNTAS

2.5 Perguntas Aplicativas para serem levantadas enquanto você es- tuda a Palavra de Deus

Essas perguntas são incluídas para ajudá-lo a aplicar a Palavra de Deus enquanto você estuda para que Ele transforme tanto a você como as pessoas que ouvem seu ensino:

Como eu tenho adquirido uma compreensão maior de Deus, Sua vontade, ou Seus cami- nhos no mundo que possa fortalecer meu andar com Ele? Como tudo isso deve mudar a maneira pela qual encaro minhas circunstâncias e conduzo minha vida?

Existe uma verdade, uma promessa nesta passagem em que preciso confiar mais? Caso sim, qual a promessa específica, e como se aplica à minha vida?

Há um desafio à maneira pela qual penso, ou à maneira como vivo minha vida? Caso sim, qual?

Esse texto me convenceu de algum pecado que preciso confessar e abandonar? Mostrou- me erros que preciso evitar?

Essa passagem me deu uma compreensão melhor da salvação que Deus oferece em Cristo? Existe algo pelo qual devo agradecê-lO? A verdade desta passagem me leva a uma adora- ção maior e melhor dEle?

À luz dessas perguntas, agora considere:

Como tudo isso pode ajudar a igreja a ser mais parecida com Cristo?

Como tudo isso pode ajudar a sermos uma comunidade de irmãos mais cuidadosos uns dos outros?

Como tudo isso pode ajudar a darmos um testemunho mais poderoso ao mundo?

Como tudo isso pode ajudar a sermos mais bem preparados para servir uns aos outros?

Como tudo isso pode aumentar o amor por Deus e uns pelos outros?

Como tudo isso pode nos ajudar a sermos mais santos?

Enquanto aplicamos às Escrituras a nossas vidas, Deus inevitavelmente usa Sua Palavra para nos transformar. Peça a Deus: “O que o Senhor quer mudar em minha vida?” Anote o que Ele mostra em 2 Timóteo. (Talvez queira usar o que descobrir como material ilustrativo quando você ensinar esse material mais tarde para outros).

2.6.

UMA PALAVRA FINAL

17

Anotações:

2.6 Uma Palavra Final

Trabalhamos nesta seção sobre como formular perguntas a respeito do texto bíblico. Deus está equipando-o não somente para formular perguntas enquanto estuda a Bíblia, mas também para responder perguntas que pessoas têm sobre Deus, a Bíblia, e a vida. As pessoas que encontramos talvez perguntem, “Será que existe um Deus? Posso conhecê-lO? Do que se trata a Bíblia? Como posso crescer como crente? O que Ele quer que eu faça?”

Você mora no lugar em que mora, porque Deus o colocou justamente naquele lugar como Seu mensageiro, enviado para pessoas com a verdade transformadora encontrada na Palavra de Deus.

“Ora, o Deus da paz, que tornou a trazer dentre os mortos a Jesus, nosso Senhor, o grande Pastor das ovelhas, pelo sangue da eterna aliança, vos aperfeiçoe em todo bem, para cumprirdes a sua vontade, operando em vós o que é agradável diante dele, por Jesus Cristo, a quem seja a glória para todo o sempre. Amém.” (Hebreus

Seção 3

Fazer 2 Timóteo 2:1–7

Visão Rápida

Esta seção irá nos ajudar a sermos melhores professores da Palavra de Deus através da exposição prática. Cada participante que tenha preparado esta passagem irá explicar, em uma versão curta, como pregá-la. Os outros oferecerão uma ajuda com base na discussão dos itens abaixo.

Levar

Nós iremos aperfeiçoar nossas habilidades através da preparação, exposição e discussão do texto, e ajuda dos outros participantes.

3.1 Itens para Discussão

Enquanto você escuta, faça anotações de como cada participante apresenta:

Como que o pregador expressou a Grande Ideia do texto?

Quais são os pontos principais da passagem (a estrutura)?

Como que o pregador explicou como esta passagem se encaixa na mensagem do livro como um todo (o contexto literário)?

Como que a passagem aponta o ouvinte para Cristo (teologia Bíblica)?

O que a passagem tem a dizer para nós sobre as nossas vidas (o alvo/aplicação)?

Anotações:

18

3.2.

EXEMPLOS DE CONCLUSÃO

19

Anotações (continuação):

3.2 Exemplos de Conclusão

Tema: Paulo dá a Timóteo 4 fundamentais exortações para o progresso e firmeza do seu minis- tério. Ou — Quatro exortações para um ministério fiel.

Estrutura: 2:1–3 (3 exortações); 2:4–6 (3 ilustrações); 2:7 (exortação final).

Contexto: Depois de Paulo exortar Timóteo para “reavivar o dom de Deus” que estava nele e também para “guardar o bom depósito” de seu ministério, Paulo agora começa dar algumas exortações práticas de como Timóteo deveria encarar seu ministério em Éfeso.

