Exemplos de aplicação da 2.

ª lei de Newton
2.ª lei de Newton: A força actuante num ponto material é proporcional à aceleração.
⎧ ⎪ΣF ⎪ x ⎪ ⎨ΣFy ⎪ ⎪ ΣFz ⎪ ⎩

r r F = ma

= ma x

ΣF = ma P = mg P m= g

= ma y = ma z

Problema 1
massa 20 kg 100 N
Calcular a aceleração do corpo a) Sem atrito b) Com atrito f = 0,15

Problema 2
30º

F

900 N

Calcular F para que a aceleração do bloco seja 3 m/s2 a) Sem atrito b) Com atrito f = 0,15

x massa 20 kg 100 N

a) A única força que actua no corpo na direcção x (direcção do movimento) é 100 N.
ΣF = m×a a = 5 m/s2 100 N = 20 kg × a

Fcos(30º)

x

900 N

a) A única força que actua no corpo na direcção x (direcção do movimento) é Fcos(30º).
ΣF = m×a Fcos(30º) = 90 kg × 3 m/s2 F = 311,8 N

massa do corpo: m = 900N/10 m/s2 m = 90 kg

b) Agora existe outra força na dix 200 N 100 N Fatr N

recção x, a força de atrito. Como o corpo se encontra em movimento, a força de atrito é máxima ou seja N = 20 kg × 10 m/s = 200 N Fatr = N×f = 200×0,15 = 30 N
2

b) Agora existe outra força na direx Fsen(30º) Fcos(30º)

cção x, a força de atrito. Como o corpo se encontra em movimento, a força de atrito é máxima ou seja N = 900 + Fsen(30º) Fatr = N×f = (900 + Fsen(30º))×0,15 Fatr = 135 + 0,075F ΣF = m×a Fcos(30º) − (135 + 0,075F)= 90 × 3 F = 512,0 N

ΣF = m×a 100 N − 30 N = 20 kg × a a = 3,5 m/s
2

900 N
N Fatr

3 = 60 N. num plano inclinado de inclinação α. g×sen(α). as forças de atrito. ⎧ ⎪a = 10sen(15º ) ⎨ ⎪ ⎩F = 0 A aceleração do conjunto é 10sen(15º) m/s2. 200 N × 0.. as forças de atrito são máximas.6 N. de atrito: 0. acção de B sobre A. Aplicando ΣF = m×a em A. a força que B exerce em A. (direcção do movimento) são 100sen(15º) e F.2 ⎪ ⎪ ⎨F1 = 255. Como existe movimento. As acelerações de A. 300 N × 0.6 ⎪ ⎪F2 = 128.. N = 200 N N = 300 N N = 400 N . a) As únicas força que actuam em A. em B e em C escreve-se Para A Para B Para C ⎧360 − F = 20 × a 1 ⎪ ⎪ ⎨F1 − F2 = 30 × a ⎪ F = 40 × a ⎪ ⎩ 2 ⎧a = 4 ⎪ ⎪ ⎨F1 = 280 ⎪ F = 160 ⎪ ⎩ 2 2 O peso P de um corpo.8 .25 e em B. Notar que em A. Psen(α) e noutra perpendicular ao plano.25 0. ou seja. e B são iguais ou seja aA = aB = a. as forças de atrito são máximas. decompõe-se numa direcção paralela ao plano. 400 N × 0. Aplicando ΣF = m×a em A. a força que A exerce em B e a força que B exerce em C.8 m/s2. O corpo A exerce em B uma força de 280 N.. 150cos(15º) × 0.1 coeficientes de atrito Calcular a aceleração do conjunto.15. a) Sem atrito b) Com atrito B A 150 N N 0 10 15º 0.Problema 3 360 N C A B 20 kg 30 kg 40 kg Problema 4 Calcular a aceleração do conjunto. (direcção do movimento) são 360 N e as forças de acção-reacção entre A e B (forças F1) e entre B e C (forças F2). Não existe interacção entre A e B. .1 = 40 N.15 a) As únicas força que actuam nos corpos. em B e em C escreve-se Para A Para B Para C ⎧360 − F − 60 = 20 × a 1 ⎪ ⎪ ⎨F1 − F2 − 60 = 30 × a ⎪ ⎪F2 − 40 = 40 × a ⎩ ⎧a = 2.75 .8 N.2=60 N C 400 N 400x0. na direcção x.1=40 N A aceleração do conjunto é 5.15 − F = 15 × a ⎧a = 0. O corpo B exerce em A uma força de 5. as forças de atrito. x F A 100s 5º ) en(1 B 5º) en(1 150s b) Agora existem outras forças na direcção x. 360 N A 20 kg F1 B 30 kg F2 x C 40 kg . ⎪ ⎨ ⎪ ⎩F = 5. F1 é diferente de 360 N porque o equilíbrio em x é dinâmico e não estático. Pcos(α). 100cos(15º) × 0. O corpo B exerce em C uma força de 160 N. A diferença corresponde a 20×4. em A. O corpo B exerce em C uma força de 128. em B...9 N..3 0. Aplicando ΣF = m×a em A e em B escreve-se Para A Para B ⎧ ⎪100sen(15º ) − F = 10 × a ⎨ ⎪ ⎩150sen(15º ) + F = 15 × a A aceleração do conjunto é 4 m/s .2 m/s2.2 = 60 N e em C. a) Sem atrito b) Com atrito coef. A aceleração do conjunto é 2. Aplicando ΣF = m×a em A e em B e em C escreve-se Para A Para B ⎧ ⎪100sen(15º ) − 100 cos(15º ) × 0. B e C são iguais ou seja aA = aB = aC = a. por exemplo.2 0. em A. na direcção x. ou seja.25 + F = 10 × a ⎨ ⎪ ⎩150sen(15º ) − 150 cos(15º ) × 0. Em B actuam 150sen(15º) e F reacção de A sobre B. x 360 N A 200 N 200x0. ou seja. Como existe movimento. As acelerações de A.3=60 N F1 B 300 N F2 300x0.9 ⎩ b) Agora existem outras forças na direcção x. O corpo A exerce em B uma força de 255....

