Você está na página 1de 4

Publicado O.O.E.

Em .:YQ/_QJ?/ Df
,
~
Secretélrill c rlbunill Pleno

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO


--Pág. 01/04-

P R O C E S S O: Te - 03.623/03
D O C U M E N T O TC - 05.600105
Administração direta. PRESTAÇÃO DE
CONTAS, exercício de 2004, do PODER
EXECUnVO do MUNICÍPIO DE SALGADO
DE SÃO FÉLIX. RECURSO DE
RECONSIDERAÇÃO das decisões
consubstanciadas no Parecer PPL-TC-
163/2006 e Acórdão APL TC - 767/2006.
Conhecimento do Recurso, dada sua
tempestividade e legitimidade e, no
mérito,. pelo provimento parcial para
reduzir o total do débito imputado ao
prefeito, permanecendo inalterados os
demais termos do Parecer PPL - TC -
163/2006 e do Acórdão APL - TC -
767/2006.

1. RELATÓRIO
1.01. Este Tribunal, na sessão de 08 de novembro de 2006, examinou o PROCESSO
TC-03.623/03 (Documento TC - 05.600/05), correspondente à PRESTAÇÃO DE
CONTAS ANUAL, exercício 2004, do Município de SALGADO DE SÃO FÉLIX, de
responsabilidade do Prefeito NILTON MARQUES BESERRAe emitiu:

1.01.1. Parecer PPL-TC- 163/2006 pela reprovação das contas em função das
seguintes irregularidades:
1.01.1. Quanto à Gestão Fiscal:
~ Não comprovação da publicação dos Relatórios de Execução Orçamentária
(REO) do 10. ao 60. bimestres e de Gestão Fiscal (RGF) do 10. e 20.
semestres.
~ Arrecadação de receita do Imposto sobre Propriedade Territorial e Urbana
(IPTU), abaixo da previsão (15,70%), contrariando o disposto no Caput do
Art. 11 da Lei Complementar nO. 101/2000 (LRF).
~ Divergência entre as informações contidas nos RGF e as constantes na
PCA.
~ Insuficiência financeira de R$45.828,54, para saldar os compromissos de
curto prazo, infringindo o Art. 42 da LRF.

.r:<, \

\
\
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
--Pág. 02/04-
~ Despesas com pessoal do Poder Executivo (57,50%) superiores ao limite
máximo exigido (54% - Art. 20 da LRF), sem indicação de medidas
corretivas; incluídas as do Poder Legislativo, estes gastos ultrapassam em
1,36% o limite máximo (60%), estabelecido no Art. 19.
1.01.2.0uanto à Gestão Geral:
~ Divergência entre o total de créditos adicionais suplementares abertos
informado na PCA e SAGRES (R$940.500,00) e o constante dos decretos
encaminhados a este Tribunal (R$1.212.515,00).
~ Despesas não licitadas, no valor de R$551.154,99, o equivalente a 10,77%
da despesa orçamentária realizada.
~ Pagamento de despesas (R$453.782,02) sem as devidas cópias de cheque,
em desobediência ao Art. 70. da Resolução Normativa - TC 04/2004.
~ Despesas, no total de R$27.612,00 sem notas fiscais, documentação hábil
à liquidação da despesa, tornando-se irregulares tais gastos.
~ Despesas, no total de R$81.078,87 com INSS, sem comprovação dos
pagamentos.
~ Atraso de até 11 (onze) meses no pagamento dos salários dos servidores;
o montante dos salários não pagos, no exercício, foi de R$446.758,53, com
agravante de que o total da folha foi empenhado e registrado como pago.
~ Aquisição de combustíveis, peças e serviços sem especificação dos veículos
a que foram destinados, cujas despesas somam R$319.043,19, deste total
R$47.171,00, refere-se à aquisição de peças e serviços.
~ Excesso de R$214.090,16 no consumo de combustíveis, conforme
demonstrativo a fI. 1.693.
~ Sucateamento do ônibus pertencente ao município, revelando falta de zelo
pelo patrimônio público.
~ Utilização do trator Valmet 88 pertencente ao município, no corte de terra
da roça de propriedade do Prefeito Sr. Nilton Marques Beserra; conduta
esta que viola o disposto no inciso IV Art. 9°. da Lei nO. 8.429/1992.
~ Inexistência do Conselho Municipal de Educação, bem como de arquivos ou
informações sobre merenda escolar.
~ Não transição da gestão anterior para a atual, em descumprimento ao
disposto na Resolução RN - TC 06/2004.