Aplicação: Entender e englobar as 4 exortações de Paulo para nosso próprio ministério. Enten- der como estas exortações podem ajudar o pastor — que está desmotivado e desencorajado, ou enfrentando uma oposição na sua igreja ou do mundo de fora da igreja, a continuar sendo fiel ao seu chamado.

Pergunta: O que deveria o pastor fazer, e como a igreja pode ajudá-lo para garantir o progresso de seu ministério em sua igreja?

Versículo chave: 2 Tm 2:1–3, 7.

3.3 Palavra Final:

Algumas vezes nos sentimos temerosos quando pregamos e nos preocupamos com o que as pessoas estão pensando a nosso respeito. Lembre-se que você está falando a mensagem de Deus. Ele é sua audiência principal. O que realmente importa é se Ele está satisfeito em como você está anunciando Sua Palavra. Se Deus é glorificado, então você foi bem sucedido.

“Minha mensagem e minha pregação, não foram palavras sábias ou persuasivas, mas com muita demonstração do poder do Espírito, para que sua fé não se apóie em sabedoria humana, mas no poder de Deus.” (1 Co 2:4–5)

Seção 4

Fazer 2 Timóteo 2:8–13

Visão Rápida

Esta seção irá nos ajudar a sermos melhores professores da Palavra de Deus através da exposição prática. Cada participante que tenha preparado esta passagem irá explicar, em uma versão curta, como pregá-la. Os outros oferecerão uma ajuda com base na discussão dos itens abaixo.

Levar

Nós iremos aperfeiçoar nossas habilidades através da preparação, exposição e discussão do texto, e ajuda dos outros participantes.

4.1 Itens para Discussão

Enquanto você escuta, faça anotações de como cada participante apresenta:

Como que o pregador expressou a Grande Ideia do texto?

Quais são os pontos principais da passagem (a estrutura)?

Como que o pregador explicou como esta passagem se encaixa na mensagem do livro como um todo (o contexto literário)?

Como que a passagem aponta o ouvinte para Cristo (teologia Bíblica)?

O que a passagem tem a dizer para nós sobre as nossas vidas (o alvo/aplicação)?

Anotações:

20

4.2.

EXEMPLOS DE CONCLUSÃO

21

Anotações (continuação):

4.2 Exemplos de Conclusão

Tema: Deus sempre é fiel em cumprir Sua Palavra.

Estrutura: 2:8 (Deus cumprirá fielmente Sua Palavra através de Jesus); 2:9–10 (Deus estava cumprindo fielmente Sua Palavra através de Paulo); 2:11–13 (Deus cumprirá fielmente Sua Palavra através de nós).

Contexto: Tendo Timóteo quatro exortações essenciais para fidelidade no ministério do evan- gelho, Paulo agora lembra Timóteo da fidelidade de Deus ao cumprir Sua Palavra — através de Cristo, de Paulo e de nós.

Alvo (Aplicação): Compreender e confiar na imensa verdade da fidelidade de Deus — especi- almente quando se refere ao cumprimento de Sua Palavra através do evangelho de Jesus Cristo.

Pergunta: O que um pastor deve fazer, e como sua Igreja pode auxiliá-lo para garantir o pro- gresso e perseverança no ministério do evangelho?

Versículo chave: 2 Timóteo 2:8,13.

4.3 Palavra Final:

” (2 Timóteo

2:8). A ressurreição de Jesus é a fonte da nossa esperança porque “se Cristo não ressuscitou,

inútil é a fé que vocês têm, e ainda estão em seus pecados” (1 Coríntios 15:17).

Através de Paulo, Deus diz “lembre-se de Jesus Cristo, ressuscitado dos

Ouça as palavras que Pedro escreveu, “Bendito seja o Deus e Pai do nosso Senhor Jesus Cristo! Conforme a sua grande misericórdia, ele nos regenerou para uma esperança viva, por meio da ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos” (1 Pedro 1:3). Você tem uma esperança viva e certa porque Jesus está vivo. Continue pregando a mensagem da esperança em Cristo!

Seção 5

Lições Para Líderes de Grupos Pequenos Instruções para Liderar uma Sessão de Pregação — “Fazer”

Visão Rápida

Nessa seção vamos aprender como desenvolver a habilidade de liderar um grupo de discussão para uma sessão “Fazer” que encorajará e desafiará os apresentadores a se tornarem melho- res pregadores. Liderar uma sessão “Fazer” envolve ouvir, responder, encorajar, direcionar e entendimento profundo da passagem.

