Você está na página 1de 3

Publicado no D, O.

E,
Em, (li I u lf J fi 9

Processo TC n° 02.220/07

Objeto: Prestação de Contas Anuais


Órgão: Câmara Municipal de Santa Rita PB

Prestação de Contas Anual do Chefe do Poder


Legislativo do Município de Santa Rita, Sr. Walter
Filgueiras de Sena. Exercício Financeiro 2006. Julga-
se Irregular. Aplicação de Multa. Recomendação.

ACÓRDÃO - APL - TC - /JB j 12009

Vistos, relatados e discutidos os presentes autos do Processo TC n° 02.220/07, referente a


Prestação de Contas Anual e da Gestão Fiscal do Sr. Walter Filgueiras de Se na, ex-Presidente da
Mesa Diretora da Câmara Municipal de Santa Rita/PB, exercício financeiro 2006, acordam, à
unanimidade, os Conselheiros Membros do TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA PARAÍBA,
em sessão realizada nesta data, na conformidade do relatório e da proposta de decisão do Relator,
partes integrantes do presente ato formalizador, em:
1) JULGAR IRREGULAR a Prestação Anual de Contas do Sr. Walter Filgueiras de
Sena, ex-Presidente da Câmara Municipal de Santa Rita, relativa ao exercício de 2006.
2) DECLARAR o atendimento PARCIAL às disposições da Lei Complementar n" 10112000.
3) APLICAR ao Sr. Walter Filgueiras de Sena, ex-Presidente da Mesa Diretora da
Câmara Municipal de Santa Rita, MUL TA no valor de R$ 2.805,10 (Dois mil,
oitocentos e cinco reais e dez centavos), com fulcro no art. 56, inciso 11da LOTCE,
concedendo-lhe o prazo de 30 (trinta) dias para recolhimento voluntário ao Fundo de
Fiscalização Orçamentária e Financeira Municipal, conforme previsto no art. 3° da RN
TC n? 04/2001, sob pena de cobrança executiva a ser ajuizada até o trigésimo dia após o
vencimento daquele prazo, na forma da Constituição Estadual.
4) COMUNICAR à Receita Federal acerca do não recolhimento das contribuições
previdenciárias incidentes sobre os subsídios dos vereadores no exercício analisado.
5) RECOMENDAR a atual Administração no sentido de evitar toda e qualquer ação
administrativa, que em similitude com aquelas ora debatidas, venham macular as contas
da gestão municipal.
Presente ao julgamento o representante do Ministério Público Especial.
Publique-se, intime-se e cumpra-se
TCE~ Plenário),tro João Agripioo,João Pessoa,~~e abril de 2009.

Conselheiro A Au~i.tor Ant&Uo Gomes Vieira Filho


PR RELATOR

Fui Presente:

k" ç':~.-~.~
,'Procuradora Ana Teresa Nóbregt,t\
REPRESENTANTE DO MINISTÉRIO PúBLICO
I'
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

Processo Te n° 02.220/07

RELATÓRIO

Cuida-se nos presentes autos da análise da Gestão Fiscal e da Gestão Geral do Sr. Walter
Filgueiras de Sena, ex-Presidente da Câmara Municipal de Santa Rita, exercício 2006.

Do exame da documentação pertinente, enviada a esta Corte de Contas dentro do prazo


regulamentar, a equipe técnica emitiu o relatório de fls. 115/21, com as seguintes constatações:

A despesa total realizada atingiu o montante de R$ 2.288.251,16, representando 7,00% da


Receita Tributária mais Transferências, do exercício anterior;

Os gastos com a folha de pagamento somaram R$ 1.583.803,59, representando 69,19%


da receita da Câmara. As despesas com pessoal equivaleram a 2,26% da Receita Corrente
Líquida do município, estando dentro do limite estabelecido pelo art. 29-A, § 1° da
Constituição Federal e do art. 20 da LRF, respectivamente;

Não foi registrado saldo em restos a pagar, contudo havia obrigações com pessoal, no
valor de R$ 124.740,00, não empenhadas nem pagas. As disponibilidades financeiras ao
final do exercício sob análise foram de R$ 126,94;

Não foi constatado excesso na remuneração percebida pelos vereadores;

Foram enviados, dentro da legalidade, os RGF referentes ao 1° e 2° semestres;


Foi realizada inspeção in loco no período de 10 a 14 de março de 2008;

Em sua conclusão, a Unidade Técnica constatou algumas falhas que ocasionaram a


notificação do Sr. Walter Filgueiras de Sena, ex-presidente da Câmara Municipal de Santa Rita. O
interessado protocolizou neste Tribunal o Documento de n° 13388/08, em 22.07.2008, solicitando
prorrogação de prazo para apresentação de sua defesa. Em 06 de novembro de 2008, foi encaminhada
correspondência para o ex-gestor da câmara e 06 (seis) dias após o Tribunal notificou-o através do
Diário Oficial do Estado, sendo que até a presente data não houve nenhuma manifestação do
Interessado nesse processo.