25 5º)x0 os(1 c 0 0 1 a= g ( m2 − e m2 + e ⎧m g − T = m × (− a) 1 1 ⎪ 1 ⎪ ⎨m 2 g − T2 = m 2 × a ⎪ π ×f ⎪T2 = T1e ⎩ (f π ) . T T T y m1g m2g b) A diferença. (direcção do movimento) são T e m1g (peso da massa 1).x 5º) os(1 100c A 5º) en(1 100s 15º) cos( 0 0 1 N= F B 5º) os(1 150c 5º) en(1 150s . Aplicando ΣF = m×a em 1 e em 2 escreve-se ⎧m g − T = m × (− a ) ⎪ 1 1 ⎨ − = m g T m ⎪ 2 ×a ⎩ 2 ⎧ m 2 − m1 g ⎪a = ⎪ m 2 + m1 ⎪ ⎨ ⎪T = 2 m1 × m2 g ⎪ m 2 + m1 ⎪ ⎩ m2g Para 1 Para 2 . Em 2 actuam T e m2g (peso da massa 2). está nas tracções do cabo. Agora são diferentes nos dois lados do cabo porque existe atrito no tambor. para a alínea a).. na direcção y.15 5º)x0 os(1 c 0 5 1 Para 1 Para 2 F . Aplicando ΣF = m×a em 1 e em 2 e juntando a equação que relaciona T1 com T2 escreve-se . As acelerações de 1 e 2 são simétricas. As tracções no cabo são iguais porque não existe atrito no tambor... Como o movimento se faz para o lado 2 então T2 > T1 na fórmula respectiva.. m1 ) (f π ) m1 T1 = 2 m1 g m2 m2 + e (f π ) m1 Problema 5 m2 > m1 T2 = 2 Calcular a aceleração do conjunto a) Sem atrito no tambor b) Com atrito m2 g e m2 + e (f π ) (f π ) m1 m1 1 2 T1 T2 T2 y m1g a) As únicas força que actuam em 1. a1 = −a2. ou seja.