5.1 Remover

Vamos falar sobre os princípios por trás das sessões de pregação “Fazer” no grupo pequeno como também sobre os passos práticos para ajudar-nos a sermos líderes de discussão efetivos. Conforme ganharmos confiança ao liderarmos um grupo, experimentaremos a alegria de ser um facilitador efetivo e de desenvolver outros que podem liderar também.

5.2 Cavando Fundo

Certo pastor era conhecido por sua habilidade de encorajar as pessoas profundamente. Um dia, alguém lhe perguntou, “Pastor, como que você consegue encorajar tão bem as pessoas?” Ele respondeu, “Eu imagino as pessoas com uma coroa acima de suas cabeças, e eu as ajudo a crescer para caber nela.”

Que maneira fantástica de enxergar as pessoas e encorajá-las! Essa ideia está bem alinhada com nosso propósito.

Nosso Propósito

O propósito da sessão “Fazer” é de ajudar e encorajar os participantes a se tornarem pregadores da Palavra de Deus mais capazes e confiantes através de preparar, apresentar, ouvir e discutir a mensagem.

Nossa Forma de Agir

Nossa forma de agir é como a de Paulo, que disse, “sentindo, assim, tanta afeição por vocês, decidimos dar-lhes não somente o evangelho de Deus, mas também a nossa própria vida, porque vocês se tornaram muito amados por nós.” (1 Tessalonicenses 2:8).

22

5.3.

PREPARANDO-SE PARA LIDERAR UM GRUPO DE DISCUSSÃO “FAZER”

23

Para nós, liderar uma sessão “Fazer” é parte do processo de mentorear. Isso envolve prática, avaliação, interação e direção dos participantes em grupos pequenos. Enquanto esse Seminário é de tempo limitado, queremos incentivá-lo a desenvolver um relacionamento próximo com os outros participantes que vá além desse Seminário.

Nosso desejo, como de Paulo, é de não só passar informação, mas demonstrar amor com humil- dade e um coração sincero. Na primeira carta de Paulo a Timóteo, escreveu, “O objetivo desta instrução é o amor que procede de um coração puro e de uma fé sincera” (1 Timóteo 1:5).

Nossas Convicções

O que nos impulsiona a querermos ajudar pastores, a se tornarem melhores pregadores e pro- fessores da Palavra de Deus? Aqui estão algumas convicções básicas:

Deus tem falado. Desde o princípio Ele tem falado através de Sua Palavra, no fim do dia Sua voz precisa ser ouvida. (Gn 1:1; Salmo 33:9)

Está escrito. Deus colocou Suas palavras em escrita. Ele agiu através de homens ao longo do tempo para preservar Suas palavras para todo sempre. (Mateus 4:4; 2 Timóteo 3:16)

Pregue a Palavra. Este é o mandamento de Deus. Pastores fiéis a ela evitam ensinamentos destrutivos e fortalecem aqueles que pastoreiam para produzirem muito fruto. (2 Timóteo

4:2)

Fale através do Ouvir. A única maneira de pregar fielmente a Palavra de Deus é primeiro ouvir o que ela de fato está dizendo para então guardar no coração e colocar em prática. (1 Tessalonicenses 2:13; Tiago 1:25)

O Que é Necessário para Liderar?

Um coração para Deus (Deuteronômio 6:4–9; Marcos 7:1–13)

Um coração para a Palavra de Deus (Deuteronômio 8:3; Mateus 4:4)

Um coração pelos pastores de Deus e pelo povo de Deus (Ezequiel 34; Marcos 6:34)

5.3 Preparando-se para Liderar um Grupo de Discussão “Fazer”

1. Prepare. A preparação é muito importante. Não presuma que uma vez que os outros estão pregando, seu trabalho será fácil.

2. Conheça bem as passagens. Se você vai ajudar os outros a se tornarem melhores ouvintes da Palavra de Deus, você mesmo vai precisar de um bom conhecimento das passagens. Siga o mesmo processo de preparação que é esperado de cada participante.

24

SEÇÃO 5. LIÇÕES PARA LÍDERES DE GRUPOS PEQUENOS

4. Procure por oportunidades para incluir outras lições previamente aprendidas como linha, texto e estrutura, etc. Um breve lembrete sobre estes princípios ajudará a reforçar o que já foi ensinado.

5. Ore, ore, ore. Nós, assim como cada participante, precisamos da graça de Deus. Peça a Deus para abrir seus olhos e os olhos de cada participante para enxergar a Palavra de Deus de um jeito novo. “Abre meus olhos para que eu veja as maravilhas da Tua lei” (Sl 119:18 — NVI)

5.4 Princípios Gerais para Liderar Grupos

1. Interação. Conheça bem os participantes e envolva-os o quanto possível em discussões em grupos.

2. Postura. Resista à tentação de falar muito sobre o que você sabe ou como você falaria. Estimule a contribuição de outros fazendo perguntas abertas que requeiram mais do que um sim ou um não como resposta.

