Você está na página 1de 3

1,.1J Jo\'lcaao no D. O.

E,
L I LI

~ I';íi':::'~;':I? 'jo Tribunal pleno


TRIBUNAL DE CONTAS DO EST fWV
Processo Te 02362/06
Poder Executivo Municipal. Prefeitura Municipal de
Riachão do Poço - Prestação de contas anual referente
ao exercício de 2005 - Embargos de Declaração em
face de decisão consubstanciada através Acórdão APL
TC N° 765/2008 - Inexistência dos requisitos de
admissibilidade. Conhecimento. Não provimento.

ACÓRDÃO APL TC ~ Ç-0 /2008.

RELATÓRIO

Em 22111/2007 este Tribunal decidiu, através do Parecer PPL TC n" 208/2007 e do


Acórdão APL TC n° 918/2007:

1. Emitir parecer contrário à aprovação das contas da Prefeita Municipal de Riachão do Poço,
Sra. Maria Auxiliadora Dias do Rego, relativas ao exercício de 2005;
2. Imputar, à Prefeita, Sra. Maria Auxiliadora Dias do Rêgo, o débito no valor de R$ 9.753,51,
decorrente de saldos registrados nas disponibilidades sem comprovação, assinando-lhe o prazo de
60 (sessenta) dias, para efetuar o recolhimento da quantia mencionada;
3. Aplicar multa pessoal a Sra. Maria Auxiliadora Dias do Rêgo, no valor de R$ 2.805,10 (dois
mil oitocentos e cinco reais e dez centavos), com fundamento no art. 56 da LCE 18/93,
assinando-lhe o prazo de sessenta (60) dias, para efetuar o recolhimento ao Tesouro Estadual,
à conta do Fundo de Fiscalização Orçamentária e Financeira Municipal, a que alude o art. 269 da
Constituição do Estado, a importância relativa à multa;
4. Recomendar à atual gestão diligências no sentido de prevenir a repetição das falhas acusadas no
exercício de 2005.

Cuida-se, na presente sessão, de EMBARGOS DE DECLARAÇÃO opostos pela Prefeita


do Município de Riachão do Poço, Sra. Maria Auxiliadora Dias do Rêgo, através de seu procurador
legalmente habilitado', contra o Acórdão APL TC N° 765/2008, publicado no D.O.E., em 10110/2008,
através do qual, esta Corte decidiu, pela maioria dos seus membros, conhecer do Recurso de
Reconsideração interposto, e no mérito, negar-lhe provimento, mantendo-se in totum as decisões
recorridas constantes no Parecer PPL TC n" 208/2007 e do Acórdão APL TC n° 918/2007, reconhecendo
o recolhimento do saldo a descoberto como cumprimento de decisão proveniente deste TCE-PB,
constante no Acórdão APL-TC 918/2007.
O recorrente, pretendendo conferir efeito modificativo aos embargos, alegou que o
recolhimento foi efetuado não em virtude do que ditou o acórdão anteriormente guerreado, mas sim, em
razão da retificação realizada pela Auditoria, que com a nova instrução apresentada quando do Recurso
de Reconsideração, reduziu o valor da imputação para R$ 7.890,33.
No entendimento do embargante, ocorreu contradição no momento em que foi constatado
que a falha referente ao saldo a descoberto foi sanada "como cumprimento de decisão proveniente
deste TCE-PB".
Prosseguiu o embargante, requerendo procedência no seu pedido, de forma a suprir a
contradição apontada e, por conseguinte, modificar a decisão recorrida, no sentido de dar provimento ao
Recurso de Reconsideração, aprovando as referidas contas, haja vista que o recolhimento do saldo a
descoberto foi sanado de maneira eficaz.

É o relatório.

I O instrumento procuratório instrui às fls. 3317 dos autos.


C:lAssessoJ1PLENOlReeursoslEmbargo-RíaehDo do Poço.doe
Processo Te 02362/06
I
~UNALDECONTASDOESTADO

VOTO DO RELATOR

oRelator, atento às disposições do art. 34 da Lei Orgânica desta Corte c/c o art. 180 do
RI, entende que os embargos opostos não devem ser providos porquanto não estão presentes os requisitos
de admissibilidade da espécie recursal.
Da dicção do artigo 180 do RI percebe-se que os embargos declaratórios não se prestam
para alterar decisão, mas para esclarecer controvérsias, dúvidas e aclarar obscuridades que porventura
existam entre a decisão recorrida e a realidade dos fatos.
Na hipótese em exame, o que busca o embargante é reabrir a discussão sobre o mérito da
matéria. De fato, quando da apreciação do Recurso de Reconsideração interposto, constatou-se uma
situação singular, porquanto, diante das conclusões da Auditoria de redução do débito já imputado, de
pronto, a gestora realizou o prévio recolhimento do novo valor levantado, antes mesmo dos membros
deste Tribunal apreciar a matéria.
Contudo, não logra êxito a embargante em demonstrar a existência de obscuridade,
contradição ou omissão na decisão atacada, uma vez que o fato foi amplamente debatido, constando no
ato formalizador o reconhecimento do recolhimento do saldo a descoberto, dando por cumprida aquela
decisão relativamente ao item da imputação de débito (fls. 3325/3327).
Dito isto, voto no sentido de que o Tribunal conheça dos Embargos opostos ao
Acórdão APL TC N° 76512008 por atender aos requisitos da legitimidade e tempestividade", e, no
mérito rejeite-o, por lhe faltarem os requisitos indispensáveis a sua admissibilidade, mantendo-se,
portanto, inalterada a deliberação combatida, e que a decisão consubstanciada no Acórdão APL TC n°
918/2007 seja acompanhada, no que conceme à verificação do recolhimento da multa já aplicada.

É o voto.

DECISÃO DO TRIBUNAL

VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presente autos do Processo TC n° 02362/07,


no que tange aos Embargos de Declaração opostos pela Prefeita do Município de Riachão do Poço, Sra.
Maria Auxiliadora Dias do Rêgo contra decisão deste Egrégio Tribunal, consubstanciada no Acórdão
APL TC N° 765/2008, e
CONSIDERANDO que na forma do disposto no art. 180 do Regimento Interno desta
Corte admitem-se Embargos de Declaração quando houver, na decisão singular ou no Acórdão,
obscuridade, omissão ou contradição;
CONSIDERANDO que não se configura no presente caso as hipóteses ali previstas, e que
os embargos declaratórios não se prestam a reexame de mérito;
ACORDAM OS CONSELHEIROS DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO, à
unanimidade, na sessão plenária realizada nesta data, de acordo com o voto do Relator, em conhecer dos
Embargos opostos, contudo, negando-lhes provimento, por lhes faltarem os requisitos indispensáveis a
sua admissibilidade previstos no art. 180 do Regimento Interno desta Corte, e, que a decisão

2 A publicação no DOE ocorreu em 10/10/2008, sexta-feira, iniciou na segunda-feira (13/lO/2008~CO. tage


prazo de 10 dias para apresentação de Embargos de Declaração, o recurso em análise foi ot olado
22/10/2008, portanto, tempestivo.
C:lAssessorIPLENOlReeursoslEmbargo-Riaehao do Poço.doe
Processo Te 02362/06
consubstanciada no Acórdão APL Te n" 918/2007
I
~UNALDECONTASDOESTADO
seja acompanhada, no que concerne à verificação do
recolhimento da multa já aplicada.

tor

. ~I\.;
('

~

.Ana TerêsaNóbrega ~
Procuradora-Geral ('>o-)

C:lAssessor'PLENOlReeursoslEmbargo-Riaehao do Poço.doe