Você está na página 1de 4

JubJicado no D. O. E.

CiTl li) e/I I e'?


j .

)4--- ... 4V~h(


..,.etilf
L-~
J'ribunal Pleno
í,'~' ,_

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

I PROCESSO TC 02656/06 IPág.1/4] I


Administração Direta Municipal - Prefeitura Municipal de
PRINCESA ISABEL - Prestação de Contas do Prefeito, Senhor
JOSÉ SIDNEY OLIVEIRA, relativa ao exercício financeiro de 2005 -
Irregularidades não esclarecidas após o contraditório - Verificação de
prejuizos cuja restauração se impõe - PARECER CONTRÁRIO, neste
considerado o ATENDIMENTO PARCIAL das exigências da LRF -
Imputação de débito - Aplicação de multa - Verificação de falhas de
natureza contábil- Recomendações visando à correção.
RECURSO DE RECONSIDERAÇÃO - CONHECIMENTO E
PROVIMENTO PARCIAL. PEDIDO DE PARCELAMENTO -
INDEFERIMENTO.

ACÓRDÃO APL - TC .j l 12.009


RELATÓRIO

Esta Corte de Contas, na Sessão Plenária de 20 de fevereiro de 2008, nos autos que
trataram da Prestação de Contas Anual, exercício 2005, da PREFEITURA MUNICIPAL DE
PRINCESA ISABEL, decidiu, à unanimidade dos votos, averbando-se suspeito o
Conselheiro José Marques Mariz e ausente justificadamente, o Conselheiro Antônio
Nominando Diniz Filho, em face de estar usufruindo suas férias regulamentares, de
acordo com o Voto do Relator, através do Parecer PPL TC 12/2008 e Acórdão APL TC
63/2008, o seguinte (in verbis):
1. EMITIR E REMETER à Câmara Municipal de PRINCESA ISABEL, PARECER
CONTRÁRIO à aprovação da prestação de contas do Prefeito Municipal, Senhor
JOSÉ SIDNEY DE OLIVEIRA, referente ao exercício de 2005, neste considerado
que o gestor supra indicado A TENDEU PARCIALMENTE às exigências da Lei de
Responsabilidade Fiscal (LC 101/2000);
2. DETERMINAR ao ex-Prefeito Municipal de Princesa Isabel, Senhor JOSÉ SIDNEY
DE OLIVEIRA, a restituição aos cofres públicos municipais, no prazo de 60
(sessenta) dias, sob pena de cobrança executiva, da importância de R$ 247.170,95
(duzentos e quarenta e sete mil, cento e setenta reais e noventa e cinco centavos)
referente a sobrepreço no pagamento de serviços de transporte de estudantes
(R$ 124.966,12) e limpeza pública urbana (R$ 75.750,00); assim como, gastos com
o contador (R$ 14.130,83), sem previsão legal ou contratual para isto; falta de
comprovação das despesas no acompanhamento de pessoas doentes enviadas
para tratamento em outras cidades (R$ 25.630,00); e pagamento indevido pela
confecção de letreiro em aço inox ao prédio do Ministério Público de Princesa
Isabel (R$ 6.694,00);
3. APLICAR multa pessoal ao Senhor JOSÉ SIDNEY DE OLIVEIRA, no valor de
R$ 2.805,10 (dois mil e oitocentos e cinco reais e dez centavos), em virtude de
grave infração a preceitos e disposiçôes constitucionais e legais, especialmente
quanto à realização de pagamentos irregulares e indevidos, não aplicação mínima
na Remuneração e Valorização do Magistério, bem como por ter deixado de
executar procedimentos licitatórios que estaria obrigado a realizá-los,
configurando a hipótese prevista no artigo 56, inciso /I, da LOTCE (Lei
Complementar 18/93) e Portaria 50/2001;
4. ASSINAR-LHE o prazo de 60 (sessenta) dias para o recolhimento voluntário do
valor da multa antes referenciado, sob pena de cobrança executiva, desde já
recomendada, inclusive com a interveniência da curadoria Geral do Estado, ou
do Ministério Público comum, na inação daq a os termos dos parágrafos 3° e
4°, do artigo 71 da Constituição do Estad , d vendo a cobrança executiva ser
promovida nos 30 (trinta) dias seguintes o rmino do prazo para recolhimento
voluntário, se este não ocorrer;
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

