Você está na página 1de 3

Pt'Jb~fcado.~.

Em.•J2_~.,{....12:3_C.ZL.,

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO


PROCESSO TC 2.688/06

Prestação de Contas do Prefeito Municipal de


Juazeirinho, Sr. Frederico Antonio Raulino de
Oliveira, relativa ao exercício financeiro de 2005 -
Parecer contrário - Atendimento parcial aos
dispositivos da LRF - Aplicação de multa

PA R E e E R PPL Te

Vistos, relatados e discutidos os presentes autos do Processo TC


2.688/06, que trata da Prestação de Contas apresentada pelo Prefeito do Município
de Juazeirinho, Sr. Frederico Antônio Raulino de Oliveira, relativa ao exercício
financeiro de 2005.

CONSIDERANDO que a Auditoria, após análise reiterada dos


documentos que instruem o presente processo, inclusive dos esclarecimentos
apresentados pelo gestor e do Processo de Denúncia TC n.? 4.211/2006, concluiu
pela existência das seguintes irregularidades:

1) Incorreta elaboração do RGF encaminhado ao Tribunal;


2) Incompatibilidade de informações entre o RGF e a PCA.
3) Despesas sem licitação no montante de R$ 1.141.838,19;
4) Aplicação em remuneração do magistério correspondente a 58,96% dos
recursos do FUNDEF, não atendendo ao mínimo legalmente exigido;
5) Excesso do consumo de óleo diesel, no valor de R$ 83.416,13;
6) Irregularidades na Merenda Escolar relativas a: falta de refeitório para os
alunos; falta de geladeira para conservação dos alimentos e parte do arroz
estocado fora do prazo de validade;
7) Descaso com o transporte de estudantes, tendo em vista a utilização de
veículos em precárias condições de uso, além de inadequados e proibidos
para esta utilização, por se tratar de caminhões e camionetas, conforme fotos
anexadas pela Auditoria;
8) Pagamento de remuneração a servidores abaixo do salário mínimo;
9) Falta de conservação do prédio onde funciona o Posto Médico;
10)Não admissão de aprovados em concurso público, enquanto que o Município
mantém pessoas contratadas por tempo determinado ocupando cargos de
provimento efetivo;
11)Encaminhamento de balancetes mensais para a Câmara Municipal com falt
de alguns empenhos.

CONSIDERANDO que o Ministério Público desta Corte, em parecer


conclusivo, pugnou pelo (a): (a) emissão de parecer contrário à aprovação das
contas; (b) emissão de parecer declarando atendimento parcial aos requisitos da Lei
de Responsabilidade Fiscal; (c) julgamento regular com ressalvas das despesas
realizadas à margem da lei de licitações; (d) imputação de débito ao Prefeito, no
valor de R$ 83.416,13, pelo excesso de cons.umo de óleo diesel; (e) aplicação de
multa pessoal ao Prefeito, por infrações a normas legais e danos causados ao
or6ri,," L"t. IA t"" -I __ ~ - ~
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
PROCESSO TC 2.688/06

CONSIDERANDO que as falhas relativas à gestão fiscal proporcionam a


errussao de parecer declarando o atendimento parcial às exigências da Lei de
Responsabilidade Fiscal pelo Chefe do Poder Executivo;

CONSIDERANDO que, no entendimento do Relator, as falhas atinentes


aos registros contábeis, à merenda escolar, ao transporte de estudantes, à
conservação de prédio público, ao encaminhamento de balancetes incompletos à
Câmara Municipal, à contratação de pessoal por tempo determinado e à ausência de
nomeação de servidores concursados ensejam recomendações à Administração
Municipal no sentido de corrigi-Ias, sob pena de desaprovação de futuras contas e
aplicação das cominações legais cabíveis;

CONSIDERANDO que a realização de despesas sem o devido


procedimento licitatório, além de macular a regularidade das contas prestadas, nos
termos do Parecer Normativo TC 52/2004, possibilita a aplicação de multa ao Gestor
responsável, conforme dispõe a Lei Orgânica deste Tribunal;

CONSIDERANDO que a não aplicação mínima legal em Remuneração do


Magistério ocasiona a desaprovação das contas, ora em apreciação, conforme
estabelece o Parecer Normativo 52/2004 desta Corte;

CONSIDERANDO que, em nova diligência promovida pela douta


Auditoria, constataram-se as aquisições e os tombamentos dos equipamentos de
informática e das carteiras escolares que não haviam sido encontrados pelo Órgão
de Instrução, por ocasião da primeira inspeção in loco realizada no Município;

CONSIDERANDO que, na opinião do Relator, não cabe, no caso


específico dos autos, a glosa das despesas com aquisição de óleo diesel;

CONSIDERANDO o Relatório e o Voto do Relator, o pronunciamento do


Órgão de Instrução, o Parecer escrito e oral do Ministério Público junto a esta Corte
e o mais que dos autos consta;

CONSIDERANDO os votos dos Conselheiros Fernando Rodrigues Catão


e Fabio Túlio Filgueiras Nogueira;

DECIDEM os Conselheiros do TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA


PARAíBA, na sessão realizada nesta data, por maioria de votos, em:

1. Emitir Parecer Contrário à aprovação da Prestação de Contas apresentada


pelo Sr. Frederico Antônio Raulino de Oliveira, Prefeito do Município de
Juazeirinho, relativa ao exercício de 2005; \ /)/./'7
;

2. Emitir, em separado, Acórdão:


PROCESSO TC 2.688/06
TRIBUNAL
I
~
DE CONTAS DO ESTADO

a) Declarando o atendimento parcial pelo Poder Executivo Municipal de


Juazeirinho às exigências da Lei de Responsabilidade Fiscal, em
relação ao exercício financeiro de 2005;
b) Aplicando multa pessoal ao Sr. Frederico Antônio Raulino de Oliveira,
no valor de R$ 2.805,10, por infração grave à norma legal, nos termos
do que dispõe o inciso 11 do art. 56, da Lei Orgânica deste Tribunal,
assinando-lhe o prazo de 60 (sessenta) dias para o recolhimento
voluntário à conta do Fundo de Fiscalização Orçamentária e Financeira
Municipal;
c) E recomendando à Administração Municipal no sentido de evitar a
repetição das falhas e omissões constatadas no exercício em análise,
sob pena de desaprovação de futuras contas e da aplicação de outras
sanções legais.

Presente ao julgamento a Exma. Senhora Procuradora Geral.

Publique-se, registre-se, cumpra-se.

Te - PLENÁRIO MINISTRO JOÃO AGRIPINO

João Pessoa, O q de de 2008_

4
/1,
~
I
~j
4SE MARQUES MARIZ
, Relator

FERNANDO R RIGUES CATÃO


Onselheiro

FABIO TÚLlO FILGUEIRAS NOGUEIRA


Conselheiro

~ r»; g~ ' ~~-J

IANAtERÊSA NÓBREGA \J ~
Procuradora-Geral