a força de atrito entre A e B é 6 N. é ΣF = m×a 45 – 27=(6+12)×a. As forças de atrito já atingiram os valores máximos. ΣF = m×a Fatr=6×1 Com F = 45 N. A força de atrito em B aumenta até atingir o máximo.20 0. F Fatr= 27 N . A aceleração do conjunto.15 = 27 N A e B mantêm-se em repouso com (12+6)x10=180 N e) Com F = 45 N os corpos A e B mantêm-se em movimento conjunto. ou seja. Com esta aceleração calcula-se qual a força de atrito necessária em B. F=63 N A e B movem-se em conjunto com 27 N < F ≤ 63 N 60 N B Fatr N=60 N f) Com F = 75 N os corpos A e B não têm movimento conjunto. d) Com F = 15 N os corpos A e B mantêm-se em repouso e “longe” do movimento iminente (F = 27 N). o conjunto entra em aceleração. A e B mantêm-se em movimento conjunto até que a aceleração seja a=2 m/s2. Calcular os valores de F para os quais: a) A e B se mantêm em repouso b) A e B se movem em conjunto c) A e B se movem separadamente Calcular a força de atrito entre A e o plano e entre A e B para d) F=15 N e) F=45 N. coef. 27 N. Fatr max = N×f = 60×0.Problema 6 F B 6 kg A 12 kg c) Para F > 63 N o corpo A continua a adquirir aceleração. 0 ≤ F ≤ 27 F Fatr= 27 N N = 180 N x F = 45 N Fatr = 27 N B Fatr b) Se F continuar a aumentar. acima de 27 N. ΣF = m×a 12=6×a. f) F=75 N F = 15 N Fatr = 15 N a) A e B mantêm-se em repouso até F igualar o máximo da força de atrito .15 Admitir que F aumenta gradualmente a partir do valor 0 N. Assim a força de atrito entre A e o plano é 15 N. ou seja F = Fatr max = N×f = 180×0. ou seja. atrito: 0. com F = 45 N. a = 1 m/s2. O corpo B fica para trás com uma aceleração de 2 m/s2. A força de atrito entre A e o plano é o valor máximo já atingido. Qual é o valor de F para esta aceleração? ΣF = m×a F – 27=(6+12)×2. Entre A e B é nula. A força de atrito entre A e o plano é 27 N e entre A e B é 12 N. A Fatr max corresponde à aceleração máxima que B suporta sem se mover relativamente a A. a=2 m/s2.20 = 12 N.

(a = 3.5aB Como existe movimento. as forças de atrito são máximas... ⎧ ⎪a = 3. em A. ou seja. T B 50 N Fatr=15 N N = 50 N T Fatr=15 N 50 N A N=150 N 180 N A 250 N 50 N T T T T T B 250 N 75 N N=250 N 100 N 125 N Fatr=45 N x x N = 250 N Problema 8 Resolver o problema 7 com a força 125 N aplicada em B e não em A. Aplicando ΣF = m×a em A e em B escreve-se Para A Para B ⎧ ⎪125 − T − 45 − 15 ⎨ ⎪ ⎩− T + 15 = 5 × a 2 Como existe movimento. Calcular a aceleração de A e B e a tracção no cabo.21 m / s ⎪ ⎪a B = 1 .3 m/s2.3 Calcular a aceleração de A e B e a tracção no cabo. de atrito 0. 250 × 0.2 = 50 N e em B. A aceleração é 3.3 N ) ..3 = 75 N.7 ⎩T = 31 .3 m/s .7 N. As acelerações de A e B são simétricas.. 250 × 0. as forças de atrito são máximas.2 0.Problema 7 B 50 N A 100 N 125 N Problema 9 180 N A 250 N B 250 N Coef. 50 × 0.3 ⎨ ⎪ . 150 × 0.47 m / s 2 ⎩ = 10 × a . Admita aA = 1. A tracção no cabo é 31.3 = 45 N e em B. em A.3 N ⎪ ⎪ 2 ⎨a A = 2.3 = 15 N. aA = −aB. T = 93. ou seja. Aplicando ΣF = m×a em A e em B e a relação entre as acelerações. (roldana sem atrito) coef. ou seja.3. Atrito: A/B=A/plano=0. escreve-se Para A Para B ⎧100 − 2T − 50 = 25 × a A ⎪ ⎪ 3 T 75 25 a − = × ⎨ B ⎪ a 1 . 5 a = ⎪ B ⎩ A ⎧T = 37.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful