Você está na página 1de 2

ub\icado no O. O. E.

,
,_,,:Jj /-JAJ Df
'I ,

TRIBUNAL DE CONTAS DO -tr-''-''-- (>L_


Processo Te nO 01866/07 -'lfcret
,~
i' do Tribunal Pleno

Administração direta. Município de São Francisco.


Prestação de Contas Anuais. Exercício financeiro de
2006. Declaração de atendimento às disposições da
LRF. Aplicação de multa. Representação à Delegacia
da Receita Previdenciária. Assinação de Prazo para
corrigir registros. Recomendações. Determinações.

ACÓRDÃO APL TC -)l) /2008

VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os autos do processo TC n" 01866/07, relativo à


prestação de contas do Município de São Francisco, exercício de 2006, tendo como responsável o
Prefeito, José Rofrants Lopes Casimiro, e
CON51DERANDO o Relatório da Auditoria, o pronunciamento do Órgão Ministerial, o
voto do Relator e o mais que dos autos consta,
ACORDAM OS MEMBROS DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA PARAÍBA, à
maioria, em sessão plenária realizada nesta data em:
1. Declarar que o chefe do Poder Executívo do Município de São Francisco, no
exercício de 2006, atendeu integralmente às exigências da Lei de
Responsabilidade Fiscal;
2. Aplicar multa pessoal ao Sr. José Rofrants Lopes Casimiro, no valor de R$
2.805,10 (Dois mil, oitocentos e cinco reais e dez centavos), por infração a
normas legais (Lei 8.666/93) com base no artigo 56, II da LOTCIPB, por força
das irregularidades constatadas, decorrentes de infração a preceitos e
disposições legais, assinando-lhes o prazo de sessenta (60) dias, a contar da
data da publicação da presente decisão, para efetuar o recolhimento ao Tesouro
Estadual, à conta do Fundo de Fiscalização Orçamentária e Financeira
Municipal, a que alude o art. 269 da Constituição do Estado, a importância
relativa à multa, cabendo ação a ser impetrada pela Procuradoria Geral do
Estado (PGE), em caso do não recolhimento voluntário devendo-se dar a
intervenção do Ministério Público, na hipótese de omissão da PGE, nos termos
do § 4° do art. 71 da Constituição Estadual;
3. Representar à Delegacia da Receita Previdenciária acerca do recolhimento a
menor de contribuição previdenciária, para as providências cabíveis;
4. Assinar de prazo de 30 (trinta) dias ao gestor para que o mesmo comprove a
adoção de medidas no sentido de regularizar os registros contábeis apontados
pela Auditoria como incorretos (irregularidade n° I] e n" ] 3 supra), sob pena de
aplicação de multa;
5. Recomendar à administração à adoção de medidas com vistas a não repetir as
irregularidades apontadas no relatório da unidade técnica deste Tribunal,
precisamente a cumprir rigorosamente os preceitos da Lei de Licitações e
Contratos, da Lei 4.320/64 observando o regime de competência da despesa
previsto no art. 35 da citada lei, bem como que se recomende providências no
sentido de determinar aos setores competentes da Prefeitura registros contábeis
coerentes com os eventos, principalmente quanto aos lançamentos das dívidas,
tanto fundada quanto flutuante;
6. Determinar à Auditoria para que quando da análise das contas do exercício de C---<\'
2007, investigue criteriosamente a(s) contratação (ões) e as remunerações da

c:\Assessor\PLENO\Prefeitura 2006\SFO-PCA-2006-0 1866-07.doc


Processo Te nO 01866/07
Sra. Cláudia Maria Lopes Araújo, de forma a elucidar qualquer dúvida quanto
ao(s) seu(s) vínculo (s) com o Município.

Publique-se, r
TC- PLENÁRIO MINISTRO JOÃO

Conselheiro

Conselheiro fm-í o Rodrigues Catão


// • ./ elator

L·'/
<2:~~
./

C:\Assessor\PLENO\Prefeitura 2006\SFO-PCA-2006-o 1866-07 .doe