I PROCESSO TC 02656/06 !Pág. 2/~ I

5. DETERMINARa formalização de autos apartados destes, com vistas à análise em


separado das acumulações ilegais de cargo, inclusive a de médico com o de Vice-
Prefeito, pagamento de gratificações sem previsão legal e contratual para isto,
bem assim, igualmente em autos específicos, a falta de concurso público para
profissionais de saúde, neste último caso a serem instruído pela DIAFI/DIAPG;
6. ORDENAR ao atual Mandatário Municipal, a reposição à conta específica do
FUNDEF, no Banco do Brasil, no prazo de 30 (trinta) dias, com recursos do
próprio município, o valor de R$ 40.650,86, franqueando-lhe, desde já, a
possibilidade de solicitar parcelamento, se atendidas às normas regedoras da
espécie;
7. DETERMINAR cópia de peças dos presentes autos à Procuradoria Geral de
Justiça para o exercício de suas competências, na existência de cometimento de
delitos;
8. RECOMENDARno sentido de que não mais se repitam as falhas verificadas nos
presentes autos.
Inconformado, o ex-Prefeito Municipal, Senhor José Sidney Oliveira, interpôs o presente
Recurso de Reconsideração contra o Acórdão APL TC 63/2008 (fls. 4360/4496), e o atual
Prefeito, Senhor Thiago Pereira de Sousa Soares, apresentou pedido de parcelamento de
débito referente ao FUNDEF (fls. 4498/4502), a ser restituído conforme decisão
consubstanciada no citado Aresto.
A Auditoria analisou o Recurso de Reconsideração e o Pedido de Parcelamento, tendo
concluído às fls. 4505 por manter todas as irregularidades apontadas no Acórdão APL TC
63/2008 e às fls. 4506, que o débito a ser parcelado, no valor de R$ 40.650,86, terá de ser
devolvido em parcela única, de acordo com o que preceitua a Resolução Normativa RN TC
14/2001.
Solicitada a prévia oitiva ministerial, a ilustre Procuradora Geral Ana Terêsa Nóbrega,
após considerações, opinou pelo CONHECIMENTO do Pedido de Parcelamento e do Recurso
de Reconsideração e, no mérito, pelo NÃO PROVIMENTO a ambos, face às razões ali
aduzidas.
Foram realizadas as comunicações de estilo.
É o Relatório.

VOTO
o Relator concorda com o Parquet e com a Auditoria, exceto no tocante aos seguintes
pontos:
1. não obstante o pagamento de garis ter sido feito sob o título de "Serviços correlatos" e
não em despesa específica "Garis" (fls. 4400 e 4504), merece ser desconsiderada a
imputação do montante de R$ 75.750,00, visto que, embora havendo garis compondo
o corpo de servidores efetivos da Prefeitura, não há indícios de que a mão-de-obra
terceirizada não tenha sido utilizada por parte da R. R. Galvão Ltda. Segundo, porque
o próprio Secretário Municipal de Obras e Urbanismo, por ocasião da abertura do
correspondente procedimento licitatório, prevê a utilização desta mão-de-obra efetiva
como ajuda parcial à referida empresa (fls. 2004/2005);
2. as declarações (fls. 4427/4489) dos beneficiários dos serviços prestados pelos Srs.
Vicente Ivo Gomes Marinho e Maria Neide Viana dos Santos (fls. 295 12955),
datadas de 14/03/2008, em razão de acompanhamento de pessoas-o ntes em
realização de exames médicos e/ou tratamento de saúde ne t6
apitai, são
suficientes para reduzir o valor das despesas não comprovad e)fÍ1Putadas de
R$ 25.630,00 para R$ 3.400,00, remanescendo nesta si uação m~ffte pesas
pagas a Sra. Vera Lúcia Fernandes da Silva (fls. 295 ; I
/
/
/
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