3. Gerenciamento. Proteja o grupo daqueles que demonstrem características ou respostas que não criem um ambiente sadio para o aprendizado do grupo.

Que tipo de coisa um indivíduo pode fazer para dominar, interromper ou distrair o grupo?

Qual é a melhor forma de lidar com a situação?

5.5.

INSTRUÇÕES ESPECÍFICAS PARA SUA PRIMEIRA REUNIÃO

25

5.5 Instruções Específicas para Sua Primeira Reunião

1. Dê as boas vindas e apresente cada participante se necessário.

2. Explique a razão de vocês estarem ali:

Nosso Propósito (veja acima)

1 Tm 4:13–16

3. Inicie a reunião e faça o seguinte:

Eleja os apresentadores 1 e 2.

Faça com que o apresentador 1 leia a passagem, ore, e então explique a passagem usando de 3 a 5 minutos. (Avise aos alunos que você pode interromper a apresenta- ção caso esteja muito longa.)

Sem abrir discussão em grupo, faça com que o apresentador 2 use seus 3 a 5 minutos para falar.

Faça anotações durante as apresentações. Isso mostrará que você está interessado, e será um exemplo para o grupo, além de ser uma ferramenta para desenvolver a discussão após as apresentações.

Depois das apresentações, agradeça a cada apresentador pelo seu esforço.

Inicie a discussão com uma pergunta para o grupo, como: “O que você gostou daquilo que ouviu dos apresentadores?”

Interaja com as ideias apresentadas pelo grupo.

Continue com a discussão com questões sobre a Ideia Principal.

Pergunte ao apresentador: “Se você tivesse tempo para falar em apenas uma frase a Ideia Principal da passagem, qual seria?”

Sugestões de perguntas a serem feitas ao grupo:

O que você diria que foi a ideia principal de cada apresentação?

Essa ideia principal se encaixa na passagem?

Foi suficientemente clara para o ouvinte?

Você tem alguma pergunta para fazer a cada um dos apresentadores sobre a passagem (alguma coisa que não tenha ficado muito clara ou sobre a qual você gostaria de ouvir mais)?

Tenha Essas Coisas Em Mente

Lembre-se de que você pediu aos participantes para prepararem de uma forma específica. Mantenha-os cientes dessas preparações.

Tenha em mente que a tarefa do líder é ajudá-los a enxergar o que não viram.

Não se pergunte “Como eu teria feito?” Pergunte-se: “Como posso ajudar esse apresenta- dor a se tornar ainda melhor?”

26

SEÇÃO 5. LIÇÕES PARA LÍDERES DE GRUPOS PEQUENOS

Gaste um tempo para refletir nas verdades da Palavra de Deus, particularmente como elas se relacionam aos pastores. Fale com Deus sobre as novas verdades que vocês descobriram como um grupo, ou as velhas verdades que vocês recordaram.

Três Impressões Que Você Quer Deixar:

1. Trazer encorajamento e desafio. O líder foi facilitador, encorajador e desafiador. Ele deixou o(s) apresentador(es) com algo para pensar e/ou algo para melhorar.

2. Não chamar a atenção sobre si. O líder não ressaltou em como ele teria feito, mas ajudou o(s) apresentador(es) a pensar como ele(s) poderia(m) fazer melhor.

3. Não focar na pregação, mas na Palavra de Deus. O líder não estava envolvido com dicas de pregação, mas com a redescoberta da Palavra de Deus. Nós queremos que as pessoas saiam dizendo: “Foi bom retornar à Palavra de Deus!”

Anotações:

5.6 Uma Palavra Final

Paulo era um líder que encorajou os outros a partir do exemplo de sua própria vida. Paulo escreveu a Timóteo: “Mas você tem seguido de perto meu ensino, a minha conduta, o meu

propósito, a minha fé, a minha paciência, o meu amor, a minha

NVI). Na primeira carta de Paulo aos Tessalonicenses ele disse: “Pois vocês sabem que tratamos cada um como um pai trata seus filhos, exortando, consolando e dando testemunho, para que vocês vivam de maneira digna de Deus, que os chamou para o seu Reino e glória.” (1 Ts 2:11–12 NVI)

” (2 Tm 3:10

Você encoraja os outros com o exemplo de sua própria vida? Você anda de maneira digna do Senhor? O que a sua esposa diria? Peça a Deus para conceder-lhe oportunidades para encorajar aos outros — especialmente os mais próximos a você — através do exemplo da sua vida.

Seção 6

Cavar/Descobrir Instruções para Viagem: Entender o Contexto

Visão Rápida

É possível ler as palavras antigas da Bíblia e encontrar o sentido para as pessoas que vivem hoje

no presente?

Antes que possamos entender o que a Palavra de Deus está dizendo para nós, devemos entender

o que a Palavra de Deus queria dizer para os ouvintes originais. Esta seção irá demonstrar

a importância de se estudar uma passagem no seu contexto original — tanto para a nossa compreensão como para a aplicação.

Levar

Queremos nos comprometer em estudar cada passagem das Escrituras no seu contexto. Iremos aprender como entender uma passagem da forma como ela foi falada à sua audiência original. Também veremos como fazer aplicações que fluem da passagem que estamos estudando.

6.1 Cavando Profundamente

Enquanto começamos a ler a Palavra de Deus, imagine que você está numa viagem. Seu objetivo

é trazer a verdade das Escrituras, que tem milhares de anos, para os dias atuais em que você

vive. Você está fazendo a pergunta, “Como eu posso trazer esta Palavra antiga para as pessoas

onde eu vivo?”

A resposta é sempre, “Não há um caminho direto”. Você deve sempre viajar por meio do

contexto no qual o texto foi escrito.

Quando lemos a Bíblia, muitas vezes somos tentados a fazer uma aplicação imediata para nós mesmos, sem primeiro perguntar o que as palavras queriam comunicar aos ouvintes originais. Como eles teriam entendido essas palavras? Qual era a situação à qual o autor estava se diri- gindo? Que verdades sobre Deus os leitores precisavam ouvir naquela época?

Até que tenhamos feito perguntas como estas, não podemos ter a certeza de termos entendido

a mensagem de Deus como ela foi apresentada originalmente. Consequentemente, qualquer aplicação que façamos pode deixar de entender a intenção original de Deus.

Por exemplo, quando estudamos 2 Timóteo, podemos ser tentados a ler as palavras como se elas fossem endereçadas à situação onde vivemos. Porém, o caminho direto não é o caminho correto.

27

28

SEÇÃO 6. CAVAR/DESCOBRIR – INSTRUÇÕES P/ VIAGEM: ENTENDER O CONTEXTO

A Palavra de Deus

P/ VIAGEM: ENTENDER O CONTEXTO A Palavra de Deus Não há caminho direto! Hoje Onde eu

Não caminho direto!

Hoje Onde eu vivo

Timóteo viveu em Éfeso (1 Tm 1:8), onde era pastor quando Paulo escreveu esta carta para ele. Precisamos descobrir porque Paulo escreveu esta carta — o que Paulo estava dizendo a Timóteo com relação ao seu ministério em Éfeso, e por que. Devemos ouvir como se estivéssemos an- dando nas sandálias de Timóteo. Somente depois de entendermos o que esta carta significava para Timóteo é que seremos capazes de dizer o que ela significa para a igreja em nossos dias.

Em outras palavras, quando estudamos 2 Timóteo, devemos viajar por meio de Éfeso antes de chegarmos à porta da nossa igreja:

A Palavra de Deus

chegarmos à porta da nossa igreja: A Palavra de Deus Não há caminho direto! Hoje onde

Não caminho direto!

A Palavra de Deus Não há caminho direto! Hoje onde eu vivo Por que isso é

Hoje onde eu vivo

Não há caminho direto! Hoje onde eu vivo Por que isso é importante? Timóteo em Éfeso

Por que isso é importante?

Timóteo em Éfeso

Pense em uma ilustração do cotidiano da vida. Suponha que a sua esposa lhe peça para trazer o frango para casa. Em uma situação, ela pode estar lhe pedindo para você trazer para casa um frango vivo que possa colocar ovos para a sua família. Em outra situação, ela pode estar lhe pedindo para trazer para casa um frango abatido para cozinhar no forno. Em uma outra situação, ela pode estar lhe pedindo para trazer para casa um frango já assado porque ela não tem tempo para preparar a refeição. Devemos primeiro conhecer o contexto das palavras dela antes de realizarmos o pedido dela.

De maneira semelhante, a fim de aplicarmos corretamente as palavras das Escrituras, precisamos entender o contexto no qual elas foram faladas.

6.1.

CAVANDO PROFUNDAMENTE

29

Um Exemplo de Filipenses

Pensemos sobre isso um pouco mais. Olhe comigo em Filipenses 4:13. Paulo diz neste versículo:

“Posso todas as coisas naquele que me fortalece”. Este tem se tornado um versículo muito popular para os crentes na América. Ele é impresso nos calendários, nos imãs dependurados nas geladeiras, e nos retratos fixados na parede.

Um poster na América mostra um jogador de golfe tentando fazer uma tacada difícil. Abaixo da foto dele está este versículo: “Posso fazer todas as coisas naquele que me fortalece”. Esta é uma aplicação correta das palavras de Paulo? Por quê?

Vamos gastar algum tempo para considerar o que Paulo estava dizendo para a igreja em Filipos.

