Você está na página 1de 5

olicado no DO;. • I l...

, AO! -I. _.'


'~-P-'-ç'-:..(.tJ ;1...
"../. . i:
-t:
ti
~ ~_tY1-f1bunal
,<:kr:~"
.tJ .
6-~?
Pleno"-
'

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO


I PROCESSO TC 05546/07 ~l
ADMINISTRAÇÃO DIRETA MUNICIPAL - MUNiCípIO DE
SÃO BENTO - PRESTAÇÃO DE CONTAS DO PREFEITO
MÁRCIO ROBERTO DA SILVA, RELATIVA DO EXERCíCIO
FINANCEIRO DE 2001 - EXISTÊNCIA DE FALHAS COM
REFLEXO NEGATIVO NAS CONTAS - DESOBEDIÊNCIA A
MANDAMENTOS CONSTITUCIONAIS E LEGAIS DE EMPREGO
DE RECEITAS VINCULADAS - APLICAÇÃO DE RECURSOS DO
FUNDEF FORA DOS OBJETIVOS DESTE - PERCEPÇÃO DE
VALORES A TíTULO DE DIÁRIAS CUJA COMPROVAÇÃO NÃO
SE TEM NOS AUTOS - DEVOLUÇÃO PELOS BENEFICIÁRIOS,
INCLUSIVE O PREFEITO - EMISSÃO DE PARECER
CONTRÁRIO E REMESSA AO JULGAMENTO DA AUGUSTA
CÃMARA MUNICIPAL - RECOMENDAÇÕES PARA PREVENIR
E EVITAR AS FALHAS VERIFICADAS NOS AUTOS.
RECURSO DE RECONSIDERAÇÃO - CONHECIMENTO
E PROVIMENTO PARCIAL QUANTO AOS VALORES DAS
IMPUTAÇÕES E ITENS FUNDAMENTADORES DAS DECISÕES
RECORRIDAS, SEM POSSIBILIDADE DE ENSEJAREM A SUA
MODIFICAÇÃO - MANUTENÇÃO DAS DEMAIS DECISÕES
ATACADAS, INCLUSIVE A DE EMISSÃO DE PARECER
CONTRÁRIO À PRESTAÇÃO DE CONTAS.
RECURSO DE REVISÃO - CONHECIMENTO E
PROVIMENTO PARCIAL QUANTO AOS VALORES DAS
IMPUTAÇÕES E ITENS FUNDAMENTADORES DAS DECISÕES
RECORRIDAS, SEM POSSIBILIDADE DE ENSEJAREM A SUA
MODIFICAÇÃO - MANUTENÇÃO DAS DEMAIS DECISÕES
ATACADAS, INCLUSIVE A DE EMISSÃO DE PARECER
CONTRÁRIO À PRESTAÇÃO DE CONTAS.

ACÓRDÃO APl- TC y....::..8_~_'_20_0_9 _


RELATÓRIO
Esta Corte de Contas, na Sessão Plenária de 04 de abril de 2.007, apreciando os
autos do Processo TC 03091/02, relativos à Prestação de Contas do exercício de 2001,
do Prefeito Municipal de SÃO BENTO, Senhor Márcio Roberto da Silva, decidiu,
através do Acórdão APL TC 185/2007, fls. 881/883, "conhecer do RECURSO DE
RECONSIDERAÇÃO,em face da tempestividade com que foi interposto e da
legitimidade do recorrente, CONCEDENDO-LHEPROVIMENTO PARCIAL para
alterar alguns aspectos da motivação fundamentadora das decisões recorridas, a
saber: a) diminuição do percentual de despesas não licitadas, que passa de 23,06%
para 12,62% do valor exigível; b) diminuição dos valores imputados ao Gestor,
Senhor Márcio Roberto da Silva, por diárias não comprovadas, passando de R$
23.127,45 para R$ 21.388,35; c) redução do valor imputado ao Secretário de
Educação, Senhor Francisco das Chagas Santos, por diárias não comprovadas,
diminuindo-o de R$ 6.615,00 para R$ 4.770,00 e d) aumento do percentual de
aplicação de recursos do FUNDEF na RVM, passando de 52,19% para 58,24%,
mantendo-se incólumes os demais itens das decisões recorridas."
Ainda inconformado com a decisão, o ex-Prefeito Municipal,?Senhor MÁRCIO
ROBERTO DA SILVA, interpôs, por intermédio de sua procurada o presente Recurso
de Revisão contra a decisão antes mencionada, tendo a Uni d Técnica de Instrução
analisado e concluído por ratificar as irregularidad s a segu' e ostas:
1. Aplicação de 24,30% das receitas de
2. Impostos mais transferências na MDE; r
, ....

