Você está na página 1de 4

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO-TC-02164/06

Administração Direta Municipal. Prefeitura de JACARAÚ.


PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL relativa ao exercício de 2005.
RECURSO DE RECONSIDERAÇÃO - Conhecimento. Provimento
parcial para excluir a irregularidade e a imputação referente a
despesas com aquisição de fogos de artifício e manutenção dos
demais termos do Acórdão APL-TC nO467/2007 e Parecer PPL-TC
nO 126/2007, inclusive a manutenção do Parecer Contrário à
aprovação das Contas e determinações contidas nas decisões.

RELATÓRIO
O Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, em sessão plenária do dia 18/07/2007, apreciou a
Prestação de Contas do Município de Jacaraú/PB, relativa ao exercício financeiro de 2005, de
responsabilidade da Prefeita e Ordenadora de Despesas, Sra Maria Cristina da Silva, decidindo,
através do Parecer PPL-TC n? 126/2007 e do Acórdão APL-TC n? 467/2007, publicados no D.O.E.
em 14/08/2007, por:
Parecer PPL-TC nO126/2007
I. emitir e encaminhar ao julgamento da Egrégia Câmara Municipal de JACARAÚ, este PARECER
CONTRÁRIO à aprovação da Prestação de Contas da Prefeita Municipal de Jacaraú, Sra Maria
Cristina da Silva, relativa ao exercício de 2005, tendo em vista a aplicação das despesas
condicionadas constitucionalmente fora dos limites legais, dentre outras infrações à
Constituição Federal, à Lei de Responsabilidade Fiscal e à Lei de Licitações (Lei 8.666/93):
a) Manutenção e Desenvolvimento do Ensino (MDE) alcançou apenas 22,87% da RIT;
b) Remuneração e Valorização do Magistério atingiu 57,43% das receitas do FUNDEF;
c) aplicação em serviços de saúde chegou a 13,82% da RIT;
d) despesas com pessoal da municipalidade alcançaram 63,22% da RCL;
e) gastos com o Poder Executivo atingiram 58,19% da RCL.

Acórdão APL-TC nO467/2007


I. imputar débito no total de R$ 726.765,55 (setecentos e vinte e seis mil, setecentos e sessenta
e cinco reais e cinqüenta e cinco centavos), a Sra Maria Cristina da Silva, correspondentes às
seguintes despesas:
i. Aquisição de combustíveis de forma irregular;
R$ 228.907,48 -
ii. R$ 161.080,00 - Locação de veículos irregular;
iii. Prestação de serviços com locação de veículos sem o respaldo
R$ 31.000,00 contratual;
iv. R$ 3.627,00 - Aquisição de passagens aéreas sem a devida comprovação
v. 37.998,60 - Aquisição de merenda escolar sem que esta tenha transitado
pelo o almoxarifado da Secretaria da Educação;
vi. 1.010,00 Pagamento à ASTEC - Assistência Técnica em contabilidade
para elaborar declaração de imposto de renda dos componentes
do Conselho de Educação do Município;
vii. 5.040,70 - Pagamento em duplicidade referente à aquisição de peças de
reposição para viatura da Delegacia de Polícia do Município;
.............. . .
viii. R$ 447,17 - Pagamento ao INSS referente a multas e juros de mora;
PROCESSO- TC-02164/06 f1s.2

iX:R$ 29.300,00 -Aq·uislçâodefogosdeartlilclosparashowplroiécnlco i 1


m

~.§.º~!.~~'ºº.~

..................................... . .