Paulo na Prisão

dizendo para a igreja em Filipos. Paulo na Prisão Não há caminho direto! Hoje onde eu

Não caminho direto!

Paulo na Prisão Não há caminho direto! Hoje onde eu vivo A Igreja em Filipos •

Hoje onde eu vivo

Não há caminho direto! Hoje onde eu vivo A Igreja em Filipos • Abra sua Bíblia

A Igreja em Filipos

Abra sua Bíblia em Filipenses 4:10–20. Como que esses versículos nos ajudam a entender o que Paulo está dizendo para a igreja em Filipos?

Depois de examinar o contexto das palavras de Paulo, qual seria uma aplicação apropriada para a sua própria vida, e para a sua igreja?

30

SEÇÃO 6. CAVAR/DESCOBRIR – INSTRUÇÕES P/ VIAGEM: ENTENDER O CONTEXTO

6.2 Instruções para a Viagem a 2 Timóteo

Vamos olhar um último exemplo: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça.” (2 Timóteo 3:16)

Antes de abrirmos a Bíblia, qual poderia ser a sua aplicação deste versículo? O que pode- mos ensinar baseados neste versículo?

Agora, com nossas Bíblias abertas, vamos para Éfeso. Como que os versículos ao redor (3:1–17) informam a nossa compreensão e aplicação deste versículo?

A Palavra de Deus

e aplicação deste versículo? A Palavra de Deus Não há caminho direto! Hoje onde eu vivo

Não caminho direto!

A Palavra de Deus Não há caminho direto! Hoje onde eu vivo Timóteo em Éfeso •

Hoje onde eu vivo

Não há caminho direto! Hoje onde eu vivo Timóteo em Éfeso • Quem era “o homem

Timóteo em Éfeso

Quem era “o homem de Deus” em Éfeso que se beneficiaria da instrução de Paulo? Quem seria “o homem de Deus” na igreja de hoje?

Qual é a aplicação principal de 3:17 para a igreja hoje?

Considerando o que é dito sobre Timóteo em 1:2–7, como que esta passagem ajuda um pastor desencorajado ou desesperado?

6.2.

INSTRUÇÕES PARA A VIAGEM A 2 TIMÓTEO

31

Para Consideração Posterior

Se quisermos aprender mais sobre a situação de Timóteo em Éfeso, para onde iríamos? Atos 20; 1 Timóteo; 2 Timóteo; 1 João.

Atos 20 é a despedida de Paulo dos anciãos em Éfeso. Note, em específico, as palavras proféticas de Paulo em 20:29–30 sobre alguns dos anciãos que estavam levando os membros da igreja embora. Evidentemente, estas palavras aconteceram de verdade e impactaram a igreja enquanto Timóteo estava ministrando em Éfeso (1 Timóteo). Os efeitos da saída dos anciãos e o do ensino falso foram extensos e bastante desencorajadores para Timóteo (2 Timóteo; 1 João).

1. Em Atos 20, como que Paulo descreve a maneira pela qual ele assumiu o seu ministério em Éfeso?

2. Como que as exortações específicas de Paulo em Atos 20 refletiram e ampliaram em 2 Timóteo?

3. Onde que Paulo colocava a sua confiança à medida que ele considerava os desafios futuros que a igreja iria enfrentar?

4. Dessas passagens em Atos, o que aprendemos sobre a natureza e as prioridades do minis- tério? Como que essas verdades são refletidas e ampliadas em 2 Timóteo?

5. Como que essas observações enriquecem nossa compreensão de 2 Timóteo 3:16–17?

32

SEÇÃO 6. CAVAR/DESCOBRIR – INSTRUÇÕES P/ VIAGEM: ENTENDER O CONTEXTO

Outro Exemplo em 1 Coríntios 13

Vamos olhar um outro exemplo em 1 Coríntios 13. Os versículos 4–13 são muitas vezes citados como uma visão sentimental das qualidades do amor Cristão. E desta forma, eles são citados em cerimônias de casamento, impressos em cartões de aniversário de casamento, e em retratos pendurados na parede.

Enquanto que este caminho pode trazer alguma aplicação benéfica para o crente moderno, existe muito mais nessa passagem quando ela é vista a luz do contexto em Corinto. Leia algumas dessas passagens e considere os comportamentos a que Paulo está se referindo em Corinto.

1 Coríntios 1:10–19

1 Coríntios 6:1–8

1 Coríntios 11:17–22

1 Coríntios 12:12–27

1 Coríntios 13:1–3

Paulo

1 Coríntios 12:12–27 1 Coríntios 13:1–3 Paulo Não há caminho direto! Hoje onde eu vivo A

Não caminho direto!