.r:
....
: ! \
i )
./
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

I PROCESSO TC 05546/07 ~I
3. Emprego de 58,24% dos recursos do FUNDEF na Remuneração e Valorização
do Magistério;
4. Verificação de incompatibilidade entre os demonstrativos apresentados a este
Tribunal;
5. Recebimento pelo ex-Prefeito, Senhor Márcio Roberto da Silva, da importância
de R$ 15.562,10 a título de diárias, haja vista não constar nos autos a
regularidade e legalidade dessa despesa;
6. Recebimento pelo Secretário da Educação e Cultura, Senhor Francisco das
Chagas Santos, do valor de R$ 5.865,00, haja vista que nos autos não estão
comprovadas a regularidade e legalidade da despesa;
7. Aplicação em despesas fora dos objetivos do FUNDEF, no valor de R$
35.839,21;
8. Diferença de R$ 55.199,76 entre o saldo contábil e o conciliado do FUNDEF;
9. Inexistência de 12,62% dos procedimentos Iicitatórios exigíveis.
Ademais, opinou no sentido de que esta Corte de Contas represente a Procuradora
do ex-Prefeito, Senhora Ana Priscila Alves de Queiroz, junto à OAB-PB e Ministério
Público Estadual, o ex-Prefeito, Senhor Márcio Roberto da Silva e o ex-Secretário de
Educação, Senhor Francisco das Chagas Santos, ambos junto ao Ministério Público
Estadual por falsificação e utilização de documentos públicos com inserção de
declaração falsa para comprovação de despesas com diárias, caracterizando ilícito penal
previsto no Código Penal Brasileiro (Decreto-lei 2848/40), além do que as ditas despesas
foram empenhadas a posteriori, o que é vedado pelo art. 60 da Lei 4320/64.
Instado a se pronunciar, o Ministério Público Especial, através do ilustre Procurador
Marcílio Toscano Franca Filho, opinou, após considerações, em preliminar, pelo
conhecimento do presente recurso, por atender aos pressupostos de admissibilidade e,
no mérito, pela procedência parcial do pedido, considerando firme e válida a decisão
consubstanciada através do Acórdão APL TC 185/2007, retificando apenas os valores
pagos a título de diárias sem a devida comprovação ao Senhor Márcio Roberto da Silva
de R$ 21.388,35 para R$ 15.562,10.
Foram realizadas as comunicações de praxe.
É o Relatório.

PROPOSTA DE DECISÃO

o Relator, considerando o novo exame que se fez dos autos, tem o seguinte
entendimento acerca do que restou como máculas ensejadoras das decisões atacadas:
1. No que tange à verificação de inco tibilidade entre demonstrativos
apresentados a este Tribunal, concern e receita do FUNDEF, no valor de
R$ 71.600,00, verifica-s que ta fa resta esclarecido, por motivos
colacionados pelo Rela or qu do da apreciação do Recurso de
Reconsideração (Acórd o PL C 5/2007), não havendo mais o que se
falar acerca de tal mácul
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
I PROCESSO TC 05546/07 ~]