x·m ~~ ç~'.:I!~~!~çª.~
~.~ ~.~.'.:I.~~~.~~Jg~~~mP!!.r.ª.~.~.~~.~
r.!I..~.~.i.C?ªi~.~
.
xi. R$ 67.G30,GO - Pagamento excessivo de peças e serviços de manutenção
realizadas no ônibus placa MMQ 4170, de propriedade da
...............
p~~f~i.!~~!!..;
....
11. aplicar multa a Sr", Maria Cristina da Silva, no valor de R$ 2.805,10 (dois mil, oitocentos e
2
cinco reais e dez centavos), com supedâneo no art. 56, incisos 11 , da LOTCE/PB, por infração
grave à norma legal, tendo em vista a transgressão de normas legais e constitucionais quando
do: não atendimento quanto ao repasse para o Poder Legislativo; aquisição de material de
construção à firma inidônea; e realização de despesas sem procedimento licitatório;

11I. assinar ao devedor o prazo de GO(sessenta) dias, a contar da publicação deste ACÓRDÃO no
Diário Oficial do Estado, para recolhimento voluntário" dos débitos, sob pena de cobrança
executiva, desde logo recomendada, observado o disposto nos parágrafos 3° e 4° do art. 71 da
Constituição do Estado;

IV. formalizar processo apartado objetivando a análise dos gastos com serviços de pintura das
escolas municipais;
V. encaminhar cópia das principais peças à Procuradoria Geral de Justiça para as providências
cabíveis;
VI. representar à Delegacia da Receita Federal, à Secretaria das Finanças do Estado e à
Prefeitura Municipal de João Pessoa a respeito da inexistência do endereço informado nas
certidões emitidas pelas empresas e as ilegalidades fiscais apontadas pela Auditoria desta
Corte.
Inconformada com as decisões, em 29/08/2007, a Sra Maria Cristina da Silva, através do seu
representante legal, interpôs, tempestivamente, RECURSO DE RECONSIDERAÇÃO (fls. 4589-4744),
tendo o Relator recebido nos autos e determinado à análise do citado recurso pelo Órgão de Instrução
(fls. 4745).

A Auditoria analisou em 12/12/2007, fls. 4749-4756, a documentação apresentada pela impetrante,


concluindo por:
I. confirmar a apresentação de documentos comprovando a devolução dos valores aos cofres
municipais referentes à realização de despesas irregulares com pagamentos à empresa
ASTEC (R$ 1.010,00) e de despesas antieconômicas com pagamentos de multas e juros de
mora ao INSS (R$ 447,17);
11. acatar as justificativas
apresentadas em relação à execução de despesas, no valor de R$
37.200,00, com aquisições de fogos de artifício;
111. manter as demais irregularidades apontadas.
O Ministério Público junto ao Tribunal emitiu o Parecer nO 128/08, datado de 31101/2008, da lavra da
ilustre Procuradora Elvira Samara Pereira de Oliveira (fls. 4757/4760), afirmando que, com relação
aos valores devolvidos aos cofres municipais:

Todavia, é imponente salientar que tal atitude não elide as irregularidades vertentes, somente
servindo para fins de verificação de cumprimento da decisão recorrida."
Ao relatar o acatamento por parte do Órgão Técnico das justificativas relativas às despesas realizadas
com aquisição de fogos de artifício, afirmou que:

1 R$ 7.900,00 foram consideradosna festa de posseda Prefeita.


2 Art. 56, 11- infração grave a norma legal ou regulamentar de natureza contábil, financeira, orçamentária, ope-
racional e patrimonial;
3 Devolução - ao erário municipal;
Multa - ao Fundo de Fiscalização Orçamentária e Financeira Municipal - mediante a quitação de Documento de Ar
ção de Receitas Estaduais (DAE) com código "4007" - Multas do Tribunal de Contas do Estado
PROCESSO-TC-02164/06 f1s.3

Data vênia, entende este Órgão Ministerial pela subsistência da irregularidade vertente e da
imputação do valor a ela correspondente, ratificando o que já foi dito a esse respeito em seu Parecer
nO 59312007 (fls. 4563), da lavra do ilustre Procurador Dr. Marcílio Toscano Franca Filho, no sentido
que tais gastos não se coadunam com o interesse público e poderiam ter sido direcionados aos
setores de saúde e de educação, os quais não atingiram o mínimo legal exigido."