Coríntios 13:1–3 Paulo Não há caminho direto! Hoje onde eu vivo A Igreja em Corinto •

Hoje onde eu vivo

Não há caminho direto! Hoje onde eu vivo A Igreja em Corinto • À luz das

A Igreja em Corinto

À luz das questões que Paulo está se referindo em Corinto, como que os crentes naquela igreja teriam ouvido as suas palavras no capítulo 13?

A igreja precisa ouvir esta mensagem hoje? Como a sua igreja é semelhante à de Corinto? Que comportamentos você vê na sua vida ou na sua igreja que seriam iguais àqueles que Paulo menciona aqui? Como que a descrição do amor por parte de Deus os ajudou a se tornarem mais como Cristo?

6.3.

UMA PALAVRA FINAL

33

Anotações:

6.3 Uma Palavra Final

Quando Paulo escreveu esta segunda carta a Timóteo, ele estava na prisão esperando a sua morte. Você também pode estar experimentando perseguição por causa da sua fé em Jesus Cristo e desejando viver uma vida de obediência a Ele. “De fato, todos os que desejam viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos” (2 Timóteo 3:12). Que o Senhor te abençoe e fortaleça o seu coração enquanto enfrenta a oposição.

“Tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé. Ele, pela alegria que lhe fora proposto, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus. Pensem bem naquele que suportou tal oposição dos pecadores contra si mesmo, para que vocês não se cansem nem desanimem.” (Hebreus 12:2–3)

Seção 7

Cavar/Descobrir Captando a Grande Ideia

Visão Rápida

Captar a “Grande Ideia” é crítico para entender o ponto principal que Deus está dizendo em uma dada passagem e comunicá-lo de maneira fiel aos seus ouvintes. Este é um dos trabalhos mais difíceis que você fará, mas ele é crítico para o processo de preparar uma mensagem da Palavra de Deus.

Levar

Nós iremos entender o que significa captar a Grande Ideia e porque ela é tão importante. Você será capaz de identificar e declarar a Grande Ideia de qualquer passagem da Bíblia. Desta maneira, queremos que você cresça mais confiante para que ao estudar, pregar e ensinar, a Palavra de Deus esteja sendo ouvida.

7.1 O que A Grande Ideia Não É

Uma história é contada acerca de um diácono que apareceu perante um concílio para ver se ele qualificava para ser ordenado. O concílio começou a perguntar-lhe:

“Qual parte da Bíblia você gosta mais?”

“Bem, senhor, eu gosto mais do Novo Testamento.”

O

concílio perguntou — “Qual livro do Novo Testamento?”

O

homem respondeu — “Qual livro? Eu acho que é o livro de parábolas, senhor.”

“Você poderia por gentileza relatar uma dessas parábolas para este concílio??

Este homem foi colocado contra a parede. Mas havia a possibilidade dos membros do concílio não conhecerem a Bíblia tanto quanto ele. Ele decidiu ser audacioso e continuou da seguinte

maneira:

“Era uma vez um homem que foi de Jerusalém para Jericó e caiu nas mãos de assal- tantes, e os espinhos cresceram e o sufocaram. Ele continuou, e não tinha dinheiro. Depois ele se encontrou com a Rainha de Sabá, e ela deu àquele homem mil talentos de ouro e prata e cem vestimentas. E quando ele estava passando por baixo de uma grande árvore, seu cabelo ficou preso num galho e o deixou pendurado ali. Sim, senhor. E ele ficou pendurado lá vários dias e várias noites. As aves lhe trouxeram alimento para comer e água para beber.

34

7.2.

A GRANDE IDEIA

35

Certa noite enquanto ele estava lá dependurado dormindo, sua esposa, Dalila, che- gou e cortou o seu cabelo. Ele caiu sobre um chão rochoso. Começou a chover e choveu 40 dias e 40 noites. E ele se escondeu numa caverna. Um homem passando pelo caminho o convenceu a sair.

Ele saiu e chegou a Jerusalém onde ele viu a Rainha Jezabel sentada na janela. Quando ele a viu, ela sorriu. Ele disse, ‘Jogue ela de lá’, e eles a jogaram de lá de cima. E ele disse, ‘Jogue ela de lá de cima novamente’, e eles a jogaram, setenta vezes sete vezes. E os fragmentos que eles pegaram encheram doze cestos. De quem então ela será esposa no dia do julgamento?”

Não havia ninguém no concílio que se sentia qualificado para questionar mais a fundo o candi- dato, e ele foi aprovado!

O homem na história tinha muitas ideias sobre o que ele acreditava que a Bíblia diz. Não

queremos impor nossas ideias sobre um texto, mas sim descobrir o assunto principal que Deus está dizendo na passagem. Para que nossa pregação seja fiel ao que Deus diz na Sua Palavra,

precisamos conhecer o ponto central, ou a Grande Ideia, da passagem e sermos fiéis para pregar

o que este ponto principal diz.