01.1.02. e, prolatou Acórdão APL TC - 767/2006 para, entre outras


determinações:
./ Imputar débito ao Prefeito NILTON MARQUES BESERRA, no valor
de R$769.539,56 (setecentos e sessenta e nove mil, quinhentos e
trinta e nove reais e cinqüenta e seis centavos), sendo
R$27.612,00, por despesas sem notas fiscais; R$81.078,87, por
despesas com INSS sem comprovação de pagamento;
R$446.758,53, por despesa com pessoal não paga, mas empenhada
e tida como paga; R$214.090,16, por excesso no consumo de
com bustíveis.

./
J2;jL/
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
--Pág. 03/04 --
-/ Aplicar multa ao referido Prefeito, no valor de R$2.805,10
(dois mil, oitocentos e cinco reais e dez centavos) de acordo
com o art. 56, inciso 11, da Lei Complementar 18/93 - LOTCE,
assinando-lhe o prazo de 60 (sessenta) dias para recolhimento
voluntário do débito e multa imputados, sob pena de
execução.
1.02. As decisões foram publicadas no Diário Oficial do Estado (DOE) de 27.01.2007 e
em 09.02.2007, o interessado interpôs RECURSO DE RECONSIDERAÇÃO (fls.
1.851 a 2.490), a fim de obter reformulação da decisão deste Tribunal, tendo a
Auditoria (fls. 2.498 a 2.500), após análise da documentação apresentada, feito
as seguintes verificações: a) retificado para R$15.382,00, o valor das despesas
sem as devidas notas fiscais; b) no tocante à despesa com pessoal não paga, mas
empenhada e tida como paga, no valor de R$446.758,53, constatou que este
valor refere-se a salários não pagos aos servidores, correspondente ao atraso de
01 até 11 meses e o 13°. salário dos anos de 2003 e 2004, cuja despesa não foi
empenhada e nem paga, assim a irregularidade consiste apenas no atraso do
pagamento dos servidores e na falta de empenhamento da despesa;
c) inalteradas as demais irregularidades.
1.03. Chamado a se pronunciar sobre o assunto, a Procuradora Geral ANA TERÊSA
NÓBREGA, do Ministério Público junto ao Tribunal, opinou pelo conhecimento e
provimento parcial do Recurso de Reconsideração, retificando-se o débito
imputado ao gestor, mantendo-se incólume os demais termos da decisão atacada.
1.04. O Processo foi incluído na pauta desta sessão, com notificação dos interessados.

2. VOTO DO RELATOR

Considerando as averiguações feitas pelo órgão técnico deste Tribunal, o Relator


vota pelo conhecimento do Recurso de Reconsideração, dada sua tempestividade e
legitimidade e, no mérito, pelo provimento parcial para reduzir o total do débito imputado
ao prefeito Senhor NILTON MARQUES BESERRA que passa, desta feita, para
R$310.551,03 (trezentos e dez mil, quinhentos e cinqüenta e hum reais e três centavos),
sendo R$15.382,00, por despesas sem notas fiscais; R$81.078,87, por despesas com
INSS sem comprovação de pagamento e R$214.090,16, por excesso no consumo de
combustíveis, permanecendo inalterados os demais termos do Parecer PPL - TC -
163/2006 e do Acórdão APL - TC - 767/2006.

c<- .,
\~~
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
--Pág. 04/04-

3. DECISÃO DO TRIBUNAL
Vistos, relatados e discutidos os autos do PROCESSO
TC-03.623/03 (Documento TC 05.600/05), os MEMBROSdo TRIBUNAL
DE CONTAS DO ESTADO DA PARAÍBA (TCE-Pb), à unanimidade, na
sessão realizada nesta data, ACORDAM em tomar conhecimento do
RECURSO DE RECONSIDERAÇÃO supra caracterizado, dada sua
tempestividade e legitimidade e, no mérito, pelo provimento parcial
para reduzir o total do débito imputado ao Prefeito Senhor NILTON
MARQUES BESERRA que passa, desta feita, para R$310.551,03
(Trezentos e dez mil, quinhentos cinqüenta e hum reais e três centavos)
sendo R$15.382,00, por despesas sem notas fiscais; R$81.078,87, por
despesas com INSS sem comprovação de pagamento e R$214.090,16,
por excesso no consumo de combustíveis, permanecendo inalterados os
demais termos do Parecer PPL - Te - 163/2006 e do Acórdão APL - Te-
767/2006.
Publique-se, intim e, registre-se e cumpra-se.
Sala das Sessões do TC -P. - PIi 'rio MinistroJoão Agripino.
João Pess a, á a osto de 2008.

Conselheiro

í .---
/ Conselheiro Ato to N~m.~nandoDiniz Filho R

----Is-'--(-be-=-Í!.-. ~~fcãO 7
Procuradora Geraldo MPjTCem exercício

Interesses relacionados