Ao final, o Parquet concluiu seu Parecer opinando por:


"EX POSITlS, opina este Órgão Ministerial, preliminarmente, pelo conhecimento do recurso de
reconsideração, posto que tempestivo, e, no mérito, pelo seu não provimento, ratificando-se o inteiro
teor do Parecer PPL TC nO 12612007 e do Acórdão APL TC nO46712007."

Durante a apreciação do presente processo na sessão plenária do Tribunal Pleno, o Ministério Público
emitiu Parecer oral pugnando pelo conhecimento do recurso de reconsideração e, no mérito,
acompanhando o posicionamento do Órgão Técnico de Instrução.
O processo foi agendado para esta sessão, com as notificações necessárias.

VOTO DO RELATOR
Considerando que o Órgão de Instrução deste Tribunal posicionou-se pelo acatamento das
justificativas apresentadas em relação à execução de despesas com fogos de artifício;
Considerando que com relação às demais irregularidades foram apresentados argumentos por parte
do recorrente, porém não foram inseridos nos autos documentos e explicações capazes de saná-Ias,
motivo pelo qual foram ratificadas;
Considerando a manifestação oral da Representante do Ministério Público junto a este Tribunal que
pugnou pelo conhecimento do recurso de reconsideração e, no mérito, acompanhou o
posicionamento do Órgão Técnico de Instrução;
Voto pelo conhecimento do presente recurso de reconsideração impetrado contra o Acórdão APL-TC
nO467/2007 e o Parecer PPL-TC n° 126/2007, e, quanto ao mérito, pelo provimento parcial, tendo em
vista o relatório do Órgão Técnico, para efeito de:
I. excluir a irregularidade e a imputação referente a despesas com aquisição de fogos de artifício
para show pirotécnico, no valor de R$ 29.300,00;
11. determinar a análise dos recolhimentos efetuados referentes à realização de despesas
irregulares com pagamentos à empresa ASTEC (R$ 1.010,00) e de despesas antieconômicas
com pagamentos de multas e juros de mora ao INSS (R$ 447,17) quando da verificação de
cumprimento de decisão;
111. manter os demais termos do Acórdão APL-TC nO 467/2007 e do Parecer PPL-TC-126/2007,
inclusive a manutenção do Parecer Contrário à aprovação das Contas e determinações
contidas nas decisões.

DECISÃO DO TRIBUNAL PLENO


Vistos, relatados e discutidos os autos do PROCESSO-TC-02164/06, ACORDAM os Membros do
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA PARAíBA, à unanimidade, na sessão plenária realizada
nesta data, em conhecer o presente Recurso de Reconsideração impetrado, e no mérito, conceder
provimento parcial, para:
I. excluir a irregularidade e a imputação referente a despesas com aquisição de fogos de artifício
para show pirotécnico, no valor de R$ 29.300,00;
11. determinar a análise dos recolhimentos efetuados referentes à realização de despesas
irregulares com pagamentos à empresa ASTEC (R$ 1.010,00) e de despesas antieconômicas
com pagamentos de multas e juros de mora ao INSS (R$ 447,17) quando da verificação de,
cumprimento de decisão; .<-f--
<,
PROCESSO- TC-02164/06 flsA

111. manter os demais termos do Acórdão APL-TC nO 467/2007 e do Parecer PPL-TC-126/2007,


inclusive a manutenção do Parecer Contrário à aprovação das Contas e determinações
contidas nas decisões.
Publique-se, registre-se e cumpra-se.
TCE-Plenário Ministro João Agripino

João Pessoa, ---P-L de -+---\--'f-L.~~~;...:=.. __ de 2008

Conse/hei

~.:~- .~-~'

Conselheiro Fábio Túlio Fi/gueiras Nogueira


Relator

Fui presente,

Procuradora b 9 "'-~
Ana Teresa Nóbrega
eral do Ministério Público junto o TCE-Pb

I \