7.2 A Grande Ideia

A chave para uma boa pregação expositiva e ensino expositivo é pegar a ideia principal da

passagem e depois afirmá-la para que tenha a aplicação máxima aos dias atuais do ouvinte.

A Grande Ideia é o ponto principal, ou a ideia principal, de uma passagem.

Ela se torna a ideia principal do sermão.

Ela é o ponto focal ao redor do qual tudo o mais é organizado.

A Grande Ideia é composta de respostas a duas perguntas essenciais:

1. Qual é o assunto desta passagem?

2. O que esta passagem está dizendo sobre esse assunto?

A Grande Ideia não é afirmada como um título ou frase, mas como um pensamento completo em

uma sentença. Pode ajudar, quando declarando a grande ideia, pensar em completar a seguinte

frase:

.”

“Esta passagem está dizendo que

Um Exemplo de como formar a Grande Ideia

Vamos dizer que você está estudando uma passagem das Escrituras.

A primeira pergunta que você faz é: Esta passagem está falando a respeito do quê? Talvez você

decida, “Esta passagem está falando sobre a fidelidade de Deus.”

A segunda pergunta é: O que esta passagem está dizendo a respeito da fidelidade de Deus?

Depois de olhar a passagem, talvez você responda, “esta passagem está dizendo que a fidelidade de Deus nos torna aptos a perseverar no ministério.”

36

SEÇÃO 7. CAVAR/DESCOBRIR – CAPTANDO A GRANDE IDEIA

aí está. A grande ideia está exposta acima depois das palavras, “Esta passagem está dizendo ”!

E

que

A grande ideia então é: “A fidelidade de Deus nos torna aptos a perseverar no ministério.

Prática com Versículos

Antes de olharmos as passagens inteiras, vamos praticar os versículos.

1. “Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus. (Mateus 7:21 NVI)

Sobre o que está falando este versículo?

O que diz a respeito daquele que entrará no reino dos céus?

A Grande Ideia: (Este versículo diz

)

2. “Como é feliz aquele que tem suas transgressões perdoadas e seus pecados apagados! Como é feliz aquele a quem o Senhor não atribui culpa e em quem não há hipocrisia!” (Salmo 32:1–2)

Qual é o assunto dessa frase?

O que a frase diz a respeito deste assunto?

A grande Ideia: (Este versículo está dizendo

)

3. “Lembre-se do seu criador nos dias da tua juventude, antes que venham os dias difíceis e se aproximem os anos em que dirá: ‘Não tenho satisfação neles’.” (Eclesiastes 12.1 NVI)

Qual é o assunto dessa frase?

O que a frase diz a respeito deste assunto?

7.3.

SUGESTÕES PARA ENCONTRAR A GRANDE IDEIA NAS PASSAGENS

37

7.3 Sugestões para encontrar a Grande Ideia nas Passagens

Agora vamos olhar as passagens mais longas da Bíblia e ver se podemos encontrar a Grande Idéia. Como encontramos a Grande Idéia? Aqui estão algumas sugestões:

1. Procure dicas na maneira em que a passagem começa e termina.

2. Procure versículos resumidos. Encontrar a Grande Ideia é muitas vezes tão fácil quanto encontrar o versículo chave.

3. Procure a repetição de ideias e palavras chaves.

4. Divida a passagem em partes menores, se necessário, e tente resumir o que dizem essas partes. Estas compõem as ideias de apoio para a Grande Ideia maior.

5. Pergunte quais são as conexões entre os conceitos na passagem ou entre as ideias de partes diferentes da passagem.

6. Procure conclusões ou propósitos (que comecem com palavras como “portanto” e “para que”). Estas conclusões muitas vezes apontam para a Grande Ideia.

7. Entre na mente do escritor. Tente entender porque ele escreveu esta passagem e o que ele está tentando dizer.

8. Faça as duas perguntas novamente, “Qual é o assunto desta passagem?” e “O que esta passagem está dizendo a respeito desse assunto?”

Lembre-se, podem existir muitas ideias na passagem, mas só existe uma ideia principal que faz com que a passagem seja completa. Agora, vamos dar uma olhada em algumas passagens específicas. Para cada um dos textos, escreva uma Grande Ideia.

1. Mateus 6:1–18

Qual é o assunto desta passagem?

O que ela diz sobre esse assunto?

A Grande Ideia: (Essa passagem diz

2. Lucas 14:15–24

)

Qual é o assunto desta passagem?

O que ela diz sobre esse assunto?

38

SEÇÃO 7. CAVAR/DESCOBRIR – CAPTANDO A GRANDE IDEIA

3. 2 Timóteo 4:1–5

Qual é o assunto desta passagem?

O que ela diz sobre esse assunto?

A Grande Ideia: (Essa passagem diz

4. João 2:1–11

)

Qual é o assunto desta passagem?