2. Respeitante ao recebimento de diárias irregulares e ilegais, pelo ex-Prefeito,


Senhor Márcio Roberto da Silva, no valor de R$ 21.388,35 , merece aqui o
valor a esse título ser diminuído, na quantia de R$ 6.750,00 (NE nOs2663,
2895, 3009 e 3240 - quadro fls. 858), tendo em vista a comprovação através
de documentos hábeis para tal fim, informando inclusive os destinos das
viagens realizadas, remanescendo, assim, o valor de R$ 14.638,35, a ser
devolvido pelo ex-gestor, com recursos próprios do ex-Gestor;
3. No que diz respeito ao recebimento irregular e ilegal de diárias, agora, pelo ex-
Secretário de Educação, Senhor Francisco das Chagas Santos, resta
informar que a comprovação aqui apresentada já havia sido considerada
quando da apreciação da Prestação de Contas, relativa ao exercício sob
análise, bem como do Recurso de Reconsideração (Acórdão APL TC
185/2007), que ensejou na redução do valor imputado, inicialmente de R$
8.965,002 para R$ 4.770,00. Nesta ocasião, merece ser reduzida, ainda, a
quantia de R$ 605,00, sendo R$ 300,00 referente à diária paga a Senhora
lima Alves de Oliveira e não o responsável antes mencionado e R$ 305,00
pertinente a lançamento contábil incorreto, já que se trata de compra de
gêneros alimentícios, conforme se constata nos documentos às fls. 12, 619 e
?0?/?08-A, remanescendo, assim, o valor de R$ 4.165,00, a ser devolvido com
recursos próprios do ex-Secretário;
4. Das despesas aduzidas pelo recorrente (R$ 17.475,41), vislumbrando a
redução do montante aplicado fora dos objetivos do FUNDEF, no valor de
R$ 33.064,41 (fls. 835/836), merece acolhida apenas a referente à compra de
cimento para construção da Quadra de Esportes da Escola Maria de Lourdes
Elias Alves, no valor de R$ 5.900,00, já que outras de idêntica natureza foram
consideradas inicialmente pela Auditoria (fls. 853), remanescendo, assim, o
valor de R$ 27.164,41 a ser restituída à conta do FUNDEF com recursos do
próprio município. Os demais argumentos (pagamento de diárias e de aluguel
de veículos à disposição da SEC) foram insuficientes para desconsiderar o
saldo restante, haja vista que o recorrente se limitou a declarar que constituem
valores efetivamente utilizados (fls. 13). Por fim, cumpre destacar a indevida
inclusão pela Auditoria de novos valores", não questionados na presente
irregularidade, gerando um aumento para R$ 35.839,21;
5. Pertinente à diferença de R$ 55.199,76 entre o saldo contábil e o conciliado na
conta corrente do FUNDEF, importante frisar que quando da apreciação do
Recurso de Reconsideração (Acórdão APL Te 185/2007), foi esclarecido que

1 Tal valor advém do montante de R$ 23.127,45, apontado nas decisões iniciais (Parecer PPL TC 13112003e Acórdão APL TC
500/2003), diminuído da quantia de R$ 1.739,10 (comprovação de diárias), assim considerado no Acórdão APL TC 185/2007
(Recursode Reconsideração),não o sendo novamente nesta ocasião.
2 Foi considerado o valor informado no Relatório Inicial da Auditoria, t em vista que a comprovação apresentada relaciona-se
com o valor total gasto a esse título, não obstante o recorrenteter inf o R$ 8.660,00.
3 A Auditoria ainda considerou a quantia de R$ 5.53 80 como g t adicional com a construção de quadra de esportes, admitido
pelo interessado em outra irregularidade, dimin . do- deste ai o valor de R$ 2.350,00 referente à comprovação de diárias
concedidasno âmbito da Secretaria de Educação.
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