I PROCESSO TC 02656/06 jPág. 3/~ 1

3. merece ser desconsiderada a imputação do valor referente ao pagamento pela


confecção de letreiro em aço inox ao prédio do Ministério Público de Princesa Isabel
(R$ 6.694,00), uma vez que se trata de uma parceria, mesmo que informal, entre duas
instituições de esferas de governo diferentes.
Ressaltando apenas a questão do pedido de parcelamento solicitado pelo atual Prefeito,
o Relator acolhe o entedimento da Auditoria, pelo seu INDEFERIMENTO, em virtude das
regras contidas na Resolução Normativa RN TC nO14/2001.
Isto posto, vota no sentido de que os integrantes do Tribunal Pleno:
1. CONHEÇAM o presente Recurso de Reconsideração, em face da tempestividade
com que foi interposto e da legitimidade do recorrente e, no mérito, concedam-lhe
PROVIMENTO PARCIAL, a fim de que se reduza o montante das despesas a serem
restituídas, de R$ 247.170,95 para R$ 142.496,95, em virtude de:
1.1. ELlSÃO das irregularidades referentes a: valor excessivo pago à Empresa R. R.
Galvão Ltda, prestadora de serviços de limpeza pública, decorrente da cobrança
indevida de gastos com Garis, no valor de R$ 75.750,00; bem como ao
pagamento pela confecção de letreiro em aço inox ao prédio do Ministério Público
de Princesa Isabel, no valor de R$ 6.694,00;
1.2. REDUÇÃO do montante das despesas não comprovadas com serviços de
acompanhamento de doentes, de R$ 25.630,00 para R$ 3.400,00, mantendo-se
os demais itens do Acórdão APL TC 63/2008;
2. INDEFIRAM o Pedido de Parcelamento solicitado pelo atual Prefeito Municipal de
Princesa Isabel, Senhor Thiago Pereira de Sousa Soares, nos termos apontados
pela Auditoria (fls. 4506).
É o Voto.

DECISÃO DO TRIBUNAl
Vistos, relatados e discutidos os autos do PROCESSO TC-02656/06; e
CONSIDERANDO os fatos narrados no Relatório;
CONSIDERANDO o mais que dos autos consta;
ACORDAM os INTEGRANTES DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA
PARAíBA (TCE-Pb), com a declaração de suspeição suscitada pelos Conselheiros
Antônio Nominando Diniz Filho e José Marques Mariz, na sessão desta data, à
unanimidade, de acordo com o Voto do Relator, exceto quanto ao aspecto da
insubsistência da devolução referente a pagamento pela confecção de letreiro em aço
inox para o prédio do Ministério Público da Comarca de Princesa Isabel, no valor de
R$ 6.694,00, vencido o Voto do Conselheiro Flávio Sátiro Fernandes, neste aspecto, que
entendia cabível a devolução do valor ao erário, em:

1. PRELIMINARMENTE, CONHECER do presente Recurso de Reconsideração, em


face da tempestividade com que foi interposto e da legitimidade do recorrente;
2. E, NO MÉRITO, DAR-LHE PROVIMENTO PARCIAL a fim de reduzir o montante
das despesas a restituir, R$ 247.170,95 para R$ 142.496,95, em virtude de:
2.1. ELlSÃO das irregularidades referentes a valor excessivo pago à Empresa
R. R. Galvão Ltda, prestadora de serviços de limpeza pública, decorrente
da cobrança indevida de gastos com Garis, no valor de R$ 75.750,00, e
pagamento de placa em aço inox para o Ministério Público da Comarca de
Princesa Isabel, na importância de R$ R$ 6.694,00;
2.2. REDUÇÃO do montante das despesas nâo comprovadas com serviços e
acompanhamento de doentes, de R$ 25.630,00 para R$ 3.400,0
TRIBUNAL DE eONT AS DO ESTADO

I PROCESSO TC 02656/06 IPág. 4/~J


3. MANTER os demais itens do Acórdão APL Te 6312008;
4. INDEFERIR o Pedido de Parcelamento de restituição à conta corrente do
FUNDEF, solicitado pelo atual Prefeito Municipal de Princesa Isabel, Senhor
Thiago Pereira de Sousa Soares, uma vez que não atende ao que regula a norma
a respeito, nos termos apontados pela A.uditoria às fls. 4506, dos autos.

Publique-s
Sala das Sessões do TCE-P
João Pessoa

Fui presente: -+-tJ:~"=----:.......:::;:':::::+~7f--_--l:,.f:::;=----,:~--

mgsr

Interesses relacionados