Você está na página 1de 3

:~ .'. ~ '. ••..•. .

ó'

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO


PROCESSO TC 2.650/06

Prestação de Contas do Prefeito Municipal de Boa


Vista, Sr. José Alberto Soares Barbosa, relativa ao
exercício financeiro de 2005 Recurso de
Reconsideração - Conhecimento e provimento parcial.

ACÓRDÃO APL TC N° ] 2 ~ /08

Vistos, relatados e discutidos os presentes autos do Processo TC N°


2.650/06, referente ao Recurso de Reconsideração interposto tempestivamente pelo
Prefeito Municipal de Boa Vista, Sr. José Alberto Soares Barbosa, objetivando a
reforma do Parecer PPL-TC 110/2007 (fls. 1101/1102) que foi contrário à aprovação
das referidas contas; do Parecer PGF-PEM 145/2007 (fls. 1105) que declarou o
atendimento parcial às disposições da LRF pelo Poder Executivo daquele município;
e do Acórdão APL TC 420/2007 que lhe imputou multa pessoal no montante de R$
2.805,10, nos termos dos incisos I e 11 do art. 56 da Lei Orgânica deste Tribunal e
assinou à Administração Municipal o prazo de 60 (sessenta) dias para devolver à
conta do FUNDEF, com recursos da própria Edilidade, o valor de R$ 29.415,51,
referente à diferença constatada na conta daquele Fundo.

CONSIDERANDO que, mediante o referido recurso, o ex-gestor trouxe


novos argumentos no tocante às seguintes irregularidades:

1) Incompatibilidade de informações entre o RGF e a PCA.


2) Despesas sem licitação no montante de R$ 502.513,75,
correspondendo a 8,17% da despesa realizada no exercício.
3) Diferença "a menor" no saldo da conta do FUNDEF no valor de R$
29.415,51.

CONSIDERANDO que a douta Auditoria, após analisar as razões do


recurso, entendeu elidida a irregularidade concernente à diferença a menor na conta
do FUNDEF, concluindo pela subsistência das demais, retificando, entretanto, o
valor das despesas realizadas sem licitação para o montante de R$ 492.687,25, que
passaram a correspondera 8,08% da despesa orçamentária realizada no exercício;

CONSIDERANDO que o Ministério Público Especial junto a esta Corte


de Contas pugnou, preliminarmente, pelo conhecimento do Recurso de
Reconsideração, e, no mérito, pelo seu provimento parcial, a fim de retirar do rol das
irregularidades a falha relativa à diferença a menor na conta do FUNDEF e retificar o
valor das despesas não licitadas para R$ 492.687,25; mantendo-se, no entanto, o
Parecer contrário à Aprovação da Prestação de Contas do Município de Boa Vista,
relativa ao exercício de 2005; )
(vVI
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
PROCESSO TC 2.650/06

CONSIDERANDO que o presente Recurso de Reconsideração,


segundo o Relator, foi protocolizado junto a este Tribunal um dia após o decurso do
prazo regimental.

CONSIDERANDO que o Relator entende poder ser relevada esta falha,


devendo ser conhecido o referido recurso.

CONSIDERANDO que, quanto ao mérito, o Relator acompanhou o


relatório do Órgão de Instrução e o Parecer Ministerial, votando pelo conhecimento
do recurso e, no mérito, pelo seu provimento parcial, no sentido de:

a. Excluir do rol das irregularidades anteriormente identificadas aquela


concernente à diferença a menor na conta do FUNDEF;
b. Retificar o valor apontado na decisão recorrida como não licitado, para
R$ 492.687,25;
c. Manter as demais decisões consubstanciadas no Parecer PPL-TC
110/2007

CONSIDERANDO que o Conselheiro Marcos Ubiratan Guedes Pereira


acompanhou o voto do Relator;

CONSIDERANDO que os Conselheiros Fernando Rodrigues Catão e


Fábio Túlio Filgueiras Nogueira votaram pelo conhecimento do Recurso e, no mérito,
pelo seu provimento integral;

CONSIDERANDO que o Presidente em exercício, Conselheiro Antônio


Nominando Diniz Filho, ao proferir o voto de desempate, acompanhou integralmente
o entendimento do Relator;

ACORDAM os membros integrantes do TRIBUNAL DE CONTAS DO


ESTADO DA PARAíBA, em sessão realizada nesta data, por unanimidade de votos,
em, preliminarmente, CONHECER DO RECURSO interposto pelo Prefeito do
Município de Boa Vista, Sr. José Alberto Soares Barbosa, e, no mérito, por maioria
de votos, pelo seu PROVIMENTO PARCIAL, no sentido de:

1. Excluir do rol das irregularidades anteriormente identificadas aquela


concernente à diferença a menor na conta do FUNDEF;
2. Retificar o valor apontado na decisão recorrida como não licitado, para
R$ 492.687,25;
3. Manter as demais decisões consubstanciadas no Parecer PPL- TC
110/2007.

Presente ao julgamento a Exma. Senhora Procuradora Geral.


TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
PROCESSO Te 2.650/06

Publique-se, registre-se, cumpra-se.

Te - PLENÁRIO MINISTRO JOÃO AGRIPINO

João Pessoa, /\ "\ de de 2008.

ANTÔNIO
Presid
A
/
~1 /,/1/1/

fJOSÉ MARQUES MARIZ


Conselheiro Relator

 _ ~
I~
-
TERESA NOBREGA'
~V:
~ ~
Procuradora-Geral