Você está na página 1de 2

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC nO1319/06

Denúncia. Prefeitura Municipal de São João do Cariri. Exercício de 2001, 2002 e 2004. Procedência da denúncia.

ACÓRDÃO APL TC N.o

JkJ,

/2008

Vistos, relatados e discutidos os autos do Processo TC n. ° 1319/06, que trata

de denúncia de irregularidade praticada pelo prefeito de São João do Cariri, Sr. Valter

Marcone Medeiros e pelo Vereador Maurício Pereira da Silveira, apresentada através de

Ação Popular pelo Sr. Edivan Farias de Araújo, e repassada a este TCE pelo Juízo de Direito da Comarca do mencionado município;

CONSIDERANDO que a Auditoria, mediante realização de diligência no citado Município, analisou a denúncia protocolizada neste TCE sob o n.? 22474/04, constatando no

relatório de fls. 60/61, que o vereador Maurício Pereira da Silveira forneceu carne para a Prefeitura de São João do Cariri, durante o exercício da vereança, em 2001, 2002 e 2004 (fls. 25 a 40 e 43), sendo esse tipo de contratação vedada pela Constituição Federal e pela

Lei Orgânica do Município (fls. 59);

CONSIDERANDO que o Prefeito foi notificado para conhecimento do fato denunciado, apresentou defesa de fls. 66/90, onde alega em resumo (doc. fls. 70) que "a conduta do Gestor não pode ser tida por ilegal, uma vez que o ordenamento jurídico não o

proíbe de contratar com vereador", e complementa afirmando (doc. fls. 71) "no que tange ao

". No final da

defesa requer, em resumo: 1)- que seja reconhecida a incompetência do Tribunal de Contas

para deliberar sobre impedimentos ou incompatibilidades, cuja atribuição pertence ao Plenário da Câmara Municipal."; 2)- pela improcedência da denúncia, alegando que a "compra de carnes dava-se em uniformidade de cláusulas, conforme documentação acostada", sem apresentar qualquer documento que comprove a legalidade da operação;

Prefeito, não há ilegalidade e nem ofensa à moralidade ou impessoalidade

CONSIDERANDO que, após a análise dos argumentos apresentados pela defesa,

o orgao técnico

argumentações/justificativas expendidas nos autos não merecem acolhida, e reafirma, sua

posição inicial;

as

deste Tribunal,

concluiu, no relatório

de

fls.

92/93, que

CONSIDERANDO que o vereador Maurício Pereira da Silveira foi notificado (fls. 94/96) para apresentar defesa, relativamente aos fatos constantes da denúncia e do Relatório da Auditoria (fls. 60/61), deixando escoar o prazo regimental sem apresentar esclarecimentos;

CONSIDERANDO os Relatórios da Auditoria, o Parecer oral da Procuradoria Geral, o voto do relator e o mais que dos autos consta,

ACORDAM os Conselheiros do Tribunal de Contas do Estado da Parm for

LY'\

unanimidade de votos, em sessão plenária realizada

\

lV

(IV

, ~'

;

'

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC nO1319/06

1. Conhecer e julgar PROCEDENTE a denúncia formulada contra o Prefeito Municipal de São João do Cariri, Sr. Valter Marcone Medeiros e o Vereador Maurício Pereira da Silveira, exercício de 2001, 2002 e 2004;

2. Aplicar, com base no art. 56, " da Lei Complementar nO18/93 (LOTCE), multa pessoal ao citado Prefeito, no valor de R$ 1.500,00, pelas práticas irregulares apuradas;

3. Assinar ao mencionado Prefeito o prazo de sessenta (60) dias, a contar da data da publicação do presente Acórdão, para que seja efetuado o recolhimento da multa (R$ 1.500,00) à conta do Fundo de Fiscalização Orçamentária e Financeira Municipal, cabendo a ação ser impetrada pela Procuradoria Geral do Estado (PGE), em caso de não recolhimento, com intervenção do Ministério Público, na hipótese de omissão da PGE, nos termos do § 4° do art. 71 da Constituição Estadual;

4. Recomendar ao chefe do Poder executivo Municipal de São João do Cariri que se abstenha de novas compras irregulares com agentes políticos, sob pena de multa, e outras cominações legais, inclusive repercussões no exame das contas anuais.

Publique-se, intime-se e cumpra-se.

'\

Iv

TC.PLENÁRIO MINISTRO JOÃO AGRIPINO, em 30 de abril de 2008.

Jtt'rwlliilcoAlves Viana heiro Presidente

es Pereira