Você está na página 1de 3

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

I PROCESSO TC 06808/07

[TI]!

ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO 1. 2. 1. JULGUE IRREGULAR 25/10/2007, em face da verificação de saldo R$
ADMINISTRAÇÃO
RELATÓRIO
1.
2.
1. JULGUE IRREGULAR
25/10/2007,
em face da verificação
de saldo
R$ 17.776,83.
2.
3.
4.
5.
Foram feitas as comunicações de estilo.
É o Relatório.
PROPOSTA DE DECISÃO

DIRETA

MUNICIPAL

PREFEITURA MUNICIPAL DE MULUNGU - INSPEÇÃO ESPECIAL GESTÃO GERAL EXAME DA MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA REALIZADA NO PERíODO DE 01 A 25 DE OUTUBRO DE 2007 - IRREGULARIDADE - EXISTÊNCIA DE SALDO A DESCOBERTO - IMPUTAÇÃO

DE DÊBITO - APLICAÇÃO DE MULTA, DENTRE OUTRAS MEDIDAS.

_

ACÓRDÃO APL • TC 34/J '-20-0_8

Tratam estes autos do processo de inspeção especial realizado na Prefeitura Municipal de MULUNGU, com vistas a verificar o saldo das disponibilidades financeiras registradas em CAIXAlTESOURARIA e BANCOS, durante o período de 01 a 25 de outubro de 2007, de responsabilidade do Prefeito Municipal, Senhor José Leonel de Moura.

A Auditoria, após realização de diligência in loco, chegou às seguintes conclusões:

Existência de saldo a descoberto na conta Caixa/Tesouraria, no valor total de R$ 17.776,83, devendo o gestor ser responsabilizado pelo prejuízo financeiro causado ao erário municipal;

Realização de despesa sem prévio empenho, contrariando a Lei nO4.320/64.

Notificado, o responsável apresentou a defesa de fls. 259/275, que a Unidade Técnica de Instrução analisou e concluiu pela permanência das suas anteriores conclusões.

Solicitada prévia oitiva do Parquet, o ilustre Procurador André Carlo Torres Pontes pugnou, após considerações, para que esta Egrégia Corte:

a administração de recursos públicos pelo Prefeito de

MULUNGU, Senhor José Leonel de Moura, relativamente ao período de 01/01 a

a descoberto,

no valor

de

IMPUTE DÉBITO ao Senhor JOSÉ LEONEL DE MOURA, correspondente ao valor atualizado de R$ 17.776,83.

APLIQUE-LHE MULTA por atos de gestão ilegais e danos ao erário, com base na LCE 18/93, arts. 55 e 56.

REPRESENTE à Procuradoria Geral de Justiça para as providências a seu cargo que entender cabíveis.

ENCAMINHE cópia da decisão ao processo de prestação de contas de 2007 do mesmo Prefeito.

Tendo em vista q e os argumentos do defendente não foram suficientes para elidir a pecha apontada pela A ditoria, o Relator propõe aos integrantes deste egrégio Tribunal Pleno, no sentido d que

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

I PROCESSO TC 06808/07

~I

1. JULGUEM IRREGULAR a administração dos recursos públicos pelo Prefeito de MULUNGU, Senhor José Leonel de Moura, relativamente ao período de 01 a 25/10/2007, em face da existência de saldo a descoberto;

2. DETERMINEM ao atual Prefeito Municipal de MULUNGU, Senhor JOSÉ LEONEL DE MOURA, a restituição aos cofres públicos municipais, da importância de R$ 17.776,83 1 (dezessete mil e setecentos e setenta e seis reais e oitenta e

de

três centavos), referente a saldo a descoberto apurado no período de 01 a 25 outubro de 2007;

3. APLIQUEM multa pessoal ao Senhor JOSÉ LEONEL DE MOURA, no valor de

de

R$ 2.805,10 (dois mil e oitocentos e cinco reais e dez centavos), em virtude

saldo a descoberto, configurando, portanto, a hipótese prevista no artigo 56, inciso 11, da LOrCE (Lei Complementar 18/93);

4. ASSINEM-LHE, também, o prazo de 60 (sessenta) dias para o recolhimento voluntário, do valor da multa antes referenciado, sob pena de cobrança executiva, desde já recomendada, inclusive com a interveniência da Procuradoria Geral do Estado ou do Ministério Público, na inação daquela, nos termos dos parágrafos e 4°, do artigo 71 da Constituição do Estado, devendo a cobrança executiva ser promovida nos 30 (trinta) dias seguintes ao término do prazo para recolhimento voluntário, se este não ocorrer;

5. DETERMINEM

de

a juntada

de cópia desta decisão

aos autos do processo

prestação de contas, relativa ao exercício de 2007;

6. REPRESENTEM à Procuradoria Geral de Justiça para a adoção das providências que entender cabíveis.

É a Proposta.

DECISÃO DO TRIBUNAL

Vistos, relatados e discutidos os autos do PROCESSO TC-06BOB/07; e

CONSIDERANDO os fatos narrados no Relatório;

CONSIDERANDO

o mais que dos autos consta;

ACORDAM os Membros do TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA PARAíBA

(TCE-PbJ, à unanimidade de votos, de acordo com a Proposta de Decisão do Auditor

Relator, na Sessão realizada nesta data, em:

1. JULGAR IRREGULAR a administração dos recursos públicos pelo Prefeito de

MULUNGU, Senhor José Leonel de Moura, relativamente ao período de 01 a

25/10/2007, em face da existência de saldo a descoberto;

2. DETERMINAR ao atual Prefeito Municipal de MULUNGU, Senhor JOSÉ

LEONEL DE MOURA, a restituição aos cofres públicos municipais, da

importãncía de R$17.776,B3 1 (dezessete mil e setecentos e setenta e seis

I Cabe informar, ainda, q a despesa com aquisição d

ai

relatório da Auditoria de fls. 77/278, está inclusa

fls. 213 e 13.

///

- camentos não comprovada, no valor de R$ 8.292,50, citada no o saldo a descoberto de R$ 17.776,83, conforme demonstrativo de

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

I PROCESSO TC 06808/07

~I

reais e oitenta e três centavos), referente a saldo a descoberto apurado no

período de 01 a 25 de outubro de 2007, no prazo de 60 (sessenta) dias;

3. APLICAR multa pessoal ao Senhor JOSÉ LEONEL DE MOURA, no valor de

R$ 2.805,10 (dois mil e oítocentos e cinco reais e dez centavos), em virtude de

saldo a descoberto, configurando, portanto, a hipótese prevista no artigo 56, inciso 1/, da LOTCE (Lei Complementar 18/93);

4. ASSINAR-LHE, também, o prazo de 60 (sessenta) dias para o recolhimento voluntário, do valor da multa antes referenciado, sob pena de cobrança executiva, desde já recomendada, inclusive com a interveniência da

Procuradoria Geral do Estado ou do Ministério Público, na inação daquela, nos termos dos parágrafos 3° e 4°, do artigo 71 da Constituição do Estado, devendo a cobrança executiva ser promovida nos 30 (trinta) dias seguintes

ao término do prazo para recolhimento voluntário, se este não ocorrer;

5. DETERMINAR a juntada de cópia desta decisão aos autos do processo de prestação de contas, relativa ao exercício de 2007;

6. REPRESENTAR à Procuradoria Geral de Justiça para a adoção das providências que entender cabiveis.

mgsr

Fui presente:

f-Jl.::::~-~~:::S~~~-P~=b

===:

--