Instado a se pronunciar, o Ministério Público, através do Procurador Dr. Marcílio Toscano


Franca Filho, emitiu o Parecer n? 419/2009, com as seguintes considerações:

Em relação à insuficiência financeira para saldar os compromissos de curto prazo, no valor de


R$ 124.885,84, decorrente principalmente da falta de empenhamento das obrigações patronais
devidas sobre a remuneração dos vereadores, constitui fato contrário às normas da gestão fiscal
responsável, se verificado no último exercício do mandato.

No que se refere à realização de despesas sem licitação no valor de R$ 45.892,43, para


aquisição de combustíveis, representa séria ameaça aos princípios administrativos da legalidade,
impessoalidade e moralidade. Ressalte-se que a licitação é procedimento vinculado, formalmente
ligado à Lei n° 8666/93, não comportando discricionariedades em sua realização ou dispensa.

Indigitou-se nos autos falta de pagamento das obrigações patronais ao INSS sobre a folha dos
agentes políticos, assim como a falta de retenção e recolhimento das contribuições previdenciárias
(parte do empregado), sobre as remunerações dos vereadores. Tal conduta, além de tipificada na
legislação penal, é motivadora da reprovação de contas do gestor, conforme disposto no Parecer
Normativo desta Corte de n? 52/2004.
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

Processo Te n° 02.220/07

E quanto à inexistência nos arquivos da Câmara Municipal, de toda a documentação referente


ao exercício de 2006 demonstra total desorganização administrativa do parlamento mirim,
dificultando a fiscalização das contas por este Tribunal.

Isto posto, pugna o Representante do Ministério Público junto ao TCEIPB pela:

a) Irregularidade das contas da Câmara Municipal de Santa Rita, exercício de 2006;


b) Imposição de multa legal ao gestor face do cometimento de infrações às normas legais;
c) Remessa de Cópia das peças referentes às irregularidades relacionadas ao não
recolhimento das contribuições previdenciárias dos vereadores à Receita Federal do
Brasil para as providências a seu cargo;
d) Recomendação à Administração atual no sentido de evitar toda e qualquer ação
administrativa, que em similitude com aquelas ora debatidas, venham macular as contas
da gestão municipal.

É o relatório. Informando que o interessado foi notificado para a presente sessão.

PROPOSTA DE DECISÃO

Considerando as conclusões a que chegou a equipe técnica desta Corte, bem como o parecer
oferecido pelo Ministério Público Especial, proponho que os Srs. Conselheiros membros do Egrégio
Tribunal de Contas do Estado da Paraíba:

1) JULGUEM IRREGULAR a Prestação Anual de Contas do Sr. Walter Filgueiras de Sena,


ex-Presidente da Câmara Municipal de Santa Rita, relativa ao exercício de 2006;

2) DECLAREM Atendimento Parcial às disposições da Lei Complementar 101/2000;

3) APLIQUEM ao Sr. Walter Filgueiras de Sena, ex-Presidente da Mesa Diretora da


Câmara Municipal de Santa Rita MULTA no valor de R$ 2.805,10, com fulcro no artigo
56, inciso lI, da LOTCE, concedendo-lhe o prazo de 30 (trinta) dias para o recolhimento
voluntário ao Fundo de Fiscalização Orçamentária e Financeira Municipal, conforme
previsto no art. 3° da RN TC n" 04/2001, sob pena de cobrança executiva a ser ajuizada
até o trigésimo dia após o vencimento daquele prazo, na forma da Constituição Estadual;

4) Comuniquem à Receita Federal a cerca do não recolhimento das contribuições


previdenciárias incidentes sobre os subsídios dos vereadores no exercício analisado;

5) Recomendação a atual administração no sentido de evitar toda e qualquer ação


administrativa, que em similitude com aquelas ora debatidas, venham macular as contas
da gestão municipal.

É a proposta.