I PROCESSO TC 05546/07 ~ J
O retorno à conta corrente do Fundo, no valor de R$ 71.600,00, decorreu de
determinação contida no Acórdão APL TC 373/2001 (PCA 1999), sendo
devidamente reconhecido como receita do período (exercício de 2001),
culminando, assim, com o afastamento da irregularidade ora em comento;
6. Não é procedente a reclamação do recorrente com vistas à apropriação de
R$ 26.265,36 (fls. 28) na MOE, uma vez que o montante retido no FPM ao
INSS, com base no qual foi realizado tal rateio, diz respeito a valores pagos a
título de parcelamento àquele órgão previdenciário (exercícios anteriores a
2001), não mantendo pertinência, portanto, com as despesas ora
questionadas, que se referem ao exercício em epígrafe, além do que, o
quantum é bem maior que o descontado sob a rubrica de INSS-EMPRESA
(contribuições previdenciárias incidentes sobre folhas de pagamento corrente),
também no FPM, que somou o montante de apenas R$ 9.667,60, não
havendo, pois, justificativas para mudança do percentual de aplicação
(24,30%);
7. O recorrente, que ao longo da tramitação, exigiu a inclusão na conta corrente
do FUNOEF de R$ 71.600,00, o que acabou ocorrendo por determinação do
Acórdão APL TC 372/2001 (PCA exercício 1999), nesta oportunidade requer
que não seja esta considerada para efeito da composição da base de cálculo
da RVM, na contramão, evidentemente, do que estabelece o artigo 7° da Lei
9.424/96. Também não trouxe qualquer despesa nova que pudesse ser
admitida para o aumento do índice já apurado de 58,24%.
Ante o exposto, propõe o Relator aos integrantes do Tribunal Pleno no sentido de
que CONHEÇAM do Recurso de Revisão interposto, por atendidos os pressupostos de
admissibilidade, CONCEDENDO-LHE PROVIMENTO PARCIAL para alterar alguns
aspectos do que motivaram as decisões recorridas, a saber: a) diminuição do valor
imputado ao ex-Prefeito, Senhor Márcio Roberto da Silva, por diárias não
comprovadas, passando de R$ 21.388,354 para R$ 14.638,35; b) redução do valor
imputado ao ex-Secretário da Educação e Cultura, Senhor Francisco das Chagas
Santos, por diárias não comprovadas, de R$ 4.770,005 para R$ 4.165,00; c)
aplicação em despesas fora dos objetivos do FUNDEF, de R$ 33.064,41 para R$
27.164,41, fazendo retorná-lo à conta do Fundo, com recursos do próprio
município.
Mantidos incólumes os demais itens que serviram de esteio para as decisões
vergastadas, a seguir elencados:
1. Aplicação de 24,30% das receitas de impostos mais transferências na MOE;
2. Emprego de 58,24% dos recursos do FUNOEF na Remuneração e Valorização
do Magistério;
3. Inexistência de 12,62% dos procedimentos licitatórios exigíveis.
É a Proposta.
/l
4 Nas decisões contidas no Parecer PPl TC 131/2003 e Acórdão APl TC 500/2003 o valor era de R$ 23.127,45 assando para
R$ 21.388,35 quando da apreciação do Recurso de Reconsideração (Acórdão APl TC 185/2007)./
5 Nas decisões contidas no Parecer PPl TC 13112003e Acórdão APl TC 500/2003 o valo er de R$ 6~JO passando para
R$ 4.770,00 quando da apreciação do Recurso de Reconsideração (Acórdão APl TC 185/2007 /

..:k '\ /"

j
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

I PROCESSO TC 05546/07 ~l
DECISAo DO TRIBUNAL
Vistos, relatados e discutidos os autos do PROCESSOTC-05546/07;e
CONSIDERANDOos fatos narrados no Relatório;
CONSIDERANDOo mais que dos autos consta;
ACORDAM os MEMBROS do TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA
PARAíBA (TCE-PbJ, à unanimidade, de acordo com a Proposta de Decisão do
Relator, na Sessão desta data, em CONHECER do RECURSO DE REVISÃO
interposto, por atendidos os pressupostos de admissibilidade, CONCEDENDO-LHE
PROVIMENTO PARCIAL para alterar alguns aspectos das motivações
fundamentadoras das decisões recorridas, a saber: aJ diminuição do valor
imputado ao ex-Prefeito, Senhor Márcio Roberto da Silva, por diárias não
comprovadas, passando de R$ 21.388,35 para R$ 14.638,35; b) redução do valor
imputado ao ex-Secretário da Educação e Cultura, Senhor Francisco das Chagas
Santos, por diárias não comprovadas, de R$ 4.770,00para R$ 4.165,00; c) aplicação
em despesas fora dos objetivos do FUNDEF, de R$ 33.064,41 para R$ 27.164,41,
fazendo retorná-lo à conta do Fundo, com recursos do próprio municipio.
Mantidos os demais itens das decisões vergastadas, quais sejam:
1. Aplicação de 24,30% das receitas de impostos mais transferências na
MDE;
2. Emprego de 58,24% dos recursos do FUNDEF na Remuneração e
Valorização do Magistério;
3. Inexistência de 12,62% dos procedimentos licitatórios exigíveis.

rkro

Interesses relacionados